Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT                      ISSN: 1677-6976                      ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT                                     ISSN: 1677-6976       ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Caderno Virtual de Turismo          L DE TU        UA   NO VIRT              ISSN: 1677-6976                              ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo 2

795 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
795
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo 2

  1. 1. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMODER CA Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving* Resumo O presente trabalho é fruto de uma reflexão desenvolvida a partir do estudo de caso, realizado em caráter monográfico, no âmbito da Graduação em Psicologia, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, na região do Delta do Parnaíba MA/PI1. A pesquisa realizada recaiu sobre a comunidade das Canárias, pertencente à Reserva Extrativista Marinha do Delta do Parnaíba (MA/PI), inserida na área potencial e prioritária para o desenvolvimento do Ecoturismo no Brasil, pelo Projeto Pólos de Ecoturismo. Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local www.ivt -rj.net LTDS Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social 23
  2. 2. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER Introdução a Reserva Extrativista Marinha do Delta doD CA O Delta do Parnaíba é uma importante Parnaíba. área da zona costeira brasileira, Com relação aos ciclos econômicos caracterizado por ser o único delta em mar presentes na região ao longo dos anos, o aberto das Américas, formado por cinco Delta do Parnaíba presenciou o ciclo da barras (Igaraçu, Canárias, Caju, Carrapato carne-seca, em meados do século XVIII e a ou Melancieira e Tutóia), a partir do rio exploração agroextrativista da carnaúba, Parnaíba, divisor natural dos estados do Piauí a partir do século XX (ZEE do baixo Parnaíba, e Maranhão, composto por mais de 75 ilhas. 2002). No entanto, algumas comunidades/ Do ponto de vista geomorfológico é uma povoados residentes nas ilhas do delta, em área dinâmica e, sob a ótica ecológica se especial na ilha das Canárias, entre elas caracteriza pela presença de endemismos (Canárias, Passarinho, Caiçara, Torto e Morro e alta biodiversidade. Recentemente, o do Meio) realizavam suas atividades Delta do Parnaíba passou a ser considerado produtivas relacionadas à extração de uma região, potencial e prioritária, para o recursos marinhos (pesca, cata do desenvolvimento do Ecoturismo no Brasil, de caranguejo, da ostra, do sururu etc), de acordo com o Projeto Pólos de Ecoturismo maneira tradicional e à agricultura para o (EMBRATUR/IEB, 2002). próprio consumo ou em pequena escala De acordo com Zoneamento Ecológico (cultivo de arroz). Pode-se considerar que a - Econômico do baixo Parnaíba (ZEE do necessidade de conservação da região, baixo Parnaíba, 2002), que inclui delta, o somada à característica dessas Ecoturismo é entendido como a melhor comunidades, propiciou a criação da opção para que a região retome o seu ciclo referida unidade de conservação na Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local de desenvolvimento. Esforços e iniciativas de categoria de uso sustentável, sob a várias origens podem ser registrados no designação de Reserva Extrativista Marinha. sentido de fortalecimento do Delta como O ecoturismo cada vez mais se dirige destino ecoturístico, entre eles: a campanha às unidades de conservação (UC) de uso lançada pela PIENTUR - Empresa de Turismo sustentável. Desta forma, o envolvimento do Piauí "Piauí, quanto mais se conhece mais com as ditas comunidades/populações se gosta"; o Programa Melhores Práticas para tradicionais, além de um diferencial no o Ecoturismo - MPE/FUNBIO, que incidiu na produto ecoturístico, passou a representar região; a implantação do Conselho Gestor uma alternativa econômica e uma local do Programa Pólos de Ecoturismo; ferramenta para a conservação (Coutinho, planejamento turístico no Município de 2000). Assim, as comunidades presentes nas Araióses (MA), entre outros. categorias de UC de uso sustentável, de Seguindo a tendência de acordo com o Sistema Nacional de Unidades Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving conservação ambiental priorizada de Conservação (SNUC), em especial nas mundialmente, principalmente a partir das Reservas Extrativistas (RESEX) e nas Reservas últimas duas décadas, a região do Delta do de Desenvolvimento Sustentável (RDS), Parnaíba, foi considerada uma área passam a representar interessantes aliados potencial a ser protegida. Em 1990, a região para a implantação da atividade. Estudos já havia sido considerada de interesse e iniciativas de organização comunitária*, Flávia Ferreira Mattos é Graduada emPsicologia na UFRJ e Marta de Azevedo Irvingé Prof. ª do Programa EICOS - UFRJ. ecológico. Em 1997, foi criada a Área de com esse objetivo, sob este enfoque,1 A pesquisa foi desenvolvida enquanto Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba ganharam destaque. Entre eles, os casos dasatuava como monitora do Programa MelhoresPráticas para o Ecoturismo - MPE/FUNBIO. e, no ano 2000, sobreposta a APA, foi criada RESEXs Curralinho e Pedras Negras no Estado 24
