SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 90
Baixar para ler offline
Química da Atmosfera
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN
FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS – FACEM
DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL – DGA
Mossoró/RN
Atmosfera é o nome dado à camada gasosa que envolve os
planetas. No caso da atmosfera terrestre ela é composta por
inúmeros gases que ficam retidos por causa da força da
gravidade, da temperatura baixa em grande altitudes e do campo
magnético que envolve a Terra.
ATMOSFERA
• A composição da atmosfera atual é um fator vital para o
desenvolvimento da vida na Terra.
• Sabe-se que a composição da atmosfera atual não é igual à
composição da atmosfera primitiva, aquela que se formou há
milhões de anos.
COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
No início da formação do planeta Terra a
atmosfera era composta basicamente por gases
(metano, amônia, nitrito, vapor de água e dióxido
de carbono) resultantes das constantes
erupções e colisões na superfície inóspita da
Terra primitiva, além dos que eram expelidos por
rachaduras na crosta terrestre.
Então, em uma segunda fase, surgem os
organismos vivos fotossintesantes,
absorvendo o gás carbônico da atmosfera e
transformando-o em oxigênio (ciclo do
carbono).
Com o processo da fotossíntese a atmosfera torna-se saturada
de oxigênio, formando a camada de ozônio fundamental para a
existência da vida como conhecemos hoje.
COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
Após milhares de anos de
transformação a atmosfera
chega à constituição química
que possui hoje: rica em
nitrogênio e oxigênio.
Gases Volume %
Nitrogênio - N2
Oxigênio - O2
Argônio - Ar
Dióxido de carbono - CO2
Neônio - Ne
Hélio - He
Metano - CH4
Criptônio - Kr
Hidrogênio - H2
Óxido de dinitrogênio - N2O
78
21
0,9
0,03
0,002
0,0005
0,0002
0,0001
0,00005
0,00005
6 CO2 + 12 H2O → C6H12O6 + 6O2 + H2O
(Glicose)
COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
Minoritários
CAMADAS DA ATMOSFERA
Para efeitos de estudos a atmosfera
pode ser dividida em camadas tendo
como critérios a variação da altitude,
temperatura e concentração de gases.
A troposfera, geralmente se estende entre ≈ de 10 a 15
km da superfície (entre 20 km no equador e 8 km nos
polos). É nesta camada que acontecem praticamente todos
os fenômenos que influenciam o tempo (fenômenos
meteorológicos). A temperatura diminui com a altitude
(decresce 6,5 0C a cada 1000 metros)
CAMADAS DA ATMOSFERA
A estratosfera, estende-se até aproximadamente 50 km com
temperaturas parecidas com as da troposfera até o limite de
20km. Esta camada é mais quente por causa do ozônio que se
acumula e que absorve os raios ultravioletas. Temperatura se
eleva com a altitude.
CAMADAS DA ATMOSFERA
CAMADAS DA ATMOSFERA
Na mesosfera, a temperatura novamente
diminui. Esta camada vai até cerca de 80
km. A esta altura, a temperatura chega a -
90ºC.
CAMADAS DA ATMOSFERA
E a termosfera não possui um limite inferior bem definido. As
moléculas se agitam com uma velocidade enorme. A termosfera
compreende uma camada situada entre 80 a 900 km, chamada de
ionosfera. Diferentes espécies que absorvem radiação UV
(altíssimas temperaturas)
CAMADAS DA ATMOSFERA
IMPORTÂNCIA DA ATMOSFERA
Grande parte dessa interações ocorrem na Troposfera
IMPORTÂNCIA DA ATMOSFERA
É a região da atmosfera que está
contato com a superfície do planeta
e sofre influência direta do
aquecimento dessa superfície e do
depósito de poluentes
• Dinamismo – intenso transporte
de matéria e energia devido às
correntes de convecção;
• É deposito direto de gases
poluentes e material
particulado provenientes de
atividades antropogênicas ou
naturais
85% da massa de toda a atmosfera
✓ A atmosfera pode ser considerada como um grande reator;
✓ Contém O2 que é um elemento bastante reativo e
diversos outros compostos em pequenas concentrações;
✓ Os quais podem atuar como reagente e/ ou catalisadores,
e a luz solar como fonte de energia;
✓ As questões ambientais devem ser interpretadas o fluxo
de matéria e energia;
Balanço térmico + ciclos biogeoquímicos
Ações antrópicas
Balanço de Energia da Terra
“ Balanço” é a diferença entre a entrada e a saída de elementos
de um sistema.
Os principais componentes para o balanço de radiação no sistema
terrestre são: superfície, atmosfera e nuvens.
entrada – saída = balanço
Quando a radiação solar entra no sistema climático da Terra, uma
parte é absorvida pela superfície do planeta e outra parte é
refletida de volta para o espaço.
A radiação solar é um dos principais fatores que assegura a vida
na Terra.
• Cerca de 30% da radiação solar é
refletida de volta para o espaço;
• 70 % é absorvido pela superfície
terrestre
(parte é absorvida pelas moléculas de
água e demais partículas que tem
essa propriedade como o ozônio;
grande parte é absorvida pela
superfície que é fonte de energia para
a biomassa)
Obs: Após a absorção da radiação solar
pela superfície terrestre essa energia é
refletida na forma de calor (Radiação
infravermelha) dependendo dos
constituintes presentes na atmosfera
essa radiação é reabsorvida e aquece o
planeta – efeito estufa)
Processos de emissão de espécies, transformação
e saída da atmosfera envolvendo reações químicas
ou mudanças de fase passando pelos vários
compartimentos da crosta terrestre, envolvendo,
inclusive, os seres vivos.
⇩
Ciclo biogeoquímico.
 Ciclo biogeoquímico - processo natural de reciclagem de
elementos químicos do meio ambiente para os organismos e vice-
versa.
 Importante na autoregulação da biosfera - constante permuta
de elementos/energia mantém o equilíbrio entre o meio físico-
químico (abiótico) e o biológico (biótico).
 Ciclo Biogeoquímico
• Dois tipos: os ciclos gasosos e os ciclos sedimentares;
• Os ciclos gasosos possuem como principal reservatório a atmosfera. Como exemplo,
podemos citar o ciclo do carbono, do oxigênio e do nitrogênio.
• Os ciclos sedimentares são aqueles que possuem como reservatório a crosta terrestre.
São exemplos os ciclos do fósforo e do enxofre.
❖ Os ciclos gasosos ocorrem de maneira mais rápida que os ciclos sedimentares,
devido a dificuldade de acesso dos organismos aos reservatórios da crosta terrestre.
❖ Além disso, a velocidade dos ciclos também pode ser influenciada pela natureza do
elemento químico, taxa de crescimento de seres vivos, movimento na teia alimentar,
taxa de decomposição e a ação do homem.
 Ciclo Biogeoquímico
Classificado de acordo com se reservatório
➢ Nitrogênio – Ciclos gasosos
Vital para vida:
- um dos principais componentes dos aminoácidos 
proteínas.
- um dos mais abundantes da Terra  maioria agregado
a rochas ou N2 e apenas 0,02% disponível para plantas.
- é o mais abundante componente do ar (N2).
- bactérias fixadoras de nitrogênio têm capacidade de
retira-lo do ar e transformá-lo em um elemento reativo.
O ciclo do nitrogênio pode ser dividido em algumas etapas:
• Fixação: Consiste na transformação do nitrogênio gasoso em substâncias aproveitáveis pelos seres vivos
(amônia e nitrato). Os organismos responsáveis pela fixação são bactérias (presentes no solo), retiram o
nitrogênio do ar fazendo com que este reaja com o hidrogênio para formar amônia. O nitrogênio também pode
ser fixado no solo através de processos que liberem energia na forma de calor (relâmpagos, queimadas,...)
• Amonificação: Parte da amônia presente no solo, é originada pelo processo de fixação. A outra é proveniente
do processo de decomposição das proteínas e outros resíduos nitrogenados, contidos na matéria orgânica morta
e nas excretas. Decomposição ou amonificação é realizada por bactérias e fungos.
• Nitrificação: É o nome dado ao processo de conversão da amônia em nitratos (pelas bactérias notosonomas e
nitrobacter) o processo primeiro transforma o nitrito e depois em nitrato.
• Desnitrificação: As bactérias desnitrificantes (como, por exemplo, a Pseudomonas denitrificans), são capazes
de converter os nitratos em nitrogênios molecular, que volta a atmosfera fechando o ciclo.
(Vídeo)
➢ Oxigênio – ciclos gasosos
Entende-se por Ciclo do oxigênio o movimento do oxigênio entre os seus
três reservatórios principais:
a Atmosfera (os gases que rodeiam a superfície da Terra),
a biosfera (os organismos vivos e o seu ambiente próximo)
