Capa




Página 1
           A
           DIMENSÃO
           DA DEMOCRACIA
           Artemiro Bósio
Página 2            ...
Cléstenes afrontou o sistema daquele Império. Derrubou o filho do seu sucessor Salom
    Imperador de então, e implantou a...
DEMOCRÁTICO. Quero expor minha visão global sobre o homem democrático cristão
político e social e patriótico, assumindo es...
presente? Frutos amargos que estamos colhendo, e o futuro, como vai ficar?
              Estamos as vésperas de uma eleiçã...
revanches é que se forma o plasma da democracia, para que ela seja um substantivo
concreto porque é pessoa; sangue de bras...
seu seio a minha mensagem.
                   Sempre se puder, aprender mais, e ter menos a ensinar.



Página 3




Págin...
E, num esfregar de olhos para recuperar a lucidez, tornam-se em ouro as letras
            quando lemos: “Ordem e Progress...
O CORAÇÃO: o Governo Federal

                   Esse retrato deve ser meditado, analisado e interpretado: O organismo
   ...
Página 16   CAPÍTULO II

            PERCEPÇÃO DE ESPÍRITO
            E ESTUDOS

                  Alguns fatores levam-n...
em seu plano criador, deus o projeto de vida para gerar a plena
Página 20   e única riqueza do amarelo que liga ao céu par...
dois itens como representativos da democracia: 1º o cérebro antes da sociedade
            organizada, 2º o aparelho circu...
Página 27
                    “B” seriam os vasos sangüíneos, representando os órgãos estaduais, em
            seus três ...
Página 32
                                           CAPITULO V

            O QUE É A DEMOCRACIA

                   Em g...
vindo do Cristo e a humana, pelo modo do seu crescimento individual e
            coletivo, até chegar a forma de Nação. T...
o seu modo de ser, porque a morte o tolheu. Como ateu, negando a Deus, foi
            excomungado pela Igreja.
Página 39 ...
Página 44   CONCLUSÃO

                   Devem-se conscientizar as pessoas de que não só o Governo é
            responsá...
Assim se criaram os 10 filhos, trabalhando sobre a fertilidade da terra,
            onde mais tarde se formou uma comuni
...
meu ver, não era direito.

            2º- As leituras de livros da história da filosofia, vida e idéias dos grandes
     ...
Quero prestar uma homenagem a minha professora Rosa Giordani
            Bósio, natural de Bento Gonçalves, Rio Grande do ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Livro Semente Para Um G Igante

581 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
581
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro Semente Para Um G Igante

  1. 1. Capa Página 1 A DIMENSÃO DA DEMOCRACIA Artemiro Bósio Página 2 APRESENTAÇÃO Num abrir dos olhos damos conta de estar dentro do mundo, e num fechar dos mesmos deixamos tudo para trás. Caros leitores entre esses dois espaços temos uma vida. Esta vida para ela ser vivida temos que valoriza-la, não só a minha e a sua, mas as de todos e buscar no decorrer do tempo os ciclos e as fazes e colocar seus itens aproximados dos sistemas variados a cada idade e constumes, as leis de uma civilização e cultura que possa ser satisfatória para toda uma sociedade e município. A pauta em questão que lhe estou apresentando é um sistema Democrático, não o vigente este é bom, melhorá-lo não é pior, se voltarmos as suas origens e um começar de novo. Em 503 antes de Cristo um cidadão Ateniense na Grécia, chamado 1
  2. 2. Cléstenes afrontou o sistema daquele Império. Derrubou o filho do seu sucessor Salom Imperador de então, e implantou a Democracia por haver as divisões sociais de classe e muitas injustiças sobre aquele povo com leis não apropriadas para em seguimento humano. Isto já faz 2.500 anos; Dali para cá houve muitos avanços, mas com muito sangue, até os fins deste séculos 2.000 deixou-nos muito a desejar pela Democracia. Nós para entrar no século 3.000 ou 3º século temos o dever e obrigação através de criatividade remodelar o grande sistema Democrático principalmente o Brasil que é um país novo. E se o velho mundo quer aprender conosco estamos as ordens. O tempo requer mudanças neste tipo de cultura. Se o tema é Democracia pura? O que podemos entender com ela, 1º verdade, 2º liberdade, 3º direitos iguais aqui esta os desafios e os questionamentos na regra para regela, embora muitos atentos com boa vontade nem sempre atingiu os objetivos Almejados: 1º por ter o lado oposto através dos partidos, 2º o mais importante, não sabem os porquês de estarmos inseridos dentro do mundo mas de toda maneira devemos omitir o que herdamos dos nossos antepassados não o individual, mas sim em coletividade, e pensar o que transmitimos e deixamos para a nossas gerações futuras é analisar o grau de responsabilidade conforme o posto que ocupamos em nossa missão, nos requisitos políticos. Aqui temos um questionamento de preparação da nossa juventude estudantil brasileira. Aceitar e encostar os ombros dos poderes políticos aos desafios que eles encontram, na modernidade, na tecnologia e somar os turbilhões de conhecimento da cultura, e os meios da sobrevivência. Se nos somos racionai por isso temos o dever, a obrigação se somos líderes capacitados de linear primas sob o regime democrático de forma uma nação invejável perante o mundo. É possível acreditar com coisas simples e fáceis que estou apresentando do que complicadas e difíceis que estas traz a desagregação dos povos e comprometimento da paz. A minha preocupação é por ser uma proposta tão simples que os bem empregados e os acomodados, não querem entender e não dão importância. A razão do conteúdo, da Semente para um Gigante, chamada o Grande opuscúlo, quer chegar a uma definição como interpretar, agir e concluir em ação através do retrato ou símbolo do Aparelho circulatório do sangue. Se praticar em os 5.565 ( cinco mil quinhentos e sessenta e cinco) municípios do Brasil como determina a analogia, a harmonia com os Estados e os órgãos Federais. É um ninar de Criança a ver o seu crescimento. Veja, leia, entenda