26 - Todas as Letras

442 visualizações

Publicada em

Apresentação perdida num pitch para o nome de um grupo editorial português.

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

26 - Todas as Letras

  1. 1. Todas as letras A história do primeiro grupo editorial lusófono.
  2. 2. “Conheces o nome que te deram, não conheces o nome que tens.” Livro das Evidências José Saramago, in Todos os NomesCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_01
  3. 3. Capítulo a) Era uma vez um livroCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_03
  4. 4. Capítulo a)Era uma vez um livroEra uma vez um grande escritor português que em 1997 Um ano depois, em 1998, este grande escritor portuguêsescreveu um grande livro - “Todos Os Nomes” - José Saramago - foi colocado no topo de todos os nomes- símbolo máximo do universalismo da sua escrita, da literatura quando conquistou o Prémio Nobel.capaz de chegar e tocar todos os leitores de todoo mundo. Um prémio que premiou a capacidade deste grande escritor em abranger todas as pessoas, todos os nomes, todo o universo humano, através da 5ª língua mais falada no mundo e da 3ª mais falada no mundo ocidental. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_04
  5. 5. Capítulo b) 8 anos depoisCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_06
  6. 6. Capítulo b)8 anos depois8 anos depois era uma vez Miguel Paes do Amaral, . ser o maior grupo editorial de Língua Portuguesaque começou a trabalhar na constituição deum grupo editorial que tinha uma visão: . ser o maior grupo a editar autores nacionais . ser o número 1 em edições gerais . lutar pela liderança em edições escolares . ser a empresa líder no mercado editorial de língua portuguesa (Portugal, África e Brasil) em dimensão e rentabilidade Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_07
  7. 7. Capítulo c) Venham mais cincoCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_09
  8. 8. Capítulo c)Venham mais cincoA visão começou a tornar-se nítida com a aquisição Cinco grandes editoras que contam com todosda Texto Editores, da Editorial Caminho, os géneros literários e com (quase) todos os nomesda Edições ASA, da Gailivro e da Edições Nova Gaia. das letras nacionais e internacionais, incluindo o Prémio Nobel da Literatura José Saramago. Hoje, Miguel Paes do Amaral já pode afirmar que conseguiu criar um grupo editorial que conta com todas as letras. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_10
  9. 9. Capítulo d) A página seguinteCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_12
  10. 10. Capítulo d)A página seguinteA página seguinte desta história é perguntar E, sobretudo, como se vai chamar?como é que um grupo editorial desta dimensãoe ambição se vai organizar? Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_13
  11. 11. Capítulo e) O nomeCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_15
  12. 12. Capítulo e)O nomeO nome deve comportar esta grandeza e esta ambição Para conhecer o nome deste grupo editorialde ser ainda maior. basta juntar todas as letras.E deve ser suficientemente abrangente e simbólicopara abarcar todas as editoras (as actuais e as futuras)e se tornar uma referência internacional facilmenteassimilada em todos os seus principais mercados:Portugal, Brasil e África. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_16
  13. 13. Capítulo f) Todas as letras são...Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_18
  14. 14. Capítulo f)Todas as letras são...Todas as letras são: todas as editoras que já fazem parte do grupo e todas as que ainda hão de vir a fazer. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_19
  15. 15. Capítulo f)Todas as letras são...Todas as letras são: todos os géneros literários, da literatura à poesia, do ensaio às artes, do escolar ao infanto-juvenil. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_20
  16. 16. Capítulo f)Todas as letras são...Todas as letras são: todos os autores, entre os quais já se conta José Saramago, o maior de todos os nomes da literatura portuguesa contemporânea. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_21
  17. 17. Capítulo f)Todas as letras são...Todas as letras são: todas as letras do alfabeto latino (23) e anglo-saxónico (23+3), pelos quais se regem os mercados lusófonos deste grupo editorial. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_22
  18. 18. Capítulo g) Todas as letras são uma marcaCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_24
  19. 19. Capítulo g)Todas as letras são uma marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_25
  20. 20. Capítulo g)Todas as letras são uma marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_26
  21. 21. Capítulo g)Todas as letras são uma marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_27
  22. 22. Capítulo g)Todas as letras são uma marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_28
  23. 23. Capítulo h) Um número. Uma cor. Mil e um significados.Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_30
  24. 24. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados. 26 é a atitude irreverente e visionária de assumir um número num universo de letras, só possível de fazer pelo primeiro grupo editorial lusófono. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_31
  25. 25. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados. 26 são todas as letras do alfabeto latino/anglo-saxónico. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_32
