CCA0781 introducaoasprofissoesemcomunicacaoav2jornalrp

1.480 visualizações

Publicada em

Av2 de CCA0781 Introdução as Profissões de Comunicação

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CCA0781 introducaoasprofissoesemcomunicacaoav2jornalrp

  1. 1. JORNALISMO A História da imprensa - Desde o inicio da humanidade, a troca de informação ocorre. - Mas com a Rev. Industrial, no Séc. XVIII, que a imprensa vai se desenvolver, ganhar força como resultado de um produto industrial com profissionais especializados. - Os 1º interesses eram mercantis e políticos. (Mudou hoje?) - Com a Rev. Francesa, em 1789, surgem os jornais como entendemos hoje, com várias páginas e assuntos diversos. Espaço para opinião e polêmica. Journal de Paris 31/10/1790
  2. 2. JORNALISMO A História da imprensa - Em 1704 surge o 1º jornal americano: Boston News Letter. - Nos EUA a imprensa ganhou força, com até 29 edições por dia e mais de 30 páginas. - Nesta época surgem inovações, como a impressora a vapor (rodava até 1.10 folhas/hora) e os anúncios pagos. - O 1º a ter os anúncios foi o La Presse, em 1836, jornal francês que logo chegou a 10 mil exemplares.
  3. 3. JORNALISMO A História da imprensa - Novidades como o linotipo (máquina de composição) permitiram tiragens de milhares de exemplares. - Na virada do Séc. XIX, telégrafo, cabo transatlântico, telefone e novos recursos ajudaram a notícia a ser distribuída. - Surge em 1832 a 1ª agência de noticias, a francesa Havas-Reuters.
  4. 4. JORNALISMO Rádio - No Séc XX, o rádio surge como veículo de massa. E o radiojornalismo já nasce com ele. - No começo, jornalistas acharam que ele ia matar o jornal. - O que houve foi uma mudança. Os jornais, que não podiam ser “ao vivo”, ficaram com uma cara mais especifica. - Isso não lembra o momento atual e a internet? Radio Days (Woody Allen) Seriados Orson Wells Rainhas do Rádio
  5. 5. JORNALISMO Televisão - As primeiras experiências com a TV são de1939, nos EUA. - Como no rádio, o jornalismo atingiu o veículo. - A 1ª cobertura telejornalística foi o ataque a Pearl Harbour. Logo após “dar no rádio”, 3 jornalistas da Columbia Broadcasting System (CBS) entraram no ar e fizeram do estúdio uma transmissão de 9h. Fotos e mapas ilustravam as notícias.
  6. 6. JORNALISMO Televisão - De lá para cá a TV mudou, ganhou cor, virou portátil e, com a tecnologia, pode ser Ao Vivo. - O papel do jornalista agora é outro: além das palavras certas, precisa das imagens certas. - Na TV o “texto” deve ser coerente em forma e conteúdo.
  7. 7. JORNALISMO A imprensa no Brasil - O 1º jornal do Brasil foi o Correio Braziliense, fundado em Londres, em 1/06/1808, por Hipólito José da Costa. - Seu objetivo era vencer a então censura e tratar de temas políticos. - Era produzido e vendido em Londres e entrava clandestino no país. - Com o fim da censura, surgem Diário do Rio de Janeiro, Revérbero Constitucional Fluminense e Sentinela da Liberdade. - Na sua maioria tinham um tom panfletário e eram favoráveis a independência do Brasil. 17 de setembro de 1808 – 1º anúncio do Brasil
  8. 8. JORNALISMO A imprensa no Brasil - No 2º Reinado, uma nova fase da imprensa: menos política e polêmica e mais literária e mundana. - Surgem Jornal do Commércio, Gazeta de Notícias e O Estado de S.Paulo. - Em suas páginas, escritores como Machado de Assis, José de Alencar, Raul Pompéia e José Veríssimo. - Surge o 1º jornal feminino, o Jornal das Senhoras, dirigido pela argentina Joana Paula Manso de Noronha, em 1852. Ele foi o pioneiro a falar de moda, literatura, belas-artes, teatro e crítica. Obs: A revista Tico-Tico surge em 11/10/1905 e não 1865 como diz no livro.
  9. 9. JORNALISMO A imprensa no Brasil - Duas novidades surgem nas redações: o uso generalizado do telégrafo (1877) e o Jornal do Commércio começa a publicar os primeiros telegramas de uma agência de noticias (Havas-Reuters). - Na virada do século, a imprensa descobre a publicidade passa a ser encarada como empresa. - As páginas dos jornais não são só pra política e literatura: há entrevistas e reportagens, no estilo europeu e americano, e notícias esportivas e crônicas. - A fotografia e as cores começam a ser utilizadas. Yellow Kid, de Richard F. Outcault - 2 /06/1894 Do The New York World, de Joseph Pulitzer, para New York Journal, de Randolph Hearst. A origem da expressão imprensa amarela.
