SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
 
 
___________ 
 
 
47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia 
Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010 
Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia  
Brasileira de Vanguarda UFBA -
Salvador, BA
Estimativas de parâmetros genéticos em codornas de corte
Tássia Souza Bertipaglia1
, Michel Marques Farah2
, Frederico de Castro Figueiredo3
, Orlando Duitama
Carreño4
, Aldrin Vieira Pires5
, Ricardo da Fonseca6
1
Graduanda em Zootecnia - UNESP/Dracena. e-mail: tassia_bertipaglia@hotmail.com
2
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia – UFVJM/Diamantina. e-mail: michelfarah@zootecnista.com.br
3
Pós-Doutorando em Zootecnia - UFVJM/Diamantina. e-mail: fredericocf@gmail.com
4
Mestrando do Programa de Genética e Melhoramento - UNESP/Jaboticabal. e-mail: lorlando82@hotmail.com
5
Professor adjunto – DZO/UFVJM/Diamantina. e-mail: aldrinvieirapires@gmail.com
6
Professor assistente – UNESP/Dracena. e-mail: ricardo@dracena.unesp.br
Resumo: O presente estudo objetivou-se obter estimativas de herdabilidade e de correlações genéticas,
fenotípicas e de ambiente para os pesos ao nascimento (P0), sete (P7), 14 (P14), 21 (P21) e 28 (P28) dias
de idade em codornas de corte de duas linhagens (L1 com 841 codornas e L2 com 753 codornas). A linha
L1 apresentou maior variabilidade genética e herdabilidade quando comparada à L2, que apresentou
inconsistência de resultados pela baixa quantidade de informações. A seleção para as idades iniciais não
deve ser usada com o objetivo de obtenção de maiores pesos em idades mais avançadas.
Palavras–chave: correlação genética, Coturnix coturnix coturnix, herdabilidade, seleção
Estimates of genetic parameters in quail
Abstract: In this paper, the main goal was the obtaining of inheritance estimates and genetic, phenotypic
and environmental correlations for the weights at birth (P0), seven (P7), fourteen (P14), twenty one (P21)
and twenty eight-day old meat quails of two different lineage (L1 with 84 quails and L2 with 753 quails).
The lineage L1 presented a larger genetic variability and inheritability when compared to L2 that
presented result inconsistencies due to the low quality data available. The population selection for L1
could be made on ripe old ages basis, given the higher genetic correlations present in tender ages.
Keywords: Coturnix coturnix coturnix, genetic correlation, heritability, selection
Introdução
A coturnicultura no Brasil é uma atividade que vem crescendo de maneira considerável, ocupando
uma posição de destaque na produção avícola mundial, uma vez que demanda pouco espaço, baixo
investimento inicial e menor consumo de ração quando comparada com a avicultura tradicional. O
mercado consumidor tem se tornado cada vez mais exigente à qualidade dos produtos e, somado à maior
demanda, há necessidade de desenvolver linhagens de codornas de corte, pois o Brasil não dispõe de
material genético próprio especializado para a produção de ovos e carne, ficando na dependência de
importação de matrizes ou avós. A estimação dos parâmetros genéticos das principais características de
interesse econômico de codornas de corte visando à formação de linhagens paterna e materna é uma
ferramenta importante para o desenvolvimento de material genético de alto potencial produtivo por
serem parâmetros essenciais na definição de estratégias dentro de um programa de melhoramento
genético.
Objetivou-se com este trabalho estimar parâmetros genéticos entre o peso ao nascimento (P0), aos
sete (P7), 14 (P14), 21 (P21) e aos 28 dias de idade (28) em duas linhagens de codornas de corte.
Material e Métodos
O experimento foi realizado no setor do Programa de Melhoramento Genético de Codornas do
Departamento de Zootecnia da UFVJM em Diamantina – MG. As informações foram obtidas de 821
codornas da linhagem L1 e de 753 da linhagem comercial L2, a partir de acasalamentos com controle de
