SlideShare uma empresa Scribd logo
Profª: Ms.Fernanda Borges
 DIREITOS FUNDAMENTAIS – Os direitos
fundamentais são os direitos do ser humano
reconhecidos e positivados na esfera do direito
Constitucional positivo de determinado Estado;
 DIREITOS HUMANOS – A expressão ‘direitos
humanos’ guarda relação com os documentos
de direito internacional, aspiram validade
universal, para todos povos e tempos, de tal
sorte que revelam um caráter supranacional.
 A consagração dos direitos humanos é fruto
de mudanças ocorridas ao longo do tempo
em relação à estrutura da sociedade, bem
como de diversas lutas e revoluções.
 Video Human Rights– A História dos Direitos
Humanos.
“Faça o que no seu coração achar que é correto —
já que será criticado de qualquer forma. Será
condenado se faz isso e será condenado se não faz
isso.” — Eleanor Roosevelt
 Cilindro de Ciro (539 a.C.)
 Carta Magna (1215)
 Petição de Direito (1628)
 Declaração de Independência dos Estados Unidos
(1776)
 A Constituição dos Estados Unidos da América
(1787) e a Declaração dos Direitos (1791)
 A Declaração dos Direitos do Homem e do
Cidadão (1789)
 Primeira Convenção de Genebra (1864)
 Pacto da Sociedade das Nações (1919)
 Conferência das Nações Unidas (1945) – Carta da
ONU
 A Declaração Universal dos Direitos Humanos
(1948)
 Conhecer os 30 artigos (traduzido para mais de
300 línguas).
 Marco no processo de conformação da
sociedade internacional e de afirmação
internacional dos direitos humanos. Essa
declaração é um standard ideial sustentado em
comum por muitas nações, mas não tem força
de lei.
Segundo Flávia Piovesan(1997):
“Por Direito Constitucional Internacional,
subentende-se aquele ramo do direito na qual
se verifica a fusão e a interação entre o Direito
Constitucional e o Direito Internacional. Esta
interação assume um caráter especial quando
estes dois campos do direito buscam
resguardar um mesmo valor – o valor da
primazia da pessoa humana – concorrendo na
mesma direção e sentido”
 Historicidade
 Imprescritibilidade
 Universalidade
 Inalienabilidade
 Irrenunciabilidade
 Interdependência
 Inviolabilidade
 Relatividade
Obs: Os direitos fundamentais não podem ser totalmente
inalienáveis ou irrenunciáveis. Tem que haver um
mínimo existencial. Pode ser alienável ou renunciável ate
certo ponto, não pode ser totalmente.
1º Geração:
Principio da Legalidade
Foco no indivíduo/ Foco nas liberdades
Direito à vida, liberdade, propriedade.
2º Geração:
Principio da Igualdade
Direitos sociais (visando a justiça social)
Exige do Estado ações positivas, prestações
Saúde, educação, trabalho, habitação.
3º Geração:
Fraternidade
Principio da solidariedade
Direitos difusos (não individual)
Direito de todos
Ex: cultura, meio ambiente, paz, comunicação.
4º Geração (Paulo Bonavides):
Democracia
Informação
Pluralismo
Reconhecimento formal dos direitos
fundamentais em nível global.
 A Constituição Federal de 1988 representa um
marco jurídico na institucionalização dos
direitos humanos no país, pois acolhe o
princípio da indivisibilidade e interdependência
dos direitos humanos.
 Ë adotado também o princípio da aplicabilidade
imediata das normas definidoras dos direitos e
garantias fundamentais, estabelecido no artigo
5º, primeiro parágrafo:
“as normas definidoras dos direitos e garantias
fundamentais t6em aplicação imediata”.
 A Carta de 1988 elege o valor da dignidade
humana como um valor essencial,
estabelecendo no artigo 1º, inciso III.
 Além disso, o princípio da prevalência dos
direitos humanos é o princípio fundamental
que rege o Estado brasileiro nas relações
internacionais, conforme está previsto no
artigo 4º, inciso II;”
 A adoção deste princípio importa,
necessariamente, na abertura da ordem
jurídica interna ao sistema internacional de
proteção aos direitos humanos, e mais
especificamente ao sistema interamericano.
 O artigo 5º, 2º parágrafo, também é fundamental para
a matéria, pois apresenta a interação entre o direito
internacional dos direitos humanos e o direito interno,
ao determinar que:
 “Os direitos e garantias expressos nesta Constituição
não excluem outros decorrentes do Regime e dos
princípios por ela adotados, ou dos tratados
internacionais em que a República Federativa do Brasil
seja parte”.
 STF e Tratados Internacionais
Direitos Humanos e aprovados nos termos do art. 5º, §
3º, CF: Status Constitucional;
Direitos Humanos sem obediência às formalidades do
art. 5º, § 3º, CF: Status Supralegal;
 A partir da CRFB de 1988 foram ratificados pelo
Brasil:
a) a Convenção Interamericana para Prevenir e
Punir a Tortura, em 20 de julho de 1989;
b) a Convenção sobre os Direitos da Criança, em 24
de setembro de 1990;
c) o Pacto Internacional dos Direitos Civis e
Políticos, em 24 de janeiro de 1992;
d) o Pacto Internacional dos Direitos Econômicos,
Sociais e Culturais, em 24 de janeiro de 1992;
e) a Convenção Americana de Direitos Humanos,
em 25 de setembro de 1992;
f) a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir
e Erradicar a Violência contra a Mulher, em 27 de
novembro de 1995.