  10. 10. JORNALISMO A imprensa no Brasil - Entre o fim do século XIX e o começo do XX surge a imprensa operária, em italiano, espanhol e alemão – alguns com 4 mil exemplares. - Depois do Governo Vargas, que com o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) criou muita censura para imprensa, o jornal se moderniza. - As páginas começam a ser diagramadas e utilizam um padrão de redação tipicamente europeu e americano. - Hoje o Brasil possui grandes jornais, mas vive o mesmo cenário que o resto do mundo: como sobreviver com a internet?
  11. 11. JORNALISMO O Rádio no Brasil - A 1ª transmissão foi em 7/09/1922, no Centenário da Independência, com o discurso do presidente Epitácio Pessoa. - No ano seguinte, Roquete Pinto fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. - Com o Réporter Esso, nas rádios Nacional (Rio) e Record (São Paulo), o jornalismo virou sucesso – cobrindo a II Guerra e entrando nos anos 50. - A Rádio Bandeirante (São Paulo) foi uma das pioneiras do sistema intensivo de informações, com noticiários de 1’ a cada 15’ de transmissão. - Com a chegada da TV, o rádio voltou- se para jornalismo, criando equipes semelhantes às dos jornais.
  12. 12. JORNALISMO A TV no Brasil - Em 1950, em São Paulo, foi fundada a TV Tupi de Assis Chateaubriand. - Sua programação acabava às 22h com o telejornal Imagens do Dia. - O Show de Notícias, da TV Excelsior, criado no começo dos anos 60, foi uma novidade no telejornalismo – cortes rápidos, novo estilo de redação e vários apresentadores. - Em 1965 surge a TV Globo e em 1969 lança o Jornal Nacional, o primeiro em cadeia (para 12 Estados).
  13. 13. JORNALISMO A Redação Repórter – vai à rua apurar a informação e, de volta a redação, redige a matéria. Redator – responsável pelo texto final, pelo título e legenda da foto. Fotógrafo – cuida das imagens da matéria. Diagramador – planeja visualmente o layout jornal. Subeditor – o assistente do editor, trabalha com o redator e o diagramador na página. Editor – responsável pelas matérias e o espaço a elas destinadas. Chefe de reportagem - quem decide o repórter certo pra cada matéria. Pauteiro – antenado em tudo, faz a pauta do dia. Editor-chefe – encarregado de toda a redação, em contato com todos os editores. Editorialista – escreve o editorial.
  14. 14. ASSESSORIA DE IMPRENSA - É realizada por jornalistas e tem como característica ser formadora de opinião. - Ela divulga e informa os fatos relacionados com a empresa e os produtos, promovendo a coletiva de imprensa. - O que sai da empresa nos veículos não é pago, entra como matéria. - Mas como não é paga, ela depende de vários fatores para acontecer: a intimidade entre o assessor de imprensa e os veículos, a importância da matéria e do produto, seu envolvimento com a atualidade. - Para a Campanha de Assessoria de Imprensa funcionar, são necessárias algumas peças: press release, kit de fotos, brindes e etc. - O Plano de Assessoria de Imprensa deve conter: Apresentação, objetivos e atividades. Cuidado: Case Gilette e as 3 lâminas.
  15. 15. ASSESSORIA DE IMPRENSA -O processo de planejamento voltado à área de assessoria de imprensa pode ser dividido em quatro etapas: 1)Análise - conhecer a instituição para qual trabalha, seus públicos e o contexto em que ela se insere e identificar os problemas e as falhas de comunicação da entidade. 2)Adaptação - se ajusta a realidade detectada anteriormente à projeção de ações necessárias. 3)Ativação - os planos serão colocados em prática, seguindo todas as determinações estipuladas, podendo também ser necessário lançar mão de diferentes estratégias. 4)Avaliação- o estudo dos resultados de todos os planos e estratégias empregados, a fim de constatar se foram ou não adequados.
  16. 16. RELAÇÕES PÚBLICAS - Caracteriza-se por informar, conceituar, educar, fazer crer e mediar assuntos relativos à empresa. - É tudo que é feito para provocar uma reação favorável à empresa por parte da opinião pública. -Envolve vários públicos: autoridades, fornecedores, clientes, consumidores e formadores de opinião. - O relações públicas divulga vários fatos sobre a empresa, seus recursos, política pessoal e programas. Assim, a sociedade adquire confiança na empresa e fica mais envolvida com seus produtos e serviços. 4 atividades fazem parte do trabalho de Relações Públicas: a) relações com a imprensa b) comunicações corporativas: internas e externas c) lobbying: atuar junto aos órgãos governamentais, buscando a aprovação ou não de leis e suas regulamentações d) orientações sobre assuntos políticos, posição e imagem da empresa
  17. 17. #FICADICA

×