SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho realizado por:
Joaquim Antonio
Alexandre Vilão
10A
1907 O Henry Joseph Round descobre que materiais inorgânicos podem acender quando uma corrente
elétrica é aplicada.
1921 – 1942 O físico russo, Oleg Lossew, observa novamente o "efeito circular" da emissão de luz.
1935 O físico francês, Georges Destriau, descobre a emissão de luz no sulfureto de zinco.
1951 O desenvolvimento de um transístor marca uma etapa científica na física de semicondutores. Agora é
possível explicar a emissão de luz.
1962 O primeiro LED na área do comprimento de onda visível marca o nascimento do LED produzido
industrialmente.
1971 Como resultado do desenvolvimento de novos materiais de semicondutores, os LEDs são produzidos
em novas cores: verde, laranja e amarelo. O desempenho e a eficiência do LED continuam a melhorar.
1993 – 1995 São desenvolvidos novos LED como azul, verde, branco, pelo japonês Shuji Nakamura, mais tarde
o LED com luz branca da conversão de luminescência .
2006 Os primeiros díodos emissores de luz com 100lm/W são produzidos.
2010 Os LED de uma determinada cor com eficiência luminosa gigantesca de 250lm/W já estão a ser
desenvolvidos em condições laboratoriais. O progresso continua. Hoje, um maior desenvolvimento em direção ao
OLED é visto como a tecnologia do futuro.
Características das lâmpadas de
LED
Rendimento
luminoso
De 60lm/W a
100lm/W
Temperatura de
cor
De 3000ºK a
6000ºK
Indices de
restituição
cromática
Superior a 75(Ra)
Duração de Vida
media
De 30000h a
60000h
Tempo de
arranque
Instantâneo
Luminosidade -
Equipamento
auxiliar
Fonte de
alimentação DC
Posição de
funcionamento
Qualquer
Comprimento de Onda/Banda do Espectro Materiais Semi – Condutores
Ultravioleta (λ<400)
Diamante
Nitreto de boro
Nitreto de alumínio
Nitreto de alumínio, gálio e índio
Violeta (400<λ<450) Nitreto de gálio e índio
Azul (450 <λ<500) Seleneto de zinco
Verde (500 <λ<570)
Fosforeto de gálio
Fosforeto de alumínio, gálio e índio
Fosforeto de alumínio e gálio
Nitreto de gálio e índio /Nitreto de gálio(III)
Amarelo (570 <λ<590)
Fosforeto de alumínio, gálio e índio
Fosforeto de gálio(III)
Cor-de-Laranja (590 <λ<610)
Fosforeto de gálio(III)
Arsenieto de alumínio e gálio
Vermelho (610< λ<760)
Fosforeto de alumínio, gálio e índio
Fosforeto de gálio (III)
Infra-Vermelho (λ>760)
Arsenieto de gálio
Arsenieto de alumínio e gálio
•Ao contrário das lâmpadas incandescentes, que se
partem com facilidade, as LED, baseadas em
semicondutores, são resistentes ao choque.
Robustez
•Quase toda a energia fornecida às lâmpadas LED é
gasta na iluminação, pelo que não há, praticamente,
libertação de calor.
Temperatura
•As LED oferecem várias colorações, o que permite
inúmeras possibilidades de iluminação, sobretudo em
espaços de festa.
Cor
•Uma boa lâmpada LED pode durar de 35 mil a 50 mil
horas, ou oito a dez anos, enquanto as incandescentes
subsistem durante um ano, em média.
Tempo de
vida
Preço
•Uma lâmpada de LED é
cara a sua produção devido
a extração mineira e o uso
de semicondutores. Há,
uma grande variedade na
oferta, podendo os preços
variar entre 2€ - 3€ ou até
aos 20€ ou mais.
Fiabilidade
•Uma tecnologia que ainda
está a amadurecer as LED
só chegaram ao mercado
de grande consumo em
2009/10, podem
encontrar-se grandes
diferenças na qualidade
dos dispositivos.
Qualidade de Luz
•Em termos de conforto
para a visão, ainda é difícil
competir com as lâmpadas
incandescentes.
Projeção da luz
•Em geral, uma lâmpada
LED é muito direcionada. O
spot, medido em graus, é o
parâmetro que lhe dá
indicação sobre a abertura
do feixe de luz. Quanto
mais amplo for o spot,
maior é a dispersão da luz.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Panduan membaca resistor simple
Panduan membaca resistor simplePanduan membaca resistor simple
Panduan membaca resistor simple
Mochammad S
 
