Fanzine   O Jornal do jovem inteligente.                                                                                  ...
Carnaval X NamoroCarnaval da alegria, da música, dança e festa. O que poucos sabem é que esse período de folia pode levar ...
Gravidez não é doençaO especialista Amaury Mendes esclarece dúvidas sobre os cuidados com a saúde no período de gestação.É...
Drogas: a sentença de morte anunciadaNão     é um fenômeno                                                                ...
Droga de VidaEm     meio aos jovens,                                                                                      ...
Problemas da Adolescência                Camisinha                                                        AIDSVantagens   ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fanzine

900 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
900
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fanzine

  1. 1. Fanzine O Jornal do jovem inteligente. Edição 1. Março 2011.Artigo Carnaval X Namoro Droga de vidaEm meio aos jovens, an-dar com pessoas que uti-lizam algum tipo de en-torpecente é praticamentenormal. E, por contadisso, no mínimo um dosnossos amigos usa algumtipo de substância ilegal,mesmo que não saibamos.Eu acho deprimente ter deafirmar isso, mas a cadadia que passa milhares de Carnaval é o tempo de feriado extremamenteadolescentes entram em Gravidez: não é doença curtir, tempo de sair para prolongado para queum submundo de vício se divertir, conhecer novas o jovem possa sairque parte da maconha até Dr. Amaury Mendes pessoas, e fazer novos ami- para “curtir”. Mas e oso crack e outras drogas Júnior fala sobre a gravi- gos, mas em um namora namoros onde ficam?muito mais pesadas. dez na adolescência. “Ex- isso pode afetar à relação? De acordo com dados em ames de sangue, de urina Pode-se ver nesta época novembro é a mês onde e ginecológicos são in- do ano muita curtição, a o maior nascimento de dispensáveis e ajudam a muitos namoro rápidos, crianças no Brasil, isto evitar doenças e infecções muito sexo, a mídia, a não é por acaso nove me- que podem prejudicar o cultura propicia toda ses depois do carnaval? feto e até causar o aborto”, esta aventura para os preocupam com o futuro. afirma. famosos foliões, umProblemas da adolescência Camisinha Gravidez DROGAS AIDS
  2. 2. Carnaval X NamoroCarnaval da alegria, da música, dança e festa. O que poucos sabem é que esse período de folia pode levar ao fimde muitos compromissos amorosos.Por João PedroCarnaval é o tempo decurtir, tempo de sair parase divertir, conhecer no-vas pessoas, e fazer no-vos amigos, mas em umnamora isso pode afetar àrelação?Pode-se ver nesta épocado ano muita curtição,muitos namoro rápidos,muito sexo, a mídia, acultura propicia toda estaaventura para os famososfoliões, um feriado ex-tremamente prolongadopara que o jovem possasair para “curtir”. Mas eos namoros onde ficam? Imagem Romero BritoDe acordo com dados em Religiosamente falando a Mas afinal o que é car- gostam passam bastantenovembro é a mês onde castidade é um dever de naval e o que é namoro? tempo juntas. As razõesa o maior nascimento de todos, uma forma de se Carnaval é considerado para namorar podem sercrianças no Brasil, isto preservar, pois seu corpouma das festas populares diversas: amor, atraçãonão é por acaso nove me- é templo do Espírito Santo mais animadas e represen- física, companheirismo.ses depois do carnaval? não um objeto de desejos.tativas do mundo. Tem sua Mas sabe-se que muitos origem no entrudo portu- Durante o tempo de nam-Muitos jovens não se jovens não se preocupam guês, onde, no passado, oro, o amor se desenvolve epreocupam com o futuro com a religião consideramas pessoas jogavam uma se aperfeiçoa.Nos mundose se esquecem que uma ela como uma coisa de nas outras, água, ovos e atuais e principalmente nosimples “transa”, pode careta ou de velho. farinha. Carnaval a moda é “ficar”,mudar sua vida e princi- O entrudo acontecia num expressão que quer dizerpalmente de jovens mães No Brasil principalmente período anterior à quares- beijar, curtir. O famosoque muitas vezes cuidam o Carnaval se baseia em ma e, portanto, tinha um ficar realmente é muitode seus filhos sozinhas. nudismo, sexo, diversão significado ligado à liber- bom, mas devemos tomar e “curtição”. Deve – se dade. Este sentido per- muito cuidado com estaMas qual seria a solução? tomar certo cuidado onde manece até os dias de hoje moda, varias doenças po-Camisinha, castidade, se vive, pois é aqui ou no Carnaval. O namoro é dem ser transmitidas comnão sair. nesta folia que sua vida o tempo de convivência, um simples beijo é hora de pode mudar. onde duas pessoas que se aprender a se valorizar.
