SlideShare uma empresa Scribd logo

pdf. LEITURA FACIAL EM PERGUNTAS E RESPOSTAS baixar

Leitura Facial em Perguntas e Respostas, de Rafael Bronisio. Conheça o clube da face.com

1 de 36
Baixar para ler offline
pdf. LEITURA FACIAL EM PERGUNTAS E RESPOSTAS baixar
Rafael Bronísio
Leitura Facial
em perguntas e respostas:
duvidas, curiosidades e contradições na
Fisiognomonia
Título original
Leitura facial em perguntas e respostas -
duvidas, curiosidades e contradições na Fisiognomonia
Primeira publicação em
Rio de Janeiro, Brasil.
2021
1ª Edição
Todos os direitos desta obra são reservados ao autor conforme legislação vi-
gente. É proibida sua reprodução total ou parcial por qualquer meio de reprodução
sem a devida autorização formal do autor. Os infratores estarão sujeitos às penali-
dades previstas em Lei.
Copyright © by Rafael Bronisio, 2021
Editoração e capa – Autoral
www.3saberes.com.br
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Índices para catálogo sistemático:
1. Fisionomia 138
Aline Graziele Benitez – Bibliotecária – CRB-1/3129
Bronisio, Rafael – 1980
Leitura facial em perguntas e respostas [livro eletrônico] : duvi-
das, curiosidades e contradições na Fisiognomonia/ Rafael Bronisio.
-- 1. Ed. -- Rio das Ostras, RJ : 3 Saberes, 2021.
PDF
ISBN 978-65-00-23826-6
1. Filosofia 2. Fisiognomonia I. Título.
21-67246 CDD - 138
Leitura Facial em perguntas e respostas 3
PREFÁCIO
É impressionante como um tema quase esquecido e tão pouco divulgado tem
tomado um vulto tão grande neste novo milênio. E a minha surpresa, em ter uma
pessoa tão especial e distinta quanto o Rafael me convidando para fazer o prefácio
de seu livro.
Conheci a Fisiognomonia em 1993, dentro de um ônibus, quando uma pessoa
me abordou e me descreveu num nível de detalhe impressionante.
Nesses anos todos pesquisei e li tudo o que tive a possibilidade de colocar as
mãos – sobre o assunto – e vi como muitos autores são taxativos e trazem muito da
sua carga emocional para o tema, não aprofundando a necessidade biológica pela
qual os traços são desenvolvidos, mas uma visão julgadora e punitiva de traços sim-
ples, sem levar em conta o TODO do ser humano.
Um exemplo disso está no artigo científico que saiu em novembro de 2016 que
fala sobre inteligência artificial utilizada em leitura de rosto focando em percepções
criminais (Automated Inference on Criminality using Face Images). Claro que o humano
que habita em cada um de nós quer naturalmente se defender de possíveis proble-
mas oriundos das pessoas que nos cercam, mas existem outras formas de utilizarmos
estes mesmos conhecimentos.
O Rafael é a prova viva disso! Ele é uma pessoa amável, doce, humilde, e per-
cebemos isso no amor e dedicação que ele tem – não só com o tema – com as pessoas
que o cercam e que o procuram.
Ele possui uma visão diferenciada, artística e única sobre o tema, abordando-o
de um jeito sensível e com muito fundamento.
Este é apenas um dos diversos livros que ele possui e está aí apenas para tirar
suas dúvidas sobre o tema – questões que nós, fisiognomonistas, encontramos no
decorrer da nossa trajetória e que ele aborda de uma forma didática, divertida e
muito instrutiva.
Tenho só a agradecer ao mestre Rafael por toda sua dedicação e amor ao tema,
seu conhecimento transmitido em seus livros e seu curso são excepcionais.
A você, leitor e pesquisador sobre o tema, sugiro que leia com a mente aberta
e sem preconceitos. Este material é riquíssimo em informações.
Bons Estudos,
Fábio Pellozzo, especialista em Leitura de Rosto e Corpo
Leitura Facial em perguntas e respostas 5
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO..................................................................................................................12
1- TEORIAS, CIÊNCIAS E TRADIÇÕES DA LEITURA FACIAL ..........................17
1. Fisiognomonia: de onde vem essa base de estudos?...................................17
2. Dentre tantas definições, afinal, como entender a etimologia da palavra
Fisiognomonia?....................................................................................................19
3. Há diferença entre Fisiognomia e Fisiognomonia?......................................20
4. Como entender a raiz da palavra Morfopsicologia? ...................................21
5. Quais as diferenças entre Morfopsicologia e Fisiognomonia?...................21
6. Se a essência da leitura de rosto é a mesma, por que há tantas vertentes
diferentes?.............................................................................................................22
7. A Teoria do cérebro trino foi abandonada. Como pode a Morfopsicologia
e outras linhas da leitura facial utilizarem tais fundamentações para a
composição de suas teses, tendo em vista que não há evidências da
correlação entre estrutura dos três terços faciais (razão, emoção e ação) com
os três elementos do cérebro trino (neocortex, límbico e reptiliano)?..........23
8. Que ligação tem o princípio 80/20 de Pareto com a leitura facial?.............25
9. A Fisiognomonia tem ligação com a teoria da Eugenia? .............................26
10. Como pode o Visagismo e algumas linhagens da Fisiognomonia
classificarem os temperamentos pelo rosto de acordo com a Teoria dos
Humores de Hipócrates, abandonada há centenas de anos? Não seria uma
forma de firmar bases em estruturas desmoronadas?....................................27
11. Se no antepassado a Fisiognomonia era chamada de ciência, por que hoje
deixou de ser?.......................................................................................................29
12. Fisiognomonia não seria a utilização de vieses de confirmação?............30
13. Se a leitura facial não é científica, como pode a Morfopsicologia se dizer
científica?...............................................................................................................32
14. Podemos dizer então que Fisiognomonia e a Morfopsicologia são ciências
falsas por serem rotuladas de pseudociência (Pseudo = Falso)?....................33
15. Leitura facial não seria uma zombaria a toda ciência séria? ....................34
16. Quer dizer que Lombroso estava certo? A leitura facial é o retorno da
teoria lombrosiana? .............................................................................................35
17. Leitura facial é universal?..............................................................................37
6 Rafael Bronísio
18. O que seria a Teoria dos cem pontos na face? ............................................38
19. Acontecimentos como acidentes e sequelas físicas podem ser revelados
no rosto?................................................................................................................39
20. A Teoria dos doze palácios da face ainda é utilizada nos dias de hoje ou
se tornou obsoleta? ..............................................................................................40
21. No estudo dos cinco elementos da natureza conseguimos evidenciar
formatos de cada rosto? ......................................................................................42
22. Para os entusiastas do assunto que visam um aprofundamento, poderia
citar alguns teóricos que direta ou indiretamente contribuíram com seus
estudos para debates, sustentação e amplitude das ideias da leitura facial?
................................................................................................................................44
2- TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS DA LEITURA FACIAL .................................45
23. O alto índice de acerto nas leituras faciais não seria devido à intuição ou
forte poder de observação de uma pessoa? .....................................................45
24. Quais as abordagens de leitura facial são mais acreditadas tecnicamente
nos dias de hoje? ..................................................................................................46
25. Qual o percentual de acerto de uma leitura facial? ...................................46
26. Uma leitura facial realmente define a pessoa? ...........................................47
27. Leitura facial não seria leitura fria?..............................................................48
28. Não poderemos incorrer em erros graves por determinar a contratação,
demissão ou promoção de uma pessoa na empresa apenas pela leitura
facial?.....................................................................................................................50
29. Posso usar a leitura do rosto como método psicoterapêutico? ................51
30. Essas teorias fisiognomônica e morfopsicológica não acabam quando o
indivíduo faz plástica?........................................................................................52
31. A leitura facial pode descobrir criminosos?................................................53
32. Há diferença entre leitura facial e microexpressões faciais? ....................54
33. Dois especialistas em leitura facial fizeram leituras diferentes do mesmo
rosto. Seria contradição?.....................................................................................55
34. O que fazer quando não conseguir identificar corretamente o formato de
um rosto?...............................................................................................................56
35. É correto algumas pessoas ganharem dinheiro com leitura facial
aconselhando ou fazendo com que outras pessoas tomem decisões com base
em seus rostos?.....................................................................................................58
36. A leitura facial é uma arte?............................................................................59
37. O que é leitura facial de palco?.....................................................................63
38. A mente que dá assimetria para o rosto? ....................................................63
39. A Antropologia Forense fala de leitura facial?...........................................64
Anúncio

Recomendados

Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e LábiosFisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e Lábios
Fisiognomonia e Diagnóstico Ayurveda do Rosto e LábiosMichele Pó
 
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês SimõesFisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês Simões
Fisiognomonia e Diagnóstico do Rosto - Inês SimõesMichele Pó
 
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.
Psicopatologia I - Aula 1: Introdução aos Conceitos da Psicopatologia.Alexandre Simoes
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestaçõesO inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestaçõesLuis De Sousa Rodrigues
 
