Curso de Graduação em Sistemas de Informação
Computação Ubíqua
Semana de Informática 2015.2
Prof. Carlos Odilon
Introdução
 WWW – World Wide Web
 Documentos hipermídia
 Browsers (navegadores)
 Padrão (URI) / Protocolo (HTTP) /
Lin...
Introdução
 Evolução da WEB
 Web 1.0:

1990 -Tim Berners-Lee

Webmaster

Informação estática.

Sem interatividade.
...
Introdução
 Evolução da Web
 Web 2.0:

2004 - empresa americana
O’Reilly Media

Dinâmica

Redes sociais

Interação e...
Introdução
 Evolução da Web
 Web 3.0:

Publicado no New York Times por
John Markoff

Informação filtrada por interesse...
Introdução
 Evolução da Web
 Web 4.0:

Seth Godin e estudiosos

Gigantesco sistema
operacional inteligente e
dinâmico
...
Introução
 Evolução da Web
 Web 5.0:

Web emocional

Interação entre humanos e computadores

Hábitos diários baseados...
Páginas Estáticas
 HTML puro
 Sem interatividade
 Controlada apenas pelo Webmaster
Páginas Dinâmicas
 Interatividade (comentários,
compartilhamento)
 Flash, HTML5, Wikipedia
 Blogs
 Webdesigner
 Usuár...
Páginas Dinâmicas de Cliente
 Todo processamento é feito no lado
cliente (navegador)
 Utilização de scripts (javascript,...
Páginas Dinâmicas de
Servidor
 Processamento feito todo pelo servidor.
 Segurança (transações bancárias).
 Utilização d...
Evolução Tecnologia Web
Evolução Tecnologia Web
Frases
“A Informática criou problemas que não
existiam” - Dert
“Uma vez a informação incluída na Internet,
jamais será exc...
Computação Ubíqua
 1980 - Mark Weiser (Xerox PARC)
 Computação Ubíqua é o campo onde se
procura desenvolver aplicações q...
Computação Ubiqua
 A Computação Móvel se baseia na
capacidade de mover fisicamente serviços
computacionais junto com os u...
Computação Ubíqua
 A Computação Pervasiva evidencia que o
computador está embutido no ambiente de
maneira invisível para ...
Computação Ubiqua
Computação Ubíqua - exemplos
 O Projeto Classroom (1999) da Geórgia Institute of
Technology que grava as aulas e permite ...
Computação Ubíqua - exemplos
 Projeto EPR (Electronic Patient Record - 2007), que
é uma solução computacional que registr...
Computação Ubíqua - exemplos
 Smart Houses (casas inteligentes) não será preciso chaves ou
cartões para entrar na casa, b...
Computação Ubíqua - exemplos
 Projetos EasyLiving da Microsoft (2000) ou o Adaptive House
da Universidade do Colorado (19...
Computação Ubíqua - exemplos
Referências
ARAÚJO, Regina Borges. (2003) “Computação Ubíqua:Princípios,
Tecnologias e Desafios”, In: Simpósio Brasileiro ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Computação Ubíqua

127 visualizações

Publicada em

Palestra Semana da Informática 2015.2 - Universidade Estácio de Sá

Publicada em: Internet
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Que trabalho bacana com muitas informações atualizadas e relevantes. Parabéns. Vicente Willians
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
127
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Computação Ubíqua