o que está na introdução na reflexão ao 1º verso do Hino a Bandeira e no decorrer dos capítulos da leitura. Os porque dos Heróis; as riquezas da vida, porque somos cegos, buscamos uma coisa e o nosso Criador quer a realidade de nossa vida, porque está escrito ordem e progresso; porque contemplamos o céu, porque o Cruzeiro do Sul em nossa Bandeira, porque não lhe espira um sentimento do dever como as raízes, fora tudo isso ainda o dever social cristão e patriótico. Será que não está nascendo um crepúsculo que vai brilhar sobre a cada brasileiro, um sol que dá luz e vigor, não é porque os nossos antepassados cruzaram os braços o importante agora com todo este conhecimento e nós que não deixamos cruza-los. MATÉRIA QUE NÃO FOI LIDA EM JORNAIS EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO Em 1982, o Jornal semanário “A voz do Paraná” edição de 23 à 29 de outubro do ano de 1982, trouxe um artigo que escreveu o Sr.Dr. Agostinho Bertoldi, com o título “Eu Cristão Eleitor”. E um leitor do referido Jornal, Sr. Paulo A. Maluff, gostou do artigo escreveu outro a respeito, com o título “Eu Cristão Candidato”no mesmo Jornal, edição do dia 20 à 26 de novembro do mesmo ano. Aplageou os pontos de vistas de Bertoldi, eram termos políticos e sociais. Eu era assinante do mesmo Jornal e também gostei dos artigos, preparei uma matéria mas não mandei, o titulo deste artigo é “EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO”, ao ler estes artigos me deixaram campo aberto para escrever sobre seus pensamentos, EU CRISTÃO 2
  3. 3. DEMOCRÁTICO. Quero expor minha visão global sobre o homem democrático cristão político e social e patriótico, assumindo estes dizeres o dia a dia defendendo a própria existência e os nossos dependentes, as opções de nossas ações podem e devem abrir um campo de ajuda ao nosso semelhante e não colocar pedras em nossos caminhos. Os termos de Dr. Agostinho, na minha interpretação, não foram tão claros, talvez temeu ele, polemicas em torno do artigo, mas no entanto achei louvável, porque assim posso fazer pensar os leitores que sempre os mesmos venham pensar igual para edificar o EU CRISTÃO. Agostinho não foi claro também em misturar a política com o cristão, pátria com a fé, sociedade e família, dentro de tudo isto em separado forma um paredão de ideais subalternos que não coincidem os ideais de crença cristã, porque o cristão íntegro coincidem com a democracia porque é libertação, quando ela é pura. O que estou escrevendo sobre o “EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO” é interpretação da sagrada escritura, penso eu que é de integração e libertação total de promover o homem em todas as dimensões, o que deve ficar claro é que as nações não são dos homens, mas sim de Deus. A nação é confiada a viver os ciclos de vida na terra e dar continuidade a espécie, e o dono Deus preocupa-se com a espécie que colocou sobre a terra sob a sua guarda baseado no salmo “32” “Bem aventurada a nação que tem o Senhor por seu Deus o povo que ele escolheu para a sua herança. O Senhor olhou do céu viu todos os filhos dos homens, da morada que ele preparou para si olhou todos os que habitam na terra. Foi ele que formou o coração de cada um deles é ele que conhece todas as suas obras. São Paulo apóstolo, na 1ª carta a Timóteo “c.2 de 7-8” – apóstolo, digo a verdade e não minto, doutor das gentes, na fé e na verdade, quero pois que os homens em todo o lugar levantando as mãos puras, sem ira e sem contendas. Na 2ª carta o Apóstolo faz outra referência “c.2 de 4-7” Ninguém que alistou na milícia de Deus se embaraça com negócios do século a fim de agradar aquele que o alistou. Efetivamente, também o que combate nos jogos públicos não é coroado senão depois que combateu segundo as regras, é necessário que o lavrador trabalhe primeiro para colher frutos. Reflete no que te digo, porque o Senhor te dará a inteligência em todas as coisas”. Feita a menção bíblica, agora cada um tem direito de fazer a sua reflexão; na minha atingiu-me em cheio, porque pelo batismo fomos alistados na milícia de Deus. Como diz o Apóstolo Paulo e no salmo “32” fala de uma nação bem aventurada quando que os seus escolhidos lutam por ela. Essas palavras foram as que me atingiram como “EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO”. O ponto alto da reflexão: o alistado deve se fundir com a pátria e lutar por ela, pelas causas justas da verdade. Ali o político, como fui eu na penúltima eleição, percebe-se que não tem divisão entre fé e pátria, entre Deus e pátria, Igreja e pátria, e Jesus Cristo e pátria ( pátria ou nação). As criancinhas de escola sabem que pátria é um território que nascemos e vivemos dentro dele, este divisório, como devemos escolher a vivência, e pela democracia através de votos nós outorgamos opções através de candidatos com os programas apresentados e o poder que possuem, quando no Congresso mudam as propostas e programas é que se nota as divisões. Então eu pergunto: Onde está os ensinamentos do berço e tradições da nação de ver a cruz, do “EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO?”. E quem vê Eu patriota Democrático? Se a causa política é o bem estar dos homens no “plural” e não do homem no “singular”. Paulo A. Maluff, no seu artigo no jornal de então, pintou com letras um quadro que transpareceu as penumbras a respeito da Igreja e da política. Penumbra quer dizer não bem claro. O que vejo muita clareza é a filosofia de Cristo. E a igreja com seus critérios é luz e ponderações tem um respaldo para todos sempre a caminho dos povos para a paz e o bem estar comuns, de um modo global, com seus garimpeiros da pedra de Pedro, pelo seu lapidar formam a coroa da verdadeira civilização, que são os alicerces da paz entre as nações qual seria o intelectual que nega o trabalho do Papa João Paulo II em prol do mundo, João Paulo II está lapidando as pedras para as bases; muitas que se julga Rubins de sua Pátria não deixou tirar o pó do seu batismo, para brilhar como podemos alcançar a coroa da verdadeira civilização. Os séculos passados podíamos por em referência, pois é o livro aberto para as decisões presentes. Dr. Agostinho descreveu uma radiografia dos nossos tempos atuais, eu digo, será que podemos tolerar um museu de caveiras ocas de um mundo passado e também no 3
