Em  Português nos entendemos! Acordo Ortográfico de 1990
Protagonistas da História da Língua Portuguesa: <ul><li>Tribos pré-romanas </li></ul><ul><li>Romanos </li></ul><ul><li>Ger...
Galaico-Português
História da Língua Portuguesa <ul><li>Séc. XIV – galaico-português </li></ul><ul><li>Séc. XVI – português  </li></ul><ul><...
História da Língua Portuguesa <ul><li>Português arcaico </li></ul><ul><li>Português clássico  (a partir da 2.ª metade do s...
Fixação da ortografia <ul><li>A ortografia pode ser: </li></ul><ul><li>fonética </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>eti...
Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>Até ao princípio do séc. XX – pluralidade de grafias: </li></ul><ul><li>Séc. XIII-...
Ortografia da Língua Portuguesa
Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>Até 1911  </li></ul><ul><li>etimologia como supremo princípio ortográfico </li></u...
Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>1931 – proposta de acordo por parte da    Academia Brasileira de Letras </li></ul>...
Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>“ Acordo Ortográfico de 1945” </li></ul><ul><li>acordo em vigor em Portugal até ao...
Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>1971 (Brasil)  e 1973 (Portugal) </li></ul><ul><li>Supressão do acento gráfico em ...
Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>“ Acordo Ortográfico de 1990” </li></ul><ul><li>Acordo lavrado em Lisboa em 1990, ...
Acordo Ortográfico de 1990 <ul><li>Período de transição (aceitam-se as duas grafias – 1945 e 1990): </li></ul><ul><li>1 de...
Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 <ul><li>“ É uma lista de 21 (XXI) bases ortográficas, onde se discrimina o...
Base I <ul><li>O alfabeto da língua portuguesa tem 26 letras, nas quais se incluem “ k ”, “ w ” e “ y ”. </li></ul><ul><li...
Base II -  h   inicial e final <ul><li>H  inicial </li></ul><ul><li>emprega-se: </li></ul><ul><li>por etimologia     home...
<ul><li>H  inicial </li></ul><ul><li>Mantém-se quando: </li></ul><ul><li>Numa palavra composta, o h do 2.º elemento se lig...
<ul><li>ch / x     a ch ar, pu x ar </li></ul><ul><li>g / j     al g ibeira, su j eito </li></ul><ul><li>s – ss – c – ç ...
<ul><li>cc / cç / ct / pc (interiores) </li></ul><ul><li>Conservam-se quando: </li></ul><ul><li>proferidos nas pronúncias ...
<ul><li>Conservam-se ou eliminam-se  facultativamente quando se proferem numa pronúncia culta (geral ou restritamente), ou...
Base IV  – das sequências consonânticas <ul><li>Quando nas sequências  mpc ,  mpç  e  mpt  se eliminar o  p , o  m  passa ...
Base IV  – das sequências consonânticas <ul><li>Nas sequências  b d  /  b t  /  g d  /  m n  /  t m , as consoantes sublin...
Base V  – das vogais átonas <ul><li>O emprego do e  e  do  i , do  o  e do  u  regula-se pela etimologia: </li></ul><ul><l...
<ul><li>Base VI  – das vogais nasais </li></ul><ul><li>ã     em fim de palavra e antes de hífen (manhã, Grã- </li></ul><u...
Base VIII  – da acentuação das palavras agudas <ul><li>Com  acento agudo : </li></ul><ul><li>Palavras terminadas em  a ,  ...
Base VIII  – da acentuação das palavras agudas <ul><li>Com  acento circunflexo : </li></ul><ul><li>Palavras terminadas em ...
Base IX  – da acentuação das palavras graves <ul><li>Regra geral, não são acentuadas, exceto: </li></ul><ul><li>Quando ter...
Base IX  – da acentuação das palavras graves <ul><li>Não se acentuam os ditongos  ei  e  oi  da sílaba tónica: </li></ul><...