  1. 1. Curso de Graduação em Sistemas de Informação Computação Ubíqua Semana de Informática 2015.2 Prof. Carlos Odilon
  2. 2. Introdução  WWW – World Wide Web  Documentos hipermídia  Browsers (navegadores)  Padrão (URI) / Protocolo (HTTP) / Linguagem de Marcação (HTML)  Padronizado pela W3C
  3. 3. Introdução  Evolução da WEB  Web 1.0:  1990 -Tim Berners-Lee  Webmaster  Informação estática.  Sem interatividade.  Usuário busca informação.  Alta taxa de download.
  4. 4. Introdução  Evolução da Web  Web 2.0:  2004 - empresa americana O’Reilly Media  Dinâmica  Redes sociais  Interação entre usuário final x conteúdo da página.  Informação encontra o usuário.  Alta taxa de upload.
  5. 5. Introdução  Evolução da Web  Web 3.0:  Publicado no New York Times por John Markoff  Informação filtrada por interesses.  Google – pesquisa interativa.  Web semântica.  World Wide Web (rede mundial) para World Wide Database (base de dados mundial),  Computação em nuvem.  Dados, dispositivos e pessoas conectados ao redor do mundo.
  6. 6. Introdução  Evolução da Web  Web 4.0:  Seth Godin e estudiosos  Gigantesco sistema operacional inteligente e dinâmico  Interações dos indivíduos  Dados disponíveis, instantâneos ou históricos  Propor ou suportar a tomada de decisão  Complexo sistema de inteligência artificial.
  7. 7. Introução  Evolução da Web  Web 5.0:  Web emocional  Interação entre humanos e computadores  Hábitos diários baseados em Neurotecnologia  Exemplo www.wefeelfine.org  Com fones de ouvido, os usuários vão interagir com o conteúdo que interage com as suas emoções ou mudanças em reconhecimento facial.  Personalidade artificial  Holografia (imagens em três dimensões, como os coloridos emblemas de segurança nos cartões de crédito e nas embalagens de
  8. 8. Páginas Estáticas  HTML puro  Sem interatividade  Controlada apenas pelo Webmaster
  9. 9. Páginas Dinâmicas  Interatividade (comentários, compartilhamento)  Flash, HTML5, Wikipedia  Blogs  Webdesigner  Usuários co-autores da informação  Cai conceito de webmaster
  10. 10. Páginas Dinâmicas de Cliente  Todo processamento é feito no lado cliente (navegador)  Utilização de scripts (javascript, vbscript)  Efeitos com HTML dinâmico (DHTML)  Depende do tipo e versão do navegador para funcionar corretamente.
  11. 11. Páginas Dinâmicas de Servidor  Processamento feito todo pelo servidor.  Segurança (transações bancárias).  Utilização de linguagens, além de scripts (Asp, PHP, Java).  Necessário servidor com boa capacidade de processamento.
  12. 12. Evolução Tecnologia Web
  13. 13. Evolução Tecnologia Web
  14. 14. Frases “A Informática criou problemas que não existiam” - Dert “Uma vez a informação incluída na Internet, jamais será excluída” - Dert “A tecnologia não é boa nem ruim, tudo depende do uso que as pessoas fazem dela” - Manuel Castells
  15. 15. Computação Ubíqua  1980 - Mark Weiser (Xerox PARC)  Computação Ubíqua é o campo onde se procura desenvolver aplicações que permite aos seres humanos a capacidade de, através de gestos e comportamentos naturais, interagir com sistemas computacionais.  Também chamada de: Computação Pervasiva, Computação Móvel, Computação Nomádica.
  16. 16. Computação Ubiqua  A Computação Móvel se baseia na capacidade de mover fisicamente serviços computacionais junto com os usuários, tornando o computador um dispositivo sempre presente, permitindo ao homem que tenha acesso às aplicações oferecidas por um sistema computacional independentemente da sua localização.
  17. 17. Computação Ubíqua  A Computação Pervasiva evidencia que o computador está embutido no ambiente de maneira invisível para o usuário.  A Computação Ubíqua, também chamada de Ubicomp (WEISER,1991), se utiliza dos conhecimentos da computação móvel e da computação pervasiva.
  18. 18. Computação Ubiqua
  19. 19. Computação Ubíqua - exemplos  O Projeto Classroom (1999) da Geórgia Institute of Technology que grava as aulas e permite uma busca de material e seções de aula quando necessário através de interfaces multimídias customizados pelos professores.  Projeto Authoring on the Fly (1999) da Universidade de Freiburg na Alemanha que possui elementos de visão computacional, um poderoso sistema de sincronização na coleta e armazenamento de mídias das salas de aula, bem como diversas funcionalidades para um posterior acesso a esses
  20. 20. Computação Ubíqua - exemplos  Projeto EPR (Electronic Patient Record - 2007), que é uma solução computacional que registra todos os dados de um paciente, onde são espalhados por toda a localização física do hospital sensores, dispositivos de reconhecimento e servidores que monitoram os pacientes. Medidores de taxas de glicose ou pressão arterial mandam informações para os servidores, e com todas essas informações os servidores conseguem dividir seções nos hospitais para agrupar elementos de ordem parecida, como por exemplo, clientes das UTI’s, visitantes, etc.
  21. 21. Computação Ubíqua - exemplos  Smart Houses (casas inteligentes) não será preciso chaves ou cartões para entrar na casa, basta simplesmente tocar na porta, que o sistema faz uma checagem de digitais, permitindo a entrada no lar.  Eletrodomésticos tem manutenção automatizada, ou seja, antes de peças quebrarem ou de um possível defeito, a assistência técnica será ativada.  Geladeiras, armários e dispensas são capazes de gerir seus próprios estoques e antes que um produto fundamental acabe, ordens de compra já terão sido enviadas.  Na segurança, controladores inteligentes de incêndio evitam a propagação das chamas por toda a casa. Sensores e alarmes contra intrusos bem como o acionamento imediato das autoridades.
  22. 22. Computação Ubíqua - exemplos  Projetos EasyLiving da Microsoft (2000) ou o Adaptive House da Universidade do Colorado (1998), permitem que o sistema de som acompanhe o usuário entre os cômodos do lar.  Cada membro do lar possui sua própria lista personalizada de áudio e vídeo, podendo ser acessada de qualquer parte da casa.  Permitem também um controle automático da iluminação e da refrigeração do ambiente, por exemplo, o morador vai assistir a um filme, e as luzes ficam menos intensas para melhorar a experiência.  Na TV passam imagens de quem está tocando a campainha à porta, e se o morador quiser, poderá liberar a entrada para o visitante, sendo esse guiado através de avisos sonoros ou luminosos para onde ir para encontrar o morador da casa.  Controle dos gastos de recursos naturais como energia, água e gás.  Vazamentos seriam devidamente localizados e automaticamente encanadores seriam chamados.
  23. 23. Computação Ubíqua - exemplos
  24. 24. Referências ARAÚJO, Regina Borges. (2003) “Computação Ubíqua:Princípios, Tecnologias e Desafios”, In: Simpósio Brasileiro deRedes de Computadores, XXI, Natal. Minicurso: Livro Texto.Natal, RN: UFRN/DIMAp: UnP, 2003. 363 p. <http://www.professordiovani.com.br/rw/monografia_araujo.pdf> Acesso em: 10 nov 2015 BLASKOVSKY, Cinta, CEZARINI, Edson Walmir. Gestão do conhecimento e computação ubíqua: o que há de novo? São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2012_TN_STO_164_955_21 121.pdf> Acesso em: 10 nov 2015 CIRILO, Carlos Eduardo. Computação ubíqua: definição, princípios e tecnologia. São Carlos, 2008. Disponível em: <http://www.academia.edu/1733697/Computacao_Ubiqua_definicao_princi pios_e_tecnologias> Acesso em: 10 nov 2015

×