  4. 4. presente? Frutos amargos que estamos colhendo, e o futuro, como vai ficar? Estamos as vésperas de uma eleição para Presidente do Brasil. Paulo A. Maluff, dizia naquele artigo Eu cristão candidato. Surge então um momento no qual chamamos a agir por inteiro dentro do cristianismo, qual seja este momento político em que todo o país se põe a espreita e se preocupa a se angustia e nós engajamos a ele. Passou seis anos de modo geral piorando. Vale a pena cristianismo e o cristianismo puro do Cristo. Se as coisas vão de mal a pior porque nosso Brasil não se compromete os cem milhões dos “EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO” é o momento propício na eleição do mandante supremo da nação, questionando este cristão por inteiro participar na integração nacional que não somos divididos os cristão estão sob a mesma bandeira o símbolo que traz em sua estampa o cruzeiro do Sul. Para nós brasileiros será que este sinal gravado no infinito, copiado e trazido para símbolo de nossa bandeira não foi feito por mãos de homens? Se está gravado em nossa bandeira são metas do “EU CRISTÃO e você, patriota, é dividido em dois? Somos e devemos ser íntegros coesos e uma só flecha indicadora para um só caminho se sou democrático que sirvo a pátria estou servindo a Deus porque a pátria é dele e o futuro também, é nosso o presente e se o presente não é bom é porque os antepassados não pensavam assim. Um funcionário público não achou bom que eu dissesse que eu era mais patriota do que ele, ele me disse, como me provas que és mais patriota do que eu? Respondi, muito simples, pois eu vivo pela pátria e você vive da pátria. Nem por isso não é identificação, pelos frutos vós o conhecerá. Quis Ter uma experiência democrática na eleição de 1982, candidatei-me a vereador para tirar de dentro de mim e por em prática o Eu cristão Democrático, com uma filosofia nova. O PMDB de então, pregava uma mudança, mas eu estava convicto que primeiro tinha que mudar o caráter do homem, em conseqüência naturalmente haveria a mudança política. Com isso agora ganhei coragem para transmitir ao Paraná e ao Brasil uma nova opção ideológica para uma nova Democracia, ou melhor dizer uma analogia de Democracia. Mandei na constituinte, foi aceita pelo Senador do Paraná Álvaro Dias, hoje nosso governador. Se foi tomada em conta nas redações não apareceu. A inspiração ou pensamento que eu prego lega o título “SEMENTE PARA UM GIGANTE”, que escreverei em seqüência do EU CRISTÃO DEMOCRÁTICO. América; a origem da palavra pelo que tenho conhecimento é grandes riquezas, fartura, bonança, etc. O Brasil é uma parte da América, desde o seu descobrimento, não tinha na mentalidade os condutores da nação uma bagagem intelectual de controlar as densidades demográficas ao correr dos anos para não chegar a certa citação. Só olhava a parte das riquezas o desenvolvimento controlado pelo outro lado do mundo. Por exemplo os imigrantes ou as imigrações, uma parte vinha fugida do ócio e as explorações dos países do outro lado. Aumentando no decorrer dos séculos as populações, precisando de desenvolvimento; vindo o capital de fora, mas ainda com o interesse de sugar as riquezas nacionais, a parte humana, ficou de lado. Para os brasileiros de formação cristã, nunca é tarde a começar, não com choques nem com guerras, nem a curto prazo e com um plano de sabedoria. Por exemplo: O apóstolo Paulo descreve na 1ª carta aos Coríntios no Capítulo 12, fazendo uma analogia com os membros do corpo, para edificar a Igreja. Assim eu também através do corpo apresento a analogia para edificar uma nação, não com os membros, mas com o aparelho circulatório do sangue. Do pensamento “A SEMENTE PARA UM GIGANTE”. O apóstolo Paulo não diferencia os membros em maior que outros, assim é o símbolo da democracia. Através do aparelho circulatório um glóbulo por sensível que seja não pode ser diferente do outro. É bom que todo o brasileiro saiba em uma opção ideológica para uma nova democracia. Selecionar, discernir para uma fusão do sistema político, com critérios e ponderações, para grandes conclusões e maiores soluções. Já disse edificar o homem, ao desenvolvimento sócio econômico, a Paz entre o governo e os governados, a prioridade de levar a termo os objetivos do homem, quase sempre distorcidos, fora de outras tantas lutas, e causas, mas a prioridades pelas quais formos criados. Levar em conta os critérios para as metas da missão de cada um, na luta pela sobrevivência, de cair em si o “Eu Cristão Democrático” e dar conta a cada um de seus atos e responsabilidades. Tudo o que gira em torno do homem para ele e com ele e dele. Neste sentido que sonhamos com a integridade e fundir ou seja, aderir ao sistema democrático verdadeiro que foi criado, nação, sociedade, economia, nestas 4
  5. 5. revanches é que se forma o plasma da democracia, para que ela seja um substantivo concreto porque é pessoa; sangue de brasilidade, cristão porque é portador do espírito de Deus, na estampa da figura humana. As duas reportagens do “Eu Cristão Eleitor”, e candidato, democrático fortifica os pensamentos para as soluções que todos esperam dar de si o Eu Cristão não precisa medo da cruz, basta lutar em massa com critério de paz e de amor, esperança e fé, para alcançar os objetivos almejados em questão não mais filmar nos museus de caveiras ocas do passado. Não precisa viver essas experiências, com exceção aos heróis, esperar esta vez os frutos doces e catequizando para o futuro. Conhecer a semente para um Gigante plantar e cultivar e muito simples, isto é remédio e solução. Veja como cultivar e edificar o Brasil, pelo sistema democrático puro, nós somos de terra, não de macacos, somos o corpo deixemo-nos