  3. 3. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER de Rondônia, que passaram a ser objeto de ambiental no processo deD planejamento do Ecoturismo em CA investigação das potencialidades turísticas áreas de elevado valor ecológico ou para a região (Coutinho, 2000), culminando Unidades de Conservação".(p. 50). com a realização do ecoturismo de base Além disso, Irving (2001) observa que comunitária; a RDS Mamirauá, onde existe ainda hoje o modo de vida, o patrimônio uma área destinada à realização do natural, histórico e cultural dessas ecoturismo, incluída desde o Plano de comunidades é pouco conhecido para Manejo da reserva (Barnnerman, 2001); e efeito de planejamento. recentemente, em agosto de 2002, no Lima (1997), a partir da experiência da âmbito governamental, o lançamento do implantação da Reserva de Programa Estratégico desenvolvido pelo Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no IBAMA/CNPT, de incentivo ao Ecoturismo nas Estado do Amazonas, observa que a Reservas Extrativistas, em alguns projetos de diversidade social implica na necessidade caráter piloto, são exemplos que reforçam de se conhecer em profundidade as formas esta tendência. de reprodução social, para que se Transversalmente, a compreensão da desenvolvam modelos de participação, interface do ecoturismo com as manejo e preservação, específicos para comunidades em unidades de cada situação. Neste sentido, a autora conservação, perpassa a questão do amplo assinala que: debate sobre participação das mesmas no processo de tomada de decisões, uma vez "O envolvimento das populações locais em unidades de conservação que estas nem sempre recebem os benefícios não deve seguir um modelo muito almejados e tampouco estão presentes na rígido. Ao contrário as experiências Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local gestão dos espaços protegidos. Este aspecto precisam ser construídas no decorrer está intimamente ligado ao fortalecimento de um processo de interação contínua com a população, dos movimentos sócio-ambientais e também ajustando as demandas e costumes se vincula a uma revisão crítica e pró-ativa locais à intenção de se construir um da academia, com base na reflexão sobre sistema de uso sustentado do sustentabilidade ecológica e eqüidade ambiente, que combinado com a preservação da biodiversidade, social e objetiva influenciar uma revisão das garanta uma melhoria da qualidade práticas políticas no Brasil. de vida da população". (p. 311) Uma importante questão expressa por É necessário ressaltar que semelhante Irving (2001), que observa as características à RDS, as Reservas Extrativistas também dos projetos de desenvolvimento no Brasil ao investem na parceria ecológica com as longo dos últimos anos, diz respeito à populações locais e apresentam como fragilidade da organização e participação fundamento a participação de seus Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving de determinadas comunidades no moradores na gestão da área. Porém, a planejamento de estratégias para dificuldade de implantação das Unidades desenvolvimento local. Como assinala a de Conservação na realidade brasileira, a autora (2001): complexidade de operacionalização do ecoturismo devido aos diferentes grupos de "Um dos pontos reconhecidos de maior fragilidade nas iniciativas em interesses envolvidos e as nuances andamento se refere ao compromisso características das práticas políticas, de engajamento (dos atores locais) e constituem grandes desafios na atualidade o compromisso de conservação e incentivam, sobretudo, a investigação das 25
  4. 4. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER bases em que estão sendo construídas as desenvolvimento, a partir do enfoque local,D CA relações com as populações extrativistas além de circunscrever a questão no espaço locais nas parcerias existentes. de inserção de um grupo social com suas No caso do Delta do Parnaíba, a especificidades, valoriza o envolvimento constatação da problemática local com a comunitário, está alicerçado em relações chegada dos primeiros indícios de turismo nas horizontais e na noção de empoderamento comunidades do delta, a falta de dados das comunidades, valores que, segundo sistematizados e instrumentos de manejo, Irving (2002), constituem a garantia ética de bem como a incerteza com relação ao papel sustentabilidade em projetos de assumido por essas comunidades, inspirou desenvolvimento. uma investigação para o aprofundamento da questão, apresentando o morador local Metodologia: Premissas e como protagonista deste cenário. O estudo etapas realizado teve como objetivo a Incorporar o olhar das ciências sociais compreensão da dinâmica local e a busca na compreensão do fenômeno turístico, bem do olhar dos moradores das Canárias, suas como nas estratégias de desenvolvimento, inquietações, medos e expectativas na parece ser um desafio na busca de outros atualidade, tendo em vista as novas caminhos que conduzam à redução das estratégias de desenvolvimento da região desigualdades sociais e de poder e dirigidas ao Ecoturismo. potencializem a valorização do patrimônio natural e cultural. A partir da abordagem Desta forma, procurou-se compreender psicossocial, buscou-se estudar a dinâmica principalmente as seguintes questões. Nos em que a comunidade das Canárias estava rumos do ecoturismo, qual o lugar das Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local inserida, a fim de oferecer subsídios para a comunidades do Delta do Parnaíba? Como compreensão da problemática local. Para se posicionam os moradores nascidos nas ilhas tal, a construção da base metodológica da do delta frente à chegada do turismo? Quais pesquisa teve inspiração na Pesquisa os benefícios e prejuízos percebidos por eles? Participante que tem o compromisso de Como os moradores interagem com as transformação social, privilegiando a relação tendências observadas para a região? Estas direta do pesquisador com a realidade, questões