“MUSEUS E SUSTENTABILIDADE” 
PATRIMÔNIO HISTÓRICO E SEGURANÇA HUMANA: 
“O PROJETO CULTURAL DE AÇÃO SOCIAL 
SUSTENTÁVEL (PC...
 Os Projetos de Cooperação Técnica 
Internacional são importantes iniciativas para 
a viabilização do desenvolvimento de ...
“Flags Way” 
United Nations - Geneva
SUMMARY 
 The focus of research highlights the new ppaarraaddiiggmmss wwhhiicchh 
ccoonnssttiittuuttee tthhee ccuullttuur...
O PROJETO CULTURAL DE AÇÃO SOCIAL SUSTENTÁVEL (PCASS) : 
Promoção de Políticas Públicas Sustentáveis em matéria de Proteçã...
Em relação à recuperação do patrimônio cultural-hhiissttóórriiccoo--aarrttííssttiiccoo 
nnaacciioonnaall ccoomm aa aajjuud...
Photo: TIMOTHY FADEK / POLARIS FOR TIME/ Haiti
 Isto é, redimensionar o aspecto da utilidade ssoocciiaall ddaa 
rreeccuuppeerraaççããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo hhiisst...
Recuperação do centro histórico de Florença, 
Itália
Na recuperação do patrimônio cultural, em ambas situações, tanto áreas 
urbanas ou rurais degradadas, habitadas ou não, a ...
Royal Opera House (1942 - Malta)
1.2 O projeto social e cultural: uma ação simultânea 
O sucesso dos projetos culturais e sociais depende da ação 
simultân...
 Incorporando os princípios de responsabilidade, respeito 
às leis e regulamentos, o respeito pelos outros cidadãos e 
in...
Prince Harry visits "cracolândia" (São Paulo, Brazil)
Beitlahia, Gaza (2011 Education for All Global Monitoring Report) -Palestinian 
girl checking a torn up book in front of h...
El Lavapiés de Madrid... 
 As ações positivas eemm aallgguummaass cciiddaaddeess 
eeuurrooppééiiaass,, rreeccuuppeerraann...
Foto: Victor Ferrando (Lavapiés, Madrid) 2013
aç O projeto cultural para a açããoo ssoocciiaall ttaammbbéémm éé ccaarraacctteerriizzaaddoo 
ppeellaa ccoonnttrriibbuuiiçç...
The destroyed National Library hall after shelling in 1992 (left) and the same 
hall after its renovation in the Bosnian c...
2 . Criar um efeito multiplicador 
Um projeto - piloto para implementar ou reabilitar uumm mmuusseeuu llooccaall 
oouu uum...
O Projeto de Cooperação com Guiné Bissau 
 Isto significa que o fornecimento de luz e água para o museu ou 
centro cultur...
Expressões artísticas da Guiné Bissau
2.1 Os sistemas de avaliação 
A intervenção sustentável começa e termina com a extensão do museu 
com a comunidade, aument...
O projeto cultural de ação social sustentável vvaaii aalléémm ddaass 
qquueessttõõeess iiddeeoollóóggiiccaass eennvvoollvv...
Detroit (USA): http://toledowastewalker.wordpress.com/
 Significa a criação ddee eemmpprreeggooss,, 
ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ddee nneeggóócciiooss ee ddee aassssoocciiaa...
O alcance social da Museologia 
Significa a criação de empregos, desenvolvimento de negócios e de associações 
de pequenos...
3. A promoção do desenvolvimento sustentável das 
empresas sociais 
 Os projetos de intervenção urbanística eemm mmaattéé...
OO ttuurriissttaa pprrooccuurraa ooss pprroodduuttooss llooccaaiiss 
55.. ttrreeiinnaammeennttoo ee sseerrvviiççooss ddee ...
Plantios orgânicos em zonas urbanas (UK)
Conquistas para a população local 
1 . na fazenda da família , na oferta de alimentos , 
distribuição e marketing, em zona...
Acreditamos que a visão crítica dos empreendedores sociais, com o 
auxílio ou a cooperação internacional proporcionaram al...
http://afritorial.com/re-imagining-africas-cities-for-a-new-africa-4-0/
Apresentação do PCASS: objetivos 
Desenho do projeto cultural de ação social como uma forma de intervenção 
direta para o ...
Biblioteca da Universidade de Varsóvia, Polônia 
(photo: Martin Chodorowski)
1 . Observações realizadas durante o planejamento e montagem das 
exposições realizadas em 1982, em Ciudad Cárdenas, Tabas...
a partir da perspectiva das orientações das Nações Unidas e 
recomendações organismos como a UNESCO , HABITAT , 
UNODC e i...
Recuperação do patrimônio cultural de Guiné 
Bissau e segurança humana
 "O país, especialmente na capital, nnaa vveerrddaaddee,, tteemm 
pprroobblleemmaass ccoomm eenneerrggiiaa eellééttrriicc...
(2) Baseado em Guiné-Bissau - África - Projeto de Cooperação 
Cultural -2003. 
 O equipamento cultural cumpre a sua funçã...
 FFaassee 11 .. 
aa)) BBaassee tteeóórriiccaa ee ddeeffiinniiççããoo ddoo pprroojjeettoo ccoonncceeiittuuaall 
OOss mmuuss...
A Museologia começa a formar o seu corpo teórico, como disciplina acadêmica 
científica expandindo a responsabilidade soci...
b.) As novas tendências 
Estudos sobre a abrangência e significados do patrimônio cultural ganham espaço 
Século XXI, impu...
The Ben-Gurion National Solar Energy Center (1996) Israel
c.) Os aspectos ssoocciiaaiiss rreelleevvaanntteess 
NNooss úúllttiimmooss aannooss tteemmooss vviissttoo uumm aauummeennt...
 Exemplo do patrimônio cultural da comunidade: 
+ Coleções Zoológicas 
 +Jardim Botânico 
+ Museu (monumentos, fortaleza...
 FFaassee 22:: 
 FFoorrttaalleecciimmeennttoo ddaa ccoonneexxããoo llooccaall--gglloobbaall 
OOss rreessuullttaaddooss ee...
Outro exemplo de alternativa ccoommbbiinnaaddaa :: 
 
11 .. GGeessttããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall ee dd...
b) preservar locais históricos e assentamentos do passado e ao mesmo tteemmppoo pprrootteeggeerr aa 
iinntteeggrriiddaadde...
 As ações pró-ativas na gestão sustentável ddoo ppaattrriimmôônniioo 
ccuullttuurraall ee ddee ddeesseennvvoollvviimmeenn...
Para integrar a idéia de emergência na gestão e atitudes para a 
preservação do patrimônio histórico e reabilitação durant...
Conservação de monumentos em Israel
Fase 3: Combinação de estratégia de atores visíveis: a 
relação entre os recursos naturais e de recursos humanos 
a) recur...
 5. iniciativas que podem ser consideradas importantes: 
reflorestamento com espécies nativas, de saneamento, de 
armazen...
Día Mundial del Agua 
photo: Diario El Comercio – 22/03/2011 (Perú)
b) Os recursos humanos 
Agindo para o uso de tecnologias sustentáveis para aumentar o bem 
estar social: a perspectiva de ...
5. marketing cultural da comunidade local 
6. ensino das tradições culturais para a próxima geração, a 
música tradicional...
Kathmandu – Nepal (1999)
 Conclusões Preliminares 
 É um estudo multidisciplinar, que pode ser entendido e aplicado como um 
conjunto de política...
 Sensibiliza o aspecto da cooperação internacional para o 
desenvolvimento sustentável e adaptação de sistemas “limpos” 
...
 A relação entre a memória ideológica e cultural, define o valor 
histórico; desse ponto de vista, os conceitos definem a...
New Delhi – India (2000)
referencias 
Orueta, Fernando Díaz. Los grandes proyectos de desarrollo urbano y la 
reconfiguración sócio-espacial de lãs...
Durán y Lalagua , Paloma. La perspectiva de las Naciones 
Unidas en la protección de los Derechos Sociales . 
A coleção de...
Romero Cevallos , Raul . Cultura e Desenvolvimento ? Desenvolvimento 
e Cultura ? 
Propostas para um debate aberto. Progra...
 Valcarcelt -Germain ; Troitiño Vinuesa, Miguel A.; Cavaluis E. 
Desenvolvimento Local , turismo e meio ambiente . 
Diput...
 III Congresso Internacional de Patrimônio Cultural y 
Cooperación al Desarrollo , México (Museu Nacional de 
Antropologi...
 System of United Naciones - HABITAT 
 Centro de las Naciones Unidas para los asentamientos Humanos 
http://www.unodc.or...
CITAÇÕES 
 (1) Prof. Dr. Mariano Baena Del Alcazar , Universidad 
Complutense de Madrid, UCM, Espanha. 
 
(2) sobre as i...
(4) A Agência Sueca de Energia e da Universidade de Gotland 
organizou a Conferência Científica Internacional sobre 
Efici...
Pesquisa digital (2014) 
 http://digital.csic.es/bitstream/10261/84850/4/100%20fotos_100%20a 
%C3%B1os_IAM.pdf 
 http://...
 Profa. Dra. Teresa Cristina de Andrade Bock (Lattes) 
 Linha de pesquisa: “Políticas públicas em matéria de Patrimônio ...
Cursos, projetos relacionados 
The Golda Meir International Training Centre – Monte Carmel –Haifa 
Curso sobre “Desarrollo...
Vaux le Vicomte (http://ignaciosomovilla.wordpress.com/2012/10/08/vida-verde-paisajes-para- 
restaurar-emociones-061012/)
Museus e sustentabilidade
Museus e sustentabilidade
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Museus e sustentabilidade

602 visualizações

Publicada em

políticas públicas em matéria de patrimônio cultural; o patrimõnio histórico e os objetivos de desenvolvimento do milênio

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
602
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Museus e sustentabilidade

  1. 1. “MUSEUS E SUSTENTABILIDADE” PATRIMÔNIO HISTÓRICO E SEGURANÇA HUMANA: “O PROJETO CULTURAL DE AÇÃO SOCIAL SUSTENTÁVEL (PCASS) “ Relações Internacionais e Cooperação Técnica Internacional: em especial a Cooperação Cultural
  2. 2.  Os Projetos de Cooperação Técnica Internacional são importantes iniciativas para a viabilização do desenvolvimento de capacidades e conhecimentos ,  e a gestão da inovação no âmbito da Administração Pública, a partir da atuação conjunta de órgãos e entidades nacionais com organismos internacionais cooperantes.
