Projeto, Implementação e Gestão de Data Center

10.335 visualizações

Publicada em

Plano de aula - Matéria : Gestão de Data Center - Pós-Graduação em Gestão de TI - Universidade Castelo Branco - Professor Rafael Sommerfeld (2005)

Publicada em: Tecnologia
1 comentário
18 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.335
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
902
Comentários
1
Gostaram
18
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto, Implementação e Gestão de Data Center

  1. 1. PROJETO, IMPLEMENTAÇÃO E GESTÃO DE DATA CENTERPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  2. 2. APRESENTAÇÃO Rafael Sommerfeld Consultor : 25 anos em Tecnologia da Informação MBA de Marketing pela FGV Especialista em Gestão de Ambientes Internet Experiência : Ambev, Animus, Dominal, Alog, Dedalus, Metrored, Netcenter, Ibam, Skol, ... Treinamentos : Bndes, Embratel, Caixa Econômica Federal, Castelo Branco, FGV, Unesa, Universo. Publicação de livros e artigos especializados Colaborador em sites especializados. rafasommer@hotmail.comPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  3. 3. BIBLIOGRAFIA Efraim Turban, R. Kelly Rainer Jr. E Richard E.Potter, Administração de Tecnologia da Informação, Editora Campus, 2005 Marcos Sêmola, Gestão da Segurança da Informação, Editora Campus, 2003 Rick Sturm, Wayne Morris e Mary Jander, Service Level Management, Editora Campus, 2001 Daniel Menascé e Virgílio Almeida, Planejamento e Capacidade para Serviços na Web, Editora Campus, 2003PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  4. 4. NOSSO OBJETIVOPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  5. 5. GESTÃO DE DATA CENTER Plano de Aula Apresentação Conceitos Data center Apresentação Data Center Comerciais Data Center´s : Tendências Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Infra-estrutura Gerenciamento de Aplicações Gerenciamento de Segurança Configuração e Operação Gerenciamento de Performance e Disponibilidade Gerenciamento de Web Finalização do TrabalhoPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  6. 6. DATA CENTER CONCEITOSPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  7. 7. DATA CENTER - CONCEITOS O QUE É ?Edificação que consolida os itens necessários para manter operações de tecnologia da informação (processamento de dados) em ambiente adequado, garantindo o máximo de funcionalidade.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  8. 8. DATA CENTER - CONCEITOS ORIGENS - Compartilhando Recursos - Ampliando o atendimento - Birôs do passado - O fenômeno “bolha” da internet - Internet + Data Center = IDCPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  9. 9. DATA CENTER - CONCEITOS PRINCIPAIS COMPONENTESClimatização Serviços Servidores Energia Sistemas Segurança ConectividadePÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  10. 10. DATA CENTER - CONCEITOS EXEMPLOS DE PLANTASPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  11. 11. DATA CENTER - CONCEITOS EXEMPLOS DE PLANTASPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  12. 12. DATA CENTER - CONCEITOS EXEMPLOS DE PLANTASPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  13. 13. DATA CENTER - CONCEITOS EXEMPLOS DE PLANTASPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  14. 14. DATA CENTER – CONCEITOS SALAS DE MONITORAMENTO - NOCPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  15. 15. DATA CENTER - CONCEITOS SALAS DE SERVIDORES / RACKSPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  16. 16. PARCOMM Infra-Estrutura Básica de Montagem de Data Center Uma visão 3DPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  17. 17. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  18. 18. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  19. 19. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  20. 20. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  21. 21. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  22. 22. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  23. 23. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  24. 24. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  25. 25. PARCOMMSM PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  26. 26. DATA CENTER - CONCEITOS LOCALIZAÇÃO- Tamanho compatível com operação- Fácil acesso (chegada de clientes e equipamentos)- Área de menor possibilidade de sinistros- Infraestrutura de água, esgoto, luz e telefone- Infraestrutura mínima de duas operadoras de telecomunicações em fibra- Alimentação de energia de pelo menos duas estações externas- Possibilidade de expansão física do datacenter (horizontal ou vertical)PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  27. 27. DATA CENTER - CONCEITOS CONVERGÊNCIA Redes de acesso aos clientes TelecomunicaçõesServidores, SoftwareSegurança de dados, Pessoas Tecnologia Infra- da Estrutura Informação Edificação, Luz, Agua, Energia, SegurançaPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  28. 28. DATA CENTER - CONCEITOS ÁREAS Zona 1 – Área Pública Áreas públicas incluindo o Hall Zona 1 Social, área para visitantes e áreas administrativas. Zona 2 Zona 2 – Operação NOC – Network Operation Center, Zona 3 operação, manutenção e armazenagem de equipamentos. Zona 3 – EquipamentosSalas de Equipamentos, coração do IDC,onde estão localizados os servidores, o“shaft” de cabos, as unidades dedistribuição de energia, baterias e Zonas Físicas de Segurançamáquinas de ar condicionado. do Data CenterPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  29. 