a litosfera (a parte sólida exterior da Terra)
✓ Este ciclo é mantido por processos geológicos, físicos, hidrológicos e
biológicos, que movem diferentes elementos de um depósito a outro.
✓ Na atmosfera, encontra-se como oxigênio diatômico/oxigênio molecular
(O2), dióxido de carbono (CO2), ozônio (O3), dióxido de nitrogênio (NO2),
monóxido de nitrogênio (NO), dióxido de enxofre (SO2), etc. Este oxigênio
satisfaz as necessidades de todos os organismos terrestres que o respiram no
seu metabolismo.
• O oxigênio é produzido
pelo processo da
fotossíntese das plantas e
dos fictoplânctons.
• Intimamente ligado ao ciclo
do carbono.
• Ele é consumido pelo
processo de respiração das
plantas e dos animais, pelo
processo de combustão e
oxidação dos metais) na
produção de ozônio.
(Vídeo)
➢ Carbono – Ciclo gasosos
✓ Intimamente relacionado com os seres vivos;
✓ Existem vários tipos de compostos de carbono nas diversas etapas que
compõem o ciclo;
✓Existem basicamente duas formas de carbono, uma orgânica, presente nos
organismos vivos e mortos, não decompostos, e outra inorgânica, presente nas
rochas.
• Orgânica • inorgânica
• No planeta Terra o carbono
circula através dos
oceanos, da atmosfera, da
terra e do seu interior, num
grande ciclo
biogeoquímico.
• Este ciclo pode ser
dividido em dois tipos: o
ciclo "lento" ou geológico,
e o ciclo "rápido" ou
biológico.
Ciclo geológico
Este ciclo, que opera a uma escala de milhões de
anos é integrado a própria estrutura do planeta e
iniciou-se há cerca de 4,55 bilhões de anos,
quando na formação do sistema solar e da Terra.
Nesse sentido, mais de 99% do carbono terrestre
está contido na litosfera, sendo a maioria carbono
inorgânico, armazenado em rochas sedimentres
como as rochas calcárias. O carbono orgânico
contido na litosfera está armazenado em
depósitos de combustíveis fosseis.
Ciclo biológico
O ciclo biológico do Carbono é relativamente
rápido: estima-se que a renovação do
carbono atmosférico ocorre a cada 20 anos.
Na ausência da influência antropogênica no
ciclo biológico existem três reservatórios ou
"stocks": terrestre (20.000 Gt), atmosfera (750
Gt), oceanos (40.000 Gt). Este ciclo
desempenha um papel importante nos fluxos
de carbono entre os diversos stocks, através
dos processos da fotossíntese e da
respiração dos seres vivos.
As atividades humanas influenciam o ciclo
global do carbono.
✓ Ao retirar carbono armazenado nos depósitos de combustíveis fósseis a uma taxa muito superior à
da absorção do carbono pelo ciclo, aumento as concentrações de CO2 na atmosfera e,
influenciando o sistema climático global.
✓ Algumas florestas possuem elevado potencial para capturarem o carbono atmosférico, tanto no
manto vegetal como na matéria orgânica do solo, o que aumenta a importância da manutenção de
ecossistemas com grandes quantidades de biomassa e solos estáveis, com os objetivos de certas
florestas se tornarem sumidouros de carbono a médio/longo prazo e outras não se tornarem
"fontes" de carbono.
✓O ciclo do enxofre é complicado pelo grande número de estados de oxidação que
este elemento pode assumir, incluindo o sulfeto de hidrogênio (H2S), dióxido de
enxofre (SO2), sulfato (SO4
2–) e ácido sulfúrico (H2SO4), entre outros;
✓ Os processos inorgânicos são responsáveis por muitas destas transformações;
✓ Bactérias, que sequestram o enxofre e/ou o liberam para o meio ambiente;
✓ O enxofre é encontrado no solo em combinações de sais de sulfato, sulfetos e
minérios. Nas proximidades de vulcões, o enxofre é encontrado na sua forma
original, razão pela qual há muitas unidades de exploração nestas regiões.
➢ Enxofre – Ciclos Sedimentares
O ciclo do enxofre compreende 6 etapas
básicas:
a) As plantas absorvem do solo compostos
contendo enxofre além dos sulfatos;
b) Na produção de aminoácidos das plantas
o hidrogênio substitui o oxigênio na
composição dos sulfatos;
c) Os seres vivos se alimentam das plantas;
d) Microorganismos decompõe os
aminoácidos que contêm enxofre nos restos
de animais e plantas, criando sulfeto de
hidrogênio;
e) O enxofre é extraído do sulfeto por
bactérias e microorganismos;
f) sulfatos são produzidos pela ação de
microorganismos na combinação do
enxofre com o oxigênio.
✓Apresenta um ciclo com dois reservatórios: um
maior, nos sedimentos da crosta terrestre outro,
menor, na atmosfera.
✓As atividades humanas também liberam grandes
quantidades de enxofre, principalmente através da
queima de combustíveis fósseis;
➢Ciclo do fósforo – ciclos sedimentares
✓ o ciclo do fósforo é mais simples pois não existem muitos compostos gasosos de fósforo,
apenas um composto de fósforo realmente importante para os seres vivos que é o íon fosfato
✓O fósforo é o material genético constituinte das moléculas dos ácidos ribonucléico (RNA) e
desoxirribonucléico (DNA) e componente dos ossos e dentes.
✓ O fósforo aparece principalmente na forma de fosfato (PO4
-3), obtido a partir da degradação
das rochas (minerais).
✓ Drenado gradativamente para o mar, o fosfato passa por processos de sedimentação,
sendo incorporado às rochas. Podendo retornar ao ecossistema terrestre por meio dos
processos geológicos, como a elevação do leito no mar ou o rebaixamento do nível das águas.
✓ Existem dois ciclos do fósforo
que acontecem em escalas de
tempo bem diferentes.
✓ Uma parte do elemento recicla-
se localmente entre o solo, as
plantas, consumidores e
decompositores, em uma escala
de tempo relativamente curta, que
podemos chamar “ciclo de tempo
ecológico”.
✓ Outra parte do fósforo
ambiental sedimenta-se e é
incorporada às rochas; seu ciclo
envolve uma escala de tempo
muito mais longa, que pode ser
chamada “ciclo de tempo
geológico”.
 Composição média da atmosfera:
 Interferência das atividades
humanas sobre os ciclos
biogeoquímicos
Por quê medir constituintes atmosféricos?
✓ Avaliar efeitos de poluição sobre o homem e seu ambiente.
✓ Identificar qualquer uma possível causa e/ou relação de efeitos entre as
concentração dos poluentes com os efeitos sobre a saúde e as mudanças climáticas;
✓ Controles legislativos de emissões de poluentes para assegurar a conformidade da
qualidade do ar com padrões de emissão;
✓ Ativar procedimentos de emergência em áreas com tendências a episódios agudos
de poluição;
✓ Obter registro histórico da qualidade ambiental, fornecendo uma base de dados para
uso futuro ( estudos epidemiológicos).
Transformações químicas na atmosfera
 reator químico.
 O: altamente reativo
Diversos compostos: reagentes e/ou catalisadores
Luz solar: fonte de energia
 Capacidade de reagir = tempo de residência = tempo
médio de permanência do composto na atmosfera.
 raio de ação do composto com
base no local de emissão.
Ex.: NO2 : 1 dia  alguns km de distância.
CO2 : 4 anos  espalha-se por toda a atmosfera.
Poluição do ar e energia
Consumo de energia no mundo/ano: 9.1016 kcal
Maior parte proveniente da queima do carvão vegetal e
combustíveis derivados do petróleo.
Queima dos hidrocarbonetos produz H2O e CO2.
Efeito estufa
Combustíveis fósseis raramente consistem só de
hidrocarbonetos.
Compostos de enxofre e de metais  quantidade varia
com a origem do petróleo.
No petróleo  enxofre é incorporado nas estruturas
moleculares dos compostos organosulfurados.
No carvão  enxofre é combinado com ferro no mineral
pirita (FeS2).
Processamento petróleo cru e carvão remove muitas
impurezas, mas a eliminação total é extremamente cara
 elevaria custo do combustível e de energia.
Limpeza do ambiente vs. Nível
de vida da sociedade.
Tecnologia.
Principais poluentes do ar
Queima de carvão, gasolina e combustíveis similares
oxida hidrocarbonetos, mas também suas impurezas.
4FeS2 + 11O2  2Fe2O3 + 8SO2
Poluente de
ar primário
Poluente gerado como
resultado direto de uma
atividade específica.
Gás irritante,
com odor acre e
desagradável.
2SO2 + O2 → 2SO3
SO3 + H2O → H2SO4
Gás altamente
irritante.
Principal
componente da
chuva ácida.
Poluente de ar
secundário
Poluente formado pela reação
adicional de um poluente de ar
primário.
N2 + O2 → 2NO
2NO + O2 → 2NO2
Ar
Gás colorido.
Altas temperaturas:
- raio
- motor de combustão interna
Gás castanho
e tóxico.
100 a 200 ppm 
inflamação inicial dos
pulmões, podendo tornar-se
letal em poucos dias.
Período de tráfego
intenso.
 N2O, NO, NO2, NO3, N2O3, N2O4 e N2O5, HNO3.
 Combustão:
Combustível + ar  gases + partículas
 
