Onde Estão os Botões?
Os desafios das novas interfaces e a
humanização das experiências.
Uma breve história da
interfaces
1946
Mainframes
Cartão Perfurado
Cartão Perfurado
Animação
Terminais
Xerox Alto
1973
1978
Computador Pessoal
1978
Computador Pessoal
I  Lisa
Porque o Alto?
Porque o
Alto?
‣ GUI - Graphical User
Interface (WIMP)
Porque o
Alto?
‣ GUI - Graphical User
Interface (WIMP)
‣ Mouse
Porque o
Alto?
‣ GUI - Graphical User
Interface (WIMP)
‣ Mouse
‣ Configuração clássica
do desktop
Porque o
Alto?
E daí?
Lei de Moore
Lei de Moore
‣ Capacidade de
processamento dobra a
cada 2 anos
486 DX2 (1992)
‣ MS DOS, Windows 3.0
486 DX2 (1992)
‣ MS DOS, Windows 3.0
‣ Pré Internet
486 DX2 (1992)
‣ MS DOS, Windows 3.0
‣ Pré Internet
‣ Top de linha
486 DX2 (1992)
486 DX2
O velho Moore estava certo!
O velho Moore estava certo!
‣ Miniaturização
O velho Moore estava certo!
‣ Miniaturização
‣ Preços caem!
Mais uma evolução
Do paradigma
do desktop...
a mobilidade e
Ubiquidade.
A dissolução dos
computadores
Os 3 Paradigmas da
Computação
Alan Kay, 1988
Os 3 Paradigmas da
Computação
1. Mainframes: um computador, muitas
pessoas.
Alan Kay, 1988
Os 3 Paradigmas da
Computação
1. Mainframes: um computador, muitas
pessoas.
2. PC: um computador por pessoa.
Alan Kay, 1988
Os 3 Paradigmas da
Computação
1. Mainframes: um computador, muitas
pessoas.
2. PC: um computador por pessoa.
3. Computação...
Os 3 Paradigmas da
Computação
1. Mainframes: um computador, muitas
pessoas.
2. PC: um computador por pessoa.
3. Computação...
Uma pessoa, vários
computadores?
Uma pessoa, vários
computadores?
Uma pessoa, vários
computadores?
Computação Ubíqua
Computação Ubíqua
1. O que é um computador? Quebra da ideia
tradicional de computador.
Computação Ubíqua
1. O que é um computador? Quebra da ideia
tradicional de computador.
2. Computadores em todos os lugares.
Computação Ubíqua
1. O que é um computador? Quebra da ideia
tradicional de computador.
2. Computadores em todos os lugares...
Redes de informação e
processamento serão tão
comuns quanto a água e
eletricidade são hoje em dia.
A dissolução das
interfaces
Morte aos botões?
Morte aos botões?
‣ Novos contextos de uso;
Morte aos botões?
‣ Novos contextos de uso;
‣ Minimização ou eliminação da GUI;
Morte aos botões?
‣ Novos contextos de uso;
‣ Minimização ou eliminação da GUI;
‣ Novas formas de interação humano-computa...
Novos contextos de uso
Minimização ou eliminação da GUI
Novas formas de interação
humano-computador
Novas formas de interação
humano-computador
Recontextualizando
Recontextualizando
‣ Máquinas computacionais em toda a parte;
Recontextualizando
‣ Máquinas computacionais em toda a parte;
‣ Ampliação dos contextos de uso;
Recontextualizando
‣ Máquinas computacionais em toda a parte;
‣ Ampliação dos contextos de uso;
‣ Usuários mais exigentes ...
Recontextualizando
‣ Máquinas computacionais em toda a parte;
‣ Ampliação dos contextos de uso;
‣ Usuários mais exigentes ...
Recontextualizando
‣ Máquinas computacionais em toda a parte;
‣ Ampliação dos contextos de uso;
‣ Usuários mais exigentes ...
