UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE    CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ         DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA      ...
PRODETUR/NE.    •      Com a perda do nordeste em relação a    industrialização, no início do século XX. E a    seca e bai...
PRODETUR/NE – I                  Objetivo     Reforçar a capacidade da Região Nordesteem manter e expandir sua crescente i...
Público – Alvo. Administração  pública de  Estados e  Municípios  localizados nos  nove  estados da  região  Nordeste.
COMPONENTES:          Desenvolvimento Institucional        Desenhado para ampliar a capacidade das entidades       benefic...
Obras múltiplas de infra-estrutura básica eserviços públicos    Neste componente podem ser apoiados cinco    setores:   ....
MELHORAMENTO DE AEROPORTOS    No componente de melhoramento de aeroportos podem ser    apoiados os seguintes tipos de inte...
Relatório Final do PRODETUR/NE IO Relatório contém dados sobre os ResultadosAlcançados (Produtos gerados e Impactos), aIde...
RESULTADOS ALCANÇADOS   (Produtos chaves obtidos pelo Programa)1- Reforma e/ou ampliação de oito aeroportos, com seis    d...
3. Implantação de Sistemas de Abastecimento de Água e    de Esgotamento Sanitário em diferentes estados da    região, send...
4. Realização de importantes projetos de      Proteção e Recuperação Ambiental, dos      quais se destacam:.   A) Diferent...
5. A Construção de importantes ligações rodoviárias como:. A) diferentes trechos rodoviários da Rodovia CE-085 (Estruturan...
6. Realização de ações integradas em Áreas Turísticas    específicas:.   A) o bairro de Ponta Negra e a Via Costeira em Na...
7. Fortalecimento institucional de diferentes órgãos    estaduais e municipais:.   A) quanto à sua estruturação interna, c...
8. Elaboração de Planos, Estudos e Projetos   relacionados:. A) à preparação para o PRODETUR/NE I (72%   dos investimentos...
EFEITOS E IMPACTOS  Dentre os efeitos intermediários e impactos do  Programa, destacam-se os seguintes:. Aumento do Invest...
AUMENTO DO MOVIMENTO DE      PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS   Passageiros desembarcados em vôos internacionais    para a regi...
AUMENTO DO FLUXO TURÍTICO FONTE: EFEITOS GLOBAIS DO PRODETUR/NE I – Enfoque Turístico, João Agostinho Teles, 2005 – Anexo ...
AUMENTO DAS RECEITAS TURÍSTICAS E DO IMPACTO DO TURISMO NO PIB REGIONAL
IMPACTOS AMBIENTAIS        Problemas e impactos ocorreram com maior    freqüência nas obras de rodovias, e estão    associ...
Alguns dos principais efeitos e impactos    futuros do PRODETUR/NE-I que podem ser    esperados são:    . Redução de doenç...
Qualificação da efetividade do projeto em termos deseu objetivo de desenvolvimento (OD). Qualifica-se a efetividade do pro...
1- Fatores que afetaram a execução do projeto.                    ANALISE DA IMPLEMENTAÇÃO    1.1- Período 1994-1996- Estr...
   2- Fatores negativos para obter os produtos.   . Reduzida capacidade de endividamento e de aporte da    contrapartida...
   4- OS PDITS (Plano de Desenvolvimento    Integrado de Turismo Sustentável).   . Orientar as autoridades governamentai...
PROPOSTAS APROVADAS - Dados: Ministério do Turismo          Propostas Aprovadas       Área(s) Turística(s) Prioritária(s) ...
Alguns dos profissionais do turismo
O que acontece com a falta de planejamento.
Turismo Sustentável              O ecoturismo, também              chamado de turismo              ambiental, turismo     ...
Desempenho do Banco Lições aprendidas para a organização e funcionamento da UEP(medidas adotadas).          Qualificação ...
Outras Lições Aprendidas e RecomendaçõesMunicípios;Fragilidade nas administrações;Dificuldades enfrentadas pelos execut...
Mirantes no Nordeste                                Baia dos Porcos                              http://www.cprm.gov.br/ge...