pedigree. As codornas anilhadas eram pesadas semanalmente em uma balança de precisão, obtendo P0,
P7, P14, P21 e P28. Os dados das variáveis analisadas foram submetidos à manipulação por meio de
recodificação e nas análises genéticas foram incluídas informações de todos os irmãos completos, meio-
irmãos e informações de pedigree. As estimativas de (co)variância para as características foram
47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia 
Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010 
Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia  
Brasileira de Vanguarda Salvador, BA
estimadas por máxima verossimilhança restrita, através de análise bivariada sob o modelo animal,
utilizando-se o software MTDFREML (Boldman et al., 1993). O modelo utilizado para a análise de P0
foi: ijijiij eamy +++= μ , e para P7, P14, P21 e P28 foi iiii eabPy +++= 0μ , em que, yij:
peso ao nascimento; yi: peso à idade referente; µ: média de peso da população; mi: efeito fixo da idade da
matriz; aij: efeito de valor genético aditivo; ei: efeito de ambiente aleatório; e bP0i: efeito da covariável
P0.
Resultados e Discussão
As estatísticas descritivas para as características avaliadas estão apresentadas na Tabela 1.
Tabela 1 Número de observações (Nº), média ( x ), desvio-padrão (DP), coeficiente de variação (CV),
valores mínimo e máximo para as características analisadas para duas linhagens de codornas de
corte.
Pesos Nº x DP CV (%) Valor Mínimo Valor Máximo
L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2
P0 865 775 8,28 8,11 0,92 0,97 11,16 11,48 3,30 5,2 12,10 25,1
P7 269 192 24,07 26,77 4,71 5,14 19,53 19,25 12,00 12,50 38,40 41,4
P14 254 181 57,25 62,48 12,20 10,96 21,36 17,54 21,6 33,70 86,20 104,2
P21 231 170 102,59 113,40 18,84 17,79 18,31 15,67 12,10 47,90 144,30 155,1
P28 208 145 164,92 176,95 24,77 21,63 15,03 12,26 83,30 110,80 250,00 228,8
A grande variação do coeficiente de variação para as duas linhagens pode ser atribuída ao
processo de amostragem. Na Tabela 2 estão as estimativas de variâncias genéticas e herdabilidade para as
análises bivariadas. A inconsistência dos resultados para P14 da L2 pode ter ocorrido pela perda de parte
das identificações das codornas nesse período, o que foi significativo para a obtenção desses resultados.
Para a população da L1 as estimativas de variância genética aditiva foram superiores em relação à outra
população de codornas, resultado decorrente da maior variabilidade genética da L1, porém esta variância
apresentou-se baixa nas idades iniciais, resultados inferiores aos de Dionello et al (2008) que obtiveram
em dois grupos genéticos de codornas de corte, respectivamente para P0, P7, P14, P21 e P28, valores
genéticos aditivos 1,45; 7,33; 44,98; 106,52; 189,66 para EV1, sendo crescente, semelhante à L1, e para
EV2 0,25; 1,78; 5,16; 4,65; 5,48, possuindo um comportamento decrescente aos 21 dias de idade,
semelhante à L2, que apresentou redução aos 14 dias.
Tabela 2 Estimativa de variâncias genética aditiva (σ2
a), de ambiente aleatório (σ2
e), fenotípica (σ2
p) e
herdabilidade (h2) para as características P0, P7, P14, P21 e P28 em duas linhagens de
codornas de corte
Análise σ2
a σ2
e σ2
p h2
L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2
P0 0,30 0,14 0,54 0,72 0,84 0,87 0,36 0,17
P7 1,79 4,84 19,23 23,07 21,03 27,92 0,09 0,17
P14 41,21 0,86 105,35 126,36 146,57 127,22 0,28 0,01
P21 139,48 14,26 212,47 313,66 351,96 327,92 0,40 0,04
P28 199,63 39,96 403,10 446,83 602,73 486,80 0,33 0,08
Os resultados mostram que há um comportamento diferenciado entre as duas linhagens. As
codornas da L1 apresentaram maior equilíbrio de variância genética aditiva e de ambiente aleatório, o
que gerou herdabilidades esperadas para as estimativas de peso e próximas àquelas encontradas na
literatura. As baixíssimas herdabilidades de L2 foram devido às baixas variâncias genéticas aditivas,