nortearam a investigação, que envolvendo a patente filiação educativa, teve como base para a reflexão o enfoque a idéia de superação dos procedimentos de desenvolvimento local, que vem tradicionais do conhecimento, a opção influenciando as estratégias para o crítica e política, a união entre teoria e ecoturismo e é entendido por Carestiato prática, o envolvimento comunitário (Demo, (2000) como: 1984) e a recusa do mito de neutralidade e Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving "Um modelo de desenvolvimento que objetividade, clássico na pesquisa permite a construção de poder tradicional (Brandão, 1999). endógeno para que uma dada comunidade possa autogerir-se, A pesquisa de campo foi realizada no desenvolvendo seu potencial sócio- período de fevereiro a maio de 2002. Foram econômico, preservando o seu utilizadas, como técnicas para obtenção das patrimônio ambiental e superando as suas limitações na busca contínua da informações, a observação participante e a qualidade de vida de seus indivíduos". entrevista semi-estruturada. A realização do (p. 27) estudo envolveu pesquisa bibliográfica, Segundo essa perspectiva, o levantamento de dados secundários e 26
  5. 5. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER levantamento de dados primários (pesquisa foram transcritas na íntegra e analisadas aD CA de campo). A Pesquisa de Campo pode ser partir de uma abordagem qualitativa. Para descrita nas seguintes fases metodológicas: a análise, foram privilegiados entrevistas e 1) A escolha da comunidade - A relatos que traduzissem aspectos da comunidade das Canárias foi escolhida por dinâmica local com relação ao turismo ou estar localizada no Delta do Parnaíba, fornecessem dados para uma compreensão caracterizado como Pólo de Ecoturismo pela ampla do que é pensado, de forma geral Embratur; por pertencer a Resex Marinha e pela comunidade. à Área de Proteção Ambiental do Delta do Parnaíba e por estar sendo alvo do turismo Aspectos relevantes sob a ótica deflagrado na região. Esta escolha foi local estimulada pela observação do antropólogo Canárias é um dos povoados que se e professor da Universidade Federal do Piauí, encontra localizado na Ilha das Canárias, a Fabio Ferreira. 2) Os sujeitos da pesquisa - A segunda maior ilha em extensão do delta, e pesquisa considerou aos próprios moradores está situado junto à barra das Canárias, limite das Canárias como sujeitos. Para a escolha entre os estados do Piauí e Maranhão. dos entrevistados, foram utilizados os Atualmente, o acesso à comunidade é feito seguintes critérios: representações dos através de barco coletivo a motor, em dias diversos segmentos sociais e úteis e em um único horário de ida e volta, a representatividade perante a comunidade. partir do Porto dos Tatus, na Ilha Grande de 3) A inserção na comunidade - A inserção na Santa Isabel/PI. Relatos do histórico da comunidade foi facilitada a partir do contato colonização da ilha datam o ano de 1806, com um morador nascido e criado no Porto com a chegada à região de uma Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local dos Tatus, na Ilha Grande de Santa Isabel/ personalidade denominada Chico Bezerra. PI que trabalhava como barqueiro na região Algumas mudanças puderam ser observadas e possuía grande conhecimento das ao longo dos anos: chegada de luz a motor, comunidades residentes na região do Delta outros tipos de pesca, e aspectos construtivos do Parnaíba. 4) Elaboração e calibração do nas moradias, o alargamento do rio Parnaíba roteiro de entrevista - O roteiro de entrevista e a redução da quantidade de peixes na foi elaborado a partir do contato com a região. A situação atual da comunidade de comunidade para que fosse assegurada a Canárias revela dados preocupantes do adequação à realidade local. 5) A ponto de vista de desenvolvimento local. realização das entrevistas e a observação De acordo com dados do Programa de participante - O procedimento básico Saúde da Família - PSF de 2002, o povoado utilizado na realização das entrevistas foi a apresenta cerca de 256 famílias e apresentação ao entrevistado dos objetivos aproximadamente 1208 habitantes, sendo Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving e finalidades da pesquisa e o pedido do o maior povoado da Ilha e o de maior consentimento do entrevistado para a proximidade ao Porto dos Tatus /PI. A gravação, transcrição na íntegra e utilização população não dispõe de água potável, das informações para a realização do 100% das famílias utilizam água de poço ou estudo. Foram realizadas 23 entrevistas cacimba e com relação às questões gravadas e demais contatos com moradores referentes ao lixo, 68% dos entrevistados por da comunidade, fruto da observação este programa informaram que queimam, 17% participante. 6) Transcrição, análise e disseram que o enterram e 15% afirmaram discussão dos dados obtidos - As entrevistas que o deixam a céu aberto. Quanto ao 27
