Resumo Codornas de Corte

3.085 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.085
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.089
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo Codornas de Corte

  1. 1.   ___________   47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010 Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia  Brasileira de Vanguarda UFBA -Salvador, BAEstimativas de parâmetros genéticos em codornas de corteTássia Souza Bertipaglia1, Michel Marques Farah2, Frederico de Castro Figueiredo3, Orlando DuitamaCarreño4, Aldrin Vieira Pires5, Ricardo da Fonseca61Graduanda em Zootecnia - UNESP/Dracena. e-mail: tassia_bertipaglia@hotmail.com2Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia – UFVJM/Diamantina. e-mail: michelfarah@zootecnista.com.br3Pós-Doutorando em Zootecnia - UFVJM/Diamantina. e-mail: fredericocf@gmail.com4Mestrando do Programa de Genética e Melhoramento - UNESP/Jaboticabal. e-mail: lorlando82@hotmail.com5Professor adjunto – DZO/UFVJM/Diamantina. e-mail: aldrinvieirapires@gmail.com6Professor assistente – UNESP/Dracena. e-mail: ricardo@dracena.unesp.brResumo: O presente estudo objetivou-se obter estimativas de herdabilidade e de correlações genéticas,fenotípicas e de ambiente para os pesos ao nascimento (P0), sete (P7), 14 (P14), 21 (P21) e 28 (P28) diasde idade em codornas de corte de duas linhagens (L1 com 841 codornas e L2 com 753 codornas). A linhaL1 apresentou maior variabilidade genética e herdabilidade quando comparada à L2, que apresentouinconsistência de resultados pela baixa quantidade de informações. A seleção para as idades iniciais nãodeve ser usada com o objetivo de obtenção de maiores pesos em idades mais avançadas.Palavras–chave: correlação genética, Coturnix coturnix coturnix, herdabilidade, seleçãoEstimates of genetic parameters in quailAbstract: In this paper, the main goal was the obtaining of inheritance estimates and genetic, phenotypicand environmental correlations for the weights at birth (P0), seven (P7), fourteen (P14), twenty one (P21)and twenty eight-day old meat quails of two different lineage (L1 with 84 quails and L2 with 753 quails).The lineage L1 presented a larger genetic variability and inheritability when compared to L2 thatpresented result inconsistencies due to the low quality data available. The population selection for L1could be made on ripe old ages basis, given the higher genetic correlations present in tender ages.Keywords: Coturnix coturnix coturnix, genetic correlation, heritability, selectionIntroduçãoA coturnicultura no Brasil é uma atividade que vem crescendo de maneira considerável, ocupandouma posição de destaque na produção avícola mundial, uma vez que demanda pouco espaço, baixoinvestimento inicial e menor consumo de ração quando comparada com a avicultura tradicional. Omercado consumidor tem se tornado cada vez mais exigente à qualidade dos produtos e, somado à maiordemanda, há necessidade de desenvolver linhagens de codornas de corte, pois o Brasil não dispõe dematerial genético próprio especializado para a produção de ovos e carne, ficando na dependência deimportação de matrizes ou avós. A estimação dos parâmetros genéticos das principais características deinteresse econômico de codornas de corte visando à formação de linhagens paterna e materna é umaferramenta importante para o desenvolvimento de material genético de alto potencial produtivo porserem parâmetros essenciais na definição de estratégias dentro de um programa de melhoramentogenético.Objetivou-se com este trabalho estimar parâmetros genéticos entre o peso ao nascimento (P0), aossete (P7), 14 (P14), 21 (P21) e aos 28 dias de idade (28) em duas linhagens de codornas de corte.Material e MétodosO experimento foi realizado no setor do Programa de Melhoramento Genético de Codornas doDepartamento de Zootecnia da UFVJM em Diamantina – MG. As informações foram obtidas de 821codornas da linhagem L1 e de 753 da linhagem comercial L2, a partir de acasalamentos com controle depedigree. As codornas anilhadas eram pesadas semanalmente em uma balança de precisão, obtendo P0,P7, P14, P21 e P28. Os dados das variáveis analisadas foram submetidos à manipulação por meio derecodificação e nas análises genéticas foram incluídas informações de todos os irmãos completos, meio-irmãos e informações de pedigree. As estimativas de (co)variância para as características foram
