André Aguiarnº3
CarlosSilvanº5 PTC1
1
Organização do espaço no ponto de venda
A necessidade de pensar sobre a importância ...
André Aguiarnº3
CarlosSilvanº5 PTC1
2
Zonas Quentes
Zona de maior circulação, de interesse e acessos imediatos. O cliente,...
André Aguiarnº3
CarlosSilvanº5 PTC1
3
Ilhas
Encontram-se ao nível dos expositores.
Tipos de ilhas:
 Frigoríficas, normalm...
André Aguiarnº3
CarlosSilvanº5 PTC1
4
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Organização do espaço no ponto de venda

145 visualizações

Publicada em

neste trabalho falamos sobre a organização no ponto de venda

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
145
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Organização do espaço no ponto de venda

  1. 1. André Aguiarnº3 CarlosSilvanº5 PTC1 1 Organização do espaço no ponto de venda A necessidade de pensar sobre a importância da organização do lineares teve em conta o seguinte:  - Encontrar em cada secção uma disposição que corresponda ás necessidades e desejos de uma clientela cada vez mais exigente.  - desenvolvimento das grandes superfícies  - aumento da concorrência  -contínua necessidade de atrair e fidelizar clientes Organização do linear Implantação das secções  As secções de um estabelecimento têm como objectivo a exposição dos produtos.  A implantação de secções deve ter como referência o sentido natural de circulação dos clientes, enquadrando-os nos hábitos de consumo.  Rentabilização de cada m2 de área de venda, fazendo passar por elas o maior número possível de clientes.  Considerar a localização de equipamentos especiais, como por exemplo a área de frio, por forma a evitar um distanciamento das máquinas.  Ter a possibilidade de expansão no futuro, caso o potencial de clientela justifique.  Eliminar custos desnecessários de pessoal, com uma implantação articulada com os percursos habituais do cliente.  Controlar visualmente os clientes, diminuindo a possibilidade de roubo.  Optimizar a largura dos corredores, por forma a garantir uma circulação natural. Motivação do cliente para o espaço Para um correcto desenvolvimento do espaço, as secções devem estar dispostas de forma sistemática e enquadradas numa estratégia comercial coerente. Tipos de zonas nas lojas: Zonas Frias Zonas Quentes Zona Fria Local de circulação com necessidade de dinamização ao qual o cliente terá tendência a não se deslocar .
  2. 2. André Aguiarnº3 CarlosSilvanº5 PTC1 2 Zonas Quentes Zona de maior circulação, de interesse e acessos imediatos. O cliente, por habituação e necessidade, e sendo influenciado pela lista de compras que traz consigo, define um trajecto específico que é também controlado pela implantação das secções. Motivação do cliente para o espaço Ao deslocar –se o cliente, define a existência de pontos quentes e pontos frios. Pontos quentes  Pontos quentes naturais, criados quer pela arquitectura, quer pelo mobiliário e sua localização.  Pontos quentes artificiais são barreiras tecnicamente estudadas e criadas ao cliente, provocando nele a necessidade da compra impulsiva. Pontos quentes artificiais  Pontos junto das balanças  Topos de gôndolas  Zonas onde são efectuados testes de apreciação/experimentação;  Junto aos produtos mais vistosos e mais caros;  Pontos mais iluminados;  Pontos junto à iluminação de exposições especiais;  Em zonas de promoção. Motivação do cliente para o espaço Os pontos frios são os espaços da loja onde passam e param menos consumidores, pelo que vendem menos. São normalmente os locais mais distantes da entrada, os cantos e as esquinas, os espaços apertados entre gôndolas, locais mal iluminados ou barulhentos. Equipamento no desenvolvimento do espaço de venda Gôndolas são: Estantes de duas faces com prateleiras, facilita a circulação e aproximação dos clientes. A gôndola serve para exposição e armazenamento dos produtos, tem dimensões médias entre 1,8 e 2 metros de altura e entre 50 e 70 centímetros de profundidade. O seu comprimento é variável, de acordo com a dimensão da secção e da loja.
  3. 3. André Aguiarnº3 CarlosSilvanº5 PTC1 3 Ilhas Encontram-se ao nível dos expositores. Tipos de ilhas:  Frigoríficas, normalmente de grande dimensão e capacidade de exposição. A disposição do produto é feita na horizontal. É normalmente utilizado nos produtos de grande rotação, principalmente congelados.  De frio, verticais, com prateleiras que têm o mesmo nível de exposição e impacto que as gôndolas. Importância e definição do linear O linear é toda a superfície que promove a exposição do produto. Ao linear corresponde normalmente uma superfície, formada pela parte da frente das gôndolas ou móveis de exposição. Tipos de Lineares Linear ao solo: quando o linear se mede ao chão e é o comprimento do móvel expresso em metros; Linear desenvolvido: quando se mede em comprimento e é igual ao número de prateleiras vezes o comprimento do linear e medindo-se em metros. Linear mínimo: Para determinar o linear mínimo, necessitamos de saber qual a extensão mínima que cada produto necessita para se tornar notado aos olhos do cliente. Disposição do linear: Relativamente à posição dos produtos no linear, salientam-se três níveis de apresentação:  nível do solo, difícil visibilidade, normalmente utilizado para produtos de maior dimensão.  nível dos olhos, nível intermédio de fácil acesso, basta estendermos a mão;  nível das mãos, ponto de atracção, principalmente para implantação dos produtos impulsivos; Existem duas formas de apresentação dos produtos no linear: Apresentação vertical Agrupa os produtos de uma mesma família, uns sobre os outros, em todas as prateleiras, dando uma impressão de ordem e de clareza, permitindo, uma rápida percepção dos artigos no linear.
  4. 4. André Aguiarnº3 CarlosSilvanº5 PTC1 4

×