Ag1 Aula2 2008

1.569 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.569
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
413
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Ag1 Aula2 2008

    1. 1. História das agências de notícia Agência Noticiosa 1 Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com)
    2. 2. Antes, alguns lembretes <ul><li>Na primeira aula discutimos como será o curso e os critérios da avaliação. </li></ul><ul><ul><li>8 de abril de 2008 – último dia para entrega da primeira reportagem. Faltam 42 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>15 de abril de 2008 - último dia para entrega da segunda reportagem. Faltam 49 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>22 de abril de 2008 - último dia para entrega da terceira reportagem. Faltam 56 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>29 de abril de 2008 - último dia para entrega da quarta reportagem. Faltam 63 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Prova teórica – 29 de abril . Faltam 63 dias. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trabalho escrito (seminário) – 13 de maio . Faltam 77 dias. </li></ul></ul><ul><li>Os alunos precisam se inscrever na lista de discussão do curso. </li></ul>
    3. 3. Recapitulando... <ul><li>Na aula anterior, estudamos as definições do termo “agência de notícias” e vimos também as diversas formas pelas quais elas são classificadas. </li></ul>
    4. 4. Mercado aquecido, tecnologia disponível <ul><li>O fenômeno das agências de notícias surgiu na primeira metade do século XIX. Ela foi resultado da ampliação da atividade jornalística na Europa, da sofisticação do sistema financeiro e dos desenvolvimentos tecnológicos ocorridos a partir daquele momento nas tecnologias de informação e comunicação. </li></ul>
    5. 5. O caso Nathan Rothschild <ul><li>O desenvolvimento dos mercados financeiros no norte europeu no início do século XIX, além da instabilidade política do continente –em função das guerras napoleônicas–, proporcionou a hegemonia financeira da família de banqueiros judeus de origem alemã Rothschild. </li></ul>
    6. 6. Uma batalha perdida? <ul><li>A fortuna da família Rothschild se consolidou em 1815, na Inglaterra, após a batalha de Waterloo. Waterloo é uma cidade na Bélgica. Lá, o imperador francês Napoleão Bonaparte iria enfrentar os exércitos inglês, prussiano e austríaco. Todos acreditavam que a vitória seria francesa. Por isso, a bolsa de valores de Londres registrou na véspera do confronto uma baixa recorde na cotação das ações. </li></ul>
    7. 7. Pombo-correio <ul><li>Napoleão, porém, foi derrotado. Um oficial britânico, conhecido do especulador financeiro Nathan Rothschild (1777 - 1836), enviou-lhe um pombo-correio no qual informou ao financista o resultado do conflito. </li></ul><ul><li>Imediatamente, ele foi à Bolsa de Valores de Londres e passou a comprar ações de todas as empresas que conseguiu, pois estavam em baixa. </li></ul><ul><li>No dia seguinte, com a notícia da vitória inglesa, o mercado acionário teve uma alta extraordinária e Nathan Rothschild tornou-se um dos homens mais poderosos da Inglaterra. </li></ul>
    8. 8. O telégrafo elétrico <ul><li>Samuel Morse (1791-1872) inventou o telégrafo elétrico em 1837. </li></ul><ul><li>A telegrafia era um sistema bidirecional de comunicação e exigiu pesados investimentos para se difundir e popularizar. Terminou se tornando uma rede mundial de comunicação em tempo real. </li></ul>Samuel Morse
    9. 9. A imprensa e o tempo real <ul><li>Paralelamente ao desenvolvimento do telégrafo nos EUA, o francês Charles Louis Havas (1783-1858) passou a desenvolver em Paris, a partir de 1832, aquilo que depois seria considerada a primeira agência de notícias do mundo, a Havas, que informava seus clientes sobre o mercado financeiro londrino. A empresa atualmente é conhecida pelo nome de France Presse. </li></ul><ul><li>No início, a Havas empregava pombos-correio. A partir de 1849, O empresário passou a usar o telégrafo elétrico. Com isso, o jornalismo entrava na era do tempo real globalizado: um fato ocorrido a centenas ou milhares de quilômetros podia ser notificado na hora. </li></ul>Charles Havas
    10. 10. Por que a Havas investia em informações econômicas? Porque o sistema capitalista já funcionava de modo a valorizar a agilidade de informações e o sucesso de Natan Rothschild mostrou a importância da presteza na prestação do serviço jornalístico.
    11. 11. Por que a agência Havas fazia sucesso? Charles Havas prestava um serviço de qualidade mas, além disso, ele entendeu o potencial produtivo da horizontalização dos negócios (divisão de trabalho) no ramo jornalístico: manter correspondentes internacionais mostrava-se uma operação ao mesmo tempo necessária e custosa para as empresas jornalísticas. O serviço prestado por ele terminou por se tornar atraente para as publicações existentes em Paris.
