não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69

542 visualizações

Publicada em

casa do alcoólatra (31) 3454.74.69

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Você é um gozador!!! Se está usando o nome de AA para autopromoção, durante seus 30 anos na Irmandade, nada aprendeu sobre princípios. Não é mesmo?
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
542
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69

  1. 1. Casa do Alcoólatra (31) 3454.474.69Não profissional - usando a filosofia de AAAssim que entrei para o AA – tive um monte de gente torcendo pela minharecuperação, achava aquilo esquisito pois era de graça e ainda parecia que as pessoasestavam puxando meu saco – Então não entendia como poderia funcionar se o pessoalmal mal contribuía para as despesas. A confusão mental piorou quando comecei a verque assim como eu, várias pessoas tinham uma certa cultura, família forte e uma certacondição financeira enquanto outros mal mal tinham condição mental para freqüentaro AA ou seja o desnível era grande – misturei tudo e acabei mais atrapalhando do queajudando pois em todo setor social que eu havia freqüentado até conhecer o AA odinheiro sempre fala mais alto e no AA não era bem assim – temos que esquecer nossostatus ou posição social e nos irmanar como iguais (isto é a mais pura verdade em AA –quem fala mal de AA é exatamente porque não aceitou isto) – No AA não temcomando, mas tem que haver respeito e servidão – se entra um novato teremos omaior prazer em fazer o possível para que ele paralise com sua doença, porém nãopodemos , não temos o direito de expulsar ninguém do AA – nesta hora observamosque AA é de graça e para todos – porém nem todos querem o AA para se recuperar doalcoolismo – Pois é muito fácil achar um local funcionando com pessoas falando decoisas pessoais, amando a Deus e até se expondo para poder ajudar, cafezinho , salas
  2. 2. limpas, e um monte de gente bonita ou seja até quem precisa arrumar um casamentoou um dinheiro emprestado vai ser tentado num lugar deste. E também temos o outroextremo de pessoas que por possuírem um alto poder aquisitivo ou um grau deinteligência elevado acham que podem comandar um lugar simples de pessoas derespeito, ou seja, ele só freqüenta se colocarmos nosso grupo do modo dele - Nestahora, nós os mais antigos, sempre tomamos a iniciativa de chamar a atenção de algumengraçadinho que não estiver respeitando a vida alheia. Aqui nada mais é que umgrupo de intenção (pessoas intencionadas em não beber mais bebidas alcoólicas) ouainda um movimento onde se une agradecendo a um poder superior por mais 24horas de abstinência alcoólica. Não precisamos de muito dinheiro, nem patrimônio,não fazemos e nem recebemos doações de fora, não queremos comando neminterferência de pessoas que não tiveram problema com alcoolismo isto descaracterizanosso objetivo – porém qualquer recuperação será mais sólida se ajudar ao outrogratuitamente (12º. Passo) –Nunca vi nada igual ao AA no sentido de uma recuperação por princípios espirituais –Nossa como isto aqui é forte, chego a pensar assim “como DEUS gosta de nós,alcoólatras” – qualquer um que conseguir entender o lado simples , nisto quero dizerque aceitar sem querer ser o tal, se dará muito bem aqui. Por isto, apenas ajudamos aopróximo sem interesses comerciais, acabei por me ajudando e hoje tenho 30 anos deabstinência alcoólica.Resultado – nenhum serviço profissional passa nem perto da recuperação que vi emAlcoólicos Anônimos ou deste nosso movimento: alcoólatras ajudando alcoólatras.Em resumo:Estudei até o técnico de contabilidade e até fiz vestibular na Federal para Belas artes,passei e não fui fazer a matrícula – adorava ser um irresponsável mas com dinheiro nobolso- sempre fui trabalhador - minha bebida preferida sempre foi Whisky ou sejasempre gostei de ser um rebelde sem causa – quando todos pensavam que eu não idadar conta eu mostrava meu valor – quando todos