SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Lenga-lengas Uma lengalenga é uma cantilena transmitida de geração em geração na qual se repetem determinadas palavras ou expressões… Lê as seguintes lengalengas e diverte-te  com elas…
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Lá vai a vaca Lá vai a vaca chamada Estrelinha metade é tua e metade é minha Ela é malhada dá-me leitinho eu bebo-o todo devagarinho.   A Ovelha   A comer no campo está uma ovelha gosta de ervinha e coça a orelha Anda devagar também faz mé mé quando está zangada  dá um pontapé.   Baila o cão Baila o cão baila o gato baila o feijão carrapato carrapato, carrapatinho baila mais um bocadinho. A Ovelha                                                 
O patinho amarelo O patinho amarelo saiu do ovo de manhã cedinho tudo é belo, tudo é novo gritou feliz o patinho Que bom que vai ser brincar e correr com os patos do meu tamanho mostrar que sou pato e ir ao regato tomar um bom banho.   Gato Maltês Era uma vez um gato maltês tocava piano e falava francês A dona da casa chamava-se Inês e o número da porta  era o trinta e três era muito bonito e não era mau também cantava miau, miau, miau.
Está o céu estrelado? Quem o estrelaria?  O homem que o estrelou,  grande estrelador seria.  Rei, capitão soldado, ladrão. Menina bonita de bom coração. Tão, baladão, cabeça de cão. Orelha de burro, sabe a leitão. Tenho um macaco Dentro dum saco Não sei que lhe faça Não sei que lhe diga Dou-lhe um pau Diz que é mau Dou-lhe um osso Diz que é grosso Dou-lhe um chouriço isso, isso.
O tempo perguntou ao tempo   Quanto tempo o tempo tem.  O tempo respondeu ao tempo  Que o tempo tem tanto tempo  Quanto o tempo o tempo tem. Tia Anica Marreca   Traga-me uma roca  P´rá minha boneca  Que ela é careca  Tem um pé de pau Quando vai p´ra cama Faz trau tau tau.  Tão-balalão Soldado ladrão, Menina bonita Não tem coração. Tão-balalão Senhor capitão, Espada na cinta Sineta na mão. Tão-balalão, Cabeça de cão, Orelhas de gato, Não tem coração, Tão-balalão, Cabeça de cão, Cozida e assada no meu caldeirão, Tão-balalão, Senhor capitão Orelha de porco P'ra comer com feijão.
Caracol, caracolinho Sai de dentro do moinho  Mostra a ponta do focinho.   O pato Cimpa O pato Cimpa pulou na tinta virou a lata sujou a pata espalhou a tinta de tanta cor pintou o bico pintou as penas pintou o papo pintou o sapo e haja tinta! No pato Cimpa. O doce perguntou ao doce   quanto doce o doce tem.  O doce respondeu ao doce  que o doce tem tanto doce  quanto o doce, doce tem.  
Dona galinha A senhora galinha toda se lambe e consola olhem as caras que ela faz comendo uma grande bola de gelado de ananás Está a chover e a nevar  E a raposa no lagar  A fazer as camisinhas  P´ra amanhã se casar.  Está a chover e a nevar,  E a raposa no quintal  A apanhar laranjas  Para o dia de Natal.  Atirei o pau ao gato to to   Mas o gato to to  Não morreu eu eu  Dona Chica ca ca  Assustou-se se se  Com o berro, com o berro  Que o gato deu, miau!
O patinho tonto O patinho tonto nunca olha p´ro chão e a toda a hora dá um trambolhão No degrau da escada estava um patim pôs-lhe a pata em cima pim, catra pim, pim, pim. Era uma vez,   Um gato sapato,  bigodes de palha,  cabeça de rato.   Voa, voa joaninha que o teu pai está em Lisboa com um caldinho de galinha para dar à joaninha. Voa, voa joaninha, que o teu pai está em Lisboa com um rabinho de sardinha para comer que mais não tinha.