Orientação profissional e vocacional
Orientação profissional e vocacionalOrientação profissional e vocacional
Orientação profissional e vocacionalisabel cardoso
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologiaLaércio Góes
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE09108303
 
Mlg 08 psicopatologia forense
Mlg 08   psicopatologia forenseMlg 08   psicopatologia forense
Mlg 08 psicopatologia forenseamanda cristina
 
Dinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresseDinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresseMárcio Melânia
 
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)Alexandre Simoes
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaDeisiane Cazaroto
 
Uso e abuso de drogas I
Uso e abuso de drogas IUso e abuso de drogas I
Uso e abuso de drogas ICaio Maximino
 
Diagnóstico do Rosto
Diagnóstico do RostoDiagnóstico do Rosto
Diagnóstico do RostoMichele Pó
 
Desenvolvimento Humano - Personalidade
Desenvolvimento Humano - PersonalidadeDesenvolvimento Humano - Personalidade
Desenvolvimento Humano - Personalidade100ideias
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosDeisiane Cazaroto
 
Teoria psicossexual do desenvolvimento humano
Teoria psicossexual do desenvolvimento humanoTeoria psicossexual do desenvolvimento humano
Teoria psicossexual do desenvolvimento humanoThiago de Almeida
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoAlexandre Simoes
 

Mais procurados (20)

O inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestaçõesO inconsciente e as suas manifestações
O inconsciente e as suas manifestações
 
Carl Ransom Rogers
Carl Ransom RogersCarl Ransom Rogers
Carl Ransom Rogers
 
Abordagem Centrada na Pessoa
Abordagem Centrada na PessoaAbordagem Centrada na Pessoa
Abordagem Centrada na Pessoa
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
 
Orientação profissional e vocacional
Orientação profissional e vocacionalOrientação profissional e vocacional
Orientação profissional e vocacional
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISEFREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
FREUD E O DESENVOLVIMENTO DA PSICANÁLISE
 
Mlg 08 psicopatologia forense
Mlg 08   psicopatologia forenseMlg 08   psicopatologia forense
Mlg 08 psicopatologia forense
 
Dinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresseDinâmica ansiedade estresse
Dinâmica ansiedade estresse
 
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
Psicanálise II- Aula 3 : Transferência (parte II)
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
 
Uso e abuso de drogas I
Uso e abuso de drogas IUso e abuso de drogas I
Uso e abuso de drogas I
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Diagnóstico do Rosto
Diagnóstico do RostoDiagnóstico do Rosto
Diagnóstico do Rosto
 
Desenvolvimento Humano - Personalidade
Desenvolvimento Humano - PersonalidadeDesenvolvimento Humano - Personalidade
Desenvolvimento Humano - Personalidade
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
 
Teoria psicossexual do desenvolvimento humano
Teoria psicossexual do desenvolvimento humanoTeoria psicossexual do desenvolvimento humano
Teoria psicossexual do desenvolvimento humano
 
Dependencia emocional
Dependencia emocionalDependencia emocional
Dependencia emocional
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
 

Semelhante a pdf. LEITURA FACIAL EM PERGUNTAS E RESPOSTAS baixar

A filosofia da linguagem em platão[1]
A filosofia da linguagem em platão[1]A filosofia da linguagem em platão[1]
A filosofia da linguagem em platão[1]Marcele Viana
 
689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf
689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf
689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdfFernandoMenezes43
 
Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)
Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)
Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)EstelaVulcanis
 
Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...
Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...
Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...Atena Editora
 
Paulo césar moreira livro aprender com a sexualidade
Paulo césar moreira   livro aprender com a sexualidadePaulo césar moreira   livro aprender com a sexualidade
Paulo césar moreira livro aprender com a sexualidadeEdmilson Hora
 
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)DafianaCarlos
 
Temas Gerais em Psicologia
Temas Gerais em PsicologiaTemas Gerais em Psicologia
Temas Gerais em PsicologiaAtena Editora
 
238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...
238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...
238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...Éric Santos
 
DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...
DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...
DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...pesquisaracaesaude
 
Monografia do curso de teoria da psicanálise3
Monografia do curso de teoria da psicanálise3Monografia do curso de teoria da psicanálise3
Monografia do curso de teoria da psicanálise3Ivanildo de Lima
 
Monografia Vanicleide Pedagogia 2010
Monografia Vanicleide Pedagogia 2010Monografia Vanicleide Pedagogia 2010
Monografia Vanicleide Pedagogia 2010Biblioteca Campus VII
 
E book-filosofia-para-o-enem.
E book-filosofia-para-o-enem.E book-filosofia-para-o-enem.
E book-filosofia-para-o-enem.Ajudar Pessoas
 

Semelhante a pdf. LEITURA FACIAL EM PERGUNTAS E RESPOSTAS baixar (20)

Biblioterapia marília
Biblioterapia   maríliaBiblioterapia   marília
Biblioterapia marília
 
A filosofia da linguagem em platão[1]
A filosofia da linguagem em platão[1]A filosofia da linguagem em platão[1]
A filosofia da linguagem em platão[1]
 
689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf
689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf
689-8. EDU_DIAG - PDF completo-8172-1-10-20210527.pdf
 
Tese de raisa ojala un b
Tese de raisa ojala un bTese de raisa ojala un b
Tese de raisa ojala un b
 
Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)
Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)
Grupo alfabetizacao infantil_educacao_cultura (1)
 
Filosofia para-o-enem-2015
Filosofia para-o-enem-2015Filosofia para-o-enem-2015
Filosofia para-o-enem-2015
 
Cadernomtp
CadernomtpCadernomtp
Cadernomtp
 
Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...
Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...
Reflexões Sobre Experiências de Leitura e Algumas Contribuições do Mito de Do...
 
Paulo césar moreira livro aprender com a sexualidade
Paulo césar moreira   livro aprender com a sexualidadePaulo césar moreira   livro aprender com a sexualidade
Paulo césar moreira livro aprender com a sexualidade
 
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
Anais_IV Encontro de Educação e Visualidade 2016 vf (1)
 
unid_1.pdf
unid_1.pdfunid_1.pdf
unid_1.pdf
 
Monografia Mácia Pedagogia 2009
Monografia Mácia Pedagogia 2009Monografia Mácia Pedagogia 2009
Monografia Mácia Pedagogia 2009
 
Temas Gerais em Psicologia
Temas Gerais em PsicologiaTemas Gerais em Psicologia
Temas Gerais em Psicologia
 
238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...
238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...
238119675 costa-n-2004-ate-onde-o-que-voce-sabe-sobre-o-behaviorismo-e-verdad...
 
Caderno de resumos
Caderno de resumosCaderno de resumos
Caderno de resumos
 
DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...
DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...
DESIGUALDADES “RACIAIS” EM SAÚDE: MEDINDO A EXPERIÊNCIA DE DISCRIMINAÇÃO AUTO...
 
Monografia do curso de teoria da psicanálise3
Monografia do curso de teoria da psicanálise3Monografia do curso de teoria da psicanálise3
Monografia do curso de teoria da psicanálise3
 
Monografia Vanicleide Pedagogia 2010
Monografia Vanicleide Pedagogia 2010Monografia Vanicleide Pedagogia 2010
Monografia Vanicleide Pedagogia 2010
 
Entrevista sociologia
Entrevista sociologiaEntrevista sociologia
Entrevista sociologia
 
E book-filosofia-para-o-enem.
E book-filosofia-para-o-enem.E book-filosofia-para-o-enem.
E book-filosofia-para-o-enem.
 