  26. 26. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados. 26 pode ser lido e compreendido em todas as línguas, em todos os sotaques, em todo os países, em todas as culturas. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_33
  27. 27. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados. 26 tem a mística que um número sempre transporta e que pode ser capitalizada em termos de comunicação. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_34
  28. 28. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados.Viva! Oceanus 26 permite abranger todas as editoras, todos os autores,Eco Lira (ou Lyra) todos os géneros literários, todas as letras.Prisma Pessoa Tem uma inspiração e uma história por trás. É universal.Futuro ÍbisAltura (Grupo) Latitude Ao contrário dos nomes recolhidos no âmbito do desafioAlma (Grupo) Longitude lançado aos colaboradores das editoras do grupo, queNexus PátriaAxis Global / Global Editora se concentram no mais óbvio - o mundo das letras - semadAstra Media Global potenciar a força sonhadora e sem fronteiras que oVerus Lusa / Media Lusa / Lusa Editora prazer da leitura nos oferece.Logos Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_35
  29. 29. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados. 26 é um número que dá expressão, de uma forma simbólica, à estratégia última de gestão de sucesso deste projecto. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_36
  30. 30. Capítulo h)Um número. Uma cor. Mil e um significados. 26 é uma cor: vermelho-alaranjado. Uma cor de terra que transmite a solidez do grupo. Uma cor de sedução e dinamismo que transmite a ambição do grupo e a paixão da leitura. Uma cor histórica nos meios livrescos - inspirada nos tecidos das encadernações antigas. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_37
  31. 31. Capítulo i) Um conceito. Todos os significados.Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_39
  32. 32. Capítulo i)Um conceito. Todos os significados. Tem uma história por trás para contar - inspira-se no maior de todos os nomes do Grupo 26, José Saramago, e no seu livro “Todos Os Nomes”. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_40
  33. 33. Capítulo i)Um conceito. Todos os significados. Tem abrangência para incluir todas as editoras, géneros literários e autores. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_41
  34. 34. Capítulo i)Um conceito. Todos os significados. Justifica a ausência da expressão “editorial” na designação do grupo, não só porque este conceito já remete para o meio editorial, mas também porque abre as perspectivas do grupo para os universos mais alargados (e ambiciosos) da comunicação e dos media. Todas as letras não têm de ser só as letras impressas, mas também as letras visualizadas e verbalizadas. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_42
  35. 35. Capítulo j) Uma marca. Mil e uma possibilidades.Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_44
  36. 36. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca que tem poder para se tornar num ícone visual e verbal. Bench Marketing Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_45
  37. 37. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca distintiva Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_46
  38. 38. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca iconográfica Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_47
  39. 39. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca tipográfica Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_48
  40. 40. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca high-tech Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_49
  41. 41. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca ambiciosa Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_50
  42. 42. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca institucional Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_51
  43. 43. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca elegante Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_52
  44. 44. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca imponente Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_53
  45. 45. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca infantil Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_54
  46. 46. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca natural Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_55
  47. 47. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca urbana Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_56
  48. 48. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca clássica Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_57
  49. 49. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca moderna Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_58
  50. 50. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca que se destaca no mundo das grandes marcas Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_59
  51. 51. Capítulo j)Uma marca. Mil e uma possibilidades. Uma marca intemporal Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_60
  52. 52. Capítulo k) Branding by Numbers.Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_62
  53. 53. Capítulo k)Branding by Numbers. Um número pode fazer toda a diferença. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_63