 Convenção sobre os Direitos das Pessoas com
Deficiência - DECRETO Nº 6.949, DE 25 DE AGOSTO DE
2009.
 CF/88: Considera os Direitos e Garantias
Fundamentais como gênero, do qual são
espécies:
◦ Direitos Individuais (Capítulo I);
◦ Direitos Coletivos (Capítulo I);
◦ Direitos Sociais (Capítulo II);
◦ Direitos de Nacionalidade (Capítulo III);
◦ Direitos Políticos (Capítulo IV); e
◦ Partidos Políticos (Capítulo V).
 Eficácia Vertical: é a aplicação dos direitos
fundamentais às relações entre o indivíduo e
o Estado.
 Eficácia Horizontal/Eficácia Privada/Eficácia
Perante Terceiros/Eficácia Externa: é a
aplicação dos direitos fundamentais às
relações entre particulares.
 COMPARATO, Fábio Konder. Fundamento dos Direitos
Humanos. Cultura dos Direitos Humanos. ed. LTr. 1998.
 COMPARATO, Fábio Konder. A Afirmação Histórica dos
Direitos Humanos - 8ª Ed. 2013.
 PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito
Constitucional Internacional. 8 ed. São Paulo: Saraiva,
2007.
 PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e justiça internacional:
um estudo comparativo dos sistemas regionais europeu,
interamericano e africano. São Paulo: Saraiva, 2007
 MAZZUOLI, Valério de Oliveira. Coletânea de Direito
Internacional. 4ª ed. São Paulo: Revista dos Tribunais,
2006.
 PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito
Constitucional Internacional. 7ª ed. São Paulo: Saraiva,
2006.
CONSIDERANDO que o reconhecimento da dignidade inerente a
todos os membros da família humana e seus direitos iguais e
inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no
mundo,
CONSIDERANDO que o desprezo e o desrespeito pelos direitos do
homem resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência
da Humanidade, e que o advento de um mundo em que os
homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade
de viverem a salvo do temor e da necessidade,
CONSIDERANDO ser essencial que os direitos do homem sejam
protegidos pelo império da lei, para que o homem não seja
compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a
opressão,
CONSIDERANDO ser essencial promover o desenvolvimento de
relações amistosas entre as nações,
 CONSIDERANDO que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na
Carta, sua fé nos direitos do homem e da mulher, e que decidiram
promover o progresso social e melhores condições de vida em uma
liberdade mais ampla,
 CONSIDERANDO que os Estados Membros se comprometeram a
promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito
universal aos direitos e liberdades fundamentais do homem e a
observância desses direitos e liberdades,
 CONSIDERANDO que uma compreensão comum desses direitos e
liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento
desse compromisso,
 A Assembleia Geral das Nações Unidas proclama a
presente "Declaração Universal dos Direitos do Homem" como o
ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações,
com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade,
tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do
ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e
liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter
nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a
sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos
próprios Estados Membros, quanto entre os povos dos territórios
sob sua jurisdição.
 Artigo 1
Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e
devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.
 Artigo 2
I) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração
sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra
natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
II) Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do
país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela,
sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.
 Artigo 3
Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.
 Artigo 4
Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos
em todas as suas formas.
 Artigo 5
Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.
 Artigo 6
Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.
 Artigo 7
Todos são iguais perante a lei e tem direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos tem
direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer
incitamento a tal discriminação.
 Artigo 8
Todo o homem tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos
que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.
 Artigo 9
Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.
 Artigo 10
Todo o homem tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal
independente e imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação
criminal contra ele.
 Artigo 11
I) Todo o homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua
culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido
asseguradas todas as garantias necessárias a sua defesa.
II) Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituiam delito
perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que,
