René descartes

150 visualizações

Publicada em

Informações sobre René Descartes

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

René descartes

  1. 1. GABRIELE PEREIRA DOS REIS BIOGRAFIA E FILOSOFIA DE RENÉ DESCARTES Conceição do Coité – Ba 2014
  2. 2. Gabriele Pereira dos Reis. BIOGRAFIA E FILOSOFIA DE RENÉ DESCARTES Atividade solicitada pela José Roberto, como objeto avaliativo da disciplina de Filosofia, III etapa. Conceição do Coité - Ba 2014
  3. 3. Biografia Filósofo, matemático e fisiologista, o francês René Descartes é considerado o pai da matemática e da filosofia moderna, bem como um dos pensadores mais influentes da história humana. Nasceu na cidade de La Haye (França) em 31 de março de 1596. Seu pai era advogado, juiz, conselheiro do parlamento da província de Rennes. Possuía título de primeiro grau de nobreza (escudeiro). A mãe de Descartes morreu quando ele tinha apenas um ano (vítima de complicações pós-parto). René foi criado por uma babá e por sua avó, embora sempre tenha tido contato com o pai. Em 1618, Descartes foi para a Holanda e se alistou no exército de Maurício de Nassau. A escola militar era, para ele, uma complementação da sua educação. Em 1619, viajou para a Dinamarca, Polônia e Alemanha, onde, segundo a tradição, no dia 10 de novembro, teve uma visão em sonho de um novo sistema matemático e científico. Três anos depois retornou a França e passou os anos seguintes em Paris e em outras partes da Europa. Em 1621, Descartes renuncia à carreira militar de forma definitiva, com o objetivo de dedicar-se exclusivamente às ciências e a filosofia. Para tanto, em 1623 retornou a sua cidade natal, onde vendeu as terras e a propriedade que herdara. Após a venda, viajou para a Itália (estabeleceu-se em Veneza), onde permaneceu até 1625. Entre 1629 e 1633, Descartes redige o” Tratado do Mundo”, mas não o publica por receio da Inquisição, que acabara de condenar Galileu. A primeira obra de Descartes teve como título “Essays Philosophiques”. A introdução ficou mais famosa que a própria obra: O discurso do método, onde, encontra-se sua frase mais famosa - "Penso, logo existo". Nos anos seguintes, produziu as seguintes obras: Em 1641, “Meditações sobre a filosofia Primeira”; “Objeções e Respostas”. No ano de 1644, “Princípios da Filosofia”. Entre os anos de 1647/1648, “Descrição do Corpo Humano”. No ano de 1649, “As Paixões da Alma”.
  4. 4. Em 1649 Descartes deixa a Holanda e passa a viver em Estocolmo, a convite da rainha Cristina da Suécia, com o objetivo de instruí-la em matemática e filosofia. No frio da Suécia, Descartes contraiu pneumonia e, dez dias depois, veio à falecer.
  5. 5. Ideias filosóficas Descartes quer estabelecer um método universal, inspirado no rigor matemático e em suas "longas cadeias de razão". Sendo assim, ele cria um método para bem conduzir nossos pensamentos. 1. A primeira regra é a evidência: não admitir algo como verdadeiro se não o reconhecer evidentemente como tal. Em outras palavras, evitar toda "precipitação" e toda "prevenção" (preconceitos) e só ter por verdadeiro o que for claro e distinto, isto é, o que "eu não tenho a menor oportunidade de duvidar". 2. A segunda é a regra da análise: "dividir cada uma das dificuldades em tantas parcelas quantas forem possíveis". 3. A terceira é a regra da síntese: estabelecer uma ordem de relação entre nossos pensamentos, solucionando primeiro as questões mais simples e depois as mais complexas. 4. O último é o princípio de controle, fazer constantes revisões de todo processo para ter certeza de que nada foi omitido. Descartes divide matéria de pensamento, para ele o pensamento, ou a substância pensante independe e é separada da matéria. A nossa consciência individual é separada do corpo e continua a existir mesmo sem o corpo. Corpo a alma se misturam, mas não ao ponto que não seja possível distinguir uma da outra. Nesta relação podemos diferenciar algumas operações que pertencem somente ao corpo e outras que são específicas da alma. A alma busca o conhecimento da verdade, o corpo é responsável pelas sensações.
  6. 6. Referências http://www.mundodosfilosofos.com.br/descartes.htm#ixzz3Gcl5RwlF. (Acessado em: 17/10/14). http://www.infoescola.com/filosofos/rene-descartes/. (Acessado em: 17/10/14). http://www.e-biografias.net/rene_descartes/. (Acessado em: 17/10/14). http://www.mundodafilosofia.com.br/page37.html. (Acessado em: 17/10/14).

×