    12. 12. A agência Associated Press (EUA) A demanda por notícias confiáveis, quentes e a baixo custo também sensibilizou o mercado jornalístico norte-americano e, em 1846, estimulados pelo New York Sun , cinco empresas jornalísticas de Nova York (além do título, o Journal of Commerce , Courier and Enquirer , Herald e Express ) criaram uma cooperativa para cobrir a guerra EUA-México (1846-1848). Em pouco tempo, as publicações começaram a procurar também notícias da Europa e, com veleiros rápidos, iam encontrar navios em alto mar para pegar notícias e enviá-las aos jornais com rapidez.
    13. 13. A agência Reuters O jornalista alemão Israel Beer Josaphat , funcionário de Havas em 1848, inspirou-se no modelo de trabalho de seu patrão para criar uma agência de notícias. Mais uma vez, os pombos-correio foram o recurso inicial. Em 1849, inaugurou-se uma linha telegráfica entre Bruxelas, na Bélgica, e Aachen, uma cidade ao Oeste da Alemanha dominada pelo governo prussiano naquela época.
    14. 14. Bruxelas-Aachen, uma distância de 140 quilômetros
    15. 15. A agência Reuters O que Israel Beer Josaphat fazia era enviar, via pombos-correio, notícias para as demais cidades alemãs, principalmente Berlim. Na ocasião, contudo, a empresa ainda não tinha o nome de Reuters .
    16. 16. Quando a Reuters tornou-se Reuters De olho em oportunidades de negócios, Israel Beer Josaphat mudou-se para Londres e mudou até de nome: Paul Julius Reuter. Lá, ele fundou, em 1851, a Agência de Notícias Reuters, especializada em noticiário econômico e fornecendo informações da Bolsa de Valores de Londres principalmente para a França, tornando-se assim um concorrente de seu ex-patrão, Charles Havas. A agência Reuters, apesar de sua origem alemã, é considerada, para efeitos de história, como britânica.
    17. 17. A cobertura do assassinato de Lincoln A proeza que tornou a agência de notícias Reuters mundialmente respeitada foi a agilidade e excelência na cobertura, em primeira mão, do assassinato do presidente norte-americano Abraham Lincoln, em 1865 .
    18. 18. &quot;A Dispatch from Reuters“ Em 1940, Hollywood filmou “ A dispach from Reuters ”, que narra a história do fundador da agência de notícias. Nela, ele não só é mostrado como herói, como não poderia deixar de ser, como também é apresentado como o inventor do conceito de agência de notícias, o que não é propriamente verdadeiro, como vimos na aula. Ficha técnica do filme: Ano: 1940 Diretor: William Dieterle Ator principal: Edward G. Robinson
    19. 19. Um negócio oligopolizado <ul><li>O negócio das agências de notícias nasceu oligopolizado. De meados até o fim do século XIX, as empresas dividiram o mundo entre si: </li></ul><ul><li>Havas – França, Suíça, Itália, Espanha, Portugal, Egito (com a Reuters), América Central e América do Sul. </li></ul><ul><li>Reuter – Império Britânico, Egito (com a Havas), Turquia e Extremo Oriente. </li></ul><ul><li>Wolf – Áustria, Alemanha, países Baixos, escandinávia, Balcãs e a Rússia. </li></ul><ul><li>Associated Press – EUA. </li></ul>
    20. 20. O “Versalhes” do jornalismo <ul><li>Os interesses de governo influíam tanto no trabalho das agências de notícias européias que o Tratado de Versalhes (1920), acordo de paz firmado após a I Guerra Mundial, também redesenhou a área de atuação das agências noticiosas. </li></ul><ul><li>Enquanto a Reuters e Havas conquistaram mais espaço, a Wolff perdeu áreas de influência. </li></ul>
    21. 21. A primeira agência de notícias brasileira A primeira agência de notícias brasileira foi a Agência Americana, em 1913 na cidade de São Paulo. Foi idealizada por Cásper Líbero (dir.) e Raul Pederneiras ( esq. ). O projeto não teve sucesso, mas deixou sementes.
    22. 22. Agência Meridional A primeira grande agência de notícias brasileira surgiu de fato em agosto de 1931. Era a Agência Meridional. Criada por Assis Chateaubriand, ela foi usada para distribuir conteúdo nacional e internacional para diversos jornais do país, principalmente, é claro, os da rede Diários Associados, de Assis Chateaubriand, que na época era a maior rede de jornais do Brasil. A Agência Meridional existe até hoje e serve exclusivamente jornais dos Diários Associados.
    23. 23. Agência Estado <ul><li>Em 1970, foi fundada aquela que é hoje a maior agência nacional, a Agência Estado, que distribui notícias a jornais, rádios, emissoras de televisão e sites que assinam o serviço. </li></ul>
    24. 24. O tema da próxima aula expositiva: a apuração jornalística
    25. 25. Citação do dia Os jornalistas são os trabalhadores manuais, os operários da palavra. O jornalismo só pode ser literatura quando é apaixonado . Marguerite Duras (1914 -1996) Escritora francesa, jornalista diretora de filmes

    ×