cultivar com o brilho e a luz da verdade. Cada um tem o denominador Eu Cristão, isto é, o principal fator que possuímos dentro de nós, temos o mapa para estudar um desenho para seguir um retrato para ver, um símbolo para respeitar um concreto de substantivo para acreditar. Eu, um sistema natural como diz o filósofo Baruk Spinosa antes de morrer: “A democracia deve ser tirada do natural, natureza de Deus para entender”. O aparelho circulatório do sangue isto que devíamos analisar cientificamente, como edificar o corpo e transpor ou transportá-lo para a ciência política. Como o Apóstolo Paulo, apresentou os membros para dar a conhecer como funciona a Igreja. Deve ser estudado porque o modo de conduzir uma nação através da democracia, cada um brasileiro é uma pessoa que a compôs. Igual o sangue que trabalha dentro dos vasos sangüíneos , que é denominado glóbulo, pode ver são dois partidos apenas, os vermelhos e os brancos dentro de uma ordem pacífica e perfeita. Agora vamos analisar quando um cidadão da um voto. Ele esta dando, todo o seu trabalho que são três impostos, municipais, estaduais e federais, ainda a chave do cofre e a espada. A ciência humana não pode ser magoada, eles sabem separar os germes do sangue que impede o crescimento ou sustentação do corpo. A ciência política ainda está na era da pedra. Nas minhas locuções políticas convidava os estudantes do município a aderir aos pensamentos para garantir os seus futuros do Município do Estado e da Nação. Agora que o jovem pode votar não é partido que pode salvar mas sim uma ideologia, num partido que apoie o sistema a Semente Para Um Gigante. Eu dizia aos jovens, vocês que são embriões que estão ao seio da mãe para viver para ela que é a mãe Pátria, a terra, que é a Segunda mãe que dá as nossas vidas e preciso amá-la, a democracia está dentro de vocês e é para vocês mas com vocês e de vocês. Vocês são sementes, devemos criar idéias próprias para uma pacificação e o desenvolvimento a favor da humanidade de toda a Pátria. Quando Deus criou o homem é o engenho perfeito de corpo e alma, matéria e espírito o poder da massa encefálica, o cérebro. Isto é uma antena ligada permanentemente ao autor do engenho que é Deus, para um alinhamento e uma determinação na medida do esforço de cada um, com matérias específicas que é a felicidade que todos buscam inconsoláveis e nem sempre são encontradas; É uma função inigualável, atuante e envolvente nas nossas forças, com qualidades volúveis de captar e transmitir mensagens de reger a espécie com firmeza a exemplo dos profetas. E depois o Cristo Jesus o maior desafio da História humana um só elemento da espécie, um modelo, abrangente e fascinante com poder de autoridades e no mesmo tempo com humildade inteligente e coragem. Todas essas virtudes deixou para aquele que quer buscá-las, fora disso as buscas são o caos. O sistema Democrático Cristão derrubou impérios, reinos e ditaduras; o passado nos contou. Se não respeitar-mos este símbolo que está aqui, e agora , dentro de nós, o sangue com seus aparelhos que é a democracia perfeita e pura. Atenção: Não se pode usar o nome da democracia ou seja em nome dela se não interpretarmos “A Semente para um Gigante”. Por isso devemos enumerar-nos e aderir ao Eu Cristão Democrático e modelar uma sociedade que seja pacífica principalmente a classe trabalhadora que é as suas mãos que edifica, e os regentes com poderes administrativos e econômicos que analisem o equilíbrio desta sociedade que busca melhoras num encontro de pulsação que não seja desigual, uns com a energia e a força e outros com a sabedoria e inteligência. Um exemplo perfeito formando o plasma recebendo as pulsações normais para a nossa edificação e darmos vigor a essa nossa mãe pátria e ela que nos dá o seu aconchego, o calor, o pão de cada dia o prazer da vida, a felicidade a paz, e fica em 5
  6. 6. seu seio a minha mensagem. Sempre se puder, aprender mais, e ter menos a ensinar. Página 3 Página 4 Página 5 SEMENTE PARA UM GIGANTE ARTEMIRO BÓSIO INTRODUÇÃO “Contemplando teu vulto sagrado , compreendemos o nosso dever , e o Brasil, por seus filhos, amado, poderoso e feliz há de ser”. Olavo Bilac. Ó Bandeira! Fitar os olhos em ti, num pulsar de c oração, faz-nos lembrar e sentir nas veias o passar do sangue, as lutas de nossos heróis e faz-nos chorar. Mas, o voltar esses olhos aos horizontes, faz-nos sorrir, ao contemplarmos as matas verdejantes, mostrando o vigor que nos orgulha; apontamos e dizemos: Página 6 - Veja! Onde estão as nossas vidas? Mantendo os olhos sobre esses mares silvestres, nos mais longínquos horizontes que os ligam ao céu, vemos o pôr- do-sol num fosco amarelado que a terra liga ao céu. O seu esplendor e reflexo cegam as nossas vistas. E faz-nos baixar a cabeça como se fôssemos réus perante o Criador. Ali imaginamos nas lindas cores, aquilo que as representa em nosso emblema. 6
  7. 7. E, num esfregar de olhos para recuperar a lucidez, tornam-se em ouro as letras quando lemos: “Ordem e Progresso”. E de súbito meditamos sobre os cérebros iluminados que conferem os melhores atos e as melhores obras. E ai erguemos a cabeça, com a visão clara, desta vez contemplando o céu azul. Neste céu vemos cintilar as estrelas que representam os nossos Página 7 Estados. E, entre eles, outras que brilham como pérolas e diamantes –é um símbolo mais significativo: como o Cruzeiro do Sul. Então se nos irradia na alma, através das altas esferas do infinito, um sentimento de dever, dever como o que tem as raízes de penetrar na terra em busca de humus para trazer a seiva, engrandecer a árvore, e dar bons frutos. Assim, lembrando sempre esse Brasil gigante e cheio de tradições, buscando com as sementinhas das palavras edificá-las em obras e trazer um convívio de harmonia pacífica que é a beleza de viver o cumprimento do dever, dever social, dever cristão e dever cívico. Página 8 Página 9 Página 10 CAPÍTULO I UM RETRATO E O SENTIDO FIGURADO DA DEMOCRACIA O SANGUE: os Municípios AS VEIAS: os Estados 7