Era uma velha  Que andava a varrer  Com a lata no rabo  Quanto mais a velha varria Mais a lata no rabo batia.  Sapateiro  Remendeiro  Come carne  De carneiro  Lavadinha e guisada  Come tudo à colherada.   O gato miou O galo cantou O pinto piou O rato chiou   Formiga Pelo muro acima vai uma formiga Com uma mão na testa e outra na barriga Pelo muro abaixo vai um escaravelho Com uma mão na barriga e outra no joelho
Perú velho Quer casar Mas a menina bonita Não há-de encontrar! Glu, glu, glu… Era uma velha muito velha   Mais que a minha avó  Ora o raio da velha Dançava com uma perna só.   Lagarto pintado   Quem te pintou?  Foi uma velha  Que por aqui passou  No tempo da eira  Fazia poeira  Puxa lagarto por essa orelha.
Pico, pico saranico, Quem te deu tamanho bico? Foi a filha da rainha Que está presa na cozinha. Salta a pulga na balança Dá um pulo vai p´ra França. As meninas a correr As meninas a aprender A mais bonita de todas Comigo se há-de esconder.  Lenda dos Dedos Pequenino seu vizinho pai de todos fura bolos e mata piolhos. Este diz: quero pão este diz: que não há este diz: que Deus dará este diz: que furtará este diz: alto lá!   A criada lá de cima É feita de papelão, Quando vai fazer a cama Diz assim ao patrão: Sete e sete são catorze, Com mais sete vinte e um, Tenho sete namorados E não gosto de nenhum.
O que está na varanda? Uma fita de ganga O que está na panela? Uma fita amarela O que está no poço? Uma casca de tremoço O que está no telhado? Um gato malhado O que está na chaminé? Uma caixa de rapé O que está na rua? Uma espada nua O que está atrás da porta Uma vara torta O que está no ninho? Um passarinho Deixa-o no morno Dá-lhe pãozinho.  Se o papa papasse papa,   Se o papa papasse pão,  O papa tudo papava,  Seria o papa papão. Bichinha gata Bichinha gata Que comeste tu? Sopinhas de leite Onde as guardas-te? Debaixo da arca Com que as tapaste? Com o rabo da gato. Sape, sape, sape, sape gato.
1,2,3 1,2,3 Acerta o passo Inês  Damos meia volta Damos outra vez Damos outra vez Ó menina Carlota 1,2,3 Damos todos meia volta  A chover A trovejar E as bruxas A dançar A chover A fazer sol As bruxas A comer pão mole  Arre burro Arre burro De Loulé Carregado De água-pé Arre burro De Monção Carregado De requeijão Arre burrinho Arre burrinho Sardinha assada Com pão e vinho Arre burrinho De Nazaré Uns a cavalo Outros a pé Arre burrinho Para Azeitão Que os outros Já lá vão Carregadinhos De feijão
Malmequer, bem me quer Malmequer, bem me quer,  Muito, pouco, nada.  Eu gosto de ti do sol e do mar.  E de todos os meninos,  Que vejo a brincar.  Malmequer, bem me quer,  Muito, pouco, nada.  Olha além um rato Um olho aqui Outro no mato Olha além um gato Um olho aqui Outro no sapato  . Pipa roxa Pipa coxa  Foi ao mar  E se afundou.  Veio o peixe  Lá do fundo  E na pipa se empinou. Chove chuvisca Água mourisca Filha de rei Maria Francisca. Rei, rainha Carlota Joaquina Fidalgo ladrão Menina bonita do meu coração.
Pim, pam, pum Pim, pam, pum Cada bola mata um Da galinha p’ró perú Quem se livra és tu! Pimpão era um cão Pimpão era um cão Que gostava de limão Era muito brincalhão E fazia aõ-ão. Pintassilgo Amanhã é Domingo Cantará o pintassilgo Pintassilgo é dourado Não tem um burro nem cavalo Tem uma burrinha cega Que chega daqui a castela Castelinha, castelão Minha avó deu-me pão P’ra mim e p’ró meu cão . Trabalho Realizado pelo grupo TC2S http://cc-crie.dte.ua.pt/bau/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdfA oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdfIsa Crowe
 