[O2 e N2] [ex.: NO + SO2 + CO2]
 Conhecer a composição química do material combustível
 conhecer os gases emitidos.
 C, H e O  CO2 e H2O
 C, H, O e S  SO2
Obs.: Exceção: NO é formado em todas as combustões,
independente da composição do material queimado.
N2 + O2  2NO
 oxida facilmente, formando NO2.
Acidez na precipitação
Precipitação ácida (úmida ou seca).
Resultado da poluição do ar causada
por queima de combustíveis fósseis
(carvão, petróleo e outros contendo N
e S).
Resultado da dissolução de óxidos
de N e S, produzindo mistura de
ácidos (nitroso, nítrico, sulfuroso e
sulfúrico)
Formação de ácidos minerais
Efeito da chuva ácida sobre monumentos
Os compostos orgânicos voláteis
• Chamam-se COVs por possuírem uma alta pressão de vapor e em
consequência se evaporam facilmente à temperatura ambiente.
• Os COVs são encontrados em gasolina, tintas, vernizes e produtos e limpeza
domésticas.
• Também são emitidos durante a combustão dos combustíveis (gasolina,
madeira, carvão, gás natural, etc), sendo os automóveis a fonte principal dos
COVs.
• Os COVs mais reativos no ar urbano são os hidrocarbonetos que possuem
ligação dupla dado que eles podem adicionar-se aos radicais livres
(hidrocarbonetos)
Fontes potenciais de hidrocarbonetos poluentes provenientes de um automóvel (antigo)
sem dispositivo de controle de poluição
Efeitos de poluentes orgânicos na atmosfera:
❑ Efeitos diretos (doenças )
❑ Formação de poluentes secundários (Smog fotoquímico)
Este fenômeno climático é resultado da camada de
poluição muito elevada fazendo com que as camadas de ar
quente e de ar frio, troquem de posição.
A inversão térmica por ser um fenômeno de curta duração,
variando tipicamente de algumas horas à alguns dias, está
intimamente relacionada às variações climáticas de tempo
metereológico. O fenômeno é mais comum após a passagem
Onde ocorre?
Geralmente nas grande cidades;
Onde podemos observar a olho nu uma camada de cor
cinza;
Resultado da queima de combustíveis fósseis;
Ilha de calor é um fenômeno típico dos grandes centros urbanos.
Este ter fenômeno afeta diretamente a
saúde;
Causa doenças respiratórias, cansaço
entre outros problemas;
Irritação nos olhos e intoxicação,
também são consequências as
concentração de poluentes na camada de
ar próxima dos solo.
Ilha de calor é um fenômeno
climático que ocorre a partir da
elevação da temperatura de uma
área urbana se comparada a uma
zona rural.
Isso quer dizer que nas cidades
(grande grau de urbanização), a
temperatura é superior a de áreas
periféricas, consolidando
literalmente uma ilha (climática).
A oscilação de temperatura entre
o centro de uma grande cidade e
uma zona rural pode variar entre
4°C, 6°C ou até mesmo 11°C.
➢ Pode ser percebida em períodos diurnos e
noturnos, mas o ápice da diferença de
temperatura entre áreas urbanas e rurais
acontece ao anoitecer.
➢ A área rural resfria mais rápido do que a
urbana.
➢ Na área rural e florestal a cobertura vegetal
possibilita o processo de evaporação e
evapotranspiração, amenizando as
temperaturas, o que não acontece nas
grandes cidades que estão impermeabilizadas
e sem cobertura vegetal.
➢ Calor excessivo provoca:
Mortalidade de idosos e doentes que
apresentam dificuldade de manter a
termorregulação corpórea;
incremento no consumo de energia
elétrica, usada para funcionar
refrigeradores (ar condicionado),
principalmente para climatizar
residências, escolas, universidades,
comércios e indústrias.
Consequências
Referencias
• Rocha, J. C; Rosa, A. H. e Cardoso, A. A, Introducao a Quimica Ambiental, Porto Alegre
Bookman, 2004
• Baird, C. Quimica Ambiental; Traducao Maria Angeles Lobo Recio e Liz Carlos M. Carrera,
2 ed, Porto
Alegre, Bookman, 2002• Nascentes, C. C; Costa, L. M. Quimica Ambiental, Universidade
Federal de Minas Gerais, 2011
• Maioli, O.L.G., Nascimento, G.N. Composicao da Atmosfera, Ciclos Globais e Tempo de
Vida. Monografia.
UFES
• Mozeto, A. Quimica Atmosferica: A quimica sobre nossas cabecas. Cadernos Tematicos de
Quimica Nova
na Escola. 2001

