Sob o governo do Vice-rei D. Luís de Almeida Portugal (1769-
1779), na iminência de uma invasão espanhola que se
materiali...
Em 1913, estando quase concluídas as obras do Forte de
Copacabana, o então presidente da República, Hermes da
Fonseca, det...
Luiza e João Mauro
Luiza e João Mauro
Luiza e João Mauro
Luiza e João Mauro
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Luiza e João Mauro

231 visualizações

Publicada em

Projeto 1° Bimestre - 2015
"O Rio continua lindo ... E por que não?"
Tema: Forte Duque de Caxias

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
231
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luiza e João Mauro

  1. 1. Sob o governo do Vice-rei D. Luís de Almeida Portugal (1769- 1779), na iminência de uma invasão espanhola que se materializou em1777 contra a Colônia do Sacramento e a ilha de Santa Catarina, no sul da Colônia, foi ordenada a construção de um pequeno forte para defesa de qualquer desembarque naquele trecho ao Sul da cidade, o que teve lugar entre 1776 e 1779. A fortificação ficou conhecida como Forte da Vigia. O Vice-Rei, D. José Luiz de Castro (1790-1801), determinou retirar a sua guarnição, por razões de economia, em 1791. No contexto da Guerra da indepêdencia do brasil. (1822- 1823), o forte foi novamente guarnecido e artilhado com cinco peças de ferro de diversos calibres (1823).
  2. 2. Em 1913, estando quase concluídas as obras do Forte de Copacabana, o então presidente da República, Hermes da Fonseca, determinou erguer no local do antigo forte colonial, uma moderna fortificação para a defesa da barra da baía de Guanabara. À semelhança do de Copacabana, o projeto do Forte do Leme ficou a cargo do Coronel Engenheiro Augusto Tasso Fragoso, com a coordenação do Major Arnaldo Pais de Andrade.1 Concluído e aprovado, o projeto foi enviado para a Krupp, em Essen(Alemanha), para fins de atualização e orçamento. Os alemães reprojetaram-no de modo a que fosse executado com peças de concreto pré-moldadas na Alemanha, recomendando quatro obuseiros de 120 mm, cujos projéteis transporiam as elevadas barreiras constituídas pelos morros da Urca e do Pão de Açúcar, armas a serem fabricadas sob medida para esta estrutura. A parte elétrica da instalação ficou a cargo da empresa AEG, de Berlim

×