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_labeques
 
Histórias para todas as letras
Histórias para todas as letrasHistórias para todas as letras
Histórias para todas as letrasProfessora
 
A magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoA magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoCarla Ferreira
 
poemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soares
poemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soarespoemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soares
poemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soaressubel
 
A lenda de arlequim
A lenda de arlequimA lenda de arlequim
A lenda de arlequimcasmaria
 
A velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalA velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalMaria Sousa
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa MimiJATG
 
O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto Sousa Martins
 
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai NatalNinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Nataldaliatrigo
 
Ciclo da água
Ciclo da águaCiclo da água
Ciclo da águaIsa Crowe
 
O ciclo do mel
O ciclo do melO ciclo do mel
O ciclo do melIsa Crowe
 
Corre, corre, cabacinha de alice vieira texto integral
Corre, corre, cabacinha de alice vieira   texto integralCorre, corre, cabacinha de alice vieira   texto integral
Corre, corre, cabacinha de alice vieira texto integralBibliotecadaEscoladaPonte
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreMarisol Santos
 

Mais procurados (20)

A oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdfA oficina do pai natal- pdf
A oficina do pai natal- pdf
 
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
 
Animais que hibernam pp
Animais que hibernam ppAnimais que hibernam pp
Animais que hibernam pp
 
Um bocadinho de inverno
Um bocadinho de invernoUm bocadinho de inverno
Um bocadinho de inverno
 
Poemas dia do pai
Poemas dia do paiPoemas dia do pai
Poemas dia do pai
 
Histórias para todas as letras
Histórias para todas as letrasHistórias para todas as letras
Histórias para todas as letras
 
A magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoA magia da estrela do outono
A magia da estrela do outono
 
poemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soares
poemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soarespoemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soares
poemas da mentira e da verdade - Luisa Ducla Soares
 
A lenda de arlequim
A lenda de arlequimA lenda de arlequim
A lenda de arlequim
 
A velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalA velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natal
 
A Abóbora Gigante
A Abóbora GiganteA Abóbora Gigante
A Abóbora Gigante
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa Mimi
 
O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto O beijo da palavrinha mia couto
O beijo da palavrinha mia couto
 
Uma história de carnaval
Uma história de carnavalUma história de carnaval
Uma história de carnaval
 
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai NatalNinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
NinguéM Dá Prendas Ao Pai Natal
 
A galinha ruiva
A galinha ruivaA galinha ruiva
A galinha ruiva
 
Ciclo da água
Ciclo da águaCiclo da água
Ciclo da água
 
O ciclo do mel
O ciclo do melO ciclo do mel
O ciclo do mel
 
Corre, corre, cabacinha de alice vieira texto integral
Corre, corre, cabacinha de alice vieira   texto integralCorre, corre, cabacinha de alice vieira   texto integral
Corre, corre, cabacinha de alice vieira texto integral
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempre
 

Semelhante a Lengalengas

Semelhante a Lengalengas (20)

Lengalengas
LengalengasLengalengas
Lengalengas
 
A-arca-de-Noé-Vinícius-de-Moraes-alguns-poemas.pdf
A-arca-de-Noé-Vinícius-de-Moraes-alguns-poemas.pdfA-arca-de-Noé-Vinícius-de-Moraes-alguns-poemas.pdf
A-arca-de-Noé-Vinícius-de-Moraes-alguns-poemas.pdf
 
Lengalengas
LengalengasLengalengas
Lengalengas
 
Trava língua
Trava língua Trava língua
Trava língua
 
Trava línguas
Trava línguasTrava línguas
Trava línguas
 
Livro de musicas_infantis
Livro de musicas_infantisLivro de musicas_infantis
Livro de musicas_infantis
 
PROJETO POESIA
PROJETO POESIAPROJETO POESIA
PROJETO POESIA
 
Cancioneiro
CancioneiroCancioneiro
Cancioneiro
 
Cancioneiro
CancioneiroCancioneiro
Cancioneiro
 
A Arca De Noé
A Arca De NoéA Arca De Noé
A Arca De Noé
 
Bestiário - 5.º I e 5.º H
Bestiário - 5.º I e 5.º HBestiário - 5.º I e 5.º H
Bestiário - 5.º I e 5.º H
 
Os ovos misteriosos
Os ovos misteriososOs ovos misteriosos
Os ovos misteriosos
 
Caderno de leitura
Caderno de leituraCaderno de leitura
Caderno de leitura
 
Cancioneiro infantil
Cancioneiro infantilCancioneiro infantil
Cancioneiro infantil
 