pdf. LEITURA FACIAL EM PERGUNTAS E RESPOSTAS baixar

  • 2. Rafael Bronísio Leitura Facial em perguntas e respostas: duvidas, curiosidades e contradições na Fisiognomonia
  • 3. Título original Leitura facial em perguntas e respostas - duvidas, curiosidades e contradições na Fisiognomonia Primeira publicação em Rio de Janeiro, Brasil. 2021 1ª Edição Todos os direitos desta obra são reservados ao autor conforme legislação vi- gente. É proibida sua reprodução total ou parcial por qualquer meio de reprodução sem a devida autorização formal do autor. Os infratores estarão sujeitos às penali- dades previstas em Lei. Copyright © by Rafael Bronisio, 2021 Editoração e capa – Autoral www.3saberes.com.br Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Índices para catálogo sistemático: 1. Fisionomia 138 Aline Graziele Benitez – Bibliotecária – CRB-1/3129 Bronisio, Rafael – 1980 Leitura facial em perguntas e respostas [livro eletrônico] : duvi- das, curiosidades e contradições na Fisiognomonia/ Rafael Bronisio. -- 1. Ed. -- Rio das Ostras, RJ : 3 Saberes, 2021. PDF ISBN 978-65-00-23826-6 1. Filosofia 2. Fisiognomonia I. Título. 21-67246 CDD - 138
  • 4. Leitura Facial em perguntas e respostas 3 PREFÁCIO É impressionante como um tema quase esquecido e tão pouco divulgado tem tomado um vulto tão grande neste novo milênio. E a minha surpresa, em ter uma pessoa tão especial e distinta quanto o Rafael me convidando para fazer o prefácio de seu livro. Conheci a Fisiognomonia em 1993, dentro de um ônibus, quando uma pessoa me abordou e me descreveu num nível de detalhe impressionante. Nesses anos todos pesquisei e li tudo o que tive a possibilidade de colocar as mãos – sobre o assunto – e vi como muitos autores são taxativos e trazem muito da sua carga emocional para o tema, não aprofundando a necessidade biológica pela qual os traços são desenvolvidos, mas uma visão julgadora e punitiva de traços sim- ples, sem levar em conta o TODO do ser humano. Um exemplo disso está no artigo científico que saiu em novembro de 2016 que fala sobre inteligência artificial utilizada em leitura de rosto focando em percepções criminais (Automated Inference on Criminality using Face Images). Claro que o humano que habita em cada um de nós quer naturalmente se defender de possíveis proble- mas oriundos das pessoas que nos cercam, mas existem outras formas de utilizarmos estes mesmos conhecimentos. O Rafael é a prova viva disso! Ele é uma pessoa amável, doce, humilde, e per- cebemos isso no amor e dedicação que ele tem – não só com o tema – com as pessoas que o cercam e que o procuram. Ele possui uma visão diferenciada, artística e única sobre o tema, abordando-o de um jeito sensível e com muito fundamento. Este é apenas um dos diversos livros que ele possui e está aí apenas para tirar suas dúvidas sobre o tema – questões que nós, fisiognomonistas, encontramos no decorrer da nossa trajetória e que ele aborda de uma forma didática, divertida e muito instrutiva. Tenho só a agradecer ao mestre Rafael por toda sua dedicação e amor ao tema, seu conhecimento transmitido em seus livros e seu curso são excepcionais. A você, leitor e pesquisador sobre o tema, sugiro que leia com a mente aberta e sem preconceitos. Este material é riquíssimo em informações. Bons Estudos, Fábio Pellozzo, especialista em Leitura de Rosto e Corpo
  • 5. Leitura Facial em perguntas e respostas 5 SUMÁRIO INTRODUÇÃO..................................................................................................................12 1- TEORIAS, CIÊNCIAS E TRADIÇÕES DA LEITURA FACIAL ..........................17 1. Fisiognomonia: de onde vem essa base de estudos?...................................17 2. Dentre tantas definições, afinal, como entender a etimologia da palavra Fisiognomonia?....................................................................................................19 3. Há diferença entre Fisiognomia e Fisiognomonia?......................................20 4. Como entender a raiz da palavra Morfopsicologia? ...................................21 5. Quais as diferenças entre Morfopsicologia e Fisiognomonia?...................21 6. Se a essência da leitura de rosto é a mesma, por que há tantas vertentes diferentes?.............................................................................................................22 7. A Teoria do cérebro trino foi abandonada. Como pode a Morfopsicologia e outras linhas da leitura facial utilizarem tais fundamentações para a composição de suas teses, tendo em vista que não há evidências da correlação entre estrutura dos três terços faciais (razão, emoção e ação) com os três elementos do cérebro trino (neocortex, límbico e reptiliano)?..........23 8. Que ligação tem o princípio 80/20 de Pareto com a leitura facial?.............25 9. A Fisiognomonia tem ligação com a teoria da Eugenia? .............................26 10. Como pode o Visagismo e algumas linhagens da Fisiognomonia classificarem os temperamentos pelo rosto de acordo com a Teoria dos Humores de Hipócrates, abandonada há centenas de anos? Não seria uma forma de firmar bases em estruturas desmoronadas?....................................27 11. Se no antepassado a Fisiognomonia era chamada de ciência, por que hoje deixou de ser?.......................................................................................................29 12. Fisiognomonia não seria a utilização de vieses de confirmação?............30 13. Se a leitura facial não é científica, como pode a Morfopsicologia se dizer científica?...............................................................................................................32 14. Podemos dizer então que Fisiognomonia e a Morfopsicologia são ciências falsas por serem rotuladas de pseudociência (Pseudo = Falso)?....................33 15. Leitura facial não seria uma zombaria a toda ciência séria? ....................34 16. Quer dizer que Lombroso estava certo? A leitura facial é o retorno da teoria lombrosiana? .............................................................................................35 17. Leitura facial é universal?..............................................................................37
  • 6. 6 Rafael Bronísio 18. O que seria a Teoria dos cem pontos na face? ............................................38 19. Acontecimentos como acidentes e sequelas físicas podem ser revelados no rosto?................................................................................................................39 20. A Teoria dos doze palácios da face ainda é utilizada nos dias de hoje ou se tornou obsoleta? ..............................................................................................40 21. No estudo dos cinco elementos da natureza conseguimos evidenciar formatos de cada rosto? ......................................................................................42 22. Para os entusiastas do assunto que visam um aprofundamento, poderia citar alguns teóricos que direta ou indiretamente contribuíram com seus estudos para debates, sustentação e amplitude das ideias da leitura facial? ................................................................................................................................44 2- TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS DA LEITURA FACIAL .................................45 23. O alto índice de acerto nas leituras faciais não seria devido à intuição ou forte poder de observação de uma pessoa? .....................................................45 24. Quais as abordagens de leitura facial são mais acreditadas tecnicamente nos dias de hoje? ..................................................................................................46 25. Qual o percentual de acerto de uma leitura facial? ...................................46 26. Uma leitura facial realmente define a pessoa? ...........................................47 27. Leitura facial não seria leitura fria?..............................................................48 28. Não poderemos incorrer em erros graves por determinar a contratação, demissão ou promoção de uma pessoa na empresa apenas pela leitura facial?.....................................................................................................................50 29. Posso usar a leitura do rosto como método psicoterapêutico? ................51 30. Essas teorias fisiognomônica e morfopsicológica não acabam quando o indivíduo faz plástica?........................................................................................52 31. A leitura facial pode descobrir criminosos?................................................53 32. Há diferença entre leitura facial e microexpressões faciais? ....................54 33. Dois especialistas em leitura facial fizeram leituras diferentes do mesmo rosto. Seria contradição?.....................................................................................55 34. O que fazer quando não conseguir identificar corretamente o formato de um rosto?...............................................................................................................56 35. É correto algumas pessoas ganharem dinheiro com leitura facial aconselhando ou fazendo com que outras pessoas tomem decisões com base em seus rostos?.....................................................................................................58 36. A leitura facial é uma arte?............................................................................59 37. O que é leitura facial de palco?.....................................................................63 38. A mente que dá assimetria para o rosto? ....................................................63 39. A Antropologia Forense fala de leitura facial?...........................................64