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Química da Atmosfera.pdf

Ciclo do carbono
Ciclo do carbonoCiclo do carbono
Ciclo do carbonouendell
 
O ciclo do carbono e os combustíveis fósseis
O ciclo do carbono e os combustíveis fósseisO ciclo do carbono e os combustíveis fósseis
O ciclo do carbono e os combustíveis fósseisSESI 422 - Americana
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosURCA
 
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicaoAr atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicaoANA LUCIA FARIAS
 
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)Alexandre Borcem
 
A camada de ozono
A camada de ozonoA camada de ozono
A camada de ozonofmaugusto
 
A Atmosfera Terrestre
A Atmosfera TerrestreA Atmosfera Terrestre
A Atmosfera Terrestredulcemarr
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos' Paan
 
Química ambiental volume 1 - a atmosfera
Química ambiental   volume 1 - a atmosferaQuímica ambiental   volume 1 - a atmosfera
Química ambiental volume 1 - a atmosferarobertolima
 
Ciclo Do NitrogêNio
Ciclo Do NitrogêNioCiclo Do NitrogêNio
Ciclo Do NitrogêNioecsette
 

Semelhante a Química da Atmosfera.pdf (20)

Ciclo do carbono
Ciclo do carbonoCiclo do carbono
Ciclo do carbono
 
Ciclos biogoquímicos
Ciclos biogoquímicosCiclos biogoquímicos
Ciclos biogoquímicos
 
Seminário (1)
Seminário (1)Seminário (1)
Seminário (1)
 