Localização dos geossítios.http://www.outrosares.net/2011/09/viagem-pelo-nordeste-o-que-fazer-em.html?m=1
MIRANTES USADOS PARA TURISMO NO       RIO GRANDE DO NORTE.                                       Martins - RNhttp://mirant...
Principais pontos para o turismo em Martins.    http://mirantedocanto.blogspot.com.br/2010/04/vista-do-mirante-do-canto-  ...
Áreas com atuação do PRODETUR no Seridó.      http://jefersonfilho.zip.net/arch2008-08-10_2008-08-16.html
TURISMO RELIGIOSO NOS POLOS DO SERIDÓ                   FESTA DE SANT’ANA EM CAICÓ.http://www.gilmarcardoso.com/tag/ilha-d...
BELEZAS NATURAIS UZADAS PARA TURISMO.              Acari                               Currais Novoshttp://www.romeudantas...
Sítios Arqueológicos do Seridó, pintura rupestre.         Sítio Mirador de Parelhas, o belo sítio que além de ter um      ...
OBRIGADO!
REFERÊNCIAS.   . Project Completion Report – PCR ( EMPRÉSTIMO 841/OC-BR ) PRODETUR/NE I   Disponível em:   .http://www....
Prodetur
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Prodetur

1.017 visualizações

Publicada em

trabalho da turma de Geografia Bacharelado da UFRN 2012.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.017
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prodetur

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA CURSO DE GEOGRAFIA BACHARELADO DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO PROF. GLEYDSON PINHEIRO ALBANOPROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO NO NORDESTE - PRODETUR/NE ADRIANA LINHARES GEANE SABINO JANAÍNA VALE JANE PEREIRA MARIA SIRLEI TANIA AUGUSTA TALITA ANACHARA
  2. 2. PRODETUR/NE. • Com a perda do nordeste em relação a industrialização, no início do século XX. E a seca e baixo índice social em relação a média nacional. O Governo Federal com o Governo Estadual, juntamente com o (BID) financiador e (BNB) órgão executor, procuraram solucionar tais problemas geraram o PRODETUR. • O PRODETUR – I já está concluído, estando em execução o PRODETUR – II.
  3. 3. PRODETUR/NE – I Objetivo Reforçar a capacidade da Região Nordesteem manter e expandir sua crescente indústriaturística contribuindo assim para odesenvolvimento sócio-econômico regionalatravés de investimentos em infra-estruturabásica e serviços públicos em áreas atualmentede expansão turística.
  4. 4. Público – Alvo. Administração pública de Estados e Municípios localizados nos nove estados da região Nordeste.
  5. 5. COMPONENTES: Desenvolvimento Institucional Desenhado para ampliar a capacidade das entidades beneficiárias de executar suas respectivas funções. Os investimentos são voltados para: . Reestruturação Organizacional; . Desenvolvimento e implementação de sistemas de apoio administrativo, financeiro e instrumentos operacionais; . Fortalecimento da capacidade fiscal e regulatória (particularmente das administrações municipais); . Treinamento de pessoal.
  6. 6. Obras múltiplas de infra-estrutura básica eserviços públicos Neste componente podem ser apoiados cinco setores: . Saneamento; . Administração de resíduos sólidos; . Proteção e recuperação ambiental; . Transporte; . Recuperação de patrimônio histórico.
  7. 7. MELHORAMENTO DE AEROPORTOS No componente de melhoramento de aeroportos podem ser apoiados os seguintes tipos de intervenções: . Ampliação e melhoramento das pistas e pátios de aeronaves; . Ampliação e/ou reforma de edifícios de apoio administrativo e de Terminais de embarque e desembarque e de carga; . Construção e melhoramento das vias de acesso e de estacionamento de veículos; . Obras associadas de drenagem, paisagismo, segurança, sinalização e iluminação.