29. DATA CENTER - CONCEITOS TOPOLOGIA DESENVOLVEDORES APLICAÇÕES Banco de Dados Serviços Disponibilidade Balanceamento Gerência do Gerência de Segurança Ambiente Ambiente Tuning do de carga BackUp E-mail DNS VPN Alta Infraestrutura de Data Center Hardware Software Redes Segurança Predial Energia (Servidores, Básico (Interna e (Acesso e Roteadores) (SO,BD) Externa) Brigada)PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  30. 30. DATA CENTER - CONCEITOS MODELOS DE NEGÓCIO - ASP – Application Service Provider - HSP – Hosting Service Provider - ISP – Internet Service ProviderPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  31. 31. DATA CENTER - CONCEITOS MIGRANDO DO CPD - Quem se beneficia? - Quais aplicações e serviços migrar ? - Ganhos no compartilhamento de recursosPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  32. 32. DATA CENTER - CONCEITOS SLA “Acordo do nível de serviço” é um contrato entre duas partes que especifica performance e qualidade de um serviço. Determina o que acontece quando as métricas não são atendidas. É o instrumento formal para cobrança/prestação de contas dos níveis de serviços contratados.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  33. 33. DATA CENTER - CONCEITOS DISPONIBILIDADE Exemplo de identificação do SLA de disponibilidade em um data center. Classe de Indisponível disponibilidade Disponibilidade (min/ano) Tipo de Sistema 1 90,0% 52.560 Não controlado 2 99,0% 5.256 Controlado 3 99,9% 526 Bem controlado 4 99,99% 52,6 Tolerante a falhas 5 99,999% 5,3 Altamente disponível 6 99,9999% 0,53 Muito altamente disponível 7 99,99999% 0,053 UltradisponívelPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  34. 34. DATA CENTER PRODUTOSPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  35. 35. DATA CENTER - PRODUTOS HOSTING DEDICADO Serviço de hospedagem de servidores Hardware é do Data Center Normalmente contratado com : Alto nível de serviços (operação e gerencia) Software (S.O. e Banco de Dados) do Data Center Grande variedade de serviços opcionais Serviço de alto valor agregado e $$$PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  36. 36. DATA CENTER - PRODUTOS COLOCATION Serviço de hospedagem de servidores Hardware é do CLIENTE Normalmente contratado com : Baixo nível de serviços (operação) Software (S.O. e Banco de Dados) normalmente do cliente Poucos serviços opcionais Serviço de baixo valor agregado e mais econômico.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  37. 37. DATA CENTER - PRODUTOS BACKUP E-MAIL DNS GERENCIA MONITORAMENTO CONECTIVIDADE TUNING CONSOLIDAÇÃOPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  38. 38. DATA CENTER - PRODUTOS SITE BACKUP HELP DESK PLANEJAMENTO DE CAPACIDADE BALANCEAMENTO DE CARGA STRESS TESTING TESTE DE INVASÃO CONSOLIDAÇÃO DE SERVIDORES FIREWALLPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  39. 39. DATA CENTER - APLICAÇÕES SERVIDOR WEB Conexões Internet Internet redundantes Internet Conexões Internet Internet BGP4 Roteadores Serviços Compartilhados Firewall -DNS IDS -Email Total -Estatísticas -Backup -Monitoramento -Bancos de dados SQL Servidor WEBPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  40. 40. DATA CENTER - APLICAÇÕES SERVIDOR WEB COM BCO.DADOS Conexões Internet Internet redundantes Internet Conexões Internet Internet BGP4 Roteadores Serviços Compartilhados Firewall -DNS IDS -Email Total -Estatísticas -Backup -Monitoramento -Bancos de dados SQL Servidor WEB Banco de DadosPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  41. 41. DATA CENTER - APLICAÇÕES SERVIDOR WEB C/BD EM H.A. Conexões Internet Internet redundantes Internet Conexões Internet Internet BGP4 Roteadores Serviços Compartilhados Firewall -DNS IDS -Email Total -Estatísticas -Backup -Monitoramento -Bancos de dados SQL Servidores WEB Banco de DadosPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  42. 42. DATA CENTER - APLICAÇÕES HOSTING APLICAÇÕES CORPORATIVAS Usuário Discado LInha telefônica ADSL VP Internet Matriz N Internet Conexões Internet Internet BGP4 Data Center Roteadores VPN-IP ou Firewall Frame Relay IDS Filial 1 VPN Serviços Servidor Compartilhados WEB Filial n Banco de Dados Aplicações corporativasPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  43. 43. DATA CENTER - APLICAÇÕES SITE BACKUP Internet Internet Conexões Internet Internet BGP4 Data Center Roteadores Site Principal Acesso Firewall Internet IDS Replicação de VPN dados Site Serviços Servidor Compartilhados Aplicação Replicado Banco de Dados Servidor Aplicação Banco de DadosPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  44. 44. DATA CENTER - APLICAÇÕES STREAMING ENCODER LOCAL Internet Internet Conexões Internet Internet BGP4 Data Center Roteadores Firewall IDS Site da VPN Rádio Serviços Hosting da Compartilhados Mesa da Rádio Rádio Servidor de Streaming EncoderPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  45. 