PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO E
MONITORAMENTO DE PAVIMENTO
AEROPORTUÁRIO COM BASE NA
MEDIÇÃO DE ATRITO E MACROTEXTURA
Faculd...
OBJETIVO
Apresentar a natureza dos processos que envolvem a gestão e
manutenção do pavimento aeroportuário, salientando su...
METODOLOGIA
Os métodos utilizados para este trabalho estão divididos em duas
etapas: a primeira em forma de pesquisa bibli...
CONCEITOS
SEGURANÇA OPERACIONAL
Conceito segundo a ICAO (1994):
“…o estado no qual o risco de lesões às pessoas ou danos às
propried...
SEGURANÇA OPERACIONAL
Conceito segundo a ICAO (1994):
“…o estado no qual o risco de lesões às pessoas ou danos às
propried...
ACIDENTE AERONÁUTICO
Rodrigues (2006) aponta quatro elementos que constituem os
acidentes aeronáuticos:
•Condições meteoro...
PISTA
As pistas de pouso e decolagem têm função de estabelecer
conexão entre a fase de vôo e a fase terrestre, permitindo-...
PISTA
Os pavimentos aeroportuários devem possuir, as seguintes
características de qualidade operacional:
•Resistência estr...
TEXTURA SUPERFICIAL
A textura da superfície do pavimento aeroportuário é caracterizada
pela microtextura e pela macrotextu...
MICRO E MACRO TEXTURA
Situação ideal para o pavimento aeroportuário:
HIDROPLANAGEM
A hidroplanagem é o fenômeno que ocorre quando os pneus da
aeronave perdem totalmente o contato com a superf...
PROCEDIMENTO DE
MONITORAMENTO
REGULAMENTAÇÃO
.
O monitoramento do atrito da textura superficial macrotextura do
pavimento é executado em atendimento às ...
MEDIÇÃO DE ATRITO
.
As medições de Atrito das Pistas devem ser realizadas com o
equipamento de medida contínua de atrito, ...
MEDIÇÃO DE ATRITO
.
MEDIÇÃO DE ATRITO
.
Efetuadas com a seguinte periodicidade (teste de monitoramento):
# Pousos diários de aeronaves na pist...
MEDIÇÃO DE ATRITO
.
Parâmetros de referência para realização do ensaio em cada
equipamento e classificação do nível de seg...
MEDIÇÃO DE ATRITO
.
Classificação das Pistas de Pouso e Decolagem
 Pista Nova
 Pista Segura Não-Supervisionada: Sempre q...
ENSAIO DE MACROTEXTURA
.
A medição da textura superficial do pavimento – medição da macrotextura
é verificada através do e...
ENSAIO DE MACRO-TEXTURA
.
Procedimento de Medição de Macrotextura (Método Mancha de Areia)
•Cilindro de metal com volume i...
ENSAIO DE MACRO-TEXTURA
.
Parâmetros de classificação da textura conforme a profundidade:
Volume da Areia
Profundidade da ...
RECOMPOSIÇÃO DA
TEXTURA
SUPERFICIAL
GROOVING
.
São ranhuras com profundidade, largura e espaçamento uniformes e
têm a função de melhorar a drenagem superficia...
GROOVING
Em função do grande número de pousos e decolagens, ocorre o
processo de acúmulo por borracha, que reduz significa...
REMOÇÃO DE BORRACHA
Em função do grande número de pousos e decolagens, ocorre o
processo de acúmulo por borracha, que redu...
REMOÇÃO DE BORRACHA
As técnicas reconhecidas e recomendadas são:
•Remoção com produtos químicos (solventes);
•Hidrojateame...
ESTUDO DE CASO
ESTUDO DE CASO
Complexo de pistas do Aeroporto Internacional de São Paulo -
Guarulhos.
ESTUDO DE CASO
Pista 09R/27L
Pousos diários: aproximadamente 356 (abril 2012)
Frequência de monitoramento: 7 (sete) dias
T...
ESTUDO DE CASO
Pista 09L/27R
Pousos diários: aproximadamente 8 (abril 2012)
Frequência de monitoramento: 12 meses / 6 mese...
ESTUDO DE CASO
ESTUDO DE CASO
ESTUDO DE CASO
CONCLUSÃO
1. A microtextura e a macrotextura são fatores de extrema importância para
a segurança do tráfego aéreo.