  3. 3. “Flags Way” United Nations - Geneva
  4. 4. SUMMARY  The focus of research highlights the new ppaarraaddiiggmmss wwhhiicchh ccoonnssttiittuuttee tthhee ccuullttuurraall pprroojjeeccttss ooff ssuussttaaiinnaabbllee ccuullttuurraall aaccttiioonn,, rreellaattiinngg ttoo ccoonnsseerrvvaattiioonn ooff mmoonnuummeennttaall ccuullttuurraall hheerriittaaggee aanndd hhuummaann sseeccuurriittyy.. CCoonnssttiittuuttee tthhee oobbjjeecctt ooff ssttuuddyy iinnccoorrppoorraattiinngg tthhee MMiilllleennnniiuumm DDeevveellooppmmeenntt GGooaallss ttoo tthhee rreecceenntt aannaallyyssiiss ooff tthhee ccrriitteerriiaa iinnccoorrppoorraatteedd iinn tthhee ddeessiiggnnss ooff hheerriittaaggee ccoonnsseerrvvaattiioonn.. TThhiiss iiss rreessiizzee tthhee aassppeecctt ooff ssoocciiaall rreeccoovveerryy uuttiilliittyy hheerriittaaggee pprrooppeerrttyy aanndd iittss uussee ffoorr ssoocciiaall ddeevveellooppmmeenntt:: aa hhoolliissttiicc iinntteerrvveennttiioonn aaiimmeedd aatt ssoocciiaall ttrraannssffoorrmmaattiioonn..  TThhee PPCCAASSSS ccoommbbiinneess eenneerrggyy eeffffiicciieennccyy iinn hhiissttoorriicc bbuuiillddiinnggss wwiitthh ssttuuddiieess ooff ssuussttaaiinnaabbiilliittyy aanndd ssoocciiaall,, hhuummaanniittaarriiaann,, eennvviirroonnmmeennttaall aanndd hhiissttoorriicc pprreesseerrvvaattiioonn aaccttiioonn.. PPrroommoottiinngg llooccaall ddeevveellooppmmeenntt aanndd ddiissaasstteerr rreedduuccttiioonn,, iinnccrreeaassiinngg tthhee pprrootteeccttiioonn ooff ccuullttuurraall ddiivveerrssiittyy aanndd hhuummaann sseeccuurriittyy,, aallssoo rreepprreesseennttss aa ccoonncceeppttuuaall aaddvvaannccee iinn ccuullttuurraall hhuummaanniissmm..
  5. 5. O PROJETO CULTURAL DE AÇÃO SOCIAL SUSTENTÁVEL (PCASS) : Promoção de Políticas Públicas Sustentáveis em matéria de Proteção do Patrimônio Cultural e Segurança Humana  O tema do estudo está inserido na área de políticas ppúúbblliiccaass,, ccoomm uummaa ppeerrssppeeccttiivvaa ddee ppeessqquuiissaa mmuullttiiddiisscciipplliinnaarr ee ttrraannssvveerrssaall eennvvoollvveennddoo uumm oouu mmaaiiss aattoorreess ssoocciiaaiiss nnoo ppllaanneejjaammeennttoo ee nnaa pprrootteeççããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall ee ddaa sseegguurraannççaa hhuummaannaa..  OO PPrroojjeettoo CCuullttuurraall ddee AAççããoo SSoocciiaall SSuusstteennttáávveell ddeesseennvvoollvvee nnoovvooss ppaarraaddiiggmmaass ccoonncceeiittuuaaiiss aapplliiccaaddooss aaooss pprroojjeettooss ddee rreessttaauurraaççããoo ddaa hheerraannççaa ccuullttuurraall;; rreeffeerree--ssee aaoo ppaattrriimmôônniioo hhiissttóórriiccoo eemm rreellaaççããoo ccoomm ooss OObbjjeettiivvooss ddee DDeesseennvvoollvviimmeennttoo ddoo MMiillêênniioo ee iissssoo ssiiggnniiffiiccaa aa eeffiicciiêênncciiaa eenneerrggééttiiccaa eemm eeddiiffíícciiooss hhiissttóórriiccooss ((NNOORRAADD)) ee ssuuaa eexxtteennssããoo ppaarraa oo bbeenneeffíícciioo ddaa ccoommuunniiddaaddee llooccaall aattrraavvééss ddaa iimmpplleemmeennttaaççããoo ddee ssoolluuççõõeess hhuummaanniittáárriiaass ee ddee iimmpplleemmeennttaaççããoo ddee iinnffrraa--eessttrruuttuurraa..
  6. 6. Em relação à recuperação do patrimônio cultural-hhiissttóórriiccoo--aarrttííssttiiccoo nnaacciioonnaall ccoomm aa aajjuuddaa hhuummaanniittáárriiaa oo ""PPCCAASSSS"" rreepprreesseennttaa uumm aavvaannççoo ccoonncceeiittuuaall nnaa iimmpplleemmeennttaaççããoo ddee ppoollííttiiccaass ppúúbblliiccaass eesstteennddeennddoo aa mmiissssããoo ddee eeqquuiippaammeennttooss ccuullttuurraaiiss ssoocciiaaiiss lliiggaaddooss aa uummaa iinntteerrvveennççããoo eessttrraattééggiiccaa ppaarraa oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ddee iinnffrraa--eessttrruuttuurraa nnaass ccoommuunniiddaaddeess llooccaaiiss.. OO pprroojjeettoo bbaasseeaaddoo nnaa ccaappaacciiddaaddee ddaa aaççããoo hhuummaanniittáárriiaa ddee ffoorrmmaa rreettrrooaattiivvaa,, ee nnaa mmaannuutteennççããoo ddee eeqquuiippaammeennttooss ccuullttuurraaiiss,, pprroommoovvee eennttrree oouuttrrooss,, ooss mmeeccaanniissmmooss ddee ggeerraaççããoo ddee eemmpprreeggooss ee ccoonnsseeqqüüeennttee mmeellhhoorraa ddaa qquuaalliiddaaddee ddee vviiddaa.. AAiinnddaa lleevvaannttaa aa qquueessttããoo ddooss lliimmiitteess ddaa sseegguurraannççaa hhuummaannaa eemm áárreeaass ddee rriissccoo ee pprrootteeççããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo llooccaall,, aattrraavvééss ddaa pprroommooççããoo ddee eessttuuddooss mmuullttiiddiisscciipplliinnaarreess nnoo ccaammppoo ddoo ""hhuummaanniissmmoo ccuullttuurraall"".. ”Entramos no estudo na área de políticas públicas como um conjunto de políticas ou como uma rede de políticas públicas, que intervém ou envolvem vários atores" (1). O foco de pesquisa destaca os “novos paradigmas que constituem os projetos culturais de ação cultural sustentável, isto é, relacionando a conservação do patrimônio cultural monumental e da segurança humana”. (2) Constituem objeto de estudo a incorporação dos objetivos do milênio à análise recente dos critérios incorporados aos projetos de conservação do patrimônio histórico.
  7. 7. Photo: TIMOTHY FADEK / POLARIS FOR TIME/ Haiti
  8. 8.  Isto é, redimensionar o aspecto da utilidade ssoocciiaall ddaa rreeccuuppeerraaççããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo hhiissttóórriiccoo iimmóóvveell ee ssuuaa uuttiilliizzaaççããoo ppaarraa oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ssoocciiaall:: uummaa iinntteerrvveennççããoo hhoollííssttiiccaa qquuee vviissaa aa ttrraannssffoorrmmaaççããoo ssoocciiaall..  AA ttrraannssffoorrmmaaççããoo ddaass rreellaaççõõeess ssoocciiaaiiss eemm áárreeaass hhiissttóórriiccaass ddeeccoorrrree ddoo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ddee pprrooggrraammaass aabbrraannggeenntteess ddee ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ee ddaass nneecceessssiiddaaddeess ddeetteeccttaaddaass ppoorr iinntteerrmmééddiioo ddoo pprrooggrraammaa eemm ggeerraall..  AA qquueessttããoo eessttáá iinnsseerriiddaa eemm uummaa ccaatteeggoorriiaa úúnniiccaa ddoo ppoonnttoo ddee vviissttaa uurrbbaannííssttiiccoo,, ppoorrqquuee ppooddeemm rreeffeerriirr--ssee àà rreeccuuppeerraaççããoo ddee áárreeaass ddeeggrraaddaaddaass eemm nnúúcclleeooss uurrbbaannooss,, ccaarraacctteerriizzaaddooss ppoorr ccoonnssttrruuççõõeess ddee vvaalloorr hhiissttóórriiccoo oouu aaiinnddaa eemm rreellaaççããoo àà uuttiilliizzaaççããoo ddee ssííttiiooss aarrqquueeoollóóggiiccooss eessppeecciiaallmmeennttee eemm áárreeaass rruurraaiiss,, ccoommoo cceennttrrooss pprroommoottoorreess ddoo ttuurriissmmoo ccuullttuurraall..
  9. 9. Recuperação do centro histórico de Florença, Itália
  10. 10. Na recuperação do patrimônio cultural, em ambas situações, tanto áreas urbanas ou rurais degradadas, habitadas ou não, a transformação das relações sociais é evidente, em primeiro lugar como uma mudança no comportamento individual e do entorno social. Como proteger os recursos para transformar as relações sociais? Isso ocorre quando estendemos a orientação do projeto para as necessidades imediatas da população local ou comunidade. Os programas holísticos visam o fornecimento dos serviços de saúde pública básico, tais como saneamento, água potável, iluminação, renovação de infra-estrutura, calçadas e áreas comuns, de recreação, esporte e lazer, contribuem com a demanda ambiental, como parte integrante do projeto de recuperação do patrimônio histórico. 1.1 melhorar a qualidade de vida: suprimentos para renovação dependem da implementação de infra-estruturas , como resultado da organização territorial do espaço, proporcionando as melhorias necessárias para o espaço público e de saúde, por sua vez. Listamos os critérios básicos, como a remoção de barreiras físicas, fortalecendo o sistema de transportes, proporcionando o acesso às escolas, a construção de estacionamentos para residentes e visitantes, melhorando a mobilidade e acessibilidade para os pedestres. A gestão do desenvolvimento territorial, em geral, refere-se às áreas de administração e planejamento das instituições governamentais locais.