  • 7. Leitura Facial em perguntas e respostas 7 40. Conhecimentos de Fisiognomonia e Morfopsicologia auxiliam na construção de retrato falado?.............................................................................66 41. Como fica a leitura facial em portadores de exoftalmia de graves?........67 42. Bichectomia modifica a personalidade da pessoa?....................................68 43. O rejuvenescimento palpebral provocado pela blefaroplastia deixa o indivíduo psicologicamente mais jovem?........................................................69 44. Virou moda a harmonização cirúrgica de boca e lábios. O que a Fisiognomonia diz sobre isto?............................................................................70 45. A cirurgia de rinoplastia pode influenciar em como somos vistos pelos outros?...................................................................................................................72 46. Mentoplastia dá mais ação à pessoa?...........................................................73 47. Visualmente falando, orelhas de abano são consideradas popularmente feias, ao ponto da pessoa desejar realizar cirurgia no intuito de obter mais aceitação popular e/ou se sentirem melhores. As orelhas de abano representam coisa boa na Fisiognomonia? ......................................................74 48. Harmonização facial pode mudar internamente uma pessoa além da mudança externa?................................................................................................75 49. Como pode as rugas dizerem algo sobre o histórico de vida da pessoa se biologicamente são resultados do avanço da idade?......................................78 50. Exercícios de tonificação da face mudam a personalidade da pessoa? ..78 51. Botox influencia no comportamento?..........................................................79 52. Em uma leitura facial rápida e eficaz, o que se deve focar? .....................80 53. O tamanho da testa é uma certeza de que a pessoa seja inteligente?......82 54. Na hipnose, nem todos são hipnotizáveis. Na leitura do rosto todos são analisáveis?...........................................................................................................83 55. Alguns especialistas em leitura facial fazem vários traços na face de uma pessoa, medindo diversas áreas do rosto. Isso realmente diz sobre as pessoas?.................................................................................................................84 56. A testa realmente pode revelar impulsividade? ........................................84 57. Cientistas propõem que o queixo seria uma vantagem na evolução dos seres humanos. A Fisiognomonia teria essa resposta?...................................86 58. Da antiguidade para os dias de hoje, é fato que nosso nariz mudou morfologicamente conforme o clima?...............................................................87 59. Por que a região das sobrancelhas dos antigos eram ressaltadas?..........89 60. A mandíbula consegue denunciar se o indivíduo tem falsa força e excesso de esgotamento físico? ........................................................................................89 61. As marcas de expressão podem ou não ser analisadas?...........................91
  • 8. INTRODUÇÃO O rosto tem muito a nos dizer sobre o que há na superfície e nas profundezas do ser humano. A alma sente, o rosto revela! Não há como dissociarmos o externo do interno porque o homem é um ser integral. Sua natureza é “psicobiosocioespiri- tual”1 e cada segmento se mistura e se funde formando o todo. O comprometimento de uma área desequilibra esse “todo” fazendo emergir da alma alertas como tentati- vas de busca de socorro. Muitas vezes seus gritos não são ouvidos porque não há quem possa ouvi-los. Suas impressões visuais em forma de sintomas também não são assimiladas porque não há por perto quem possa vê-las. A humanidade está dis- traída e mergulhada em seus “achismos” ou em seus conhecimentos modernos ao ponto de não conseguirem enxergar o óbvio, parafraseando o famoso personagem da literatura, Sherlock Holmes. E você que me lê tomou um rumo diferente. Independente das suas crenças e limitações, aqui está, em busca de compreender um pouco mais sobre essa lingua- gem silenciosa da face e também de compreender a codificação que quebra as bar- reiras e desobstrui os nossos sentidos para vermos e ouvirmos o outro de uma forma única a qual os demais comumente não estão preparados para compreender. E, diga- se de passagem, curiosamente nem os profissionais da psique (psiquiatras, psicólogos e afins), que estudam a fundo a mente humana parecem estar bem preparados para essa façanha. Um estudo norte americano realizado por Ekman e O’ Sullivan consta- tou que os profissionais do serviço secreto americano, membros da CIA, FBI e outros, são os mais bem preparados para detectar emoções simuladas (dissimulação). Os que se destacaram nessas avaliações observaram a linguagem verbal e a não verbal, 1 Psicológico, biológico, social e espiritual
  • 9. Leitura Facial em perguntas e respostas 5 ao passo que os de menor rendimento (como os profissionais da psique) firmaram-se apenas na linguagem verbalizada (PORTELLA, 2006). Vou contar um segredo: Esta obra foi inspirada na estruturação de um livro do saudoso autor psiquiatra e psicanalista David E. Zimerman, o qual tive a honra de conhecer no CONBRASP - Congresso Brasileiro de Psicanálise da Sociedade Psica- nalítica Miesperanza (2011), antes de sua partida para outra morada (2014). O livro citado é intitulado Psicanálise em perguntas e respostas: verdades, mitos e tabus. Esse livro na época me caiu como luvas porque no início da minha jornada de psicanalista cansei de procurar um livro que fosse mais específico aos tipos de ques- tionamentos que eu tinha e não conseguia respostas. Nesse congresso conheci o livro e esse me ajudou a solidificar e estruturar minhas bases de conhecimento porque o livro foi praticamente uma supervisão psicanalítica com o autor. Trazendo para a leitura facial, senti falta de um livro assim e resolvi compilar todas as dúvidas recorrentes que meus alunos, colegas do ramo e leigos têm. Surgiu então o “Leitura Facial em perguntas e respostas - duvidas, curiosidades e contradições na Fisiognomonia”. O meu profundo desejo é que essa leitura te ajuda tanto quanto eu fui ajudado lendo Zimerman. Com isto, cabe-me informar ao leitor que esse livro não se propõe à leitura e interpretação de rostos. Para este fim o mercado já possui boas referências. Meu pro- pósito é responder questões inusuais, explicar conceitos que trazem dúvidas, curio- sidades, aparentes contradições e também pontuar algumas fundamentações teóri- cas e técnicas dentro das ramificações da Fisiognomonia, Morfopsicologia, Frenolo- gia, Metoposcopia, Antropologia, Sociologia, Filosofia, Biologia, Teologia e etc. Resumindo, esse livro será um guia de muita utilidade para aqueles que já per- formam na área de leitura facial como especialistas, educadores, praticantes profis- sionais e novos estudantes que pretendam aprofundar seus conhecimentos. Sendo bem sincero com você, essa leitura não é simples e muito menos para apreciação romântica ou ficcional, como em meu livro Enigmas do Rosto: eu vou ler a sua alma! Aqui é leitura com papel e caneta em mãos porque você está diante de um guia para estudo. Se esse não for o seu propósito, corra muito deste livro!
  • 10. 6 Rafael Bronísio Pelo seu teor e embasamento, não me causará estranheza se o mesmo for reco- mendado em faculdades, cursos de formação acadêmica e profissional porque nossa área carece de estruturação sólida, pois como veremos na sequência, falar de leitura facial é entrar em terreno de teorias, práticas, e conceitos completamente pulveriza- dos. Nessa área do conhecimento também há muita discriminação por se apresentar métodos que induzem o leigo a taxá-la de duvidosa assemelhando-a a leitura fria, efeito Forer, adivinhação, determinismo, pseudociência e “picaretice”, mas calma! Prometo explicar tudo isso! Vamos organizar as peças desse quebra-cabeça e encaixá-las. A imagem que se formará será o código que precisamos para estruturarmos nossas bases e sairmos da superfície do conhecimento alcançando novos níveis. Foi assim que eu me vi em Zi- merman e assim que eu quero te ver por aqui. Por fim, você perceberá que o conteúdo se estrutura em cinco Capítulos. No primeiro falarei sobre teorias, ciências e tradições da leitura facial. Dentro desses te- mas pode-se consultar facilmente no índice a particularidade de cada um, dando a liberdade ao leitor de priorizar as questões que mais interesse ou chame à atenção. Fique alerta! Muito importante observar as notas de rodapé porque ali eu também fixei referências de outros tópicos que ampliam a compreensão. No segundo Capítulo eu selecionei questionamentos pertinentes às aplicações das técnicas da leitura facial bem como as interferências no seu manejo, tais como harmonização facial, possíveis doenças e outros pontos controversos. No terceiro Capítulo eu procurei responder as perguntas que comumente nos confundem e as dificuldades de compreensão frente às diversas abordagens fisiog- nomônicas vistas como contraditórias. No quarto Capítulo eu abordei alguns dos temas tidos como curiosos, tais como o Édito de Valério, você já ouviu falar? Os evangélicos e Testemunhas de Jeová não estariam pecando ao estudarem Fisiognomonia? Foi Hipócrates que desenvol- veu a Teoria dos Temperamentos? São questões curiosas e pouco abordadas como estas que você irá descobrir!