2. A di...
.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação TCC Fatec sp - Procedimentos de manutenção e monitoramento de pavimento aeroportuário

401 visualizações

Publicada em

PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO E MONITORAMENTO DE PAVIMENTO AEROPORTUÁRIO COM BASE NA MEDIÇÃO DE ATRITO E MACROTEXTURA - Apresentar a natureza dos processos que envolvem a gestão e manutenção do pavimento aeroportuário, salientando sua importância na operacionalidade do aeródromo e na segurança dos procedimentos de pouso e decolagem.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
401
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação TCC Fatec sp - Procedimentos de manutenção e monitoramento de pavimento aeroportuário

  1. 1. PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO E MONITORAMENTO DE PAVIMENTO AEROPORTUÁRIO COM BASE NA MEDIÇÃO DE ATRITO E MACROTEXTURA Faculdade de Tecnologia de São Paulo Tecnologia em Construção Civil - Movimento de Terra e Pavimentação Professor Josué Alves Roso Aluna: Deise Cristina Barbosa São Paulo, Junho 2011
  2. 2. OBJETIVO Apresentar a natureza dos processos que envolvem a gestão e manutenção do pavimento aeroportuário, salientando sua importância na operacionalidade do aeródromo e na segurança na dos procedimentos de pouso e decolagem.
  3. 3. METODOLOGIA Os métodos utilizados para este trabalho estão divididos em duas etapas: a primeira em forma de pesquisa bibliográfica e a segunda em forma de pesquisa de campo, com o estudo de caso do Aeroporto Internacional de São Paulo / Guarulhos – Governador André Franco Montoro.
  4. 4. CONCEITOS
  5. 5. SEGURANÇA OPERACIONAL Conceito segundo a ICAO (1994): “…o estado no qual o risco de lesões às pessoas ou danos às propriedades são reduzidos ou mantidos a um nível aceitável, mediante um processo contínuo de identificação de perigos e gerenciamento de riscos.”
  6. 6. SEGURANÇA OPERACIONAL Conceito segundo a ICAO (1994): “…o estado no qual o risco de lesões às pessoas ou danos às propriedades são reduzidos ou mantidos a um nível aceitável, mediante um processo contínuo de identificação de perigos e gerenciamento de riscos.”
  7. 7. ACIDENTE AERONÁUTICO Rodrigues (2006) aponta quatro elementos que constituem os acidentes aeronáuticos: •Condições meteorológicas; •O homem; •O avião; •Infra-estrutura.
  8. 8. PISTA As pistas de pouso e decolagem têm função de estabelecer conexão entre a fase de vôo e a fase terrestre, permitindo-se acelerar e desacelerar com segurança além de permitir que a aeronave taxie.
  9. 9. PISTA Os pavimentos aeroportuários devem possuir, as seguintes características de qualidade operacional: •Resistência estrutural; •Condição de rolamento; •Integridade estrutural; •Resistência à derrapagem.
  10. 10. TEXTURA SUPERFICIAL A textura da superfície do pavimento aeroportuário é caracterizada pela microtextura e pela macrotextura. A Microtextura é caracterizada pelo grau de rugosidade ou aspereza individual da superfície das partículas do agregado que compõem a mistura asfáltica e está diretamente ligada ao atrito. A Macrotextura é caracterizada pelo tamanho do agregado, pela faixa de granulométrica e pelos vazios existentes na mistura e está diretamente ligada a drenagem superficial do pavimento.
  11. 11. MICRO E MACRO TEXTURA Situação ideal para o pavimento aeroportuário:
  12. 12. HIDROPLANAGEM A hidroplanagem é o fenômeno que ocorre quando os pneus da aeronave perdem totalmente o contato com a superfície do pavimento, devido a presença de uma lâmina de água que se interpõe entre ambos. Nestas condições o atrito é praticamente nulo e insuficiente para manter a roda girando fazendo com que a sua rotação diminua gradualmente até cessar e tornando o controle direcional das rodas e o procedimento de frenagem completamente ineficaz.