Artigo sobre smt
Artigo sobre smtArtigo sobre smt
Artigo sobre smt
Jessica Karoline
 
Nk tdma
Nk tdmaNk tdma
Cordeiro
CordeiroCordeiro
Resistores - Leis de Ohm
Resistores - Leis de OhmResistores - Leis de Ohm
Resistores - Leis de Ohm
Ubirajara Neves
 
Carnes
CarnesCarnes
Coelho
CoelhoCoelho
Smd
SmdSmd
Componentes Electronicos
Componentes ElectronicosComponentes Electronicos
Componentes Electronicos
luis miguel
 
Capacitores
CapacitoresCapacitores
Capacitores
aecp1983
 
Morfología en SMD
Morfología en SMDMorfología en SMD
Morfología en SMD
José Leonis
 
Electrónica
ElectrónicaElectrónica
Electrónica
julioserranoserrano
 
reutilización de COMPONENTES ELECTRONICOS
reutilización de COMPONENTES ELECTRONICOSreutilización de COMPONENTES ELECTRONICOS
reutilización de COMPONENTES ELECTRONICOS
Ángel Leonardo Torres
 
Elementos pasivos
Elementos pasivosElementos pasivos
Elementos pasivos
Lejasita Sierra
 
Livro de receitas
Livro de receitasLivro de receitas
Livro de receitas
Flor Silva
 
Diodo
DiodoDiodo
Tabela com conversão de códigos de diodos tipo zener
Tabela com conversão de códigos de diodos tipo zenerTabela com conversão de códigos de diodos tipo zener
Tabela com conversão de códigos de diodos tipo zener
Gravatá Eletrônica
 
Custo pratos
Custo pratosCusto pratos
Custo pratos
Paula Mello
 
Transistor
TransistorTransistor
Apostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domesticaApostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domestica
roaugustus2010
 

Destaque (20)

Panduan membaca resistor simple
Panduan membaca resistor simplePanduan membaca resistor simple
Panduan membaca resistor simple
 
Artigo sobre smt
Artigo sobre smtArtigo sobre smt
Artigo sobre smt
 
Nk tdma
Nk tdmaNk tdma
Nk tdma
 
Cordeiro
CordeiroCordeiro
Cordeiro
 
Resistores - Leis de Ohm
Resistores - Leis de OhmResistores - Leis de Ohm
Resistores - Leis de Ohm
 
Carnes
CarnesCarnes
Carnes
 
Coelho
CoelhoCoelho
Coelho
 
Smd
SmdSmd
Smd
 
Componentes Electronicos
Componentes ElectronicosComponentes Electronicos
Componentes Electronicos
 
Capacitores
CapacitoresCapacitores
Capacitores
 
Morfología en SMD
Morfología en SMDMorfología en SMD
Morfología en SMD
 
Electrónica
ElectrónicaElectrónica
Electrónica
 
reutilización de COMPONENTES ELECTRONICOS
reutilización de COMPONENTES ELECTRONICOSreutilización de COMPONENTES ELECTRONICOS
reutilización de COMPONENTES ELECTRONICOS
 
Elementos pasivos
Elementos pasivosElementos pasivos
Elementos pasivos
 
Livro de receitas
Livro de receitasLivro de receitas
Livro de receitas
 
Diodo
DiodoDiodo
Diodo
 
Tabela com conversão de códigos de diodos tipo zener
Tabela com conversão de códigos de diodos tipo zenerTabela com conversão de códigos de diodos tipo zener
Tabela com conversão de códigos de diodos tipo zener
 