45. DATA CENTER - APLICAÇÕES STREAMING ENCODER REMOTO Internet Internet Conexões Internet Internet BGP4 Data Center Roteadores Site da Rádio Acesso Firewall Internet IDS Pull/Push do VPN Streaming Hosting da Serviços Compartilhados Encoder Rádio Mesa da Rádio Servidor de SteamingPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  46. 46. DATA CENTER - APLICAÇÕES CALL CENTER Cliente Internet Internet Conexões Internet Internet Cliente BGP4 Ace Inte sso Data Center Roteadores rne t Ac e ap sso Firewall lica ção VPN-IP ou IDS Frame Relay VPN Site do Call Canter te so et In ces de s açã o/ rn Hosting Serviços A da ep ica o do lic çã o R pl ss Compartilhados Aplicações a e c A Call Center Servidor Aplicação Banco de Dados Servidor Aplicação Banco de DadosPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  47. 47. DATA CENTER´S COMERCIAISPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  48. 48. GRUPOS DE EMPRESAS DE HOSTING NO BRASIL Promon*IPApplications Planetsat Centric W-Aura Aspix EDS, IBM, HP Dedalus.Com Hosting OptiGlobe Centric .ComDominio Datasites Operadoras*Connectivity PSINet Centric Brasil Telecom ATT NAP/Peering/ Co-location Complex Applications Internet Hosting Hosting Transit Solutions* Tnext, Embratel, Telefonica, Diveo PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  49. 49. APRESENTANDO DATA CENTER BRASIL TELECOM Cyber Data Center da Brasil Telecom, Brasília-DF Com 5 300 metros quadrados de área, o edifício abriga unidades de armazenamento de dados, escritórios, áreas de apoio e infra-estrutura de utilidadesPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  50. 50. APRESENTANDO DATA CENTER DIVEOPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  51. 51. APRESENTANDO DATA CENTER OPTIGLOBEPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  52. 52. APRESENTANDO DATA CENTER OPTIGLOBEPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  53. 53. APRESENTANDO DATA CENTER ALOGPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  54. 54. QUEM SOMOS ALOG Uma empresa fundada com objetivo de fornecer soluções integradas de Data Center. Desenvolvemos projetos customizados com 100% de aderência às necessidades e requerimentos de cada cliente. Maior operação pure hosting do Rio de Janeiro.Voluntários da Pátria, 360 – BotafogoFacilidade de AcessoOtimização de conectividade e energiaInfra-estrutura robusta e totalmente redundanteAproximadamente 300 clientes – 1200 servidoresPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  55. 55. CARACTERÍSTICAS - Conceito europeu de DataCenter - Estrutura vertical - 7 andares de piso elevado - Maior modularidade, flexibilidade e escalabilidade - Custos reduzidos - Neutralidade de operadoras e fornecedores de hardware - Melhor custo x benefício do mercadoPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  56. 56. VANTAGENS Redução de custos (custo previsível, economia Reduç previsí Parcerias de Boa Qualidade e comprometimento de infra-estrutura, gastos com pessoal e análise infra- aná com Grau de Serviços. Serviç de novas tecnologias) Conectividade (queda dos custos de conexão) Volta ao Core Business. Concentração na Business. Concentraç com alto ganho de escala. atividade fim da sua empresa. Avaliações de Desempenho e pesquisas de Avaliaç Gama de Serviços diferenciados e com valor Serviç qualidade periódicas. perió agregado. Grau de Segurança com SLA em 99,99% em Seguranç Segurança e redundância total contra eventuais Seguranç contrato. quedas de energia. Agilidade do Processo de Implantação Implantaç Liberação de espaço interno em sua empresa e Liberaç espaç eliminando custos de entrada. equipes de manutenção. manutençPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  57. 57. DIFERENCIAIS Equipe comercial e de operações operaç comprometida com o cliente Sete andares de Data Center, com capacidade para 16.000 servidores Total redundância e segurança física e seguranç fí lógica, com ambiente monitorado em 24x7x365 Sistema de Controle e prevenção de prevenç incêndio de última geração. (FM 200) geraç Todos os sistemas com redundânciaN+1, com duplicidade de alimentação da alimentaç Light RioGeração de energia própria (4x450Kvas),Geraç pró com autonomia de seis dias Autonomia baterias/no breaks = 90 minutos PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  58. 58. ESTRUTURAPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  59. 59. CONECTIVIDADEAmbiente “carrier-neutral” com conexão direta com diversos backbones IP e oferta de serviços de conectividade das principais operadoras de telecomunicação. PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  60. 60. CLIENTESPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  61. 61. PARCEIROSPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  62. 62. PRODUTOS Na estrutura do negócio garantimos alta disponibilidade, com SLA* de 99,99%, além de customização e aderência total às necessidades de cada projeto. Produtos de Valor Agregado Dedicated Serviços Co-location Conectividade Hosting Gerenciados Hospedagem física Hospedagem física Produtos de Serviços opcionaisde equipamentos de de equipamentos de conectividade, banda de valor agregado propriedade do propriedade da larga, alta velocidade. para incremento de cliente em um ALOG dedicado ao Links de fibra óptica e confiabilidade emódulo de espaço do uso exclusivo do rádio e interconexão com desempenho de IDC ALOG. cliente. diversas operadoras. soluções de hosting. PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  63. 