A história do Volvismo

1.086 visualizações

Publicada em

O volvismo vem de uma ideia de montagem de automóveis iniciada pela Volvo na década de 1970, uma fábrica automotiva instalada em Gotemburgo na Suécia em 1927, resultante da ideia de dois amigos de infância, o engenheiro Gustav Larsson e o economista Assar Gabrielson, este último perdeu a esposa num acidente de avião. Após horas de bate papo, ambos tiveram a ideia de projetar um carro genuinamente sueco e que fosse extremamente seguro e adequado as severas condições climáticas do país. E para isso receberam o apoio da empresa SKF, tradicional fabricante de rolamentos e da qual a nova montadora se tornou subsidiária. O primeiro automóvel foi batizado de VOLVO ÖV4, conhecido popularmente como Jakob, saiu da linha de montagem da cidade de Gotemburgo somente no dia 14 de abril de 1927. Os carros já saiam da linha de montagem com as tradicionais listras diagonais na grade do radiador, marca da empresa até os dias de hoje.

Publicada em: Design
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.086
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A história do Volvismo

  1. 1. Cleyton Alves Daniel Almeida Gabriela Cristina Leandro Buás Joice Thuler Raphael Fernandes Nomes:
  2. 2. 1970
  3. 3. O Volvismo surgiu como resultado de várias inovações conjuntamente postas em prática, com a particularidade da participação constante dos trabalhadores
  4. 4. O DECLINIO DO VOLVISMO Um dos fatores que levaram ao insucesso do Volvismo foi à crise mundial de petróleo. As fábricas haviam surgido e evoluído em uma conjuntura econômica desfavorável: a crise do petróleo e a consequente recessão do mercado automobilístico, com baixa de 30% na venda de carros grandes (1989 e 1992). Adicionalmente, surgiram os japoneses com o sucesso da produção enxuta.
  5. 5. CONCLUSÃO As contribuições de Frederick Winslow Taylor e Henry Ford, para a administração, são valiosas, porém, ao longo do século XX, com o fortalecimento dos sindicatos e a emergente necessidade de melhoria das condições humanas no trabalho, os métodos tiveram que ser mudados. Dessa forma, fabricantes europeus e japoneses, com visões diferentes da organização do trabalho, trouxeram diversas contribuições significativas à organização da produção.

×