  8. 8. Relatório Final do PRODETUR/NE IO Relatório contém dados sobre os ResultadosAlcançados (Produtos gerados e Impactos), aIdentificação de Lições Aprendidas einformações quanto à Sustentabilidade das açõesrealizadas, visando-se com isso garantir acontinuidade dos benefícios alcançados com osinvestimentos do PRODETUR/NE I.
  9. 9. RESULTADOS ALCANÇADOS (Produtos chaves obtidos pelo Programa)1- Reforma e/ou ampliação de oito aeroportos, com seis deles localizados, ou servindo, a capitais dos estados do MA, CE, RN, PE, SE e BA.2- Recuperação de Patrimônio Histórico de sítios históricos nas capitais São Luis - MA, João Pessoa - PB, Recife - PE, Maceió - AL, Aracajú - SE e Salvador -BA, além de ações em outros sítios históricos relevantes, localizados em Alcântara - MA, Oeiras -PI, São Cristóvão - SE e Porto Seguro/ Trancoso - BA.
  10. 10. 3. Implantação de Sistemas de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário em diferentes estados da região, sendo os mais significativos:. A) Sistemas de Água e Esgoto em seis municípios do litoral oeste do Ceará;. B) Sistema de Abastecimento de Água na cidade de Parnaíba-PI (contrapartida local);. C) Sistemas de Esgotamento Sanitário de diferentes bairros das capitais São Luis - MA, Natal - RN (Ponta Negra), João Pessoa-PB, Maceió-AL (Reginaldo Salgadinho – contrapartida local) e Aracajú - SE (Atalaia Velha);. D) Sistemas de Água e Esgoto dos municípios da região da Costa do Descobrimento na Bahia (Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália e Belmonte).
  11. 11. 4. Realização de importantes projetos de Proteção e Recuperação Ambiental, dos quais se destacam:. A) Diferentes ações em seis municípios do litoral oeste do Ceará envolvendo: a demarcação de área de preservação permanente, construção de pólos de lazer e realização de campanhas de educação ambiental associados ao entorno de nove lagoas da região; a fixação de dunas para proteção de área urbana na sede municipal de Paracuru; e intervenções de proteção da orla contra erosão marinha nas localidades do Pecém e Mundaú;. B) A elaboração do Plano de Manejo e ações de estruturação do Parque das Dunas, em Natal-RN;. C) A criação de cinco unidades de conservação do tipo APA e de um parque estadual no estado da Bahia.
  12. 12. 5. A Construção de importantes ligações rodoviárias como:. A) diferentes trechos rodoviários da Rodovia CE-085 (Estruturante) no Ceará, melhorando a ligação da capital Fortaleza com a costa oeste do estado; B) a RN-063, além de outros trechos rodoviários no Rio Grande do Norte, facilitando o acesso ao litoral sul do estado;. C) a pavimentação de trechos da rodovia SE-100, facilitando o acesso ao litoral sul do estado de Sergipe;. D) a rodovia BA-001 Ilhéus-Itacaré, ligando Ilhéus (uma capital regional do estado da Bahia) a Itacaré (um importante destino turístico ora em fase de expansão);. E) Trechos rodoviários ligando os municípios e distritos da região da Costa do Descobrimento, litoral sul da Bahia.
  13. 13. 6. Realização de ações integradas em Áreas Turísticas específicas:. A) o bairro de Ponta Negra e a Via Costeira em Natal-RN;. B) o Complexo Turístico Cabo Branco em João Pessoa-PB;. C) o Centro Turístico de Guadalupe, no litoral sul de Pernambuco;. D) a região da Costa do Descobrimento, no litoral sul da Bahia. Tais ações envolveram pelo menos três dos seguintes tipos de investimentos: Planejamento, Desenvolvimento Institucional, Saneamento, Estradas e Vias de Acesso, Proteção Ambiental e/ou Recuperação de Patrimônio Histórico.