Quais as consequências
desse cenário?
A Humanização da
Interface
via @chrisfahey
‣ Identificação das pessoas
com seus objetos;
via @chrisfahey
‣ Identificação das pessoas
com seus objetos;
‣ Passamos a tratar os objetos
como se fossem pessoas;
via @chrisfahey
‣ Identificação das pessoas
com seus objetos;
‣ Passamos a tratar os objetos
como se fossem pessoas;
‣ Antropomorfização.
vi...
Pessoas já estão preparadas para isso.
Pessoas já estão preparadas para isso.
E o profissional de user experience?
Antropomorfismo?
‣ Investir qualidades humanas a
objetos ou seres não humanos.
Antropomorfismo?
‣ Investir qualidades humanas a
objetos ou seres não humanos.
Antropomorfismo?
Assim?
‣ Investir qualidades humanas a
objetos ou seres não humanos.
Antropomorfismo?
Assim?
Antropomorfismo?
“...no futuro as máquinas precisarão de emoções
pelos mesmos motivos que as pessoas o precisam:
o sistema ...
Máquinas humanas? Com emoção?
Porque humanizar?
Porque humanizar?
‣ Se o homem tem tendência a humanizar a
máquina, a máquina deve reagir como
humano;
Porque humanizar?
‣ Se o homem tem tendência a humanizar a
máquina, a máquina deve reagir como
humano;
‣ Maior eficácia;
Porque humanizar?
‣ Se o homem tem tendência a humanizar a
máquina, a máquina deve reagir como
humano;
‣ Maior eficácia;
‣ ...
Porque humanizar?
‣ Se o homem tem tendência a humanizar a
máquina, a máquina deve reagir como
humano;
‣ Maior eficácia;
‣ ...
Estranho mundo novo
“A única experiência que você precisa é
experiência de vida.”
Microsoft
Estranho mundo novo
“A única experiência que você precisa é
experiência de vida.”
Microsoft
Será?
Interação afetiva. Computação social.
Personalidade eletrônica. Interface
humana. Multimodalidade de
feedback. Computação ...
Desafios
Desafios
‣ Estudar interação humano-computador no
futuro será como estudar interação social
entre pessoas.
Desafios
‣ Estudar interação humano-computador no
futuro será como estudar interação social
entre pessoas.
‣ Como projetar ...
Desafios
‣ Estudar interação humano-computador no
futuro será como estudar interação social
entre pessoas.
‣ Como projetar ...
Desafios
‣ Estudar interação humano-computador no
futuro será como estudar interação social
entre pessoas.
‣ Como projetar ...
Desafios
‣ Estudar interação humano-computador no
futuro será como estudar interação social
entre pessoas.
‣ Como projetar ...
Perigos
Perigos
‣ Ambientes não controlados. Consequências?
Perigos
‣ Ambientes não controlados. Consequências?
‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas;
Perigos
‣ Ambientes não controlados. Consequências?
‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas;
‣ Uncanny Valley
Perigos
‣ Ambientes não controlados. Consequências?
‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas;
‣ Uncanny Valley ?
Perigos
‣ Ambientes não controlados. Consequências?
‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas;
‣ Uncanny Valley ?
The Uncanny Valley
“O Vale Inquietante”
Positivo
Nossaimpressão
Semelhança humana
C3PO
Robô Industrial
Robô Kokoro
Replica...
Algumas sugestões
1. Escolha qual o nível de humanização seu
produto vai ter?
Algumas sugestões
‣ Algumas funções humanas
1. Escolha qual o nível de humanização seu
produto vai ter?
Algumas sugestões
‣ Algumas funções humanas
๏ Voz
1. Escolha qual o nível de humanização seu
produto vai ter?
Algumas sugestões
‣ Algumas funções humanas
๏ Voz
๏ Visão
1. Escolha qual o nível de humanização seu
produto vai ter?