Ciclo Do NitrogêNio
Ciclo Do NitrogêNioCiclo Do NitrogêNio
Ciclo Do NitrogêNio
 
O ciclo do carbono e os combustíveis fósseis
O ciclo do carbono e os combustíveis fósseisO ciclo do carbono e os combustíveis fósseis
O ciclo do carbono e os combustíveis fósseis
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 
Cefet Rj Eco Iv
Cefet Rj Eco IvCefet Rj Eco Iv
Cefet Rj Eco Iv
 
Ciclo do oxigênio
Ciclo do oxigênioCiclo do oxigênio
Ciclo do oxigênio
 
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicaoAr atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
Ar atmosferico e efeitos nocivos da poluicao
 
A atmosfera terrestre
A atmosfera terrestreA atmosfera terrestre
A atmosfera terrestre
 
CLIMAS DO BRASIL.ppt
CLIMAS DO BRASIL.pptCLIMAS DO BRASIL.ppt
CLIMAS DO BRASIL.ppt
 
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
 
atmosfera
atmosferaatmosfera
atmosfera
 
A camada de ozono
A camada de ozonoA camada de ozono
A camada de ozono
 
Biologia aula 2
Biologia aula 2Biologia aula 2
Biologia aula 2
 
A Atmosfera Terrestre
A Atmosfera TerrestreA Atmosfera Terrestre
A Atmosfera Terrestre
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 
Química ambiental volume 1 - a atmosfera
Química ambiental   volume 1 - a atmosferaQuímica ambiental   volume 1 - a atmosfera
Química ambiental volume 1 - a atmosfera
 
Ciclo Do NitrogêNio
Ciclo Do NitrogêNioCiclo Do NitrogêNio
Ciclo Do NitrogêNio
 
Ar atmosférico
Ar atmosférico Ar atmosférico
Ar atmosférico
 

Último

02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 

Último (20)

