Revista plágio

157 visualizações

Publicada em

Trabalho desenvolvido por: Ana Cláudia Oliveira, Lucas Ribas, Caio Issa e Gerson Jr. Graduandos em Jornalismo.
Solicitado por: Elizangela Sandes e Leonardo Bião
Instituição de ensino: Centro Universitário Jorge Amado
Tema: Plágio
Subtema: sentimento do plágio na música

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista plágio

  1. 1. Plágio Musical SENTIMENTO DO PLÁGIO PLÁGIO OU INSPIRAÇÃO? “Você nasceu como um original. Não morra como uma cópia”. John Mason A to ou efeito de plagiar. Apre- sentação feita por alguém, como de sua própria auto- ria, de trabalho, obra inte- lectual etc. produzido por outrem. Crime. Roubo. Corrupção. PLÁGIO. Encontrado em marcas, livros, escudos, identida- de visual, o plágio pode ser visto também na músi- ca. Grandes nomes como Roberto Carlos, Shakira e Michael Jackson estão na lista do “plágio musi- cal”; um dos crimes mais comuns no meio musical. Muito além de entender ou conhecer os casos é in- teressanteoquepassanamentedequemplagia.Usur- par a ideia ou produção de outra pessoa revela muito mais do que uma quebra de caráter, mas também de- nota a ausência de libertação de seu eu para a criação. A partir do momento em que alguém rouba a obra de alguém, ela expressa uma suposta admira- ção pelo trabalho alheio. Contudo, esse ato anula totalmente o mérito do criador da obra e o esforço depositados ali. O plágio em si é caracterizado como crime. Rouba o direito e autonomia de quem fez. Quem copia quando comete tal ato, não acha problema, contudo apropriar-se do que outra pes- soa fez é igual a roubar qualquer item. Por ve- zes o impalpável, como as músicas, denotem mais sentimento ao seu dono do que objetos de alto valor financeiro. Quando o plágio na músi- ca ocorre, banaliza por inteiro os sentimentos e significados que o autor expressa em sua canção. O plágio na música, assim como em outras vertentes, é feito muitas vezes de forma conscien- te. Quem faz, sabe que está plagiando. A falta de inspiração recorrente dá lugar a necessidade de mostrar um trabalho ‘’belo’’ e que atraia sucesso nas paradas musicais, por isso a cópia de canções não reconhecidas e esquecidas por muita gente se torna um meio para que esse sucesso aconteça. Artistas conhecidos no cenário musical se apro- priam de obras não conhecidas, sejam em letras, melodias e clipes. É comum ver músicas plagia- das ofuscadas por sua cópia, onde sempre acabam se tornando hits, como as faixas ‘’Loca’’ (2010) da Shakira e Come Together (1969) dos Beatles. N o caso Shakira, com a músi- ca “Loca”, do albúm “Sale el Sol”, lançada em 2010, e que foi indicada ao Prêmio Billbo- ard - Melhor Música Latina, a cantora foi acusada de plagiar a canção “Loca con su tíguere”, também lançada em 2010, no albúm “El Malo” do dominicano Edward Bello Pou, co- nhecido como “El Cata”. O juiz desta causa disse que as duas versões feitas pela colombiana, in- glês e espanhol, estão enquadradas como plágio. Com os Beatles, o caso foi assumido e acordado entre as duas partes.Amúsica “Come Together”, do albúm “Abbey Road”, lançada em 1969, foi cópia, letra e a melodia da canção “You Can’t Catch Me”, do rock americano Chuck Berry, lançada em 1956, queficouconhecidaporsetornarumadasúnicasmú- sicas da trilha sonora do filme “Rock, Rock, Rock”. Roberto Carlos também foi condenado por plágio em 2004. O maestro Sebastião Braga, tinha composto a canção sob o nome “Lou- curas de Amor”, lançada em 1982 e Rober- to a lançou como “O Careta”, lançada em 1987. Roberto Carlos acabou sendo condenado e teve que pagar uma multa de R$ 2,6 milhões.
  2. 2. PLÁGIO OU PARÓDIA? O ato de copiar algo, reescrever ou produzirumanovaversão,éconhe- cido como plágio. Mas você sabia que há outras maneiras de se fazer issonomeiomusicaldeformalegal? Assim como canções que são cópias de outras can- ções, o que chamamos de plágio, existe no meio fo- nográfico também, a paródia, que está cada vez mais presente no Youtube. A paródia consiste em gravar uma nova versão de determinada música, de uma forma cômica, irônica e/ou satírica. Nas paródias, as batidas, samples e ritmos da canção original continu- am em cena, porém, a letra da música é modificada e os criadores desses novos modelos de canções in- titulam a obra como ‘’paródia’’, além de interpre- tarem um personagem e creditar o autor da canção original, o que não ocorre no plágio, uma vez que tudo é copiado, sem os devidos créditos ao autor. De acordo com a ‘’Gramática Houaiss da Língua Portuguesa’’ publicado pela Publifolha, em 2009 ‘’A paródia é a recriação de viés crítico, com intenção cô- mica ou satírica. Na paródia, o texto fonte não é apenas o ponto de partida. Ele permanece entrevisto no espaço do texto recriado, sem o que se perde o efeito de sentido
  3. 3. da paródia”. E, segundo a lei Nº 9.610 de 19 de Fevereiro de 1998, conhecida com Lei dos Direitos Autorais, a pa- ródia é permitida desde que não haja uma verdadeira re- produção do produto original e que o autor seja creditado. É válido lembrar que a paródia é cômica, dessa forma, músicas feitas por cima de outra, com modifi- cações na letra, sem apelo humorístico ou irônico es- tão longe de serem consideras paródias. Um exemplo disto, recentemente, uma dupla sertaneja usou a músi- ca ‘’Camaro Amarelo’’ de Munhoz e Mariano, lançada em 2012 e inseriu uma nova letra, na intenção de criar a versão feminina do hit, e a intitulou ‘’Ferrari Cor de Rosa’’. A dupla não tinha autorização para a ‘’paródia’’. Art. 47. “São livres as paráfrases e paródias que não forem verdadeiras reproduções da obra originária nem lhe implicarem descrédito”. Lei 9.610 de 19 de Fevereiro de 1998

×