  14. 14. 7. Fortalecimento institucional de diferentes órgãos estaduais e municipais:. A) quanto à sua estruturação interna, com destaque para os projetos de fortalecimento do Instituto de Meio Ambiente de Alagoas (IMA), da Companhia Pernambucana de Recursos Hídricos (CPRH) e da Secretaria de Cultura e Turismo da Bahia (SCT);. B) quanto à sua atuação específica, destacando os projetos Plano de Marketing Turístico do Estado do Ceará, Promoção e Marketing Turístico do Estado do Maranhão, Promoção e Divulgação Turística da Paraíba, Unidade Móvel de Informações Turísticas da EMPETUR- PE,. C) quanto à elaboração de instrumentos importantes para a atuação de diferentes órgãos estaduais e municipais, tais como o Plano Diretor do Turismo Arqueológico do Estado do Piauí, o Plano Maior de Marketing do Maranhão, os Planos Diretores e Legislação Urbanística de municípios do litoral dos estados do CE, RN, PB e PE e o Cadastro Técnico Urbano do município de Maceió.
  15. 15. 8. Elaboração de Planos, Estudos e Projetos relacionados:. A) à preparação para o PRODETUR/NE I (72% dos investimentos no componente); B) ao planejamento regional – ex: Plano Diretor do Litoral do Piauí;. C) à preparação de projetos para o PRODETUR/NE II – ex: Projeto para Recuperação e Revitalização dos Fortes-BA e Elaboração de Estudos e Projetos de Rodovias- CE.
  16. 16. EFEITOS E IMPACTOS Dentre os efeitos intermediários e impactos do Programa, destacam-se os seguintes:. Aumento do Investimento Privado – Novos empreendimentos turísticos nacionais e estrangeiros foram atraídos pela melhoria de infra – estrutura, principalmente de acesso, realizada pelo Programa na Região Nordeste.
  17. 17. AUMENTO DO MOVIMENTO DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS Passageiros desembarcados em vôos internacionais para a região nordeste nos anos de 1994 a 2004 Fonte: INFRAERO, 2005
  18. 18. AUMENTO DO FLUXO TURÍTICO FONTE: EFEITOS GLOBAIS DO PRODETUR/NE I – Enfoque Turístico, João Agostinho Teles, 2005 – Anexo 3-K.
  19. 19. AUMENTO DAS RECEITAS TURÍSTICAS E DO IMPACTO DO TURISMO NO PIB REGIONAL
  20. 20. IMPACTOS AMBIENTAIS Problemas e impactos ocorreram com maior freqüência nas obras de rodovias, e estão associados aos seguintes fatores:. Insuficiente análise dos impactos indiretos;. Detalhamento insuficiente de projetos;. Falta de cumprimento das medidas mitigadoras;. Falta de consulta e transparência nas decisões sobre projetos específicos;. Ocupação desordenada da faixa costeira;. Deficiências na implementação de unidades de conservação.
  21. 21. Alguns dos principais efeitos e impactos futuros do PRODETUR/NE-I que podem ser esperados são: . Redução de doenças de veiculação hídrica com o aumento das ligações intra-domiciliares às redes de esgoto; . Redução da poluição das praias; . Aumento do Fluxo Turístico; . Aumento do Investimento Privado; . Desenvolvimento de novos produtos turísticos; . Aumento da especulação imobiliária; . Aumento da pressão antrópica nas áreas turísticas; . Desenho e implantação da segunda fase do PRODETUR/NE, com o objetivo de completar e complementar as ações da primeira fase do Programa; e etc.
  22. 22. Qualificação da efetividade do projeto em termos deseu objetivo de desenvolvimento (OD). Qualifica-se a efetividade do projeto em termos de seu objetivo de desenvolvimento, como EFETIVO(E). Em critério o projeto alcançou a maioria dos efeitos esperados, é provável que mantenha o fluxo de benefícios iniciados pelo projeto na população-objetivo, tem uma probabilidade alta de alcançar efeitos e impactos futuros.