  11. 11. Royal Opera House (1942 - Malta)
  12. 12. 1.2 O projeto social e cultural: uma ação simultânea O sucesso dos projetos culturais e sociais depende da ação simultânea, entre os elementos de recuperação patrimonial e a assistência social humanitária. Os Projetos são entendidos como planificação de preservação do patrimônio cultural destinado à reutilização dos edifícios históricos destinados a novas funções, como repartições governamentais, escritórios comerciais, centros culturais, museus, bibliotecas ou moradias; sedes de bancos ou comércios... A melhoria é dirigida para o ppoonnttoo ddee vviissttaa ddaa pprrootteeççããoo,, ccoonnsseerrvvaaççããoo,, rreeccuuppeerraaççããoo ee rreevviittaalliizzaaççããoo ddooss cceennttrrooss hhiissttóórriiccooss,, qquuee ccoonnttrriibbuuii ppaarraa oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo uurrbbaannoo ee oo ttuurriissmmoo llooccaall,, ccrriiaannddoo uummaa iimmppoorrttaannttee ffoonnttee ddee ppoossttooss ddee ttrraabbaallhhoo aattrraavvééss ddooss iinnvveessttiimmeennttooss eemm iinnffrraa--eessttrruuttuurraa ttuurrííssttiiccaa.. AA ttrraannssffoorrmmaaççããoo ddaass rreellaaççõõeess ssoocciiaaiiss ddeeppeennddee ddoo ppllaanneejjaammeennttoo eessttrraattééggiiccoo ddaa ttrraannssffoorrmmaaççããoo ddoo eessppaaççoo ffííssiiccoo..
  13. 13.  Incorporando os princípios de responsabilidade, respeito às leis e regulamentos, o respeito pelos outros cidadãos e integridade ética, modificam-se as atitudes das pessoas ao longo dos anos pela educação e pela cultura,  quando a comunidade entende como um sítio histórico pode ser usado por eles para reforçar a sua própria historia cultural e valores.  A responsabilidade pela manutenção e conservação de infra-estrutura urbana,  em alguns casos, envolve a reabilitação de famílias e residentes; promove a integração social, esclarecendo as "regras" da preservação histórica e da preservação dos espaços públicos comuns.
  14. 14. Prince Harry visits "cracolândia" (São Paulo, Brazil)
  15. 15. Beitlahia, Gaza (2011 Education for All Global Monitoring Report) -Palestinian girl checking a torn up book in front of her school's damaged hall way in east Gaza school (photo: Eman Mohammed © UNESCO
  16. 16. El Lavapiés de Madrid...  As ações positivas eemm aallgguummaass cciiddaaddeess eeuurrooppééiiaass,, rreeccuuppeerraannddoo aa iinnffrraa eessttrruuttuurraa uurrbbaannaa ddee aallgguunnss bbaaiirrrrooss ddeepprriimmiiddooss,, pprroommoovveeuu aa iinntteeggrraaççããoo ssoocciiaall eennttrree ggrruuppooss ddiivveerrssooss ddee iimmiiggrraanntteess..  PPaarraa ffiinnss ddee nnoossssaa ppeessqquuiissaa oobbjjeettiivvaa nnaa ccaatteeggoorriiaa ddee ““pprroojjeettoo ccuullttuurraall”” aa pprreemmiissssaa ccoonncceeiittuuaall éé aa ttrraannssffoorrmmaaççããoo ddaass rreellaaççõõeess ssoocciiaaiiss pprroommoovviiddaa ppeellaa rreellaaççããoo ccoomm oo ppaattrriimmôônniioo hhiissttóórriiccoo,, ddee ffoorrmmaa ppllaanniiffiiccaaddaa aattrraavvééss ddee ppoollííttiiccaass ppúúbblliiccaass..
  17. 17. Foto: Victor Ferrando (Lavapiés, Madrid) 2013
  18. 18. aç O projeto cultural para a açããoo ssoocciiaall ttaammbbéémm éé ccaarraacctteerriizzaaddoo ppeellaa ccoonnttrriibbuuiiççããoo ppaarraa aa ffoorrmmaaççããoo ddee rreeccuurrssooss hhuummaannooss ddee mmããoo ddee oobbrraa llooccaall ((eemm áárreeaa uurrbbaannaa oouu rruurraall)) ttaannttoo nnaa rreeccoonnssttrruuççããoo ee rreeaabbiilliittaaççããoo ddee eeddiiffíícciiooss hhiissttóórriiccooss ee áárreeaass ccoonnssttrruuííddaass ee -- oouu nnaattuurraaiiss,, ee nnaa rreeccuuppeerraaççããoo ee ddee áárreeaass hhiissttóórriiccaass.. AA iimmpplleemmeennttaaççããoo ddee ppoollííttiiccaass ccuullttuurraaiiss ee oouuttrrooss eeqquuiippaammeennttooss ppaarraa iinnccrreemmeennttaarr oo ttuurriissmmoo ssee eennccoonnttrraa eennttrree oouuttrraass aattiivviiddaaddeess eessttrraattééggiiccaass.. AA rreeggeenneerraaççããoo ddaa ccoommuunniiddaaddee ggiirraa eemm ttoorrnnoo ddaa iimmpplleemmeennttaaççããoo ddee iinnffrraa--eessttrruuttuurraa oouu mmeellhhoorriiaass aaddiicciioonnaaiiss ddee ttrraannssppoorrttee,, ppoorr eexxeemmpplloo.. Com efeito, o estabelecimento de linhas de crédito como capital inicial, desempenha um papel vital na criação das condições necessárias para a implementação de empresas de pequeno porte, aspecto importante para gerar recurso financeiro local, especialmente em zonas rurais.
  19. 19. The destroyed National Library hall after shelling in 1992 (left) and the same hall after its renovation in the Bosnian capital, Sarajevo Photo: DADO RUVIC / REUTERS
  20. 20. 2 . Criar um efeito multiplicador Um projeto - piloto para implementar ou reabilitar uumm mmuusseeuu llooccaall oouu uummaa zzoonnaa aarrqquueeoollóóggiiccaa,, aa rreeccuuppeerraaççããoo ddee uumm oouu mmaaiiss eeddiiffíícciiooss hhiissttóórriiccooss,, ppoorr ssii ssóó eexxeerrccee uumm eeffeeiittoo ppoossiittiivvoo aauuttoommááttiiccoo aa ccoommuunniiddaaddee llooccaall.. QQuuaannttoo àà pprroommooççããoo ddoo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo llooccaall,, aa aaççããoo éé rreeffoorrççaaddaa aattrraavvééss ddee aattiivviiddaaddeess ccoommuunniittáárriiaass;; oouu ppooddeemmooss ddeesseennhhaarr uumm ppllaanneejjaammeennttoo eessttrraattééggiiccoo aa ppaarrttiirr ddaa ggeessttããoo ddee rreeccuurrssooss.. OOss pprroojjeettooss ddee ccooooppeerraaççããoo iinntteerrnnaacciioonnaall nnaass áárreeaass ddee rriissccoo ee ddee sseegguurraannççaa hhuummaannaa tteemm oo ppeerrffiill oouu ppaarrtteemm ddoo pprriinnccííppiioo ddaa ccoonnsseerrvvaaççããoo ddaa zzoonnaa hhiissttóórriiccaa.. OO ffaattoo éé qquuee ppaarraa pprroommoovveerr aa aattiivviiddaaddee ccuullttuurraall eemm áárreeaass sseemm eelleettrriicciiddaaddee oouu áágguuaa ccoorrrreennttee ee ppoottáávveell,, ppaarrttiimmooss ddaa rreeccuuppeerraaççããoo ddaass aattiivviiddaaddeess ddoo mmuusseeuu llooccaall,, ddee ffoorrmmaa ssiimmuullttâânneeaa:: ccoomm aa iinnssttaallaaççããoo ddee uunniiddaaddeess ggeerraaddoorraass ddee eenneerrggiiaa ffoottoovvoollttaaiiccaa ((aauuttoo ssuusstteennttáávveell)) ee ddee ccaappttaaççããoo ddee áágguuaass pplluuvviiaaiiss..
  21. 21. O Projeto de Cooperação com Guiné Bissau  Isto significa que o fornecimento de luz e água para o museu ou centro cultural,  resulta num recurso valioso de recuperação da função social do equipamento cultural e benefício imediato da população local;  uma fonte de energia alternativa significa uma solução imediata e definitiva para reativar o funcionamento do museu  e beneficia diretamente a comunidade local através do projeto museológico.
  22. 22. Expressões artísticas da Guiné Bissau
  23. 23. 2.1 Os sistemas de avaliação A intervenção sustentável começa e termina com a extensão do museu com a comunidade, aumentando o mapa sócio- cultural. Como afirma Joaquin Ibañez, professor da Universidade Politécnica de Madrid e membro da Agência Espanhola de Cooperação Internacional "a educação e a gestão cultural, são itens que devem ser reforçados na sociedade”. O projeto centra-se sobre as variáveis sociológicas culturais, tais como tamanho da comunidade , as relações tribais , família, situação de sobrevivência , saneamento, acesso à água, segurança alimentar, educação, a qualidade de vida como um todo a partir da perspectiva dos objetivos de desenvolvimento do milênio. A estratégia da cultura e do desenvolvimento do Plano Diretor Espanhol para a Cooperação (2005-08 ) introduziu a cooperação cultural como uma chave para o desenvolvimento sustentável e o desenvolvimento e a cooperação para integrar a perspectiva cultural em suas atividades e conteúdo, fornecendo recursos para a mudança social; é abrir um leque de possibilidades de vida para os envolvidos na cooperação como uma importante dimensão da luta contra a pobreza e a exclusão social.
