SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Ponto de vista de um alcoólatra para a Saúde
Publica de Belo Horizonte
RECUPERAÇÃO DE ALCOÓLATRAS PODE E DEVE SER GRATUITA
Caso a prefeitura queira, estamos oferecendo um grupo de Auto-Ajuda ou Ajuda-Mútua para
atendermos bem todo qualquer cidadão belo-horizontino ou não que se interessar em
paralisar com seu a alcoolismo bem como as outras drogas – basta freqüentar as reuniões
gratuitamente

Temos uma epidemia mundial – todos estão empenhados, as prefeituras, os estados e nosso
governo federal também – isto requer adoção de atitudes e esclarecimentos – se atendermos
melhor as famílias certamente atingiremos melhor os usuários isto gerará um interesse maior
pois a recuperação depende primeiro de uma confiabilidade e depois de uma dedicação – isto
usando a filosofia de AA.

Tenho visto através da mídia bem como o pronunciamento da presidente da república e, por
isto, com grande admiração, VEJO a luta do governo federal em combater, lutar mesmo,
contra um distúrbio mundial – “DEPENDENCIA DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS” – esta
epidemia tem um alto índice que segundo as estatísticas supera a 10% da população mundial
portanto quase todas as famílias tem problemas diretos ou indiretos com isto. –

Tive a felicidade, em conjunto com outros quatro, de montar um grupo de Alcoólicos
Anônimos ao lado da minha residência – Este grupo tem um pequeno diferencial dos demais
que conheci. Acontece que pela modernidade dos dias de hoje ninguém deve freqüentar
qualquer lugar onde não se sabe o que é - todos devem ser informados do que se faz e como
se faz – usando este lema ou idéia atual colocamos uma sala de debates onde debatemos tudo
que se refere álcool e outras drogas – também este mesmo espaço serve para reuniões com
temas – estamos usando hoje em dia sete livros básicos onde todos servem para recuperação
alcoólica. Observar que as boas clínicas e casas de recuperação usam apenas um livro ( os 12
passos) – nós estamos trabalhando com sete atualmente.

   1-   Os doze passos
   2-    As doze tradições
   3-   Viver sóbrio
   4-   Na opinião de Bill
   5-   Livro de Alcoólicos Anônimos ou livro azul
   6-   AA atinge a maioridade
   7-   Reflexões diárias

Também passamos semanalmente filmes sobre álcool e outras drogas e ainda pegamos
matéria na internet principalmente sobre drogas e fazemos um verdadeiro debate sobre tudo
que nos é prejudicial

Futuramente pretendemos implantar mais 4 livros
A – levar a diante

B – linguagem do coração

C – Dr, Bob e os bons veteranos

D – Viemos acreditar

Não sei como mas ainda damos conta de informar melhor sobre o AA

1 – Manual de serviços –(orienta como fazer os serviços de AA) sempre discutido pegamos
toda oportunidade mesmo fora do calendário, é explicado.

2 – Manual do C.T.O – (orienta como ajudar o próximo) sempre discutido pois todas terças
vamos na reunião do COMITÊ TRABALHANDO COM OS OUTROS no centro – através de, damos
entrevistas para rádios, jornais, TVs e revistas – também ajudamos sempre que somos
convidados nas palestras no hospital André Luiz – também nos centros de detenção ( cabe
ressaltar na última palestra um dos nossos irmãos aqui do grupo foi aplaudido de pé pelos
detentos)sem falsa modéstia isto é nossa obrigação.

3 – Os doze conceitos para serviços mundiais – uma vez por ano é repassado

4 – livretes diversos – sempre que estamos com novatos alguém pega um livrete e repassa
carinhosamente para quem está chegando

Através deste sistema, um pouco mais completo, estamos sendo referência para outros grupos
e cada dia o AA fica mais informativo – vale a pena freqüentar um lugar altamente esclarecido
– um índice de recuperação altíssimo



Estas literaturas foram deixadas pelo nosso fundador, “ Bill Wilson” mas algumas foram
carinhosamente feitas por outros alcoólatras e aceitas com a maior naturalidade entre os
membros do AA

Nosso objetivo: unir-nos num movimento que já é mundial – então se a pessoa ingressa no
nosso grupo, assim que for pra outra cidade ou estado ou mesmo outro país naturalmente
pode e deve continuar freqüentando as reuniões – reuniões para nós alcoólatras são vitais,
porém gratuitas.

Então nosso grupo é um grupo que gosta de informar, esclarecer – objetivamos apenas nossos
interessem em abandonar o alcoolismo ou Dep, química – aliás, álcool também é uma droga

Então baseado em informações bem como bem estar social – abrimos três espaços em nosso
grupo

Sala 1 – debates: literaturas ou temas

Sala 2 – terapia mutua – espaço para monólogos – onde a pessoa desabafa sem interferência

Sala 3 – espaço para socialização: filmes – músicas e recepções ou espaço para comemorações
Ainda temos reuniões para familiares aos sábados as 16 horas –

Com a socialização temos entre 74 e 78 reuniões mensais

Reunião as 10 horas – terças, quintas, sábados e domingos

Reunião as 18 horas – todos os dias

Reunião as 20 horas – segundas, quartas e sábados

Sábado 16 horas reunião para familiares

Todo 2 domingo de cada mês as 10 horas reunião de serviços para quem quer ajudar
voluntariamente, também pode reclamar ou sugerir, porém todos trabalhos não tem qualquer
tipo de remuneração – apenas por gratidão mesmo.