63. APRESENTANDO DATA CENTER DEDALUSPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  64. 64. Evolução do Mercado Empresas Empresas desenvolviam compram suas aplicações aplicações como “serviços” 1980 1990 2000 Empresas compravam aplicações customizadasPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  65. 65. Mudança Empresas estão mudando suas aplicações de missão crítica para Internet Data Centers Cliente Data CenterPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  66. 66. Desafios no Brasil Quais os maiores problemas enfrentados para implantar um projeto de e-business? Equipe adequada Rapidez no desenvolvimento do 18% 13% negócio 5% 17% Escolha da tecnologia Convencer os clientes / parceiros dos benefícios do site 9% Links de telecomunicações 8% 17% Infra-estrutura de Data Center 13% Conflito canal alternativo de vendas Sistemas de segurança Fonte: InformationWeek BrasilPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  67. 67. Vantagens para o Cliente • Redução de custo de Investimentos • Agilidade na implantação do serviço • Integração Tecnológica em diversas plataformas (multiplataforma) • Escalabilidade com tecnologia crescente conforme a necessidade de sua empresa • Competência com equipe especializada e alta disponibilidade • Infra-estrutura física (conexões de rede e links, segurança de acesso, redundância)PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  68. 68. Alta Dis- poniblidade Capacity Planning Gerencia Banco de Dados Web Caching Tuning Ambiente Balancea- mento de Arquitetura Developers Carga Infra-estrutura do Data Center Quick Applications / ASP Upgrade Consolidação de Plataformas SegurançaPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  69. 69. ESCALABILIDADE DINÂMICA Conseguir dimensionar a infra-estrutura a partir do mínimo necessário, ampliando rapidamente esta estrutura, com o crescimento do negócio.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  70. 70. Outsourcing na Empresa Moderna Oportunidades de Negócios Applications Hosting c ing ur ts o Ou IT Basic Managed Complex Managed Co-location Hosting Hosting Value to the CustomerPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  71. 71. Outsourcing : Case Americanas As Lojas Americanas tiveram em 1999 o iníciode atividade se sua divisão de B to C. Ao começar as atividades, a direção não tinhanoção do tamanho a atingir ao longo dos mesesseguintes... Iniciou-se a hospedagem da Dedalus.com compequenos servidores Sun. E a operação escal ... oU Hoje a Americanas.com utiliza-se de umservidor E10000 da Sun, com alocação dinâmica derecursos (com nível de contrato por hora).PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  72. 72. Outsourcing : Case Gol Com atuação no mercado rodoviários, o GrupoBreda criou a Gol Transportes Aéreos. Uma vêz que a empresa tinha como missãoconcorrer com conceituadas companhias, entre asquais a TAM, a Varig e a VASP, era preciso umdiferencial. A nova empresa opera de forma totalmenteonline, com as reservas de passagens feitas viaInternet. A Dedalus.Com oferece a hospedagem dossistemas, e responde pelo gerenciamento de todo oambiente de informática da Gol Transportes Aéreos.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  73. 73. Proposta de Negócio Modelo Tradicional Modelo Novo HW HW SW Cliente HSP SW HSP Integrador Integrador • Soluções customizadas nas diversas plataformas • Flexibilidade de trabalhar com os Cliente melhores parceiros • Total integração de seu sistema TI • Velocidade na ImplementaçãoPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  74. 74. www.dedalus.com.brPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  75. 75. APRESENTANDO DATA CENTER DOMINALPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  76. 76. APRESENTANDO DATA CENTER DOMINALPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  77. 77. .comDomínio Filme 7:30”PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  78. 78. APRESENTANDO DATA CENTER BRASIL TELECOM / METRORED Cyber Data Center da Brasil Telecom, Brasília-DF Com 5 300 metros quadrados de área, o edifício abriga unidades de armazenamento de dados, escritórios, áreas de apoio e infra-estrutura de utilidadesPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  79. 79. MetroRED O Estado da Arte em Data CenterPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  80. 80. Produtos de Telecomunicações • Acesso Internet Circuitos transparentes • Smart IP Frame Relay • Internet Access ATM • Acordo de troca de Routing tráfego Voz • IG, Embratel, Comsat, Lan to Lan Telefonica, Intelig, Global ESCON One, Sprint (USA), UUNET (USA), C&W (USA), COLT (Europa), Swiss Telecom (Europa)PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  81. 81. Internet Data Center Um IDC é um data center com características específicas para abrigar equipamentos de operação de internet. Ambiente tecnológico destinado a hospedar aplicações e serviços de missão crítica, com ampla gama de níveis de gerenciamento.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  82. 