Villa savoye ou les heures claires

1.957 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.957
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Villa savoye ou les heures claires

  1. 1. VILLA SAVOYE OU LES HEURESCLAIRESLe Corbusier 1928-1929.Localizada nos arredores da cidade francesa de Poissy
  2. 2. CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS : Planta livre da estrutura: A divisão dos cômodos internos é feita independente da configuração estrutural, de forma que as paredes divisórias não possuem função de porte na sustentação do edifício. Construção sobre pilotis: O pilotis é um sistema, proposto por Corbusier, no qual o térreo das construções fica livre, de forma a transformá-lo em uma extensão do espaço externo e elevando a residência do solo.
  3. 3.  Terraço-jardim: Evitando a cobertura tradicional em telhados, Le Corbusier propõe a ocupação das últimas lajes das edificações com jardins, liberando do solo usos particulares. Fachada livre: A disposição das aberturas na fachada é independente da configuração estrutural do edifício, visto que os pilares e vigas são projetados internamente ao edifício, e não mais junto à fachada. Janela em fita: Le Corbusier evita a solução tradicional de propor aberturas limitadas, ou muito verticais, buscando iluminação constante e homogênea, da mesma forma que o resultado estético na fachada evita a ornamentação excessiva da arquitetura anterior.
  4. 4. PROMENADE ARCHITECTURALE Ou o passeio arquitetural, é fundamental para a compreensão desta residência. A valorização do percurso como uma estratégia conceitual, a ordenar tanto interna como externamente a Villa Savoye, é evidenciada desde a chegada, pontuando a experiência de fruição do objeto arquitetônico com surpresas constantes, seja a inflexão no percurso após o pequeno bosque, desvelando o volume da residência pousado sobre o tapete verde, seja na inversão da posição da entrada principal, contrária à chegada.
  5. 5.  O conceito se realiza através de um conjunto de propriedades materiais, trabalhado conscientemente com o objetivo de realizar a idéia de variação do percurso, obrigando a experiência do objeto arquitetônico em diferentes posições e pontos de vista e variando constantemente a relação entre o objeto e o fruidor. O passeio é resultado da sua concepção de um limite por vezes impalpável entre exterior e interior. A valorização do percurso como uma estratégia conceitual.
  6. 6. ANÁLISE A casa aproveita da melhor maneira possível a ventilação e a iluminação natural. A abertura e a simetria das fachadas de chegada e de entrada suprimem qualquer noção de frente e traseira. O volume principal do terreno natural, reforçando a ideia da liberação do solo para o uso comum e a circulação, ainda que parcialmente.
  7. 7. BIBLIOGRAFIA: http://www.monuments- nationaux.fr/fichier/m_docvisite/84/docvisite_fichier _12F.villa.savoye.PT.pdf http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitexto s/02.024/785 Conférence de Rio - Le Corbusier Le Corbusier – Obras e Projectos – Monteys,Xavier

×