achavam que eu ia fazer as coisasnormais eu não sei como mas sempre avacalhava tudo. – acho que isto virou ou étraços de personalidade – quando entrei para AA uma das coisas que me incomodoufoi ouvir outras pessoas dizerem que eu não ficaria que eu era muito arrogante paraobra – não sei como, mas gente que falou que eu não agüentaria acabou por voltar abeber álcool e eu estou abstêmio do álcool desde o dia que cheguei em AA(18/03/1982)– não conseguia fazer amigos em AA - fui de poucos amigos - sempre tiveo hábito de discordar mas nunca deixei de ajudar. Portanto, nunca pensei que teria umresultado destes – veja
  3. 3. Até 2003 (logo que eu comecei a escrever sobre meu alcoolismo- ache no Google:milagre pela luta manoel coutinho) eu tinha uma estimativa de ter levado ou indicadomais de 2000 pessoas para o AAAté 2001 eu havia tratado de mais de 300 mendigos na minha casaAté 2006 eu usei um grupo de AA e, com o apoio do Albergue tia branca e do padreZezinho conseguimos encaminhar mais uns 100 mendigos para a vida social e familiarAgora, neste atual endereço, entre 2007 e 2012 – tenho uma estimativa de ter dadogrande grau de conscientização a mais de 200 bebedores problema que assim como eu(dá vontade de rir – eu não sei porque somos assim) discordam de tudo e de todos.Eu nunca poderei ser profissional do alcoolismo1 - Como cobrar por um serviço que não dá qualquer garantia?2 - Como cobrar por algo que recebi de graça?3 - Se algum dia eu precisar voltar a minha vida profissional eu nunca trocaria umaimobiliária por uma clinica – adoro comprar e vender imóveis.4 – eu não posso trocar um índice de recuperação alcoólica não profissional que oscilaentre 70/80% por outra profissional que oscila entre 1e2% - não sou loucoUma passagem que me serve de referenciaEu ainda era menino quando vi uma entrevista do falecido Zé Arigó ( Zé arigó era umespiritualista que antecedeu Xico Xavier) – então um repórter perguntou ao Zé: - Se vcé espiritualista porque vc foi preso acusado de curandeirismo e charlatanismo ? o Zéao invés de responder , disse o seguinte: Preso? – Aquilo foi umas férias que Deus medeu – olhou pro céu e disse : Oh Deus me dá outras férias – kkkEm resumo se algum dia por qualquer motivo eu não puder ajudar se a prefeituraatravés de um de seus fiscais desinformados sobre o alcoolismo achar que devo fecharminhas portas – vou entender isto como umas férias – mas tenho hoje plena convicçãoque onde eu estiver, qualquer lugar, eu serei procurado para orientar outrosalcoólatrasManoel Coutinho
  4. 4. ALGUNS lugares onde tentei orientar alcoólatras gratuitamente (não profissional)Escolas Colégio Monte Libano Faculdade PitágorasHospitais Clinica Serra Verde Raul Soares André Luiz Clinica PinelComunidade Terapêutica Caná – rua Henrique gorceixCentro de Detenção Dutra Ladeira José Maria de Alckmin D.I.Casa de Apoio aos menos favorecidos Albergue Tia Branca Fraternidade Espírita Irmão GlaucoGrupos de AA onde eu fui o responsável (coordenador geral) Grupo Fraternidade Grupo União Grupo Lagoinha Grupo ProsperidadeAtenção; não estou fazendo referencia a pessoas que atendi nos grupos, a equipes queenviei para dar palestras em hospitais, escolas , presídios – Estou apenas dandoreferencia ao corpo a corpo não profissional ou seja coisa que fiz diretamente entreeu e outro alcoólatra – contudo os trabalhos que tive oportunidade de administrarcom outros membros de AA (também não profissional) sempre deram bons resultados.
  5. 5. Coisas que escrevi para orientar alcoólatras – gratuitamente Milagre pela luta (autobiografia) internet Doenças paralelas – chamo a atenção para reorganizarmos os grupos de AA Recuperação através de um grupo de AA – disponível – como me recuperar? Noções básicas para AAs – distribuição gratuita entre membros do AAAgradeço a Deus a visita da fiscal sanitarista – isto obrigou-me a inventariar meustrabalhos não profissionais – nunca pensei que um dia faria isto. Manoel Coutinho

×