Livro: Heranças de Amor             Eros / Divaldo FrancoTempestade!
Os ventos fortes e as chuvas torrenciais   se unem em espetáculo dantesco.
Enxurrada e lamaçal destroemsementeiras e alagam propriedades.
Os trovões lançam seus gritos, enquantoos relâmpagos bailam com faíscas de luz,              pelos céus.
Destruição e treva reinam por algumtempo. Depois, uma grande calmaria a            tudo sucede.
Os trombeteiros do medo e os gigantes      do horror cessam a fúria.
A terra se apresenta revolvida, as árvores               arrancadas...
...os ninhos desfeitos.
Os rios transbordantes e os dentesrilhados do sofrimento estão à mostra em  toda parte, apresentando um quadro de         ...
No entanto, o ar está liberado de miasmas, de tensões, das altas cargas elétricas emagnéticas que aniquilam os homens, os ...
A pouco e pouco, as mãos da renovaçãotrabalham os painéis destroçados e tudo        retorna à normalidade.
A natureza repousa para logo maisapresentar toda sua beleza outra vez.
Assim também é a vida. A tormenta das dores, a borrasca dos sofrimentos atingeas criaturas vez ou outra, mais duramente.
É como se tudo se unisse e acontecesseao mesmo tempo: a enfermidade no lar, o     desemprego, desentendimentosfamiliares, ...
As nuvens escuras do desalento toldam o céu dos sentimentos e a desesperança            castiga a alma.
Contudo, por mais rudes sejam ospadecimentos, as dificuldades ou os     problemas, eles passam.
Tudo passa na vida, pois tudo é transitório.
Por isso, lembremos as lições de Madre Teresa de Calcutá que, em bela página, assim se expressou: Tua força interior e   t...
Continua, apesar de todos esperarem que          abandones as lutas.
Não deixes que se enferruje o ferro que              há em ti.
Age de forma que, em vez de compaixão,    as criaturas te tenham respeito.
E, se o peso das lutas e dos anos, te disser que não podes mais correr,        prossegue andando.
Diminui o ritmo, mas caminha sempre.
Mesmo que tenhas que usar umabengala, nunca te detenhas porque atrás  de cada linha de chegada, há uma de                 ...
Atrás de cada triunfo, há outro desafio.
E mesmo que a pele enrugue, o cabelo  fique branco, os dias se convertam emanos, o mais importante em ti somente se torna ...
A poesia de luz que supera a noite sombria, é convite à renovação.
Mesmo que a noite das aflições teime emcolocar trevas em tua alma e a dominar astuas aspirações, segue o sol e permite-te ...
A luz brilha fora de ti, na natureza que desperta, elevando um hino à vida.
Faze a tua claridade interior e renasce.
Mensagem Reunião Pública 27/06/2012
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mensagem Reunião Pública 27/06/2012

696 visualizações

Publicada em

Mensagem veiculada na Reunião Pública de 27/06/2012 na Associação Espírita Allan Kardec - São José do Rio Preto - SP.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
696
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
142
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mensagem Reunião Pública 27/06/2012

  1. 1. Livro: Heranças de Amor Eros / Divaldo FrancoTempestade!
  2. 2. Os ventos fortes e as chuvas torrenciais se unem em espetáculo dantesco.
  3. 3. Enxurrada e lamaçal destroemsementeiras e alagam propriedades.
  4. 4. Os trovões lançam seus gritos, enquantoos relâmpagos bailam com faíscas de luz, pelos céus.
  5. 5. Destruição e treva reinam por algumtempo. Depois, uma grande calmaria a tudo sucede.
  6. 6. Os trombeteiros do medo e os gigantes do horror cessam a fúria.
  7. 7. A terra se apresenta revolvida, as árvores arrancadas...
  8. 8. ...os ninhos desfeitos.
  9. 9. Os rios transbordantes e os dentesrilhados do sofrimento estão à mostra em toda parte, apresentando um quadro de aflição.
  10. 10. No entanto, o ar está liberado de miasmas, de tensões, das altas cargas elétricas emagnéticas que aniquilam os homens, os animais e as plantas com lentidão.
  11. 11. A pouco e pouco, as mãos da renovaçãotrabalham os painéis destroçados e tudo retorna à normalidade.
  12. 12. A natureza repousa para logo maisapresentar toda sua beleza outra vez.
  13. 13. Assim também é a vida. A tormenta das dores, a borrasca dos sofrimentos atingeas criaturas vez ou outra, mais duramente.
  14. 14. É como se tudo se unisse e acontecesseao mesmo tempo: a enfermidade no lar, o desemprego, desentendimentosfamiliares, o abandono de alguém amado, uma traição.
  15. 15. As nuvens escuras do desalento toldam o céu dos sentimentos e a desesperança castiga a alma.
  16. 16. Contudo, por mais rudes sejam ospadecimentos, as dificuldades ou os problemas, eles passam.
  17. 17. Tudo passa na vida, pois tudo é transitório.
  18. 18. Por isso, lembremos as lições de Madre Teresa de Calcutá que, em bela página, assim se expressou: Tua força interior e tuas convicções não têm idade. Teuespírito é o espanador de qualquer teia de aranha.
  19. 19. Continua, apesar de todos esperarem que abandones as lutas.
  20. 20. Não deixes que se enferruje o ferro que há em ti.
  21. 21. Age de forma que, em vez de compaixão, as criaturas te tenham respeito.
  22. 22. E, se o peso das lutas e dos anos, te disser que não podes mais correr, prossegue andando.
  23. 23. Diminui o ritmo, mas caminha sempre.
  24. 24. Mesmo que tenhas que usar umabengala, nunca te detenhas porque atrás de cada linha de chegada, há uma de partida. Tempestade e paz
  25. 25. Atrás de cada triunfo, há outro desafio.
  26. 26. E mesmo que a pele enrugue, o cabelo fique branco, os dias se convertam emanos, o mais importante em ti somente se torna melhor: o espírito imortal que és.
  27. 27. A poesia de luz que supera a noite sombria, é convite à renovação.
  28. 28. Mesmo que a noite das aflições teime emcolocar trevas em tua alma e a dominar astuas aspirações, segue o sol e permite-te bordar de dia o teu coração.
  29. 29. A luz brilha fora de ti, na natureza que desperta, elevando um hino à vida.
  30. 30. Faze a tua claridade interior e renasce.

×