Métodos educativos

1.593 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Métodos educativos

  1. 1. Métodos educativos Trabalho realizado por: Lorredana Pereira Mécia Barata Rafael Eça Sara Santos
  2. 2. Introdução: • Neste trabalho iremos falar na importância dos métodos educativos usados nos dias de hoje, e como podem contribuir para o crescimento das crianças de forma a mostrar-lhes de uma forma interativa e criativa bons valores. Aqui poderemos também ver as diferenças face aos tempos dos nossos pais.
  3. 3. Métodos educativos • O que são ? Os métodos são determinados pela relação objetivo- conteúdo. Referem-se aos meios para alcançar objetivos gerais e específicos do ensino, ao “como”do processo de ensino, englobando ações a serem realizadas pelo professor e pelos alunos.
  4. 4. Papel das escolas • Exibir os programas comerciais, que poderiam ser vistos pelos pequenos em casa e sozinhos, não é papel das instituições de Educação Infantil. • Têm como função antes de mais nada, propor atividades que acrescentem informações variadas às crianças. Por isso, a TV deve servir para passar filmes que não estejam ao alcance da maioria e ser uma ferramenta de aprendizagem.
  5. 5. Porque usar a TV para estimular as crianças • A ideia é usar a TV a favor da educação, aproveitando a programação educativa para estimular a aprendizagem e o pensamento crítico desde cedo. "A TV faz parte do quotidiano de todas as pessoas. E as crianças devem ser ensinadas a consumir criticamente a midia“
  6. 6. Aspetos para ter um programa de qualidade • Para aproveitar o instrumento como parceiro na creche ou na pré-escola, o educador precisa garantir que aquela programação faça parte da proposta pedagógica. Aspetos a considerar na escolha do programa: -o filme exibido às crianças é de qualidade? -Que mediação será feita para que os pontos de interesse sejam bem explorados? -O tempo de exibição para atingir os resultados esperados está apropriado ou exagerado? -Qual o efeito educativo daquela atividade? E seu objetivo?
  7. 7. Cinco características essenciais de um programa adequado: • É preciso ser divertido e atraente • Técnica criativa ou inovação na linguagem prendem a atenção • O ritmo deve ser adequado à faixa etária • Mostrar valores positivos (solidariedade, resolução de conflitos, partilha, respeito, negociação…) • Temas contextualizados, com consequências de atos.
  8. 8. Tom and Jerry  Apesar de ser um programa bastante antigo os telespetadores ainda assistem ao programa na expectativa de saber se um dia o gato vai apanhar o rato e é nisso que tem piada. As situações são extremamente engraçadas por causa da esperteza de Jerry, que sempre passa o palerma do Tom para trás. Mas apesar disso, nem sempre eles se odeiam, e às vezes acabam por se ajudar um ao outro. Essa relação de amor e ódio é o mais interessante de tudo e acaba por agradar muita gente.
  9. 9.  As músicas deste programa são alegres dando animação para quem está a ver, estas são bem escolhidas para as trapalhices de Tom e para a esperteza de Jerry.  Em Portugal o Tom e Jerry começaram a dar mais tarde, a qualidade era fraca mas com as novas tecnologias começaram a melhorar e hoje já é possível ver em boa qualidade.
  10. 10. Ponto Negativo:  Assim como a maioria das séries animadas geradas nas décadas: 1920, 1930, 1940, 1950, e 1960, Tom & Jerry não é considerado politicamente correto. Foram pelo menos acusados de possuir cenas racistas, como quando ocorre uma explosão ou algum líquido que cai no rosto de um personagem ficando este negro, terminando por ser interpretado por algumas pessoas como racismo. Em 2006 Tom e Jerry recebeu uma forte crítica do governo da Inglaterra, por ter sido exibido um episódio em que Tom fuma dentro de uma limousine. O governo inglês achou inaceitável a exibição daquela cena.
  11. 11. Rua Sésamo  É uma versão portuguesa do programa infantil de televisão americano Sesame Street, produzido e transmitido pela RTP entre 1989 e 1996.
  12. 12.  Pretendia-se ensinar as matérias mais básicas da escola de uma forma divertida e apelativa para as crianças. Ao mesmo tempo, existiam rubricas sobre os usos e costumes dos portugueses.  As músicas e as respetivas letras eram feitas consoante o tema do episódio, motivando as crianças a aprender.  A imagem dos episódios era fraca, pois antigamente ainda não havia grande qualidade e mesmo o som era fraco.
  13. 13. Ponto Positivo:  A Rua Sésamo ensina a alimentação, esta ação pretende incentivar os mais novos a comer melhor, de modo a prevenir doenças cardiovasculares. Além da vertente alimentar, esta nova abordagem da Rua Sésamo apela, também, à prática do exercício físico, passando, aos mais novos, mensagens educativas acerca do funcionamento do corpo.
  14. 14. Carrinha Mágica  Esta série de animação que se destina a crianças entre os cinco e os dez anos tem por objetivo levar a ciência às crianças de uma forma acessível à sua compreensão, usando para isso algum humor e muito divertimento.  Este programa não tem muitas músicas mas as que foram feitas, eram consoante o tema do episódio, motivando as crianças a aprender.  Este programa como é mais recente, a qualidade é boa.
  15. 15. Bairro do Panda  Este programa está destinado às crianças do pré-escolar, este concilia o entretenimento com a aprendizagem de conceitos e temáticas consideradas fundamentais para a faixa etária dos 0 aos 7-8 anos.  Este é um programa com muita música, de maneira a que as crianças ao verem e ouvirem e quase automaticamente sabem a letra e com isso aprendem com uma maior facilidade.  O programa é recente e com a evolução das tecnologias, a qualidade de imagem é muito melhor que aos programas dos anos 60.
  16. 16. Conclusão • Com este trabalho podemos concluir que os programas de TV ajudam muito naquilo que é o desenvolvimento da criança , ajudando a perceber alguns valores de uma forma lúdica e simples. Percebemos que da mesma forma que a sociedade evoluiu, também as tecnologias e os programas televisivos para crianças se alteraram. Resta saber se essa evolução respeita os valores que devem ser passados às crianças e se este agente socializador trabalha em parceria com os restantes, nomeadamente, a família e a escola ou, ao invés, destrói aquilo que aqueles constroem.
  17. 17. Fim Boas Férias!

×