02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 

Química da Atmosfera.pdf

  • 1. Química da Atmosfera UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS – FACEM DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL – DGA Mossoró/RN
  • 2. Atmosfera é o nome dado à camada gasosa que envolve os planetas. No caso da atmosfera terrestre ela é composta por inúmeros gases que ficam retidos por causa da força da gravidade, da temperatura baixa em grande altitudes e do campo magnético que envolve a Terra. ATMOSFERA
  • 3. • A composição da atmosfera atual é um fator vital para o desenvolvimento da vida na Terra. • Sabe-se que a composição da atmosfera atual não é igual à composição da atmosfera primitiva, aquela que se formou há milhões de anos. COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
  • 4. COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA No início da formação do planeta Terra a atmosfera era composta basicamente por gases (metano, amônia, nitrito, vapor de água e dióxido de carbono) resultantes das constantes erupções e colisões na superfície inóspita da Terra primitiva, além dos que eram expelidos por rachaduras na crosta terrestre.
  • 5. Então, em uma segunda fase, surgem os organismos vivos fotossintesantes, absorvendo o gás carbônico da atmosfera e transformando-o em oxigênio (ciclo do carbono). Com o processo da fotossíntese a atmosfera torna-se saturada de oxigênio, formando a camada de ozônio fundamental para a existência da vida como conhecemos hoje. COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
  • 6. Após milhares de anos de transformação a atmosfera chega à constituição química que possui hoje: rica em nitrogênio e oxigênio. Gases Volume % Nitrogênio - N2 Oxigênio - O2 Argônio - Ar Dióxido de carbono - CO2 Neônio - Ne Hélio - He Metano - CH4 Criptônio - Kr Hidrogênio - H2 Óxido de dinitrogênio - N2O 78 21 0,9 0,03 0,002 0,0005 0,0002 0,0001 0,00005 0,00005 6 CO2 + 12 H2O → C6H12O6 + 6O2 + H2O (Glicose) COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA Minoritários
  • 7. CAMADAS DA ATMOSFERA Para efeitos de estudos a atmosfera pode ser dividida em camadas tendo como critérios a variação da altitude, temperatura e concentração de gases.
  • 8. A troposfera, geralmente se estende entre ≈ de 10 a 15 km da superfície (entre 20 km no equador e 8 km nos polos). É nesta camada que acontecem praticamente todos os fenômenos que influenciam o tempo (fenômenos meteorológicos). A temperatura diminui com a altitude (decresce 6,5 0C a cada 1000 metros) CAMADAS DA ATMOSFERA
  • 9. A estratosfera, estende-se até aproximadamente 50 km com temperaturas parecidas com as da troposfera até o limite de 20km. Esta camada é mais quente por causa do ozônio que se acumula e que absorve os raios ultravioletas. Temperatura se eleva com a altitude. CAMADAS DA ATMOSFERA
  • 10. CAMADAS DA ATMOSFERA Na mesosfera, a temperatura novamente diminui. Esta camada vai até cerca de 80 km. A esta altura, a temperatura chega a - 90ºC.
  • 11. CAMADAS DA ATMOSFERA E a termosfera não possui um limite inferior bem definido. As moléculas se agitam com uma velocidade enorme. A termosfera compreende uma camada situada entre 80 a 900 km, chamada de ionosfera. Diferentes espécies que absorvem radiação UV (altíssimas temperaturas)
  • 13. IMPORTÂNCIA DA ATMOSFERA Grande parte dessa interações ocorrem na Troposfera
  • 14. IMPORTÂNCIA DA ATMOSFERA É a região da atmosfera que está contato com a superfície do planeta e sofre influência direta do aquecimento dessa superfície e do depósito de poluentes • Dinamismo – intenso transporte de matéria e energia devido às correntes de convecção; • É deposito direto de gases poluentes e material particulado provenientes de atividades antropogênicas ou naturais 85% da massa de toda a atmosfera
  • 15. ✓ A atmosfera pode ser considerada como um grande reator; ✓ Contém O2 que é um elemento bastante reativo e diversos outros compostos em pequenas concentrações; ✓ Os quais podem atuar como reagente e/ ou catalisadores, e a luz solar como fonte de energia; ✓ As questões ambientais devem ser interpretadas o fluxo de matéria e energia; Balanço térmico + ciclos biogeoquímicos Ações antrópicas
  • 16.
  • 17. Balanço de Energia da Terra “ Balanço” é a diferença entre a entrada e a saída de elementos de um sistema. Os principais componentes para o balanço de radiação no sistema terrestre são: superfície, atmosfera e nuvens. entrada – saída = balanço Quando a radiação solar entra no sistema climático da Terra, uma parte é absorvida pela superfície do planeta e outra parte é refletida de volta para o espaço. A radiação solar é um dos principais fatores que assegura a vida na Terra.
  • 18. • Cerca de 30% da radiação solar é refletida de volta para o espaço; • 70 % é absorvido pela superfície terrestre (parte é absorvida pelas moléculas de água e demais partículas que tem essa propriedade como o ozônio; grande parte é absorvida pela superfície que é fonte de energia para a biomassa) Obs: Após a absorção da radiação solar pela superfície terrestre essa energia é refletida na forma de calor (Radiação infravermelha) dependendo dos constituintes presentes na atmosfera essa radiação é reabsorvida e aquece o planeta – efeito estufa)
  • 19. Processos de emissão de espécies, transformação e saída da atmosfera envolvendo reações químicas ou mudanças de fase passando pelos vários compartimentos da crosta terrestre, envolvendo, inclusive, os seres vivos. ⇩ Ciclo biogeoquímico.
  • 20.  Ciclo biogeoquímico - processo natural de reciclagem de elementos químicos do meio ambiente para os organismos e vice- versa.  Importante na autoregulação da biosfera - constante permuta de elementos/energia mantém o equilíbrio entre o meio físico- químico (abiótico) e o biológico (biótico).
  • 22. • Dois tipos: os ciclos gasosos e os ciclos sedimentares; • Os ciclos gasosos possuem como principal reservatório a atmosfera. Como exemplo, podemos citar o ciclo do carbono, do oxigênio e do nitrogênio. • Os ciclos sedimentares são aqueles que possuem como reservatório a crosta terrestre. São exemplos os ciclos do fósforo e do enxofre. ❖ Os ciclos gasosos ocorrem de maneira mais rápida que os ciclos sedimentares, devido a dificuldade de acesso dos organismos aos reservatórios da crosta terrestre. ❖ Além disso, a velocidade dos ciclos também pode ser influenciada pela natureza do elemento químico, taxa de crescimento de seres vivos, movimento na teia alimentar, taxa de decomposição e a ação do homem.  Ciclo Biogeoquímico Classificado de acordo com se reservatório
  • 23. ➢ Nitrogênio – Ciclos gasosos Vital para vida: - um dos principais componentes dos aminoácidos  proteínas. - um dos mais abundantes da Terra  maioria agregado a rochas ou N2 e apenas 0,02% disponível para plantas. - é o mais abundante componente do ar (N2). - bactérias fixadoras de nitrogênio têm capacidade de retira-lo do ar e transformá-lo em um elemento reativo.