Custo pratos
Custo pratosCusto pratos
Custo pratos
 
Transistor
TransistorTransistor
Transistor
 
Apostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domesticaApostila refrigeracao domestica
Apostila refrigeracao domestica
 

Mais de Alexandre Vilão

Chris froome
Chris froomeChris froome
Chris froome
Alexandre Vilão
 
Droga
DrogaDroga
António de oliveira salazar
António de oliveira salazarAntónio de oliveira salazar
António de oliveira salazar
Alexandre Vilão
 
Lunas en uruguay
Lunas en uruguayLunas en uruguay
Lunas en uruguay
Alexandre Vilão
 
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron prontoLos luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Alexandre Vilão
 
Folheto de geografia
Folheto de geografiaFolheto de geografia
Folheto de geografia
Alexandre Vilão
 
Paul do boquilobo
Paul do boquiloboPaul do boquilobo
Paul do boquilobo
Alexandre Vilão
 
A evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicosA evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicos
Alexandre Vilão
 
Trabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A ondaTrabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A onda
Alexandre Vilão
 
8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio
Alexandre Vilão
 
o ulisses
o ulisseso ulisses
o ulisses
Alexandre Vilão
 
O tabagismo
O tabagismoO tabagismo
O tabagismo
Alexandre Vilão
 
O palácio de queluz
O palácio de queluzO palácio de queluz
O palácio de queluz
Alexandre Vilão
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
Alexandre Vilão
 
Resistência1 (4)
Resistência1 (4)Resistência1 (4)
Resistência1 (4)
Alexandre Vilão
 

Mais de Alexandre Vilão (15)

Chris froome
Chris froomeChris froome
Chris froome
 
Droga
DrogaDroga
Droga
 
António de oliveira salazar
António de oliveira salazarAntónio de oliveira salazar
António de oliveira salazar
 
Lunas en uruguay
Lunas en uruguayLunas en uruguay
Lunas en uruguay
 
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron prontoLos luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
Los luneros regresaron a la reserva y se acostaron pronto
 
Folheto de geografia
Folheto de geografiaFolheto de geografia
Folheto de geografia
 
Paul do boquilobo
Paul do boquiloboPaul do boquilobo
Paul do boquilobo
 
A evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicosA evolução dos modelos atómicos
A evolução dos modelos atómicos
 
Trabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A ondaTrabalho de filosofia: Filme A onda
Trabalho de filosofia: Filme A onda
 
8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio8 b alex bia vasco e sergio
8 b alex bia vasco e sergio
 
o ulisses
o ulisseso ulisses
o ulisses
 
O tabagismo
O tabagismoO tabagismo
O tabagismo
 
O palácio de queluz
O palácio de queluzO palácio de queluz
O palácio de queluz
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
 
Resistência1 (4)
Resistência1 (4)Resistência1 (4)
Resistência1 (4)
 