principalmente para P14, provavelmente por ser uma linhagem comercial que vem sendo selecionada a
partir dessa idade, o que gera menor resposta ao processo seletivo, porém as codornas da L2 apresentam
em geral, médias de pesos superiores à L1, como pode ser observado na Tabela 1. As estimativas de
herdabilidade de P7 para a L1 e L2 foram baixas, podendo ser atribuídas à correção para a covariável P0,
pois são duas medidas próximas e há alta correlação entre elas, como pode ser observado na Tabela 3,
47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia 
Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010 
Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia  
Brasileira de Vanguarda Salvador, BA
diminuindo a variabilidade genética de P7. As herdabilidades para P28, P0 e P21 da L1, que são de
média a alta, sugerem que nessas idades haverá rápida resposta à seleção. Esses resultados estão em
desacordo com o trabalho de Lopes et al. (2008) que encontrou em codornas herdabilidades crescentes ao
longo do período de 1 a 42 dias de idade. As estimativas de parâmetros genéticos estão apresentadas na
Tabela 3.
Tabela 3 Estimativa de parâmetros genéticos para P0, P7, P14, P21 e P28 em duas linhagens de codornas
de corte
Correlação genética Covariância
genética aditiva
Covariância de ambiente
permanente
Covariância
fenotípica
Análise L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2
P0xP7 0,96 0,78 0,70 0,66 0,85 1,50 1,55 2,17
P0xP14 0,42 1,00 1,48 0,35 1,96 2,81 3,45 3,17
P0xP21 0,34 0,49 2,25 0,70 3,28 3,96 5,53 4,67
P0xP28 0,32 0,90 2,54 2,20 2,57 2,71 5,12 4,91
É possível observar que à medida que há avanço da idade na L1, as correlações reduzem,
indicando que, possivelmente, os locos envolvidos na característica da idade inicial são diferentes
daqueles envolvidos nas idades mais avançadas, fato não observado na L2, que se apresentaram
inconsistentes. Se a correlação entre os pesos é baixa, então não há entre elas associação genética, ou
seja, para a população da L1 a seleção para os pesos iniciais não seria adequado, resultado também
encontrado por Winter (2005), o que provavelmente não funcionaria para a seleção para peso ao abate,
sendo necessária a seleção em codornas com maiores idades.
Conclusões
A L1 é a linhagem mais adequada para o início de um programa de melhoramento genético, pois
deve responder melhor ao processo de seleção quando comparada à linhagem L2, que não deveria ser
utilizada nesse processo por ter baixa herdabilidade. A seleção para as idades iniciais não deve ser usada
com o objetivo de obtenção de maiores pesos em idades mais avançadas.
Agradecimentos
À FAPEMIG, a CAPES e ao CNPq pelo financiamento do projeto; e, ao DZO/UFVJM por ter
cedido os dados para as análises.
Literatura citada
BOLDMAN, K. G., KRIESE, L. A., Van VLECK, L. D. et al. A manual for use of MTDFREML: a set
of programs to obtain estimates of variances and covariances (DRAFT). Lincoln: Department of
Agriculture/Agricultural Research Service, 120p., 2003.
DIONELLO, N.J.L.; CORREA, G.S.S.; SILVA, M.A. et al. Estimativas da trajetória genética do
crescimento de codornas de corte utilizando modelos de regressão aleatória. Arq. Bras. Med. Vet.
Zootec., v.60, p.454-460, 2008.
LOPES, M.; BRUM JR., B. S.; MANSKE, et al. Pesos corporais em duas gerações de codornas de corte
analisados através de regressão aleatória. In: XXVI CIC e X ENPOS, 2008, Pelotas. Anais... Pelotas,
2005. Disponível em: <www.ufpel.edu.br/cic/2008/cd/pages/pdf/CA/CA_00851.pdf>. Acesso em: 14
mar. 2010.
WINTER, E.M.W. Estimação de parâmetros genéticos de características de desempenho, carcaça e
composição corporal de codornas para corte (Coturnix sp.). 2005. 91f. Dissertação (mestrado) –
Universidade Federal do Paraná, Curitiba. Disponível em: <http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/
bitstream/1884/1649/1/Disserta%C3%A7%C3%A3oelianew2005.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2010.