82. Internet data Center Operação 24 x 7 Gerenciamento centralizado Ambientes segregados Monitoração fim-a-fim Foco em serviço Segurança Física Segurança Lógica Redundância FlexibilidadePÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  83. 83. Dedicated Hosting Internet Backend Link Cliente Internet Cache Firewall Load Balance Região de Back End Firewall IDS Banco de WebServer Dados e APPServer Região de Front End SCSI, Fiber Rede Gerenciamento ou LAN e BackupPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  84. 84. Colocation Internet Cliente Backend Link Firewall Servidores Região de Front End SCSI, Fiber Rede Gerenciamento ou LAN e BackupPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  85. 85. Remote Site Cliente Lan to Lan 100 Mbps Servidores Região de Front End SCSI, Fiber Rede Gerenciamento ou LAN e BackupPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  86. 86. Produtos Data Center • Hosting Colocation – INTEL & UNIX Racks & Cages Remote Hands • Administração da Managed Services Plataforma Monitoramento Backup & Restore • Monitoramento Segurança Lógica • Backup & Restore e-mail Storage • Segurança Lógica Relatórios • Managed Services – e-mail, Storage, RelatóriosPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  87. 87. SUPRIMENTO DE ENERGIA distribuiç O sistema de distribuição de energia de um Data Center é infra- a parte mais importante da infra-estrutura, sendo constituí constituído por: elé Entrada de energia elétrica independente. Sistema de back-up de energia: back- (Uninterruptable Supply) UPS (Uninterruptable Power Supply) Gerador Painé Painéis de automáticos de comutação e distribuição de automá comutaç distribuiç energia. Distribuiç Distribuição por caminhos redundantes. Qualidade da energia .PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  88. 88. INFRA- INFRA-ESTRUTURA ELÉTRICA ELÉ Entrada de Energia Painel de Transferência Automática Automá Geradores Elé Elétrica Eletropaulo UPS – (No-Break) (No- Baterias do UPS DistribuiçPainel de Distribuição Geral Racks PDU – Painel de Distribuiç DistribuiçãoPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  89. 89. INSTALAÇ INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO instalaçÉ uma das instalações mais importantes de um Data Center, composta por equipamentos especiais, que controlam com precisão a temperatura e a umidade.ClassificaçClassificação quanto ao uso:§ Conforto (recomendado para ambientes com vida)§ Precisão (específico para ambientes com equipamentos eletrônicos)ClassificaçClassificação quanto a solução técnica: soluç té§ Sistemas à água.§ Sistemas a gás. PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  90. 90. TIPOS DE USO DO AR CONDICIONADO Equipamentos de Conforto Equipamentos de Precisão escritó (residências, escritórios, hospitais, etc.) (CPDs, data centers, salas de telco, CPDs, centers, telco, fá ambientes eletrônicos, fábricas, etc.) Condensador (Externo) Condensador (Externo) Evaporador (Interno) Evaporador (Interno)PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  91. 91. REFRIGERAÇ GÁ SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO A GÁS Pró Prós: Condensadores (Externos) •Maior confiabilidade do sistema Maior •Maior redundância Maior •Maior segurança Maior seguranç •Facilidade de manutenção Facilidade manutenç •Menor custo de manutenção Menor manutenç Evaporadores (Internos) Contras: •Maior custo de implantação Maior implantaç •Grande quantidade de equipamentos Grande Tubo s de Gá sPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  92. 92. SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO A ÁGUA REFRIGERAÇ Torre de Chiller Tanque de Água Resfriamento Gelada Bomba de Circulaç Circulação Fan Coil 1 Fan Coil 2 Fan Coil 3PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  93. 93. SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO A ÁGUA REFRIGERAÇ Prós: Pró •Instalação Inicial mais barata. Instalaç Instala •Economia de energia em determinadas circunstâncias. Economia •Sistema muito fácil de operar. Sistema fá Contras: •Risco de vazamentos d’água dentro do Data Center. Risco d’á ’água •Redundância reduzida. Redundância •Menor confiabilidade do sistema. Menor •Demanda muita manutenção. Demanda manutençPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  94. 94. DETECÇ SISTEMAS DE DETECÇÃO DE INCÊNDIO rá detecçA rápida detecção de um foco incêndio é fundamental para o extinçsucesso de sua extinção. early detection Detecç Sistemas de Detecção: •Early Detection Early •Iônico Iônico •Óptico Ó •Termovelocimétrico Termovelocimé Termovelocim •Sprinkler SprinklerPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  95. 95. SISTEMAS DE COMBATE A INCÊNDIO funç Tem por função detectar e extinguir automaticamente focos de possí incêndio, causando o menor dano possível aos equipamentos e instalaç instalações. Agentes Extintores: Formas de combate: •Água Á •Manual Manual •Pó Químico P Quí •Automático Automá Autom •Espuma Espuma •Gases: Inergen Gases: Hallon CO2 FM 200PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  96. 96. SISTEMAS DE CONTROLE DE ACESSO segurançÉ um componente fundamental no sistema de segurança responsá identificaçfísica, sendo responsável pela identificação das pessoasque acessam determinadas áreas. Formas de Controle de Acesso: •Manual Manual •Automático Automá AutomPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  97. 