  • 11. Leitura Facial em perguntas e respostas 7 No quinto e último Capítulo abordarei sobre as dúvidas que circundam à “pro- fissão” de fisionomista (ou seria fisiognomonista? Ou fisiognomista?), a propósito, Fisiognomonia é profissão? Se é profissão, em qual escola se forma? E quem pode formar? Vou parar por aqui para você não enlouquecer antes mesmo de começar a jornada. No final acrescentei um apêndice com a compilação de diversos sites que men- cionam curiosidades sobre o universo facial. Todos com as referências e seus respec- tivos links de acesso direto. Alguns estão em sites americanos, bastando você utilizar o recurso de tradução do seu navegador. Boa leitura e bons estudos! Prof. Me. Rafael Bronísio
  • 12. 8 Rafael Bronísio CAPÍTULO 1- TEORIAS, CIÊNCIAS E TRADIÇÕES DA LEITURA FACIAL “Se faz necessário muita ética quando você é capaz de realizar um ´teste psico- técnico’ instantâneo e silencioso” Rafael Bronisio 1. Fisiognomonia: de onde vem essa base de estudos? Não há elementos que determinem assertivamente sua origem e data, entre- tanto, sabe-se que todas as fontes originárias advêm do oriente em um período não preciso que pode ser datado até cinco mil anos atrás. Debatem-se possibilidades de sua origem ter sido no Egito, na Índia ou na China. Ainda existem hipóteses menos antigas da prática da Fisiognomonia nas culturas japonesa, árabe dentre outras, po- rém não dispomos de elementos palpáveis para comprovar objetivamente a origem. Moisés do Egito pode ter sido um fisiognomonista, conforme prática da sabe- doria egípcia. De acordo com um comentário cabalístico no livro “O Zohar2”, há uma afirmação de que Jetro, vendo seu genro Moisés sobrecarregado na liderança do povo hebraico que crescia rapidamente após a saída da escravidão do Egito, aconse- lhou-o a escolher líderes “de acordo com a sabedoria revelada no rosto, já que o rosto 2 Trata-se de um trabalho da literatura cabalista, do misticismo judaico que elenca comen- tários místicos sobre a Torá, que são os cinco primeiros livros da Bíblia, também chamado de Pentateuco ou as Leis de Moisés.
  • 13. Leitura Facial em perguntas e respostas 9 é como um espelho através do qual a alma se reflete em todos os níveis”. Essa afir- mação não fica explícita nos textos Bíblicos e nem na Torá antiga (Êxodo 18:21,22). Na China, a paternidade da leitura de rosto costuma ser creditada ao filósofo e estrategista militar Gui-Gu Tze. Diz-se também da grande influência do Tratado de Medicina Interna do famoso Imperador Amarelo, por volta de 2500 a.C. A filosofia taoísta teve grande importância na evolução e disseminação desse estudo na China e conseguintemente pelo mundo afora. Acredita-se que por este motivo a Fisiogno- monia consagrou-se como de origem chinesa. Conforme alguns escritos, essa milenar arte permaneceu por muito tempo, res- trita e indisponível aos populares. O conhecimento era transmitido de pais para fi- lhos e de mestre para seguidores. Não existia transmissão do conhecimento por es- crito por questões óbvias de limitações da época. A nomenclatura chegou até nós transliterada como Mian Xiang (面相学). Não podemos esquecer de mencionar a compreensão sobre leitura de rosto que as civilizações antigas extintas possuíam, as quais não deixaram registros e nem resquícios, mesmo sendo consideradas avança- das e evoluídas em seus tempos. Outras saqueadas e subjugadas perdendo seus bens (Seus saberes intelectuais também se enquadrariam nesses bens). Partindo para o ocidente, na Grécia antiga (pelo Século IV a.C.), possivelmente em paralelo com os orientais, Hipócrates, o pai da medicina, em seus estudos siste- matizou os quatro humores e sua importância para o mantimento da saúde. Este assunto futuramente seria “retocado” por Cláudio Galeno denominando tempera- mentos, identificando a influência dos humores na estruturação do corpo e na per- sonalidade. A Teoria dos Temperamentos influenciou muitos fisiognomonistas da época se espalhando para outros povos e atravessando o tempo ao ponto de ser am- plamente explanada na nossa atualidade, mesmo sendo uma estrutura considerada equivocada pela ciência moderna. Mais à frente explanaremos especificamente sobre este ponto3. 3 Ver: explicação dos números 10 e 97 para complementação da leitura
  • 14. 10 Rafael Bronísio 2. Dentre tantas definições, afinal, como entender a etimologia da palavra Fisi- ognomonia? Vamos fazer uma radiografia da palavra: Fisiognomonia (PHYSIS + GNÔMON + IA). A raiz PHYSIS se refere a uma divin- dade da mitologia grega e alude filosoficamente ao que é natural (natureza). Bem pertinente porque no antepassado também se observava a “essência humana” a par- tir de fundamentos da natureza (ar, água, terra e etc.), haja vista que a palavra “na- tureza” também se refere a caráter e temperamento. Para entender a próxima definição, vamos recordar as aulinhas de ciências onde fazíamos vários experimentos e relembrar do GNÔMON, um instrumento da astronomia antiga. Era uma espécie de haste que compunha o dito relógio natural onde a partir da projeção da luz solar sobre ele conseguia-se saber a hora do dia pelo local que a sombra se produzia no seu entorno. A origem da palavra gnômon pro- vém do grego: discernimento, julgamento, juízo e conhecimento. É a mesma raiz de GNOSE (conhecimento) como diagnóstico, prognóstico e etc. Apesar das origens da Fisiognomonia ter seu berço envolto de misticismos, na Grécia antiga ela já era vista como ciência (apesar da definição de ciência daquela época ser bem diferente da que se tem hoje, conforme veremos à frente). O que nos faz afirmar isto é o sufixo “IA”, que também era usado para formar palavras relativas a assuntos tidos como ciência ou estudo. Portanto, a definição seca seria “A ciência de conhecer a natureza”. Podemos então arrazoar que Fisiognomonia é um saber milenar que visa determinar o caráter e as condições internas de uma pessoa por intermédio de sua aparência e evidências externa. Isto inclui rosto e corpo, tanto estáticos quanto na forma que se projetam no mundo.
  • 15. Leitura Facial em perguntas e respostas 11 Figura 1. Relógio de sol – Gnômon 27. Leitura facial não seria leitura fria? Não, mas há um risco de se misturar. Leitura fria, como o nome já diz, é uma leitura feita na hora, sem contato ou conhecimento prévio sobre a pessoa. É o ato leviano (quando usada por picaretas, charlatões, falsos videntes/médiuns e etc.) ou recreativo (quando usada por mentalistas, ilusionistas, paqueradores e etc.) para “ler” a vida, a personalidade ou futuro de uma pessoa como se fossem um vidente, um paranormal ou portador de habilidades extrassensoriais. Tudo indica que essa técnica foi criada (ou popularizada) por um empresário circense americano chamado Phineas Taylor Barnum.
  • 16. 12 Rafael Bronísio A leitura fria consiste em observar detalhadamente uma pessoa que será lida e tentar capturar em tempo real informações de forma que ninguém perceba e criar um ambiente de “intuição e adivinhação”. Por exemplo, um falso vidente fala para outra pessoa: “Vejo que você trabalhando com muitos carros. Ouço som de muitos motores. Também vejo que você está com problema no casamento... Estou sentindo que você está se divorciando”. Todos ao redor ficam impressionados com a revelação, mas o “adivi- nhão” na verdade observou que a pessoa lida estava sem aliança e viu a marca de quem a tirou recentemente pela área mais clara que fica na região do dedo em que se usa o anel. Também percebeu as unhas cheias de graxas e uma mão relativamente com textura de trabalho braçal. Além dessa técnica de observação fria, existem outras técnicas como “jogar verde para colher maduro: “...Vejo claramente uma pessoa com a letra ‘M’ que vive te dando problemas...” (Letra M é bem comum e problemas...? o cérebro tenta dar sentido e muitas vezes encontra uma vizinha por nome de Marcia que vive reclamando dos lixos espalhados em seu portão. Pronto! Como ele sabia da Marcia?). Há também o efeito arco-íris onde ideias opostas se encontram na mesma afirmação: “Percebo que você acorda às vezes muito triste e quando menos espera você está tão feliz como nunca, até que de repente é tomada novamente por uma tristeza. Isso te deixa muito confusa, mas você sempre consegue superar seus desafios”. Quem não fica feliz e triste? Entretanto a frase é generalizada, mas parece que é específica. Também há o efeito Forer, que carrega o nome do psicólogo Bertram Forer, que fez experimento sobre o assunto em 1948. Ele concluiu que há declarações que se aplicam para a maioria das pessoas, mas o indivíduo acredita que são exclusivas para ele (Forer, 1948): “Vejo um grande potencial que ainda não foi bem aproveitado por você! Vejo muita inveja na sua vida!...” Como dito, muitos falsos videntes utilizam essas técnicas, mas muitos as utili- zam sem saber e sinceramente acreditam portar poderes sobrenaturais. Há pessoas que fazem revelações e profecias em igrejas evangélicas acreditando que realmente estão sendo usados pela divindade quando boa parte das vezes suas emoções e seu