Também as quartas feiras e sábados as 18 horas – reunião sobre álcool e outras drogas

Geralmente estamos usando a sala 3 para filmes aos sábados as 18 horas – festividades e
músicas aos domingos 20 horas e as quintas as 20 horas estamos solicitando palestrantes .

Tudo isto GRATUITAMENTE – Todos que tiverem a humildade de aceitarem isto aqui com
certeza se recuperarão

Ai faço um apelo aos órgãos municipais

Mande-nos alcoólatras para freqüentarem e se recuperarem gratuitamente



Manoel Coutinho – coordenador do grupo prosperidade de AA



                                                                                        7B                                                                                               8
  O QUE O AA NÃO FAZ.                                                                                   O S D O ZE PA SSO S
                                                                                                   D E A L C O Ó L IC O S A N Ô N IM O S

  1) R ecru tar m em b ros ou forn ecer a m otivação in icial p ara q u e os
                                                                                             1 - A d m itim o s q u e éram o s im p o ten tes p eran te o álco o l - q u e
     alcóolicos se recu p erem .
                                                                                             tín h am o s p erd id o o d o m ín io so b re n o ssas v id as.
  2) M an ter registros ou h istóricos d e casos d os m em b ros.                            2 - V iem o s a acred itar q u e u m p o d er S u p erio r a n ó s m esm o s
                                                                                             p o d eria d ev o lv er-n o s à san id ad e.
  3) A com p an h ar ou ten tar con trolar seu s m em b ros.                                 3 - D ecid im o s en treg ar n o ssa v o n tad e e n o ssa v id a ao s cu id ad o s
                                                                                             d e D eu s, n a fo rm a em q u e o co n ceb íam o s.
  4) F azer d iagn ósticos ou p rogn ósticos clín icos ou p sicológicos.                     4 - F izem o s m in u cio so e d estem id o in v en tário m o ral d e n ó s
                                                                                             m esm o s.
  5) P rovid en ciar h osp italização, m ed icam en tos ou tratam en to
                                                                                             5 - A d m itim o s p eran te D eu s, p eran te n ó s m esm o s e p eran te a
     p siq u iátricos.
                                                                                             o u tro ser h u m an o , a n atu reza ex ata d e n o ssas falh as.
  6) F orn ecer alojam en to, alim en tação, rou p as, em p rego, d in h eiro, ou            6 - P ro n tificam o -n o s in teiram en te a d eix ar q u e D eu s rem o v esse
     ou tros serviços sem elh an tes.                                                        to d o s esses d efeito s d e caráter.
                                                                                             7 - H u m ild em en te ro g am o s a E le q u e n o s liv rasse d e n o ssas
  7) F orn ecer acon selh am en to fam iliar ou p rofission al.                              im p erfeiçõ es.
                                                                                             8 - F izem o s u m a relação d e to d as as p esso as q u e tín h am o s
  8) P articip ar d e p esq u isas ou p atrocin a-las.
                                                                                             p reju d icad o e n o s d isp u sem o s a rep arar o s d an o s a elas
                                                                                             cau sad o s.
  9) F iliar-se a en tid ad es sociais (em b ora m u itos m em b ros e servid ores           9 - F izem o s rep araçõ es d iretas d o s d an o s cau sad o s a tais
    coop erem com elas).                                                                     p esso as, sem p re q u e p o ssív el, salv o q u an d o fazê-las sig n ificasse
  10) O ferecer serviços religiosos.                                                         p reju d ica-las o u a o u trem .
                                                                                             1 0 - C o n tin u am o s fazen d o o in v en tário e, q u an d o estáv am o s
  11) p articip ar d e q u alq u er con trovérsia sob re álcool ou ou tros                   errad o s, n ó s ad m itíam o s p ro n tam en te.
      assu n tos.                                                                            1 1 - P ro cu ram o s, atrav és d a p rece e d a m ed itação , m elh o rar
                                                                                             n o sso co n tato co n scien te co m D eu s, n a fo rm a em q u e O
  12) A ceitar d in h eiro p elos seu s serviços ou con trib u ições d e fon tes
                                                                                             co n ceb íam o s, ro g am o s ap en as o co n h ecim en to d e S u a v o n tad e
      n ão-A A .
                                                                                             em relação a n ó s e fo rças p ara realizar essa v o n tad e.
  13) F orn ecer cartas d e recom en d ação a ju n tas d e livram en to                      1 2 - T en d o ex p erim en tad o u m d esp ertar esp iritu al, g raças a estes
      con d icion al, ad vogad os, oficiais d e ju stiça, escolas, em p resas,               P asso s, p ro cu ram o s tran sm itir esta m en sag em ao s alco ó lico s e
      en tid ad es sociais ou q u alq u er organ izações ou in stitu ições.                  p raticar estes p rin cíp io s em to d as as n o ssas ativ id ad es.