Mais conteúdo relacionado

Destaque (8)

Melhoramento genético de cães
Melhoramento genético de cãesMelhoramento genético de cães
Melhoramento genético de cães
 
Artigo Brahman
Artigo BrahmanArtigo Brahman
Artigo Brahman
 
Melhoramento genético de gatos
Melhoramento genético de gatosMelhoramento genético de gatos
Melhoramento genético de gatos
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
 
Codornas
CodornasCodornas
Codornas
 
Coturnicultura
Coturnicultura Coturnicultura
Coturnicultura
 
Tudo sobre criação de codornas
Tudo sobre criação de codornasTudo sobre criação de codornas
Tudo sobre criação de codornas
 
Tabelas de vacinação aviária
Tabelas de vacinação aviáriaTabelas de vacinação aviária
Tabelas de vacinação aviária
 

Semelhante a Resumo Codornas de Corte

Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...
Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...
Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...Roulber Carvalho
 
Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...
Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...
Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...Roulber Carvalho
 
Melhoramento genético
Melhoramento genéticoMelhoramento genético
Melhoramento genéticossuser6ffa52
 
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...AcessoMacauba
 
Caminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentávelCaminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentávelLiliane Almeida
 
Caminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentávelCaminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentávelLiliane Almeida
 
Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018buzzcp
 
Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.
Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.
Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.Gioto Ghiarone Terto
 
Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...
Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...
Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...AcessoMacauba
 
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior finalSuínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior finalAcessoMacauba
 
Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café
Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café
Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café Revista Cafeicultura
 
Mauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil
Mauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do BrasilMauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil
Mauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do BrasilRevista Cafeicultura
 
Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...
Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...
Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...AcessoMacauba
 
Implicações tecnologicas no abate de caprinos
Implicações tecnologicas no abate de caprinosImplicações tecnologicas no abate de caprinos
Implicações tecnologicas no abate de caprinosJoao Shenga
 
Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014
Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014
Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014ANCP Ribeirão Preto
 
Python na Informática para Biodiversidade
Python na Informática para BiodiversidadePython na Informática para Biodiversidade
Python na Informática para BiodiversidadeMauro Cavalcanti
 
Python Na Informática Para Biodiversidade
Python Na Informática Para BiodiversidadePython Na Informática Para Biodiversidade
Python Na Informática Para Biodiversidadegsroma
 
Tabelas brasileiras para aves e suínos
Tabelas brasileiras para aves e suínosTabelas brasileiras para aves e suínos
Tabelas brasileiras para aves e suínosmilenawolff
 

Semelhante a Resumo Codornas de Corte (20)

Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...
Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...
Seleção assistida por marcadores genéticos de características de carcaça em b...
 
Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...
Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...
Estudo de caracterização e associação de marcadores moleculares relacionados ...
 
Melhoramento genético
Melhoramento genéticoMelhoramento genético
Melhoramento genético
 
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
 
Caminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentávelCaminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentável
 
Caminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentávelCaminhos para a pecuária sustentável
Caminhos para a pecuária sustentável
 
Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018
 
Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.
Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.
Cap. Livro - Zootecnia: Pesquisas e Práticas Contemporâneas.
 
Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...
Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...
Avaliação preliminar de progênies de macaúba para a região do alto paranaíba,...
 
Arterite Equina
Arterite EquinaArterite Equina
Arterite Equina
 
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior finalSuínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
 
Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café
Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café
Mauro carvalho Processo produtivo da iundistria de café
 
Mauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil
Mauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do BrasilMauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil
Mauro carvalho - palestra IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil
 
Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...
Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...
Variabilidade fenotípica de acrocomia aculeata (jacq.) lodd. ex mart. thais c...
 
Implicações tecnologicas no abate de caprinos
Implicações tecnologicas no abate de caprinosImplicações tecnologicas no abate de caprinos
Implicações tecnologicas no abate de caprinos
 
Prova de Desempenho de Touros Nelore
Prova de Desempenho de Touros NeloreProva de Desempenho de Touros Nelore
Prova de Desempenho de Touros Nelore
 
Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014
Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014
Palestra Marcos Vinicius Silva - Seminário ANCP 2014
 
Python na Informática para Biodiversidade
Python na Informática para BiodiversidadePython na Informática para Biodiversidade
Python na Informática para Biodiversidade
 