97. CONTROLE DE ACESSO MANUAL É feito por agentes de segurança ou recepcionistas, seguranç atravé através de listas de nomes de pessoas autorizadas a acessar determinados ambientes. Vantagem: Desvantagens: •Custo de implantação Custo implantaç •Alto custo de operação Alto operaç muito baixo. •Baixa eficiência Baixa •Segurança baseada Seguranç Seguran na confiança dos confianç funcioná funcionários.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  98. 98. CONTROLE DE ACESSO AUTOMÁTICO AUTOMÁ atravé É feito através de equipamentos que identificam eletronicamente as pessoas que acessam determinado ambiente. Vantagens: Desvantagem: •Banco de dados com todos Banco •Alto custo de Alto os registros de acesso. implantaç implantação. •Baixo custo de operação. Baixo operaç •Identificação precisa. Identificaç Identifica •Criação de perfis de acesso. Criaç CriaPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  99. 99. FORMAS DE CONTROLE DE ACESSO AUTOMÁ AUTOMÁTICO disponíOs sistemas disponíveis no mercadopropiciam as seguintes formas deidentificaçidentificação:•Identificação de senha. Identificaç Identifica•Identificação por cartões de radio Identificaç Identificafreqüência.freqü•Identificação de cartões magnéticos. Identificaç Identifica magné•Identificação biométrica. Identificaç biomé Identifica•Identificação de mãos. Identificaç Identifica•Identificação de Íris. Identificaç IdentificaPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  100. 100. CIRCUITO FECHADO DE TV segurançÉ parte importante do sistema de segurança, propiciando avigilância remota, e registro de eventos.Este sistema é composto por:•Câmeras analógicas ou Câmeras analódigitais.•Gravadores de imagem. Gravadores•Supervisão em tempo real Supervisãofeita por agentes treinados.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  101. 101. IDC METRORED - TÉRREO Sala Sala de Metrored Energia NCCPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  102. 102. IDC METRORED – 1°ANDAR Hosting 1 Colocation Hosting 2PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  103. 103. IDC METRORED – 2°ANDARPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  104. 104. PROJETO O projeto do IDC foi conceituado pela divisão “Mission Critical Facilities” da EYP (Einhorn Yaffee Prescott), uma Facilities” (Einhorn das maiores empresas de engenharia do mundo. construç A EYP fiscalizou a construção e realizou o Comissionamento do IDC. O IDC da Metrored foi o único do mercado, onde o concluí comissionamento foi concluído em 15 dias com êxito total.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  105. 105. IDC – INFRA-ESTRUTURA INFRA- EléEnergia Elétrica:• Projetado para oferecer um sistema híbrido N+1 e 2N.• Três níveis de disponibilidade de energia, podendo atingiraté 99,99974%.• 5 MW de geradores elétricos a Diesel de 1250 KVA cada,que proporcionam fornecimento de energia por tempoilimitado.(N+1)• UPS’s paralelas redundantes de última geração.• Sistema de gerenciamento integrado de instalações.(BMS)• Painéis elétricos inteligentes e microprocessados, quepropiciam manutenção sem serem desligados.• Sistema de aterramento e proteção contra raios de últimageração e alta eficiência.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  106. 106. IDC – UNIFILARPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  107. 107. INFRA- ELÉ IDC – INFRA-ESTRUTURA ELÉTRICA A diferença entre os Data Centers está na qualidade dos detalhes de projeto, que podem ser vistos em pequenos detalhes.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  108. 108. IDC – AR CONDICIONADO• Projetado no sistema N+1 com equipamentos de precisão.• Sistema Split de Condensador Remoto de 30 TRs.(cada unidade – total 15)• Controle de temperatura e umidade com precisão de+/- 2⁰C e +/- 5%.• Unidades microprocessadas para controle remoto via BMS.• Filtros de ar de alta eficiência para controle de sujidade.• Detecção automática de vazamentos.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  109. 109. SEGURANÇA FÍSICA• Monitorada 24 horas por dia de uma central de segurança.• Mais de 70 câmeras com armazenamento digital de imagem.• Sistema composto de três níveis de controle de acesso de última geração, com reconhecimento de impressão digital e cartão eletrônico.• Agentes de segurança treinados e equipados.• Bombeiro 24 horas por dia.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  110. 110. SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO • Monitorada de uma central 24 horas por dia. • Detecção sob o piso elevado e no ambiente. • Sistema de detecção cruzada com sistema convencional e detecção avançada (early detection) • Extinção de incêndio com gás Inergen e Sprinkler tipo de tubo seco. (dry pipe) • Compartimentação de ambientes, com materiais que resistem até 2 horas de fogo.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  111. 111. RACKS Este é um dos pontos mais infra- importantes da infra- estrutura, pois demanda um conhecimento que não é comum no Mercado. • Sapatas anti-tombamento. • Ventilação por convecção ou diferencial de pressão. • Espaço próprio para equipamentos Metrored. • Canaletas internas blindadas. • Circuitos elétricos independentes.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  112. 112. OPERAÇÃO DA INFRA-ESTRUTURA É feita 24 horas por dia com equipe treinada. A equipe será composta por engenheiros, técnicos, eletricistas e mecânicos de refrigeração “on site”. Um sistema eletrônico de monitoração (BMS), ajudará a equipe no controle de todos os equipamentos, como geradores, painéis elétricos, ar condicionado, iluminação e segurança. A operação é garantida por rígidos planos de manutenções preventivas e corretivas, incluindo peças de reposição disponíveis em nossos estoques.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  113. 113. IDC Estudo de Casos