no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.
 Artigo 12
Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua
correspondência, nem a ataques a sua honra e reputação. Todo o homem tem direito à proteção da lei
contra tais interferências ou ataques.
 Artigo 13
I) Todo homem tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.
II) Todo o homem tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.
 Artigo 14
I) Todo o homem, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.
II) Este direito não pode ser invocado em casos de perseguição legitimamente motivada por crimes de
direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.
 Artigo 15
I) Todo homem tem direito a uma nacionalidade.
II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.
 Artigo 16
I) Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, tem o
direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento,
sua duração e sua dissolução.
II) O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.
III) A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do
Estado.
 Artigo 17
I) Todo o homem tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.
II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.
 Artigo 18
Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a
liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo
ensino, pela prática, pelo culto e pela observâcia, isolada ou coletivamente, em público ou em
particular.
 Artigo 19
Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem
interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer
meios, independentemente de fronteiras.
 Artigo 20
I) Todo o homem tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas.
II) Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.
 Artigo 21
I) Todo o homem tem o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio
de representantes livremente escolhidos.
II) Todo o homem tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
III) A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições
periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a
liberdade de voto.
 Artigo 22
Todo o homem, como membro da sociedade, tem direito à segurança social e à realização, pelo
esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada
Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indipensáveis à sua dignidade e ao livre
desenvolvimento de sua personalidade.
 Artigo 23
I) Todo o homem tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis
de trabalho e à proteção contra o desemprego.
II) Todo o homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
III) Todo o homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure,
assim como a sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se
acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.
IV) Todo o homem tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus
interesses.
 Artigo 24
Todo o homem tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias
remuneradas periódicas.
 Artigo 25
I) Todo o homem tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e be
star, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito
à seguranca em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda de meios de
subsistência em circunstâncias fora de seu controle.
II) A maternidade e a infância tem direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro
ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.
 Artigo 26
I) Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e
fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnic
rofissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
II) A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento
do respeito pelos direitos do homem e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a
tolerância e amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações
Unidas em prol da manutenção da paz.
III) Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.
 Artigo 27
I) Todo o homem tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de
participar do progresso científico e de fruir de seus benefícios.
II) Todo o homem tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção
científica, literária ou artística da qual seja autor.
 Artigo 28
Todo o homem tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na
presente Declaração possam ser plenamente realizados.
 Artigo 29
I) Todo o homem tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua
personalidade é possível.
II) No exercício de seus direitos e liberdades, todo o homem estará sujeito apenas às limitações determinadas
pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de
outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade
democrática.
III) Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e
princípios das Nações Unidas.
 Artigo 30
Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado,
grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de
quaisquer direitos e liberdades aqui estabelecidos.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Teoria Geral Direitos Fundamentais (1).pptx