Python Na Informática Para Biodiversidade
Python Na Informática Para BiodiversidadePython Na Informática Para Biodiversidade
Python Na Informática Para Biodiversidade
 
Tabelas brasileiras para aves e suínos
Tabelas brasileiras para aves e suínosTabelas brasileiras para aves e suínos
Tabelas brasileiras para aves e suínos
 

Último

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 

Último (20)

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 

Resumo Codornas de Corte

  • 1.     ___________      47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia  Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010  Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia   Brasileira de Vanguarda UFBA - Salvador, BA Estimativas de parâmetros genéticos em codornas de corte Tássia Souza Bertipaglia1 , Michel Marques Farah2 , Frederico de Castro Figueiredo3 , Orlando Duitama Carreño4 , Aldrin Vieira Pires5 , Ricardo da Fonseca6 1 Graduanda em Zootecnia - UNESP/Dracena. e-mail: tassia_bertipaglia@hotmail.com 2 Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia – UFVJM/Diamantina. e-mail: michelfarah@zootecnista.com.br 3 Pós-Doutorando em Zootecnia - UFVJM/Diamantina. e-mail: fredericocf@gmail.com 4 Mestrando do Programa de Genética e Melhoramento - UNESP/Jaboticabal. e-mail: lorlando82@hotmail.com 5 Professor adjunto – DZO/UFVJM/Diamantina. e-mail: aldrinvieirapires@gmail.com 6 Professor assistente – UNESP/Dracena. e-mail: ricardo@dracena.unesp.br Resumo: O presente estudo objetivou-se obter estimativas de herdabilidade e de correlações genéticas, fenotípicas e de ambiente para os pesos ao nascimento (P0), sete (P7), 14 (P14), 21 (P21) e 28 (P28) dias de idade em codornas de corte de duas linhagens (L1 com 841 codornas e L2 com 753 codornas). A linha L1 apresentou maior variabilidade genética e herdabilidade quando comparada à L2, que apresentou inconsistência de resultados pela baixa quantidade de informações. A seleção para as idades iniciais não deve ser usada com o objetivo de obtenção de maiores pesos em idades mais avançadas. Palavras–chave: correlação genética, Coturnix coturnix coturnix, herdabilidade, seleção Estimates of genetic parameters in quail Abstract: In this paper, the main goal was the obtaining of inheritance estimates and genetic, phenotypic and environmental correlations for the weights at birth (P0), seven (P7), fourteen (P14), twenty one (P21) and twenty eight-day old meat quails of two different lineage (L1 with 84 quails and L2 with 753 quails). The lineage L1 presented a larger genetic variability and inheritability when compared to L2 that presented result inconsistencies due to the low quality data available. The population selection for L1 could be made on ripe old ages basis, given the higher genetic correlations present in tender ages. Keywords: Coturnix coturnix coturnix, genetic correlation, heritability, selection Introdução A coturnicultura no Brasil é uma atividade que vem crescendo de maneira considerável, ocupando uma posição de destaque na produção avícola mundial, uma vez que demanda pouco espaço, baixo investimento inicial e menor consumo de ração quando comparada com a avicultura tradicional. O mercado consumidor tem se tornado cada vez mais exigente à qualidade dos produtos e, somado à maior demanda, há necessidade de desenvolver linhagens de codornas de corte, pois o Brasil não dispõe de material genético próprio especializado para a produção de ovos e carne, ficando na dependência de importação de matrizes ou avós. A estimação dos parâmetros genéticos das principais características de interesse econômico de codornas de corte visando à formação de linhagens paterna e materna é uma ferramenta importante para o desenvolvimento de material genético de alto potencial produtivo por serem parâmetros essenciais na definição de estratégias dentro de um programa de melhoramento genético. Objetivou-se com este trabalho estimar parâmetros genéticos entre o peso ao nascimento (P0), aos sete (P7), 14 (P14), 21 (P21) e aos 28 dias de idade (28) em duas linhagens