  • 24. O ciclo do nitrogênio pode ser dividido em algumas etapas: • Fixação: Consiste na transformação do nitrogênio gasoso em substâncias aproveitáveis pelos seres vivos (amônia e nitrato). Os organismos responsáveis pela fixação são bactérias (presentes no solo), retiram o nitrogênio do ar fazendo com que este reaja com o hidrogênio para formar amônia. O nitrogênio também pode ser fixado no solo através de processos que liberem energia na forma de calor (relâmpagos, queimadas,...) • Amonificação: Parte da amônia presente no solo, é originada pelo processo de fixação. A outra é proveniente do processo de decomposição das proteínas e outros resíduos nitrogenados, contidos na matéria orgânica morta e nas excretas. Decomposição ou amonificação é realizada por bactérias e fungos. • Nitrificação: É o nome dado ao processo de conversão da amônia em nitratos (pelas bactérias notosonomas e nitrobacter) o processo primeiro transforma o nitrito e depois em nitrato. • Desnitrificação: As bactérias desnitrificantes (como, por exemplo, a Pseudomonas denitrificans), são capazes de converter os nitratos em nitrogênios molecular, que volta a atmosfera fechando o ciclo.
  • 26. ➢ Oxigênio – ciclos gasosos Entende-se por Ciclo do oxigênio o movimento do oxigênio entre os seus três reservatórios principais: a Atmosfera (os gases que rodeiam a superfície da Terra), a biosfera (os organismos vivos e o seu ambiente próximo) a litosfera (a parte sólida exterior da Terra) ✓ Este ciclo é mantido por processos geológicos, físicos, hidrológicos e biológicos, que movem diferentes elementos de um depósito a outro. ✓ Na atmosfera, encontra-se como oxigênio diatômico/oxigênio molecular (O2), dióxido de carbono (CO2), ozônio (O3), dióxido de nitrogênio (NO2), monóxido de nitrogênio (NO), dióxido de enxofre (SO2), etc. Este oxigênio satisfaz as necessidades de todos os organismos terrestres que o respiram no seu metabolismo.
  • 27. • O oxigênio é produzido pelo processo da fotossíntese das plantas e dos fictoplânctons. • Intimamente ligado ao ciclo do carbono. • Ele é consumido pelo processo de respiração das plantas e dos animais, pelo processo de combustão e oxidação dos metais) na produção de ozônio. (Vídeo)
  • 28. ➢ Carbono – Ciclo gasosos ✓ Intimamente relacionado com os seres vivos; ✓ Existem vários tipos de compostos de carbono nas diversas etapas que compõem o ciclo; ✓Existem basicamente duas formas de carbono, uma orgânica, presente nos organismos vivos e mortos, não decompostos, e outra inorgânica, presente nas rochas. • Orgânica • inorgânica
  • 29. • No planeta Terra o carbono circula através dos oceanos, da atmosfera, da terra e do seu interior, num grande ciclo biogeoquímico. • Este ciclo pode ser dividido em dois tipos: o ciclo "lento" ou geológico, e o ciclo "rápido" ou biológico.
  • 30. Ciclo geológico Este ciclo, que opera a uma escala de milhões de anos é integrado a própria estrutura do planeta e iniciou-se há cerca de 4,55 bilhões de anos, quando na formação do sistema solar e da Terra. Nesse sentido, mais de 99% do carbono terrestre está contido na litosfera, sendo a maioria carbono inorgânico, armazenado em rochas sedimentres como as rochas calcárias. O carbono orgânico contido na litosfera está armazenado em depósitos de combustíveis fosseis. Ciclo biológico O ciclo biológico do Carbono é relativamente rápido: estima-se que a renovação do carbono atmosférico ocorre a cada 20 anos. Na ausência da influência antropogênica no ciclo biológico existem três reservatórios ou "stocks": terrestre (20.000 Gt), atmosfera (750 Gt), oceanos (40.000 Gt). Este ciclo desempenha um papel importante nos fluxos de carbono entre os diversos stocks, através dos processos da fotossíntese e da respiração dos seres vivos.
  • 31.
  • 32. As atividades humanas influenciam o ciclo global do carbono. ✓ Ao retirar carbono armazenado nos depósitos de combustíveis fósseis a uma taxa muito superior à da absorção do carbono pelo ciclo, aumento as concentrações de CO2 na atmosfera e, influenciando o sistema climático global. ✓ Algumas florestas possuem elevado potencial para capturarem o carbono atmosférico, tanto no manto vegetal como na matéria orgânica do solo, o que aumenta a importância da manutenção de ecossistemas com grandes quantidades de biomassa e solos estáveis, com os objetivos de certas florestas se tornarem sumidouros de carbono a médio/longo prazo e outras não se tornarem "fontes" de carbono.
  • 33. ✓O ciclo do enxofre é complicado pelo grande número de estados de oxidação que este elemento pode assumir, incluindo o sulfeto de hidrogênio (H2S), dióxido de enxofre (SO2), sulfato (SO4 2–) e ácido sulfúrico (H2SO4), entre outros; ✓ Os processos inorgânicos são responsáveis por muitas destas transformações; ✓ Bactérias, que sequestram o enxofre e/ou o liberam para o meio ambiente; ✓ O enxofre é encontrado no solo em combinações de sais de sulfato, sulfetos e minérios. Nas proximidades de vulcões, o enxofre é encontrado na sua forma original, razão pela qual há muitas unidades de exploração nestas regiões. ➢ Enxofre – Ciclos Sedimentares
  • 34. O ciclo do enxofre compreende 6 etapas básicas: a) As plantas absorvem do solo compostos contendo enxofre além dos sulfatos; b) Na produção de aminoácidos das plantas o hidrogênio substitui o oxigênio na composição dos sulfatos; c) Os seres vivos se alimentam das plantas; d) Microorganismos decompõe os aminoácidos que contêm enxofre nos restos de animais e plantas, criando sulfeto de hidrogênio; e) O enxofre é extraído do sulfeto por bactérias e microorganismos; f) sulfatos são produzidos pela ação de microorganismos na combinação do enxofre com o oxigênio. ✓Apresenta um ciclo com dois reservatórios: um maior, nos sedimentos da crosta terrestre outro, menor, na atmosfera. ✓As atividades humanas também liberam grandes quantidades de enxofre, principalmente através da queima de combustíveis fósseis;
  • 35. ➢Ciclo do fósforo – ciclos sedimentares ✓ o ciclo do fósforo é mais simples pois não existem muitos compostos gasosos de fósforo, apenas um composto de fósforo realmente importante para os seres vivos que é o íon fosfato ✓O fósforo é o material genético constituinte das moléculas dos ácidos ribonucléico (RNA) e desoxirribonucléico (DNA) e componente dos ossos e dentes. ✓ O fósforo aparece principalmente na forma de fosfato (PO4 -3), obtido a partir da degradação das rochas (minerais). ✓ Drenado gradativamente para o mar, o fosfato passa por processos de sedimentação, sendo incorporado às rochas. Podendo retornar ao ecossistema terrestre por meio dos processos geológicos, como a elevação do leito no mar ou o rebaixamento do nível das águas.
  • 36. ✓ Existem dois ciclos do fósforo que acontecem em escalas de tempo bem diferentes. ✓ Uma parte do elemento recicla- se localmente entre o solo, as plantas, consumidores e decompositores, em uma escala de tempo relativamente curta, que podemos chamar “ciclo de tempo ecológico”. ✓ Outra parte do fósforo ambiental sedimenta-se e é incorporada às rochas; seu ciclo envolve uma escala de tempo muito mais longa, que pode ser chamada “ciclo de tempo geológico”.