                                    F onte: A lcóolicos A nônim os em sua com unidade                                                E x traíd o d o L iv ro o s 1 2 p a sso s d e A A
Um lar para alcoólatras

Fácil de entender

O AA não fornece moradia nem qualquer tipo de incentivo paralelo também não recruta
membros ( veja o que o AA não faz)

Porém nosso 12º. Passo diz: Tendo experimentado um despertar espiritual graças a estes
Passos, procuramos transmitir esta mensagem aos alcoólicos e praticar estes princípios em
todas as atividades. –

Portanto quando se lê este passo na íntegra percebemos que o melhor modo de garantir uma
abstinência é ajudando outro alcoólico. AA não fornece alimentação, mas qualquer membro
pode e deve matar a fome de seu irmão para que o mesmo tenha condições de assistir uma
reunião – AA não dá nada nem aceita nada somos apenas um movimento gerado por grupos
de intenção (pessoas intencionadas a não voltar ao primeiro gole) – AA não tem patrimônio,
não precisamos e não queremos grandes quantias de dinheiro, Precisamos apenas do
necessário para nos mantermos.

Então eu fiz meu 12º. Passo assim:

1 - Comecei levando meus amigos de bebida ao AA – curioso que dois que levei logo que
cheguei permanecem sóbrios até hoje – Sr. João Meira (virou evangélico) e Wilson Machado –
(dificilmente vai a uma reunião) – levei vários outros amigos mas a maioria não permaneceu.

2 – Comecei em 27/10/1984 a fazer palestras pra mendigos e leva-los para minha casa e dar
banho, alimento e roupa para que os mesmos tivessem condições de assistirem as reuniões.
Era um trabalho altamente desgastante e cansativo, mas vi o resultado quando percebi que
estava ajudando e muitos estavam saindo das ruas.

3 – Virei coordenador de grupos de alcoólicos anônimos a partir de 2001 e até hoje não
consigo sair dos serviços – entre 2001 até 2003 – estudando as literaturas de AA

De 2004 ao final de 2006 – recuperamos mendigos através do grupo lagoinha com a ajuda do
padre Zezinho e do albergue tia branca

4 – Abri um grupo de AA “ – Grupo Prosperidade” – (em08/07/2007) ao lado da minha casa –
não tinha membros para iniciar – catei mendigos na rua e coloquei para morarem junto
comigo e, com a ajuda de mais quatro pessoas o grupo prosperou – só que a quantidade de
mendigos aumentou a ponto que eu não dava conta de mantê-los. Aí, pela primeira vez,
aceitei a ajuda de um alcoólatra que não era mendigo – ele contribuiu com um salário mínimo.

5 . Abri um lar para alcoólatras – após muita luta com os menos favorecidos eu era sempre
procurado por familiares de bebedores-problemas – com os resultados positivos Tomei
coragem e entre acertos e erros cada dia melhoro mais nossa qualidade de vida – portanto os
mendigos que hoje vem para minha casa são pessoas trazidas pelas famílias – meu alvo são
bebedores iguais a mim – por isto para morar aqui é necessário:

1 – freqüentar o AA

2 – dividir as tarefas

3 – dividir as despesas

4 – ter um responsável que não more na casa.

Curioso: - não aceitava cruzados (álcool e outras drogas) eu sempre sugeria que fossem para
uma clínica, pois eu não entendo de drogas. Só que um deles mentiu e disse que não usava
drogas (Júlio Cesar), mas assim que começamos a conviver acabamos descobrindo que o
mesmo era usuário de drogas, mas que tinha paralisado dentro do AA – Então este senhor em
conjunto com mais dois abriram as portas do nosso grupo de AA para os cruzados e nosso
grupo é um sucesso nesta parte também – Vale ressaltar – Numa visita de um Psiquiatra do
Hospital Espírita André Luiz “ Dr. Guilherme” – ele ficou admirado com nossa recuperação
simples e altamente funcional e disse: o que vocês fazem aqui é fantástico, impossível de se
imaginar nunca vi nada que recuperasse um adicto tão bem. Pela primeira vez estou vendo
dependentes de álcool e outras drogas serem tratados de portas abertas, sem medicamentos,
livres, porém com muita eficiência. Resultados maravilhosos – estou encantado. –

Deixo bem claro, não tratamos de ninguém – quem cuida da recuperação é o AA – apenas
usam nossa casa como ponto de apoio ou UM LAR.
Preciso de orientação
Na primeira fiscalização tentei explicar e até solicitei uma reunião com a chefa da fiscalização
sanitária – ela achou desnecessário, pois já havia me dado o relatório dos documentos
necessários e um bom prazo para que eu me regularizasse como pessoa jurídica – Só que em
momento algum tenho interesse em colocar um sistema profissional neste meu trabalho –
este trabalho vale minha vida pessoal sou um alcoólatra que preciso ajudar outros alcoólatras
para continuar abstêmio,

Assim solicito se possível uma reunião com:

Um médico ou uma junta médica da prefeitura – gostaria de um debate sobre doença do
alcoolismo o que eu vi nas clínicas nas comunidades terapêuticas e nas fazendas evangélicas
realmente me assustaram – Talvez com uma orientação sobre questões clínicas eu não
melhoro meus cuidados para com outro alcoólatra.