  54. 54. Capítulo k)Branding by Numbers.Bench Marketing Números que representam marcas de poder. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_64
  55. 55. Capítulo k)Branding by Numbers.Bench Marketing Números criados à medida de serviços de emergência, de serviços de alimentação, de editoras de livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_65
  56. 56. Capítulo k)Branding by Numbers.Bench Marketing Números que simbolizam sonhos de vida ou eras da História. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_66
  57. 57. Capítulo k)Branding by Numbers.Bench Marketing Números que nos transportam para todo o mundo e para outros mundos. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_67
  58. 58. Capítulo k)Branding by Numbers.Bench Marketing Números que se tornam marcos simbólicos Generalista dos seus targets. Clássico Jovem Juventude Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_68
  59. 59. Capítulo k)Branding by Numbers.Bench Marketing Números que marcam a pertença a comunidades. = 91 = 93 = 93 = 96 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_69
  60. 60. Capítulo l) O número levado à letraCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_71
  61. 61. Capítulo l)O número levado à letra Os números sobressaem num mundo de letras e palavras. 26 é completamente distintivo no universo dos grupos editoriais. Não se confunde. Fica na memória. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_72
  62. 62. Capítulo l)O número levado à letra Espanha Brasil França França França Alemanha Inglaterra EUA Inglaterra / EUA Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_73
  63. 63. Capítulo m) A organização das letrasCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_75
  64. 64. Capítulo m)A organização das letras Como é que estes grupos editoriais internacionais organizam as suas inúmeras marcas online? Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_76
  65. 65. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing O protagonismo vai sobretudo para a marca do grupo. Organiza-seprimeiro por áreas de interesse (educação, formação, edições gerais...), com as marcas a surgirem em destaque, mas num segundo plano. Cada marca mantém o seu próprio site, que tem alguma forma de endosso ao grupo, seja no URL do site, seja na designação social. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_77
  66. 66. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing A marca do grupo assume o protagonismo, mas as marcas das várias editoras surgem em claro destaque. A pesquisa pode ser feita directamente por cada editora, sem nunca sair do site, ou por áreas de interesse / serviços do grupo. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_78
  67. 67. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing O Grupo Pearson define-se através das 3 áreas que as suas 3 marcas representam (educação, negócios e editorial), assumindo-se as marcas como ícones dessas áreas. Apesar disso, não faz ligação às 3 marcas a partir do seu site e os sites das 3 marcas também não fazem referência à marca do grupo, ou se o fazem é num nível secundário. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_79
  68. 68. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing Tal como o Grupo Pearson, também a Bertelsmann se posiciona no campo da Media, e conta no seu seio com várias empresas de várias áreas, entre elas uma das maiores editoras do mundo, a Random House, cuja marca endossa a do grupo. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_80
  69. 69. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing Apesar do Groupe La Martinière ter inúmeras editoras, só num segundo nível é que elas surgem, apesar de ao contrário de outros exemplos aqui apresentados, as marcas destas editoras remeterem de imediato para os respectivos sites. Contudo, a uniformidade gráfica é notória e todos os sites de todas as marcas têm um endosso claro ao grupo. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_81
  70. 70. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing A organização da Gallimard é semelhante à da La Martinière. A diferença está em que cada marca tem o seu universo gráfico próprio e não faz referência à marca do grupo, excepto quando assume o nome da marca-mãe. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_82
  71. 71. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing Ao contrário dos outros casos franceses atrás apresentados, o Groupe Flammarion coloca em primeiro plano as suas editoras, que comunicam por si próprias nos respectivos sites. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_83
  72. 72. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing Dos grupos pesquisados, O Hachette Book Group é o único que coloca a nacionalidade no próprio nome. Tal como o Groupe Flammarion, também os nomes das editoras do grupo surgem com grande destaque, apesar de só num nível secundário ser possível aceder aos respectivos sites. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_84
  73. 73. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing Apesar de cada editora manter a sua identidade própria, tal como acontece em todos os casos apresentados, o Taylor & Francis Group é o único em que as editoras surgem com um endosso claro ao grupo, tanto no site desse mesmo grupo, como nos respectivos sites. Nota-se neste caso uma estratégia de marca mais definida do que nos outros casos apresentados. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_85
