SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
A maior fadista portuguesa
Amália Rodrigues
 Nasceu em 1920, no bairro da Mouraria, em
  Lisboa. Os seus pais eram naturais da Beira
  Baixa e foram para Lisboa, em busca de uma
  melhor qualidade de vida. Amália foi a quinta
  filha deste casal e tinha mais oito irmãos e
  irmãs.
 Em 1921 os seus pais regressaram à Beira
  Baixa, por graves dificuldades económicas.
  Amália ficou com os seus avós, e os seus pais
  e irmãos partiram.
Amália Rodrigues
 Em 1929 cantou pela primeira
  vez. Este ano também é
  marcado pelo regresso dos
  seus pais a Lisboa, embora
  Amália continue a viver com
  os seus avós.
 1932 começou a trabalhar
  como bordadeira, depois de
  sair da escola.
 1934 voltou à casa dos seus
  pais e irmãos, perto do Rio
  Tejo, em Lisboa.
Amália Rodrigues


 No ano de 1935, Amália começou a trabalhar com a
  sua irmã Celeste e com a sua mãe na venda de
  fruta. E, numa festa, cantou pela primeira vez, e
  nunca mais deixou de o fazer!
 Em 1938 competiu num concurso Da rainha do
  Fado do Bairro mas, acabou por desistir pois as
  restantes concorrentes ameaçaram a organização
  que não cantavam, se Amália cantava. No mesmo
  ano conheceu Francisco da Cruz com quem se
  casou em 1940.
Amália Rodrigues


 Em 1939 estreou-se no Retiro da Severa,
  como fadista profissional. E é um sucesso.
  Imediatamente passou a cabeça de cartaz.
 Em 1940 estreou-se nos palcos no Teatro
  Maria Vitória na revista Ora Vai Tu!. Amália
  foi a atracção convidada. Inventa a fadista
  vestida de negro com xaile negro.
Amália Rodrigues
 1941 - Cantou na Cervejaria Luso,
  recebeu um conto de réis por
  actuação, quantia nunca antes
  paga. Foi atracção da revista do
  Teatro Variedades Espera de Toiros,
  onde Amália interpreta três fados.
 1942 – Estreou-se no Variedades da
  revista Boa Nova, interpretou
  quatro fados e cuja canção
  –”Título” é mais um êxito.
Amália Rodrigues                       1943 inicou a sua
                                           carreira fora de
                                           Portugal, em
                                           Madrid, onde
                                           conheceu, também,
                                           a música flamenga,
                                           a qual muito
                                           gostou. Separou-se
                                           de Francisco Cruz e
                                           regressou a casa
                                           dos seus pais.
Estreia do filme “Capas negras” (1947)
 Em 1944 actuou pela primeira
  vez no Brasil, no casino de
  Copacabama. Estava prevista
  uma estadia de seis semanas
  e, com o sucesso que obteve,
  ficou cerca de três meses.
  Regressou a Portugal
  somente com a promessa de
  regressar no ano seguinte.
 No ano de 1945 regressou ao
  Brasil, onde foi a
  protagonista de de “Boa
  Nova”. Amália nesse ano os
  seus primeiros discos, o que
  não lhe era recomendado
  pelo seu agente, em
  Portugal, que preferia que
  cantasse ao vivo.
Amália Rodrigues
 Em 1946 regressou a
  Portugal, a Lisboa.
 Em 1947 participou na
  revista “Se aquilo que a
  gente sente” e no filme
  “Capas Negras”.
  Participou, também, em
  Madrid num outro filme,
  chamado “10 Fados”.
 Em 1948 recebeu um
  premio SNI por melhor
  actriz no filme “História
  de uma cantadeira”.
Amália Rodrigues
               1949 cantou pela primeira
                vez em Paris, (no Chez
                Carrère), Londres (no Ritz),
                Rio de Janeiro e S. Paulo.
               1952 cantou em Nova
                Iorque, na boite La Vie En
                Rose, por cuatro meses .
                Recibeu convites para
                cantar na Broadway, em
                inglês. Cantou, também, em
                Genebra, Lausana e Madrid.
Amália Rodrigues