Base IX  – da acentuação das palavras graves <ul><li>Acentuam-se facultativamente as formas verbais  </li></ul><ul><li>Rec...
Base IX  – da acentuação das palavras graves <ul><li>ATENÇÃO – não têm acento: </li></ul><ul><li>a vogal fechada e antes d...
Base X  – da acentuação  i  e  u  tónicos das palavras agudas e graves, depois de vogal <ul><li>Palavras agudas: </li></ul...
Base XI  – da acentuação das palavras esdrúxulas <ul><li>Todas as palavras esdrúxulas são acentuadas graficamente: </li></...
Base XIII  – da supressão dos acentos em palavras derivadas <ul><li>Suprimem-se os acentos nas palavras com o sufixo -ment...
Base XIV – do trema  <ul><li>O trema (¨) é inteiramente suprimido em palavras portuguesas ou aportuguesadas. </li></ul><ul...
Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><li>Sem hífen: </li></ul><ul><li>girassol, madressilva, pontapé, paraquedas ... </li><...
Bases XV, XVI e XVII  – do hífen <ul><li>Com hífen, os compostos iniciados por  bem  e  mal  (mas,  mal  aglutina-se muita...
Bases XV, XVI e XVII  – do hífen <ul><li>Sem hífen, nas locuções (=conj. de palavras com o valor de uma só) de qualquer ti...
Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><li>Com os prefixos </li></ul><ul><li>Só se usa hífen quando: </li></ul><ul><ul><li>O ...
Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><ul><li>O prefixo termina na mesma vogal com que se inicia o 2.º elemento </li></ul></...
Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><ul><li>Com os prefixos  ex- ,  vice-  e  vizo- </li></ul></ul><ul><ul><li>ex-almirant...
Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><ul><li>Quando o prefixo  termina em vogal  e o 2.º elemento começa por  vogal diferen...
Base XVIII – do apóstrofo <ul><li>Usa-se para separar graficamente uma contração: </li></ul><ul><li>d’Os Lusíadas, n’Os Lu...
Base XIX – das minúsculas e maiúsculas <ul><li>A minúscula inicial é usada: </li></ul><ul><li>Em todos os vocábulos da lín...
Base XIX – das minúsculas e maiúsculas <ul><li>A maiúscula inicial é usada: </li></ul><ul><li>nos nomes próprios, reais ou...
Base XX – da divisão silábica <ul><li>São indivisíveis os dígrafos  gu  e  qu : </li></ul><ul><li>ne- gu ei, pe- qu ei,  q...
Base XX – da divisão silábica <ul><li>São indivisíveis no interior de palavra as sucessões de duas consoantes  bl ,  br , ...
Base XXI – das assinaturas e firmas <ul><li>Mantém-se a grafia original de firmas comerciais, nomes de sociedades, marcas ...
Fontes <ul><li>Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990) </li></ul><ul><li>DGIDC (webinar) </li></ul><ul><li>www.port...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Acordo Ortográfico

1.483 visualizações

Publicada em

Workshop sobre o Acordo Ortográfico realizado em Julho de 2011 por Luísa Figueirdo.