  74. 74. Capítulo m)A organização das letrasBench Marketing Conclusão Nenhum destes grupos acaba com as suas marcas, sendo que uns lhes dão maior proponderância do que outros. Na maioria dos casos, as editoras de cada grupo mantém identidades e sites próprios. As estratégias de endosso ao grupo são difusas. Não há um padrão. Nenhum dos casos apresentados tem um conceito de comunicação (pelo menos online) que lhe dê um carácter distintivo ou revele um posicionamento diferenciador. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_86
  75. 75. Capítulo n) O número por ordemCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_88
  76. 76. Capítulo n)O número por ordemUm grupo que agrupa todas A organização do Grupo editorial 26 deve respeitar a força das marcas das editoras que o grupo agrupa.as suas marcas Vamos assumir marca do grupo como marca umbrella e manter as marcas das editoras, porque são marcas com um capital simbólico já construído, tanto para o mercado como internamente. O que também facilita a integração no grupo de novas editoras, tanto de um ponto de vista logístico como emocional. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_89
  77. 77. Capítulo o) A relação com as editorasCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_91
  78. 78. Capítulo o)A relação com as editorasUm grupo que marca todas No que diz respeito à relação entre a marca do grupo e as marcas das suas editoras sugerimos uma evoluçãoas suas marcas em duas fases. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_92
  79. 79. Capítulo o)A relação com as editoras1ª fase As marcas das várias editoras assumem o baseline “Uma editora g26” em todas as suas representações (capas dos livros, online, etc.). Nas lombadas dos livros, para criar uma força de grupo, surge o ícone g26. Os sites de cada editora também vão ser marcados com a designação g26. Para os livros já publicados, sugere-se a criação de uma cinta para envolver todas as publicações, com a marca do grupo e as marcas das várias editoras. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_93
  80. 80. Capítulo o)A relação com as editoras1ª fase Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_94
  81. 81. Capítulo o)A relação com as editoras1ª fase Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_95
  82. 82. Capítulo o)A relação com as editoras1ª fase Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_96
  83. 83. Capítulo o)A relação com as editoras Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_97
  84. 84. Capítulo o)A relação com as editoras Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_98
  85. 85. Capítulo o)A relação com as editoras Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_99
  86. 86. Capítulo o)A relação com as editoras2ª fase Após o total estabelecimento do grupo junto do meio editorial e do público em geral nos seus 3 mercados (estimamos no prazo de 1 ano), as editoras passam a assumir a marca do grupo como um expoente. Uma forma de reforçar a força do grupo que eleva as suas editoras à potência g26. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_100
  87. 87. Capítulo o)A relação com as editoras2ª fase Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_101
  88. 88. Capítulo o)A relação com as editoras2ª fase Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág.102
  89. 89. Capítulo o)A relação com as editorasfase 0 Antes do mercado conhecer a marca do grupo e a sua relação com as marcas das editoras, é fundamental apresentar todas as letras a todas as editoras e a todos os colaboradores. Porque eles devem ser os primeiros a sentir e a projectar a força da nova marca. Neste sentido, sugerimos realizar um evento de apresentação da nova marca no dia 26 de Janeiro de 2008 no CCB, um espaço ao mesmo tempo simbólico de cultura, de arte e de modernidade. Um evento que deveria contar com todas as valências do grupo, da administração às editoras e aos autores, numa festa de celebração daquilo que os motiva a todos: as letras e os livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_103
  90. 90. Capítulo o)A relação com as editoras DIA 26 DE JANEIRO VAMOS JUNTAR TODAS AS LETRASfase 0 CONTAMOS CONSIGO. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_104
  91. 91. Capítulo p) A organização da oferta onshopCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_106
  92. 92. Capítulo p)A organização da oferta onshop Quando se abrir um espaço comercial, a marca deve ser a do grupo, por forma a capitalizar a marca. Mas para fazer das lojas do grupo espaços de interacção com todas as letras, todos os géneros e todos os autores, elas devem assumir uma designação mais interactiva. Dentro destes espaços, a oferta poderá ser organizada por géneros literários (literatura, poesia, educação, etc.), por autores e por promoções (novidades, descontos, top de vendas, etc.), mas também com corners próprios das editoras, consoante a pertinência comercial. De qualquer modo, a prioridade deve ser dada à organização por géneros, autores e promoções, as três variáveis que mais determinam a compra de um livro. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_107
  93. 93. Capítulo p)A organização da oferta onshop Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_108