  114. 114. Estudo de Caso - 01A Empresa esta fazendo frente a seu maior competidor nomercado. O produto que vende e baseado em Gateways queconectam os clientes aos usuários finais, utilizando mensagens denegócios.Os maiores problemas são:• Altos investimentos em infra-estrutura• Pressão para que a solução entre em operação em tempos cadavez menores• Como bater a concorrênciaPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  115. 115. Estudo de Caso - 01A solucao foi baseada em:• Infra-estrutura redundante em hosting no IDC• VPNs entre os clientes e o IDC• Agentes de Gerenciamento Externo• Console de clientes para controlar a disponibilidade doambiente dos clientesOs ganhos imediatos foram:• 50% menos tempo na implementacao• Queda brusca de custos (20%) – Servicos+Infra• Novos projetos ganhos do competidorPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  116. 116. Estudo de Caso - 01 O cliente manteve: • Todos os serviços profissionais • O controle sobre a sua solução • Um novo modelo de comercialização • A satisfação do clientePÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  117. 117. Estudo de Caso - 02A empresa esta enfrentando uma implementação de ERP,envolvendo unidades de negócios no pais inteiro.Os desafios são:• Maximizar os investimentos em Storage• Garantir todos os processos da Companhia• Garantir o crescimento sem as “dores” do budget• Garantir a disponibilidade e usabilidadePÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  118. 118. Estudo de Caso - 02A solução foi baseada em:• Infra-estrutura redundante em hosting no IDC• “Storage on demand” com gerenciamento de backup• Total controle sobre uso de CPU, STORAGE e banda decomunicação• VPNs entre as unidades e o IDC• SLA sobre toda a soluçãoOs ganhos imediatos foram:• Controle sobre os investimentos em storage (35% menores)• Rápida implementação (20% melhor)• Alta disponibilidade PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  119. 119. Estudo de Caso - 02O cliente manteve:• O time de IT com foco em novos negócios• O controle sobre toda a solução• A satisfação de cliente internoPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  120. 120. Voce está pensando sobre isso ? • Alta Disponibilidade (Link + hardware + software) • Rapida implementacao (servicos + consultoria) • Baixos custos (storage + infra-estrutura) • Desenvolvimento de Novos Negocios • B2B • B2C • B2E • E-learningPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  121. 121. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEBPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  122. 122. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEB – NUMEROSPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  123. 123. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEB – DIVISÕESPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  124. 124. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEB – IDCPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  125. 125. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEB – GERENCIASPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  126. 126. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEB – CLIENTESPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  127. 127. APRESENTANDO DATA CENTER LOCAWEB – LOCAVOZPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  128. 128. DATA CENTER : TENDÊNCIASPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  129. 129. TENDÊNCIAS : VIRTUALIZAÇÃO DE DATA CENTER Data Center Data Center Utilization at End-of-Month Utilization on Other Days SD SD SD SD SD SD SD SD SD SD P ower Vol WAN Po wer V ol WAN Po wer V ol WAN Po wer Vol WA N P wer o V ol WAN Cluster #1 P o wer Vol WAN Po w er Vol WAN Po wer Vol WAN P o w er Vol WAN Po wer Vol WA N Cluster #1 Powe r Edge EL Power Edge EL Power Edge EL P ower E dge EL Power Edge EL properly Powe r Edge EL Powe r Edge EL Po wer Edge EL Powe r Edge EL P owe r Ed g E L e properly provisioned provisioned SD SD SD SD SD SD Cluster #2 Cluster #2 P o wer V ol WAN Po wer Vol WA N Po wer Vol WA N P wer o V ol WAN P o wer Vol WAN Po wer V ol WA N Powe r Edge EL P ower E dge EL P ower E dge EL overprovisioned Power Edge EL Powe r Edge EL P owerE dge EL underprovisioned SD SD SD SD SD SD SD SD SD SD Po wer Vol WAN Po w er Vol WAN Po wer V ol WAN P o wer V ol WAN Po wer Vol WA N Po wer V ol WAN Po w er Vol WAN Po w er Vol WA N Po wer Vol WAN Po wer V ol WAN Po wer Edge EL Po wer Edg e EL Power Edge EL Powe r Edge EL P ower E dge EL Cluster #3 Power Edge EL Po wer Edg e EL P owe r Edge E L Po wer Edge EL PowerE dge EL Cluster #3 underprovisioned overprovisionedPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  130. 