  23. 23. 1- Fatores que afetaram a execução do projeto. ANALISE DA IMPLEMENTAÇÃO 1.1- Período 1994-1996- Estruturação das instituições envolvidas e início do processo de subcontratação com os Estados.. Deficiências na elaboração e implementação das Estratégias Turísticas dos Estados.. Reduzida capacidade de investimentos dos estados submutuários para o aporte de contrapartida. 1.2- Período 1997-2001- consolidação do processo de subcontratação e avanço na execução de grandes obras.. Aporte de recursos por parte da União (EMBRATUR/INFRAERO) para as obras de aeroportos, alavancando a contrapartida local.. Incorporação do PRODETUR I no rol dos projetos prioritários do Governo Federal, possibilitando um melhor acompanhamento da sua execução. 1.3- Período 2002 até 2004- Contratações residuais e encerramento do programa.. Períodos eleitorais ensejaram paradas na implementação do Programa.. Conflitos entre Estados e empresários, gerando paralisação de obras e retardamento nos respectivos cronogramas de execução.
  24. 24.  2- Fatores negativos para obter os produtos. . Reduzida capacidade de endividamento e de aporte da contrapartida local. . Deficiências dos instrumentos de planejamento e na execução. 3- Fatores positivos para obter os produtos. . Esforço conjunto do Governo federal, dos estados, dos municípios e dos agentes financeiros para solucionar o problema da insuficiência de contrapartida. . Negociações e articulação entre as três esferas de governo objetivando a elevação do PRODETUR à categoria de programa prioritário do Governo Federal.
  25. 25.  4- OS PDITS (Plano de Desenvolvimento Integrado de Turismo Sustentável). . Orientar as autoridades governamentais quanto aos ajustes no marco legal e institucional necessários para facilitar o pleno desenvolvimento do turismo nas áreas prioritárias e quanto aos investimentos que devem ser efetivados; . Oferecer informações específicas para promover investimentos da iniciativa privada em empreendimentos e produtos turísticos que aproveitem os atrativos dessas áreas; . Conscientizar as comunidades locais sobre o papel do turismo como indutor do desenvolvimento econômico e gerador de novas oportunidades de trabalho e emprego e melhoria da qualidade de vida.
  26. 26. PROPOSTAS APROVADAS - Dados: Ministério do Turismo Propostas Aprovadas Área(s) Turística(s) Prioritária(s) Litoral Leste, Maciço de Baturité Ceará e Ibiapaba. Rio de Janeiro - Estado Pólo Litoral e Pólo Serra Costa dos Arrecifes; Agreste; Pernambuco Vale do São Francisco Santa Catarina Litoral Catarinense. Costa das Dunas, Costa Branca e Rio Grande do Norte Seridó. Espírito Santo Região Metropolitana de Vitória Pólo Ouro, Negócios, Araguaia, Goiás Águas Quentes e Chapada dos Veadeiros. Mato Grosso do Sul Serra da Bodoquena Pará Belém, Pólo Tapajós e Marajó. Paraíba Pólos Litoral, Brejo e Agreste Pólo Costa do Delta e Pólo das Piauí Origens. Pólo Costa dos Coqueirais Sergipe e Velho Chico Goiânia Goiânia Fortaleza Fortaleza Curitiba Região Metropolitana e Paraná Campos Gerais; Foz do Iguaçu e Litoral Manaus Manaus
  27. 27. Alguns dos profissionais do turismo
  28. 28. O que acontece com a falta de planejamento.
  29. 29. Turismo Sustentável O ecoturismo, também chamado de turismo ambiental, turismo sustentável, turismo verde, é uma atividade realizada de forma responsável, que cumpre os princípios elementares de desenvolvimento sustentável. Ele é uma vertente do turismo voltada para a apreciação de elementos da natureza, realizado de forma consciente e ecologicamente correta.
  30. 30. Desempenho do Banco Lições aprendidas para a organização e funcionamento da UEP(medidas adotadas). Qualificação do Desempenho do Banco. Satisfatório
  31. 31. Outras Lições Aprendidas e RecomendaçõesMunicípios;Fragilidade nas administrações;Dificuldades enfrentadas pelos executores do PRODETUR/NE.