  94. 94. Capítulo p)A organização da oferta onshop Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_109
  95. 95. Capítulo p)A organização da oferta onshopEntradaLetreiro que simulaas letras A e Z,a primeira e a últimade todas as letras.Montra com backgroundque é uma rede metálicacom todas as letras,que permite ver o interiorda loja. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_110
  96. 96. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso térreoZona de AtendimentoBalcão para atendimentoao público, com exposiçãode novidades e promoções. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_111
  97. 97. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso térreoZona de AtendimentoBalcão para atendimentoao público, com exposiçãode novidades e promoções. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_112
  98. 98. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso inferiorInspirado nas antigasbibliotecas imponentes,o piso inferior da lojatem as paredes cobertascom livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_113
  99. 99. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso inferiorO leitor tem acesso a todosos livros medianteum sistema eléctricoque permite rodaros livros verticalmente. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_114
  100. 100. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso inferiorPara chegar ao piso inferior,o visitante desce numelevador. Os livros estãodivididos em setes secções:novidades (topo), artese ciências, poesia e literatura(à direita); educação,infanto-juvenil, BD eentretenimento (à esquerda).Num dos lados do pisoinferior está uma zonamultimedia para livreconsulta por partedos visitantes. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_115
  101. 101. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso inferiorDo outro lado do piso inferiorestá uma zona para eventosespeciais (conferênciais,lançamentos, sessões deautógrafos...).Ambas as zonas são servidaspor uma zona de estarcom 26 bancos letradosde A a Z. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_116
  102. 102. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso inferiorNa zona para eventosespeciais também existeespaço para livros comformatos especiaisque não sejapossível integrarno sistema de exposição. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_117
  103. 103. Capítulo p)A organização da oferta onshopPiso inferiorÀ esquerda da zona paraeventos especiais ficao acesso ao armazém. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_118
  104. 104. Capítulo p)A organização da oferta onshopVista geralLayout para conferências,lançamentos de livrose sessões de autógrafos. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_119
  105. 105. Capítulo p)A organização da oferta onshopVista geralLayout para espaço de leitura,onde a mesa da zonade conferências é encostadaà parede, funcionandoassim como mais um espaçode exposição de livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_120
  106. 106. Capítulo p)A organização da oferta onshopSaídaPor detrás da montracorre uma grade comtodas as letras, dandomais impacto aindaa todas as letras.Os puxadores das portassimulam duas aspas,que se fgecham quandoa loja está fechada. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_121
  107. 107. Capítulo q) A organização da oferta onlineCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_123
  108. 108. Capítulo q)A organização da oferta online Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_124
  109. 109. Capítulo q)A organização da oferta onlineNo caso do website do grupo, a organização é idêntica Uma segunda área mais dedicada ao grupoà da loja, com a oferta organizada em 3 áreas de propriamente dito (história e contactos), às suas editorasconteúdos: e ao Top 26, uma área em permanente actualização com os 26 livros mais vendidos do grupo, e ainda todaA área com links para a listagem de todos os autores a infomação sobre o Cartão 26.do grupo, assim como as mais recentes novidades,promoções e eventos. A terceira área compreende todos os géneros que o Grupo 26 agrupa: educação, infanto-juvenil, multimedia, literatura em português e estrangeira, poesia em português e estrangeira, artes (da arquitectura à fotografia, do teatro ao cinema, etc.), ciências (sociais, económicas, médicas, etc.), banda- desenhada, entretenimento (turismo, gastronomia, etc.). Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_125
  110. 110. Capítulo r) Todas as ideias #1 Campanhas Nova MarcaCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_127
  111. 111. Capítulo r)Todas as ideias #1 Campanhas Nova Marca Campanha de apresentação da nova marca (teasers e revelação) com citações de autores do grupo, desde literatura e poesia a literatura infantil e escolar, para demonstrar a abrangência do grupo. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_128
  112. 112. Capítulo r)Todas as ideias #1 Campanhas Nova Marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_129
  113. 113. Capítulo r)Todas as ideias #1 Campanhas Nova Marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_130
  114. 114. Capítulo r)Todas as ideias #1 Campanhas Nova Marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_131
  115. 115. Capítulo r)Todas as ideias #1 Campanhas Nova Marca Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_132
  116. 116. Capítulo s) Todas as ideias #2 Campanha promocionalCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_134