6  convenção americana de direitos humanos
6  convenção americana de direitos humanos6  convenção americana de direitos humanos
6  convenção americana de direitos humanos
ericadvogado
 
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Washington Araújo
 
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOS
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOSDECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOS
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOS
Ricardo Torques
 
Aula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vp
Aula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vpAula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vp
Aula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vp
Sidney Andrade
 
Declaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para Concursos
Declaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para ConcursosDeclaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para Concursos
Declaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para Concursos
Estratégia Concursos
 
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Washington Araújo
 
Historia direitos humanos
Historia direitos humanosHistoria direitos humanos
Historia direitos humanos
AlanWillianLeonioSil
 
Evolução Histórica dos Direitos Humanos.pptx
Evolução Histórica dos Direitos Humanos.pptxEvolução Histórica dos Direitos Humanos.pptx
Evolução Histórica dos Direitos Humanos.pptx
ssuser7c005d
 
Declaracao universal direitos_humanos
Declaracao universal direitos_humanosDeclaracao universal direitos_humanos
Declaracao universal direitos_humanos
G. Gomes
 
Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821
Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821
Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821
guest65df5d
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos Humanos
Rafaelsoares
 
Sociologia 3as-cidadania-direitos
Sociologia 3as-cidadania-direitosSociologia 3as-cidadania-direitos
Sociologia 3as-cidadania-direitos
gisele75
 
Diversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptx
Diversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptxDiversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptx
Diversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptx
RobsonAbreuProfessor
 
Apostila direitos humanos
Apostila direitos humanosApostila direitos humanos
Apostila direitos humanos
Elisangela Santos
 
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7
Rayanne Vasconcelo
 
Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...
Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...
Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...
09876yhnmko
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
conceitav
 
Dtos hum
Dtos humDtos hum
Dtos hum
conceitav
 
EF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docx
EF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docxEF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docx
EF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docx
Adriano Sousa Costa
 
Dudh
DudhDudh
Dudh
Samathema
 

Semelhante a Teoria Geral Direitos Fundamentais (1).pptx (20)

6  convenção americana de direitos humanos
6  convenção americana de direitos humanos6  convenção americana de direitos humanos
6  convenção americana de direitos humanos
 
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
 
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOS
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOSDECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOS
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ESQUEMATIZADA PARA CONCURSOS
 
Aula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vp
Aula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vpAula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vp
Aula 04-declaração-universal-dos-direitos-humanos-vp
 
Declaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para Concursos
Declaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para ConcursosDeclaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para Concursos
Declaração Universal de Direitos Humanos Esquematizada para Concursos
 
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
Reflexões sobre o artigo 7 da declaração universal dos direitos humanos comen...
 
Historia direitos humanos
Historia direitos humanosHistoria direitos humanos
Historia direitos humanos
 
Evolução Histórica dos Direitos Humanos.pptx
Evolução Histórica dos Direitos Humanos.pptxEvolução Histórica dos Direitos Humanos.pptx
Evolução Histórica dos Direitos Humanos.pptx
 
Declaracao universal direitos_humanos
Declaracao universal direitos_humanosDeclaracao universal direitos_humanos
Declaracao universal direitos_humanos
 
Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821
Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821
Os Direitos Humanos E A Globalizacao Sarina2821
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos Humanos
 
Sociologia 3as-cidadania-direitos
Sociologia 3as-cidadania-direitosSociologia 3as-cidadania-direitos
Sociologia 3as-cidadania-direitos
 
Diversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptx
Diversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptxDiversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptx
Diversidade Étnico, Gênero e Direitos Humanos.pptx
 
Apostila direitos humanos
Apostila direitos humanosApostila direitos humanos
Apostila direitos humanos
 
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7
Direitos humanos-e-gerao-da-paz-fascculo-7
 
Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...
Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...
Convencao-Europeia-dosConvencao-Europeia-dos-Direitos-do-HomemDireitos-do-Hom...
 
Direitos humanos
Direitos humanosDireitos humanos
Direitos humanos
 
Dtos hum
Dtos humDtos hum
Dtos hum
 
EF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docx
EF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docxEF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docx
EF07ER07X - O que são direitos humanos (1).docx
 
Dudh
DudhDudh
Dudh
 

Último

Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 

Último (20)

Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 

Teoria Geral Direitos Fundamentais (1).pptx

  • 2.  DIREITOS FUNDAMENTAIS – Os direitos fundamentais são os direitos do ser humano reconhecidos e positivados na esfera do direito Constitucional positivo de determinado Estado;  DIREITOS HUMANOS – A expressão ‘direitos humanos’ guarda relação com os documentos de direito internacional, aspiram validade universal, para todos povos e tempos, de tal sorte que revelam um caráter supranacional.
  • 3.  A consagração dos direitos humanos é fruto de mudanças ocorridas ao longo do tempo em relação à estrutura da sociedade, bem como de diversas lutas e revoluções.  Video Human Rights– A História dos Direitos Humanos.
  • 4. “Faça o que no seu coração achar que é correto — já que será criticado de qualquer forma. Será condenado se faz isso e será condenado se não faz isso.” — Eleanor Roosevelt
  • 5.  Cilindro de Ciro (539 a.C.)  Carta Magna (1215)  Petição de Direito (1628)  Declaração de Independência dos Estados Unidos (1776)  A Constituição dos Estados Unidos da América (1787) e a Declaração dos Direitos (1791)  A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão (1789)  Primeira Convenção de Genebra (1864)  Pacto da Sociedade das Nações (1919)  Conferência das Nações Unidas (1945) – Carta da ONU  A Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948)
  • 6.  Conhecer os 30 artigos (traduzido para mais de 300 línguas).  Marco no processo de conformação da sociedade internacional e de afirmação internacional dos direitos humanos. Essa declaração é um standard ideial sustentado em comum por muitas nações, mas não tem força de lei.
  • 7. Segundo Flávia Piovesan(1997): “Por Direito Constitucional Internacional, subentende-se aquele ramo do direito na qual se verifica a fusão e a interação entre o Direito Constitucional e o Direito Internacional. Esta interação assume um caráter especial quando estes dois campos do direito buscam resguardar um mesmo valor – o valor da primazia da pessoa humana – concorrendo na mesma direção e sentido”
  • 8.  Historicidade  Imprescritibilidade  Universalidade  Inalienabilidade  Irrenunciabilidade  Interdependência  Inviolabilidade  Relatividade Obs: Os direitos fundamentais não podem ser totalmente inalienáveis ou irrenunciáveis. Tem que haver um mínimo existencial. Pode ser alienável ou renunciável ate certo ponto, não pode ser totalmente.
  • 9. 1º Geração: Principio da Legalidade Foco no indivíduo/ Foco nas liberdades Direito à vida, liberdade, propriedade. 2º Geração: Principio da Igualdade Direitos sociais (visando a justiça social) Exige do Estado ações positivas, prestações Saúde, educação, trabalho, habitação.
  • 10. 3º Geração: Fraternidade Principio da solidariedade Direitos difusos (não individual) Direito de todos Ex: cultura, meio ambiente, paz, comunicação. 4º Geração (Paulo Bonavides): Democracia Informação Pluralismo Reconhecimento formal dos direitos fundamentais em nível global.
  • 11.  A Constituição Federal de 1988 representa um marco jurídico na institucionalização dos direitos humanos no país, pois acolhe o princípio da indivisibilidade e interdependência dos direitos humanos.  Ë adotado também o princípio da aplicabilidade imediata das normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais, estabelecido no artigo 5º, primeiro parágrafo: “as normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais t6em aplicação imediata”.
  • 12.  A Carta de 1988 elege o valor da dignidade humana como um valor essencial, estabelecendo no artigo 1º, inciso III.  Além disso, o princípio da prevalência dos direitos humanos é o princípio fundamental que rege o Estado brasileiro nas relações internacionais, conforme está previsto no artigo 4º, inciso II;”  A adoção deste princípio importa, necessariamente, na abertura da ordem jurídica interna ao sistema internacional de proteção aos direitos humanos, e mais especificamente ao sistema interamericano.
  • 13.  O artigo 5º, 2º parágrafo, também é fundamental para a matéria, pois apresenta a interação entre o direito internacional dos direitos humanos e o direito interno, ao determinar que:  “Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do Regime e dos princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte”.  STF e Tratados Internacionais Direitos Humanos e aprovados nos termos do art. 5º, § 3º, CF: Status Constitucional; Direitos Humanos sem obediência às formalidades do art. 5º, § 3º, CF: Status Supralegal;
  • 14.  A partir da CRFB de 1988 foram ratificados pelo Brasil: a) a Convenção Interamericana para Prevenir e Punir a Tortura, em 20 de julho de 1989; b) a Convenção sobre os Direitos da Criança, em 24 de setembro de 1990; c) o Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos, em 24 de janeiro de 1992; d) o Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, em 24 de janeiro de 1992; e) a Convenção Americana de Direitos Humanos, em 25 de setembro de 1992; f) a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, em 27 de novembro de 1995.  Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência - DECRETO Nº 6.949, DE 25 DE AGOSTO DE 2009.
  • 15.  CF/88: Considera os Direitos e Garantias Fundamentais como gênero, do qual são espécies: ◦ Direitos Individuais (Capítulo I); ◦ Direitos Coletivos (Capítulo I); ◦ Direitos Sociais (Capítulo II); ◦ Direitos de Nacionalidade (Capítulo III); ◦ Direitos Políticos (Capítulo IV); e ◦ Partidos Políticos (Capítulo V).
  • 16.  Eficácia Vertical: é a aplicação dos direitos fundamentais às relações entre o indivíduo e o Estado.  Eficácia Horizontal/Eficácia Privada/Eficácia Perante Terceiros/Eficácia Externa: é a aplicação dos direitos fundamentais às relações entre particulares.
  • 17.  COMPARATO, Fábio Konder. Fundamento dos Direitos Humanos. Cultura dos Direitos Humanos. ed. LTr. 1998.  COMPARATO, Fábio Konder. A Afirmação Histórica dos Direitos Humanos - 8ª Ed. 2013.  PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. 8 ed. São Paulo: Saraiva, 2007.  PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e justiça internacional: um estudo comparativo dos sistemas regionais europeu, interamericano e africano. São Paulo: Saraiva, 2007  MAZZUOLI, Valério de Oliveira. Coletânea de Direito Internacional. 4ª ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.  PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. 7ª ed. São Paulo: Saraiva, 2006.