Algumas sugestões
‣ Algumas funções humanas
๏ Voz
๏ Visão
‣ Toda a gama de funções humanas
1. Escolha qual o nível de huma...
Algumas sugestões
‣ Algumas funções humanas
๏ Voz
๏ Visão
‣ Toda a gama de funções humanas
๏ Corpo inteiro (robôs)
1. Esco...
Algumas sugestões
‣ Algumas funções humanas
๏ Voz
๏ Visão
‣ Toda a gama de funções humanas
๏ Corpo inteiro (robôs)
๏ Todos...
Algumas sugestões
2. Sempre que possível utilizar multimodalidade
de feedback.
Algumas sugestões
‣ Voz;
2. Sempre que possível utilizar multimodalidade
de feedback.
Algumas sugestões
‣ Voz;
‣ Sons;
2. Sempre que possível utilizar multimodalidade
de feedback.
Algumas sugestões
‣ Voz;
‣ Sons;
‣ Vibração;
2. Sempre que possível utilizar multimodalidade
de feedback.
Algumas sugestões
‣ Voz;
‣ Sons;
‣ Vibração;
‣ Luz;
2. Sempre que possível utilizar multimodalidade
de feedback.
Algumas sugestões
‣ Voz;
‣ Sons;
‣ Vibração;
‣ Luz;
‣ Cor;
2. Sempre que possível utilizar multimodalidade
de feedback.
Algumas sugestões
‣ Voz;
‣ Sons;
‣ Vibração;
‣ Luz;
‣ Cor;
‣ Sinais naturais.
2. Sempre que possível utilizar multimodalid...
Algumas sugestões
3. Feedback deve ser pensado em:
Algumas sugestões
‣ Forma;
3. Feedback deve ser pensado em:
Algumas sugestões
‣ Forma;
‣ Conteúdo.
3. Feedback deve ser pensado em:
Vá atrás
๏ Design Emocional, Donald A. Norman
๏ O Design do Futuro, Donald A. Norman
๏ The Media Equation, Clifford Nass
๏...
Agora é com vocês!
Obrigado!
@carlosgustavo
cgustavo1@gmail.com
www.rabiscoframe.com.br
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências
Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências

2.274 visualizações

Publicada em

As relações do homem com a máquina são essencialmente as mesmas a muitos anos. Tal imutabilidade pode ser atribuída à forma como vemos os computadores hoje – um desktop em cima de uma mesa, e também à impessoalidade como os sistemas tratam as pessoas. Porém o paradigma do desktop não será dominante por muito mais tempo. As máquina computacionais estão entrando em diversos ambientes antes nunca explorados. Essa premissa faz novas necessidades em termos de interface virem à tona. Surge a proposta de uma nova visão sobre a criação de interfaces interativas que quebrem essa barreira da impessoalidade propondo a humanização dos sistemas computacionais em benefício da sociedade futura.

Publicada em: Design
1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.274
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
62
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências

  1. 1. Onde Estão os Botões? Os desafios das novas interfaces e a humanização das experiências.
  2. 2. Uma breve história da interfaces
  3. 3. 1946 Mainframes
  4. 4. Cartão Perfurado
  5. 5. Cartão Perfurado Animação
  6. 6. Terminais
  7. 7. Xerox Alto 1973
  8. 8. 1978 Computador Pessoal
  9. 9. 1978 Computador Pessoal I  Lisa
  10. 10. Porque o Alto?
  11. 11. Porque o Alto?
  12. 12. ‣ GUI - Graphical User Interface (WIMP) Porque o Alto?
  13. 13. ‣ GUI - Graphical User Interface (WIMP) ‣ Mouse Porque o Alto?
  14. 14. ‣ GUI - Graphical User Interface (WIMP) ‣ Mouse ‣ Configuração clássica do desktop Porque o Alto?
  15. 15. E daí?
