ISO 50001 Sistema de Gestão de Energia
George Alves Soares, D.Sc.
São Paulo, 30/10/2012
Motivação
Redução de gases efeito-estufa relacionados a
energia no cenário de mudança climática

2
A MOTIVAÇÃO

O uso da energia precisa
ser gerenciado...
usuários sozinhos não
conseguem controlar preços,
políticas ou a e...
Desenvovimento da
ISO 50001
 2005 – início de discussões sobre gestão da energia em diversos países
 Maio/2007 - reunião...
ESTRUTURA DO
TC242

ISO TC242
Energy Management
Chairman
– USA (Edwin Pinero)

Secretaria
– Brasil (ABNT)
– EUA (ANSI)

• ...
ISO 50001
Desafios do
desenvolvimento

Conectando “mundos”  Entendendo os conceitos dos
diferentes “mundos”;
distintos
 ...
ISO 50001

Melhoria
contínua

Política
Energética

Planejamento
Revisão pela
alta gerência
Implementação
e operação

Monit...
ISO 50001
Planejamento Energético
Exemples of Inputs
- Energy bills
- Other metering
data
- Other variables:
production,
w...
ISO 50001
Energy Implementation
and Operation

Energy Planning
 Legal and other
requirements
 Energy review

Energy Impl...
ISO 50.001
Pontos relevantes
– Melhoria contínua do desempenho energético

(eficiência, uso and consumo)

– Foco no uso si...
TC242
Status

11
TC242
Status

 WG1 – Guia de Implementação(Irlanda)
 CD disponível para análise

 WG1 – Auditoria do Sistema de Gestão ...
Exemplos de
implementação da ISO
50.001 no Brasil.

 METALPLAN – Fabricantes de compressor –

primeira no mundo

 WEG Eq...
Próximos passos globais
em termos de Política
Energética

 Inclusão nas políticas de eficiência

energética em vários paí...
Exemplos de
implementação da ISO
50.001 no Brasil.

 Programa de Acreditação de organismos

certificadores pelo INMETRO.
...
GANHOS

 A adoção da ISO 50.001

levará as empresas a um
reconhecimento
internacional

Impacto potencial
Influência em 60...
George Alves Soares, D.Sc.
Chefe da Assessoria Corporativa e de Novos Negócios em Eficiência
Energética - Eletrobras

ABNT...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

14.30 georgeiso50001[1]

350 visualizações

Publicada em

ISO 50001 - Sistemas de Gestão de Energia (Apresentação ABNT)

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
350
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

14.30 georgeiso50001[1]