  117. 117. Capítulo s)Todas as ideias #2. Campanha promocional Criar temas de campanha para comunicar em épocas específicas (outdoors/imprensa/montras de lojas/livrarias). Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_135
  118. 118. Capítulo s)Todas as ideias #2. Campanha promocional Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_136
  119. 119. Capítulo s)Todas as ideias #2. Campanha promocional Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_137
  120. 120. Capítulo s)Todas as ideias #2. Campanha promocional Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_138
  121. 121. Capítulo t) Todas as ideias #3 Anúncio-tipoCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_140
  122. 122. Capítulo t)Todas as ideias #3. Anúncio-tipo Criar um anúncio-tipo para promoção de livros do grupo, que seja adaptável a todos os géneros literários e a todas as épocas do ano: a promoção de uma colecção, de uma novidade ou do lançamento de um livro novo de um autor. Preferencialmente colocar este anúncio nas páginas 26 das publicações onde for divulgado. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_141
  123. 123. Capítulo t)Todas as ideias #3. Anúncio-tipo JOSÉ SARAMAGO 2008. 10 ANOS DO PRÉMIO NOBEL 26% DE DESCONTO EM TODA A OBRA DO AUTOR CAMINHO ASA TEXTO EDITORES GAILIVRO NOVA GAIA 26 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_142
  124. 124. Capítulo t)Todas as ideias #3. Anúncio-tipo Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_143
  125. 125. Capítulo u) Todas as ideias #4 Top 26Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_145
  126. 126. Capítulo u)Todas as ideias #4, Top 26 Criar um linear/ expositor promocional, com espaço para 26 livros, para colocar em pontos de venda a seleccionar (ex: FNAC, hipermercados...), onde o grupo poderá promover obras do seu vasto catálogo, consoante as épocas do ano, ou consoante a pertinência comercial. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_146
  127. 127. Capítulo u)Todas as ideias #4, Top 26Linear Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_147
  128. 128. Capítulo u)Todas as ideias #4, Top 26Expositor Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_148
  129. 129. Capítulo v) Todas as ideias #5 Cartão 26Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_150
  130. 130. Capítulo v)Todas as ideias #5. Cartão 26 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_152
  131. 131. Capítulo v)Todas as ideias #5. Cartão 26 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_153
  132. 132. Capítulo v)Todas as ideias #5. Cartão 26 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_154
  133. 133. Capítulo v)Todas as ideias #5. Cartão 26 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_155
  134. 134. Capítulo v)Todas as ideias #5. Cartão 26 Um cartão de fidelização que oferece condições especiais aos subscritores: . Por cada livro comprado ganham-se 2 pontos. Ao fim de 26 pontos acumulados ganha-se um livro grátis até um determinado valor. . Campanhas ocasionais com 26% de desconto - ex: compras efectuadas nas lojas durante as feiras do livro. . Convites para os eventos do grupo - lançamentos, tertúlias, etc. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_151
  135. 135. Capítulo v)Todas as ideias #5. Cartão 26 Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_156
  136. 136. Capítulo w) Todas as ideias #6 Ler é uma responsabilidade.Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_158
  137. 137. Capítulo w)Todas as ideias #6. Seja responsável. Leia sem moderação.O primeiro grupo editorial lusófono também deve ser Isto não só em Portugal, mas sobretudo nos paíseso primeiro a dar o exemplo, através de campanhas de africanos, e também no Brasil, onde o potencial depromoção da literacia, de doações de livros, de implantação e expansão do grupo é provavelmenteconcursos, de associação ao Plano Nacional de Leitura. maior do que em Portugal. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_159
  138. 138. Capítulo w)Todas as ideias #6. Seja responsável. Leia sem moderação. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_160
  139. 139. Capítulo w)Todas as ideias #6. Seja responsável. Leia sem moderação.26 Livros por Mês Campanhas de oferta de livros para bibliotecas e escolas em Portugal e no Brasil, mas sobretudo nos países africanos, para criar um goodwill das populações face ao Grupo 26. Oferecer 26 livros mensalmente a uma determinada instituição para que ao fim do ano o grupo possa afirmar que ofereceu livros em todo o mundo lusófono. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_161
  140. 140. Capítulo w)Todas as ideias #6. Seja responsável. Leia sem moderação.26 Livros na Rua Realizar acções de charme pontuais (dia do livro/da leitura), nas quais uma Brigada 26 oferece 26 livros pré- seleccionados em lugares públicos, como por exemplo jardins, paragens de autocarro, etc. Uma forma não só de incentivar à leitura, mas, mais uma vez, de criar goodwill entre a marca e o consumidor. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_162
  141. 141. Capítulo w)Todas as ideias #6. Seja responsável. Leia sem moderação.26 Contos Lusófonos Lançar um desafio a jovens escritores em todos os mercados lusófonos do grupo para escreverem um conto. Os melhores 26 contos serão ser publicados num livro, o primeiro livro com contos de todo o mundo lusófono. O livro deverá ser lançado numa cerimónia internacional em português a realizar no Brasil ou em África, por forma a promover a descentralização face a Portugal. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_163