  16. 16. Lei de Moore
  17. 17. Lei de Moore ‣ Capacidade de processamento dobra a cada 2 anos
  18. 18. 486 DX2 (1992)
  19. 19. ‣ MS DOS, Windows 3.0 486 DX2 (1992)
  20. 20. ‣ MS DOS, Windows 3.0 ‣ Pré Internet 486 DX2 (1992)
  21. 21. ‣ MS DOS, Windows 3.0 ‣ Pré Internet ‣ Top de linha 486 DX2 (1992)
  22. 22. 486 DX2
  23. 23. O velho Moore estava certo!
  24. 24. O velho Moore estava certo! ‣ Miniaturização
  25. 25. O velho Moore estava certo! ‣ Miniaturização ‣ Preços caem!
  26. 26. Mais uma evolução
  27. 27. Do paradigma do desktop...
  28. 28. a mobilidade e Ubiquidade.
  29. 29. A dissolução dos computadores
  30. 30. Os 3 Paradigmas da Computação Alan Kay, 1988
  31. 31. Os 3 Paradigmas da Computação 1. Mainframes: um computador, muitas pessoas. Alan Kay, 1988
  32. 32. Os 3 Paradigmas da Computação 1. Mainframes: um computador, muitas pessoas. 2. PC: um computador por pessoa. Alan Kay, 1988
  33. 33. Os 3 Paradigmas da Computação 1. Mainframes: um computador, muitas pessoas. 2. PC: um computador por pessoa. 3. Computação Ubíqua: uma pessoa, vários computadores Alan Kay, 1988
  34. 34. Os 3 Paradigmas da Computação 1. Mainframes: um computador, muitas pessoas. 2. PC: um computador por pessoa. 3. Computação Ubíqua: uma pessoa, vários computadores Alan Kay, 1988 
  35. 35. Uma pessoa, vários computadores?
  36. 36. Uma pessoa, vários computadores?
  37. 37. Uma pessoa, vários computadores?
  38. 38. Computação Ubíqua
  39. 39. Computação Ubíqua 1. O que é um computador? Quebra da ideia tradicional de computador.
  40. 40. Computação Ubíqua 1. O que é um computador? Quebra da ideia tradicional de computador. 2. Computadores em todos os lugares.
  41. 41. Computação Ubíqua 1. O que é um computador? Quebra da ideia tradicional de computador. 2. Computadores em todos os lugares. 3. Integração de processamento de informação na vida das pessoas.
  42. 42. Redes de informação e processamento serão tão comuns quanto a água e eletricidade são hoje em dia.
  43. 43. A dissolução das interfaces
  44. 44. Morte aos botões?
  45. 45. Morte aos botões? ‣ Novos contextos de uso;
  46. 46. Morte aos botões? ‣ Novos contextos de uso; ‣ Minimização ou eliminação da GUI;
  47. 47. Morte aos botões? ‣ Novos contextos de uso; ‣ Minimização ou eliminação da GUI; ‣ Novas formas de interação humano-computador.
  48. 48. Novos contextos de uso
  49. 49. Minimização ou eliminação da GUI
  50. 50. Novas formas de interação humano-computador
  51. 51. Novas formas de interação humano-computador
  52. 52. Recontextualizando
  53. 53. Recontextualizando ‣ Máquinas computacionais em toda a parte;
  54. 54. Recontextualizando ‣ Máquinas computacionais em toda a parte; ‣ Ampliação dos contextos de uso;
  55. 55. Recontextualizando ‣ Máquinas computacionais em toda a parte; ‣ Ampliação dos contextos de uso; ‣ Usuários mais exigentes e novas necessidades;
  56. 56. Recontextualizando ‣ Máquinas computacionais em toda a parte; ‣ Ampliação dos contextos de uso; ‣ Usuários mais exigentes e novas necessidades; ‣ Máquinas inteligentes fazem mais parte da vida rotineira.