Uma assistente social – Gostaria de um debate sobre recuperação de um alcoólatra
fracassado. Falar o Maximo possível sobre os menos favorecidos – quem sabe com uma ajuda
desta profissional a gente não salva mais vidas

 Com o responsável ou os responsáveis pelo setor contábil/jurídico – gostaria de me atualizar,
tirar qualquer dúvida quanto a um trabalho não profissional, averiguar o meu direito ou não
de continuar ajudando alcoólatras como pessoa física dentro da minha residência

Com a chefa da fiscalização sanitária ou responsável pela saúde dos menos favorecidos -
freqüento um grupo de AA onde sou coordenador. Grupo altamente funcional. Aqui as pessoas
se recuperam mesmo e é de graça – Portanto com a ajuda da prefeitura poderíamos facilitar a
locomoção de pessoas interessadas em se recuperar – por favor, pense nisto.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a um alcoólatra para a saúde publica de belo horizonte

Tópicos - Computacao Paralela Intalação MPI
Tópicos - Computacao Paralela Intalação MPITópicos - Computacao Paralela Intalação MPI
Tópicos - Computacao Paralela Intalação MPILuiz Arthur
 
A Cultura do Solo.pptx
A Cultura do Solo.pptxA Cultura do Solo.pptx
A Cultura do Solo.pptxTatiPetar
 
A Web Como Mídia Para A Terceira Idade
A Web Como Mídia Para A Terceira IdadeA Web Como Mídia Para A Terceira Idade
A Web Como Mídia Para A Terceira IdadeCamila Casarotto
 
Maquiavel pedagogo pascal bernardin
Maquiavel pedagogo   pascal bernardinMaquiavel pedagogo   pascal bernardin
Maquiavel pedagogo pascal bernardinMarcio da Mota Silva
 
GESTÃO PRETO E BRANCO
GESTÃO PRETO E BRANCOGESTÃO PRETO E BRANCO
GESTÃO PRETO E BRANCOprimaquim
 
Edital leilão prefeitura municipal de virmond
Edital leilão prefeitura municipal de virmondEdital leilão prefeitura municipal de virmond
Edital leilão prefeitura municipal de virmondOLHO ABERTO PARANÁ
 
Friday april20 f
Friday april20 fFriday april20 f
Friday april20 fFALE - UFMG
 
3 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
3   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...3   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
3 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...Luiz Miranda-Sá
 
1 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
1   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...1   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
1 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...Luiz Miranda-Sá
 
Mensagem 04 O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012
Mensagem 04   O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012Mensagem 04   O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012
Mensagem 04 O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012IBGileade 2012
 
Curso Automaquiagem e Limpeza Facial
Curso Automaquiagem e Limpeza FacialCurso Automaquiagem e Limpeza Facial
Curso Automaquiagem e Limpeza FacialAndré Dias da Silva
 
2 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
2   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...2   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
2 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...Luiz Miranda-Sá
 
Plantas encontrada no Nordeste
Plantas encontrada no  NordestePlantas encontrada no  Nordeste
Plantas encontrada no Nordesteprofessoralivia
 

Semelhante a um alcoólatra para a saúde publica de belo horizonte (20)

Relatório de Pesquisa
Relatório de PesquisaRelatório de Pesquisa
Relatório de Pesquisa
 
Fenprof ADD
Fenprof ADDFenprof ADD
Fenprof ADD
 
Liminar beagles
Liminar beaglesLiminar beagles
Liminar beagles
 
Tópicos - Computacao Paralela Intalação MPI
Tópicos - Computacao Paralela Intalação MPITópicos - Computacao Paralela Intalação MPI
Tópicos - Computacao Paralela Intalação MPI
 
A Cultura do Solo.pptx
A Cultura do Solo.pptxA Cultura do Solo.pptx
A Cultura do Solo.pptx
 
A Web Como Mídia Para A Terceira Idade
A Web Como Mídia Para A Terceira IdadeA Web Como Mídia Para A Terceira Idade
A Web Como Mídia Para A Terceira Idade
 
Dafa ni ti_opele
Dafa ni ti_opeleDafa ni ti_opele
Dafa ni ti_opele
 
Maquiavel pedagogo pascal bernardin
Maquiavel pedagogo   pascal bernardinMaquiavel pedagogo   pascal bernardin
Maquiavel pedagogo pascal bernardin
 
GESTÃO PRETO E BRANCO
GESTÃO PRETO E BRANCOGESTÃO PRETO E BRANCO
GESTÃO PRETO E BRANCO
 
Edital leilão prefeitura municipal de virmond
Edital leilão prefeitura municipal de virmondEdital leilão prefeitura municipal de virmond
Edital leilão prefeitura municipal de virmond
 
Livro sobre a cultura do inhame
Livro sobre a cultura do inhameLivro sobre a cultura do inhame
Livro sobre a cultura do inhame
 
Friday april20 f
Friday april20 fFriday april20 f
Friday april20 f
 
3 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
3   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...3   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
3 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
 
1 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
1   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...1   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
1 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
 
E-book sobre Linux
E-book sobre LinuxE-book sobre Linux
E-book sobre Linux
 
Mensagem 04 O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012
Mensagem 04   O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012Mensagem 04   O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012
Mensagem 04 O que sua atitude pode fazer por voce - 08abr2012
 
Curso Automaquiagem e Limpeza Facial
Curso Automaquiagem e Limpeza FacialCurso Automaquiagem e Limpeza Facial
Curso Automaquiagem e Limpeza Facial
 
2 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
2   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...2   transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
2 transtono (disorder) não é um conceito científico nem a cid é uma classif...
 
