Torno Mecânico- Acessórios

4.986 visualizações

Publicada em

Acessórios basicos de um torno

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.986
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
185
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Torno Mecânico- Acessórios

  1. 1. TORNO MECÂNICO II Acessórios 1
  2. 2. 2 O TORNO MECÂNICO É uma máquina operatriz extremamente versátil utilizada na confecção ou acabamento em peças. Para isso, utiliza-se de placas para fixação da peça a ser trabalhada. Esta máquina ferramenta permite a usinagem de variados componentes mecânicos: possibilita a transformação do material em estado bruto, em peças que podem ter seções circulares, e quaisquer combinações destas seções.
  3. 3. PARTES DO TORNO Cabeçote móvel Suporte Cabeçote fixo Placa Torre de ferramentas Eixo de cilindrar Eixo de roscar Caixa norton Garras 3 Em geral, os tornos mecânicos são compostos basicamente de: barramento, cabeçote fixo, caixa de engrenagens (Caixa Nórton), placa, carro principal, carro transversal, cabeçote móvel, torre porta- ferramenta, recâmbio, pontas, contra pontas.
  4. 4. BARRAMENTO 4 A máquina contém duas superfícies orientadoras chamadas barramento, que por exigências de durabilidade e precisão são temperadas e retificadas. O barramento é a base de um torno, pois sustenta a maioria de seus acessórios.
  5. 5. CABEÇOTE FIXO 5 As diferentes posições das alavancas determinam a velocidade do eixo (a).
  6. 6. 6 MECANISMO DE REDUÇÃO DO EIXO PRINCIPAL: É um conjunto de engrenagens e polias que permite variar a rotação do eixo principal com objetivo de ajustar a velocidade de corte ao material a ser torneado.
  7. 7. 7 TREN DE ENGRENAGENS-(L)- Montados no suporte A1 Fuso Fuso (N) e Vara (P)
  8. 8. 8 Trem de engrenagens
  9. 9. CAIXA NORTON 9 É o mecanismo que permite fazer várias mudanças rápidas, entre a grade e o fuso ou vara, de avanços adequados ao carro do torno. É constituída de uma caixa de ferro fundido com um eixo no qual estão fixadas diversas rodas dentadas. Pelo manejo da alavanca exterior, estas rodas se combinam com uma roda de outro eixo, produzindo mudanças diferentes ao avanço do carro.
  10. 10. CARRO LONGITUDINAL E TRANSVERSAL 10 Carro longitudinal- a): responsável pelo movimento longitudinal da ferramenta, serve para cilindrar. Carro Transversal-(b): é responsável pelo movimento transversal da ferramenta e desliza sobre a mesa por meio de movimento manual ou automático. Ou seja, serve para facear uma peça.
  11. 11. CARRO SUPERIOR OU ESPERA 11 O suporte do carro superior possui um nónio (360º) sobre o qual pode girar e tornear em ângulos.
  12. 12. 12 MECANISMO DO AVENTAL: O mecanismo de engrenagens no avental do carro tem a missão de transformar o movimento de rotação do fuso ou da vara, em movimento longitudinal ou transversal, além de permitir estes movimentos através de manivelas externas.
  13. 13. FUSO E VARA 13 O fuso e responsável para fazer rosca, e o a vara para cilindrar. castelo Espera Avental Cremalheira Barramento Fuso Vara Mesa do carro longitudinal Carro transversal
  14. 14. 14
  15. 15. PORTA FERRAMENTAS 15 Usados para fixar as ferramentas de usinagem, também chamado castelo.
  16. 16. PLACAS 16 Placas onde as castanhas se movem pela ação da chave introduzida em um dos furos existentes. Estas placas servem para fixar peças. Tem três tipos, lisa, de três garras e de quatro garras independentes.
  17. 17. 17 Os anéis graduados, como o nome já diz, são construídos com graduações, que são divisões proporcionais ao passo do fuso. Esse fuso comanda o movimento dos carros ou das mesas das máquinas-ferramenta. Isso significa que quando se dá uma volta completa no anel graduado, o carro da máquina é deslocado a uma distância igual ao passo do fuso.
  18. 18. CABEÇOTE MÓVEL 18 Parte do torno que se desloca sobre o barramento, oposta ao cabeçote fixo. Serve de suporte à contra ponta, serve para fixar o mandril para furações e também serve de suporte direto para ferramentas.
  19. 19. MANDRIL 19 São pequenas buchas universais de três castanhas, que são utilizadas para fixar brocas, alargadores, machos e peças cilíndricas de pequeno diâmetro.
  20. 20. BROCAS DE CENTRO 20 Este tipo de broca especial serve para fazer furos de centro e, devido a sua forma, executam numa só operação, o furo cilíndrico, o cone e o escareado.
  21. 21. CONTRA PONTO 21 Tipo de cone cuja extremidade se adapta ao centro da peça a ser torneada para apoiá-la.
  22. 22. BUCHA MORSE E CUNHA 22
  23. 23. RECARTILHA 23 É um disco de aço parecido com uma engrenagem que pressionado contra a peça no torno faz desenho com o relevo desta peça. Existem formatos diferentes.
  24. 24. 24 Os pontos e contrapontos são cones duplos retificados de aço temperado, num lado um cone Morse, e do outro lado, um cone de 60º para apoiar ao centro da peça a ser torneada. O contraponto é montado no mangote do cabeçote móvel e ponto no cabeçote fixo. Ponta rotativa: reduz o atrito entre a peça e a ponta, pois gira suavemente. Ponta rebaixada: facilita o completo faceamento do topo
  25. 25. PLACA DE ARRASTE E ARRASTADORES 25 A placa de arrasto é um acessório que transmite o movimento de rotação do eixo principal às peças que devem ser torneadas entre pontos. Tem o formato de disco, possui um cone interior e uma rosca externa para fixação. Em todas as placas usa-se o arrastador que é firmemente preso à peça, transmitindo- lhe o movimento de rotação, funcionando como órgão intermediário.
  26. 26. 26 Luneta: é um dos acessórios usados para prender peças de grande comprimento e finas que, sem esse tipo de suporte adicional, tornariam a usinagem inviável, por causa da vibração e flexão da peça devido ao grande vão entre os pontos.
  27. 27. 27 FIM JUAN CARLOS GARCIA URRUTIA-28/04/14

×