  • 17. Leitura Facial em perguntas e respostas 13 bom discernimento intuitivo criam efeitos que como vimos, parecem sobrenaturais. Mas quem vai questionar, se o ambiente é de exercício de fé? Também existe a leitura quente. Esta acontece quando o suposto vidente já dis- põe de informações secretas sobre a pessoa (por ponto eletrônico, consulta prévia em redes sociais ou diálogo com alguém conhecido da vítima e etc.). Por exemplo, uma pessoa vai fazer consulta com o suposto médium, e este tem parceria com os taxistas, que colhem informações e passam para o tal médium antes do passageiro chegar à consulta. Citei este exemplo por haver um caso no Brasil que ficou conhecido por esta mesma estratégia. A leitura facial não se esbarra em nenhuma dessas vertentes, porém como o resultado das análises é assertivo e muitas vezes não se dá uma explicação adequada sobre as conclusões, o analisado pode ficar espantado e confuso. Muitos fisiognomo- nistas olham para a pessoa e analisam: “Vejo no seu rosto que você é uma pessoa muito ousada, inteligente, tem tendência a falar bastante e é bem sociável...” Ponto! Obviamente poderá fazer total sentido para a pessoa analisada, porém ela fi- cará intrigada em como se chegou a tais conclusões. A ausência de base fará até os menos céticos questionarem e o que a nossa mente não compreende, tende a recha- çar. Por isso, sempre ensino que a forma mais adequada, técnica e honesta com a pessoa analisada é informar de onde vem cada item citado na análise. É da boca? Nariz? O que estes têm para gerar tais informações? Explique como a área mencio- nada da face entrega tal informação. Deste jeito a credibilidade do profissional se elevará porque será observado que não há invenção ou ilusão, e sim técnica com as devidas referências.
  • 18. 14 Rafael Bronísio 36. A leitura facial é uma arte? Sim. Também é uma arte. No decorrer dos tempos vários artistas como Charles Le Brun, Leonardo da Vinci e tantos outros se esbarraram com a Fisiognomonia4 e até se inspiraram em tal conhecimento para comunicarem e expressarem fidedigna- mente mais emoção e realismo em suas manifestações artísticas. Cabe-me esclarecer que a Fisiognomonia não é apenas arte. Suas prerrogativas transpassam esse limite. Ela também traz em sua essência um saber filosófico, técnico, metodológico e sobretudo prático. Ler rosto é questão de arte e técnica! Neste ponto, contudo, não iremos abordar sobre quem pratica suas técnicas. Focaremos na arte. De forma subjacente, a leitura facial influencia e também agrega muito valor à arte contemporânea. Sua visão tradicional acrescida aos diversos estudos feitos no passar dos anos, juntos elucidam e refinam ainda mais essa temática. Seja na criação de desenhos da figura humana, na pintura, no cinema, na mú- sica, na escrita... De alguma maneira vemos a imagem do rosto expressando sensa- ções e sentimentos aos seus apreciadores. Na caracterização de um vilão, de uma donzela, de um camponês, de uma autoridade pomposa, ou um personagem inteli- gente, frágil, ou ainda forte, enfim, ficaríamos até amanhã citando exemplos. Por- tanto, quem utiliza a Fisiognomonia para estes fins, produz arte (mesmo que a utilize sem conhece-la). Nos identificamos e nos envolvemos emocionalmente com um personagem a partir da impressão que formulamos no cérebro com as imagens captadas. Isto ocorre de maneira inconsciente e mexe com nossas crenças, costumes, símbolos e etc. Este conceito também é amplamente estudado e explicado pela psicanálise. Um sucinto exemplo é o famoso Superman. Seja no desenho ou no cinema, você sempre o vê com aparência facial de mandíbula bem marcada, queixo grande, 4 Na época, comumente denominado de “fisionomia”
  • 19. Leitura Facial em perguntas e respostas 15 quadrado e/ou pronunciado. Características inquestionavelmente dotadas de força e virilidade, conforme abordado na Fisiognomonia. Esses personagens de força co- mumente têm a parte inferior da face mais larga, maior e mais destacada imprimindo um contorno facial quadrado ou próximo ao triangular. Se você vice um Superman com essa região inferior do rosto estreita, pequena, flácida ou sem ângulos, incons- cientemente teria dificuldade de acreditar que ele realmente seja forte. Ao contrário, um contorno de rosto que destaca a parte superior cairá bem em um personagem pensador, intelectual ou estrategista. As formas geométricas também imprimem sensações instantâneas e nós as as- similamos de modo inconsciente. Elementos faciais circulares, por exemplo, trans- mitem impressões mais amigáveis, inofensivas, suaves, oscilantes; também transmi- tem feminilidade e pureza. Veja os traços circulares contidos dentro do rosto dos desenhos da personagem Bela e da Branca de neve, na vida real observe como é re- dondo o rosto de um bebê e como os gordinhos comumente transmitem “fofura”. Os olhos grandes, arredondados, afastados um do outro, com dilatação das pupilas, so- brancelhas altas e ausência de certas tensões musculares são particularidades que complementam grandemente a suavidade da nossa sensação, percepção e reações. Os personagens com elementos faciais que formam ângulos retos (ângulos de noventa graus que formam o quadrado e o retângulo) transmitem mais equilíbrio, força, harmonia, estabilidade, conformação e constância, porém menos flexibilidade. Por isso é fácil assimilar personagens inflexíveis e teimosos, pois são representados com formas bem quadradas – o que te faz pensar a expressão “pessoa quadrada”? - Veja por exemplo os personagens Frederiksen e Xerife Wood5. Esse perfil também re- presenta um arquétipo6 de masculinidade. Objetos com ângulos mais agudos (ângulos fechados que comumente também formam os tipos de triângulos) transmitem mais agressividade, combatividade di- namismo, energia, impulsividade, movimento e velocidade. Pode também sinalizar 5 Por questões autorais, recomendo ao leitor que pesquise cada imagem de personagem na internet para observar suas formas. 6 Ver: explicação de número 23 complementar “arquétipos” e os números 12 e 34 para com- plementar sobre formatos de rosto.
  • 20. 16 Rafael Bronísio oportunismo, perigo e atenção. Repare no perigo dos objetos pontiagudos. O próprio símbolo da “atenção” é um ponto de exclamação envolto de um triângulo. No filme O rei Leão perceba a nítida diferença entre os personagens Mufasa e Simba contrastando com o vilão Scar, que tem diversos elementos angulares agudos em sua imagem evidenciando sua sagacidade. Veja o desenho da Malévola e do Jafar, que também são personagens vilões. Ângulos agudos também podem transmitir força como Beto Pêra do filme Os incríveis. Seu rosto tem o mesmo perfil mencionado acima no exemplo do Superman e seu corpo tem o formato triangular invertido. A mulher maravilha apesar do rosto mais quadrado, tem em sua testa uma espécie de tiara com formato triangular. O Homem-Aranha sempre está em postura com evidentes ângulos corporais agudos, dando aspecto de movimento e deslocamento rápido. Apesar do seu rosto compor um formato ovalado, repare que contém forte ângulo em ascendência no formato dos olhos. Suas teias desenhadas na máscara também se convergem em seguimento angular. O desenho O fantástico mundo de Bobby é representado por um menino de traços circulares e uma cabeça enorme expressando sua inocência, imaginação fértil e fan- tasiosa. Na série Pinky e o Cérebro, o personagem Cérebro é representado por cabeça e testa avantajadas. Apesar de muito inteligente é carrancudo e ambicioso. Ele é um rato que tem bastante formatos angulares pelo rosto e pelo corpo. Vou deixar uma curiosidade para que o leitor em momento oportuno possa pesquisar e refletir. Pro- cure a imagem do boneco Chucky do filme Brinquedo Assassino. Pare um instante para analisar sua fisionomia tanto na versão inofensiva quanto o na perigosa. Você perceptivelmente identificará os pontos mencionados aqui. Em se tratando de for- mas geométricas, ainda há a combinação delas, que trará uma mistura de informa- ções praticamente subliminares na captação dos nossos sentidos. Curiosamente esse fenômeno dos formatos pode ser verificado nos animais os quais também nos causam impressões e reações. Você consegue identificar as dife- renças fisionômicas entre um golfinho e um tubarão? E entre uma cobra e um urso panda?
  • 21. Leitura Facial em perguntas e respostas 17 Repare que essa linguagem não é falada, mas comunicam-se conosco inconsci- entemente como uma espécie de padrão arquetípico conforme preconizou Carl Jung. Os exemplos de personalidade observados nos formatos dos cinco elementos da na- tureza também concordam com tudo abordado nesta questão; os conceitos de terços faciais, de ascendência e descendência nos elementos da face; os conceitos de expan- são e retração, tonicidade e atonia, bem como os demais estudos da Morfopsicologia; os conceitos psicológicos de construção da imagem conforme abordado pelo Visa- gismo e outras pesquisas recentes; todos convergem para o enriquecimento e para a construção assertiva da personalidade de personagens e transmitem-nos sensações e emoções as quais nem sempre entendemos seus porquês, porém mexem profun- damente conosco. Figura 2. Charles Le Brun e Leonardo da Vinci
  • 22. 18 Rafael Bronísio 64. Testosterona pode influenciar o formato da face? Sim. O excesso de testosterona pode influenciar no formato da face tal como o formato da face pode nos dar pistas sobre os comportamentos esperados dos indiví- duos com excesso de testosterona. A milenar prática da Fisiognomonia já previa de forma empírica a relação entre os formatos de rosto e a personalidade. A largura e o comprimento do rosto foram mencionados em uma pesquisa ci- entifica atribuindo-se um conjunto de características comportamentais em homens, incluindo a agressão, sendo observadas pelo formato do rosto. Foi em um estudo de 2013 realizado por pesquisadores do Centro de Mudanças de Comportamento no Uni- versity College London, no Reino Unido, as conclusões sugeriram que tais características poderiam estar relacionadas a altos níveis de testosterona7. Segundo o estudo, homens com níveis mais altos de testosterona são mais pro- pensos a ter faces mais largas e maçãs do rosto maiores. Homens com esses traços faciais também tendiam a ter personalidades mais agressivas. De fato, a testosterona tem funções importantes, tais como atuação no crescimento muscular e densidade óssea. A regulação de hormônios está no sistema endócrino em conjunto com o sis- tema nervoso. Isso nos sinaliza algo importante quanto ao estudo da leitura facial. Se o sistema nervoso é responsável por receber, armazenar e responder adequada- mente aos estímulos, ao controle de produção e/ou liberação de hormônios, também poderá ser influenciado a partir de como o indivíduo interage com o seu meio, como se alimenta e como assimila a vida. Na Morfopsicologia, o rosto largo é mais adaptado ao meio. Essa região expan- dida e angulosa exprime virilidade, vitalidade, ação, combate e necessidade de con- trolar o meio. As maçãs do rosto, também conhecidas pelo osso zigomático ou malar, indicam autoridade e coragem. Essa área destacada exprime liderança, força de 7 Fonte: www.hypescience.com