  2. 2. 47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010 Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia  Brasileira de Vanguarda Salvador, BAestimadas por máxima verossimilhança restrita, através de análise bivariada sob o modelo animal,utilizando-se o software MTDFREML (Boldman et al., 1993). O modelo utilizado para a análise de P0foi: ijijiij eamy +++= μ , e para P7, P14, P21 e P28 foi iiii eabPy +++= 0μ , em que, yij:peso ao nascimento; yi: peso à idade referente; µ: média de peso da população; mi: efeito fixo da idade damatriz; aij: efeito de valor genético aditivo; ei: efeito de ambiente aleatório; e bP0i: efeito da covariávelP0.Resultados e DiscussãoAs estatísticas descritivas para as características avaliadas estão apresentadas na Tabela 1.Tabela 1 Número de observações (Nº), média ( x ), desvio-padrão (DP), coeficiente de variação (CV),valores mínimo e máximo para as características analisadas para duas linhagens de codornas decorte.Pesos Nº x DP CV (%) Valor Mínimo Valor MáximoL1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2P0 865 775 8,28 8,11 0,92 0,97 11,16 11,48 3,30 5,2 12,10 25,1P7 269 192 24,07 26,77 4,71 5,14 19,53 19,25 12,00 12,50 38,40 41,4P14 254 181 57,25 62,48 12,20 10,96 21,36 17,54 21,6 33,70 86,20 104,2P21 231 170 102,59 113,40 18,84 17,79 18,31 15,67 12,10 47,90 144,30 155,1P28 208 145 164,92 176,95 24,77 21,63 15,03 12,26 83,30 110,80 250,00 228,8A grande variação do coeficiente de variação para as duas linhagens pode ser atribuída aoprocesso de amostragem. Na Tabela 2 estão as estimativas de variâncias genéticas e herdabilidade para asanálises bivariadas. A inconsistência dos resultados para P14 da L2 pode ter ocorrido pela perda de partedas identificações das codornas nesse período, o que foi significativo para a obtenção desses resultados.Para a população da L1 as estimativas de variância genética aditiva foram superiores em relação à outrapopulação de codornas, resultado decorrente da maior variabilidade genética da L1, porém esta variânciaapresentou-se baixa nas idades iniciais, resultados inferiores aos de Dionello et al (2008) que obtiveramem dois grupos genéticos de codornas de corte, respectivamente para P0, P7, P14, P21 e P28, valoresgenéticos aditivos 1,45; 7,33; 44,98; 106,52; 189,66 para EV1, sendo crescente, semelhante à L1, e paraEV2 0,25; 1,78; 5,16; 4,65; 5,48, possuindo um comportamento decrescente aos 21 dias de idade,semelhante à L2, que apresentou redução aos 14 dias.Tabela 2 Estimativa de variâncias genética aditiva (σ2a), de ambiente aleatório (σ2e), fenotípica (σ2p) eherdabilidade (h2) para as características P0, P7, P14, P21 e P28 em duas linhagens decodornas de corteAnálise σ2a σ2e σ2p h2L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2P0 0,30 0,14 0,54 0,72 0,84 0,87 0,36 0,17P7 1,79 4,84 19,23 23,07 21,03 27,92 0,09 0,17P14 41,21 0,86 105,35 126,36 146,57 127,22 0,28 0,01P21 139,48 14,26 212,47 313,66 351,96 327,92 0,40 0,04P28 199,63 39,96 403,10 446,83 602,73 486,80 0,33 0,08Os resultados mostram que há um comportamento diferenciado entre as duas linhagens. Ascodornas da L1 apresentaram maior equilíbrio de variância genética aditiva e de ambiente aleatório, oque gerou herdabilidades esperadas para as estimativas de peso e próximas àquelas encontradas naliteratura. As baixíssimas herdabilidades de L2 foram devido às baixas variâncias genéticas aditivas,principalmente para P14, provavelmente por ser uma linhagem comercial que vem sendo selecionada apartir dessa idade, o que gera menor resposta ao processo seletivo, porém as codornas da L2 apresentamem geral, médias de pesos superiores à L1, como pode ser observado na Tabela 1. As estimativas deherdabilidade de P7 para a L1 e L2 foram baixas, podendo ser atribuídas à correção para a covariável P0,pois são duas medidas próximas e há alta correlação entre elas, como pode ser observado na Tabela 3,
