Mineração e a Logística dos Transportes
Atividade Econômica - BAHIA           Produção Industrial         Composição Setorial 2011    ––                          ...
Investimentos previstos                       Total de investimentos industriais previstos para Bahia 2012-2015           ...
Mineração  A Bahia é o 5º maior produtor mineral do país  Líder em solicitação para pesquisas em mineração no Brasil.  Tem...
Expansão da Mineração
Mineração                       Oportunidade de InvestimentosPrincipais empresas pesquisando/explorando minerais na Bahia:...
Atividades EconômicasDistribuição EspacialPRINCIPAIS DESAFIOS                        Fonte: SEI
PERSPECTIVAS E DESAFIOS                                                                                           MINERAÇÃ...
PERSPECTIVAS E DESAFIOS         Produção Mineral PARA PROSPECÇÃO MINERAL
COMPLEXO INTERMODAL e PRODUTIVO do PORTO SUL      Porto - Aeroporto - Ferrovia – Rodovias - Gasoduto                      ...
O complexo Logístico Porto Sul – FIOL/FICO terá importante contribuição                      para o desenvolvimento do Cen...
O Complexo Logístico Porto Sul/Ilhéus representa uma necessidade do desenvolvimento dalogística nacional visando criar um ...
Custo Bahia na LogísticaNa Bahia, a carga movimentada por rodovia é muito superior à carga movimentada pelaferrovia, afeta...
A Ferrovia Oeste-Leste é uma alternativa importante para a alteração efetiva damatriz de transportes da Bahia.          Fe...
Ferrovia Centro Atlântica – Malha BahiaA malha ferroviária da Bahia perfaz uma extensão de cerca de1.582 km, toda ela em b...
Hidrovia do São Francisco
Hidrovia e Plataforma Logística do São Francisco (Pólo Juazeiro-Petrolina)         Modais: rodoviário, ferroviário, hidrov...
Política Pública - MineraçãoPlanejamento e Redefinição do Marco legal   Atração de novos Investimentos    Encadeamentos ...
José Sergio Gabrielli de Azevedo Secretário de Planejamento da Bahia       Obrigado          www.seplan.ba.gov.br
Brazil Recovery•Recovery expected later this year, reflecting substantialpolicy stimulus•Brazil has buffers to absorb risk...
What are the key risks for Brazil, and what is the best way to address them?The main risks for Brazil arise from the prosp...
Conclusion: If the World Holds, Latin America Will Take OffThe alignment of domestic and external factors augurs well for ...
Mineração   Política Pública -Planejamento da Economia e Redefinição do Marco legal   Atração de novos Investimentos    ...
Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia
Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia
Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia
Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia
Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia

802 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
802
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desafios da Expansão da Produção Mineral na Bahia

  1. 1. Mineração e a Logística dos Transportes
  2. 2. Atividade Econômica - BAHIA Produção Industrial Composição Setorial 2011 –– Fonte: SEI
  3. 3. Investimentos previstos Total de investimentos industriais previstos para Bahia 2012-2015 2012- Investimentos Previstos (em realização e a realizar) 485 Empreendimentos R$ 72,5 bi Investimentos 87.000 empregos Investimentos Realizados | 2007-2012 | R$ 13,6 biFonte: SDE/SICM Investimentos totais (previstos + realizados) | R$ 86,1biDados até junho 2012
  4. 4. Mineração A Bahia é o 5º maior produtor mineral do país Líder em solicitação para pesquisas em mineração no Brasil. Tem um dos maiores potenciais minerais inexplorados do Brasil Minerais de maior potencial para exploração: Bauxita, Ferro, Cobre, Níquel, Ouro, Manganês, Titânio, Vanádio, Magnesita, Molibdênio e Quartzo de alta pureza. 340 empresas em atuação Produção mineral de US$ 1,0 bilhão (2011)Fonte: SICM, 2012
  5. 5. Expansão da Mineração
  6. 6. Mineração Oportunidade de InvestimentosPrincipais empresas pesquisando/explorando minerais na Bahia: Paranapanema (BRA)  Largo Resources (CAN) Honbridge Holdings/VNN e Xin Wen Mining Group (CHI)  Yamana Gold (CAN) Magnesita (BRA)  Ferbasa (BRA) Mirabela (AUS)  Votorantim (BRA) Vale (BRA)  Ferrous Resources (EUA-UK-AUSTRALIA)Rochas Ornamentais:  3o maior produtor do Brasil  170 mil t de blocos brutos: 16% mármores e 84% rochas silicáticas  Maior diversidade de padrões cromáticos do Brasil (rochas exóticas)Gemas e Jóias:  Mais de 30 variedades gemológicas (esmeralda, água-marinha, ametista, diamante etc.)  Um dos maiores produtores do Brasil de pedras preciosas naturais Fonte: SICM, 2012
  7. 7. Atividades EconômicasDistribuição EspacialPRINCIPAIS DESAFIOS Fonte: SEI
  8. 8. PERSPECTIVAS E DESAFIOS MINERAÇÃO A Bahia é o quinto maior produtor mineral do país Ocupa a liderança quando se trata das solicitações para pesquisas em mineração no Brasil. Tem um dos maiores potenciais minerais inexplorados do BrasilRequerimento de pesquisa mineral no DNPM: 3.754 - jan-set/2011, ficando à frente de MG e GOMinerais com maior potencial para exploração:  Bauxita, Ferro, Cobre, Níquel, Ouro;  Manganês, Titânio, Vanádio, Magnesita;  Molibdênio e Quartzo de alta pureza.340 empresas em atuaçãoProdução mineral:  2009 – R$ 1,2 bilhão;  2010 – R$ 1,7 bilhão;  2011 – R$ 2,1 bilhões.