Quem Canta Seus Males Espanta
Quem Canta Seus Males EspantaQuem Canta Seus Males Espanta
Quem Canta Seus Males Espanta
 
recopilação de contos populares catalães em leitura fácil
recopilação de contos populares catalães em leitura fácilrecopilação de contos populares catalães em leitura fácil
recopilação de contos populares catalães em leitura fácil
 
trava-línguas
trava-línguastrava-línguas
trava-línguas
 
Livrinho musicas infantis vol 2
Livrinho musicas infantis vol 2Livrinho musicas infantis vol 2
Livrinho musicas infantis vol 2
 
Parlendas
ParlendasParlendas
Parlendas
 
Portefólio da linguagem
Portefólio da linguagemPortefólio da linguagem
Portefólio da linguagem
 

Lengalengas

  • 1. Lenga-lengas Uma lengalenga é uma cantilena transmitida de geração em geração na qual se repetem determinadas palavras ou expressões… Lê as seguintes lengalengas e diverte-te  com elas…
  • 2.
  • 3. O patinho amarelo O patinho amarelo saiu do ovo de manhã cedinho tudo é belo, tudo é novo gritou feliz o patinho Que bom que vai ser brincar e correr com os patos do meu tamanho mostrar que sou pato e ir ao regato tomar um bom banho.   Gato Maltês Era uma vez um gato maltês tocava piano e falava francês A dona da casa chamava-se Inês e o número da porta era o trinta e três era muito bonito e não era mau também cantava miau, miau, miau.
  • 4. Está o céu estrelado? Quem o estrelaria? O homem que o estrelou, grande estrelador seria. Rei, capitão soldado, ladrão. Menina bonita de bom coração. Tão, baladão, cabeça de cão. Orelha de burro, sabe a leitão. Tenho um macaco Dentro dum saco Não sei que lhe faça Não sei que lhe diga Dou-lhe um pau Diz que é mau Dou-lhe um osso Diz que é grosso Dou-lhe um chouriço isso, isso.
  • 5. O tempo perguntou ao tempo Quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo Que o tempo tem tanto tempo Quanto o tempo o tempo tem. Tia Anica Marreca Traga-me uma roca P´rá minha boneca Que ela é careca Tem um pé de pau Quando vai p´ra cama Faz trau tau tau. Tão-balalão Soldado ladrão, Menina bonita Não tem coração. Tão-balalão Senhor capitão, Espada na cinta Sineta na mão. Tão-balalão, Cabeça de cão, Orelhas de gato, Não tem coração, Tão-balalão, Cabeça de cão, Cozida e assada no meu caldeirão, Tão-balalão, Senhor capitão Orelha de porco P'ra comer com feijão.
  • 6. Caracol, caracolinho Sai de dentro do moinho Mostra a ponta do focinho. O pato Cimpa O pato Cimpa pulou na tinta virou a lata sujou a pata espalhou a tinta de tanta cor pintou o bico pintou as penas pintou o papo pintou o sapo e haja tinta! No pato Cimpa. O doce perguntou ao doce quanto doce o doce tem. O doce respondeu ao doce que o doce tem tanto doce quanto o doce, doce tem.  
  • 7. Dona galinha A senhora galinha toda se lambe e consola olhem as caras que ela faz comendo uma grande bola de gelado de ananás Está a chover e a nevar E a raposa no lagar A fazer as camisinhas P´ra amanhã se casar. Está a chover e a nevar, E a raposa no quintal A apanhar laranjas Para o dia de Natal. Atirei o pau ao gato to to Mas o gato to to Não morreu eu eu Dona Chica ca ca Assustou-se se se Com o berro, com o berro Que o gato deu, miau!
  • 8. O patinho tonto O patinho tonto nunca olha p´ro chão e a toda a hora dá um trambolhão No degrau da escada estava um patim pôs-lhe a pata em cima pim, catra pim, pim, pim. Era uma vez, Um gato sapato, bigodes de palha, cabeça de rato. Voa, voa joaninha que o teu pai está em Lisboa com um caldinho de galinha para dar à joaninha. Voa, voa joaninha, que o teu pai está em Lisboa com um rabinho de sardinha para comer que mais não tinha.