  • 23. Leitura Facial em perguntas e respostas 19 vontade e autoconfiança. Além dos níveis de agressividade, outro fator quase auto- mático que avaliamos quando olhamos para o rosto de alguém é a sua força. Em um outro estudo, os cientistas mostraram fotos de 10 pessoas com cinco expressões faciais diferentes e depois pediram aos participantes que avaliassem o quão amigável, confiável ou forte a pessoa fotografada parecia. Os observadores ten- diam a classificar as pessoas com uma expressão feliz como mais amigáveis e confi- áveis do que aqueles com expressões de aborrecimento. Eles também tendiam a ava- liar as pessoas com faces mais largas como mais fortes. Com isto vemos total coerência nas observações dos cientistas com o que a tra- dição fisiognomônica já vem afirmando em pelo menos três mil anos antes de Cristo, que também são ratificadas pelos recentes estudos da Morfopsicologia. 86. E quanto a analisar terceiros sem que estes saibam? Não convém. É muto comum o cônjuge se aproximar com foto pedindo infor- mações privilegiadas e sigilosas sobre a idoneidade de seus parceiros. Princípio de namoro é outro chamariz para se buscar uma leitura do pretendente sem que este tenha ciência (A prática me mostra que as mulheres são mais preocupadas em saber). Aconselha-se realizar leitura apenas em conjunto ou com prévia autorização do au- sentado. Até porque quem procura a análise para esse fim está tão preocupada com o seu próprio bem estar que seu questionamento é se tal pretendente “serve” para ela e pela leitura do rosto podemos perceber que muitas vezes é ela que não serve para o pretendente. Portanto é tendenciosa e desleal com a pessoa ausente. É antié- tico! Uma “fofoca técnica”. Reconheço que no meu início também cometi esse erro. Um caso que me vem à memória é de uma amiga que tinha acabado de conhecer um rapaz. Este dizia
  • 24. 20 Rafael Bronísio gostar dela, porém por ser “escaldada”, ela me solicitou que lesse o rosto de seu pre- tendente. Após minhas observações, mostrando os prós e os contras, ela se sentiu mais segura para iniciar o namoro, por entender que os contras previstos estavam dentro de seus limites aceitáveis. Como conclusão, hoje ela é casada, tem uma linda criança com ele e moram felizes em outro país. Já aconteceu o oposto também. Dois amigos meus resolveram iniciar um namoro. Esse relacionamento era claramente desfavorável e incompatível, porém conservei comigo mesmo minha opinião. A con- clusão é que eu acertei na mosca cada milímetro de incompatibilidade. O relaciona- mento é envolto de brigas graves, discussões, suspeitas de “puladas de cerca”, po- rém estão casados há mais de uma década. Se amam, têm dois filhos e segundo afir- mam, não conseguem viver sem o outro. Repare o quanto eu poderia ter impactado negativamente uma relação. Princi- palmente analisando fotos, hoje eu entendo que isso poderia facilmente ter aconte- cido porque existem várias regras técnicas para avaliação e diagnóstico de fotogra- fias que na época eu ainda não as conhecia – e você não as encontra em literaturas). Essas técnicas eu ensino em meu Curso Avançado de leitura Facial8. E se eu recomen- dasse à moça um abusador em potencial? E se eu jogasse areia no relacionamento dos amigos? Assim, aprendi na prática que também não é propósito da leitura facial aconselhar ou dizer alguém o que ela deva fazer. Apesar de ser tentador, o especialista deve conter seus ânimos e eliminar essa opção do seu procedimento de trabalho, focando apenas no que se vê, e não no que fazer com o que foi visto, exceto se você tiver habilitações formais para tal (Lembre- se: o resultado de exame médico e a terapêutica médica para o respectivo tratamento são coisas bem diferentes. Em nosso caso, a leitura facial se assemelha ao primeiro). Por fim, tenha prudência porque dei exemplos de cônjuges e namoros, mas isto vale para a leitura de qualquer terceiro desinformado. Muito cuidado! Fotos de redes sociais (Instagram, Facebook e etc.), redes de relacionamentos (Tinder e Badoo e etc.), rede social de networking (Linkedin), fotos 8 Ver: Link no final do livro, seção “Quem é o autor”
  • 25. Leitura Facial em perguntas e respostas 21 de parentes, de chefes, de funcionários. Tudo que disser poderá se voltar contra você. Use e abuse do conhecimento ao seu favor na escolha do relacionamento, do seu político, das amizades..., mas seja cauteloso com as solicitações informais de análise sem que haja um propósito bem definido. 123. Onde podemos aplicar o conhecimento da leitura facial? Apesar de já ter “pincelado” esse tema, cabe aqui uma ampliação do assunto, tendo em vista a sua grande importância para nós. A aplicação desse conhecimento começa de dentro para fora, ou seja, seus benefícios podem ser explorados a partir do autoconhecimento. Falar de leitura, é falar de interpretação e compreensão de sinais codificados. Por exemplo, eu consigo distinguir em milésimos de segundo a letra “R” da letra “M”, mas não consigo entender em horas nem uma única letra do alfabeto chinês. As letras formam palavras que quando agrupadas formam frases. Essa sequência é um código e somente os que aprenderam a discernir tais códigos compreenderão a mensagem. O analfabeto não consegue decifrar esses códigos. A leitura do rosto não é diferente. Ela utiliza um conjunto de técnicas que vi- sam interpretar e compreender o outro e a nós mesmos pelos códigos estampados na face. Cada elemento na face são letras e palavras que reunidos formam frases fa- zendo com que o seu contexto comunique uma história, como nos livros. O grande problema é que essa leitura é para a maioria o que o alfabeto chinês é para mim, e, portanto, não a compreendem (Exceto quando se alfabetizam nesse conhecimento). Observe que ler rosto é sobretudo um processo de comunicação não verbal de enten- der e exprimir.
  • 26. 22 Rafael Bronísio Retornando ao autoconhecimento, este só ocorre quando os insights acontecem e as “fichas” começam a cair. Aí sim, a partir do entendimento de algumas coisas como o porquê de eu ter esse jeito que odeio, ou o porquê de tanta dificuldade para conter os meus impulsos ou ainda, o que me faz ser tão omisso, ou tão agressivo, enfim, quando essas respostas surgem o indivíduo não apenas se compreende, ele se aceita, se culpa menos e se liberta por entender que a sua natureza é aquela. Em posse dessas informações, fica mais factível traçar estratégias de mudanças, caso seja a intenção ou então desenvolver exercícios de autoaceitação. Outra mágica acontece quando eu me compreendo porque naturalmente eu também compreenderei mais o outro porque este também tem tendências anuncia- das na face. É remidor quando paramos de ser exigidos por algo que contraria os nossos costumes, mas também quando paramos de exigir do outro àquilo que ele não poderá nos proporcionar devido às limitações naturais do seu perfil. Mais uma vez entrariam as estratégias de relacionamentos para que se viva a harmonia inter- pessoal em comum acordo. Não existe escolas, empresas, lojas, igrejas, times de futebol. Nada disso existe! O que existe são pessoas! Elas estão por trás de cada instituição, cargo, posto, ensi- namento, liderança, processo terapêutico e etc. Veja no jogo de Xadrez, cada peça tem sua função, particularidade e limitações de movimentos sobre o tabuleiro. No jogo de Damas por sua vez, todas as peças do tabuleiro têm funções iguais. Apenas as Damas se diferenciam na expansão de seus movimentos. Assim somos nós no tabuleiro da vida. Vivemos no tabuleiro de Xadrez utilizando as regras do jogo de Damas. Após esse extenso “preparo do terreno” fica mais fácil para entendermos a im- portância da leitura facial em qualquer segmento da vida. Empreendedorismo e liderança - Nesses segmentos se faz necessário assumir riscos e responsabilidades. É preciso independência para agir e liderança com voz de co- mando para fazer os projetos andarem. Esses profissionais são desbravadores, gos- tam de desafios e transpiram pelos seus resultados. Eles fazem as coisas acontece- rem! Imagine uma pessoa sem ambição, vontade fraca e sem iniciativa assumindo