  9. 9. PERSPECTIVAS E DESAFIOS Produção Mineral PARA PROSPECÇÃO MINERAL
  10. 10. COMPLEXO INTERMODAL e PRODUTIVO do PORTO SUL Porto - Aeroporto - Ferrovia – Rodovias - Gasoduto Rodovias: - Duplicação da BR-415 (Ilhéus-Itabuna) - Construção dos contornos rodoviários (Ilhéus-Itabuna) - Requalifição da BA-262 (Ilhéus-Uruçuca) - Construção do Acesso Rodoviário da BR-101 ao Porto Sul - Requalificação da BR-101 Sul - Gate do GASENE Zona de Processamento de Exportação (ZPE de Ihéus)FERROVIA DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE Porto Sul Novo Aeroporto Internacional de Ilhéus
  11. 11. O complexo Logístico Porto Sul – FIOL/FICO terá importante contribuição para o desenvolvimento do Centro-Oeste, do Nordeste e do Brasil RR • Fortalecimento da competitividade: AP oportunidade de redução dos custos e tempos de viagens para os Porto Itaqui destinos das exportações de grãos produzidos nos Estados de Mato AM Porto Pecém Grosso, Goiás, Tocantins, Bahia, PA CE Piauí e Maranhão. UL MA RN NORTE S TRANS PI Porto Cabedelo PB NORDESTINA PE AL Porto Suape • Redução das desigualdades sociaisACRE RO TO SE e regionais: A FIOL-FICO fará a MT BA FCA articulação entre os Estados das FIOL Porto de Salvador regiões Nordeste e Centro-Oeste, FICO promovendo: Porto Sul – novos pólos agroindustriais e GO Hidrovia São Francisco de exploração de minérios, MS MG ES – a dinamização das economias RJ locais, SP – novos empreendimentos na PR região com aumento da arrecadação de impostos, SC – geração de empregos nas RS regiões mais pobres do Brasil.
  12. 12. O Complexo Logístico Porto Sul/Ilhéus representa uma necessidade do desenvolvimento dalogística nacional visando criar um portal de entrada e saída de Mercadorias para o Nordestee Centro Oeste brasileiros, logística esta formada estruturalmente pelas ferrovias FIOL e FICO,visando agregação de valor e ampliação das vantagens competitivas do Nordeste e do CentroOeste do Brasil preparando-se para uma articulação interoceânica Atlântico/Pacifico
  13. 13. Custo Bahia na LogísticaNa Bahia, a carga movimentada por rodovia é muito superior à carga movimentada pelaferrovia, afetando a competitividade das empresas da região quanto ao custo logísticoRede multimodal de transportes na Bahia • Os fluxos que perpassam o território baiano onfiguram dois movimentos distintos e articulados: • NorteSul e SulNorte (indústria de transformação na Região Metropolitana de Salvador). • OesteLeste (produção agrícola e industrial do oeste baiano) e LesteOeste • Cerca de 92% da movimentação de cargas no território estadual é transportada pela modalidade rodoviária.
