Paulo Morais                                                                    www.mktmorais.com                     Arti...
Paulo Morais                                                                   www.mktmorais.comEste conceito é também imp...
Paulo Morais                                                              www.mktmorais.com                        Faça co...
Paulo Morais                                                     www.mktmorais.comSobre o Autor                   Paulo Mo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Marketing pessoal: passe o abismo para ser o melhor do mundo

781 visualizações

Publicada em

As pessoas que atingem o sucesso são comuns mortais porém são persistentes e lutam por aquilo que acreditam. Neste artigo pretendo partilhar uma visão relativamente à importância de lutarmos contra o que é difícil em vez de nos acomodarmos no que é fácil.

Um artigo sobre Marketing Pessoal escrito por Paulo Morais (www.mktmorais.com) e publicado no Marketing Portugal (www.mktportugal.com)

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
781
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Marketing pessoal: passe o abismo para ser o melhor do mundo

  1. 1. Paulo Morais www.mktmorais.com Artigo publicado no Marketing Portugal (www.mktportugal.com (www.mktportugal.com) Marketing Pessoal: Passe o abismo para ser o melhor do mundoSe formos a pensar, a diferença entre aqueles que atingem o sucesso e aqueles que desistem aquelesantes de lá chegar está na persistência e no foco.O facilitismo afasta muita gente do sucesso e é por isso que não somos todos profissionais defutebol, músicos famosos ou artistas de televisão.Como dizia Albert Einstein – “o único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é dodicionário” -, é quando as coisas se complicam e o trabalho se torna "duro" que se faz a ,diferença. Se fosse fácil todos lá chegávamos da mesma forma.Podemos meter nas nossas cabeças que muitas pessoas de sucesso são “levadas ao colo” porém,acredito que independentemente disso, é através do seu esforço e dedicação que vão ditar o seusucesso. Não seja um encos encosto, seja o melhor do mundo!Se um actor chegar à TV através de um bom contacto (ou cunha, como quiserem chamar) masnão demonstrar competências e não trabalhar no duro para agarrar a oportunidade, irá acabarpor ser desprezado pela sua audiência, mesmo continuando na TV por muitos anos. No meu continuandoponto de vista deixou de ser actor e passou a ser um “encosto”, um problema que persiste emmuitas empresas.Seth Godin chama a esta passagem de Ponto Morto porém, se me permitem eu vou vou-lhechamar de abismo. O mesmo autor refere ainda que devemos lutar para sermos os melhores do .mundo e neste aspecto não podia estar mais de acordo. Para Seth, sermos os melhores domundo não é estarmos listados num ranking da Forbes ou noutro qualquer, é sermos Forbesvalorizados e apreciados pelo nosso público alvo, pelo nosso universo. Uma mulher da limpeza público-alvo,pode ser a melhor mulher da limpeza do mundo para as pessoas para quem trabalha e é isso queimporta. Os seus clientes estão dispostos a pagar mais para não perder a melhor mulher de dispostoslimpeza do mundo. Se a mesma mulher da limpeza por algum motivo perder o seu emprego,certamente irá conseguir encontrar outro igual ou melhor porque os recrutadores e os clientesprocuram as melhores soluções à disposição.
  2. 2. Paulo Morais www.mktmorais.comEste conceito é também importante para as empresas. De nada serve ganharmos prémiosinternacionais se o nosso público-alvo não nos percepciona como tal ou seja, podemos servalorizados por especialistas na área mas o nosso cliente não estar minimamente interessado nonosso trabalho. Somos os melhores do mundo para os analistas mas completamentedescredibilizados pelo nosso cliente. O que é mais importante para uma empresa, serreconhecida com prémios e destaques nas revistas ou ser vista como a melhor do mundo para osseus clientes e potenciais clientes?Considero esta visão muito importante para que se perceba que por vezes temos que insistir emanter o nosso foco para chegarmos mais longe. Temos que lutar com todas as forças que temospara passar para o lado de lá, para ir do fácil para o difícil porque é no difícil que está o sucesso.É no difícil, o outro lado do abismo, onde estão as oportunidades e onde está a diferenciação. Nolado “simples” do abismo todos conseguimos estar tranquilamente.Para conseguirmos atravessar este abismo temos mesmo que saber falhar, errar e aprenderconstantemente. Todos temos momentos em que queremos desistir e passamos sempre pelaquestão – “será que vale a pena o esforço?”