  57. 57. Recontextualizando ‣ Máquinas computacionais em toda a parte; ‣ Ampliação dos contextos de uso; ‣ Usuários mais exigentes e novas necessidades; ‣ Máquinas inteligentes fazem mais parte da vida rotineira. 
  58. 58. Quais as consequências desse cenário?
  59. 59. A Humanização da Interface
  60. 60. via @chrisfahey
  61. 61. ‣ Identificação das pessoas com seus objetos; via @chrisfahey
  62. 62. ‣ Identificação das pessoas com seus objetos; ‣ Passamos a tratar os objetos como se fossem pessoas; via @chrisfahey
  63. 63. ‣ Identificação das pessoas com seus objetos; ‣ Passamos a tratar os objetos como se fossem pessoas; ‣ Antropomorfização. via @chrisfahey
  64. 64. Pessoas já estão preparadas para isso.
  65. 65. Pessoas já estão preparadas para isso. E o profissional de user experience?
  66. 66. Antropomorfismo?
  67. 67. ‣ Investir qualidades humanas a objetos ou seres não humanos. Antropomorfismo?
  68. 68. ‣ Investir qualidades humanas a objetos ou seres não humanos. Antropomorfismo? Assim?
  69. 69. ‣ Investir qualidades humanas a objetos ou seres não humanos. Antropomorfismo? Assim?
  70. 70. Antropomorfismo? “...no futuro as máquinas precisarão de emoções pelos mesmos motivos que as pessoas o precisam: o sistema emocional humano desempenha papel essencial na sobrevivência, interação e cooperação social e no aprendizado. (...) À medida que as máquinas se tornam cada vez mais capazes, assumindo muitos de nossos papéis, os projetistas enfrentam a tarefa complexa de decidir de que modo exatamente elas irão interagir umas com as outras e com as pessoas.” Donald Norman
  71. 71. Máquinas humanas? Com emoção?
  72. 72. Porque humanizar?
  73. 73. Porque humanizar? ‣ Se o homem tem tendência a humanizar a máquina, a máquina deve reagir como humano;
  74. 74. Porque humanizar? ‣ Se o homem tem tendência a humanizar a máquina, a máquina deve reagir como humano; ‣ Maior eficácia;
  75. 75. Porque humanizar? ‣ Se o homem tem tendência a humanizar a máquina, a máquina deve reagir como humano; ‣ Maior eficácia; ‣ Maior engajamento;
  76. 76. Porque humanizar? ‣ Se o homem tem tendência a humanizar a máquina, a máquina deve reagir como humano; ‣ Maior eficácia; ‣ Maior engajamento; ‣ Pessoas gostam de ser relacionar com pessoas. Somos seres sociais.
  77. 77. Estranho mundo novo “A única experiência que você precisa é experiência de vida.” Microsoft
  78. 78. Estranho mundo novo “A única experiência que você precisa é experiência de vida.” Microsoft Será?
  79. 79. Interação afetiva. Computação social. Personalidade eletrônica. Interface humana. Multimodalidade de feedback. Computação ubíqua. Computação física. Embodied interaction. Realidade aumentada. Simbiose humano-máquina. Lógica fuzzy. Cognição artificial. Behavior.
  80. 80. Desafios
  81. 81. Desafios ‣ Estudar interação humano-computador no futuro será como estudar interação social entre pessoas.
  82. 82. Desafios ‣ Estudar interação humano-computador no futuro será como estudar interação social entre pessoas. ‣ Como projetar essas novas experiências?
  83. 83. Desafios ‣ Estudar interação humano-computador no futuro será como estudar interação social entre pessoas. ‣ Como projetar essas novas experiências? ‣ Como prever tantos contextos diferentes?
  84. 84. Desafios ‣ Estudar interação humano-computador no futuro será como estudar interação social entre pessoas. ‣ Como projetar essas novas experiências? ‣ Como prever tantos contextos diferentes? ‣ Quais seriam os entregáveis?