  6. 6. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER destino dos dejetos, 66% dos moradores por membros da própria comunidade, poisD CA entrevistados pelo Programa PSF informaram Canárias não tem representante religioso que fazem uso da sentina, apenas 13,2% domiciliado. As Festas religiosas ocorrem em dispõem de fossa séptica e 15,1% afirmaram comemoração ao dia de São João Batista que o destino de seus dejetos é o mato. (PSF, (padroeiro) em 24/06 e Nossa Senhora das 2002). Dores em 24/12. Nestes dias, ocorrem Canárias não possui a tradição da procissão, encenação com membros da extração comercial do caranguejo, comunidade e a presença do padre que comparada às demais comunidades do vem de Araioses para o festejo. A "terra" é Delta. As principais atividades econômicas reconhecida pelos moradores como são a pesca artesanal e a cultura de arroz. A pertencente a São José. Relatos de renda familiar é variável mensalmente, moradores antigos explicam que há muitos conforme a produção de pescado e a anos, parte da ilha das Canárias foi doada colheita de arroz. Apesar de grande parte à igreja católica e por isso ali não se compra da economia e dos serviços utilizados pela terreno, como afirmam. comunidade pertencerem ao Estado do De acordo com os relatos de alguns Piauí, pela maior proximidade, a ilha das moradores, três tentativas de organização Canárias pertence ao município de Araióses, formal foram realizadas na comunidade, mas Estado do Maranhão. Canárias, atualmente hoje nenhuma delas funciona, a saber: possui duas escolas públicas com turmas de Associação de Moradores, de Produtores 1ª. a 4ª. série do ensino fundamental. No Rurais e de Pescadores. Muitos foram os entanto, uma boa parte dos moradores problemas apontados pelos moradores com nunca tiveram acesso à educação formal. relação à localidade. As principais queixas Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local Após a 4ª. Série, as crianças têm que se dirigir se referem a falta de energia, de ensino além a outra localidade, fora da ilha, na da quarta série, de oportunidade de embarcação escolar. A Unidade de Saúde trabalho, descaso público e de união da existente vem funcionando desde 2001 com própria comunidade. Apesar dos problemas a equipe do Programa de Saúde da Família. observados, é importante ressaltar que a Anteriormente a este Programa, a maioria dos moradores mantém uma comunidade era assistida por um próprio expressão positiva com relação à localidade, morador que se prestava ao atendimento se referindo com orgulho ao fato de terem comunitário. Atualmente, os moradores nascido nas Canárias. Uma das principais dispõem de energia elétrica no período de características com relação ao viver na ilha 18:00 às 22:00 horas, através de um gerador diz respeito à tranqüilidade do lugar. De movido a óleo diesel, mantido pela Prefeitura acordo com relatos colhidos, Canárias sempre do Município de Araióses, que, segundo os sofreu o descaso público, mas ultimamente Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving moradores, muitas vezes não funciona. A tem tido maior atenção das autoridades, em energia elétrica é um dos principais assuntos função do fluxo turístico gerado no "Delta do comentados na comunidade, Parnaíba". principalmente após a expectativa frustrada de se obter energia através de um projeto O turismo na Ilha das Canárias de criação de um motor-contínuo que, Apesar do fluxo turístico no delta ter depois de construído, não funcionou. A surgido em meados da década 80, pode-se população é predominantemente católica, considerar que, a partir do ano 2000, a e os eventos religiosos da igreja são dirigidos comunidade de Canárias passou a ser 28
  7. 7. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER significativamente influenciada pela turismo na comunidade, a mais evidente noD CA presença do turismo da região. A ilha das cenário da pesquisa, diz respeito à Canárias e, mais precisamente, a construção de uma pousada, iniciada em comunidade das Canárias, passou a ser dezembro de 2001, que vem suscitando procurada por visitantes de diversas expectativas junto à comunidade e ao procedências de forma sistemática, seja por órgão responsável pela unidade de grupos levados por agências de turismo de conservação, o IBAMA. . Parnaíba, com a finalidade de conhecer a comunidade, ou de forma aleatória, O olhar dos moradores simplesmente por visitantes que percorrem a A partir dos relatos colhidos e da região deltáica e aportavam na ilha, muitas observação participante foi possível vezes movidos pela curiosidade de quem compreender e interpretar algumas das passa ao largo, pelo rio Parnaíba e avista o questões suscitadas na pesquisa. A criação pequeno vilarejo. Recentemente, a da Resex Marinha do Delta do Parnaíba, de comunidade tem sido visitada fato, parece ter contribuído para a resolução semanalmente por um grupo de turistas de do conflito fundiário vivido pelos moradores origem holandesa, levado por guias de uma e para a minimização da pesca predatória agência de turismo de Parnaíba. No percurso na região. Porém, os moradores se mostram que fazem no interior da comunidade, os pouco familiarizados com os objetivos da visitantes tiram fotos, filmam, visitam a casa RESEX e o caráter participativo previsto em de um morador que cria um macaco, sua gestão. De acordo com o relato de um distribuem bombons (balas) às crianças e morador, que se tornou agente ambiental depois prosseguem o passeio na colaborador do Ibama: Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local embarcação. "Quando eles (IBAMA) vieram pra cá No período da pesquisa foi possível fazer a reunião, dizer que essa área observar algumas iniciativas isoladas de aqui estaria proibido o sistema dos moradores que demonstram uma certa manguezais, foi uma calamidade pro povo. O povo tentaram até querer movimentação, a partir do interesse em se brigar. Aí nós como agentes beneficiar com a chegada do turismo. Entre começamos a falar aquelas coisa, elas, pode-se destacar a iniciativa de uma conversando com o pessoal. Ó gente, moradora, proprietária de um bar, que não é assim. É porque o Ibama hoje vai querer meter a gente na cadeia passou a oferecer alimentação e abrigar em porque queremos tirar um pau, cortar uma casa as pessoas que, esporadicamente, uma madeira pra botar na casa. decidem pernoitar na ilha; um