  • 37.  Composição média da atmosfera:  Interferência das atividades humanas sobre os ciclos biogeoquímicos
  • 38. Por quê medir constituintes atmosféricos? ✓ Avaliar efeitos de poluição sobre o homem e seu ambiente. ✓ Identificar qualquer uma possível causa e/ou relação de efeitos entre as concentração dos poluentes com os efeitos sobre a saúde e as mudanças climáticas; ✓ Controles legislativos de emissões de poluentes para assegurar a conformidade da qualidade do ar com padrões de emissão; ✓ Ativar procedimentos de emergência em áreas com tendências a episódios agudos de poluição; ✓ Obter registro histórico da qualidade ambiental, fornecendo uma base de dados para uso futuro ( estudos epidemiológicos).
  • 39.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47. Transformações químicas na atmosfera  reator químico.  O: altamente reativo Diversos compostos: reagentes e/ou catalisadores Luz solar: fonte de energia  Capacidade de reagir = tempo de residência = tempo médio de permanência do composto na atmosfera.  raio de ação do composto com base no local de emissão. Ex.: NO2 : 1 dia  alguns km de distância. CO2 : 4 anos  espalha-se por toda a atmosfera.
  • 48. Poluição do ar e energia Consumo de energia no mundo/ano: 9.1016 kcal Maior parte proveniente da queima do carvão vegetal e combustíveis derivados do petróleo. Queima dos hidrocarbonetos produz H2O e CO2. Efeito estufa Combustíveis fósseis raramente consistem só de hidrocarbonetos.
  • 49. Compostos de enxofre e de metais  quantidade varia com a origem do petróleo. No petróleo  enxofre é incorporado nas estruturas moleculares dos compostos organosulfurados. No carvão  enxofre é combinado com ferro no mineral pirita (FeS2). Processamento petróleo cru e carvão remove muitas impurezas, mas a eliminação total é extremamente cara  elevaria custo do combustível e de energia. Limpeza do ambiente vs. Nível de vida da sociedade. Tecnologia.
  • 50. Principais poluentes do ar Queima de carvão, gasolina e combustíveis similares oxida hidrocarbonetos, mas também suas impurezas. 4FeS2 + 11O2  2Fe2O3 + 8SO2 Poluente de ar primário Poluente gerado como resultado direto de uma atividade específica. Gás irritante, com odor acre e desagradável.
  • 51. 2SO2 + O2 → 2SO3 SO3 + H2O → H2SO4 Gás altamente irritante. Principal componente da chuva ácida. Poluente de ar secundário Poluente formado pela reação adicional de um poluente de ar primário.
  • 52. N2 + O2 → 2NO 2NO + O2 → 2NO2 Ar Gás colorido. Altas temperaturas: - raio - motor de combustão interna Gás castanho e tóxico. 100 a 200 ppm  inflamação inicial dos pulmões, podendo tornar-se letal em poucos dias. Período de tráfego intenso.  N2O, NO, NO2, NO3, N2O3, N2O4 e N2O5, HNO3.
  • 53.  Combustão: Combustível + ar  gases + partículas   [O2 e N2] [ex.: NO + SO2 + CO2]  Conhecer a composição química do material combustível  conhecer os gases emitidos.  C, H e O  CO2 e H2O  C, H, O e S  SO2 Obs.: Exceção: NO é formado em todas as combustões, independente da composição do material queimado. N2 + O2  2NO  oxida facilmente, formando NO2.
  • 54.
  • 55. Acidez na precipitação Precipitação ácida (úmida ou seca). Resultado da poluição do ar causada por queima de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e outros contendo N e S). Resultado da dissolução de óxidos de N e S, produzindo mistura de ácidos (nitroso, nítrico, sulfuroso e sulfúrico)
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60. Efeito da chuva ácida sobre monumentos
  • 61.
  • 62.
  • 63. Os compostos orgânicos voláteis • Chamam-se COVs por possuírem uma alta pressão de vapor e em consequência se evaporam facilmente à temperatura ambiente. • Os COVs são encontrados em gasolina, tintas, vernizes e produtos e limpeza domésticas. • Também são emitidos durante a combustão dos combustíveis (gasolina, madeira, carvão, gás natural, etc), sendo os automóveis a fonte principal dos COVs. • Os COVs mais reativos no ar urbano são os hidrocarbonetos que possuem ligação dupla dado que eles podem adicionar-se aos radicais livres
  • 64.
  • 65.
  • 67. Fontes potenciais de hidrocarbonetos poluentes provenientes de um automóvel (antigo) sem dispositivo de controle de poluição Efeitos de poluentes orgânicos na atmosfera: ❑ Efeitos diretos (doenças ) ❑ Formação de poluentes secundários (Smog fotoquímico)
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 73. Este fenômeno climático é resultado da camada de poluição muito elevada fazendo com que as camadas de ar quente e de ar frio, troquem de posição. A inversão térmica por ser um fenômeno de curta duração, variando tipicamente de algumas horas à alguns dias, está intimamente relacionada às variações climáticas de tempo metereológico. O fenômeno é mais comum após a passagem
  • 74. Onde ocorre? Geralmente nas grande cidades; Onde podemos observar a olho nu uma camada de cor cinza; Resultado da queima de combustíveis fósseis; Ilha de calor é um fenômeno típico dos grandes centros urbanos. Este ter fenômeno afeta diretamente a saúde; Causa doenças respiratórias, cansaço entre outros problemas; Irritação nos olhos e intoxicação, também são consequências as concentração de poluentes na camada de ar próxima dos solo.
  • 75. Ilha de calor é um fenômeno climático que ocorre a partir da elevação da temperatura de uma área urbana se comparada a uma zona rural. Isso quer dizer que nas cidades (grande grau de urbanização), a temperatura é superior a de áreas periféricas, consolidando literalmente uma ilha (climática). A oscilação de temperatura entre o centro de uma grande cidade e uma zona rural pode variar entre 4°C, 6°C ou até mesmo 11°C.
  • 76.
  • 77. ➢ Pode ser percebida em períodos diurnos e noturnos, mas o ápice da diferença de temperatura entre áreas urbanas e rurais acontece ao anoitecer. ➢ A área rural resfria mais rápido do que a urbana. ➢ Na área rural e florestal a cobertura vegetal possibilita o processo de evaporação e evapotranspiração, amenizando as temperaturas, o que não acontece nas grandes cidades que estão impermeabilizadas e sem cobertura vegetal. ➢ Calor excessivo provoca: Mortalidade de idosos e doentes que apresentam dificuldade de manter a termorregulação corpórea; incremento no consumo de energia elétrica, usada para funcionar refrigeradores (ar condicionado), principalmente para climatizar residências, escolas, universidades, comércios e indústrias. Consequências
  • 78.
  • 79.
  • 80.
  • 81.
  • 82.
  • 83.
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 88.
  • 89.
  • 90. Referencias • Rocha, J. C; Rosa, A. H. e Cardoso, A. A, Introducao a Quimica Ambiental, Porto Alegre Bookman, 2004 • Baird, C. Quimica Ambiental; Traducao Maria Angeles Lobo Recio e Liz Carlos M. Carrera, 2 ed, Porto Alegre, Bookman, 2002• Nascentes, C. C; Costa, L. M. Quimica Ambiental, Universidade Federal de Minas Gerais, 2011 • Maioli, O.L.G., Nascimento, G.N. Composicao da Atmosfera, Ciclos Globais e Tempo de Vida. Monografia. UFES • Mozeto, A. Quimica Atmosferica: A quimica sobre nossas cabecas. Cadernos Tematicos de Quimica Nova na Escola. 2001