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.483
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acordo Ortográfico

  1. 1. Em Português nos entendemos! Acordo Ortográfico de 1990
  2. 2. Protagonistas da História da Língua Portuguesa: <ul><li>Tribos pré-romanas </li></ul><ul><li>Romanos </li></ul><ul><li>Germanos </li></ul><ul><li>Árabes </li></ul><ul><li>Portugueses </li></ul>
  3. 3. Galaico-Português
  4. 4. História da Língua Portuguesa <ul><li>Séc. XIV – galaico-português </li></ul><ul><li>Séc. XVI – português </li></ul><ul><li>1540 – Gramática de João de Barros </li></ul>
  5. 5. História da Língua Portuguesa <ul><li>Português arcaico </li></ul><ul><li>Português clássico (a partir da 2.ª metade do séc. XVI) </li></ul><ul><li>Português moderno (a partir do final do séc. XVIII) </li></ul>
  6. 6. Fixação da ortografia <ul><li>A ortografia pode ser: </li></ul><ul><li>fonética </li></ul><ul><li>ou </li></ul><ul><li>etimológica </li></ul><ul><li>A ortografia portuguesa adota </li></ul><ul><li>o meio-termo. </li></ul>
  7. 7. Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>Até ao princípio do séc. XX – pluralidade de grafias: </li></ul><ul><li>Séc. XIII-XVI – ortografia fonética </li></ul><ul><li>Séc XVI (2.ª metade)-séc. XIX (início) – ortografia etimológica </li></ul>
  8. 8. Ortografia da Língua Portuguesa
  9. 9. Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>Até 1911 </li></ul><ul><li>etimologia como supremo princípio ortográfico </li></ul><ul><li>“ Reforma Ortográfica de 1911” (1.ª oficial) </li></ul><ul><li>profunda, retorno parcial à ortografia fonética </li></ul>
  10. 10. Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>1931 – proposta de acordo por parte da Academia Brasileira de Letras </li></ul><ul><li>1943 – convenção ortográfica Portugal- </li></ul><ul><li> -Brasil </li></ul><ul><li>1945 – “Acordo Ortográfico de 1945” </li></ul>
  11. 11. Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>“ Acordo Ortográfico de 1945” </li></ul><ul><li>acordo em vigor em Portugal até ao presente </li></ul><ul><li>* </li></ul><ul><li>nunca foi aplicado no Brasil </li></ul><ul><li>(apesar de aprovado pela Acad. Brasileira de Letras) </li></ul>
  12. 12. Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>1971 (Brasil) e 1973 (Portugal) </li></ul><ul><li>Supressão do acento gráfico em palavras com sufixo -mente e palavras com sufixo iniciado em -z : </li></ul><ul><li>sòmente  somente </li></ul><ul><li>sòzinho  sozinho </li></ul>
  13. 13. Ortografia da Língua Portuguesa <ul><li>“ Acordo Ortográfico de 1990” </li></ul><ul><li>Acordo lavrado em Lisboa em 1990, assinado por: </li></ul><ul><li>Promulgado em Portugal em 21 de junho de 2008. </li></ul>Angola Brasil Cabo Verde Guiné-Bissau Moçambique Portugal São Tomé e Príncipe Timor-Leste (2004)
  14. 14. Acordo Ortográfico de 1990 <ul><li>Período de transição (aceitam-se as duas grafias – 1945 e 1990): </li></ul><ul><li>1 de janeiro de 2009 a maio de 2014 </li></ul><ul><li>No sistema de ensino português: </li></ul><ul><li>a partir de 1 de setembro de 2011 </li></ul>
  15. 15. Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 <ul><li>“ É uma lista de 21 (XXI) bases ortográficas, onde se discrimina o novo alfabeto da língua portuguesa e as características da nova ortografia, com exemplos.” (anexo I) </li></ul>