de codornas de corte. Material e Métodos O experimento foi realizado no setor do Programa de Melhoramento Genético de Codornas do Departamento de Zootecnia da UFVJM em Diamantina – MG. As informações foram obtidas de 821 codornas da linhagem L1 e de 753 da linhagem comercial L2, a partir de acasalamentos com controle de pedigree. As codornas anilhadas eram pesadas semanalmente em uma balança de precisão, obtendo P0, P7, P14, P21 e P28. Os dados das variáveis analisadas foram submetidos à manipulação por meio de recodificação e nas análises genéticas foram incluídas informações de todos os irmãos completos, meio- irmãos e informações de pedigree. As estimativas de (co)variância para as características foram
  • 2. 47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia  Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010  Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia   Brasileira de Vanguarda Salvador, BA estimadas por máxima verossimilhança restrita, através de análise bivariada sob o modelo animal, utilizando-se o software MTDFREML (Boldman et al., 1993). O modelo utilizado para a análise de P0 foi: ijijiij eamy +++= μ , e para P7, P14, P21 e P28 foi iiii eabPy +++= 0μ , em que, yij: peso ao nascimento; yi: peso à idade referente; µ: média de peso da população; mi: efeito fixo da idade da matriz; aij: efeito de valor genético aditivo; ei: efeito de ambiente aleatório; e bP0i: efeito da covariável P0. Resultados e Discussão As estatísticas descritivas para as características avaliadas estão apresentadas na Tabela 1. Tabela 1 Número de observações (Nº), média ( x ), desvio-padrão (DP), coeficiente de variação (CV), valores mínimo e máximo para as características analisadas para duas linhagens de codornas de corte. Pesos Nº x DP CV (%) Valor Mínimo Valor Máximo L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 P0 865 775 8,28 8,11 0,92 0,97 11,16 11,48 3,30 5,2 12,10 25,1 P7 269 192 24,07 26,77 4,71 5,14 19,53 19,25 12,00 12,50 38,40 41,4 P14 254 181 57,25 62,48 12,20 10,96 21,36 17,54 21,6 33,70 86,20 104,2 P21 231 170 102,59 113,40 18,84 17,79 18,31 15,67 12,10 47,90 144,30 155,1 P28 208 145 164,92 176,95 24,77 21,63 15,03 12,26 83,30 110,80 250,00 228,8 A grande variação do coeficiente de variação para as duas linhagens pode ser atribuída ao processo de amostragem. Na Tabela 2 estão as estimativas de variâncias genéticas e herdabilidade para as análises bivariadas. A inconsistência dos resultados para P14 da L2 pode ter ocorrido pela perda de parte das identificações das codornas nesse período, o que foi significativo para a obtenção desses resultados. Para a população da L1 as estimativas de variância genética aditiva foram superiores em relação à outra população de codornas, resultado decorrente da maior variabilidade genética da L1, porém esta variância apresentou-se baixa nas idades iniciais, resultados inferiores aos de Dionello et al (2008) que obtiveram em dois grupos genéticos de codornas de corte, respectivamente para P0, P7, P14, P21 e P28, valores genéticos aditivos 1,45; 7,33; 44,98; 106,52; 189,66 para EV1, sendo crescente, semelhante à L1, e para EV2 0,25; 1,78; 5,16; 4,65; 5,48, possuindo um comportamento decrescente aos 21 dias de idade, semelhante à L2, que apresentou redução aos 14 dias. Tabela 2 Estimativa de variâncias genética aditiva (σ2 a), de ambiente aleatório (σ2 e), fenotípica (σ2 p) e herdabilidade (h2) para as características P0, P7, P14, P21 e P28 em duas linhagens de codornas de corte Análise σ2 a σ2 e σ2 p h2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 P0 0,30 0,14 0,54 0,72 0,84 0,87 0,36 0,17 P7 1,79 4,84 19,23 23,07 21,03 27,92 0,09 0,17 P14 41,21 0,86 105,35 126,36 146,57 127,22 0,28 0,01 P21 139,48 14,26 212,47 313,66 351,96 327,92 0,40 0,04 P28 199,63 39,96 403,10 446,83 602,73 486,80 0,33 0,08 Os resultados mostram que há um comportamento diferenciado entre as duas linhagens. As codornas da L1 apresentaram maior equilíbrio de variância genética aditiva e de ambiente aleatório, o que gerou herdabilidades esperadas para as estimativas