  3. 3. Gravidez não é doençaO especialista Amaury Mendes esclarece dúvidas sobre os cuidados com a saúde no período de gestação.É preciso cuidar bem “A gravidez altera o pH, a vagina da gestanteda sua saúde e do bebê. fica um pouco inchada,“Exames de sangue, de mais molhada, com maisurina e ginecológicos são secreção, o que facilita aindispensáveis e ajudam contaminação por bacté-a evitar doenças e in- rias”, revela.fecções que podem prej-udicar o feto e até causar Para o especialista o préo aborto”, alerta o gine- natal é de fundamen-cologista. tal importância durante esse período. “Nos trêsUma dieta saudável primeiros meses, a libidotambém e bastante reco- da mulher cai e muitosmendável. Nos três meses parceiros insistem emde gestação, o bebê não fazer sexo. Neste caso, atem imunidade, portan- falta de lubrificação facil-to, é preciso evitar qual ita a invasão de bactérias.quer tipo de contamina- Por isso, todo cuidado éção, não ingerir bebidas pouco”.alcoólicas e nem fazeruso de drogas. E o maisimportante: cuidar muitobem da higiene intima.Nos três primeiros meses e fundamental:• Fazer o pré-natal e uma bateria de exames de rotina.• Incluir no cardápio verduras, legumes, frutas e carnes magras.• Evitar bebidas gasosas e alcoólicas, excesso de carboidratos, comida japonesa (ou outros alimentos crus) e fast food.• Não usar tintura nos cabelos e evitar inalar qualquer produto químico.• Adiar as reforma em casa.• Usar sabonetes líquidos para a higiene intima na hora do banho• Cuidar-se na relação de sexo anal para que o pênis não encoste à vagina após a pen-etração no ânus.• Jamais deixar de usar camisinha.
  4. 4. Drogas: a sentença de morte anunciadaNão é um fenômeno para 73 milhões por ano, só nos Estados Unidos.único e isolado, o fato dogrande aumento do uso Revistas, jornais, rádios,de drogas entre os adoles- televisões bombardeiamcentes, durante a década as pessoas com mensa-passada, no Brasil, Esta- gens insistentes de que odos Unidos e em outros alívio para quase tudo -países. Acreditava-se que, ansiedade, depressão, ex-na década de 60 os jovens citamento - depende “ex-passaram a consumir mais atamente de engolir maisdrogas com o advento um comprimido”. Nas pa-da cultura e essa crença lavras de um garoto de 13limitava-se somente aos anos: “Espera-se que nósjovens. Tal crença é uma não tomemos drogas, masilusão e só pode obstruir a TV está cheia de comer-as tentativas de se colocar ciais mostrando pessoaso problema em perspec- correndo para obter seustiva adequada. comprimidos porque al- guma coisa as incomo-O emprego e abuso propa- da”. Os adolescentes quegado de drogas não se re- adotaram essa maneira destringem aos adolescentes ver como a vida deve sere não começou com o conduzida podem apenasadvento da cultura jo- estar refletindo modelosvem dos anos 60, como sociais e paternos.qualquer um que tinha 20anos na década de 20 pode Não podemos tapar o solatestar. com peneira, não há lugar para complacência. Emb-Conquanto possa haver ora seja certo afirmar, pordiferenças significativas exemplo, que “apenas” deentre as gerações no que 3% a 5% dos estudantes deconcerne aos seus padrões nível colegial no Brasil, jáde uso de drogas, a socie- experimentou maconha,dade mais ampla, da qual Por exemplo, de um quar- regime (anfetaminas) ou isso significa mais de umos adolescentes são uma to a um terço de todas as tranqüilizantes. Entre milhão de jovens. Alémparte, vem-se desenvol- prescrições médicas atual- 1964 e 1977, as receitas disso, o uso de drogasvendo como uma “cultura mente feitas no Brasil, Es- de Valium e Librium, , os “tradicionais”, sobretudoda droga” há muitos anos. tados são para estimulan- dois tranqüilizantes mais o álcool, tem aumentado tes ou comprimidos para usados, aumentou de 40 nos últimos anos.