proprietário Gente, não começa por aí, vamos de comércio local que, com a chegada do parar, deixa o pessoal conversar depois a gente vai se reunir, vamos público estrangeiro à ilha, passou a fazer Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving chamar o (D, representante do curso de inglês por correspondência, visando Ibama/Cnpt), vamos chamar o (R, aprender a comunicar-se; reuniões Ibama) e gente vê como é essa promovidas pela enfermeira do Programa de motivação da Reserva. porque nem eu mesmo sabia. Aí eles vieram aqui Saúde da Família para organizar moradores filmaram esse manguezais aí e em torno do artesanato para vender para o deixaram a explicação pra nós turista; alguns bares que surgem na beirada explicar pro povo o que era uma da "praia" (rio) para atender ao turista. Resex." (morador das Canárias) Porém, diante de todas as iniciativas que A relação existente entre os membros surgem em decorrência da chegada do da comunidade e a instituição ambiental 29
  8. 8. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER que gerencia a RESEX, o IBAMA, é variável. "- Rapaz, mais eu fiz uma pescariaD grande!" E como nós [comunidade] CA Entre as visões colhidas, algumas vamos viver nessa ilha? Pra eles observações feitas por um dos moradores [IBAMA] é bom dizer que nós vamos "nascidos e criados" nas Canárias, fornecem pescar porque eles tem seu emprego, subsídios para a reflexão sobre a eles vão no supermercado e compram do que quer. Mais e eu que amanheço participação da comunidade na gestão da o dia só com o açúcar na vasilha e a unidade de conservação. água pra fazer o café e não tenho nem o dinheiro pra comprar o pão, é melhor "O Governo Federal, com essa ambição eu ir roubar ou procurar o meu meio dessa valorização do "Delta do de vida? (...) Aí eles ainda dizem: Mas e Parnaíba" passaram a abrir o olho em como no Projeto deu certo no Xapuri? cima dessas ilhas, sabendo que essas No Xapuri deu. deu certo porque houve ilhas daqui a mais 5, 6, 8 anos estão investimento de dinheiro. Só a ONU mais valorizadas. Aí criaram o IBAMA e liberou para o Brasil para esse Projeto muitas vezes ele vem vindo não para do Xapuri 210 milhões de dólares. (O ajudar mais para atrapalhar. Eles ...) foi quem assinou esse cheque, você chegam e querem impor uma condição pensa que eu não sei? E lá eles que eles estudaram no livro e não implantaram trabalho, melhoramento, pedem uma opinião dos moradores mais estes nada apresentaram, só daqui, de quem nasceu, conviveu é o sabem exigir (...) Eles chamam para B-Abá do dia a dia, que eu acho que é uma reunião grande, chegam aqui o que eles deveriam fazer" (...) "Eles eles não são pessoas de dizer assim eu [IBAMA] chegam e apontam 4 ou 5 dou minha opinião mais aceito [referindo-se aos moradores] e opinião. Eles são donos da verdade, são convidam para serem fiscais do IBAMA. quem pintam, são quem bordam e Fazerem um curso para fiscais e querem que você cumpra aquele enrolam, mentindo, dizendo que depois dever. (...) Eu acho que nós dessa ilha, Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local eles vão passar por um curso de diante das autoridades, ainda não se aperfeiçoamento para depois o IBAMA acabou a escravidão, só que fizeram contratar pra eles ficarem fiscalizando." uma escravidão mais moderna, mais (...) o IBAMA vai e convida o povo para prejudicial. Mais é a mesma fazer uma reunião. Naquela reunião, escravidão. Eles vieram de um modo de boca e no papel, eles falam que vão mais educado, mais a escravidão não desenvolver muita coisa. Quando acabou. A escravidão está aí minando termina, eles não fazem nada. (...) Ele os campos e nós sofrendo as chega proíbe que você jogue o lixo ali, conseqüências." ( morador das ele chega e proíbe que você tire uma Canárias, 62 anos) madeira do mangue, proíbe o pescador de pescar na época. Porque que o Com relação aos visitantes e as visitas Ibama é rigoroso só em cima das à comunidade, a maioria dos pessoas pobres? (...) E o barco das moradores afirma que a presença empresas que estão bem aí, eles nunca dos visitantes na ilha "não ajuda nem vão prender nenhum? E eles jogam atrapalha". Alguns se mostram uma, duas toneladas de peixe no mato, Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving favoráveis com a chegada de pessoas camarões pequenos 2, 3 sacos de vindas de outras localidades. No camarões. Quando demora uma meia entanto, é possível perceber um certo hora que eles estão lá, atende o grau de incômodo e receio diante da telefone e fala: rapaz é bom de vocês falta de clareza quanto aos objetivos colocarem a bagagem de vocês e irem que movem as visitas à comunidade, embora pois o IBAMA com a Capitania principalmente com relação ao do Portos tão saindo agora de público estrangeiro: Parnaíba. Já temos espião lá. É eu que aviso? (...) E vão em cima de quem "Acho que todo mundo tá de acordo pesca com anduá que quando vai com a pousada. Agora, o que a gente pescar pega 3kg de peixe e diz: não tá querendo muito, assim, é 30
