- CULTURA
JUDAICA -
"Um pouco de
história..."
"Ninguém ama ao que não conhece", já nos dizia Santo Agostinho. Para uma melhor
compreensão do povo judeu, é necessário qu...
Felizmente a escavação continuou e sob o grosso depósito de aluvião descobriram-se os restos
de uma civilização muito prim...
Há nele um propósito
religioso, uma séria
tentativa para mostrar
que a humanidade tem
uma origem comum e
que, embora sejam...
Os filhos de Jafé são enumerados em Gênesis 10,2 e seus nomes mostram ser os daqueles
povos indo-europeus que habitavam a ...
e Eufrates. Outro indício foi acrescentado na década de 1930 quando arqueólogos franceses
descobriram um reino perdido que...
Filhos de noe e mizrain
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Filhos de noe e mizrain

225 visualizações

Publicada em

Quem foram os filhos de Noé e Mizrain? Qual a importância deles para o mundo atual? Para a Maçonaria/

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
225
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filhos de noe e mizrain

  1. 1. - CULTURA JUDAICA - "Um pouco de história..."
  2. 2. "Ninguém ama ao que não conhece", já nos dizia Santo Agostinho. Para uma melhor compreensão do povo judeu, é necessário que conheçamos um pouco da história desse povo, que é a nossa história também, como cristãos. Temos um rico patrimônio em comum que é a Bíblia! Embora muitos de nós estejamos familiarizados com a Bíblia, não lemos a seqüência da história bíblica e nem a relacionamos com a terra onde ocorreu e nem com o povo que a protagonizou. Porque motivos os egípcios, que numa época honraram José e seu povo, mais tarde os reduziram ao cativeiro? Quem eram os "povos do mar" e como se chocaram com Sansão e Saul ? Onde era o Templo de Salomão ? O que nós sabemos da Jerusalém do tempo de Jesus ? Não há dúvidas que a história da Bíblia é a história de um povo. E embora grande parte dessa história tenha recuado para o vago e nebuloso passado, podemos dar-lhe vida novamente situando-a em seu ambiente original, aquele pequeno palco geográfico que é a Terra Santa e conhecendo um pouco mais sobre o seu povo, o povo judeu. "Os Filhos de Noé" Onde Adão e Eva pisaram esta Terra pela primeira vez e sofreram o castigo de seu pecado não sabemos. Tampouco sabemos onde construíram seu lar depois que foram expulsos do Paraíso. Embora nos fale de seus dois filhos e de como Caim, em sua inveja, assassinou o irmão Abel, a Bíblia é vaga quanto à terra de Node onde Caim foi habitar. A Bíblia tampouco nos revela muito sobre os dez patriarcas Entre Adão e Noé; dá-nos seus nomes e idade, mas não nos diz em que terra viveram. Entretanto, pela descrição do Éden feita em Gênesis 2, 10-14, acredita-se geralmente, que o berço da humanidade foi a Mesopotâmia, a região situada nos vales dos rios Tigre e Eufrates. Pode muito bem ter sido assim. Em anos recentes arqueólogos, procurando vestígios do homem primitivo, desenterraram alguns achados nessa pequena e remota parte do mundo situada na extremidade sudeste do Fértil Crescente, o enorme semicírculo de terra habitada e cultivada que vai do Egito, através da Palestina e da Síria, até o Golfo Pérsico. Trabalhando aí, no vale do Tigre e Eufrates, não só descobriram algumas das casas e construções de campo mais primitivas que se conhecem, mas, muito abaixo da superfície atual do vale, encontraram outra indicação de que a história, como nós a conhecemos, poderá muito bem ter começado nesta área. Esta última descoberta relaciona-se com Noé e o Dilúvio, quando Deus fez chover quarenta dias e quarenta noites. Está escrito na Bíblia que, de conformidade com os desejos de Deus, Noé construiu uma Arca e encheu-a com provisões e um ou mais pares de animais e aves e outras criaturas, vagou sobre a inundação crescente com a sua esposa, os filhos e suas mulheres. Está relatado também que, depois da grande devastação, durante a qual a Terra foi completamente lavada de sua perversidade, a arca encalhou numa montanha e que Noé e sua família e as criaturas que estavam a bordo eram as únicas coisas que restavam vivas sobre a face da Terra. Deste modo, os três filhos de Noé, Sem,Cão e Jafé, e suas