  24. 24. O projeto cultural de ação social sustentável vvaaii aalléémm ddaass qquueessttõõeess iiddeeoollóóggiiccaass eennvvoollvviiddaass nnaa pprroommooççããoo ddaa iiddeennttiiddaaddee ccuullttuurraall llooccaall.. AA rreeccuuppeerraaççããoo ddee áárreeaass ddee vvaalloorr hhiissttóórriiccoo rreeddeeffiinnee oo aassppeeccttoo ppssiiccoollóóggiiccoo ccoommoo uumm ccoonncceeiittoo ddee pprrooggrreessssããoo,, aauummeennttaannddoo aa ccooeessããoo ddoo ggrruuppoo aattrraavvééss ddaa ccoonnsscciiêênncciiaa ddee pprreesseerrvvaaççããoo hhiissttóórriiccaa.. OO pprroojjeettoo ssee eesstteennddee aa mmuuiittaass nneecceessssiiddaaddeess ppaarraa aatteennddeerr oo ppoonnttoo ddee vviissttaa ddaa ccoommuunniiddaaddee,, aa ccuurrttoo ee lloonnggoo pprraazzoo.. RReeddeeffiinniimmooss oo ccoonncceeiittoo ddee ccuullttuurraa eessttrraattééggiiccaa ccoommoo uumm rreeppeerrttóórriioo ddee ffoorrmmaass ddee oorrggaanniizzaaççããoo ddoo ccoommppoorrttaammeennttoo ssoocciiaall,, ccoommppaarrttiillhhaarr iiddééiiaass ee cchheeggaarr aa aaccoorrddoo ssoobbrree ffoorrmmaass ddee ddiiaaggnnoossttiiccaarr pprroobblleemmaass ee oorrggaanniizzaarr aa aaççããoo.. OO PPCCAASSSS ttrraaççaa uummaa ppeerrssppeeccttiivvaa ppaarraa oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ssoocciiaall ee ddeevvee aatteennddeerr ppeelloo mmeennooss uummaa ddaass nneecceessssiiddaaddeess bbáássiiccaass ddaa ppooppuullaaççããoo llooccaall,, ttrraattaannddoo ddee aajjuuddaarr aa ssuuppeerraarr aaoo mmeennooss uummaa ddaass ccaatteeggoorriiaass ddee jjuussttiiççaa ssoocciiaall..
  25. 25. Detroit (USA): http://toledowastewalker.wordpress.com/
  26. 26.  Significa a criação ddee eemmpprreeggooss,, ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ddee nneeggóócciiooss ee ddee aassssoocciiaaççõõeess ddee ppeeqquueennooss eemmpprreessáárriiooss ee eemmpprreeeennddeeddoorreess ssoocciiaaiiss,,  ddee ggrruuppooss ddee aarrtteessããooss oouu ccoollaabboorraannddoo ccoomm aa oorrggaanniizzaaççããoo ddaa pprroodduuççããoo,, ddaa rreeccoollhhaa sseelleettiivvaa ddee lliixxoo uurrbbaannoo,,  ffoommeennttaannddoo aa pprroodduuççããoo,, aa ppeessqquuiissaa ,, oorriieennttaaççããoo ee ffoorrmmaaççããoo ddee jjoovveennss ppaarraa aa pprroossppeerriiddaaddee llooccaall,,  ttrraazzeennddoo bbeenneeffíícciiooss ddiirreettooss ppaarraa aa ccoommuunniiddaaddee ,, aa ffiimm ddee eerrrraaddiiccaarr aa ppoobbrreezzaa ee pprroommoovveerr aa iinntteeggrraaççããoo ssoocciiaall ,, aattrraavvééss ddee uummaa cchhaannccee nnaa ccuullttuurraa ccoorrppoorraattiivvaa ..
  27. 27. O alcance social da Museologia Significa a criação de empregos, desenvolvimento de negócios e de associações de pequenos empresários e empreendedores sociais, de grupos de artesãos ou colaborando com a organização da produção, da recolha seletiva de lixo urbano, fomentando a produção, a pesquisa , orientação e formação de jovens para a prosperidade local, trazendo benefícios diretos para a comunidade , a fim de erradicar a pobreza e promover a integração social , através de uma chance na cultura corporativa . Os setores vulneráveis ou excluídos da população podem beneficiar-se ao estabelecer-se um programa informal de alfabetização, através da reorganização do museu , por exemplo. Pode significar uma demanda por guias turísticos, serviços de internet, fax e telefone, atendentes de hotéis, entre outros serviços. Do ponto de vista da organização espacial, o projeto deve atribuir áreas de comércio e venda de produtos locais, incentivando o livre mercado e áreas de entretenimento. O projeto está concebido para proteger e promover o patrimônio cultural, histórico, artístico e natural, dirigido para resgatar os princípios da identidade cultural local e voltado para o desenvolvimento social sustentável, levando em consideração a segurança humana e sua relação com a história, como um sistema integrado de intervenção.
  28. 28. 3. A promoção do desenvolvimento sustentável das empresas sociais  Os projetos de intervenção urbanística eemm mmaattéérriiaa ddee ppaattrriimmôônniioo hhiissttóórriiccoo iimmóóvveell ddeevveemm eexxppaannddiirr sseeuuss oobbjjeettiivvooss ccoommoo uummaa ccoonnttrriibbuuiiççããoo ppaarraa aa mmeellhhoorriiaa ddaa qquuaalliiddaaddee ddee vviiddaa ddaa ccoommuunniiddaaddee..  DDoo ppoonnttoo ddee vviissttaa ddaa rreessppoonnssaabbiilliiddaaddee ssoocciiaall aa iinntteerrvveennççããoo ddeevvee aabboorrddaarr aa aattiivviiddaaddee eeccoonnôômmiiccaa llooccaall,, rreevviivveerr oouu pprroommoovveerr,, ppeelloo mmeennooss,, nnaa pprrááttiiccaa,, aa rreessoolluuççããoo ddee uummaa nneecceessssiiddaaddee ccoolleettiivvaa,, jjuunnttaammeennttee ccoomm aa ppoossssiibbiilliiddaaddee ddee pprroommoovveerr aa eexxpplloorraaççããoo hhiissttóórriiccaa ppaarraa oo ttuurriissmmoo ppoorr eexxeemmpplloo:: 11 .. aattrraavvééss ddaa ccrriiaaççããoo ddee eemmpprreeggoo oouu aauuttoo--eemmpprreeggoo 22 .. aattrraavvééss ddaa pprroommooççããoo ddoo ttuurriissmmoo ssuusstteennttáávveell ee ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ddoo ttuurriissmmoo ccuullttuurraall 33.. ccrriiaaççããoo ddee mmiiccrroo eemmpprreessaass 44.. ggeerraaççããoo ddee eemmpprreeeennddeeddoorreess ssoocciiaaiiss
  29. 29. OO ttuurriissttaa pprrooccuurraa ooss pprroodduuttooss llooccaaiiss 55.. ttrreeiinnaammeennttoo ee sseerrvviiççooss ddee pprroommooççããoo ddooss pprroodduuttooss llooccaaiiss oouu rreeggiioonnaaiiss,, ee aa ccoonnsseeqqüüeennttee mmeellhhoorriiaa ddaa rreennddaa iinnddiivviidduuaall ee ffaammiilliiaarr 66.. aa rreeccuuppeerraaççããoo mmééddiiaa ee mmaannuutteennççããoo ddaass aattiivviiddaaddeess ttrraaddiicciioonnaaiiss ddee ssuubbssiissttêênncciiaa,, 77.. pprroodduuççããoo llooccaall ddee ccoonnttaattoo ccoomm oouuttrrooss mmeerrccaaddooss 88.. iinnttrroodduuççããoo ddoo ""eeccoo -- llaabbeell"" oouu "" sseelloo vveerrddee "" ,, eessppeecciiffiiccaannddoo aa qquuaalliiddaaddee ddooss pprroodduuttooss 99.. ooffiicciinnaass ddee ccaappaacciittaaççããoo ppaarraa oo "" eeqquuiippaammeennttoo hhiissttóórriiccoo”” eemm qquueessttããoo..
  30. 30. Plantios orgânicos em zonas urbanas (UK)
  31. 31. Conquistas para a população local 1 . na fazenda da família , na oferta de alimentos , distribuição e marketing, em zonas rurais ou próximas de sítios arqueológicos e históricos, como é a área de Oaxaca, no México. 2 . desenvolvimento local começa com saúde e educação para redução da pobreza, como alguns projetos em Cuzco, Perú. 3. Com base nos princípios, as bases de empreendedores sociais devem prever a preocupação com o impacto sobre o meio ambiente, como alguns projetos na Costa Rica. 4 . A promoção e aplicação de fontes de geração de energia de financiamento para energia, água potável e limpa - a finalidade dos sistemas de águas pluviais, como os projetos de cooperação da União Européia em Cabo Verde.
  32. 32. Acreditamos que a visão crítica dos empreendedores sociais, com o auxílio ou a cooperação internacional proporcionaram alguns modelos para a exploração comercial nos últimos anos. A partir de um projeto sócio- cultural, a economia cria uma nova sinergia entre o patrimônio e da comunidade construída para ele , beneficiando a preservação e a manutenção do mesmo , promovendo a exploração cultural como um recurso para a revitalização e gestão das atividades da comunidade. A idéia de progresso democrático e econômico que é a base de projetos dessa natureza, tem por objetivo uma gama intrínseca da justiça social, com efeitos diretos sobre o Estado do bem estar social. A gestão moderna entendida como “empresas sociais” organizando a produção, os pontos de compra , venda e distribuição em diferentes mercados; mas para alcançá-lo deve ser praticado a idéia de via de mão dupla , e um retorno para os produtores locais do lucro como capital a ser reinvestido , como um benefício e incentivo , aumentando a renda familiar.
  33. 33. http://afritorial.com/re-imagining-africas-cities-for-a-new-africa-4-0/
  34. 34. Apresentação do PCASS: objetivos Desenho do projeto cultural de ação social como uma forma de intervenção direta para o benefício da comunidade local, promovendo a sustentabilidade, a responsabilidade pelo desenvolvimento local e a conservação de equipamentos culturais Contribuições para a elaboração do projeto visando o desenvolvimento cultural, promovendo o desenvolvimento social sustentável especialmente na recuperação do patrimônio cultural através de intervenção na política de desenvolvimento local para melhorar a qualidade de vida da comunidade. Desenvolver novos paradigmas em projetos de restauração do patrimônio cultural, em conformidade ou considerando os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. O Projeto Cultural de Ação Social Sustentável desenvolve novos paradigmas conceituais aplicados aos projetos de restauração do patrimônio cultural na construção de projetos para novos museus, propondo soluções humanitárias e implementação de infra-estrutura . Relacionando a recuperação do patrimônio histórico com a ajuda Humanitária, o "PCASS " representa um avanço conceitual na implementação de políticas públicas ; expande a missão social do equipamento cultural enlaçado como uma estratégia para intervenção de desenvolvimento de infra-estrutura na comunidade local.