. Porém, não tenho dúvidas que vale a pena se foresse o seu verdadeiro sonho.Muitos dos cantores de sucesso começaram nas ruas ou tiveram que gravar vídeos no youtubepara se mostrarem ao mundo. Acreditaram no seu talento e lutaram para mostrar o seutrabalho. Lembro-me de recentemente ver um documentário sobre a Katy Perry onde elapartilhava que tinha sido "corrida" por muitas agências até alguém valorizar o seu trabalho. Nãochegou à "ribalta" da noite para o dia e sem qualquer esforço, teve que superar o abismo a todo ocusto num dos sectores mais competitivos do mundo - a musica.Frequentemente vemos jovens a dizer que gostavam de ser jogadores de futebol profissional (oude outro desporto qualquer) mas, quando têm que atravessar o abismo, trabalhar/treinar muitashoras por dia, com chuva, deixar de sair com os amigos, terem uma alimentação equilibrada,acabam por desistir. E desistem porque é difícil, muito difícil.Esta visão ajuda-nos a enfrentar a concorrência, seja no âmbito pessoal seja no âmbitoprofissional. Sabemos que em “campos minados” onde a concorrência é feroz poucos vão entrare poucos vão estar focados em conquistar o seu espaço, é aqui que reside a nossa oportunidadeonde só os mais fortes, lutadores e persistentes conseguem alcançar objectivos. Há muitasempresas com bastante potencial e muitos produtos excelentes que acabam por “morrer” antesde saírem para o mercado porque, para estar no mercado é preciso lutar, negociar, partilhar,trabalhar e assumir responsabilidades. É mais fácil assumir que a nossa empresa ou o nossoproduto não interessa a ninguém do que lutar para entrar no mercado. Não desista, tente entrarno mercado.Um exemplo prático desta realidade tem sido aplicado pela Google. Vejam os esforços que faz atentar passar o abismo para seconfrontar no campo das redes sociais com o Facebook ou nosector do mobile com a Apple. Embora seja um abismo muito grande (gigante mesmo), a Googlenão deixa de tentar e a recente aquisição de um departamento da Motorola é prova dissomesmo. A Google promete voltar à carga e acredita nas suas competências e nos seus recursos.
  3. 3. Paulo Morais www.mktmorais.com Faça com que o abismo jogue a seu favorSe o abismo “joga” contra nós quando temos que o superar, passa a jogar a nosso favor quando osuperamos. A ideia é criar um abismo tão grande entre nós e a nossa concorrência que sejadifícil de superar. Quanto maior for o abismo mais desistências vão haver e mais espaço temospara conquistar o mercado. Por exemplo, a Coca-Cola tem o abismo a seu favor. Todas as outrasMarcas já se habituaram que não serão lideres neste mercado e já nem tentam lá chegar. Émuito difícil conquistar o mercado da Coca-Cola não só pelos factores emocionais inerentes àMarca mas também pelo investimento (tempo e dinheiro) que eventualmente seria necessáriopara tentar ser o melhor, superando a gigante Coca-Cola (o que não invalida que um dia alguémo faça).Ser o melhor do mundo para o nosso “target” deve ser uma obrigação. Não se contentem em sero número dois. Para o vosso público-alvo têm que ser o melhor do mundo. Estou 100% deacordo com Seth Godin. Se for o melhor do mundo poderá estabelecer o seu preço e as pessoasestarão dispostas a pagar por si mas para isso, tem que ser mesmo o melhor. Como refere GuyKawasaki, temos que saber encantar o nosso público-alvo. Já não chega interagir ou promover orelacionamento, temos que os encantar todos os dias.A Ryan Air para muitos passageiros é a melhor companhia aérea do mundo pelas oportunidadesque proporciona para se viajar a preços reduzidos. Não é certamente a melhor companhia paratoda a gente mas para o seu público-alvo é e isso é que importa.Saiam da zona de conforto. É preciso arregaçar as mangas e trabalhar, com objectivos, com umpropósito e com ambição. Foco! Seja realista, seja consciente!Para finalizar, apenas lanço um alerta sobre o qual devemos reflectir, a passagem do abismo temque ser feita com consciência. Temos que planear e procurar saber se temos recursos para ofazer. Temos que ser realistas. Actualmente, mesmo que quisesse, seria impossível ser jogadorde futebol profissional de um grande clube europeu. Não tenho recursos, competências oucapacidade para o fazer, por mais que tente e por mais que treine, provavelmente já vou tarde.Não reúno as condições básicas para o conseguir.Todas as pessoas de sucesso são pessoas normais e seres mortais com uma característica, lutampor aquilo em que acreditam mesmo quando tudo se torna mais difícil. Siga o exemplo destes"mestres" e quando tudo se tornar difícil não desista, é a verdadeira oportunidade de mostrar aoseu universo que é o melhor.Boa sorte!
  4. 4. Paulo Morais www.mktmorais.comSobre o Autor Paulo Morais Managing Partner na T-Evolution (soluções e consultoria em Marketing Digital) Coordenador da Pós Graduação de Marketing e Empreendedorismo - IPAM Docente na pós graduação de Marketing Digital - IPAM Consultor de Marketing da JRS Pharmarketing Project Manager Marketing Portugal Mestrando de Gestão de Marketing no IPAM Pós Graduado em Direcção de Marketing e Vendas pelo ISCTE Licenciado em Gestão de Marketing pelo IPAM – MatosinhosBlogue pessoal - MKTMorais

×