PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes

11.440 visualizações

Publicada em

Publicada em: Estilo de vida, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.440
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
591
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
203
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PerturbaçõEs No EquíLibrio Dos Ecossistemas – As CatáStrofes

  1. 1. Escola Básica 2,3 ciclos D. Luís Mendonça Furtado Ciências Naturais Prof. Celeste Facote Trabalho realizado por: Paulo Ponte, nº22, 8ºB. Pedro Almeida, nº23, 8ºB. Rui Kellen, nº26, 8ºB. Barreiro, 12 de Janeiro de 2008.
  2. 2. <ul><li>A Terra é um planeta extremamente activo e por vezes essa actividade manifesta-se sobre a forma de fenómenos naturais com consequências prejudiciais ao bom e harmonioso funcionamento dos ecossistemas e das populações humanas. A estes fenómenos chamamos de catástrofes naturais. </li></ul><ul><li>O desenvolvimento científico-tecnológico do Homem tem permitido perceber melhor estas catástrofes: as suas causas, a sua detecção, como funcionam, as zonas do globo onde há mais probabilidade de se verificarem. </li></ul><ul><li>São muito importantes as atitudes de prevenção e de protecção durante uma catástrofe natural. A divulgação por parte dos Media também é muito eficaz. Mesmo assim, o rasto destas catástrofes é destrutivo e os seres vivos continuam a tentar travar a mais difícil das batalhas, a da sua sobrevivência. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Ocorre uma erupção, quando materiais vindos do interior da Terra são expelidos para o exterior. </li></ul><ul><li>Podem ser libertados materiais gasosos, sólidos (piroclastos) e líquidos (lavas). </li></ul><ul><li>Uma erupção pode originar: sismos e tsunamis; nuvens ardentes; lahares; alterações sensíveis no clima. </li></ul><ul><li>Podem ser tomadas medidas de prevenção, protecção e previsão para evitar grandes prejuízos das erupções vulcânicas. </li></ul><ul><li>Em Portugal Continental, o risco de erupções vulcânicas é mínimo, mas em Portugal Insular há um maior risco das mesmas. </li></ul><ul><li>Nos Açores, alguns destes planos de protecção e prevenção estão a ser desenvolvidos. </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Os sismos são vibrações rochosas resultantes das libertações bruscas e curtas de energia acumulada no interior da Terra. </li></ul><ul><li>Um sismo pode provocar tsunamis, avalanches ou derrocadas e alterar o curso dos rios. </li></ul><ul><li>Para prevenir podemos examinar os registos sísmicos anteriores para construir cartas de risco sísmico, para construir edifícios com protecção anti-sísmica, as populações devem fazer simulações de sismos para saber o que fazer em caso de sismo. </li></ul>
  5. 7. <ul><li>As tempestades são fenómenos naturais em que se manifesta uma grande e brusca actividade atmosférica e as consequências podem ser desastrosas ao nível das populações humanas e dos ecossistemas. </li></ul><ul><li>São apresentadas sob a forma de furacões ou de tornados. </li></ul><ul><li>Podem estar associadas a trovoada, a precipitação de chuva , neve e granizo e é claro a ventos muito fortes que destroem tudo à sua passagem nos ecossistemas e nas populações humanas. </li></ul><ul><li>Os Media são os grandes responsáveis pela divulgação das tempestades às populações humanas. As pessoas por vezes são obrigadas a evacuar, pois em pouco tempo muda a direcção, a intensidade e a velocidade duma tempestade. </li></ul><ul><li>Os animais têm instintos que pressentem as tempestades e assim conseguem fugir , no entanto , isto não é uma teoria certa e ninguém livra as plantas das tempestades . Os prejuízos são muito elevados. </li></ul>
  6. 9. <ul><li>As inundações são subidas do nível normal das águas que transcendem assim o seu curso, alargando-o e expandindo-o, submergindo as áreas circundantes e as margens. </li></ul><ul><li>As causas podem ser maremotos, tempestades e trombas de água, excesso de precipitação, falta de limpeza e o assoreamento dos leitos fluviais e as construções sem planeamento, construídas a ocupar parte do leito fluvial, o que constitui uma obstrução ao próprio leito. </li></ul><ul><li>A evacuação e o apoio militar são essenciais para resolver esta situação. </li></ul><ul><li>Para prevenir deve-se informar as populações sobre como detectar uma inundação por causas que estejam evidentes e que possam causar a inundação. Deve-se elaborar mapas de zonas em risco de serem inundadas e os construtores devem cumprir a lei que não permite a construção de infra-estruturas com pisos e andares de altura superior a uma eventual inundação. </li></ul>