   1953 cantou no México e foi a primeira
 cantora portuguesa a aparecer na televisão
 NBC em Nova York.
 1954 cantou em Hollywood no Mocambo;
 foi convidada para participar como actriz no
 filme “Os amantes do Tejo”, um filme
 francês e realizado em Lisboa e Lisboa. Em
 Portugal o filme estreou em 1955. Nesse ano
 Amália foi viver para a rua S. Bento onde
 permaneceu até à sua morte.
Amália Rodrigues


 Em 1956 cantou na Bélgica, Argélia, México e
  Brasil e no ano de 1957 cantou em França,
  Suécia, Suíça e Venezuela.
 Em 1958 cantou pela primeira vez na
  televisão portuguesa.
 1959 recebeu uma medalha de honra na
  cidade de Paris. Neste ano cantou em
  França, Espanha, Tunísia, Argélia, Grécia e
  Israel.
Amália Rodrigues
 1961 casou-se o brasileiro
  César Seabra, engenheiro,
  que conheceu seis anos
  antes. Nesse ano jurou que
  se dedicava ao lar e que
  deixava de cantar. Viveu 10
  meses no Brasil.

   Em 1962 participou em muitos outros filmes e
   cantou novas canções como “Estranha Forma
   de Vida”, “Povo Que lavas No Rio”.
Amália Rodrigues

 Em 1966 participou num júri para o Festival da
  Canção do Rio de Janeiro. Nesse ano, actuou em
  Israel, Brasil, África do Sul, Angola e Moçambique.
  Também cantou na inauguração da Ponte sobre o
  Rio Tejo. Recebeu o prémio Pozal Domingues
  pelo seu disco "Fandangueiro“
 Em 1967 foi considerada a melhor cantora de
  música ligeira pela enciclopédia Laurosse. Serge
  Reggiani afirmou mesmo que Amália é alguém
  que pertence aos portugueses, mas também
  pertence ao mundo.
Amália Rodrigues
 1968 cantou na Roménia, Espanha, França e
  Canadá. Recebeu do estado espanhol a Ordem
  de Isabel, a Católica, laço de dama.
 Entre 1969 a 1985 continuou o seu percurso pelo
  mundo, como Itália, Holanda, África do Sul,
  Zimbabué, Argentina. Recebeu, igualmente,
  muitos prémios, por exemplo, a medalha de
  ouro da cidade de Lisboa e de França recebeu a
  Ordem das Artes e das Letras. Em Toronto, o dia
  de sua morte, 6 de Outubro, está consignado
  como dia oficial de Amália Rodrigues.
Amália Rodrigues

 Desde 1986 até 1995 gravou várias canções, que
  contribuíram para o seu grande sucesso, como as
  canções: “Cantigas da Boa Gente”, “Fado
  Português”, “Oiça Lá ó Senhor Vinho”, “Amália”,
  “Maldição”, “Cantigas numa Língua Antiga” .
  Manteve o seu percurso artístico por todo o mundo,
  por exemplo, Japão, Luxemburgo, Reino Unido.
 Em 1996 encontrava-se bastante doente. Em 1997,
  o seu marido, César Seabra, morreu, colocando fim
  a um casamento de 36 anos.
Amália Rodrigues

 Em 1999 Amália
 Rodrigues morreu, em
 Lisboa, no dia 6 de
 Outubro, com 79 anos
 de idade.
 Cristina Alves, Abril de 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Sophia de Mello Breyner Andresen
Sophia de Mello Breyner AndresenSophia de Mello Breyner Andresen
Sophia de Mello Breyner Andresen
 
