Presentación Encuentro 2010 - Brasil Paraiba

620 visualizações

Publicada em

Presentación del Encuentro Latinoamericano 2010: TERRITORIOS RURALES EN MOVIMIENTO. Bogotá,Colombia.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
620
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Presentación Encuentro 2010 - Brasil Paraiba

  1. 1. Desenvolvimento em processo mudanças incrementais nas estruturas sociais de uma região do Semi-árido brasileiro<br />Ricardo Abramovay<br />ArilsonFavareto<br />Maria do Carmo Oliveira<br />Beatriz Saes<br />Bogotá, Março de 2010<br />
  2. 2. Delimitação do território e fatores de identidade no Cariri<br />Cariri<br />Municípios brasileiros onde houve aumento da renda, diminuição da pobreza, e diminuição da desigualdade <br /><ul><li>29 pequenos municípios, 115 mil habitantes, densidade 16 hab/km²
  3. 3. menores índices pluviométricos do país
  4. 4. pobreza estrutural histórica
  5. 5. IDH 0,611
  6. 6. PIB PER CAPITA: US$.1.161
  7. 7. formação histórica baseada em fibras e pecuária extensiva
  8. 8. agricultores pobres: lavouras de subsistência
  9. 9. identidades: sertanejos e coronelismo</li></ul>Distribuição espacial dos municípios brasileiros onde houve, simultaneamente, aumento da renda, diminuição da pobreza, e diminuição da desigualdade <br />(1991-2000)<br />
  10. 10. Por que o Cariri ?<br />Localização no Nordeste do Brasil (seca e concentração da pobreza rural)<br />Estado com maior concentração de municípios “www”<br />Território com maior concentração de municípios “www”<br />Território com maior número de municípios que melhoraram posição no ranking brasileiro de desenvolvimento municipal (2006)<br />
  11. 11.
  12. 12.
  13. 13.
  14. 14.
  15. 15.
  16. 16.
  17. 17. As perguntas desta etapa do estudo<br />Quais as razões do bom desempenho da região do Cariri ?<br />As mudanças institucionais<br />Os atores e coalizões<br />A distribuição das diferentes formas de capital<br />
  18. 18. Dinâmica territorial <br />FORMAÇÃO HISTÓRICA <br />(até anos 70)<br />Grandes fazendas (pecuária e fibras) e minifúndios: subordinação do trabalho familiar e bloqueio à sua reprodução social<br />Baixa produtividade da agricultura local<br />Coronelismo: caráter total do poder local dos fazendeiros e força dos laços pessoais de dominação política e econômica<br />Sertanejo: resistência, dependência e heteronomia, força dos laços familiares <br />DINÂMICAS RECENTES <br />(anos 90)<br />Concorrência com fibras sintéticas e desestruturação dos sistemas de produção tradicionais e crise dos instrumentos de apoio tradicionais (crédito, preços mínimos, investimentos subsidiados)<br />Ampliação das políticas sociais e descentralização: maior volume de transferências de recursos aos municípios: setor público ultrapassa a agropecuária na formação do PIB local<br />Maior acesso a equipamentos sociais básicos e melhoria de indicadores econômicos e sociais, mas assimetria<br />Novos mercados (compras públicas) desigualmente aproveitados: leite e ovinocaprinocultura<br />
  19. 19. MUDANÇAS INSTITUCIONAIS<br />Erosão das bases políticas e econômicas da dominação<br />Fissuras na rigidez da estrutura social local (crise dos sistemas de produção tradicionais e enfraquecimento das elites) <br /> +<br />Novas oportunidades políticas (programas públicos para agricultora familiar como as compras públicas e descentralização de serviços públicos)<br /> =<br />Abertura de espaço para afirmação de novas atividades econômicas capazes de favorecer os agricultores mais pobres (ovinocaprinocultura)<br />Fim da dependência pessoal para acessar rendas mínimas e serviços sociais básicos (saúde, por exemplo) <br />
  20. 20. Antes hoje<br />Ke<br />Ke<br />Kc<br />Kc<br />
  21. 21.
  22. 22. PERMANÊNCIAS INSTITUCIONAIS<br />Nova configuração das bases políticas e econômicas do território em mudança incremental<br />Indicadores econômicos e sociais melhoraram, mas ainda são distantes da média nacional e das regiões mais urbanizadas<br />Maioria dos agricultores pobres ainda não participa dos novos mercados (leite e ovinocaprinocultura)<br />Segmentos enfraquecidos das velhas elites participam dos novos mercados em consórcio com agricultores familiares<br />Novo mercado (leite e ovinocaprinocultura) depende excessivamente das compras públicas: reprodução da velha dependência do Estado<br />Novas vantagens comparativas das regiões rurais (paisagem e cultura) são ainda muito fragilmente exploradas<br />