  8. 8. O CORAÇÃO: o Governo Federal Esse retrato deve ser meditado, analisado e interpretado: O organismo do homem comparado com a organização política de uma nação! Não se deve entretanto, discutir de onde e para que veio o homem, mas para onde vai; da mesma forma que para um país é mais importante discutir o seu futuro que o seu passado. O homem “material” é um engenho de perfeição inigualável, guiado pela sua massa encefálica, que é o aparelho receptor, Página 11 processador e transmissor das informações necessárias ao funcionamento dos demais aparelhos e órgãos. O autor desse engrenho é Deus. Isso tudo será melhor compreendido no decorrer dos tempos. Por ora, convém analisar esse retrato comparativo entre o corpo humano e uma nação. Constata-se então que ambos são formados por células com funções específicas. E isso é que iremos chamar de “Sistema Funcional Democrático”. Como observados, o sangue é o responsável pelo desenvolvimento e é representado pelos municípios; as veias e vasos representam os Estados e ligam-se ao coração, que representa o Governo Central. O coração é o órgão principal; pulsa e dá vida a todo esse organismo. Página 12 A sanidade desse “corpo político” deve ser mantida com a destruição do germes, virus e outros elementos nocivos ao sistema. E, como no corpo humano, em que cada pequena célula age no sentido de não permitir que um mal se instale, também numa nação, cada pessoa tem sua responsabilidade, no sentido de não permitir que através desses elementos as funções dos órgãos sejam prejudicados. Ao mesmo tempo, as ações benéficas ao corpo social devem ser estimuladas e apoiadas, como ocorre no corpo humano. Assim, os representantes do povo devem trabalhar para o bem-estar de todos, procurando melhorar a vida de todos, possibilitando uma boa alimentação, habitação, saúde, educação, vestuário e lazer. Página 13 Isso pode ocorrer nos três níveis de poderes, que detêm autoridade para redistribuir, de maneira justa, a parte que cabe a cada célula pelo vigor corpo como um todo. Página 14 PERCEPÇÃO No ano de 1974 a 1975, época em que foi tirada a foto desta ilustração, eu era tomado pela depressão em função da opressão. Esta está sempre nos envolvendo, assumindo a nossa condição humana natural. O visual externo, o nada. Inclinando-me ao sobrenatural, o interno. Reverenciando o autor do engenho humano, o maior invento sobre a terra, sinto-me na obrigação, pelos meus conhecimentos que me foram dados, de fazer algo para resgatar os demais engenhos, os intelectos. Página 15 8
  9. 9. Página 16 CAPÍTULO II PERCEPÇÃO DE ESPÍRITO E ESTUDOS Alguns fatores levam-nos a pensar seriamente sobre mandatários e regimes: o amor à Pátria e o bem-estar de nossos filhos e gerações futuras. Pela estreita janelinha pela qual um cidadão comum pode enxergar, procura-se no horizonte uma solução, ao menos para mostrar que no coração se tem pelos menos uma partícula de amor. A percepção de espírito de cada um e a ajuda de grandes pensadores como Kant e Spinoza podem colocar um pouco de luz sobre as inquietações de muita gente. Kant diz que o espírito é o órgão indispensável para a percepção Página 17 do diálogo. A função do espírito e da filosofia é descobrir as variedades do diálogo. A ética recomenda unificá-los junto ao caráter e à conduta. A ética da política é, portanto, unificar os indivíduos em Estados. A semente para um gigante seria a fusão de Estado, qualificando os indivíduos de forma a abranger políticas cívicas, cristãs e sociais. Quando ela é cívica, não deixa de ser social e cristã, e vice-versa. Praticar uma, não implica em dispensar outra. Nem um ateu tem a dispensa de cumpri-las porque deve ser patriota. A semente para um gigante quer mostrar o lado positivo no sentido democrático, não para resolver definitivamente, mas para remediar, porque os problemas políticos, sociais Página 18 e econômicos já existiam antes de Platão e continuam até nossos dias. Despertando através de Cristo, formamos a fusão do Estado e chegaremos a uma solução para os problemas. Fazemos referência à Introdução deste livro: Erguemos a cabeça a contemplar o céu estrelado onde vemos o Cruzeiro do Sul, que está representado em nossa bandeira. Este é o maior sinal de sustentação de uma nação. O Brasil de Vera Cruz sente o que quer dizer essa Cruz, se não, é a ideologia de seguir o Cristo Jesus. O homem que deu origem do estandarte desta cruz apontou o céu para um exemplo de civilização. O Brasil tem tudo para entrar nessa experiência Página 19 de moldar um exemplo para o chamado primeiro mundo. Digo isso porque os povos, para cultivar em sua civilização, entram em contradição. Entre os povos primitivos, por exemplo, o metal ouro era a principal riqueza, mas este “homem do lenho da Cruz” descartou tudo isso em troca da espiritualidade e da sabedoria de Deus. Na referência à Oração à Bandeira (na introdução) ao “pôr-do-sol”, vemos um fosco amarelado que da terra se liga ao céu; nós temos ali, em nossa Bandeira o amarelado entre o verde e o azul do céu. E, porque não interpretar essas cores como sendo a riqueza da espiritualidade do homem a quem Deus, 9
  10. 10. em seu plano criador, deus o projeto de vida para gerar a plena Página 20 e única riqueza do amarelo que liga ao céu para a eternidade? O homem deve se deixar, de que a busca da riqueza só desta parte terrena não se realiza. Na evolução dos tempos, como disse o filósofo Kant, a função do espírito é a filosofia, e descobrir as variedades de diálogo que subsistem. Dialogar traz a semente para um gigante, que jazendo (sic) em meio à terra e, de um modo simples necessitando de explicações para viver a democracia. Página 21 Página 22 CAPÍTULO III O CÉREBRO No ano de 1672, o filósofo Baruk Spinoza dizia: “A democracia é a forma mais razoável dos sistemas de governo”. Meditamos pois, quanto a forma o ideal democrático tem: derrubou reinos, impérios e ditaduras, depois disso nada mais ficou daquela tese de adestrar cavalos e cavaleiros para marchar sobre as cabeças dos povos. Isso poderá voltar a ocorrer, se não se encontrar uma fórmula de conscientizar o brasileiro de que a democracia está presente no interior de cada um. Spinoza disse ainda: “a democracia deve se basear na ordem natural e na ordem moral: antes e depois Página 23 das sociedades organizadas”. Em relação a ordem natural, antes das sociedades organizadas, apresento 10