  142. 142. Capítulo w)Todas as ideias #6. Seja responsável. Leia sem moderação.Ler + 26 Comunicar para o público português - eventualmente através da Página 26 - 26 livros do Grupo 26 que façam parte da selecção do Plano Nacional de Leitura. Uma forma de demonstrar a importância dos livros do Grupo 26 e a importância que o grupo dá à literacia em Portugal. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_164
  143. 143. Capítulo x) Todas as ideias #7 Comprar para LerCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_166
  144. 144. Capítulo x)Todas as ideias #7. Comprar para LerTal como acontece na museologia moderna, que Como primeiro grupo editorial lusófono, o Grupo 26conseguiu tornar o merchandising das Belas-Artes pode dar o exemplo com uma linha de merchandisingaltamente apetecível para o consumidor e altamente envolvente e aplicável a todos os seus mercados.rentável comercialmente, também o meio literário podeser complementado com merchandising que fomenteo contacto das pessoas com as letras e os livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_167
  145. 145. Capítulo x) Fashion 26Todas as ideias #7. Comprar para Ler Um número na Moda Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_168
  146. 146. Capítulo x) Fashion 26Todas as ideias #7. Comprar para Ler Um número na Moda Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_169
  147. 147. Capítulo x) Fashion 26Todas as ideias #7. Comprar para Ler Um número na Moda Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_170
  148. 148. Capítulo x) 26 FolhasTodas as ideias #7. Comprar para Ler Caixa com 26 lápis de cor com citações gravadas Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_171
  149. 149. Capítulo x) 26 FolhasTodas as ideias #7. Comprar para Ler Blocos 26 páginas (estilo moleskine) Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_172
  150. 150. Capítulo x) 26 PalavrasTodas as ideias #7. Comprar para Ler Pack com 26 imans de frigorífico com 26 palavras para as pessoas construirem frases. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_173
  151. 151. Capítulo y) Todas as ideias #8 Todas as letras pela estrada foraCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_175
  152. 152. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada foraUm pouco no espírito da antiga biblioteca itinerante O objectivo é promover a leitura em português, venderda Gulbenkian, mas aqui com um intuito de divulgação livros a preços especiais e até realizar acções com oscomercial, decorar um veículo para levar o Grupo 26 a autores junto das populações locais.todos recantos de todos os países lusófonos, com maiorênfase no Brasil e em África, onde há muitas populaçõessem acesso a livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_176
  153. 153. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada fora Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_177
  154. 154. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada foraExteriorQuando está parado num local,o camião transforma-se numa loja.O lado esquerdo (vermelho) sai da estruturapara criar uma zona de prateleiraspara disposição de livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_178
  155. 155. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada foraExteriorO lado direito (transparente) abre uma palapara cima e outra para baixo, sendocomplementada por estrururas transparentesque dão visibilidade para o interior,onde são colocados bancos.O acesso é feito por uma rampa ladeadacom estandartes da marca do grupo. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_179
  156. 156. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada foraExteriorVista traseira (rede com letrasfaz ligação às lojas e ao conceito do grupo). Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_180
  157. 157. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada foraExteriorVista dianteira (rampa e entrada). Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_181
  158. 158. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada fora Interior Vista da entrada. O camião fica dividido ao meio por colunas e por uma ilha para colocação de livros. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_182
  159. 159. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada fora Interior Vista para a entrada / balcão atendimento. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_183
  160. 160. Capítulo y)Todas as ideias #8. Todas as letras pela estrada fora Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_184
  161. 161. Capítulo z) Uma história sem fimCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_186
  162. 162. Capítulo z)Uma história sem fim Era uma vez todas as letras que eram 26. Juntaram-se para criar o primeiro grupo editorial lusófono. E viveram felizes para sempre. Copyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_187
  163. 163. “Atou uma ponta do fio ao tornozelo e avançou para a escuridão” Livro das Evidências José Saramago, in Todos os NomesCopyright © 2007 Mola-ativism. All rights reserved. TODAS AS LETRAS A HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO EDITORIAL LUSÓFONO. Pág_188

×