  16. 16. Base I <ul><li>O alfabeto da língua portuguesa tem 26 letras, nas quais se incluem “ k ”, “ w ” e “ y ”. </li></ul><ul><li>(abreviaturas e palavras de </li></ul><ul><li>origem estrangeira e suas derivadas) </li></ul>
  17. 17. Base II - h inicial e final <ul><li>H inicial </li></ul><ul><li>emprega-se: </li></ul><ul><li>por etimologia  homem, humor, haver </li></ul><ul><li>por adoção convencional  hã?, hem? </li></ul><ul><li>suprime-se quando: </li></ul><ul><li>a supressão está consagrada pelo uso  erva (de herva. Cf. herbário, herbáceo) </li></ul><ul><li>por via da composição, passa a interior  desumano, inábil, desarmonia </li></ul>
  18. 18. <ul><li>H inicial </li></ul><ul><li>Mantém-se quando: </li></ul><ul><li>Numa palavra composta, o h do 2.º elemento se liga ao 1.º por hífen  pré-história, anti- </li></ul><ul><li>-higiénico, sobre-humano </li></ul><ul><li>H final </li></ul><ul><li>Emprega-se em interjeições  oh!, ah! </li></ul>Base II  h inicial e final
  19. 19. <ul><li>ch / x  a ch ar, pu x ar </li></ul><ul><li>g / j  al g ibeira, su j eito </li></ul><ul><li>s – ss – c – ç – x  ân s ia, a sse io, c ereal, dan ç ar, má x imo </li></ul><ul><li>s – x – z (interiores)  e s cusar, e x tensão, capa z mente </li></ul><ul><li>s – x – z (finais)  aliá s , Garcê s , Brá s , Féli x , de z </li></ul><ul><li>s – x – z (sonoras)  anali s ar, e x emplo, ine x orável, bali z a, Gali z a </li></ul>Base III – da homofonia de grafemas consonânticos
  20. 20. <ul><li>cc / cç / ct / pc (interiores) </li></ul><ul><li>Conservam-se quando: </li></ul><ul><li>proferidos nas pronúncias cultas da língua  fri c c ionar, convi c ç ão, compa c t o, nú p c ias </li></ul><ul><li>Eliminam-se quando: </li></ul><ul><li>são invariavelmente mudos nas pronúncias cultas da língua  a c ionar, a ç ão, obje ç ão, cole ç ão, afe t ivo, a t a, ato, dire t or, exa t o, ado ç ão, Egi t o, ó t imo </li></ul>Base IV – das sequências consonânticas AO
  21. 21. <ul><li>Conservam-se ou eliminam-se facultativamente quando se proferem numa pronúncia culta (geral ou restritamente), ou quando oscilam entre a prolação e o emudecimento: </li></ul>Base IV – das sequências consonânticas AO aspecto cacto caracteres dicção facto sector ceptro concepção corrupto recepção aspeto cato carateres dição fato setor cetro conceção corruto receção
  22. 22. Base IV – das sequências consonânticas <ul><li>Quando nas sequências mpc , mpç e mpt se eliminar o p , o m passa a n : </li></ul>AO peremptório sumptuoso sumptuosidade perentório suntuoso suntuosidade
  23. 23. Base IV – das sequências consonânticas <ul><li>Nas sequências b d / b t / g d / m n / t m , as consoantes sublinhadas conservam-se ou eliminam--se facultativamente quando se proferem numa pronúncia culta (geral ou restritamente), ou quando oscilam entre a prolação e o emudecimento: </li></ul>súbdito subtil amígdala amnistia indemne indemnizar omnipotente omnisciente aritmética
  24. 24. Base V – das vogais átonas <ul><li>O emprego do e e do i , do o e do u regula-se pela etimologia: </li></ul><ul><li>am e aça lin e ar lim i ar lamp i ão camon i ano </li></ul><ul><li>g o ela nód o a emb u tir </li></ul><ul><li>Sistematizando : </li></ul><ul><li>e  antes da sílaba tónica ( ald e o la, bal e al ) </li></ul><ul><li> subst. e adjet. derivados dos subst. em </li></ul><ul><li>-elo e -eia ( cad e a do, cand e ei ro ) </li></ul><ul><li>o  em final de palavras de origem latina terminadas