  11. 11. dois itens como representativos da democracia: 1º o cérebro antes da sociedade organizada, 2º o aparelho circulatório depois da sociedade organizada. O cérebro é inigualável, por ter a capacidade de ser o receptor e transmissor das mensagens do seu autor, que é Deus. Exemplos daqueles que o utilizaram integralmente para a pregação divina: os profetas Isaías, Daniel e Moisés; e depois o próprio Jesus Cristo. Para chegar a esse ponto, todavia, é necessário observar o manual do autor (Deus). Isso feito, o caminho é correto, desde que haja diálogo entre os indivíduos, o que acaba de formar politicamente um Estado. Página 24 Página 25 Página 26 CAPÍTULO IV O APARELHO CIRCULATÓRIO Esse item vem demonstrar, como diz Spinoza, que antes da sociedade organizada a democracia é o próprio homem. É um fato natural que o homem venha formar a democracia, e não o governo, que já é a conseqüência. O que acaba por mandar são os requisitos qualitativos em conjunto, para formar o regime. Igual estrutura que ocorre no cristianismo, em que o regime é a própria Igreja. Para simplificar os órgãos e suas funções poderiam ser exemplificadas por letras: “A” seria o coração, representando os órgãos federais (Presidência da República e Ministérios, Câmara e Senado, Supremo Tribunal). 11
  12. 12. Página 27 “B” seriam os vasos sangüíneos, representando os órgãos estaduais, em seus três poderes. Finalmente “C” seria o sangue, representando os municípios, suas administrações e seu povo. Sempre em harmonia com o cérebro, a pulsação do coração, através dos movimentos de sístole e diástole, faz com que toda essa estrutura funcione. O movimento de “A” para “B” (e vice-versa) faz com que cada “ser” se coloque diante de si as leis que regem a democracia, os seus atos, seu trabalho; e sua inteligência faz funcionar o regime da época, a democracia. Para que o leitor receba a luz do entendimento, a analogia que se faz nos tópicos anteriores é bastante simplificada; lá se faz menção à Página 28 movimentação demonstrativa a respeito da pulsação, que movimenta o sangue, glóbulos vermelhos e brancos em que nos representamos para nos explicarmos e, ao mesmo tempo, vem a movimentação para o desenvolvimento de uma nação. A letra “C”, que somos nós, os municípios que movem com seus deveres e direitos, que é a verdadeira democracia, que tecem a malha administrativa, com células e fibras, não para nós governarmos, mas para nos representarmos e todos sabem disso. 1: Sistema: o voto, 2: Pela nossa participação, nos impostos, e 3: Pela produção, interna e externa que são divisas que se podem qualificar de vigor. O “B”, representa vasos e veias que são órgãos estaduais ou sistema de Página 29 controle dos setores da nação, para possibilitar a administração: é o elo que liga os municípios. O vai-e-vem com a letra “A”, que representa o órgão federal, na perfeita harmonia de um pulsar como o coração que está dentro de nós, com os mesmos efeitos de um vigor eterno, é o direito que cabe a cada cidadão. Por exemplo: um médico especialista neste campo circulatório pode refletir e testemunhar a eficácia da analogia transportada à execução da democracia. Página 30 Página 31 12
  13. 13. Página 32 CAPITULO V O QUE É A DEMOCRACIA Em geral, o indivíduo luta primeiro para seu próprio bem-estar e depois para o bem comum. Cada um toma sobre si as responsabilidades e procura conhecer como se deve comparar para gozar com justiça de todas as liberdades que são de certa forma restritas, como dentro de um conduto como as veias. Mas o que é democracia? É um órgão instituído de fiéis (ou de homens fiéis) com suas leis que regem o funcionamento do próprio órgão. Um exemplo está dentro do próprio homem, o aparelho circulatório do sangue. Assim como o corpo humano, na sociedade também a democracia pro Página 33 duz, com harmonia e ordem, o efeito almejado de justiça e segurança para todas as camadas sociais. Democracia: a palavra democracia, em si, é um substantivo concreto pela consistência luminosa do seu símbolo, o aparelho circulatório do sangue que está dentro de nós. A exemplo de uma criança, desde seu nascimento tratada com amor, com todos os requisitos que um pai e uma mãe sabem proporcionar. O seu crescimento acontece pelo Sistema Orgânico, principalmente pelo Aparelho Circulatório do Sangue. E por que chamamos de Nação? Porque nasceu. Depois que é adulto, passa pela educação; se o ambiente lhe der oportunidade, adquire os sentimentos patrióticos, conscientes, pois a terra em que nasce é a segunda Página 34 mãe; é um filho adotivo, mas legítimo, porque é a terra que o alimenta. Ela tem a obrigação sagrada de amar o seu torrão, o seu pedaço de território em que nasceu tornando-se um pedestal que porta a palavra e é um sustentáculo dado pelo maior político já existente entre os homens, Jesus Cristo. A democracia pura deve ser cultivada dentro de uma analogia espiritual 13