  3. 3. 47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010 Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia  Brasileira de Vanguarda Salvador, BAdiminuindo a variabilidade genética de P7. As herdabilidades para P28, P0 e P21 da L1, que são demédia a alta, sugerem que nessas idades haverá rápida resposta à seleção. Esses resultados estão emdesacordo com o trabalho de Lopes et al. (2008) que encontrou em codornas herdabilidades crescentes aolongo do período de 1 a 42 dias de idade. As estimativas de parâmetros genéticos estão apresentadas naTabela 3.Tabela 3 Estimativa de parâmetros genéticos para P0, P7, P14, P21 e P28 em duas linhagens de codornasde corteCorrelação genética Covariânciagenética aditivaCovariância de ambientepermanenteCovariânciafenotípicaAnálise L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2P0xP7 0,96 0,78 0,70 0,66 0,85 1,50 1,55 2,17P0xP14 0,42 1,00 1,48 0,35 1,96 2,81 3,45 3,17P0xP21 0,34 0,49 2,25 0,70 3,28 3,96 5,53 4,67P0xP28 0,32 0,90 2,54 2,20 2,57 2,71 5,12 4,91É possível observar que à medida que há avanço da idade na L1, as correlações reduzem,indicando que, possivelmente, os locos envolvidos na característica da idade inicial são diferentesdaqueles envolvidos nas idades mais avançadas, fato não observado na L2, que se apresentaraminconsistentes. Se a correlação entre os pesos é baixa, então não há entre elas associação genética, ouseja, para a população da L1 a seleção para os pesos iniciais não seria adequado, resultado tambémencontrado por Winter (2005), o que provavelmente não funcionaria para a seleção para peso ao abate,sendo necessária a seleção em codornas com maiores idades.ConclusõesA L1 é a linhagem mais adequada para o início de um programa de melhoramento genético, poisdeve responder melhor ao processo de seleção quando comparada à linhagem L2, que não deveria serutilizada nesse processo por ter baixa herdabilidade. A seleção para as idades iniciais não deve ser usadacom o objetivo de obtenção de maiores pesos em idades mais avançadas.AgradecimentosÀ FAPEMIG, a CAPES e ao CNPq pelo financiamento do projeto; e, ao DZO/UFVJM por tercedido os dados para as análises.Literatura citadaBOLDMAN, K. G., KRIESE, L. A., Van VLECK, L. D. et al. A manual for use of MTDFREML: a setof programs to obtain estimates of variances and covariances (DRAFT). Lincoln: Department ofAgriculture/Agricultural Research Service, 120p., 2003.DIONELLO, N.J.L.; CORREA, G.S.S.; SILVA, M.A. et al. Estimativas da trajetória genética docrescimento de codornas de corte utilizando modelos de regressão aleatória. Arq. Bras. Med. Vet.Zootec., v.60, p.454-460, 2008.LOPES, M.; BRUM JR., B. S.; MANSKE, et al. Pesos corporais em duas gerações de codornas de corteanalisados através de regressão aleatória. In: XXVI CIC e X ENPOS, 2008, Pelotas. Anais... Pelotas,2005. Disponível em: <www.ufpel.edu.br/cic/2008/cd/pages/pdf/CA/CA_00851.pdf>. Acesso em: 14mar. 2010.WINTER, E.M.W. Estimação de parâmetros genéticos de características de desempenho, carcaça ecomposição corporal de codornas para corte (Coturnix sp.). 2005. 91f. Dissertação (mestrado) –Universidade Federal do Paraná, Curitiba. Disponível em: <http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/1884/1649/1/Disserta%C3%A7%C3%A3oelianew2005.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2010.

×