Periodização seminário

2.102 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
108
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Periodização seminário

  1. 1. 1 Miguel Leal Periodizar significa definir limites temporais precisos que permitam, aos Trs, estruturar de forma objetiva o treino em cada momento da preparação desportiva. Portanto, a periodização é um instrumento decisivo na organização do treino e da qual depende, em última análise, o controlo do desenvolvimento da capacidade de prestação desportiva. Como pode a periodização compatibilizar-se com realidades diferentes de preparação desportiva: 1º - no desporto de alto nível 2º - no desporto de crianças e jovens, 3º - no desporto amador/distrital Fundamentação: 1- Estações climáticas 2- Calendário de competições 3- Adaptação do Organismo (fases da forma) 4- Organização social da prática desportiva (Questões financeiras => quadro competitivo mais extenso) Divisão da época em períodos com objetivos específicos de forma a facilitar o processo evolutivo do treino e consequente- mente do rendimento Macroestrutura Mesoestrutura Microestruras Macrociclo (ano época) Mesociclo (conj. de semanas, meses) Microciclo (semanas, conj. de dias) Unidade de treino (dia, dias) Sessão de treino
  2. 2. 2 MACROCICLO I MACROCICLO II PREPARAÇÃO COMPETIÇÃO PREPARAÇÃO COMPETIÇÃO 1º MESOCICLO 2º MESOCICLO 3ª MESOCICLO 1º MICROCICLO 2º MICROCICLO 3º MICROCICLO 4º MICROCICLO 3º MICROCICLO 2ª FEIRA 3ª F 4ª F 5ª F 6ª F SÁB D DIA: 4º F DATA OBJECTIVO: Estado de predisposição ótima para a obtenção de elevados resultados des- portivos. É consequência direta do processo de treino e resulta da articulação ótima de quatro fatores (físicos, psicológicos, tático-técnicos). FASES FUNDAMENTAIS DO DESENVOLVIMENTO DA FORMA DESPORTIVA DESENVOLVIMENTO DA OBTENÇÃO E ESTABILBIZAÇÃO QUEBRA DA FORMA FORMA DESPORTIVA DA FORMA DESPORTIVA DESPORTIVA (AQUISIÇÃO) (CONSERVAÇÃO) (PERCA TEMPORÁRIA) TREINO E ESTRUTURA COMPETITIVA MACROCICLO PERÍODO DE PERÍODO DE PERÍODO DE PREPARAÇÃO COMPETIÇÃO TRANSIÇÃO Forma desportiva: Estado de predisposição ótima para a obtenção de elevados resultados desportivos. É consequência direta do processo de treino e resulta da articulação ótima de quatro fatores (físicos, psicológicos, tático-técnicos). Dimensão física
  3. 3. 3 Princípio da progressão Princípio da estabilização ADAPTAÇÃO ESTABILIZAÇÃO DAADAPTAÇÃO ELEVAÇÃO DAADAPTAÇÃO CARGA MANUTENÇÃO DA CARGA AUMENTO DA CARGA Situação dominante em modalidades com um longo PP e um curto PC Situação dominante em modalidades com um curto PP e um longo PC Representação gráfica da evolução da forma Representação gráfica da evolução da forma Conjunto de UT organizadas de tal modo, que o melhor rendimento se possa obter em cada unidade, evitando o aparecimento do cansaço físico e psicológico do indivíduo. Os MC apoiam a sua base teórica e científica no CARMV. Planificação semanal (Microciclo) 1. No dia do jogo/competição todos os atletas devem estar completamente recuperados 2. Atenção à dinâmica esforço/recuperação (1 ou 2 jogos) 3. A lógica fisiológica das cargas, se possível, deve ser mantida (padrão de esforço) 4. Jogo realizado/prova realizada (AJ) 5. Jogo a realizar Preocupações: D 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª S D Jogo Jogo
  4. 4. 4 Alguns aspetos a considerar na UT 1. Objetivos/conteúdos 2. Diferenciação das fases ou partes 3. Ordem dos conteúdos (técnica, CM, etc.) 4. Grau de complexidade 5. Duração dos exercícios e da sessão 6. Transições Periodização da Prática Desportiva de Crianças e Jovens Que periodização, que modelos de periodização são possíveis nas diferentes etapas do processo de formação? Princípios da PDCJ 1. o desporto de crianças e jovens não visa resultados imediatos; antes orienta-se por preocupações em que a formação dos jovens desportistas ocupa um lugar central; 2. não devendo ser a potenciação do rendimento a principal preocupação dos trs, tb os modelos de periodização não devem revestir perfil idêntico ao desporto de AR; 3. as necessidades de consideração na preparação dos jovens de uma especialização crescente é compatível com a ideia de que quanto mais avançado estiver o processo de formação tanto mais será possível adotar modelos de periodização próximos dos utilizados no desporto de AR. 4. justifica que em cada etapa seja considerado um modelo de periodização específico. 3 etapas linhas de força que permitem estruturar a periodização do treino.
  5. 5. 5 Objetivo central: preparação motora e desportiva multilateral Perfil da periodização: a existência de atividades em que o T e a C se confundem, na prossecução dos objetivos visados, e em que a competição decorre ou não num quadro instituído, não justifica ainda uma periodização no seu sentido restrito. 1ª Etapa da preparação preliminar (6 a 10 anos) Fundamentos …….. Objetivo central: orientação inicial da criança para a prática regular de uma atividade desportiva e desenvolvimento dos fundamentos desse desporto. Perfil da periodização: iniciação da periodização dado que o treino e a competição, organizada em quadros institucionais, começam a diferenciar-se. Harmonizar o quadro competitivo com o calendário escolar. 2ª Etapa de especialização inicial Especialização…… 3ª Etapa da especialização aprofundada Rendimentos……. Objetivo central: desenvolvimento aprofundado da capacidade de prestação numa modalidade ……… Futebol. Perfil da periodização: aumenta consideravelmente o nº e o nível de exigência das competições. As competições assumem, em relação ao treino, um lugar de maior destaque e tornam-se visíveis as preocupações com o rendimento na competição, o que justifica que: A periodização a adotar se aproxime da do desporto de AR, embora com algumas nuances, próprias, resultantes de uma relação entre o esforço e a recuperação que não pode, nem deve ser, ser tão intensificada como no desporto de AR.

×