  35. 35. Biblioteca da Universidade de Varsóvia, Polônia (photo: Martin Chodorowski)
  36. 36. 1 . Observações realizadas durante o planejamento e montagem das exposições realizadas em 1982, em Ciudad Cárdenas, Tabasco, México.  Desenvolve a capacidade de ação humanitária de forma retroativa, a manutenção de equipamentos culturais, promovendo por exemplo , os mecanismos de geração de renda seguido do aumento da qualidade de vida através da criação de empregos.  Ainda levanta a questão dos limites da segurança humana em áreas de risco e a salvaguarda do patrimônio nacional, estimulando estudos multidisciplinares no campo do humanismo cultural.  Breve descrição da investigação em curso no domínio da cooperação internacional,
  37. 37. a partir da perspectiva das orientações das Nações Unidas e recomendações organismos como a UNESCO , HABITAT , UNODC e instituições internacionais, particularmente as agencias de cooperação européias (3) como um guia conceitual para a elaboração de projetos de Ação Social Cultural Sustentável .  Para entender o tamanho e perguntas específicas sobre a eficácia e as condições de proteção humana em áreas de risco, bem como a integridade e proteção do patrimônio nacional como um meio de sobrevivência das comunidades locais.  Estamos trabalhando sobre este tema nos últimos três anos, com a primeira proposta de implementação do projeto consistiu em um estudo de caso sobre Guiné-Bissau (2008) porque consideramos a situação de risco humano  Considerando as escolas e a desativação dos equipamentos culturais, como alguns museus que estão fechados.
  38. 38. Recuperação do patrimônio cultural de Guiné Bissau e segurança humana
  39. 39.  "O país, especialmente na capital, nnaa vveerrddaaddee,, tteemm pprroobblleemmaass ccoomm eenneerrggiiaa eellééttrriiccaa eessttaabbeelleecciiddaa aappeennaass eemm aallgguummaass hhoorraass ppoorr sseemmaannaa;; ffaallttaa ddee ssaanneeaammeennttoo ee ffaallttaa ddee áágguuaa ppoottáávveell..””  PPeennssaannddoo ssoobbrree eessttaass qquueessttõõeess,, pprrooppuusseemmooss aa iinnssttaallaaççããoo ddee eeqquuiippaammeennttooss bbáássiiccooss ppaarraa ccaappttaaççããoo ddee áágguuaass pplluuvviiaaiiss ((ccoolllleeccttiioonn vvaattss))  aa iinnssttaallaaççããoo ddee eeqquuiippaammeennttooss ppaarraa ccaappttaaççããoo ddee eenneerrggiiaa ffoottoovvoollttaaiiccaa "" ((22)) SSoobb aa ffoorrmmaa ddee uumm pprroojjeettoo--ppiilloottoo ppaarraa oo MMuusseeuu NNaacciioonnaall ddee EEttnnooggrraaffiiaa,, ffooii pprrooppoossttaa ddee rreeeessttrruuttuurraaççããoo ddoo mmuusseeuu,, aa rreeccuuppeerraaççããoo ddaass ccoolleeççõõeess ee aa pprrootteeççããoo ddoo eeddiiffíícciioo uuttiilliizzaannddoo mmeeiiooss aalltteerrnnaattiivvooss ppaarraa pprrooppoorrcciioonnaarr ccoonnddiiççõõeess ffííssiiccaass ppaarraa ooss ttrraabbaallhhaaddoorreess ddoo mmuusseeuu..
  40. 40. (2) Baseado em Guiné-Bissau - África - Projeto de Cooperação Cultural -2003.  O equipamento cultural cumpre a sua função social, os museus * relacionam-se com o entorno social e o meio-ambiente, interagindo com a comunidade de uma forma positiva.  Acreditamos que os projetos relacionados com a proteção do patrimônio cultural devem incluir a dimensão humana (enquanto a proximidade física) e área de atuação, ou seja, a restauração de edifícios históricos (equipamentos culturais )  e lograr pelo menos uma solução (entre muitas) dos problemas sociais, tais como saneamento básico ou água potável, populações sem abrigo ( ou em áreas de risco ) segurança alimentar e implantação de recursos sustentáveis, proporcionando um benefício direto para a comunidade local.  Assim, podemos trabalhar para a contribuição direta para o alcançar os objetivos do milênio, estabelecendo novos paradigmas de responsabilidade social a projetos culturais.
  41. 41.  FFaassee 11 .. aa)) BBaassee tteeóórriiccaa ee ddeeffiinniiççããoo ddoo pprroojjeettoo ccoonncceeiittuuaall OOss mmuusseeuuss ccoommuunniittáárriiooss ee pprrootteeççããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall,, aa mmaannuutteennççããoo ddee iiddeennttiiddaaddee ee ddee ccoonnsseerrvvaaççããoo ddoo mmeeiioo aammbbiieennttee nnaattuurraall,, ddeeffiinniiuu oo ccoonncceeiittoo ddee "" MMuusseeuu ddoo TTeerrrriittóórriioo"" ,, ddeesseennvvoollvviiddoo nnoo CCaannaaddáá eemm 8800 aannooss.. NNaaqquueellaa ééppooccaa ffoorraamm iinnttrroodduuzziiddaass nnooss eessttuuddooss mmuusseeoollóóggiiccooss ooss ccoonncceeiittooss ddaa NNoovvaa MMuusseeoollooggiiaa ,, eennvvoollvveennddoo ggrraannddeess eessppaaççooss ppaarraa iinnssttaallaaççõõeess mmaacciiççaass nnoo aammbbiieennttee ddooss MMuusseeuuss;; oo ccoonncceeiittoo ddee mmuusseeuuss aaoo aarr lliivvrree,, ee mmaaiiss iimmppoorrttaannttee,, aass iiddééiiaass qquuee eennvvoollvviiaamm aa ccoommuunniiddaaddee llooccaall ee ooss mmuusseeuuss ccoommoo ffoonnttee ee rreessuullttaaddoo ddaa iiddeennttiiddaaddee llooccaall,, aa ccoonnsseerrvvaaççããoo ddaa ccuullttuurraa mmaatteerriiaall ee iimmaatteerriiaall ssee ttoorrnnaannddoo--ssee oo ppoonnttoo ffooccaall,, ppaarraa aa aallooccaaççããoo ddee rreeccuurrssooss hhuummaannooss ee ffiinnaanncceeiirrooss ddaa ccoommuunniiddaaddee.. AA eexxppeerriiêênncciiaa nnoo CCaannaaddáá mmooddeerrnniizzoouu aa ppoollííttiiccaa ccuullttuurraall nneessttaa ddééccaaddaa,, ee ooss ccoonncceeiittooss ffoorraamm aammpplliiaaddooss nnooss pprriinncciippaaiiss cceennttrrooss ddaa EEuurrooppaa..
  42. 42. A Museologia começa a formar o seu corpo teórico, como disciplina acadêmica científica expandindo a responsabilidade social e a função social dos museus.....os museus pró ativos e a comunidade local, os museus como fórum de debate, estabelecendo o avanço conceitual também desde o ponto de vista das coleções (conteúdo) edifícios (continente) e os meio social (a comunidade). As transformações sociais e os novos fenômenos culturais influenciaram as artes em termos de design, da arquitetura e os edifícios urbanos, como o Centro Georges Pompidou em Paris. Mas as tendências modernas se entrelaçam com o meio social, promovendo novas estratégias e os estudos metodológicos incorporam as questões sociais, como lazer ou como problema social. As cidades e seus edifícios circundantes e a situação humana e social. Os conceitos ecológicos e ambientais dos anos 60 se transformaram. Os grupos políticos que dominam o cenário mundial, renovaram as nomenclaturas. Hoje falamos em sustentabilidade e em responsabilidade social. Contemplamos os " edifícios verdes", que agregam as soluções para diminuir as emissões de carbono , conseguindo a utilização total de água da chuva e jardins suspensos,como o Banco de América em Nova York. Na verdade, a economia dos recursos naturais começa a ocorrer ao redor do planeta com as mudanças climáticas, o período do mundo globalizado, onde as diversas estruturas, culturais, sociais e físicas estão mudando rapidamente.