Glossaire de l'A.L.S.
Glossaire de l'A.L.S.Glossaire de l'A.L.S.
Glossaire de l'A.L.S.
 
Plantas encontrada no Nordeste
Plantas encontrada no  NordestePlantas encontrada no  Nordeste
Plantas encontrada no Nordeste
 

Mais de Casa do Alcoólatra (31) 3454.74.69

Alcoolismo minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatra
Alcoolismo   minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatraAlcoolismo   minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatra
Alcoolismo minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatraCasa do Alcoólatra (31) 3454.74.69
 
não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69
não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69
não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69Casa do Alcoólatra (31) 3454.74.69
 

Mais de Casa do Alcoólatra (31) 3454.74.69 (20)

Alcoolismo - Desequilíbrio
Alcoolismo - Desequilíbrio Alcoolismo - Desequilíbrio
Alcoolismo - Desequilíbrio
 
Dez mil visitas c casa do alcoolatra
Dez mil visitas c   casa do alcoolatraDez mil visitas c   casa do alcoolatra
Dez mil visitas c casa do alcoolatra
 
ALCOOLISMO - ajudando hospitais, clinicas e comunidades
ALCOOLISMO - ajudando hospitais, clinicas e comunidadesALCOOLISMO - ajudando hospitais, clinicas e comunidades
ALCOOLISMO - ajudando hospitais, clinicas e comunidades
 
Orientação alcoolismo não tem cura
Orientação   alcoolismo não tem curaOrientação   alcoolismo não tem cura
Orientação alcoolismo não tem cura
 
Maior e melhor índice de recuperação casa do alcoolatra
Maior e melhor índice de recuperação   casa do alcoolatraMaior e melhor índice de recuperação   casa do alcoolatra
Maior e melhor índice de recuperação casa do alcoolatra
 
Alcoolismo não temos nada com isto
Alcoolismo não temos nada com istoAlcoolismo não temos nada com isto
Alcoolismo não temos nada com isto
 
Noções basicas prosperidade casa do alcoolatra
Noções basicas prosperidade   casa do alcoolatraNoções basicas prosperidade   casa do alcoolatra
Noções basicas prosperidade casa do alcoolatra
 
De volta ao grupo união casa do alcoolatra
De volta ao grupo união   casa do alcoolatraDe volta ao grupo união   casa do alcoolatra
De volta ao grupo união casa do alcoolatra
 
Alcoolismo minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatra
Alcoolismo   minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatraAlcoolismo   minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatra
Alcoolismo minha luta para continuar sóbrio - casa do alcoolatra
 
Ajudando na pesquisa da ufmg casa do alcoolatra
Ajudando na pesquisa da ufmg   casa do alcoolatraAjudando na pesquisa da ufmg   casa do alcoolatra
Ajudando na pesquisa da ufmg casa do alcoolatra
 
Orientação alcoolismo não tem cura
Orientação   alcoolismo não tem curaOrientação   alcoolismo não tem cura
Orientação alcoolismo não tem cura
 
alcoolismo - doenças paralelas
alcoolismo - doenças paralelasalcoolismo - doenças paralelas
alcoolismo - doenças paralelas
 
Serviços gratuitos - casa do alcoolatra
Serviços gratuitos -  casa do alcoolatraServiços gratuitos -  casa do alcoolatra
Serviços gratuitos - casa do alcoolatra
 
não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69
não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69
não profissional usando a filosofia de aa - casa do alcoólatra (31) 3454.74.69
 
Minha doce vida de alcoólatra
Minha doce vida de alcoólatraMinha doce vida de alcoólatra
Minha doce vida de alcoólatra
 
Milagrepelaluta
MilagrepelalutaMilagrepelaluta
Milagrepelaluta
 
casa do alcoolatra (31) 3454.74.69
casa do alcoolatra (31) 3454.74.69casa do alcoolatra (31) 3454.74.69
casa do alcoolatra (31) 3454.74.69
 
A aguia-e-a-galinha-091023222537-phpapp02
A aguia-e-a-galinha-091023222537-phpapp02A aguia-e-a-galinha-091023222537-phpapp02
A aguia-e-a-galinha-091023222537-phpapp02
 
O que é casa do alcoolatra
O que é casa do alcoolatraO que é casa do alcoolatra
O que é casa do alcoolatra
 
alcoolismo - Como fazer quando não quer se tratar?
alcoolismo - Como fazer quando não quer se tratar?alcoolismo - Como fazer quando não quer se tratar?
alcoolismo - Como fazer quando não quer se tratar?
 