  13. 13. PROCEDIMENTO DE MONITORAMENTO
  14. 14. REGULAMENTAÇÃO . O monitoramento do atrito da textura superficial macrotextura do pavimento é executado em atendimento às exigências da Agência Reguladora (ANAC) seguindo a seguinte regulamentação vigente: •Instrução de Aviação Civil - IAC 4302 de 28.05.2001, do Departamento de Aviação Civil (DAC) ; •Resolução 88 de 11.05.2009, da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) ; •Resolução 58 de 24.10.2008 (ANAC) – Altera a Resolução 25 de 25.04.2008 (ANAC) ; •No âmbito INFRAERO, MP – 22.04 (MNT) de 30/10/2007 da, para todos os Aeroportos da Rede INFRAERO.
  15. 15. MEDIÇÃO DE ATRITO . As medições de Atrito das Pistas devem ser realizadas com o equipamento de medida contínua de atrito, dotado de um sistema de espargimento com lâmina d’água de 1,00mm. Os equipamentos Medidores de Atrito devem ser aqueles homologados e aceitos por organismos. As medições deverão ser realizadas em toda a extensão da pista, em ambos os sentidos, distantes a 3m e/ou 6 m de cada lado do eixo, conforme a classe de referência das aeronaves que operam e numa velocidade constante de 65 Km/h.
  16. 16. MEDIÇÃO DE ATRITO .
  17. 17. MEDIÇÃO DE ATRITO . Efetuadas com a seguinte periodicidade (teste de monitoramento): # Pousos diários de aeronaves na pista Freqüência mínima de medições de atrito [1] [2] [3] 1 Menos de 15 Cada 12 meses 2 16 a 30 Cada 6 meses 3 31 a 90 Cada 3 meses 4 91 a 150 Cada 30 dias 5 151 a 210 Cada 15 dias 6 Mais de 210 Cada 7 dias
  18. 18. MEDIÇÃO DE ATRITO . Parâmetros de referência para realização do ensaio em cada equipamento e classificação do nível de segurança das pistas. Equipamento Pneu Velocidade de teste (km/h) Espessura da lâmina de água (mm) Coeficiente de atrito mínimo Tipo Pressão (kPa) Paviment os novos Nível de Manuten ção Nível aceitáv el [1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] [8] Mu-meter A 70 65 1 0,72 0,52 0,42 A 70 95 1 0,66 0,38 0,26 Skiddometer B 210 65 1 0,82 0,6 0,5 B 210 95 1 0,74 0,47 0,34 Surface friction tester vehicle B 210 65 1 0,82 0,6 0,5 B 210 95 1 0,74 0,47 0,34 Runway friction tester vehicle B 210 65 1 0,82 0,6 0,5 B 210 95 1 0,74 0,54 0,41 Tatra B 210 65 1 0,76 0,57 0,48 B 210 95 1 0,67 0,52 0,42 Runar B 210 65 1 0,69 0,52 0,45 B 210 95 1 0,63 0,42 0,32 Grip Tester C 140 65 1 0,74 0,53 0,43 C 140 95 1 0,64 0,36 0,24
  19. 19. MEDIÇÃO DE ATRITO . Classificação das Pistas de Pouso e Decolagem  Pista Nova  Pista Segura Não-Supervisionada: Sempre que o teste de monitoramento indicar um atrito igual ou superior Nível de Manutenção  Pista Segura Supervisionada: Sempre que o teste de monitoramento indicar um coeficiente de atrito menor Nível de Manutenção e igual ou superior ao Nível Aceitável;  Pista Insegura: A PPD será considerada insegura para operação de aeronaves e objeto de FISCALIZAÇÃO e MULTA, conjugada com a emissão de NOTAM, sempre que o teste de monitoramento indicar um coeficiente de atrito inferior ao Nível Aceitável.
  20. 20. ENSAIO DE MACROTEXTURA . A medição da textura superficial do pavimento – medição da macrotextura é verificada através do ensaio da mancha de areia ou mancha de graxa conforme estabelecido na IAC 4302. A profundidade média da macrotextura do pavimento de uma pista de pouso e decolagem não deverá ser inferior a 0,50 mm para pista existente, e 1,00 mm para o pavimento novo. O valor da textura ≤ 0,40 mm, caracteriza nível de manutenção para o pavimento, devido ao risco de aquaplanagem dinâmica.