  23. 23.
  24. 24. % das transferências governamentais na renda do município foi de 16% para 26%<br />% de pessoas com mais de 50% da renda dependente de transferências foi de 15% para 25%<br />% da renda proveniente do trabalho cai de 72% para 56%<br /> serviços corresponde a 60 a 70% da renda, 50% com funcionalismo público<br />
  25. 25. ATORES SOCIAIS, COALIZÕES E SEU PAPEL NAS MUDANÇAS<br />Principal fonte da mudança é exógena: concorrência de mercados externos, novas oportunidades políticas no desenho federativo das políticas públicas<br />Mas atores locais se beneficiam do novo contexto para instituir novas atividades<br />Novos atores: população pobre que antes migrava e agora com maior escolaridade investe estas novas habilidades em oportunidades locais, associações e sindicatos em aliança com atores extra-locais<br />Velhos atores: herdeiros e descendentes das elites em crise em associação com agricultores familiares comandam novas atividades econômicas e ainda estão à frente de importantes espaços políticos (prefeituras)<br />
  26. 26. REVISÃO DE PERGUNTAS E HIPOTESES (1)<br />Do que se trata: uma mudança qualitativa, mas incremental (não abrupta ou completa)<br /> fim de uma longa etapa da formação territorial baseada na dominação tradicional<br /> mas reprodução de mecanismos de captura dos investimentos governamentais <br /> emergência de novas atividades econômicas<br /> mas dificuldade em estabelecer dinâmicas duradouras <br /> e promissoras<br /> maior acesso a equipamentos e serviços sociais (educação e saúde)<br /> mas manutenção das assimetrias<br />
  27. 27. REVISAO DE PERGUNTAS E HIPOTESES (2)<br />Um processo que pode ser explicado de três maneiras: <br />Sen: ampliação das capabilities<br />North: mudanças externas obrigam a adaptações nas instituições locais; sentido destas adaptações nas instituições locais é determinado pelos hábitos e pela cultura já incorporada em seus agentes <br />Bourdieu: hábitos e cultura são disposições adquiridas dos agentes em uma trajetória de longa duração e tornam certos comportamentos naturais e outros interditados; <br /> aproveitamento das oportunidades depende deste habitus e da distribuição desigual das habilidades e trunfos necessários a isto (distribuição desigual das formas de capital) <br />
  28. 28. REVISAO DE PERGUNTAS E HIPOTESES (3)<br />O quadro de análise aplicado ao Cariri<br /><ul><li>Há no Cariri uma expansão das capabilities necessárias a functionings e achievements de uma sociedade aberta, não tradicional (cf. Sen): melhoria dos indicadores. Mas este é um processo ainda frágil, porque restrito, e insuficiente para explicar a dinâmica regional, pois é geral às áreas rurais brasileiras.
  29. 29. Apesar disto a mudança é importante, porque foram alteradas bases seculares de dominação econômica e política: dependência dos laços pessoais entre agricultores e fazendeiros.
  30. 30. A mudança exógena altera a estrutura da configuração territorial local e leva a mudanças institucionais: velhas elites perdem espaço e novas atividades (mercado do leite e ovinocaprinos) e novas formas de articulação (Pacto Novo Cariri envolvendo prefeituras locais) emergem
  31. 31. Novas atividades (mercado de leite e ovinocaprinos) dependem exclusivamente do Estado, tem dificuldades para incluir massivamente agricultores mais pobres. Ou simplesmente não se concretizam (mercados de bens culturais e aproveitamento sustentável dos recursos naturais) porque o habitus (coronelismo e sertanejo) se reproduz, resultando em forte dependência do Estado e na ausência de dinâmicas típicas da ordem social competitiva (risco, associação com investimentos privados)</li></li></ul><li>REVISAO DE PERGUNTAS E HIPOTESES (4)<br />Métodos para a próxima etapa<br /><ul><li>Aprofundamento da análise do mercado de leite e ovinocaprinos (direitos de propriedade, regras de troca, formas de governança e concepções de controle)
  32. 32. Caracterização das lideranças e agricultores envolvidos (habitus e formas de capital mobilizadas nos empreendimentos)
  33. 33. Caracterização do perfil das elites políticas e econômicas locais
  34. 34. Etnografia da condição feminina e juvenil na nova configuração territorial local (histórias comparadas)
  35. 35. Estado dos recursos naturais e implicações das novas dinâmicas para o meio-ambiente</li>

×