um alcoólatra para a saúde publica de belo horizonte

  • 1. Ponto de vista de um alcoólatra para a Saúde Publica de Belo Horizonte RECUPERAÇÃO DE ALCOÓLATRAS PODE E DEVE SER GRATUITA Caso a prefeitura queira, estamos oferecendo um grupo de Auto-Ajuda ou Ajuda-Mútua para atendermos bem todo qualquer cidadão belo-horizontino ou não que se interessar em paralisar com seu a alcoolismo bem como as outras drogas – basta freqüentar as reuniões gratuitamente Temos uma epidemia mundial – todos estão empenhados, as prefeituras, os estados e nosso governo federal também – isto requer adoção de atitudes e esclarecimentos – se atendermos melhor as famílias certamente atingiremos melhor os usuários isto gerará um interesse maior pois a recuperação depende primeiro de uma confiabilidade e depois de uma dedicação – isto usando a filosofia de AA. Tenho visto através da mídia bem como o pronunciamento da presidente da república e, por isto, com grande admiração, VEJO a luta do governo federal em combater, lutar mesmo, contra um distúrbio mundial – “DEPENDENCIA DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS” – esta epidemia tem um alto índice que segundo as estatísticas supera a 10% da população mundial portanto quase todas as famílias tem problemas diretos ou indiretos com isto. – Tive a felicidade, em conjunto com outros quatro, de montar um grupo de Alcoólicos Anônimos ao lado da minha residência – Este grupo tem um pequeno diferencial dos demais que conheci. Acontece que pela modernidade dos dias de hoje ninguém deve freqüentar qualquer lugar onde não se sabe o que é - todos devem ser informados do que se faz e como se faz – usando este lema ou idéia atual colocamos uma sala de debates onde debatemos tudo que se refere álcool e outras drogas – também este mesmo espaço serve para reuniões com temas – estamos usando hoje em dia sete livros básicos onde todos servem para recuperação alcoólica. Observar que as boas clínicas e casas de recuperação usam apenas um livro ( os 12 passos) – nós estamos trabalhando com sete atualmente. 1- Os doze passos 2- As doze tradições 3- Viver sóbrio 4- Na opinião de Bill 5- Livro de Alcoólicos Anônimos ou livro azul 6- AA atinge a maioridade 7- Reflexões diárias Também passamos semanalmente filmes sobre álcool e outras drogas e ainda pegamos matéria na internet principalmente sobre drogas e fazemos um verdadeiro debate sobre tudo que nos é prejudicial Futuramente pretendemos implantar mais 4 livros
  • 2. A – levar a diante B – linguagem do coração C – Dr, Bob e os bons veteranos D – Viemos acreditar Não sei como mas ainda damos conta de informar melhor sobre o AA 1 – Manual de serviços –(orienta como fazer os serviços de AA) sempre discutido pegamos toda oportunidade mesmo fora do calendário, é explicado. 2 – Manual do C.T.O – (orienta como ajudar o próximo) sempre discutido pois todas terças vamos na reunião do COMITÊ TRABALHANDO COM OS OUTROS no centro – através de, damos entrevistas para rádios, jornais, TVs e revistas – também ajudamos sempre que somos convidados nas palestras no hospital André Luiz – também nos centros de detenção ( cabe ressaltar na última palestra um dos nossos irmãos aqui do grupo foi aplaudido de pé pelos detentos)sem falsa modéstia isto é nossa obrigação. 3 – Os doze conceitos para serviços mundiais – uma vez por ano é repassado 4 – livretes diversos – sempre que estamos com novatos alguém pega um livrete e repassa carinhosamente para quem está chegando Através deste sistema, um pouco mais completo, estamos sendo referência para outros grupos e cada dia o AA fica mais informativo – vale a pena freqüentar um lugar altamente esclarecido – um índice de recuperação altíssimo Estas literaturas foram deixadas pelo nosso fundador, “ Bill Wilson” mas algumas foram carinhosamente feitas por outros alcoólatras e aceitas com a maior naturalidade entre os membros do AA Nosso objetivo: unir-nos num movimento que já é mundial – então se a pessoa ingressa no nosso grupo, assim que for pra outra cidade ou estado ou mesmo outro país naturalmente pode e deve continuar freqüentando as reuniões – reuniões para nós alcoólatras são vitais, porém gratuitas. Então nosso grupo é um grupo que gosta de informar, esclarecer – objetivamos apenas nossos interessem em abandonar o alcoolismo ou Dep, química – aliás, álcool também é uma droga Então baseado em informações bem como bem estar social – abrimos três espaços em nosso grupo Sala 1 – debates: literaturas ou temas Sala 2 – terapia mutua – espaço para monólogos – onde a pessoa desabafa sem interferência Sala 3 – espaço para socialização: filmes – músicas e recepções ou espaço para comemorações