  • 9. Era uma velha Que andava a varrer Com a lata no rabo Quanto mais a velha varria Mais a lata no rabo batia. Sapateiro Remendeiro Come carne De carneiro Lavadinha e guisada Come tudo à colherada. O gato miou O galo cantou O pinto piou O rato chiou Formiga Pelo muro acima vai uma formiga Com uma mão na testa e outra na barriga Pelo muro abaixo vai um escaravelho Com uma mão na barriga e outra no joelho
  • 10. Perú velho Quer casar Mas a menina bonita Não há-de encontrar! Glu, glu, glu… Era uma velha muito velha Mais que a minha avó Ora o raio da velha Dançava com uma perna só. Lagarto pintado Quem te pintou? Foi uma velha Que por aqui passou No tempo da eira Fazia poeira Puxa lagarto por essa orelha.
  • 11. Pico, pico saranico, Quem te deu tamanho bico? Foi a filha da rainha Que está presa na cozinha. Salta a pulga na balança Dá um pulo vai p´ra França. As meninas a correr As meninas a aprender A mais bonita de todas Comigo se há-de esconder. Lenda dos Dedos Pequenino seu vizinho pai de todos fura bolos e mata piolhos. Este diz: quero pão este diz: que não há este diz: que Deus dará este diz: que furtará este diz: alto lá! A criada lá de cima É feita de papelão, Quando vai fazer a cama Diz assim ao patrão: Sete e sete são catorze, Com mais sete vinte e um, Tenho sete namorados E não gosto de nenhum.
  • 12. O que está na varanda? Uma fita de ganga O que está na panela? Uma fita amarela O que está no poço? Uma casca de tremoço O que está no telhado? Um gato malhado O que está na chaminé? Uma caixa de rapé O que está na rua? Uma espada nua O que está atrás da porta Uma vara torta O que está no ninho? Um passarinho Deixa-o no morno Dá-lhe pãozinho. Se o papa papasse papa, Se o papa papasse pão, O papa tudo papava, Seria o papa papão. Bichinha gata Bichinha gata Que comeste tu? Sopinhas de leite Onde as guardas-te? Debaixo da arca Com que as tapaste? Com o rabo da gato. Sape, sape, sape, sape gato.
  • 13. 1,2,3 1,2,3 Acerta o passo Inês Damos meia volta Damos outra vez Damos outra vez Ó menina Carlota 1,2,3 Damos todos meia volta A chover A trovejar E as bruxas A dançar A chover A fazer sol As bruxas A comer pão mole Arre burro Arre burro De Loulé Carregado De água-pé Arre burro De Monção Carregado De requeijão Arre burrinho Arre burrinho Sardinha assada Com pão e vinho Arre burrinho De Nazaré Uns a cavalo Outros a pé Arre burrinho Para Azeitão Que os outros Já lá vão Carregadinhos De feijão
  • 14. Malmequer, bem me quer Malmequer, bem me quer, Muito, pouco, nada. Eu gosto de ti do sol e do mar. E de todos os meninos, Que vejo a brincar. Malmequer, bem me quer, Muito, pouco, nada. Olha além um rato Um olho aqui Outro no mato Olha além um gato Um olho aqui Outro no sapato . Pipa roxa Pipa coxa Foi ao mar E se afundou. Veio o peixe Lá do fundo E na pipa se empinou. Chove chuvisca Água mourisca Filha de rei Maria Francisca. Rei, rainha Carlota Joaquina Fidalgo ladrão Menina bonita do meu coração.
  • 15. Pim, pam, pum Pim, pam, pum Cada bola mata um Da galinha p’ró perú Quem se livra és tu! Pimpão era um cão Pimpão era um cão Que gostava de limão Era muito brincalhão E fazia aõ-ão. Pintassilgo Amanhã é Domingo Cantará o pintassilgo Pintassilgo é dourado Não tem um burro nem cavalo Tem uma burrinha cega Que chega daqui a castela Castelinha, castelão Minha avó deu-me pão P’ra mim e p’ró meu cão . Trabalho Realizado pelo grupo TC2S http://cc-crie.dte.ua.pt/bau/