  9. 9. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER entrar muita gente de fora. Os ingleses preocupa porque o mundo evoluídoD os japoneses, a França tá entrando que tá hoje de repente você vê o CA aqui, a América também tá vindo atraso como hoje se encontra aqui, é aqui. Já saltaram aqui nas lanchas preocupante para algumas pessoas, de turismo (...) O que ele tem de mais por outro lado é curioso" (...) "A objetivo aqui dentro pra saltar aqui gente tá começando do zero, apesar dentro? Eles chegam aqui, saltam da do turismo estar sendo bem explorado lancha, vão, dá uma volta, conversam eu acredito desde 83, começou a vir uns gargulejos uns com os outros, vê aqui os primeiros barcos, barcos que que a gente tá ali perto mais ninguém eu digo essas embarcaçãozinha entende o que eles tão dizendo (...) motorizada. Hoje aquela STAR DELTA todos são grandes a gente vê que os (agência de turismo de Parnaíba) homens tem dinheiro e ninguém vinha aqui com um motorzinho assim, entende a conversa deles (...) e aí eles uma canoinha que pegava 5 vão dão uma volta por lá, vão sorrindo passageiros." (...) "O cara chega na e voltam sorrindo e eu não sei qual é o praia, vai lá naquele outro canto tira objetivo deles. Então, a única foto dos manguezais. Você chega lá maneira que nós queríamos aqui é na Pientur tem exposta foto de todo que eles não tivessem entrado aqui, jeito que você fica encantado, que não entrasse mais aqui, que quando você chega aqui...E a passasse e que fosse tomar banho na comunidade? A comunidade aqui praia que lá eles podem banhar. está noutra. Para todos os efeitos tem Porque aqui nós temos uma parte dos lá Canárias, tal, o Delta do Parnaíba lençóis Maranhenses e eles podem ir como ponto principal, tal, tal. Mais lá pros lençóis, tomar banho, pegar a qual o benefício para a comunidade? lancha, voltar e ir embora novamente. Não tem nenhum benefício para a Mais qual o objetivo deles pararem comunidade." (morador e agente aqui? Alguma coisa eles querem fazer. ambiental colaborador do Ibama). Alguma coisa eles querem tomar da Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local A reflexão de um morador quanto ao própria comunidade (...) Ontem destino da comunidade das Canárias frente mesmo teve aqui, a Camaleão e saltou com uma faixa de 20, 25 pessoas ao cenário emergente, parece ser bastante (...) só passeando, só olhando, eles ilustrativa: olham o colégio, vão até lá em cima, voltam e vão aqui em baixo e dão uma "Eu enxergo isso como uma faca de olhadinha tudinho e ficam sorrindo, dois gumes. Assim como pode sorrindo, né? Eles saltam alegre e beneficiar pode atrapalhar. As Canárias entram alegre, aí eu não sei aonde tá tá começando a receber melhorias. Já ficando essa educação deles, esse um moço de não sei a onde, está jeito do que eles querem fazer." construindo uma casa muito grande (morador das Canárias). prali, já tem a pousada, tem gente do banco. Eu digo, daqui a mais 10 anos Com relação à situação comunitária nós, os moradores da daqui, não no contexto de desenvolvimento do estamos mais morando aqui dentro da ecoturismo na região do Delta do Parnaíba ilha. Isso vai estar uma ganância e esta Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving o trabalho indica o quanto à comunidade ganância vai trazer o bem e o mal. Dentro dessa influência desse povo vai das Canárias, até o momento, tem ficado à vir traficante, vai vir assaltante e outras margem dos benefícios oriundos da coisas piores. No bojo daqueles que atividade. Na visão de um morador: vem, vem aqueles aproveitadores, vem aqueles que querem se beneficiarem "Hoje o turismo aqui ele é muito em cima dos próprios moradores. explorado, não por nós, porque Porque em todo lugar foi assim. Daqui infelizmente nós não temos nada a à 10 anos, nós não temos mais essa oferecer. O turista se encanta de ver calma tão grande que nós temos aqui, árvores, de ver essas casinhas, essas essa tranqüilidade. Eu ando aqui de crianças, muitas vezes o cara se noite e a gente passa: boa noite, cadê 31
  10. 10. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER titio? Como é que tá? O que anda pra ampliar. Eles foram lá pra comprarD fazendo? Todos são conhecidos. Daqui a casa e ela disse que não vendia. CA à 10 anos só vai ter cara estranha. E Então eles perguntaram se não queria essa cara estranha pode não nos fazer outra casa. Ele comprava tijolo e bem. (...) Já tá entrando pessoas que já mandava construir a casa se ela desse tem outra posição e ele não vem fazer a área a ele, ele dava a casa pronta uma coisinha no mesmo sistema nosso com a chave. Veja como são as (...) O povo da nossa ilha aqui, devido ofertas. Quando a oferta é muito ser nascido e criado com essa grande, o cego pergunta se ainda tranqüilidade é um povo muito tem troco. Eu sei lhe dizer uma coisa a confiável. Confia em todo muito. Só tá mão que acaricia é a mesma que olhando o benefício. Ele não olham a apedreja, a boca que beija morte e direita e depois voltam pensando a a boca que chama Deus chama o esquerda. Eles só estão pensando o Diabo" (...) "Vamos mais devagar com benefício. O prejudicar, que pode o andor, porque o Santo é de barro. acontecer no meio disso, pode estar Vamos com nossas precauções muito influenciado e pode ter uma tomando nossas posições, porque nós catástrofe e desmorona todo aquele somos os legítimos donos da ilha, os sonho que você tinha. Essas coisas eu nativos da ilha e nós temos que impor". vejo no meu povo, alguém muito (morador das Canárias, 62 anos) animado, mais eu preferia que não fosse assim. (...) Por que praticamente Considerações Finais e se essa pessoa vende essa casa pra uma pessoa que nós não conhecemos, Recomendações que é uma pessoa lá de fora e chega e De acordo coma as tendências monta uma coisa muito forte, muito apontadas, se pode considerar que a RESEX boa, muito luxuosa, pode estar Marinha do Delta e, especialmente, a Ilha prejudicando muitas famílias, pois ele vai querer fazer melhoramentos e esses das Canárias emergem na atualidade com Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local melhoramentos podem custar a nossa grande potencial ecoturístico no Delta do própria vida." (morador das Canárias, Parnaíba. No entanto, o planejamento que 62 anos). incide sobre a região parece ainda pouco Este