130. TENDÊNCIAS : VIRTUALIZAÇÃO DE DATA CENTERPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  131. 131. TENDÊNCIAS : VIRTUALIZAÇÃO DE DATA CENTERPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  132. 132. TENDÊNCIAS : VIRTUALIZAÇÃO DE DATA CENTER $1,353,190 $77,860 Ten 2-way Intel-based Rack Two 16-way Sun Fire 6800 Servers $1,700,000 $160,000 One EMC Symmetrix DMX Four Serial ATA Arrays 3000 (40TB) (48.8 TB)PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  133. 133. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTINGComputador básico(1 CPU) PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  134. 134. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING Sistema de multiprocessamento(um sistema com diversos processadores homogêneos)Computador básico(1 CPU) PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  135. 135. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING Sistema de multiprocessamento(um sistema com diversos processadores homogêneos)Computador básico(1 CPU) Clusters (Multiplos sistemas homogêneos/mesmo site) PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  136. 136. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING Sistema de multiprocessamento(um sistema com diversos processadores homogêneos)Computador básico(1 CPU) Clusters (Multiplos sistemas homogêneos/mesmo site) Grid Computing (multiplos sistemas heterogêneos/ multiplos sites) PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  137. 137. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING Sistema de multiprocessamento(um sistema com diversos processadores homogêneos)Computador básico(1 CPU) Clusters (Multiplos sistemas homogêneos/mesmo site) Grid Computing (multiplos sistemas heterogêneos/ multiplos sites) PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  138. 138. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING A BMais com a mesma capacidade A BPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  139. 139. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING A BMesma coisa commenos capacidade A BPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  140. 140. TENDÊNCIAS : GRID COMPUTINGVisibilidade Late majority Grids científicas Early majority Grids Hoje! Laggards comerciais Hoje! Early adopters Inovators Infância Adolescencia MaturidadePÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  141. 141. www.grid.org TENDÊNCIAS : GRID COMPUTING Análise da IBM: Como cada servidor se ocupa de uma única função, seu nível de utilização é muito baixo. Em média, um servidor é utilizado em 5%- 15% de sua capacidade. Assim, usa-se na prática, 5-6 servidores para o que poderia ser processado em um único servidor. Ciclo de processador é um recurso volátil: não pode ser armazenado para utilização posterior...PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  142. 142. TENDÊNCIAS : OUTSOURCING – Principais NecessidadesO gráfico representa as porcentagens das principais necessidades terceirizadas dentre os maiores usuários da América Latina Verdades da adoção de Outsourcing de TI para corporações Latino Americanas. Frost & Sullivan – 2004 PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  143. 143. TENDÊNCIAS : OUTSOURCING – Vantagens Vantagens percebidas dentre os maiores usuários da América Latina Verdades da adoção de Outsourcing de TI para corporações Latino Americanas. Frost & Sullivan – 2004PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  144. 144. TENDÊNCIAS : OUTSOURCING – Riscos Principais fatores de risco percebidos dentre os maiores usuários da América Latina Verdades da adoção de Outsourcing de TI para corporações Latino Americanas. Frost & Sullivan – 2004PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  145. 145. TENDÊNCIAS : OUTSOURCING – Seleção do Parceiro Fatores Técnicos no Processo Seletivo do Outsourcing Verdades da adoção de Outsourcing de TI para corporações Latino Americanas. Frost & Sullivan – 2004PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  146. 146. TENDÊNCIAS : OUTSOURCING – Seleção do Parceiro Fatores Técnicos no Processo Seletivo do Outsourcing Verdades da adoção de Outsourcing de TI para corporações Latino Americanas. Frost & Sullivan – 2004PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  147. 147. DATA CENTER : GERENCIAMENTOPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  148. 148. GERENCIAMENTO DE REDES • É o processo de gerenciamento de redes de telecomunicações ou de dados complexas para maximizar sua eficiência e produtividade. • Envolve o planejamento, a organização, a monitoração, a contabilização, a segurança e o controle de atividades e recursos físicos e lógicos.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  149. 149. BENEFÍCIOS DA GERENCIA DE REDES • Melhoria da qualidade de serviço • Aumento da receita • Redução de custos • Aumento da segurançaPÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld
  150. 150. REDES DE GERENCIAMENTO • Redes de gerenciamento, consideradas no sentido amplo, são responsáveis pela – Operação; – Administração; – Manutenção; – Provisionamento; – Gerenciamento. • de uma “rede de comunicação” em ambiente multi-fornecedores.PÓS EM GESTÃO DA TI – GESTÃO DE DATA CENTER – C.E.F. – 2005 – Rafael Sommerfeld

×