Melhoramento genético de gatos

3.001 visualizações

Publicada em

Introdução ao Melhoramento genético de gatos

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.001
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.625
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Melhoramento genético de gatos

  1. 1. Melhoramento Genético de Gatos Melhoramento Genético Animal Tássia Souza Bertipaglia Fabio José Gomes Universidade Estadual Paulista – “Júlio de Mesquita Filho” Campus de Jaboticabal/UNESP FCAV 07/10/2014 1
  2. 2. SUMÁRIO • Origem e domesticação; • Raças; • Introdução; • Melhoramento genético; • Pelagem; Tássia Souza Bertipaglia 2
  3. 3. ORIGEM E DOMESTICAÇÃO • Origem De acordo com um estudo genético realizado e posteriormente publicado na revista Science, o gato doméstico é descendente do Felis Silvestris Lybica, o qual nasceu do cruzamento entre cinco espécies selvagens distintas, ocorrido há mais de 130-160 mil anos, por meio do estudo do DNA mitocondrial. • Domesticação A domesticação do gato pelos humanos apenas começou há cerca de 10 a 12 mil anos atrás no Oriente Médio, mais precisamente quando os agricultores começaram a cultivar as primeiras variedades de cereais. Fonte: http://www.estadao.com.br/ Tássia Souza Bertipaglia 3
  4. 4. INTRODUÇÃO • Nome científico: Felis catus • Cromossomos: X e Y • Genoma: 38 cromossomos (19 pares), mas um poderá diferir levemente (determina o sexo do indivíduo) Tássia Souza Bertipaglia 4
  5. 5. RAÇAS Abissínio Sagrado birmanês (Birmânia) Angorá Brazilian shorthair American shorthair Persa Siamês Tássia Souza Bertipaglia 5 Exotic shorthair
  6. 6. RAÇAS BengalCornish rex Devon rex Javanese Oriental shorthair Russian blue Siberian Sphynx 6
  7. 7. MELHORAMENTO GENÉTICO • Há 250 raças de gatos registradas • As raças de gatos apresentam uma grande variedade de cores e padrões e podem ser divididas em 3 categorias distintas: - pelagem longa - pelo curto - pelagem rala. A cor dos olhos também pode estar relacionada a certas raças. • Melhoramento: vendas de animal em gatil Tássia Souza Bertipaglia 7
  8. 8. PELAGEM Melanina: eumelanina (preto e marrom) e feomelanina (amarelo e vermelho) LOCO C = Determina pigmentação - C_ = pigmentação - cch = chinchila ou prateado (persa) - ch = chinchila claro (birmanês) - cS = acromelanizado, extremidades escuras, corpo claro e olhos azuis (siamês) - cc = albinos Tássia Souza Bertipaglia 8
  9. 9. Tássia Souza Bertipaglia 9
  10. 10. PELAGEM LOCO B = Concentração de eumelanina - B_= pigmento preto - bb = pigmento marrom Tássia Souza Bertipaglia 10
  11. 11. PELAGEM LOCO A = Quantidade e localização de eumelanina e feomelanina - A_ = aguti (selvagem) - aa = não aguti Tássia Souza Bertipaglia 11
  12. 12. PELAGEM LOCO D = Intensidade de eumelanina - D_ = coloração intensa (preto ou creme) - dd = coloração diluída (“azul inglês”, “azul russo” com olhos verdes) Tássia Souza Bertipaglia 12
  13. 13. PELAGEM LOCO S = Determina os desenhos das manchas brancas pelo corpo - S_ = manchas brancas irregulares - ss = sem manchas brancas Tássia Souza Bertipaglia 13
  14. 14. PELAGEM LOCO T = “tabby” : Linha ou manchas mais escuras transversais (tigrado, listrado ou rajado) - TaTa = linha escura no dorso sem outras marcas - TaT = listras escuras nas patas - tbtb = manchas de pelos escuros nos flancos Tássia Souza Bertipaglia 14
  15. 15. PELAGEM LOCO W = confere pelagem branca - W_ = branco com olhos amarelos ou azuis - ww = normal Tássia Souza Bertipaglia 15
  16. 16. LOCO O = Ligado ao cromossomo X - Machos: pelagem laranjada ou amarela - Fêmeas: “tortoise-shell” ou salpicada Heterozigotas: as cores não misturam Homozigotas: amarela ou laranjada (como nos machos) Machos: Oy = coloração amarela-laranja oy = preta ou marrom Fêmeas: OO = coloração amarela-laranja Oo = coloração amarela e marrom ou preta oo = preta ou marrom PELAGEM Tássia Souza Bertipaglia 16
  17. 17. Série Ação C C_ = pigmento cch = chinchila ou prateado ch = chinchila claro (birmanês) cS = acromelanizado, extremidades escuras, corpo claro e olhos azuis (siamês) cc = albinos B B_ = pigmento preto bb = marrom A A_ = aguti (selvagem) aa = não aguti D D_ = coloração intensa (maltês: preto ou creme) dd = coloração diluída (“azul-inglês”, “azul russo” com olhos verdes) S S_= manchas brancas irregulares ss = sem manchas brancas T TaTa = linha escura no dorso sem outras marcas TaT = listras escuras nas patas tbtb = manchas de pelos escuros nos flancos W W_ = branco com olhos amarelos ou azuis ww = normal O Machos: Oy = coloração amarela/laranja oy = preta ou marrom Fêmeas: OO = coloração amarela/laranja/vermelha Oo = coloração amarela/laranja e não-amarelas oo = preta ou marrom 17
  18. 18. Gatos tricolores • Característica presente no cromossomo X; • Para um gato ter três cores ele precisa possuir um cromossomo X com o gene amarelo e o outro X com o gene branco dominante; • Gato macho tem pelagem tricolor? Cerca de 1% dos gatos tricolores são machos http://mundoestranho.abril.com.br Tássia Souza Bertipaglia 18 PELAGEM
  19. 19. BIBLIOGRAFIA Livro: Genética básica para Veterinária http://origemdascoisas.com/a-origem-dos-gatos/ http://www.estadao.com.br/ http://ocientista.com/o-genoma-gato-domestico-foi-sequenciado-e-e-fascinante/ http://www.guiaderacas.com.br/gatos/racas/ http://www.pawnation.com/2013/06/05/10-hypoallergenic-cat-breeds/5 http://messybeast.com/spotted-cats.html http://mundoestranho.abril.com.br Tássia Souza Bertipaglia 19

×