  21. 21. ENSAIO DE MACRO-TEXTURA . Procedimento de Medição de Macrotextura (Método Mancha de Areia) •Cilindro de metal com volume interno de 24 cm³; • Areia graduada (passa na peneira # 50 e é retida na # 100); • Carimbo espalhador; • Régua de aço, com escala de 600 mm. As medições deverão ser realizadas a cada 100 metros de pista, em pontos localizados a 3 metros do eixo, alternadamente à esquerda e a direita deste, distando o primeiro ponto a 100 metros de uma das cabeceiras e deverá ser repetido 03 (três) vezes por área demarcada.
  22. 22. ENSAIO DE MACRO-TEXTURA . Parâmetros de classificação da textura conforme a profundidade: Volume da Areia Profundidade da textura (T) = _________________________ Área da mancha Classificação Profundidade média (T) Muito fechada T ≤ 0,20 mm Fechada 0,20 mm < T ≤ 0,40 mm Média 0,40 mm < T ≤ 0,80 mm Aberta 0,80 mm < T ≤ 1,20 mm Muito aberta T > 1,20 mm
  23. 23. RECOMPOSIÇÃO DA TEXTURA SUPERFICIAL
  24. 24. GROOVING . São ranhuras com profundidade, largura e espaçamento uniformes e têm a função de melhorar a drenagem superficial. Por meio desses canais criados na superfície, evita-se a formação de lâmina d’água conduzindo a água para as laterais da pista rapidamente.
  25. 25. GROOVING Em função do grande número de pousos e decolagens, ocorre o processo de acúmulo por borracha, que reduz significativamente a profundidade da macrotextura, e o estrangulamento das aberturas das ranhuras do grooving.
  26. 26. REMOÇÃO DE BORRACHA Em função do grande número de pousos e decolagens, ocorre o processo de acúmulo por borracha, que reduz significativamente a profundidade da macrotextura, e o estrangulamento das aberturas das ranhuras do grooving. É uma ação de manutenção periódica, programada e realizada com o objetivo de manter e restabelecer nível de atrito adequado às operações de aeronaves no solo sob condições meteorológicas normais e adversas. A periodicidade deste processo está estreitamente ligada ao monitoramento da medição de atrito, que é estabelecida em função do número de pousos.
  27. 27. REMOÇÃO DE BORRACHA As técnicas reconhecidas e recomendadas são: •Remoção com produtos químicos (solventes); •Hidrojateamento de alta pressão de água com produtos químicos ; •Hidrojateamento com alta pressão de água; •Ar comprimido quente.
  28. 28. ESTUDO DE CASO
  29. 29. ESTUDO DE CASO Complexo de pistas do Aeroporto Internacional de São Paulo - Guarulhos.
  30. 30. ESTUDO DE CASO Pista 09R/27L Pousos diários: aproximadamente 356 (abril 2012) Frequência de monitoramento: 7 (sete) dias Tipo de revestimento: CBUQ Tratamento superficial (Grooving): em toda sua extensão com largura de 30,00 m Comprimento Total da Pista: 3000m FIGURA A 09R 27L Zona de Toque: 600m Zona de Toque: 600m Comprimento Medido: 2700m
  31. 31. ESTUDO DE CASO Pista 09L/27R Pousos diários: aproximadamente 8 (abril 2012) Frequência de monitoramento: 12 meses / 6 meses Tipo de revestimento: CBUQ Tratamento superficial (Grooving): em toda sua extensão com largura de 45 m Comprimento Total da Pista: 3700m 09L 27R Zona de Toque: 600m Zona de Toque: 600m Comprimento Medido: 3400m
  32. 32. ESTUDO DE CASO
  33. 33. ESTUDO DE CASO
  34. 34. ESTUDO DE CASO
  35. 35. CONCLUSÃO 1. A microtextura e a macrotextura são fatores de extrema importância para a segurança do tráfego aéreo. 2. A diminuição do índice de atrito, por acúmulo de borracha, ocorre com maior incidência nas zonas de toque da pista 09R/27L. 3. O movimento operacional é fator determinante para o planejamento das ações de manutenção do pavimento das pistas. 4. A diminuição de tempo entre os intervalos de intervenções de desemborrachamento indicam que este procedimento causa desgaste no pavimento.
  36. 36. .

×