  7. 11. <ul><li>Seca é uma situação em que o estado meteorológico é seco e quente o que pode ser prejudicial à agricultura, ao abastecimento rural/urbano de água e causar grandes problemas na saúde das pessoas. </li></ul><ul><li>As causas para esta situação prendem-se com a precipitação, assim como o elevado grau de calor presente no ar. </li></ul><ul><li>As secas têm consequências como a falta de água potável disponível para os seres vivos, a susceptibilidade para ocorrência de incêndios florestais, a diminuição de biodiversidade, o abandono dos meios rurais e a queda na produção agrícola e a desertificação. </li></ul><ul><li>A poupança da água nas regiões com susceptibilidade a secas e que têm reservas de água é essencial. Elaborar mapas de zonas susceptíveis a secas e em caso de seca prestar ajuda humanitária. </li></ul>
  8. 13. <ul><li>Um incêndio é um conjunto de fogos (matéria em estado plasma ) que se propaga e arde diversos materiais. </li></ul><ul><li>Os incêndios podem ser ateados por mão humana ou podem ser causados por tempo seco e quente ou ainda por falta de limpeza florestal. A permanência de resíduos combustíveis humanos nas florestas pode ser outra causa. </li></ul><ul><li>Os incêndios podem queimar as florestas provocando um grave desequilíbrio nos ecossistemas por morte dos seres autotróficos e por falta de purificação do ar. Podem ser letais para os seres vivos e queimar habitações humanas e outras infra-estruturas. Os incêndios contribuem para a infertilidade dos solos e para a poluição atmosférica. </li></ul><ul><li>Podemos prevenir os incêndios mantendo limpa a floresta e vigiando-a. Em caso de incêndio devemos ligar para o 112 para chamar os Bombeiros. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  9. 15. <ul><li>Este trabalho elucida duma maneira simples o que são as diversas catástrofes naturais , as suas causas, as suas consequências e a sua prevenção. </li></ul><ul><li>As catástrofes naturais podem ser destrutivas tanto para o Homem , como para os Ecossistemas e os restantes seres vivos. </li></ul><ul><li>Podemos prevenir estas catástrofes, mas não podemos evitá-las, pois a sua origem é natural e temos de aprender a viver com elas. </li></ul>
  10. 16. <ul><li>Imagens retiradas de : </li></ul><ul><li>http://images.encarta.msn.com/xrefmedia/sharemed/targets/images/pho/t014/T014502A.jpg </li></ul><ul><li>http://masseynews.massey.ac.nz/2007/Massey_News/issue-03/images/Ruapehu-lahar-Neall.jpg </li></ul><ul><li>http://ciencias3c.cvg.com.pt/images/osvulc17.jpg </li></ul><ul><li>http://geosun.sjsu.edu/~sedlock/112/images/abe05.jpg </li></ul><ul><li>http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/9c/SismoTurquia03.jpg/250px-SismoTurquia03.jpg </li></ul><ul><li>http://www.prof2000.pt/users/esf_cnat/sismo1.gif </li></ul><ul><li>http://atuleirus.weblog.com.pt/arquivo/New%20Orleans%20-%20katrina.JPG </li></ul><ul><li>http://meuslivros.weblog.com.pt/arquivo/katrina-furac%E3o.jpg </li></ul><ul><li>http://criptopage.caixapreta.org/secao/tornados/imagens/Tornad3.jpg </li></ul><ul><li>http://213.58.135.100/images_sid/articles/194491/katrina+inundacao.jpg </li></ul><ul><li>http://www.porto.taf.net/dp/files/20061125-douro.jpg </li></ul><ul><li>http://gadjuh.files.wordpress.com/2007/04/seca.jpg </li></ul><ul><li>http://anaeluciana.files.wordpress.com/2007/07/bombeiro.jpg </li></ul><ul><li>http://sorrisosebocas.blogs.sapo.pt/arquivo/incendio2.jpg </li></ul><ul><li>http://multimedia.iol.pt/tvi/oratvi/multimedia/imagem/id/1997292/360 </li></ul>
  11. 17. <ul><li>Informação retirada de: </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Sismos </li></ul><ul><li>Farndon, John, “tempestades”, in “Dicionário escolar da Terra”, Ed. Civilização, Porto, Abril de 2004, pp. 152-153. </li></ul><ul><li>Beaumont, Émilie, “Uma Natureza transtornada”, “Uma classificação que mete medo!”, “Zonas de alto risco”, “Lutar contra a queda de detritos vulcânicos”, “Combater as escoadas de lava”, “Fugir à cólera dos Vulcões”, in “Os Vulcões”, Ed. Fleurus, 2004, pp. 34-35, pp. 58-67. </li></ul><ul><li>Motta, Lucinda, dos Anjos Viana, Maria, “O que são catástrofes naturais?”, “Sismos e Vulcões-que medidas de prevenção e protecção?”, “O que são Tempestades?”, “Quais as causas e consequências das inundações?”, “Quais as causas e consequências das secas?”, in “Perturbações no equilíbrio dos Ecossistemas”, in “Bioterra 8”, Porto Editora, Porto, 2007, pp. 82-90. </li></ul>

×