em u ( trib o , mot o ) </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Base VI – das vogais nasais </li></ul><ul><li>ã  em fim de palavra e antes de hífen (manhã, Grã- </li></ul><ul><li>-Bretanha) </li></ul><ul><li>em / im / om / um  em fim de palavra ( n , se seguido de s ): bem, flaut im , t om , zunz um (pl.: be n s, flauti n s, to n s, zunzu n s ) </li></ul><ul><li>Base VII – dos ditongos </li></ul><ul><li>Orais (vogal e semi-vogal i ou u )  c ai xote, g oi vo, cac au , d eu </li></ul><ul><li>Nasais (vogal com til e semi-vogal; vogal seguida de consoante nasal m )  sab ão , opini õe s, am am , B en fica </li></ul>
  26. 26. Base VIII – da acentuação das palavras agudas <ul><li>Com acento agudo : </li></ul><ul><li>Palavras terminadas em a , e e o abertas (e no plural) </li></ul><ul><li>est á – est á s </li></ul><ul><li>pontap é – pontap é s </li></ul><ul><li>palet ó – palet ó s </li></ul><ul><li>Palavras terminadas em ditongo nasal –em (e plural) </li></ul><ul><li>det ém – det én s </li></ul><ul><li>entret ém – entret én s </li></ul><ul><li>por ém </li></ul><ul><li>tamb ém </li></ul>
  27. 27. Base VIII – da acentuação das palavras agudas <ul><li>Com acento circunflexo : </li></ul><ul><li>Palavras terminadas em e e o fechados (e plural) </li></ul><ul><ul><li>dê – dês </li></ul></ul><ul><ul><li>você – vocês </li></ul></ul><ul><ul><li>robô – robôs </li></ul></ul><ul><ul><li>pôs (v. pôr) </li></ul></ul><ul><li>Não se acentuam as palavras homógrafas (=som diferente, escrita igual): </li></ul>AO cor (amarelo, azul) colher (talher) Exceção  pôr (verbo) cor (da expressão “de cor”) colher (verbo)
  28. 28. Base IX – da acentuação das palavras graves <ul><li>Regra geral, não são acentuadas, exceto: </li></ul><ul><li>Quando terminam em l , r , x e ps </li></ul><ul><li>Quando terminam em ã , ão , ei(s) , i(s) , um (uns) , us </li></ul><ul><li>órfã(s) acórdão(s) amáveis cantaríeis júri oásis álbum fóruns vírus </li></ul>dócil fóssil amável éden açúcar cadáver caráter ( pl. carateres) córtex índex tórax bíceps fórceps
  29. 29. Base IX – da acentuação das palavras graves <ul><li>Não se acentuam os ditongos ei e oi da sílaba tónica: </li></ul><ul><li>boleia </li></ul><ul><li>aldeia </li></ul><ul><li>ideia </li></ul><ul><li>Azoia </li></ul><ul><li>boina </li></ul><ul><li>comboio </li></ul><ul><li>heroico </li></ul><ul><li>jiboia </li></ul><ul><li>paranoico </li></ul>AO
  30. 30. Base IX – da acentuação das palavras graves <ul><li>Acentuam-se facultativamente as formas verbais </li></ul><ul><li>Recebem acento circunflexo </li></ul><ul><ul><li>As formas verbais têm e vêm e derivadas advêm , abstêm , contêm , convêm , detêm , mantêm (tecnicamente, são palavras graves) </li></ul></ul><ul><ul><li>Obrigatoriamente – pôde (para distinguir de pode , presente) </li></ul></ul>AO presente do indicativo amamos louvamos pretérito perfeito do indicativo am á mos louv á mos
  31. 31. Base IX – da acentuação das palavras graves <ul><li>ATENÇÃO – não têm acento: </li></ul><ul><li>a vogal fechada e antes da terminação -em, na 3.ª pessoa plural presente indicativo e conjuntivo </li></ul><ul><li>creem deem descreem leem preveem veem </li></ul><ul><li>Palavras homógrafas </li></ul>AO para (verbo parar) pela (verbo pelar) pelo (substantivo) para (preposição) pela (substantivo) pelo (por + o)