  • 27. Leitura Facial em perguntas e respostas 23 essa função. Como seria? Um grande líder não fica subjugado por muito tempo. Quando não consegue seu posto de liderança, vai embora. Mas quando um não-líder cai de paraquedas em um posto de liderança, o fracasso organizacional chega em breve e sua falta de pulso e resultados o constrange e ele vai embora (ou não). Quais benefícios as organizações teriam se cada função de liderança bem como as demais funções fossem ocupadas por pessoas realmente com perfil para tal? É bem verdade que existe estilos de liderança, mas fundamentalmente algumas características são encontradas em todos os estilos. As técnicas de leitura facial revelam os sinais e lide- rança, bem como seus estilos. Em linhas gerais citarei alguns exemplos de combina- ção de Ponto de Ancoragem.9 Rosto expandido horizontalmente, região da mandíbula larga, destacada, olhos pequenos, sobrancelhas retas, próximas, com ângulo, nariz cumprido, romano, aquilino, lábios finos, orelhas grandes, osso zigomático acentu- ado, bochechas altas, região óssea da sobrancelha pronunciada, pálpebra em formato triangular, queixo destacado, linha do general (linha que desce verticalmente na bo- checha paralela à linha do bigode chinês). Reitero que mencionei alguns exemplos soltos, porém quanto mais elementos desses encontrarmos no conjunto facial, maior a certeza de estarmos reunindo as palavras certas para formar as frases que contarão a história de liderança de um indivíduo. Relembro que cada item mencionado no ponto de ancoragem tem um porquê. Esporte - Parece que algumas pessoas nasceram prontas. Seria o dom do futebol? Da dança? Da natação? Prefiro chamar de predisposição. Não basta gostar de esporte, é preciso superação, disciplina, foco, força de vontade e genética favorável. Qualquer um pode ser campeão em alguma modalidade esportiva, mas alguns precisarão de muito mais dedicação do que outros (e parece que um terceiro grupo nem se vê ten- tando). Vou dar um exemplo dos lutadores de MMA. Já reparou como possuem ca- racterísticas bem semelhantes? Observe seus rostos largos (e muitas vezes quadra- dos), mandíbulas com ângulos bem evidentes, queixos grandes e também 9 Nomenclatura que utilizo para pontuar isoladamente a interpretação de uma parte da face, mas devemos lembrar que a leitura correta está no contexto facial e não em apenas um ponto isolado.
  • 28. 24 Rafael Bronísio quadrados, projetados para frente, orelhas altas, descoladas “de abano” (Algumas danificadas pela ação do roçar dos quimonos), Pescoços com musculaturas trabalha- das dando aspecto de largos para protegerem-se de “chaves de pescoço”. Cada moda- lidade de esporte verifica-se padrões faciais que quando reunidos podem claramente evidenciar predisposição e eficácia. Você já ouviu falar da pesquisa realizada pelo psicólogo e neurocientista Keith Welker em 2010 com mil jogadores da Copa do Mundo de trinta e dois países? Ele identificou que a altura e largura de seus rostos estavam diretamente ligados aos seus desempenhos atléticos e à quantidade de gols que marcavam. Quanto mais expandida a face dos jogadores, melhores seus resulta- dos10. Comunicação e educação - São inúmeros os segmentos que exigem de seus integran- tes essas habilidades. Na docência, na arte, nos palcos, nos telejornais, no atendi- mento ao público, nas negociações enfim, aqui vemos uma diversidade de possibili- dades de configurações faciais porque cada pessoa pode tomar caminhos diferentes dentro dos seus segmentos, tais como intelectuais, inspiradores, motivadores, cômi- cos, céticos, bravos e etc. Cada um empregará sua personalidade e a leitura facial denuncia as tendências de cada um. Uma configuração de testa arredondada, aberta, abaulada, mais alta, mais larga do que os demais terços (muitos são calvos), sobran- celhas grossas, ou bagunçadas, baixas, testas com linhas de expressões grandes e contínuas (muitos utilizam óculos), são algumas evidências claras de que quando agrupadas demonstram tratar-se de um intelectual ou amante de múltiplos conheci- mentos. Diferentemente de um excêntrico que terá nariz grande, largo, narinas aber- tas, boca grande, pronunciada, lábios volumosos (principalmente o inferior), sobran- celhas arqueadas, altas, abertas, que começam grossas e terminam finas, olhos mais projetados, mais abertos, bochechas vistosas, maçãs do rosto carnosa, pronunciadas, queixos e mandíbulas arredondadas... Essas são pessoas que conseguem motivar ou desmotivar facilmente, pois evidenciam emoção e intensidade em suas expressões. São capazes de incendiar uma equipe, mas geralmente são inconstantes e mudam 10 Ver: https://esportes.r7.com/futebol/estudo-indica-que-jogadores-com-rostos-maiores- tem-mais-chances-de-serem-artilheiros-26112014
  • 29. Leitura Facial em perguntas e respostas 25 com facilidade seus objetivos e opiniões. Podem ser bastante inseguras e tentam ca- muflar isto com piadas, com impetuosidades ou criam outro método. Preciso ser re- petitivo em destacar que alguns possuem menos e outros mais características dos exemplos citados. Nas religiões – Alguns adeptos evidenciarão em suas faces maior recusa deli- berada em seguir certos dogmas. Serão mais rebeldes, sobretudo com a liderança. Terão sua visão própria e apresentarão dificuldades em lidar com opiniões diferen- tes. Alguns farão um esforço grandioso para evitar pecar ou transgredir suas doutri- nas, enquanto outros conseguirão seguir com mais facilidade. Talvez por isso que a Bíblia menciona que a salvação não é por ações humanas. “...Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie...” (Efésios 2:8-9) Poderíamos ficar até amanhã mencionando exemplos de efeitos benéficos da aplicação da leitura facial, mas creio que já consegui mostrar que cada pessoa terá predisposição para certos segmentos pessoal, social e profissional da vida. Seja na terapia, na sala de aula, na área da saúde, do entretenimento, na moda, no design, no militarismo, na bandidagem, nas finanças, nas vendas, na administração, nos aconselhamentos, nas relações públicas, na informática, na arte, na dança, na po- lítica, nas redes sociais, no recrutamento & seleção, no chão de fábrica, nos serviços gerais, na ciência, no transporte e assim sucessivamente. Todos se beneficiam.
  • 30. 26 Rafael Bronísio APÊNDICE Compilação de sites que abordam direta e/ou indiretamente assuntos curio- sos referentes à leitura facial A neurose Nasal Reflexa: médico do século 19 achava que o nariz tinha cone- xão com distúrbios sexuais. LINK: https://www.megacurioso.com.br/comportamento/45021-medico-do-seculo-19- achava-que-o-nariz-tinha-conexao-com-disturbios-sexuais.htm ...
  • 31. Leitura Facial em perguntas e respostas 27 AGRADECIMENTOS Aos queridíssimos companheiros de jornada profissional que apoiaram essa obra na consultoria pré-editorial: Ana Borges: Consultora de Imagem Pessoal, graduada em Design de Moda e especialista em Leitura de Rosto e Corpo https://www.instagram.com/anaborgesimagedesigner/ Flavia Pascoal: Bacharel em Direito, Pedagogia e doutoranda em Ciências da Educação https://www.instagram.com/pascoalflavia_jus/ Heloiza Elena: Psicóloga, especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental https://www.instagram.com/psiheloiza/ Luciane Guimarães: Terapeuta Familiar e de Relacionamento, fundadora do Instituto Lunar Terapias https://www.instagram.com/lunarterapias/ Manuel Cimelli: Especialista em Fisiognomonia facial e corporal com ênfase em Mian-Xiang, terapeuta de Medicina Tradicional Chinesa https://www.instagram.com/manuelcimelli/ Rute Vidal: Graduada em Visagismo, especialista em Fisiognomonia, Terapia Capilar e Estética & Cosméticos https://www.instagram.com/vidalrute/ Aos meus queridos alunos, colegas profissionais e seguidores que estão sempre firmes comigo apoiando os projetos e contribuindo direta e indiretamente.
  • 32. 28 Rafael Bronísio SOBRE O AUTOR Rafael Bronísio é psicanalista. Graduado em Teologia e em Pedagogia. Possui especialização em Pedagogia Empresarial e MBA em Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde Ocupacional (QSMS). Seu mestrado (2013) tem ênfase em Comu- nicação Não Verbal. Possui certificações de autores nacionais e internacionais em Fisiognomonia (ou Fisiognomia), Morfopsicologia e bases de Visagismo. Em 2017, foi intitulado pelo Miesperanza University como doutor honoris causa por disseminar a importância da psicanálise nos ambientes organizacionais. Clinicou em Macaé (RJ) até o ano de 2014 e se ocupa das atividades voltadas à segurança e saúde do traba- lhador por mais de 15 anos. Atualmente, é CEO do Instituto 3 Saberes Formação Pro- fissional, é docente de pós-graduação nas áreas das ciências humanas, instrutor de treinamentos empresariais e destacado palestrante de congressos e eventos corpora- tivos por todo o Brasil. É autor do livro DESAFIE-SE! e “Enigmas do Rosto”, che- gando à marca dos trinta mil leitores. Principais atividades do autor Cursos e seminários: Comunicação não verbal (linguagem corporal) Leitura Facial (Análise de rosto) Influência e persuasão Gestão inteligente do tempo Oratória de impacto Formação de instrutores Workshops e palestras: Temas específicos dos meus livros
  • 33. Leitura Facial em perguntas e respostas 29 Temas de Inteligência e Saúde Emocional A química do amor com bases científicas Aconselhamento e gestão emocional E muito mais... Publicações: Curso Análise de Rosto Curso Linguagem Corporal Proxêmica Curso avançado de Leitura Facial (Ver disponibilidade) Livro Enigmas do Rosto Livro Desafie-se Contatos e convites: Instagram: Rafael Bronisio Youtube: Rafael Bronisio E-mail: rafaelbronisio@gmail.com Site de produtos: 3saberes.com
  • 34. 30 Rafael Bronísio BÔNUS Videoaula – Aprenda a Conquistar Pessoas Este foi um dos meus primeiros cursos em vídeo. Na época eram fornecidos em DVDs. Foi muito elogiado pela abordagem leve sobre como melhorar com técnicas o nosso relacionamento interpessoal. Aula 1: Aula 2: Aula 3: Live-Aula – A Química do Amor Essas três lives em formato de aula foram inspiradas em questionamentos de alguns alunos sobre a “romantização” do amor. Aqui eu exponho o amor com uma visão mais científica e com os “pés no chão”. Aula 1: Aula 2: Aula 3:
  • 35. Leitura Facial em perguntas e respostas 31