  43. 43. b.) As novas tendências Estudos sobre a abrangência e significados do patrimônio cultural ganham espaço Século XXI, impulsionado pela migração em massa , com os efeitos da globalização e as questões da integração multi cultural e de identidade No que diz respeito à nossa abordagem, dirigimos as perspectivas para o fenômeno histórico, artístico e o cultural integrado no cotidiano das pessoas. O aspecto da conservação de edifícios nos países desenvolvidos, a tendência para sustentabilidade é um imperativo, e os projetos atuais são direcionados para soluções "verdes" e sustentáveis Bibliotecas, museus, centros culturais, escolas, edifícios históricos e novos edifícios são equipados com meios de concepção e arquitetura, com base no aproveitamento da luz natural e as instalações que reduzem as emissões de carbono, economia de energia e instalações de água Utilização da energia fotovoltaica entre outras fontes renováveis alternativas Novas tendências também dizem respeito às formas naturais para a iluminação interior como redutor de gastos com a eletricidade, podendo ser aplicados a habitações individuais e edifícios públicos (4)
  44. 44. The Ben-Gurion National Solar Energy Center (1996) Israel
  45. 45. c.) Os aspectos ssoocciiaaiiss rreelleevvaanntteess NNooss úúllttiimmooss aannooss tteemmooss vviissttoo uumm aauummeennttoo ddee ggrraannddeess ccaattáássttrrooffeess,, ccoommoo oo tteerrrreemmoottoo nnoo HHaaiittii ,, ttssuunnaammiiss nnoo JJaappããoo,, iinnuunnddaaççõõeess ee oouuttrrooss ddeessaassttrreess eemm eessccaallaa ccoommoo eemm BBaannggllaaddeesshh.. AA GGeessttããoo ddee DDeessaassttrreess éé uumm ccaammppoo ddee aannáálliissee qquuee eessttáá sseennddoo ddeesseennvvoollvviiddoo,, ccoomm rreellaaççããoo aa vváárriiooss aassppeeccttooss ddaa vviiddaa ssoocciiaall,, eessttuuddooss ee eessppeecciiaalliissttaass eennvvoollvviiddooss ccoottiiddiiaannaammeennttee,, aa ppaarrttiirr ddoo ppoonnttoo ddee vviissttaa ddaa ssuuaa ffoorrmmaaççããoo,, vviissaannddoo ccoonnttrriibbuuiirr ppaarraa ssoolluuççõõeess hhuummaanniittáárriiaass.. AA eessttee rreessppeeiittoo aapplliiccaa--ssee aa ccrriiaaççããoo ddee pprrooggrraammaass ddee eemmeerrggêênncciiaa ppaarraa ssaallvvaagguuaarrddaarr ccoolleeççõõeess ee mmuusseeuuss.. TTaammbbéémm eessttáá eemm jjooggoo oo aassppeeccttoo cclliimmááttiiccoo qquuee iimmppaaccttaa ddiirreettaammeennttee ssoobbrree aass eessttrruuttuurraass hhiissttóórriiccaass,, ccoommoo aass iinnuunnddaaççõõeess eemm CCoocckkeerrmmoouutthh ,, RReeiinnoo UUnniiddoo eemm 22001111.. dd..)) mmuuddaannççaa ddee ppeerrssppeeccttiivvaa (( ppaattrriimmôônniioo ,, mmeeiioo aammbbiieennttee,, eeccoonnoommiiaa ee bbeenneeffíícciioo ssoocciiaall)) aa rreeccuuppeerraaççããoo ddee aacceerrvvooss hhiissttóórriiccooss rreepprreesseennttaa uummaa aaççããoo ppoossiittiivvaa nnaa ccoommuunniiddaaddee ssoocciiaall ,, ppssiiccoollóóggiiccaa ee eeccoonnoommiiccaammeennttee.. AA pprreesseerrvvaaççããoo aattuuaa ccoommoo uumm ffoorrttee ccoommpprroommiissssoo ccoomm aa ppaarrttiicciippaaççããoo ddaa ccoommuunniiddaaddee,, eennffaattiizzaannddoo ooss ddeevveerreess ee ddiirreeiittooss ddee eexxpplloorraaççããoo ccuullttuurraall eemm ffaavvoorr ddee eelleevvaarr aa qquuaalliiddaaddee ddee vviiddaa llooccaall..
  46. 46.  Exemplo do patrimônio cultural da comunidade: + Coleções Zoológicas  +Jardim Botânico + Museu (monumentos, fortalezas ) + Biblioteca + Sítios históricos (aldeia rural, estruturas históricas urbanas) + Zona Arqueológica + Pequenas instituições ( ciências, artes ) + Negócios e infra-estrutura ( mercado popular, uma câmara de compensação) + Defesa Civil ( voluntários ) + Hospitais (ambulatórios , emergência, centros de serviços  sociais) + Escola (formal e informal ) + Igreja ( monumentos eclesiásticos , templos ) + Centro Cultural (interpretação da memória, instituições culturais ) + Prédios históricos ( design sustentável )
  47. 47.  FFaassee 22::  FFoorrttaalleecciimmeennttoo ddaa ccoonneexxããoo llooccaall--gglloobbaall OOss rreessuullttaaddooss eessppeerraaddooss iinncclluueemm aass ccoonnttrriibbuuiiççõõeess ccrriiaattiivvaass ddee ppeessqquuiissaa ssoocciioollóóggiiccaa ee iinnoovvaaççããoo,, ppoorrqquuee aass eessccaallaass eemm uumm nníívveell tteeóórriiccoo ddee eessttuuddooss mmuullttiiddiisscciipplliinnaarreess rreevveellaamm aass nneecceessssiiddaaddeess hhuummaannaass ssoocciiaaiiss oouu hhuummaanniittáárriiaass pprrooffuunnddaass qquuee iinneevviittaavveellmmeennttee ssuurrggeemm eemm ttaaiiss cciirrccuunnssttâânncciiaass eessppeecciiaallmmeennttee nnaass rreeggiiõõeess mmeennooss ddeesseennvvoollvviiddaass.. OO pprroojjeettoo ccuullttuurraall ddee aaççããoo ssoocciiaall pprrooppõõee aa ssoolluuççããoo ddee ppeelloo mmeennooss uumm aassppeeccttoo ddooss pprroobblleemmaass ssoocciiaaiiss ddaa ccoommuunniiddaaddee:: aa ddeecciissããoo nnããoo éé aalleeaattóórriiaa,, mmaass ppllaanneejjaaddaa ee rreessuullttaannttee ddaa aaççããoo eessttrraattééggiiccaa qquuee ccoonnttrriibbuuii ppaarraa ssoolluucciioonnaarr uummaa nneecceessssiiddaaddee iimmeeddiiaattaa .. PPoorr eexxeemmpplloo,, pprrooppoorr aa iimmpplleemmeennttaaççããoo ddee iinnffrraa--eessttrruuttuurraa mmíínniimmaa ppaarraa ccrriiaarr ccoonnddiiççõõeess ddee sseegguurraannççaa hhuummaannaa ((ccoommoo oo aacceessssoo àà áágguuaa ppoottáávveell )) eemm aaççããoo ccoonnjjuunnttaa ddoo vvoolluunnttaarriiaaddoo ddoo mmuusseeuu llooccaall,, bbeemm ccoommoo oo oorrççaammeennttoo ppaarraa aa iimmpplleemmeennttaaççããoo ddoo pprroojjeettoo ddee uummaa ffoorrmmaa ssuusstteennttáávveell..
  48. 48. Outro exemplo de alternativa ccoommbbiinnaaddaa ::  11 .. GGeessttããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall ee ddaa sseegguurraannççaa hhuummaannaa,, uussaannddoo aa hheerraannççaa ccuullttuurraall ppaarraa oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo llooccaall  OO pprriimmeeiirroo ppaassssoo éé sseennssiibbiilliizzaarr oo ggoovveerrnnoo llooccaall ee ddaa ssoocciieeddaaddee cciivviill oouu oo sseettoorr pprriivvaaddoo,, ppaarraa iinntteeggrraarr oo pprroojjeettoo ddee ddeesseennvvoollvviimmeennttoo llooccaall ((hheerraannççaa ccuullttuurraall àà lluuzz ddaa sseegguurraannççaa hhuummaannaa)) ..  OO CCeennttrroo ddaass NNaaççõõeess UUnniiddaass ppaarraa aasssseennttaammeennttooss uurrbbaannooss ddee aaccoorrddoo ccoomm oo ttrraattaaddoo iinntteerrnnaacciioonnaall eemm sseeuu aarrttiiggoo 115544 eessttaabbeelleeccee qquuee,, aa ffiimm ddee iinntteeggrraarr ooss oobbjjeettiivvooss ddee ddeesseennvvoollvviimmeennttoo ddoo mmiillêênniioo::  ooss oobbjjeettiivvooss ddaa ccoonnsseerrvvaaççããoo ee rreeaabbiilliittaaççããoo ddoo ppaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall ,, ooss ggoovveerrnnooss,, nnooss nníívveeiiss aapprroopprriiaaddooss ,, iinncclluuiinnddoo aass aauuttoorriiddaaddeess llooccaaiiss ddeevveemm rreeccoonnhheecceerr qquuee aa hheerraannççaa ccuullttuurraall éé uumm rreeccuurrssoo iimmppoorrttaannttee ee tteennttaarr mmaanntteerr aa vviiaabbiilliiddaaddee ddaa vviiddaa ssoocciiaall,, ccuullttuurraall ee eeccoonnôômmiiccaa......ee ccoonnttiinnuuaa oo aarrttiiggoo ccoomm aass sseegguuiinntteess rreeccoommeennddaaççõõeess::
  49. 49. b) preservar locais históricos e assentamentos do passado e ao mesmo tteemmppoo pprrootteeggeerr aa iinntteeggrriiddaaddee ddoo tteecciiddoo uurrbbaannoo hhiissttóórriiccoo ee ffoorrnneecceerr oorriieennttaaççõõeess ssoobbrree aa nnoovvaa ccoonnssttrruuççããoo eemm áárreeaass hhiissttóórriiccaass;; cc)) aappooiioo ffiinnaanncceeiirroo ee lleeggaall ppaarraa rreeaalliizzaarr aa ccoonnsseerrvvaaççããoo ee rreeaabbiilliittaaççããoo,, aattrraavvééss ddee aattiivviiddaaddeess qquuee pprroommoovvaamm aa ffoorrmmaaççããoo aaddeeqquuaaddaa ddee rreeccuurrssooss hhuummaannooss eessppeecciiaalliizzaaddooss ;; dd )) ffoorrnneecceerr iinncceennttiivvooss ppaarraa qquuee aass eemmpprreessaass ddeesseennvvoollvvaamm ooss sseettoorreess ppúúbblliiccoo ee pprriivvaaddoo ee oorrggaanniizzaaççõõeess sseemm ffiinnss lluuccrraattiivvooss ppaarraa ccoollaabboorraarr ccoomm eessssaass aattiivviiddaaddeess ddee ccoonnsseerrvvaaççããoo ee rreeaabbiilliittaaççããoo ;; ee)) pprroommoovveerr aa aaççããoo ccoommuunniittáárriiaa ppaarraa aa ccoonnsseerrvvaaççããoo,, rreeaabbiilliittaaççããoo,, rreennoovvaaççããoo ee mmaannuutteennççããoo ddooss bbaaiirrrrooss;; ff)) ppaarrcceerriiaass ddee aappooiioo eennttrree oo sseettoorr ppúúbblliiccoo ee pprriivvaaddoo ee ddaa ccoommuunniiddaaddee ppaarraa rreeaabbiilliittaarr bbaaiirrrrooss ee gguueettooss uurrbbaannooss;; gg)) aasssseegguurraarr aa ccoonnsseerrvvaaççããoo ee pprroojjeettooss ddee rreeaabbiilliittaaççããoo,, tteennddoo eemm ccoonnttaa qquueessttõõeess aammbbiieennttaaiiss;; hh)) ttoommaarr mmeeddiiddaass ppaarraa rreedduuzziirr aa cchhuuvvaa áácciiddaa ee oouuttrraass ffoorrmmaass ddee ppoolluuiiççããoo qquuee ddaanniiffiiccaamm ccoonnssttrruuççõõeess ddee iinntteerreessssee hhiissttóórriiccoo ee ccuullttuurraall;; ii )) aa aaddooççããoo ddee ppoollííttiiccaass ppaarraa oo ppllaanneejjaammeennttoo ddooss aasssseennttaammeennttooss hhuummaannooss ,, eessppeecciiaallmmeennttee eemm ttrraannssppoorrttee ee oouuttrraass iinnffrraa--eessttrruuttuurraass ppaarraa eevviittaarr aa ddeeggrraaddaaççããoo aammbbiieennttaall eemm áárreeaass ddee ppaattrriimmôônniioo hhiissttóórriiccoo ee ccuullttuurraall;; jj )) aasssseegguurraarr aa ccoonnsseerrvvaaççããoo ee pprroojjeettooss ddee rreeaabbiilliittaaççããoo ssããoo ttiiddooss eemm ccoonnttaa aa pprroobblleemmaass ddee aacceessssoo ppaarraa ppeessssooaass ccoomm ddeeffiicciiêênncciiaa..