  32. 32. Base X – da acentuação i e u tónicos das palavras agudas e graves, depois de vogal <ul><li>Palavras agudas: </li></ul><ul><li>país aí atraí Luís baú </li></ul><ul><li>Palavras graves: </li></ul><ul><li>baía juízes sanduíche graúdo miúdo </li></ul><ul><li>Não se acentuam o i e o u antes de nh , l , m , n , r e z : </li></ul><ul><li>moinho rainha juiz raiz Raul triunfo </li></ul>
  33. 33. Base XI – da acentuação das palavras esdrúxulas <ul><li>Todas as palavras esdrúxulas são acentuadas graficamente: </li></ul><ul><li>árabe músico lírio nódoa Islândia fêmea </li></ul><ul><li>Base XII – do emprego do acento grave </li></ul><ul><li>Na contração da preposição a com artigos e pronomes (a+a=à): </li></ul><ul><li>à às àquilo àquela àqueles </li></ul>
  34. 34. Base XIII – da supressão dos acentos em palavras derivadas <ul><li>Suprimem-se os acentos nas palavras com o sufixo -mente: </li></ul><ul><li>Habilmente avidamente portuguesmente </li></ul><ul><li>Suprimem-se os acentos nas palavras com sufixos iniciados em -z: </li></ul><ul><li>avozinho bençãozinha bebezito mazinha </li></ul>
  35. 35. Base XIV – do trema <ul><li>O trema (¨) é inteiramente suprimido em palavras portuguesas ou aportuguesadas. </li></ul><ul><li>Bases XV, XVI e XVII – do hífen </li></ul><ul><li>Emprega-se o hífen nas palavras compostas por justaposição: </li></ul>ano-luz arco-íris decreto-lei és-sueste turma-piloto amor-prefeito norte-americano azul-escuro luso-brasileiro segunda-feira guarda-chuva primeiro-ministro
  36. 36. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><li>Sem hífen: </li></ul><ul><li>girassol, madressilva, pontapé, paraquedas ... </li></ul><ul><li>Sem hífen: </li></ul><ul><li>América do Sul, Cabo Verde, Freixo de Espada à Cinta, Belo Horizonte (exceção: Guiné-Bissau) </li></ul><ul><li>Com hífen – espécies botânicas e zoológicas: </li></ul><ul><li>abóbora-menina, couve-flor, bem-me-quer (mas, malmequer), erva-doce, feijão-verde, formiga-branca, andorinha-do-mar </li></ul><ul><li>Com hífen, os topónimos iniciados por grã(o) , por verbo ou ligados por artigo : </li></ul><ul><li>Grã-Bretanha Quebra-Costas Trás-os-Montes </li></ul>AO
  37. 37. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><li>Com hífen, os compostos iniciados por bem e mal (mas, mal aglutina-se muitas vezes com palavras iniciadas por consoante): </li></ul><ul><li>bem-aventurado, bem-estar, mal-estar, bem-humorado, mal-humorado, mal-afortunado, bem- </li></ul><ul><li>-criado ( mas malcriado) , bem-falante ( mas malfalante) , bem-nascido ( mas malnascido) , bem- </li></ul><ul><li>-visto ( mas malvisto) </li></ul><ul><li>Com hífen, os compostos iniciados por além , aquém , recém e sem : </li></ul><ul><li>além-mar, aquém-Pirinéus, recém-nascido, sem-número, sem-abrigo, sem-vergonha </li></ul>
  38. 38. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><li>Sem hífen, nas locuções (=conj. de palavras com o valor de uma só) de qualquer tipo: </li></ul><ul><li>Hífen na ligação ocasional de palavras, formando encadeamentos vocabulares: </li></ul><ul><li>Liberdade-Igualdade-Faternidade (divisa) </li></ul><ul><li>Lisboa-Coimbra-Porto (percurso) </li></ul><ul><li>Áustria-Hungria (combinações históricas) </li></ul>AO cão de guarda fim de semana sala de jantar cor de vinho cor de laranja cor de café com leite ele próprio nós mesmos quem quer que seja à parte à vontade de mais depois de amanhã abaixo de acerca de por baixo de quanto a afim de que