  1. 1. ISO 50001 Sistema de Gestão de Energia George Alves Soares, D.Sc. São Paulo, 30/10/2012
  2. 2. Motivação Redução de gases efeito-estufa relacionados a energia no cenário de mudança climática 2
  3. 3. A MOTIVAÇÃO O uso da energia precisa ser gerenciado... usuários sozinhos não conseguem controlar preços, políticas ou a economia global, mas ... podem gerenciar como a energia é usada ... Até 2011, Não havia norma internacional de gestão de energia. ISO 50.001 – A mais abrangente iniciativa internacional de EE 3
  4. 4. Desenvovimento da ISO 50001  2005 – início de discussões sobre gestão da energia em diversos países  Maio/2007 - reunião c/ stakeholders (UNIDO) determinando a necessidade de uma norma international  Fev/2008 - ISO aprova a proposta dos Estados Unidos e Brasil para conduzir o PC242  Abr/2008 China WG Meeting (UNIDO) – discussão sobre estrutura geral da norma  Sep/2008 1a. Reunião PC242 Washington DC – WD (work draft)  Mar/2009 2a. Reunião PC242 Rio de Janeiro – CD (committee draft)  Nov/2009 3a. Reunião PC242 London – DIS (draft of international std)  Out/2010 4a. Reunião PC242 Beijing – FDIS (final draft of international standard)  Jun/2011 Publicação da ISO 50001 – Jul /2012 –Publicação da NBR/ISO 50.0001 • Nov/2011 5a. Reunião TC242 Washington – análise das novas propostas NWIP (6) e definição de estrutura de WG’s (4) • Maio/2012 6a. Reunião TC242 Dublin – análise dos WD’s (6) • Nov/2012 Reunião de WGs Japão – Análise de CDs e WDs 4
  5. 5. ESTRUTURA DO TC242 ISO TC242 Energy Management Chairman – USA (Edwin Pinero) Secretaria – Brasil (ABNT) – EUA (ANSI) • PC criado para desenvolver a ISO 50001 entre 2008-2011 • TC criado para desenvolver • 7 reuniões plenárias • 48 Países participantes • 17 Países observadores • 7 Organizações Interessadas • +/- 100 participantes de • +/- 25 countries presentes nas plenárias internacionais • Países participantes com atividades na área de gestão da energia outras normas • 4 Grupos de Trabalho ativos 5
  6. 6. ISO 50001 Desafios do desenvolvimento Conectando “mundos”  Entendendo os conceitos dos diferentes “mundos”; distintos  Criando ambiente confortável   - Especialistas em eficiência energética - Especialistas em sistemas de gerenciamento     para concordâncias; Preocupação com as necessidades dos países e os significados locais; Aplicação de definições mundiais para melhor entendimento; Estabelecendo consenso sob critérios claros; Fazendo consenso para o “simples e fácil”; Criando novas “expressões”; Quebrando com conceitos antigos. 6
  7. 7. ISO 50001 Melhoria contínua Política Energética Planejamento Revisão pela alta gerência Implementação e operação Monitoramento, Medição e análise Verificação Auditoria interna Não-conformidades, correção, ações corretivas e preventives Avaliação dos requisitos legias e outros
  8. 8. ISO 50001 Planejamento Energético Exemples of Inputs - Energy bills - Other metering data - Other variables: production, weather, etc. - Processes flow diagrams - Organization charts - Previous energy assessments results - Equipment lists - Energy sources - Operations / financial information -O&M -Other Legal & other requirerments Resultado do Planejamento Energético  Baseline Revisão Energética a) Analyse energy use & other information -Graphs -Charts -Tables -Spreadsheets -Process Maps -Sankey Diagrams -Energy Models b) Identify significant energy uses & related aspects -Energy assessments -Preventive / preditive maintenance -Pinch analyses -Root Cause Analyses -Benchmarks -Pareto Analyses c) Identify opportunities for energy performance improvement -Review of BAT -Energy requirement analyses -LCC Analyses -Assessing competence -Other Examples of Tools / Techniques  EnPI(s)  Objectives, targets, action plans
  9. 9. ISO 50001 Energy Implementation and Operation Energy Planning  Legal and other requirements  Energy review Energy Implementation and Operation  Competence, training and awareness  Operational control  Baseline  EnPI(s)  Design Objectives  Procurement ,Targests  Documentation  Action plans  Communication
  10. 10. ISO 50.001 Pontos relevantes – Melhoria contínua do desempenho energético (eficiência, uso and consumo) – Foco no uso significante de energia; – Inserção da linha de base mandatória – “Quebra” com relação aos conceitos de objetivos e metas dos antigos sistemas de gestão – Aplicável a todas as variáveis que afetam o desempenho energético – Visão de futuro, incluindo não só tecnologia, mas sim treinamento, capacitação entre outros , uma visão “global dos aspectos de uso da energia, e não somente o aspecto “local” – Aplicável a todos os tipos de organizações e alinhado com outros sistemas de gestão – Todas as pessoas podem contribuir com o uso racional da energia e precisa ser simples 10
  11. 11. TC242 Status 11
  12. 12. TC242 Status  WG1 – Guia de Implementação(Irlanda)  CD disponível para análise  WG1 – Auditoria do Sistema de Gestão (Coréia)  CD disponível para análise  WG2 – Linha de base (Canadá) e Indicadores (Brasil)  A fusão de duas normas para criar a “Análise do Desempenho Energético” - WD disponível para análise  JWG3 – Medição e Verificação (África do Sul)  WD disponível para análise( TC 257)  WG4 – Auditoria Energética (Inglaterra)  CD disponível para análise 12
  13. 13. Exemplos de implementação da ISO 50.001 no Brasil.  METALPLAN – Fabricantes de compressor – primeira no mundo  WEG Equipamentos Elétricos S.A.  Fronteira: Fábrica IV  Escopo:  Fabricação de motores elétricos linhas HGF 315-400 (220V a 13800V) e W22 - 355 (220V a 1000V) potências de 175 a 1100 CV.  Ensaio de motores elétricos trifásicos com tensão de (220V a 7000V) e potências de 150 a 1250CV.  Cronograma: Setembro 2011 – Dezembro 2011  Indicadores: kWh/(cv produzido) e kWh/(no de ensaios)  Resultados:R$ 16.000,00 – 600 Mwh – 17,54 ton CO2 em 4 meses (julho/2012) 13
  14. 14. Próximos passos globais em termos de Política Energética  Inclusão nas políticas de eficiência energética em vários países com EUA, Índia, China, França entre outros.  GSEP (Global Superior Energy performance) Certification:  Adoção da ISO 50.001  Atendimento de nível mínimo de desempenho energético ou de uma taxa de melhoria;  Auditoria de terceira parte para validção da conformidade com a ISO 50.001  No Brasil, inclusão no Plano Nacional de Eficiência Energética 14
  15. 15. Exemplos de implementação da ISO 50.001 no Brasil.  Programa de Acreditação de organismos certificadores pelo INMETRO.  Início previsto para Novembro/2012;  Outras certificações e implementações em andamento 15
  16. 16. GANHOS  A adoção da ISO 50.001 levará as empresas a um reconhecimento internacional Impacto potencial Influência em 60% do uso da energia mundial em diversos setores da economia  dos seus programas     corporativos de sustentabilidade das suas iniciativas para redução de custo com energia da gestão de demanda na cadeia de suprimento do seu envolvimento com acordos de redução de emissão de carbono da sua participação em acordos climáticos 16
  17. 17. George Alves Soares, D.Sc. Chefe da Assessoria Corporativa e de Novos Negócios em Eficiência Energética - Eletrobras ABNT CEE116 - Delegado da Comissão 116 - Sistema de Gestão de Energia georgesoares@eletrobras.com

×