  50. 50.  As ações pró-ativas na gestão sustentável ddoo ppaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall ee ddee ddeesseennvvoollvviimmeennttoo llooccaall ttaammbbéémm ddeeppeennddee ddaass ccoonnddiiççõõeess ddooss ttrraabbaallhhaaddoorreess ddoo mmuusseeuu ,, ** ccoommoo ssaaúúddee ee aa sseegguurraannççaa ddooss mmeessmmooss.. 11 .. ssoolluuççõõeess ccoommbbiinnaaddaass PPaattrriimmôônniioo ccuullttuurraall ccoommoo uumm rreeccuurrssoo ppaarraa oo ddeesseennvvoollvviimmeennttoo eeccoonnôômmiiccoo llooccaall,, aa nnoossssaa rreessppoossttaa pprrááttiiccaa éé aa ffoorrmmaaççããoo ddee ccooooppeerraattiivvaass ddee aarrtteessããooss ee ppeeqquueennaass eemmpprreessaass ,, aa ddeesseennvvoollvveerr iinniicciiaattiivvaass ddee eemmpprreessaass ddee ttuurriissmmoo ((44)) 22 .. IInnttrroodduuççããoo ddooss ccoonncceeiittooss ddee rreedduuççããoo ddee ddeessaassttrreess IInncclluuiirr aa ""hheerraannççaa ccuullttuurraall"" nnaa rreedduuççããoo ddee ddeessaassttrreess gglloobbaaiiss eemm nníívveell nnaacciioonnaall ee rreeggiioonnaall.. OO ppllaanneejjaammeennttoo ddaass aattiivviiddaaddeess ddee ttrreeiinnaammeennttoo ee ccuurrssooss,, ooffiicciinnaass ppaarraa aa ffoorrmmaaççããoo ddee gguuiiaass llooccaaiiss,, ee pprreeppaarraarr aass ppeessssooaass ppaarraa aass ooppeerraaççõõeess ddee eemmeerrggêênncciiaa,, iinntteeggrraaddoo ccoomm aa ddeeffeessaa cciivviill..
  51. 51. Para integrar a idéia de emergência na gestão e atitudes para a preservação do patrimônio histórico e reabilitação durante o pós-desastre, avaliando riscos e participando dos planos locais: a) contribui para a preservação de valores e as características autênticas da paisagem circundante e do próprio objeto; b) o aspecto econômico, promove a criação de novos postos de trabalho , a possibilidade de empregar os artesãos e a população local; c) proteção do meio ambiente , utilizando materiais locais , orgânicos e sem interferir com os ciclos naturais Na reconstrução de edifícios históricos, especialmente os museus, e também na construção de novos projetos, considerar a influência do turismo como fonte de renda d) A nível local, as instituições que são titulares da responsabilidade e os gestores de emergências, trabalhando com comitês locais, participam de ações que influenciam diretamente na redução do furto, roubo e pilhagem de bens culturais. 3) O significado: conceito de sustentabilidade e as definições aplicadas
  52. 52. Conservação de monumentos em Israel
  53. 53. Fase 3: Combinação de estratégia de atores visíveis: a relação entre os recursos naturais e de recursos humanos a) recursos naturais Combinando técnicas tradicionais e as perspectivas para a tecnologia sustentável 1. desenvolvimento de infra-estrutura para a mudança climática 2. aplicação de recursos tecnológicos para a redução da pobreza 3. essa ação demanda a análise de impacto ambiental , relacionando o ecossistema e uso da agricultura tradicional. 4. aplicação direta dos recursos tecnológicos , as fontes não-poluidoras, o uso de técnicas tradicionais aplicadas aos recursos naturais (eliminação de metilbromuro) por exemplo, e a implementação da agricultura intensiva
  54. 54.  5. iniciativas que podem ser consideradas importantes: reflorestamento com espécies nativas, de saneamento, de armazenamento de água de pluvial e reciclagem de materiais  6. materiais alternativos na indústria da construção (como bloco Evang , vinil acetato e estruturas de alumínio - etilene)  7. implementação de parque eólico  8. o uso de células de combustível; bio massa...  9. recursos de água potável, instalações de dessalinização e novas tecnologias (infra estrutura hídrica)  10. recuperação de cabeceiras de rios, fontes naturais, sistemas de irrigação...
  55. 55. Día Mundial del Agua photo: Diario El Comercio – 22/03/2011 (Perú)
  56. 56. b) Os recursos humanos Agindo para o uso de tecnologias sustentáveis para aumentar o bem estar social: a perspectiva de mudança cultural para mover o " status quo " para toda a população: 1 . para diminuir os índices de pobreza 2 . de criação de emprego - com as ocupações de treinamento 3. a introdução de projetos de educação, como a educação informal como uma oportunidade de desenvolvimento 4 . inserir a idéia empreendedor social (como a empresa pode aplicar o “know how” para o desenvolvimento social, saneando os problemas como a pobreza e a doença sem colocar o lucro em primeiro lugar. Premissa: as pessoas conhecem seus problemas e podem projetar as soluções (como obter água potável, saneamento básico, programas de vacinação...) Conceitos: uma gestão ambiental melhorada pode contribuir para a saúde e a segurança humana: é uma condição para os resultados do desenvolvimento sustentável. O planejamento estratégico que irá beneficiar o bem estar, educação, saúde e aumento do emprego . Promover e dar suporte às tradições culturais de base comunitária e os de reparação e desenvolvimento de equipamentos culturais;
  57. 57. 5. marketing cultural da comunidade local 6. ensino das tradições culturais para a próxima geração, a música tradicional , artesanato, cinema, museus, o patrimônio imaterial 7. atrair novos investimentos e recursos de informações de construção (especialmente em fontes sustentáveis de energia , novas e conservação da natureza :  sobre a água (parcerias público - privada)  saúde (sistemas de saúde no desenvolvimento de países) 8. instituições de arte e artistas,  organização dos artesãos para a preservação histórica e plano de transição para criar um novo modelo de colaboração e desenvolvimento de metas comuns para a reconstrução do patrimônio cultural.
  58. 58. Kathmandu – Nepal (1999)
  59. 59.  Conclusões Preliminares  É um estudo multidisciplinar, que pode ser entendido e aplicado como um conjunto de políticas públicas.  O Projeto Cultural de Ação Social Sustentável relaciona a herança histórica e cultural com a ajuda humanitária  O PCASS representa um avanço conceptual na área de intersecção da conservação do patrimônio cultural, fortalecendo o conceito de intervenção.  Expande a missão social do patrimônio cultural, associando a atividade de reabilitação com a contribuição direta para o desenvolvimento local  Promove a nível teórico a expansão das áreas acadêmicas relacionadas aos estudos museológicos, indicando a responsabilidade do museu e das suas instalações ao “ambiente social”. *  Relacionar os conceitos de cultura, patrimônio e social do Estado de bem-estar, desde que o projeto contribua diretamente para sanar pelo menos uma necessidade imediata da população local.  O projeto cultural de ação social sustentável expande a dimensão social do desenvolvimento sustentável e indica como a restauração arquitetônica contribui para o desenvolvimento local, enquanto um desdobramento de propostas ou iniciativas para o desenvolvimento comunitário podendo incluir a reabilitação do patrimônio cultural.
  60. 60.  Sensibiliza o aspecto da cooperação internacional para o desenvolvimento sustentável e adaptação de sistemas “limpos” aos projetos de conservação e preservação, restauração , recuperação e revitalização do patrimônio cultural e histórico.  Apresenta os objetivos de desenvolvimento do milênio (MDMs) como parte das soluções nas iniciativas de proteção do patrimônio material imóvel, como resgate da identidade cultural.  O projeto indica a retomada dos paradigmas culturais, da memória histórica, dos aspectos ideológicos como uma representação da cultura material.  O principal objetivo é desvendar o sistema conceitual e a importância da memória cultural e como a estratégia molda uma situação particular.  Podemos analisar os mecanismos através dos quais podemos modificar os conceitos aplicados aos projetos urbanos e aos museus, identificando um sistema de idéias imanentes.
  61. 61.  A relação entre a memória ideológica e cultural, define o valor histórico; desse ponto de vista, os conceitos definem a política de conservação de coleções e acervos em museus:  por outro lado, a pesquisa sobre a questão teórica da memória cultural tem uma divisão no aspecto prático, porque podemos demonstrar e explicar as maneiras pelas que a memória coletiva é reorganizada .  O estudo da memória cultural, como parte de um estudo mais amplo de pesquisa em que propor um novo design para projetos de ação social, onde a recuperação envolve a segurança humana , inclusão social, estabelecimentos de ensino, saneamento...  O PCASS combina a eficiência energética em edifícios históricos com os estudos de sustentabilidade e de ação social , humanitária, ambiental e preservação histórica promovendo o desenvolvimento local e a redução de desastres; incrementando a proteção da diversidade cultural e a segurança humana: uma necessidade do humanismo cultural.