  85. 85. Desafios ‣ Estudar interação humano-computador no futuro será como estudar interação social entre pessoas. ‣ Como projetar essas novas experiências? ‣ Como prever tantos contextos diferentes? ‣ Quais seriam os entregáveis? ‣ Existe humanização exagerada?
  86. 86. Perigos
  87. 87. Perigos ‣ Ambientes não controlados. Consequências?
  88. 88. Perigos ‣ Ambientes não controlados. Consequências? ‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas;
  89. 89. Perigos ‣ Ambientes não controlados. Consequências? ‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas; ‣ Uncanny Valley
  90. 90. Perigos ‣ Ambientes não controlados. Consequências? ‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas; ‣ Uncanny Valley ?
  91. 91. Perigos ‣ Ambientes não controlados. Consequências? ‣ Reação das pessoas. Reação das máquinas; ‣ Uncanny Valley ?
  92. 92. The Uncanny Valley “O Vale Inquietante” Positivo Nossaimpressão Semelhança humana C3PO Robô Industrial Robô Kokoro Replicantes (Blade Runner) Negativo
  93. 93. Algumas sugestões 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  94. 94. Algumas sugestões ‣ Algumas funções humanas 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  95. 95. Algumas sugestões ‣ Algumas funções humanas ๏ Voz 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  96. 96. Algumas sugestões ‣ Algumas funções humanas ๏ Voz ๏ Visão 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  97. 97. Algumas sugestões ‣ Algumas funções humanas ๏ Voz ๏ Visão ‣ Toda a gama de funções humanas 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  98. 98. Algumas sugestões ‣ Algumas funções humanas ๏ Voz ๏ Visão ‣ Toda a gama de funções humanas ๏ Corpo inteiro (robôs) 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  99. 99. Algumas sugestões ‣ Algumas funções humanas ๏ Voz ๏ Visão ‣ Toda a gama de funções humanas ๏ Corpo inteiro (robôs) ๏ Todos os sensos? 1. Escolha qual o nível de humanização seu produto vai ter?
  100. 100. Algumas sugestões 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  101. 101. Algumas sugestões ‣ Voz; 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  102. 102. Algumas sugestões ‣ Voz; ‣ Sons; 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  103. 103. Algumas sugestões ‣ Voz; ‣ Sons; ‣ Vibração; 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  104. 104. Algumas sugestões ‣ Voz; ‣ Sons; ‣ Vibração; ‣ Luz; 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  105. 105. Algumas sugestões ‣ Voz; ‣ Sons; ‣ Vibração; ‣ Luz; ‣ Cor; 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  106. 106. Algumas sugestões ‣ Voz; ‣ Sons; ‣ Vibração; ‣ Luz; ‣ Cor; ‣ Sinais naturais. 2. Sempre que possível utilizar multimodalidade de feedback.
  107. 107. Algumas sugestões 3. Feedback deve ser pensado em:
  108. 108. Algumas sugestões ‣ Forma; 3. Feedback deve ser pensado em:
  109. 109. Algumas sugestões ‣ Forma; ‣ Conteúdo. 3. Feedback deve ser pensado em:
  110. 110. Vá atrás ๏ Design Emocional, Donald A. Norman ๏ O Design do Futuro, Donald A. Norman ๏ The Media Equation, Clifford Nass ๏ The Humane Interface, Jef Raskin ๏ The world is not a desktop, Mark Weiser ๏ The Human Interface, Chris Fahey http://vimeo.com/9661208 ๏ Smart things: ubiquitous computing user experience design, Mike Kuniavsky ๏ The computer for the 21st century, Mark Weiser ๏ Cramming more components onto integrated circuits, Gordon E. Moore
  111. 111. Agora é com vocês!
  112. 112. Obrigado! @carlosgustavo cgustavo1@gmail.com www.rabiscoframe.com.br

×