  5. 5. Droga de VidaEm meio aos jovens, estudante que sempre teve acesso a tudo o que quis eandar com pessoas que nunca realmente trabalhouutilizam algum tipo de en- para receber dinheiro. É otorpecente é praticamente tipo de adolescente quenormal. E, por conta dis- gasta de R$ 300 a R$ 400so, no mínimo um dos em entorpecentes quandonossos amigos usa algum vai em festas.tipo de substância ilegal,mesmo que não saibamos. Os motivos para o con-Eu acho deprimente ter de sumo são ainda mais in-afirmar isso, mas a cada coerentes. Como ressaltei,dia que passa milhares de o apelo dos jovens é queadolescentes entram em usar drogas é “legal”. Deum submundo de vício muitos amigos, escuteique parte da maconha até que festas sem bebidas ouo crack e outras drogas drogas não são “festas”.muito mais pesadas. Já Existem tantas desculpasvirou até clichê dizer que para esse consumo, umaa parada final é a morte, mais ridícula que a outra,mas isso não deixa de ser que me dá até vontadeverdade. Em meio a esse de rir. Não um riso feliz,cenário atual, uma das mas aquele amarelo doperguntas mais feitas é: de coringa. Um que escondequem é a culpa? a vergonha de pertencer a uma geração tão fútil, cujo lema ironicamente éSem dúvida nenhuma, “Viva a vida, pois a vidados usuários. Vício não é curta”. Sim, curta parase herda dos pais, nem é eles. Curta de ideias, deimposto pela sociedade. personalidade, de caráter...Dos pais, recebemos ap- de todos os valores moraisenas educação. Porém, que realmente contam.mesmo com ela, muitosadolescentes preferem os É uma “semivida”, naconselhos de traficantes. Se não fossem os usuários, sem condições, marginal- qual sua felicidade acabouE nenhum traficante que todo esse comércio ilegal izada pela sociedade e que dependendo desse estadose preze vai forçar alguém já teria acabado há muito furta para pagar pelas dro- eufórico em que você es-a usar drogas, afinal ele é tempo. E esse usuário gas que consome. quece todas as derrotas.sempre um “amigo” e nun- não deve ser idealizado O usuário que sustentaca ofereceria algo que não como uma pessoa sem esse tráfico é umfosse “legal”. Além disso,
  6. 6. Problemas da Adolescência Camisinha AIDSVantagens MAIS MENINAS COM AIDS – O alerta ao público jovem sobre vulnerabilidades ao HIV/aids • De fácil aquisição, é o método ideal para ampara-se em dados epidemiológicos do Depar-relações ocasionais ou imprevistas. tamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Sec-• Pode ser utilizado sem contra-indicações, retaria de Vigilância em Saúde. De acordo com e é o único método contraceptivo que reduz a in- o Boletim Epidemiológico 2010, os casos de aids cidência grandemente de doenças venéreas como em homens e mulheres jovens, de 13 a 19 anos, de a SIDA (Aids no Brasil), a gonorréia, entre outras. 1980 até junho de 2010, correspondem a um total Porém pode falhar contra o HPV (Efetividade do de 12.693. Nessa faixa etária, o número de casos preservativo Contra DSTs, WHO, 2004). de aids é maior entre as mulheres: oito casos em meninos para cada dez em meninas, enquanto que nas demais faixas etárias o número de casos de aids Desvantagens é maior entre homens do que entre mulheres.• Se for mal aplicado ou utilizado mais de Camisinha: Em relação ao uso da camisinha, a uma vez, pode romper, não evitando a transmis- Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas são do sémen. da População Brasileira (PCAP - 2008) mostra • Diminui a sensibilidade dos órgãos geni- que, entre jovens de 15 a 24 anos, as meninas estão tais, sendo referida mais frequentemente a perda mais vulneráveis ao HIV. Em todas as situações, de sensibilidade no pénis. os meninos usam mais preservativo do que elas. • Como é de utilização única, o custo de cada Na última relação sexual com parceiro casual, o preservativo não é um factor desprezível, apesar percentual de uso da camisinha entre as meninas é de, no Brasil, os postos de saúde da rede pública consideravelmente mais baixo (49,7%) do que en-fornecerem gratuitamente preservativos, sendo tre os meninos (76,8%). Quando o relacionamento estes da largura padrão (52 milímetros). se torna fixo, apenas 25,1% delas utilizam a camis-• Algumas pessoas são alérgicas ao látex, ma- inha com regularidade; entre eles, o percentual é terial de que são compostos a maioria dos preser- de 36,4%.vativos disponíveis (existem também preservati-vos em outros materiais). Fique sabendo: O exame de HIV pode ser feito nos Centros de Testagem e Aconselhamento Precauções (CTA). Antes e depois da testagem, a pessoa passa por aconselhamento e orientação, com o objetivo • Convém utilizar marcas conhecidas com de facilitar a interpretação do resultado. O teste controle de segurança e respeitar os prazos de val- deve ser feito no mínimo 30 dias após a situação idade. No Brasil, deve ter o selo de aprovação do de risco.Inmetro.

×