Placas Tectônicas no JapãoAs placas tectônicas existentes e suas direções de deslocamentoO terremoto de 8,8 graus na escal...
O terremoto de 8,9 graus na escala Richter e o tsunami que abalaram o Japão namadrugada do último dia 11 de março (horário...
Na ocasião, em TMI, não houve vítimas nem vazamento de radiação para além doslimites da usina. No entanto, no Japão, com o...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho de geo

487 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
487
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de geo

  1. 1. Placas Tectônicas no JapãoAs placas tectônicas existentes e suas direções de deslocamentoO terremoto de 8,8 graus na escala Richter que ocorreu na madrugada (horário deBrasília) de hoje (11) no Japão confirma que o investimento em tecnologia paramonitorar o risco de grandes catástrofes é um meio fundamental para prevenir apopulação e evitar tragédias. A avaliação é do chefe do Observatório Sismológico daUniversidade de Brasília (UNB), Lucas Vieira Barros, que explica que não há comoprever a ocorrência de terremoto, mas que é possível calcular eventuais impactos defenômenos em áreas críticas.A existência desse tipo de tecnologia aliada a recursos e a planejamento são oselementos que fazem à diferença nos efeitos destrutivos dos terremotos. O especialistacompara o terremoto de hoje no Japão e o tremor registrado no Haiti há pouco mais deum ano. No país caribenho, os tremores tiveram menor intensidade (7 graus na escalaRichter), mas destruiu praticamente todo país.Segundo o cientista, desde o tsunami ocorrido na Indonésia (2006), houve grandeavanço na instalação de estações sismológicas para monitorar fenômenos semelhantesno Oceano Pacífico. A tecnologia permitiu que os japoneses previssem as ondas. “Umaonda sísmica [do terremoto] viaja a uma velocidade muito grande e é capaz de cruzar aTerra em 20 minutos e chega muito antes da onda oceânica.”O tsunami no Japão ocorreu porque uma placa tectônica deslizou por baixo de outra nochamado “assoalho oceânico”. São 12 as principais placas tectônicas em toda a Terra,quatro delas estão próximas à localização do Japão. São as placas das Filipinas, doPacífico, Euro-Asiática e Norte-Americana.“Qualquer terremoto que acontece no fundo do mar e resulte na movimentação doassoalho oceânico pode gerar tsunami”, explicou o cientista que lembra que, além domovimento verificado no Japão, também podem ser registrados terremotos por causa doafastamento das placas, do deslocamento lateral ou do choque entre elas.Entenda o acidente nuclear em Fukushima, no JapãoApós ter parte de seu território devastado por um terremoto seguido de tsunami,japoneses enfrentam vazamento de radiação em usina nuclear afetada. Acidente,porém, não é comparável à maior tragédia nuclear da história.
  2. 2. O terremoto de 8,9 graus na escala Richter e o tsunami que abalaram o Japão namadrugada do último dia 11 de março (horário de Brasília) provocaram danos na usinanuclear de Fukushima, localizada na região nordeste da ilha. Vazamentos radioativosforam registrados e um iminente desastre nuclear mobilizou a comunidadeinternacional.No momento do terremoto, 11 usinas localizadas na região entraram em processo dedesligamento. Como parte do procedimento, os reatores precisam ser resfriados, umavez que a fissão nuclear permanece ocorrendo mesmo após a interrupção na geração daenergia. Cerca de uma hora depois do tremor, a usina de Fukushima foi atingida pelotsunami. O sistema de resfriamento foi avariado e os técnicos japoneses passaram aadotaram medidas alternativas, como a injeção de água do mar nos reatores. Mesmoassim, três explosões se sucederam a última delas na manhã da segunda-feira (14).Segundo informações do governo japonês, houve vazamento radioativo, mas os reatoresestão preservados. Os níveis de radiação no entorno da usina superaram em oito vezes olimite de segurança, forçando a evacuação da população em um raio de 20 km ao redorda usina.Segundo Laércio Vinhas, diretor de Radio proteção e Segurança Nuclear, da ComissãoNacional de Energia Nuclear brasileira, as medidas tomadas pelo governo japonês estãode acordo com o manual de operações para crises em usinas.Em Fukushima, explica o especialista, as explosões ocorreram quando a água usadapara o resfriamento se tornou vapor de alta temperatura – liberando hidrogênio,altamente inflamável. Ainda que o reator seja danificado, Vinhas acreditam que oacidente não deverá atingir grande magnitude. “Ainda sabemos pouco sobre a dimensãodos acontecimentos.Mas mesmo com o núcleo exposto, a estrutura da usina japonesa tem capacidade paraevitar uma exposição exagerada. Caso isso ocorra, as conseqüências serão bem locais”,afirma.Vinhas afirmam que não é possível comparar o acidente de Fukushima ao ocorrido emChernobyl, na Ucrânia, em 1986. “Naquele caso, as estruturas eram defasadas. E oacidente aconteceu com o reator em funcionamento”, explica o diretor. “O evento doJapão é mais parecido com o acidente na usina Three Mile Island, em 1979, nos EstadosUnidos”, avalia Vinhas.
  3. 3. Na ocasião, em TMI, não houve vítimas nem vazamento de radiação para além doslimites da usina. No entanto, no Japão, com o acidente ainda fora de controle edificuldade das autoridades em mensurar seus efeitos, os estragos podem ser maiores. O que Aconteceu no JapãoO Japão é um país que ta no limite das placas tectônicas e a placa do pacífico elamergulha sobre o pedaço da placa norte sul americana e esse movimento faz que crieum terremoto e a região toda chamada sutural do pacifico.Tem terremoto frequentemente, sempre se espera um terremoto dessas magnitudesdessas regiões.Assim que aconteceu o terremoto de 8.9. E a Tsunami foi criado por uma zona deconvergência.Bibliografia:http://www.infoescola.com ConclusãoO Terremoto de 9 graus na escala Richter que atingiu o Japão em 11/04/2011. Pode termodificado a forma dos oceanos devidos uma forte intensidade. O terremoto do Japãoinfluiu na forma verdadeira da terra que é achatada nos pólos, que foi um movimentoem massa.

×