  • 3. Ainda temos reuniões para familiares aos sábados as 16 horas – Com a socialização temos entre 74 e 78 reuniões mensais Reunião as 10 horas – terças, quintas, sábados e domingos Reunião as 18 horas – todos os dias Reunião as 20 horas – segundas, quartas e sábados Sábado 16 horas reunião para familiares Todo 2 domingo de cada mês as 10 horas reunião de serviços para quem quer ajudar voluntariamente, também pode reclamar ou sugerir, porém todos trabalhos não tem qualquer tipo de remuneração – apenas por gratidão mesmo. Também as quartas feiras e sábados as 18 horas – reunião sobre álcool e outras drogas Geralmente estamos usando a sala 3 para filmes aos sábados as 18 horas – festividades e músicas aos domingos 20 horas e as quintas as 20 horas estamos solicitando palestrantes . Tudo isto GRATUITAMENTE – Todos que tiverem a humildade de aceitarem isto aqui com certeza se recuperarão Ai faço um apelo aos órgãos municipais Mande-nos alcoólatras para freqüentarem e se recuperarem gratuitamente Manoel Coutinho – coordenador do grupo prosperidade de AA 7B 8 O QUE O AA NÃO FAZ. O S D O ZE PA SSO S D E A L C O Ó L IC O S A N Ô N IM O S 1) R ecru tar m em b ros ou forn ecer a m otivação in icial p ara q u e os 1 - A d m itim o s q u e éram o s im p o ten tes p eran te o álco o l - q u e alcóolicos se recu p erem . tín h am o s p erd id o o d o m ín io so b re n o ssas v id as. 2) M an ter registros ou h istóricos d e casos d os m em b ros. 2 - V iem o s a acred itar q u e u m p o d er S u p erio r a n ó s m esm o s p o d eria d ev o lv er-n o s à san id ad e. 3) A com p an h ar ou ten tar con trolar seu s m em b ros. 3 - D ecid im o s en treg ar n o ssa v o n tad e e n o ssa v id a ao s cu id ad o s d e D eu s, n a fo rm a em q u e o co n ceb íam o s. 4) F azer d iagn ósticos ou p rogn ósticos clín icos ou p sicológicos. 4 - F izem o s m in u cio so e d estem id o in v en tário m o ral d e n ó s m esm o s. 5) P rovid en ciar h osp italização, m ed icam en tos ou tratam en to 5 - A d m itim o s p eran te D eu s, p eran te n ó s m esm o s e p eran te a p siq u iátricos. o u tro ser h u m an o , a n atu reza ex ata d e n o ssas falh as. 6) F orn ecer alojam en to, alim en tação, rou p as, em p rego, d in h eiro, ou 6 - P ro n tificam o -n o s in teiram en te a d eix ar q u e D eu s rem o v esse ou tros serviços sem elh an tes. to d o s esses d efeito s d e caráter. 7 - H u m ild em en te ro g am o s a E le q u e n o s liv rasse d e n o ssas 7) F orn ecer acon selh am en to fam iliar ou p rofission al. im p erfeiçõ es. 8 - F izem o s u m a relação d e to d as as p esso as q u e tín h am o s 8) P articip ar d e p esq u isas ou p atrocin a-las. p reju d icad o e n o s d isp u sem o s a rep arar o s d an o s a elas cau sad o s. 9) F iliar-se a en tid ad es sociais (em b ora m u itos m em b ros e servid ores 9 - F izem o s rep araçõ es d iretas d o s d an o s cau sad o s a tais coop erem com elas). p esso as, sem p re q u e p o ssív el, salv o q u an d o fazê-las sig n ificasse 10) O ferecer serviços religiosos. p reju d ica-las o u a o u trem . 1 0 - C o n tin u am o s fazen d o o in v en tário e, q u an d o estáv am o s 11) p articip ar d e q u alq u er con trovérsia sob re álcool ou ou tros errad o s, n ó s ad m itíam o s p ro n tam en te. assu n tos. 1 1 - P ro cu ram o s, atrav és d a p rece e d a m ed itação , m elh o rar n o sso co n tato co n scien te co m D eu s, n a fo rm a em q u e O 12) A ceitar d in h eiro p elos seu s serviços ou con trib u ições d e fon tes co n ceb íam o s, ro g am o s ap en as o co n h ecim en to d e S u a v o n tad e n ão-A A . em relação a n ó s e fo rças p ara realizar essa v o n tad e. 13) F orn ecer cartas d e recom en d ação a ju n tas d e livram en to 1 2 - T en d o ex p erim en tad o u m d esp ertar esp iritu al, g raças a estes con d icion al, ad vogad os, oficiais d e ju stiça, escolas, em p resas, P asso s, p ro cu ram o s tran sm itir esta m en sag em ao s alco ó lico s e en tid ad es sociais ou q u alq u er organ izações ou in stitu ições. p raticar estes p rin cíp io s em to d as as n o ssas ativ id ad es. F onte: A lcóolicos A nônim os em sua com unidade E x traíd o d o L iv ro o s 1 2 p a sso s d e A A
  • 4. Um lar para alcoólatras Fácil de entender O AA não fornece moradia nem qualquer tipo de incentivo paralelo também não recruta membros ( veja o que o AA não faz) Porém nosso 12º. Passo diz: Tendo experimentado um despertar espiritual graças a estes Passos, procuramos transmitir esta mensagem aos alcoólicos e praticar estes princípios em todas as atividades. – Portanto quando se lê este passo na íntegra percebemos que o melhor modo de garantir uma abstinência é ajudando outro alcoólico. AA não fornece alimentação, mas qualquer membro pode e deve matar a fome de seu irmão para que o mesmo tenha condições de assistir uma reunião – AA não dá nada nem aceita nada somos apenas um movimento gerado por grupos de intenção (pessoas intencionadas a não voltar ao primeiro gole) – AA não tem patrimônio, não precisamos e não queremos grandes quantias de dinheiro, Precisamos apenas do necessário para nos mantermos. Então eu fiz meu 12º. Passo assim: 1 - Comecei levando meus amigos de bebida ao AA – curioso que dois que levei logo que cheguei permanecem sóbrios até hoje – Sr. João Meira (virou evangélico) e Wilson Machado – (dificilmente vai a uma reunião) – levei vários outros amigos mas a maioria não permaneceu. 