  • 18. CONSIDERANDO que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo, CONSIDERANDO que o desprezo e o desrespeito pelos direitos do homem resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade, e que o advento de um mundo em que os homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade, CONSIDERANDO ser essencial que os direitos do homem sejam protegidos pelo império da lei, para que o homem não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão, CONSIDERANDO ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,
  • 19.  CONSIDERANDO que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos do homem e da mulher, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla,  CONSIDERANDO que os Estados Membros se comprometeram a promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades fundamentais do homem e a observância desses direitos e liberdades,  CONSIDERANDO que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso,  A Assembleia Geral das Nações Unidas proclama a presente "Declaração Universal dos Direitos do Homem" como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos próprios Estados Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.
  • 20.  Artigo 1 Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.  Artigo 2 I) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição. II) Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.  Artigo 3 Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.  Artigo 4 Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos em todas as suas formas.  Artigo 5 Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.  Artigo 6 Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.  Artigo 7 Todos são iguais perante a lei e tem direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos tem direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.  Artigo 8 Todo o homem tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.  Artigo 9 Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.
  • 21.  Artigo 10 Todo o homem tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.  Artigo 11 I) Todo o homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias a sua defesa. II) Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituiam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.  Artigo 12 Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataques a sua honra e reputação. Todo o homem tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.  Artigo 13 I) Todo homem tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado. II) Todo o homem tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.  Artigo 14 I) Todo o homem, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países. II) Este direito não pode ser invocado em casos de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.  Artigo 15 I) Todo homem tem direito a uma nacionalidade. II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.  Artigo 16 I) Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, tem o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução. II) O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes. III) A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado.
  • 22.  Artigo 17 I) Todo o homem tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros. II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.  Artigo 18 Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observâcia, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.  Artigo 19 Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios, independentemente de fronteiras.  Artigo 20 I) Todo o homem tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas. II) Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.  Artigo 21 I) Todo o homem tem o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos. II) Todo o homem tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país. III) A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.  Artigo 22 Todo o homem, como membro da sociedade, tem direito à segurança social e à realização, pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indipensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento de sua personalidade.  Artigo 23 I) Todo o homem tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego. II) Todo o homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho. III) Todo o homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como a sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social. IV) Todo o homem tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.
  • 23.  Artigo 24 Todo o homem tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas.  Artigo 25 I) Todo o homem tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e be star, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à seguranca em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda de meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle. II) A maternidade e a infância tem direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.  Artigo 26 I) Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnic rofissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito. II) A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos do homem e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz. III) Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.  Artigo 27 I) Todo o homem tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do progresso científico e de fruir de seus benefícios. II) Todo o homem tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica, literária ou artística da qual seja autor.  Artigo 28 Todo o homem tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.  Artigo 29 I) Todo o homem tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível. II) No exercício de seus direitos e liberdades, todo o homem estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática. III) Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.  Artigo 30 Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer direitos e liberdades aqui estabelecidos.

Notas do Editor

  1. p