  14. 14. A Ferrovia Oeste-Leste é uma alternativa importante para a alteração efetiva damatriz de transportes da Bahia. Ferrovia de Integração Oeste-Leste • Uma alternativa importante para a integração hidrovia - ferrovia, com a formação de importante centro intermodal no Médio São Francisco. • Bom Jesus da Lapa - será a interligação ferroviária do Oeste da Bahia com a malha ferroviária do Nordeste e o Porto de Salvador/Aratu. Denominada de Ferrovia Leste-Oeste . • A Ferrovia Leste-Oeste terá papel preponderante para exportação da produção do Oeste da Bahia
  15. 15. Ferrovia Centro Atlântica – Malha BahiaA malha ferroviária da Bahia perfaz uma extensão de cerca de1.582 km, toda ela em bitola métrica, compreendendo trêstroncos ferroviários:• Linha BA–MG – liga a Região Metropolitana do Salvador aoEstado de Minas Gerais,podendo alcançar pela mesma bitola,a partir daí, o Estado de São Paulo;• Linha BA–PE – liga a Região Metropolitana do Salvador àdivisa com o Estado de Pernambuco, através de Juazeiro;• Linha BA–SE – liga a Linha BA–PE, a partir do município deAlagoinhas, ao Estado de Sergipe, daí alcançando outrosestados do Nordeste.O Governo da Bahia realiza gestões junto à União para oaumento da eficiência da malha no território estadual.Conforme a ANTT existem estudos para a implantação de umterceiro trilho em toda a malha da FCA.
  16. 16. Hidrovia do São Francisco
  17. 17. Hidrovia e Plataforma Logística do São Francisco (Pólo Juazeiro-Petrolina) Modais: rodoviário, ferroviário, hidroviário e aeroviário Ilhéus Porto Sul
  18. 18. Política Pública - MineraçãoPlanejamento e Redefinição do Marco legal Atração de novos Investimentos  Encadeamentos Verticais e Horizontais  Integração da Logística dos Transportes com a Pesquisa Mineral Formação dos trabalhadores e Qualificação Técnica
  19. 19. José Sergio Gabrielli de Azevedo Secretário de Planejamento da Bahia Obrigado www.seplan.ba.gov.br
  20. 20. Brazil Recovery•Recovery expected later this year, reflecting substantialpolicy stimulus•Brazil has buffers to absorb risks from European crisisand commodity shocks•Domestic rebalancing would help secure strong,balanced growth•Brazil’s financial system is strong, but household creditexpansion a concern
  21. 21. What are the key risks for Brazil, and what is the best way to address them?The main risks for Brazil arise from the prospect of lower commodity prices, thepossibility of tighter external financial conditions, and a potential drop in demand fromEurope, which is a major trading partner for Brazil.As has been documented, global risks have increased. But Brazil has built strong policyframeworks and increased its policy buffers. International reserves are at record highlevels and liquidity buffers at commercial banks are very large. Both of these buffers canbe used to support orderly liquidity assistance in the event of unexpected shocks thatmight hitGoing forward, however, we believe that additional measures will be needed to ensurethat stable, balanced growth can continue in Brazil. In this regard, it will be important toraise the level of aggregate savings and investment in the economy, both of which arelow by comparison with emerging market peers. Beyond this, strengthening the businessenvironment will also be crucial. This will not only create greater incentives for privateinvestment, but also support gains on productivity and competitiveness, which areneeded to ensure sustained growth.
  22. 22. Conclusion: If the World Holds, Latin America Will Take OffThe alignment of domestic and external factors augurs well for Latin America’s future. Macroeconomicand financial discipline, combined with smarter social policy and a more responsive public sector, and atthe same time, the rapid growth of the middle classes in Asia should ensure high long-term prices forwhat Latin America sells.If well managed, this “commodity platform” could be the stepping stone for the region to upgrade itsproductive capacity, especially its human capital, and expand its brand beyond natural resources.There are downside risks:The recovery could be a slow, protracted process, dragged down by balance-sheet adjustments (forexample, in mortgage markets) or second-round effects (for example, persistent unemployment).Commodity prices may dive if the liquidity injected by the G-84 during the crisis is rolled back too quickly,or if China’s domestic consumption does not compensate for the return of its public investment toprestimulus levels.Massive fiscal imbalances in the United States will not be easy to correct, hinting at much higher interestrates (or dollar inflation or both) in the near future. A downgrade of sovereign debt among developed countries could trigger a flight to safety and away fromemerging markets.And there are uncertainties at home: specific countries could still run into overheating and high inflation,breakdowns in internal security, or political turbulence.Any of those risks could derail Latin America’s growth, at least for a while. But for the first time indecades, its fundamentals look solid and the horizon promising. In the base external scenario, and withvariations across countries, the region as a whole is converging on a path of sustained development.
  23. 23. Mineração Política Pública -Planejamento da Economia e Redefinição do Marco legal Atração de novos Investimentos  Encadeamentos Verticais e Horizontais  Integração da Logística dos Transportes com a Pesquisa Mineral Formação dos trabalhadores e Qualificação Técnica

×