de peso e próximas àquelas encontradas na literatura. As baixíssimas herdabilidades de L2 foram devido às baixas variâncias genéticas aditivas, principalmente para P14, provavelmente por ser uma linhagem comercial que vem sendo selecionada a partir dessa idade, o que gera menor resposta ao processo seletivo, porém as codornas da L2 apresentam em geral, médias de pesos superiores à L1, como pode ser observado na Tabela 1. As estimativas de herdabilidade de P7 para a L1 e L2 foram baixas, podendo ser atribuídas à correção para a covariável P0, pois são duas medidas próximas e há alta correlação entre elas, como pode ser observado na Tabela 3,
  • 3. 47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia  Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010  Empreendedorismo e Progresso Científicos na Zootecnia   Brasileira de Vanguarda Salvador, BA diminuindo a variabilidade genética de P7. As herdabilidades para P28, P0 e P21 da L1, que são de média a alta, sugerem que nessas idades haverá rápida resposta à seleção. Esses resultados estão em desacordo com o trabalho de Lopes et al. (2008) que encontrou em codornas herdabilidades crescentes ao longo do período de 1 a 42 dias de idade. As estimativas de parâmetros genéticos estão apresentadas na Tabela 3. Tabela 3 Estimativa de parâmetros genéticos para P0, P7, P14, P21 e P28 em duas linhagens de codornas de corte Correlação genética Covariância genética aditiva Covariância de ambiente permanente Covariância fenotípica Análise L1 L2 L1 L2 L1 L2 L1 L2 P0xP7 0,96 0,78 0,70 0,66 0,85 1,50 1,55 2,17 P0xP14 0,42 1,00 1,48 0,35 1,96 2,81 3,45 3,17 P0xP21 0,34 0,49 2,25 0,70 3,28 3,96 5,53 4,67 P0xP28 0,32 0,90 2,54 2,20 2,57 2,71 5,12 4,91 É possível observar que à medida que há avanço da idade na L1, as correlações reduzem, indicando que, possivelmente, os locos envolvidos na característica da idade inicial são diferentes daqueles envolvidos nas idades mais avançadas, fato não observado na L2, que se apresentaram inconsistentes. Se a correlação entre os pesos é baixa, então não há entre elas associação genética, ou seja, para a população da L1 a seleção para os pesos iniciais não seria adequado, resultado também encontrado por Winter (2005), o que provavelmente não funcionaria para a seleção para peso ao abate, sendo necessária a seleção em codornas com maiores idades. Conclusões A L1 é a linhagem mais adequada para o início de um programa de melhoramento genético, pois deve responder melhor ao processo de seleção quando comparada à linhagem L2, que não deveria ser utilizada nesse processo por ter baixa herdabilidade. A seleção para as idades iniciais não deve ser usada com o objetivo de obtenção de maiores pesos em idades mais avançadas. Agradecimentos À FAPEMIG, a CAPES e ao CNPq pelo financiamento do projeto; e, ao DZO/UFVJM por ter cedido os dados para as análises. Literatura citada BOLDMAN, K. G., KRIESE, L. A., Van VLECK, L. D. et al. A manual for use of MTDFREML: a set of programs to obtain estimates of variances and covariances (DRAFT). Lincoln: Department of Agriculture/Agricultural Research Service, 120p., 2003. DIONELLO, N.J.L.; CORREA, G.S.S.; SILVA, M.A. et al. Estimativas da trajetória genética do crescimento de codornas de corte utilizando modelos de regressão aleatória. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.60, p.454-460, 2008. LOPES, M.; BRUM JR., B. S.; MANSKE, et al. Pesos corporais em duas gerações de codornas de corte analisados através de regressão aleatória. In: XXVI CIC e X ENPOS, 2008, Pelotas. Anais... Pelotas, 2005. Disponível em: <www.ufpel.edu.br/cic/2008/cd/pages/pdf/CA/CA_00851.pdf>. Acesso em: 14 mar. 2010. WINTER, E.M.W. Estimação de parâmetros genéticos de características de desempenho, carcaça e composição corporal de codornas para corte (Coturnix sp.). 2005. 91f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. Disponível em: <http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/ bitstream/1884/1649/1/Disserta%C3%A7%C3%A3oelianew2005.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2010.