esposas tornaram-se os pais de todos os que vieram depois da inundação purificadora. Foi por meio da família de Noé, o escolhido por Deus, que a Terra se repovoou e se estabeleceu a Família das Nações. (Gn 9,19) Onde ocorreu isso ? No dia dezessete de Tisri, o sétimo mês, Noé e sua embarcação foram "repousar nas montanhas de Ararat" (Gn 8,4), numa parte que hoje sabemos estar situada no leste da Turquia. É muito provável que eles procurassem a área onde tinham vivido antes, onde foram atingidos pela inundação. Em que lugar existe qualquer testemunho de uma enchente descrita no Gênesis? Indicações verdadeiramente notáveis foram descobertas perto de Ur dos caldeus, a cidade situada na Mesopotâmia, onde parece ter nascido o Patriarca Abraão. Enquanto investigavam esse antigo lugar, no final da década de vinte, os arqueólogos perfuraram um poço experimental fora da cidade encontrando um grosso estrato de argila a 2,10 - 2,70 metros de profundidade. A princípio pensou-se que fosse o antigo leito do Eufrates.
  3. 3. Felizmente a escavação continuou e sob o grosso depósito de aluvião descobriram-se os restos de uma civilização muito primitiva, com tijolos, cerâmica pintada à mão, instrumentos e outros objetos de pedra. Aquilo não fora uma simples enchente de rio, mas algo muito maior, que eliminou todo modo de vida, e que, como outras escavações pareciam provar, notadamente em Cis, perto de Babilônia, havia assolado uma grande área.Teria essa região sido o antigo lar de Noé e teria ele voltado para lá? A vida começou de novo nesse lugar, e pode muito bem ser que tenha sido desse ponto central que os descendentes de Noé partiram e se espalharam mesmo para a Ásia, para a África e para a Europa. O décimo capítulo do Gênesis é, com efeito, um documento único. Sustenta-se que nenhuma compilação igual se encontrou jamais na literatura de qualquer outro povo antigo. Seu sentido fundamental ainda está sendo verificado através do mundo inteiro atualmente. Procura provar esse capítulo do Gênesis que as nações tiveram uma origem comum e que todos os homens são "irmãos", com uma unidade humana que tem sua raiz em Deus.
  4. 4. Há nele um propósito religioso, uma séria tentativa para mostrar que a humanidade tem uma origem comum e que, embora sejamos povos e raças separados, somos um povo e uma raça só aos olhos de nosso Criador. A crença nesta verdade moral e sua prática elevam a civilização ocidental muito acima do paganismo e oferecem a promessa de paz universal. Fora esses valores religiosos e morais, o décimo capítulo do Gênesis está revelando um quadro extremamente fidedigno de nações , povos e lugares do tempo antigo. Os nomes dados são os dos descendentes dos filhos de Noé, o mais velho dos quais era Sem, seguido de Cão e de Jafé.Os descendentes de Cão e Jafé receberam na Bíblia muito menos atenção do que os de Sem, entre os quais se encontrava o grande patriarca Abrão.
  5. 5. Os filhos de Jafé são enumerados em Gênesis 10,2 e seus nomes mostram ser os daqueles povos indo-europeus que habitavam a Ásia ocidental nos primeiros tempos do Antigo Testamento. Gômer indubitavelmente designa o povo cimérico - os kimmerioi de Homero, uma tribo obscura que vivia na península da Criméia. O nome de Magogue é o de um povo que vivia para os "lados do norte", cuja terra nunca foi perfeitamente identificada. Não pode haver muita dúvida de que nadai significa os medos, que viviam nas regiões entre o Mar Cáspio e o Golfo Pérsico. De Java vem o termo Jonio, que quer dizer gregos, e especialmente aquele ramo que habitava as ilhas do Mar Egeu e o ocidente da Ásia Menor. Tubal e Meseque talvez tenham povoado partes da Ásia Menor, ao passo que Tiras muito provavelmente se transformou nos Trácios. Os descendentes do filho mais velho de Gômer, Asquenaz, parece que foram os citas, que, segundo Jeremias 51,27, viviam nas proximidades do Monte Ararat. A tribo poderá ter avançado até a Europa: na literatura judia posterior o nome Asquenaz denotava os povos germânicos Rifa e Torgarma, filhos de Gômer, eram povos da Ásia Menor. Os quatro filhos de Java foram Elisa e Quitim, cujos descendentes viveram na Ilha de Chipre, Társis, que viveu