  14. 14. vindo do Cristo e a humana, pelo modo do seu crescimento individual e coletivo, até chegar a forma de Nação. Também pelo seu meio de administrá-la. Não adianta, por interesse próprio, comentar que não se deve misturar a ética política com filosofia da Igreja. O Criador da humanidade, a seu tempo, sempre foi presente no sentido da paz e do bem, Página 35 através do sistema cérebro e espírito; espírito de origem o mistério que não veio de nós. Cérebro e espírito são uma demonstração da grandeza da sua criação para direcionar as espécies e viver na terra. A base é seu povo, à medida de condições de comportamento e merecimento geram felicidade. Ninguém sabe a dimensão dessa palavra, e quanto custa para aquinhoá-la. Por isso os povos precisam acordar e se preparar para tê-la. A política é o caminho. A pesquisa para essa matéria se fundamenta em homens sábios. Se cito o homem Jesus Cristo é porque ele tem duas condições: uma divina e outra humana. Por isso outro homem seja qualquer for o seu poder, tem que se inclinar, porque temos que pôr Página 36 em conta os mistérios humanos e sua história. Embora possamos não acreditar, Jesus é político e rei de toda a espécie humana atuante em toda hora pelo espírito da Trindade. Ele vai julgar todos os políticos que se sobrepõem ao povo. Eles também serão chamados a prestar contas. Como disse anteriormente, devemos pôr atenção na história e nos mistérios humanos para descobrir que Jesus Cristo o único que mostrou ao mundo que a Palavra se fez carne, e nos foi transmitida, e por ela consolidou Ele, toda as coisas de bem, como a Igreja. Um exemplo do corpo, através de seu Espírito foi-nos dados pelo apóstolo Paulo na primeira Carta aos Coríntios, capítulo 12. Jesus, a cabeça e o povo da Igreja, os membros; e mencionou-se que um não é maior que Página 37 outro. Assim é a democracia das três dimensões. Sangue, veias e o coração. Um não é maior que outro. Temos a mesma função de edificar a Pátria; assim se deve o maior respeito e consideração às lideranças que assumem a responsabilidade para dirigir ou governar na grande organização democrática. A função da Igreja é preparar o povo a crer. É a fé na conquista da estabilidade social, pela ação política que se dá à corporação o vigor do homem e o grande desenvolvimento a toda espécie de cultura e o bem-estar comum, e uma paz duradoura entre os homens. Ao se chegar a entender que Deus é um substantivo concreto, entender- se-á porque a democracia já o é: porque em si é o homem. A democracia começou em Página 38 Atenas, na Grécia, em 1503 AC com Clístenes e Sólon, são 2500 anos de caminhada a procurar meios ou regimes para administrá-la. Na era de então, Sólon tinha três divisões da sociedade: o nobre, o médio e a plebe (os pobres). Quando Sólon morreu sucedeu o seu filho. Este, em vez que governar, deu-se à orgia. Clístenes preparou um golpe e o derrubou, começando seu modo democrático de governar. Mas, até hoje, nenhum país conseguiu trilhar verdadeiramente a democracia para todos. Spinoza (1632 a 1677) optava pela democracia, mas tinha que ser aos moldes da natureza. Não pôde escrever sobre 14
  15. 15. o seu modo de ser, porque a morte o tolheu. Como ateu, negando a Deus, foi excomungado pela Igreja. Página 39 Foi impedido de publicar escritos em que diziam que Deus era matéria. Por falta de fé, não teve a graça de analisar os mistérios humanos. Tinha, porém, sentimento de um direcionamento positivo patriótico. No Brasil, quase todos os batizados acreditam em uma força maior, porque não conseguem viver seriamente à altura do interesse de todos. Eu não precisaria buscar testemunhas concretas, alongando-me nos escritos; mas, muitos não sabem deduzir ou analisar a importância que tem a função do sangue sobre o corpo humano. É só transportar a analogia à forma política democrática, e pronto. Se cada um deduz a seu modo, difícil é chegar ao que o povo almeja. Vejam jornais e revis Página 40 tas mostrando que no Brasil diminuem as estruturas morais e econômicas, e chamando à colaboração o povo, para que se organize, que se mova. Aí está a semente para um gigante “Brasil”; o direcionamento para melhorar. Só que é preciso imprensa sadia, em primeiro lugar, e o povo apoiando a analogia. Quantas idéias, pensamentos mirabolantes (de cabeças ocas que não levam a lugar nenhum) são badalados! Por exemplo, o Plebiscito. Não adianta mudar o Regime, seja Monarquia ou Parlamentarismo ou mesmo Presidencialismo. O povo não deve criar colesterol na cúpula ou no coração, na esfera governamental através do voto, formamos Câmara Federal e Senado. Estas devem fazer a mudança, ou melhor, a cirurgia do coração que não pulsa no normal democrático. Agora observando os vasos sangüíneos dos Página 41 Estados para os Municípios: por essa organização com maior autonomia aos municípios, podem se aumentar os quilômetros quadrados do Brasil, quando pessoas de Norte a Sul, Leste a Oeste, competentes, honestas e sinceras que usarem a verdade, e só a verdade. É o que pode conservar o Brasil. É esse “homem-pedestal”, que porta a palavra, em fusão de matéria e espírito, como disse Pedro um homem igual a nós, de carne e osso, um Baluarte da Igreja. Assim também Jesus mesmo nos deu as maiores e mais preciosas promessas a fim de que por Elas nos tornemos participantes da natureza divina, fugindo da corrupção e da concupiscência que há no mundo (2ª epístola de São Pedro, 1-4). Democracia consiste em resumo, em edificar o homem em Página 42 todas as dimensões para as quais foi criado. Página 43 15
  16. 16. Página 44 CONCLUSÃO Devem-se conscientizar as pessoas de que não só o Governo é responsável por uma Nação, mas cada um de nós tem sua parcela de responsabilidade na condução dos destinos da Pátria. QUEM TEM BOCA QUE OUÇA QUEM OUVIDO QUE FALE QUEM TEM PERNAS QUE PENSE QUEM CABEÇA QUE ANDE QUEM TEM MÃOS QUE VEJA QUEM TEM OLHOS QUE PONHA MÃOS À OBRA. Usar a ética é pegar as bagagens dos sábios, juntá-la ao caráter e à conduta, unir os indivíduos e semear a semente para este gigante Brasil desmantelar Página 45 as trilhas daqueles círculos viciosos, para não ter que andar sob as máscaras de uma Pseudo-Democracia. Com muita responsabilidade e rigor, encarando o lado certo e defendendo-o onde estivermos, com qualquer profissão que exerçamos em um só devotamento, formamos coordenação de atos e valores, com diálogos e ações. Essa é a mensagem a todos aqueles que têm a obrigação de trilhar os caminhos de uma Democracia verdadeira. Página 46 Página 47 BIOGRAFIA Nascido em 18 de março de 1928, de uma família vinda do Rio Grande do Sul, em uma Vila chamada Concórdia (quando ainda era sertão) pertencente ao município de Joaçaba, Santa Catarina. Pai: José Bósio e a mãe Maria Pancotto Bósio; sou o 5º (quinto) filho de uma prole de 10. No lugar, 5 quilômetros distante da vila, a família recém-estabelecida permaneceu 6 meses, sem se comunicar com as outras pessoas que não fossem os da casa. Na ocasião da mudança, até a mãe carregou uma roda de carroça nas costas. 16