  62. 62. New Delhi – India (2000)
  63. 63. referencias Orueta, Fernando Díaz. Los grandes proyectos de desarrollo urbano y la reconfiguración sócio-espacial de lãs ciudades: el Barrio de Lavapíés (Madrid) Cuaderno Urbano n. 6. ISSN 1666-6186, Diciembre 2007. Ashworth, G.J. Da história à herança , a herança de identidade. em busca de conceitos e modelos . In: GJAshworth e PJ Larkham (eds ) Construindo um Novo Heritage. Turismo, Cultura e Identidade na Nova Europa . London : Routledge, 1994 Assman Schrif , Erinnerung und politische Identität em früchen Hochkulturen . Munique: Beck , 1992 Idem . Memória coletiva e identidade cultural . New German Critique , n. 65 . História Cultural / Cultural Studies/1995 Baena del Alcazar, Mariano . Curso de Ciencia de la Administración . Vol.1, Tecnos 1994. Boltanski , L & C de termos, E. O novo espírito do capitalismo . Akal de 2002 (Geocities) Bassaud , Michel. A construção de uma nova herança. Turismo, Cultura e Identidade em Nova Europa. London : Routledge, 1981
  64. 64. Durán y Lalagua , Paloma. La perspectiva de las Naciones Unidas en la protección de los Derechos Sociales . A coleção de Direito Global ( Thomson Aranzadi Publishers ) Conselho de Desenvolvimento Social da Espanha. Educar para o desenvolvimento sustentável através de uma gestão de recursos culturais. ( SEAMED_SPAFA ) 3 ª Conferência Internacional de Cultura e Desenvolvimento http://www.seameo-spafa.org Gutiérrez- Cortines Corral , Cristina . Patrimonio Natural Sustentable y Desarrollo . 2002- Primeira Edição , Espanha Halbwachs , Maurice . Memoria y Sociedad . Centauro, 2006 Parsons , Craig. Uma certa idéia de Europa. Cornell University Press (Londres e Ithaca ) 2003 Relatório da Cúpula Mundial para o Desenvolvimento Social , Copenhague, Dinamarca (6 º a 12 de março de 1995 )
  65. 65. Romero Cevallos , Raul . Cultura e Desenvolvimento ? Desenvolvimento e Cultura ? Propostas para um debate aberto. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Notebooks PNUD. Série de Desenvolvimento Humano Swidler , Ann. Cultura em Ação: Símbolos e estratégias. American Sociological Review ( pp.273 ) , 1986 http://www.cinu.org.mx/temas/desarrollo/dessocial/cumbre/cumbrede ssocial Nações Unidas. Resolução adotada pela Assembléia Geral. Genebra 2000/12/15 http://daccessdds.un.org/doc/UNDOC/GEN/n63/288/46/PDF/no328846 .pdf Comissão das Nações Unidas para o Desenvolvimento Social . Relatório sobre a 41 ª sessão (10-21 fevereiro 2003) Conselho Económico e Social , oficiais de Registros de 2003 Suplemento No. 6 -New York- Projecto de Resolução V http: //www.ods.un.org O Plano de Confiança Espanha – PNUD http://www.undp.org/fondo-aecid/documents.shtml http://www.unex.es/sociolog/BAIGORRI/papers/d_local.pdf
  66. 66.  Valcarcelt -Germain ; Troitiño Vinuesa, Miguel A.; Cavaluis E. Desenvolvimento Local , turismo e meio ambiente . Diputación Provincial de Cuenca, Espanha. http://www.unmultimedia.org/radio/library/2011/05/33743.html (Reforçar o mecanismo de parceria - CCooooppeerraaççããoo SSuull--SSuull)) VVáázzqquueezz BBaarrqquueerroo ,, AA.. SSoobbrree CCuullttuurraa yy DDeessaarrrroolllloo .. QQuuoorruumm RReevviissttaa nn..1177 ,, 22000077-- UUnniivveerrssiiddaaddee ddee AAllccaalláá ddee HHeennaarreess .. EEssppaannhhaa AA AAggêênncciiaa NNoorruueegguueessaa ddee CCooooppeerraaççããoo ppaarraa oo DDeesseennvvoollvviimmeennttoo ((wwwwww..nnoorraadd..nnoo)) hhttttpp::////ccoonnvveennttiioonnss..ccooee..iinntt//TTrreeaattyy//EENN//TTrreeaattiiss//HHttmm//001188..hhttmm ((AArrqquuiivvooss ddoo CCoonnsseellhhoo ddaa EEuurrooppaa)) Decreto 717/75 Convenção Cultural Européia , Paris-19/12/1954  nas atividades econômicas e estratégias de desenvolvimento local (Antonio Baigorri ) http://www.unex.es/sociolog/BAIGORRI/papers/d_local.pdf
  67. 67.  III Congresso Internacional de Patrimônio Cultural y Cooperación al Desarrollo , México (Museu Nacional de Antropologia - MNA) http://dti.inah.gob.mx/ relación entre el Derecho Internacional y el Turismo en las Organizações Internacionales ( Patricia Ayub da Costa)  http://www.estig.ipbeja.pt/ac_direito/pac2006.doc  http://www.oei.es/cultura/plan-director-Esp.pdf Apoio ao empreendedorismo das mulheres: The Experience MCTC - Mazal Renford , Genebra , 17-18 de março de 2003, Comissão das Nações Unidas / http://www.oei.es/cultura/sobrecultura y desarrollo FVicario.pdf  http://www2.medioambiente.gov.ar/acuerdos/organismos/onu/ Habitat/OnuHPr9.htm
  68. 68.  System of United Naciones - HABITAT  Centro de las Naciones Unidas para los asentamientos Humanos http://www.unodc.org/unodc/en/alternative-development/ index.html?ref=menuside  UNODC - sobre o desenvolvimento de alternativas http://videoportal.unu.edu/633 Workshop de Sustentability Sciense ( 05- outubro 2010 ) UNU-ONY http://www.sba.muohio.edu/abas/2003/brussels/asomoza_orgc onduct2003.pdf - comportamento organizacional
  69. 69. CITAÇÕES  (1) Prof. Dr. Mariano Baena Del Alcazar , Universidad Complutense de Madrid, UCM, Espanha.  (2) sobre as instituições européias e internacionais, destacamos as recomendações sobre a Estratégia Internacional para Redução de Desastres em Genebra - Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais (ICLEI) - desenvolvimento e sustentabilidade  (3) Bock, Teresa. (Projeto Piloto para a Guiné- Bissau) Estudo em Relações Internacionais e Cooperação Técnica Internacional: em especial a Cooperação Cultural. ADECO, Madrid, 2000.
  70. 70. (4) A Agência Sueca de Energia e da Universidade de Gotland organizou a Conferência Científica Internacional sobre Eficiência Energética em Edifícios Históricos (09-11 fevereiro 2011). ”Desde 2006, a Agência Sueca de Energia tem vindo a apoiar a investigação científica programa de Eficiência Energética em Edifícios históricos, um programa co-patrocinado pela Igreja da Suécia, a Agência Sueca e o Conselho de Patrimônio Nacional. O objetivo do programa é desenvolver e disseminar conhecimentos e soluções técnicas que contribuem para a eficiência energética, a salvaguarda do patrimônio cultural. Esta abordagem para a eficiência energética é conseguida através da cooperação interdisciplinar, onde a eficiência energética é integrada com a conservação de bens culturais. A meta é criar uma estrutura sólida com base no conhecimento científico, para facilitar a largo prazo da gestão sustentável dos bens históricos de grande valor cultural.”
  71. 71. Pesquisa digital (2014)  http://digital.csic.es/bitstream/10261/84850/4/100%20fotos_100%20a %C3%B1os_IAM.pdf  http://www.worldheritagesite.org/sites/florence.html  http://listverse.com/2014/03/13/10-historical-and-cultural-sites-destroyed-by-war/  http://daniel-libeskind.com/  http://www.bing.com/search?q=re-imaginig+cities&src=IE-SearchBox& Form=IE8SRC  http://casaautosustentable3im15.blogspot.com.br/p/recuperacion-de-aguas-pluviales. html  http://www.benefits-of-recycling.com/recyclingwater/  http://www.nationalmuseumindia.gov.in/  http://www.cbd.int/development/doc/cbd-good-practice-guide-water-booklet-web- es.pdf
  72. 72.  Profa. Dra. Teresa Cristina de Andrade Bock (Lattes)  Linha de pesquisa: “Políticas públicas em matéria de Patrimônio Histórico”. Bock, Teresa. Publicado pelo Instituto de Museologia de São Paulo – IMSP (1993) in: Textos acadêmicos do IMSP.~(O Quadrilátero Anhangabaú) Brasil. idem. “Museus e Sustentabilidade”in Cadernos de Museologia, Instituto de Museologia de São Paulo, 1992. Idem.“O projeto cultural de ação social sustentável” in: Textos do CAESP – (2000) Centro de Artes de São Paulo (tradução) Brasil. Desenvolvimento do projeto para Colômbia: Prof. Alberto Chavarro Díaz (1990 ) – Asociación para el Desarrollo de Latinoamerica - ADECO – (Madrid) Estudo registrado: Nuffield College – Oxford – UK (2008); Ministério das RelaçõesExteriores (Brasil) 2008; Rochester University – USA (2009); NORAD (2009); UNESCO-Paris (2009); EURIAS (2012); Universidade do Haiti – (2012).
  73. 73. Cursos, projetos relacionados The Golda Meir International Training Centre – Monte Carmel –Haifa Curso sobre “Desarrollo Comunitário y Organización Cooperativa Rural” (1996) MASHAV – Centro de Cooperación Internacional. Israel. Visita técnica ao National Museum (New Delhi - 2000) India. XVI International Conference, Montreaux (July, 2006) ABA: Association Business Administration . “Technology & Management”. Prof. Dr. Miguel Asomoza (Lecturer) Switzerland Seminário sobre “Assistência Humanitária Internacional”. Organizado pelo Ministério de Relações Exteriores (Brasil) São Paulo - 2005. “Combating Poverty and Inequality”. The Official Launch of the United Nations Research Institute for Social Development UNRISD. (September, 2010) Palais des Nations, Geneva, Switzerland. (ISBN 978-85-914169-2-9)
  74. 74. Vaux le Vicomte (http://ignaciosomovilla.wordpress.com/2012/10/08/vida-verde-paisajes-para- restaurar-emociones-061012/)

×