mesmo morador faz uma reflexão trabalhar sob a ótica do desenvolvimento e expressa um alerta com relação às local. De acordo com o presente estudo, o mudanças e aos possíveis impactos com a que foi possível ser observado é que o chegada do turismo nos hábitos e viveres da ecoturismo ainda parece ser uma prática a comunidade. Além disso, o relato exalta a ser implantada na região do Delta do noção de pertencimento à localidade e Parnaíba e não uma realidade existente. Do sugere um posicionamento que merece ser ponto de vista do ecoturismo, a realidade compreendido em profundidade. local mostra que o turismo praticado na "Daqui pra frente nós temos que passar região se caracteriza como um turismo de por uma transformação, uma massa, com pouca ou quase nenhuma Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving transformação de conhecimento e diversificação de atividades, interpretação até de hábitos, porque nós vamos ambiental deficiente, nenhum controle de conviver com outras pessoas, com outros modos de viveres, com outras capacidade de carga, qualidade ainda maneiras, com outras opiniões. (...) E deficitária de recursos humanos e infra- eu acho que o pessoal só esta estrutura, apenas para citar alguns enxergando o benefício que ele tá problemas. Além disso, é evidente a limitada vendo na vista, naquele momento. Ele não está vendo coisas futuras que participação das comunidades extrativistas podem acontecer (...) O banco tá no planejamento dos destinos da região. comprando, já comprou essa casa Estas condições confirmam ainda em 2003 a dessa senhora que mora mais perto 32
  11. 11. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER problemática levantada em 1994, nas no processo de tomada de decisões. AD CA Diretrizes para uma Política Nacional do investigação aponta a necessidade de Ecoturismo, quanto a situação do ecoturismo resignificação das bases em que estão sendo na realidade brasileira. construídas as Unidades de Conservação no No que se refere à chegada do turismo Brasil. Esta revisão implica em considerar, na RESEX, expressa na presença de visitantes, entre outros aspectos, conforme Irving (2001), construções, apropriações e planejamento um modelo de planejamento que invista no com objetivo turístico, é observada uma tempo de amadurecimento comunitário. certa fragilidade na administração da Resex A inexistência de Plano de Manejo da na aplicação de mecanismos de controle, Reserva Extrativista Marinha do Delta do seja para conter a chegada desordenada Parnaíba constitui uma limitação grave para do turismo, impedir construções irregulares, a gestão. Por conseguinte, deixa a controlar a especulação e, principalmente, comunidade vulnerável com a chegada do assegurar a legitimidade do processo ecoturismo e potencializa possíveis impactos participativo, o que garantiria às na identidade e nos valores culturais comunidades o poder de decidirem sobre as existentes. A falta de regras para o possíveis alternativas econômicas a serem funcionamento interno da Resex dificulta uma implantadas na gestão da Reserva. possível articulação da referida unidade de Um estudo mais aprofundado dos conservação pelo IBAMA com a proposta mecanismos que levaram à criação da Resex de criação do Pólo de Ecoturismo, pela Marinha do Delta do Parnaíba faz-se EMBRATUR/IEB, deixando as comunidades necessário para a compreensão do processo extrativistas à margem da implantação do de engajamento comunitário e para Pólo. Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local contribuir ao esclarecimento e organização A criação da RESEX, além de introduzir dos próprios moradores com respeito à referida uma nova ótica na relação com os recursos unidade de conservação. A hipótese naturais, legitima, do ponto de vista legal, interpretada na presente pesquisa é que não através da concessão do direito de uso da houve tempo de amadurecimento terra aos moradores tradicionais, o uso comunitário frente à criação da Reserva, fato coletivo e compartilhado da terra, já vivido este que vem contribuindo como um dos na tradição pela comunidade. Esta entraves ao processo de implantação da mudança, do ponto de vista dos costumes RESEX, uma vez que a participação dos e valores locais, tende a produzir um moradores é elemento fundamental na deslocamento do centro de decisão construção do Plano de Manejo e na co- tradicionalmente exercido pelas lideranças gestão da Reserva. Esta mesma questão vinculadas ao setor religioso (Igreja Católica), parece reincidir em outras Reservas para a co-gestão de um bem do Estado, Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving Extrativistas, o que parece indicar que a entre governo e sociedade local, fazendo pressão para a conservação dos recursos surgir outras representações. Este tema se naturais não está acompanhada pelo coloca como prioritário para futuras efetivo envolvimento das populações locais, investigações. Neste contexto, cabe como formula a lei do SNUC. A questão que também uma investigação pormenorizada permanece como desafio é como dos diferentes planejamentos que incidem equacionar a necessidade de conservação no perímetro da RESEX, considerando que e manejo dos recursos naturais e garantir o cabe às comunidades construírem e efetivo envolvimento das populações locais legitimarem junto ao IBAMA, o que será 33