  39. 39. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><li>Com os prefixos </li></ul><ul><li>Só se usa hífen quando: </li></ul><ul><ul><li>O 2.º elemento começa por h </li></ul></ul><ul><ul><li>anti-higiénico, extra-humano, pré-história, neo-helénico, </li></ul></ul><ul><ul><li>( exceção : prefixos des- e in- , com perda do h inicial do 2.º elemento – desumano , inábil ...) </li></ul></ul>AO ante anti circum co contra entre extra hiper infra intra pós pré pró sobre sub super supra ultra aero agro arqui auto hio electro geo hidro inter macro maxi micro mini multi neo pan pluri proto pseudo retro semi tele
  40. 40. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><ul><li>O prefixo termina na mesma vogal com que se inicia o 2.º elemento </li></ul></ul><ul><ul><li>anti-ibérico, contra-almirante, auto-observação, micro-onda </li></ul></ul><ul><ul><li>( exceção : prefixo co- , mesmo quando o 2.º elemento começa por o – coordenar, cooperação, coobrigação ...) </li></ul></ul><ul><ul><li>Com os prefixos circum- e pan- , quando o 2.º elemento começa por vogal , m ou n (além do h ) </li></ul></ul><ul><ul><li>circum-escolar, circum-navegação, pan-africano </li></ul></ul><ul><ul><li>Com os prefixos hiper- , inter- e super- , quando o 2.º elemento começa por r </li></ul></ul><ul><ul><li>hiper-requintado, inter-resistente, super-revista </li></ul></ul>AO
  41. 41. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><ul><li>Com os prefixos ex- , vice- e vizo- </li></ul></ul><ul><ul><li>ex-almirante, ex-presidente, vice-reitor, vizo-rei </li></ul></ul><ul><ul><li>Com os prefixos tónicos e acentuados pós- , pré- e pró- , quando o 2.º elemento tem vida à parte </li></ul></ul><ul><ul><li>pós-graduação, pré-escolar, pré-natal ( mas prever) , </li></ul></ul><ul><ul><li>pró-africano, pró-europeu ( mas promover) </li></ul></ul><ul><li>Não se emprega hífen </li></ul><ul><ul><li>Quando o prefixo termina em vogal e o 2.º elemento começa por r ou s (duplicando-se estas consoantes) </li></ul></ul><ul><ul><li>minissaia, semirreta, contrassenha, antirreligioso, </li></ul></ul><ul><ul><li>antissemita, ecossistema, cosseno, extrarregular </li></ul></ul>AO
  42. 42. Bases XV, XVI e XVII – do hífen <ul><ul><li>Quando o prefixo termina em vogal e o 2.º elemento começa por vogal diferente </li></ul></ul><ul><ul><li>antiaéreo, extraescolar, autoestrada, autoaprendizagem, plurianual, coeducação, aeroespacial, hidroelétrico </li></ul></ul><ul><ul><li>Suprime-se o hífen nas ligações da preposição de ao presente do indicativo do verbo haver </li></ul></ul><ul><ul><li>hei de, hás de, há de (havemos de, havéis de), hão de </li></ul></ul>AO
  43. 43. Base XVIII – do apóstrofo <ul><li>Usa-se para separar graficamente uma contração: </li></ul><ul><li>d’Os Lusíadas, n’Os Lusíadas </li></ul><ul><li>d’Ele, n’Aquela, m’O </li></ul><ul><li>Sant’Ana, Sant’Iago </li></ul><ul><li>Nun’Álvares </li></ul><ul><li>estrela-d’alva, galinha-d’água, pau-d’arco </li></ul>