  32. 32. Mirantes no Nordeste Baia dos Porcos http://www.cprm.gov.br/geoecoturismo/geoparques/noronha/index.php?GEOPARQUE=92 Mirante dos golfinhos Serra de Martins http://www.outrosares.net/2011/09/viagem-pelo-nordeste-o-que- http://potyline.blogspot.com.br/2011/07/teleferico-na-serra-de-fazer-em.html?m=1 martins-no-oeste.html
  33. 33. Localização dos geossítios.http://www.outrosares.net/2011/09/viagem-pelo-nordeste-o-que-fazer-em.html?m=1
  34. 34. MIRANTES USADOS PARA TURISMO NO RIO GRANDE DO NORTE. Martins - RNhttp://mirantedocanto.blogspot.com.br/2010/04/vist http://sentinelasdoapodi.blogspot.com.br/2010_10_17_aa-do-mirante-do-canto-martins-rn.html rchive.html
  35. 35. Principais pontos para o turismo em Martins. http://mirantedocanto.blogspot.com.br/2010/04/vista-do-mirante-do-canto- martins-rn.html
  36. 36. Áreas com atuação do PRODETUR no Seridó. http://jefersonfilho.zip.net/arch2008-08-10_2008-08-16.html
  37. 37. TURISMO RELIGIOSO NOS POLOS DO SERIDÓ FESTA DE SANT’ANA EM CAICÓ.http://www.gilmarcardoso.com/tag/ilha-de-santana/ http://andersonkurticao.blogspot.com.br/2012/07/pro gramacao-completa-da-festa-de.html
  38. 38. BELEZAS NATURAIS UZADAS PARA TURISMO. Acari Currais Novoshttp://www.romeudantas.com/2009_02_08_ http://apnrn.blogspot.com.br/2011_05_01_archivarchive.html e.html
  39. 39. Sítios Arqueológicos do Seridó, pintura rupestre. Sítio Mirador de Parelhas, o belo sítio que além de ter um dos maiores painéis com pinturas rupestres, também é um sítio usado como cemitério, onde na década de 80 fora encontrado fóssil humano.http://livrevozdopovo.blogspot.com.br/2012/07/do- http://livrevozdopovo.blogspot.com.br/2012/07/do-mar-ao-sertao-do-serido-conheca.html mar-ao-sertao-do-serido-conheca.html
  40. 40. OBRIGADO!
  41. 41. REFERÊNCIAS. . Project Completion Report – PCR ( EMPRÉSTIMO 841/OC-BR ) PRODETUR/NE I Disponível em: .http://www.turismo.al.gov.br/institucional/prodetur-pdits Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://www.turismo.gov.br/turismo/programas_acoes/regionalizacao_turismo/prodetur.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://www.cprm.gov.br/geoecoturismo/geoparques/noronha/index.php?GEOPARQUE=92 Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://www.outrosares.net/2011/09/viagem-pelo-nordeste-o-que-fazer-em.html?m=1 Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://potyline.blogspot.com.br/2011/07/teleferico-na-serra-de-martins-no-oeste.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://www.outrosares.net/2011/09/viagem-pelo-nordeste-o-que-fazer-em.html?m=1 Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://mirantedocanto.blogspot.com.br/2010/04/vista-do-mirante-do-canto-martins-rn.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://sentinelasdoapodi.blogspot.com.br/2010_10_17_archive.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://mirantedocanto.blogspot.com.br/2010/04/vista-do-mirante-do-canto-martins-rn.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://blog.collecione.com.br/2010_12_02_archive.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://andersonkurticao.blogspot.com.br/2012/07/programacao-completa-da-festa-de.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://www.romeudantas.com/2009_02_08_archive.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://apnrn.blogspot.com.br/2011_05_01_archive.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://livrevozdopovo.blogspot.com.br/2012/07/do-mar-ao-sertao-do-serido-conheca.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://livrevozdopovo.blogspot.com.br/2012/07/do-mar-ao-sertao-do-serido-conheca.html Acesso em: 20 de outubro de 2012. .http://jefersonfilho.zip.net/arch2008-08-10_2008-08-16.html Acesso em: 20 de outubro de 2012.

×