2 – Comecei em 27/10/1984 a fazer palestras pra mendigos e leva-los para minha casa e dar banho, alimento e roupa para que os mesmos tivessem condições de assistirem as reuniões. Era um trabalho altamente desgastante e cansativo, mas vi o resultado quando percebi que estava ajudando e muitos estavam saindo das ruas. 3 – Virei coordenador de grupos de alcoólicos anônimos a partir de 2001 e até hoje não consigo sair dos serviços – entre 2001 até 2003 – estudando as literaturas de AA De 2004 ao final de 2006 – recuperamos mendigos através do grupo lagoinha com a ajuda do padre Zezinho e do albergue tia branca 4 – Abri um grupo de AA “ – Grupo Prosperidade” – (em08/07/2007) ao lado da minha casa – não tinha membros para iniciar – catei mendigos na rua e coloquei para morarem junto comigo e, com a ajuda de mais quatro pessoas o grupo prosperou – só que a quantidade de mendigos aumentou a ponto que eu não dava conta de mantê-los. Aí, pela primeira vez, aceitei a ajuda de um alcoólatra que não era mendigo – ele contribuiu com um salário mínimo. 5 . Abri um lar para alcoólatras – após muita luta com os menos favorecidos eu era sempre procurado por familiares de bebedores-problemas – com os resultados positivos Tomei
  • 5. coragem e entre acertos e erros cada dia melhoro mais nossa qualidade de vida – portanto os mendigos que hoje vem para minha casa são pessoas trazidas pelas famílias – meu alvo são bebedores iguais a mim – por isto para morar aqui é necessário: 1 – freqüentar o AA 2 – dividir as tarefas 3 – dividir as despesas 4 – ter um responsável que não more na casa. Curioso: - não aceitava cruzados (álcool e outras drogas) eu sempre sugeria que fossem para uma clínica, pois eu não entendo de drogas. Só que um deles mentiu e disse que não usava drogas (Júlio Cesar), mas assim que começamos a conviver acabamos descobrindo que o mesmo era usuário de drogas, mas que tinha paralisado dentro do AA – Então este senhor em conjunto com mais dois abriram as portas do nosso grupo de AA para os cruzados e nosso grupo é um sucesso nesta parte também – Vale ressaltar – Numa visita de um Psiquiatra do Hospital Espírita André Luiz “ Dr. Guilherme” – ele ficou admirado com nossa recuperação simples e altamente funcional e disse: o que vocês fazem aqui é fantástico, impossível de se imaginar nunca vi nada que recuperasse um adicto tão bem. Pela primeira vez estou vendo dependentes de álcool e outras drogas serem tratados de portas abertas, sem medicamentos, livres, porém com muita eficiência. Resultados maravilhosos – estou encantado. – Deixo bem claro, não tratamos de ninguém – quem cuida da recuperação é o AA – apenas usam nossa casa como ponto de apoio ou UM LAR.
  • 6. Preciso de orientação Na primeira fiscalização tentei explicar e até solicitei uma reunião com a chefa da fiscalização sanitária – ela achou desnecessário, pois já havia me dado o relatório dos documentos necessários e um bom prazo para que eu me regularizasse como pessoa jurídica – Só que em momento algum tenho interesse em colocar um sistema profissional neste meu trabalho – este trabalho vale minha vida pessoal sou um alcoólatra que preciso ajudar outros alcoólatras para continuar abstêmio, Assim solicito se possível uma reunião com: Um médico ou uma junta médica da prefeitura – gostaria de um debate sobre doença do alcoolismo o que eu vi nas clínicas nas comunidades terapêuticas e nas fazendas evangélicas realmente me assustaram – Talvez com uma orientação sobre questões clínicas eu não melhoro meus cuidados para com outro alcoólatra. Uma assistente social – Gostaria de um debate sobre recuperação de um alcoólatra fracassado. Falar o Maximo possível sobre os menos favorecidos – quem sabe com uma ajuda desta profissional a gente não salva mais vidas Com o responsável ou os responsáveis pelo setor contábil/jurídico – gostaria de me atualizar, tirar qualquer dúvida quanto a um trabalho não profissional, averiguar o meu direito ou não de continuar ajudando alcoólatras como pessoa física dentro da minha residência Com a chefa da fiscalização sanitária ou responsável pela saúde dos menos favorecidos - freqüento um grupo de AA onde sou coordenador. Grupo altamente funcional. Aqui as pessoas se recuperam mesmo e é de graça – Portanto com a ajuda da prefeitura poderíamos facilitar a locomoção de pessoas interessadas em se recuperar – por favor, pense nisto.