Led

  • 1. Trabalho realizado por: Joaquim Antonio Alexandre Vilão 10A
  • 2. 1907 O Henry Joseph Round descobre que materiais inorgânicos podem acender quando uma corrente elétrica é aplicada. 1921 – 1942 O físico russo, Oleg Lossew, observa novamente o "efeito circular" da emissão de luz. 1935 O físico francês, Georges Destriau, descobre a emissão de luz no sulfureto de zinco. 1951 O desenvolvimento de um transístor marca uma etapa científica na física de semicondutores. Agora é possível explicar a emissão de luz. 1962 O primeiro LED na área do comprimento de onda visível marca o nascimento do LED produzido industrialmente. 1971 Como resultado do desenvolvimento de novos materiais de semicondutores, os LEDs são produzidos em novas cores: verde, laranja e amarelo. O desempenho e a eficiência do LED continuam a melhorar. 1993 – 1995 São desenvolvidos novos LED como azul, verde, branco, pelo japonês Shuji Nakamura, mais tarde o LED com luz branca da conversão de luminescência . 2006 Os primeiros díodos emissores de luz com 100lm/W são produzidos. 2010 Os LED de uma determinada cor com eficiência luminosa gigantesca de 250lm/W já estão a ser desenvolvidos em condições laboratoriais. O progresso continua. Hoje, um maior desenvolvimento em direção ao OLED é visto como a tecnologia do futuro.
  • 3. Características das lâmpadas de LED Rendimento luminoso De 60lm/W a 100lm/W Temperatura de cor De 3000ºK a 6000ºK Indices de restituição cromática Superior a 75(Ra) Duração de Vida media De 30000h a 60000h Tempo de arranque Instantâneo Luminosidade - Equipamento auxiliar Fonte de alimentação DC Posição de funcionamento Qualquer Comprimento de Onda/Banda do Espectro Materiais Semi – Condutores Ultravioleta (λ<400) Diamante Nitreto de boro Nitreto de alumínio Nitreto de alumínio, gálio e índio Violeta (400<λ<450) Nitreto de gálio e índio Azul (450 <λ<500) Seleneto de zinco Verde (500 <λ<570) Fosforeto de gálio Fosforeto de alumínio, gálio e índio Fosforeto de alumínio e gálio Nitreto de gálio e índio /Nitreto de gálio(III) Amarelo (570 <λ<590) Fosforeto de alumínio, gálio e índio Fosforeto de gálio(III) Cor-de-Laranja (590 <λ<610) Fosforeto de gálio(III) Arsenieto de alumínio e gálio Vermelho (610< λ<760) Fosforeto de alumínio, gálio e índio Fosforeto de gálio (III) Infra-Vermelho (λ>760) Arsenieto de gálio Arsenieto de alumínio e gálio
  • 4.
  • 5. •Ao contrário das lâmpadas incandescentes, que se partem com facilidade, as LED, baseadas em semicondutores, são resistentes ao choque. Robustez •Quase toda a energia fornecida às lâmpadas LED é gasta na iluminação, pelo que não há, praticamente, libertação de calor. Temperatura •As LED oferecem várias colorações, o que permite inúmeras possibilidades de iluminação, sobretudo em espaços de festa. Cor •Uma boa lâmpada LED pode durar de 35 mil a 50 mil horas, ou oito a dez anos, enquanto as incandescentes subsistem durante um ano, em média. Tempo de vida
  • 6. Preço •Uma lâmpada de LED é cara a sua produção devido a extração mineira e o uso de semicondutores. Há, uma grande variedade na oferta, podendo os preços variar entre 2€ - 3€ ou até aos 20€ ou mais. Fiabilidade •Uma tecnologia que ainda está a amadurecer as LED só chegaram ao mercado de grande consumo em 2009/10, podem encontrar-se grandes diferenças na qualidade dos dispositivos. Qualidade de Luz •Em termos de conforto para a visão, ainda é difícil competir com as lâmpadas incandescentes. Projeção da luz •Em geral, uma lâmpada LED é muito direcionada. O spot, medido em graus, é o parâmetro que lhe dá indicação sobre a abertura do feixe de luz. Quanto mais amplo for o spot, maior é a dispersão da luz.

Notas do Editor

  1. Power Led - iluminação decorativa ou uso residencial; Led SMD – sinais de transito, vivendas, automóveis e aeronáutica; Led Indicador – todo o tipo de aparelhos televisões, etc ….
  2. Robustez – são semi condutores logo resistentes; Temperatura – não há dissipação de calor; Cor – Varias cores (espaço de festa); Tempo de vida – Podem durar à ate 10 anos ou mais;
  3. Preço – Comparação do preço da loja do chines com a Philips ou Siemens; Fiabilidade – ide em “ “ Qualidade de Luz – ide em “ “, mas com o acrescimento de que as led n tem muito luz; Projeção – fraca dispersão de luz.