  17. 17. Assim se criaram os 10 filhos, trabalhando sobre a fertilidade da terra, onde mais tarde se formou uma comuni Página 48 dade chamada Guarani que fundou uma escola onde conheci as primeiras letras. Feito o primário, o meu objetivo era sair para continuar os estudos, mas as escolas, em sua maioria, eram particulares, havendo ainda o problema da distância. Meu pai, que sabia apenas assinar seu nome e fazer algumas contas, havia me proporcionado muito. Pensou ainda nos outros filhos; ou todos estudariam ou nenhum. Continuamos trabalhando a terra, produzindo muito, com muito pouco retorno; eu percebia que podia ser diferente, mas o que fazer? Era um menino forte, mas logo cedo minha professora notou deficiência visual; meu pai procurou oculista, tomei remédios e injeções, não notando Página 49 melhora. Uma doutora, vinda da Alemanha, diagnosticou miopia, receitando-me óculos e resolvendo parte do problema, mas a medicação em excesso atingiu- me os rins. A solução, na época, seria um transplante. Resultado: não pude mais trabalhar na lavoura. Tinha agora que pensar em algo para ganhar a vida. Pedi a Deus que me poupasse a vida; em troca iria dizer fazer algo de bom para o crescimento de seu reino. Fui para a cidade grande. Aprendi a profissão de barbeiro; o salão em que atuava foi minha faculdade: tive contato com pessoas de todos os níveis culturais, lia jornais, revistas, ouvia rádio. Adquiri gosto pela leitura, conhecendo a idéia de grandes filósofos. Mudei-me para o Paraná à procura de novo campo de trabalho. Página 50 Casei-me com Nair Gallon e tivemos 8 filhos, sendo um de criação. Quando nasceu meu quarto filho, estava cursando a 7ª série. Não sendo possível prosseguir os estudos, parei por ali, mas não perdi o interesse pelos livros. Então procurei repassar os estudos aos filhos; eles colaboraram. Hoje são todos formados: dois se tornaram padres; eu, lutando no comércio, sem êxito, como outros milhares de pessoas, não por serem paradas, mas por o sistema social e político ser inadequado para o tempo presente. Página 51 BIBLIOGRAFIA Para uma nova partida, me inspirei para escrever SEMENTE PARA UM GIGANTE: 1º- Baseado na vida, observando desde criança o comportamento das crianças na escola. Eu chamava sua atenção dizendo que quando crescessem como homens com tais comportamento iriam sofrer; cresci, mergulhei no mundo dos homens; então me senti perdido: trabalhar para viver e, no mesmo tempo, combater as mentiras, opressões e explorações, fazer afronta ao que, a 17
  18. 18. meu ver, não era direito. 2º- As leituras de livros da história da filosofia, vida e idéias dos grandes filósofos, tirados do original norte americano Will Durant, tradução de Página 52 Godofredo Rangel e Monteiro de Lobato, da 11ª edição, 1962, Companhia Editora Nacional. Não tendo tempo para leitura, fui resumindo nos tópicos de Baruk Spinoza e Emanuel Kant. 3ª- História Universal, gráfica da Revista dos Tribunais para a Livraria Martins Editora, 1962. Inspirei-me também nas crônicas de Raquel de Queiroz, da qual guardei o seguinte: “Não adianta livros e livros, bibliotecas e quartos cheios de livros, se não guardamos os textos no coração”. Lembrei-me de Jesus Cristo que atingia direto o coração com suas palavras, passadas ao papel pelos receptores. O apóstolo Paulo, aos Coríntios, na primeira Carta, capítulo 12-A: Grande orga Página 53 nização da Igreja da qual Jesus Cristo é a cabeça; nós somos os membros. Isto que me tocou muito: a base da organização. Na democracia, nós somos o sangue, os glóbulos vermelhos ou brancos, o plasma da Comunidade Municipal que gera a energia e o sustentáculo da Nação. E ainda, o que me tocou mais, o Hino à Bandeira, que está no começo do livro como introdução, juntamente com a oração de minha autoria: Ó Bandeira – versos de Olavo Bilac. O livro SEMENTE PARA UM GIGANTE é pequeno, mas traduz esta vontade ferrenha de deixar marcadas frase por frase uma semente lançada na terra que por si só cresceu e se transformou numa árvore e sua sombra está ali. Aquele que ama o mundo, sabe que este impulso não veio de mim: só doei as minha mãos, e o coração. Página 54 Página 55 SEJA UM MISSIONÁRIO DA PATRIA A analogia que se apresenta neste conteúdo é inspirada por Deus. Se você quer ser um povo feliz, ajude-nos a divulgar SEMENTE PARA UM GIGANTE, um modo simples e positivo para entender a Democracia. ARTEMIRO BÓSIO (IN MEMORIUM) Capitão Leônidas Marques-PR Página 56 Página 57 HOMENAGEM 18
  19. 19. Quero prestar uma homenagem a minha professora Rosa Giordani Bósio, natural de Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Lecionou por trinta anos na Linha Guarani, Município de Concórdia, Santa Catarina. Fui um dos primeiros alunos, quando da fundação da escola local e ela a primeira professora. Fundamos o Clube Agrícola, eu como Presidente, também um dos primeiros no Estado de Santa Catarina, em escola isolada; lá está a marca de um civismo imposto pela ordem vigente. Ela faleceu com 86 anos no dia 27 de abril de 1993. Os meus sinceros agradecimentos por ter recebido de minha professora os quilates de Brasileiro, embora de origem italiana. Artemiro Bósio – natural de Linha Guarani, Concórdia, Santa Catarina. Página 58 OPINIÃO DE UM MÉDICO Ao analisarmos sua obra, notamos interessante relação entre o corpo humano e o sentido da Democracia, representando o funcionamento do indivíduo analogamente ao Sistema Administrativo atual, em que todos têm seu papel importante, desde as células até o coração, interagindo cada um com suas funções e com um comando superior, o cérebro, que deveria ser o desejo popular dominante, a reger todos os outros órgãos e organizações. Foto ass. de um médico Página 59 Página 60 19

×