  44. 44. Base XIX – das minúsculas e maiúsculas <ul><li>A minúscula inicial é usada: </li></ul><ul><li>Em todos os vocábulos da língua nos usos correntes </li></ul><ul><li>Nos nomes dos: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>dias – terça-feira, sábado </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>meses – janeiro, dezembro </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>estações do ano – outono, primavera </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>pontos cardeais – sudoeste (exceto abreviaturas – SW ) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>domínios do saber, cursos, disciplinas (mas, opcionalmente com maiúscula) – matemática ( Matemática ) </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>fulano, sicrano, beltrano </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>senhor, senhor doutor, bacharel (mas, opcionalmente com maiúscula) – senhor doutor João Silva (Senhor Doutor João Silva) </li></ul></ul></ul></ul></ul>AO
  45. 45. Base XIX – das minúsculas e maiúsculas <ul><li>A maiúscula inicial é usada: </li></ul><ul><li>nos nomes próprios, reais ou fictícios – Pedro Dias, Branca de Neve </li></ul><ul><li>topónimos – Lisboa, Portugal </li></ul><ul><li>seres mitológicos – Adamastor, Vénus </li></ul><ul><li>instituições – Instituto Superior de Economia </li></ul><ul><li>festividades – Natal, Páscoa, Ramadão, Todos os Santos </li></ul><ul><li>títulos de periódicos – Expresso, Público </li></ul><ul><li>pontos cardeais referentes a regiões – Nordeste (brasileiro) </li></ul><ul><li>siglas – NATO, ONU, PGR </li></ul><ul><li>abreviaturas – Sr., V. Exa. </li></ul><ul><li>opcionalmente, em locais públicos – rua da Liberdade (Rua da Liberdade) </li></ul>AO
  46. 46. Base XX – da divisão silábica <ul><li>São indivisíveis os dígrafos gu e qu : </li></ul><ul><li>ne- gu ei, pe- qu ei, qu ais- qu er, á- gu a, lon-gín- qu os </li></ul><ul><li>Na translineação de uma palavra composta em que há um hífen, se a partição coincide com o final de um dos elementos, repete-se o hífen no início da linha imediata: </li></ul><ul><li>vice - almirante </li></ul><ul><li>_________________________________________________ vice - </li></ul><ul><li>- almirante ____________________________________________ </li></ul>
  47. 47. Base XX – da divisão silábica <ul><li>São indivisíveis no interior de palavra as sucessões de duas consoantes bl , br , pl , pr , cl , cr , gl , gr , tl , tr , dr , tr , fl , fr , vr : </li></ul><ul><li>ce-le- br ar, de- gl u-ti-ção, de- cr e-to </li></ul><ul><li>São divisíveis no interior da palavra as sucessões de duas consoantes que não constituem grupos: </li></ul><ul><li>a d - j e-ti-vo, é t - n i-co, flo-re s - c er, e n - x a-me </li></ul><ul><li>São divisíveis mais de duas consoantes em sucessão: </li></ul><ul><li>e m - b le-ma, e x - p li-car, in-ter s - t e-lar, sub s - c re-ver </li></ul><ul><li>São divisíveis vogais consecutivas que não sejam ditongos: </li></ul><ul><li>á-r e - a s, fl u - i -dez, a-l a - ú -de, c o - o r-de-nar, d o - e r </li></ul>
  48. 48. Base XXI – das assinaturas e firmas <ul><li>Mantém-se a grafia original de firmas comerciais, nomes de sociedades, marcas e títulos inscritos em registo público. </li></ul><ul><li>Pode manter-se a grafia da assinatura do nome baseada no costume ou registo legal. </li></ul>AO
  49. 49. Fontes <ul><li>Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990) </li></ul><ul><li>DGIDC (webinar) </li></ul><ul><li>www.portaldalinguaportuguesa.org </li></ul><ul><li>Lince – conversor ortográfico </li></ul><ul><li>VOP – vocabulário ortográfico do português </li></ul><ul><li>Ciberdúvidas da Língua Portuguesa </li></ul><ul><li>Cadernos Novo Acordo Ortográfico, 3.º ciclo , Porto Editora </li></ul>Agrupamento de Escolas de Colares Luísa Figueiredo

×