  12. 12. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER colocado em prática, incluindo-se na efetivo com a população residente noD CA dinâmica regional. interior da RESEX, a fim de que as "populações Com relação à organização social, no tradicionais" do Delta não sejam apenas caso de Canárias, as estratégias adotadas lembradas no marketing do ecoturismo, mas pelo IBAMA, com base na formação de também em seus direitos e, principalmente, agentes ambientais colaboradores, como tomadores de decisões. Para tal, um parecem ainda pouco eficazes, uma vez amplo trabalho que invista na educação que pressupõe um nível endógeno de ambiental político-transformadora, conforme amadurecimento comunitário e a descrito por Loureiro (2001), como instrumento internalização desses sujeitos na própria que estimule a participação dos sujeitos comunidade, o que parece não ser o caso sociais, faz-se necessário para que se possa na realidade das Canárias. Assim, o processo pensar na elaboração do Plano de Manejo de organização comunitária parece ainda e na escolha de alternativas econômicas deficitário para as demandas e impactos sintonizadas com os objetivos traçados pelas crescentes decorrentes do desenvolvimento comunidades. do ecoturismo. É necessário, portanto, compreender Com relação à dinâmica local, com até que ponto, os programas de ênfase no desenvolvimento do Ecoturismo, desenvolvimento do ecoturismo que incidem é importante ressaltar que o Zoneamento sobre a região levam em conta as reflexões Ecológico Econômico do baixo Parnaíba aqui discutidas e o quanto, e de que forma, inclui o turismo no rol das economias investem na participação comunitária, modernizadas reforçando a necessidade do fortalecendo os espaços de articulação uso de técnicas gerenciais, empresariais e endógena. Cabe também pesquisar, em Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local mercadológicas modernas, tecnologia e que medida os "novos" espaços de capital intensivos, mas pouco menciona a participação, afastam-se e/ou aproximam- questão comunitária. O ZEE do baixo se de um efetivo diálogo com as populações Parnaíba destaca o turismo com grande locais. Fomentar o estabelecimento de potencial de desenvolvimento e parcerias com ONGs, universidades e agregação de valor econômico para região instituições de fomento ao desenvolvimento do Delta do Parnaíba e reforça a pode ser uma opção interessante ao IBAMA/ necessidade de regularização, controle e CNPT na execução de suas metas e monitoramento da atividade. Além disso, o execução de seus objetivos, traduzindo assim documento prevê o compromisso com a tendência de divisão de responsabilidades descentralização dos recursos financeiros no gerenciamento das unidades de para que se possa reduzir as formas mais conservação, contribuindo para construção agudas de manifestação de pobreza e de de um modelo de planejamento turístico de Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving exclusão social. Sendo assim, a questão da base comunitária. inclusão das comunidades locais no Desta forma, também se espera que a processo se torna fundamental para a realização desse estudo contribua para a sustentabilidade da iniciativa. reflexão do planejamento da atividade O planejamento do ecoturismo, como ecoturística no Delta do Parnaíba, com base estratégia de desenvolvimento para a no desenvolvimento local e para o região, deveria, portanto levar em conta, delineamento de políticas públicas dirigidas não só a superação das deficiências à região. discutidas, mas também permitir um diálogo 34
  13. 13. Caderno Virtual de Turismo L DE TU UA NO VIRT ISSN: 1677-6976 Vol. 3, N° 4 (2003) RI SMO ER Bibliografia como fazer pesquisa qualitativa emD CA BANNERMAN, Matt, Mamirauá: um guia da Ciências Sociais Rio de Janeiro: Record, história Natural da Várzea Amazônica. 1997. Tefé: IDSM, 2001. IRVING, Marta. A. O Ecoturismo no Brasil: BRANDÃO, Carlos. Pesquisa participante. São Retrospectiva e Tendências, in Boletim de Paulo: Brasiliense, 1999. Turismo e Administração [Publicação do] CARESTIATO, Andréa. Educação ambiental Centro Universitário Ibero Americano, Vol como estratégia de desenvolvimento 10, n.º 2 (outubro 2001) - São Paulo: local: um estudo de caso. Dissertação de UNIBERO, 2001 Mestrado, Programa EICOS/IP/UFRJ, Rio IRVING, Marta A & AZEVEDO, Júlia. (Orgs). de Janeiro, 2000. Turismo: o desafio da sustentabilidade. São COUTINHO, Maria. Ecoturismo: Reservas Paulo: Futura, 2002. Extrativistas no Brasil e Experiências da LIMA, Deborah. Equidade, Desenvolvimento Costa Rica. Dissertação apresentada Sustentável e Preservação da para obtenção do título de mestre em Biodiversidade. In: Faces do Trópico Integração da América Latina, área de Úmido, Edna Castro e F. Pintos (eds.). concentração em comunicação e Belém: Cejup, 1997. cultura. Orientadora Prof.ª Dr.ª Beatriz LOUREIRO, Carlos Frederico. Educação Helena Gelas Lage. Universidade de São ambiental e movimentos sociais na Paulo, março de 2000. construção da cidadania ecológica e DEMO, Pedro. Pesquisa participante: mito e planetária. In: LOUREIRO, C.L., realidade. Rio de Janeiro: SENAC/DN, 1984. LAYRARGUES, P. e CASTRO, R. (orgs.). DIEGUES, Antônio Carlos O Mito Moderno da Educação Ambiental: Repensando o Delta do Parnaíba nos rumos do ecoturismo: um olhar a partir da comunidade local Natureza Intocada São Paulo: HUCITEC, espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 1996. 2002. EMBRATUR - IEB Pólos de Ecoturismo- MMA/SDS. Zoneamento Ecológico- Planejamento e Gestão/ Guilherme Econômico do Baixo Rio Parnaíba: Wendel de Magalhães coordenador. São Subsídios técnicos, Relatório Final. - Brasília, Paulo: Terragraph, 2001. 2002. FEYDIT, Lina. M. Programa de Saúde da MURRIETA, Julio Ruiz e RUEDA Manuel Pinzón. Família - PSF, 2002. Reservas Extrativistas. Gland, Suíça e GOLDENBERG, Mirian. A arte de Pesquisar: Cambridge, Reino Unido / UICN, 1995. Flávia Ferreira Mattos e Marta de Azevedo Irving 35

×