na Espanha, e Donadim, cujos descendentes provavelmente habitaram Rodes e as ilhas vizinhas do Mar Egeu. Cuxe, filho de Cão, deu seu nome ao que conhecemos hoje como Etiópia, enquanto que Mizrain é um nome comum no Egito. Pute significa Líbia e Canaã deu seu nome primeiro às planícies marítimas da Palestina e depois a toda a terra situada a oeste do Rio Jordão. Os filhos de Cuxe (Gn 10,7) povoaram a parte mais meridional da península arábica ao longo do Mar Vermelho e do Oceano Índico. Entre seus descendentes destacou-se o povo de Sabá, cuja famosa rainha mais tarde fez uma visita muito conhecida a Salomão. Ninrode (Gn 10,8-12) também merece menção, pois este "poderoso caçador "foi o fundador da civilização babilônica. E agora chegamos as tribos da Terra Santa propriamente. Mizrain parece ter gerado os egípcios e os filistinos. Canaã e seus filhos povoaram a terra que veio a ter o seu nome, bem como as áreas circunjacentes. O nome de seu primogênito, Sidon, correspondia a toda a costa fenícia; Hete refere-se aos Heteus (hititas), que construíram uma notável civilização na Síria; os Jebuseus até serem desapossados por Davi , conservaram o sítio que depois se tornou Jerusalém; os amorreus estabeleceram-se a leste do Jordão ; os hamatitas ao norte de Canaã. Os outros nomes do Gênesis 10,16-18 designam tribos cananéias locais. Estas várias nações descendentes de Cão eram politicamente sujeitas ao Egito no tempo em que se fez esta relação. Os nomes dos descendentes imediatos de Sem podem ser facilmente relacionados com certos grupos semíticos orientais. Elão são indubitavelmente os elemitas imediatamente ao norte do Golfo Pérsico. Assur são sem dúvida os assírios e admite-se em geral que Arfaxade sejam os caldeus. Lude são os lídios da Ásia Menor e Arã os povos arameus da Síria e da Mesopotâmia, os sírios. Os antepassados de Abraão - os habirus, ou hebreus, de que descendeu o Povo Escolhido de Deus - viveram durante algumas gerações na Mesopotâmia segundo parece o Gênesis 11,24-25. Arfaxade , neto de Noé , representa os habitantes da área em volta de Ur. Seu neto foi Éber, de cujo nome alguns eruditos acreditam que derivou o termo hebreu. Abraão foi da sexta geração depois de Éber, geração que parece sem dúvida ter tido Ur como lugar de nascimento (Gênesis 11,27-28). Éber teve dois filhos, Joctã e Pelegue, em cujos dias, segundo explica Gênesis 10,25 foi dividida a Terra. Alguns sábios insistem em que esta divisão foi a descrita em Gênesis 11, e com ela o Senhor mostrou a supremacia de Seu poder sobre o do homem, provocando a diversidade de línguas e com isso a interrupção das obras da Torre de Babel , o que levou as nações reunidas para esse fim a se espalharem mais uma vez por toda a Terra. A Bíblia não descreve esse segunda redistribuição dos povos. Mas acredita-se que o nome Pelegue derive do assírio Palgu, que significa "canal". Baseados nisso alguns eruditos acreditam que Pelegue , filho de Éber, poderá ter representado um papel proeminente na introdução do sistema de canais de irrigação, tão importante para a vida ao longo dos rios Tigres
  6. 6. e Eufrates. Outro indício foi acrescentado na década de 1930 quando arqueólogos franceses descobriram um reino perdido que tinha seu centro em Mari, no Eufrates superior. Na abundância de registros recuperados aparecem os nomes de antepassados de Abraão relacionados em Gênesis 11,16-28, como de cidades do noroeste da Mesopotâmia. Haveria outras dispersões de povos durante os tempos bíblicos, enquanto os membros desta família de nações lutavam entre si. Muitos desses choques veremos nos próximos meses. Agora devemos seguir os passos de um dos homens mais formidáveis , não só da Bíblia , mas também de todos os tempos, o homem Abraão , a quem o Senhor chamou para cumprir o seu mandado e que serviu tão bem aos Seus sublimes propósitos, que veio a ser conhecido como o amigo de Deus. Até dezembro quando continuaremos essa narrativa com o tema: Abraão e Seus Filhos. Fontes: História do Mundo Bíblico Nelson Beecher Keyes Apostilas do Curso : "Cultura Judaica - Raízes Bíblicas do Cristianismo" Irmã Maria Cecília Tostes Malta - Nossa Senhora de Sion, RJ

×