A Geração de Orpheu
A Geração de OrpheuA Geração de Orpheu
A Geração de Orpheu
 
Almada Negreiros
Almada NegreirosAlmada Negreiros
Almada Negreiros
 
Os Maias - presságios
Os Maias - presságiosOs Maias - presságios
Os Maias - presságios
 
Eugénio de Andrade
Eugénio de AndradeEugénio de Andrade
Eugénio de Andrade
 
Fado
FadoFado
Fado
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
Aristides de Sousa Mendes
Aristides de Sousa MendesAristides de Sousa Mendes
Aristides de Sousa Mendes
 
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
 
Gomes da Costa
Gomes da CostaGomes da Costa
Gomes da Costa
 
Mário de sá carneiro
Mário de sá carneiroMário de sá carneiro
Mário de sá carneiro
 
Os Maias - Capítulo XIII
Os Maias - Capítulo XIIIOs Maias - Capítulo XIII
Os Maias - Capítulo XIII
 
Almada negreiros
Almada negreirosAlmada negreiros
Almada negreiros
 
Fado
FadoFado
Fado
 
A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974A Revolução de 25 de Abril de 1974
A Revolução de 25 de Abril de 1974
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
 
Fado
FadoFado
Fado
 
Memorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. VMemorial do Convento - Cap. V
Memorial do Convento - Cap. V
 

Destaque (13)

Amalia Rodrigues - Biografia
Amalia Rodrigues - BiografiaAmalia Rodrigues - Biografia
Amalia Rodrigues - Biografia
 
A deusa do fado
A deusa do fadoA deusa do fado
A deusa do fado
 
Projeto Hallel Uberlandia
Projeto Hallel UberlandiaProjeto Hallel Uberlandia
Projeto Hallel Uberlandia
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Comenius - DIFFEQUAL
Comenius - DIFFEQUALComenius - DIFFEQUAL
Comenius - DIFFEQUAL
 
O natal em portugal
O natal em portugalO natal em portugal
O natal em portugal
 
O Natal Em Portugal
O Natal Em PortugalO Natal Em Portugal
O Natal Em Portugal
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Biografia de Amália Rodrigues
Biografia de Amália RodriguesBiografia de Amália Rodrigues
Biografia de Amália Rodrigues
 
Advento e natal
Advento e natalAdvento e natal
Advento e natal
 
Livro natal bimby_lo
Livro natal bimby_loLivro natal bimby_lo
Livro natal bimby_lo
 
Letra b cuatro formas manuscrita
Letra b cuatro formas manuscritaLetra b cuatro formas manuscrita
Letra b cuatro formas manuscrita
 
Do Telefone A Central Digital
Do Telefone A Central DigitalDo Telefone A Central Digital
Do Telefone A Central Digital
 

Semelhante a Amália Rodrigues

Semelhante a Amália Rodrigues (20)

Vinicius De Morais
Vinicius De MoraisVinicius De Morais
Vinicius De Morais
 
Be Transversalidade cultural Educação Musical Amália Rodrigues
Be Transversalidade cultural    Educação Musical Amália RodriguesBe Transversalidade cultural    Educação Musical Amália Rodrigues
Be Transversalidade cultural Educação Musical Amália Rodrigues
 
Pedro e carlos
Pedro e carlosPedro e carlos
Pedro e carlos
 
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
Guilherme de Almeida (Primeira Fase do Modernismo)
 
Tarsila e o nosso Rio
Tarsila e o nosso RioTarsila e o nosso Rio
Tarsila e o nosso Rio
 
mario de andrade.pptx
mario de andrade.pptxmario de andrade.pptx
mario de andrade.pptx
 
Apresentação Tarsila
Apresentação TarsilaApresentação Tarsila
Apresentação Tarsila
 
ApresentaçãO Tarsila
ApresentaçãO TarsilaApresentaçãO Tarsila
ApresentaçãO Tarsila
 
Tarsila do Amaral
Tarsila do AmaralTarsila do Amaral
Tarsila do Amaral
 
Biografia
BiografiaBiografia
Biografia
 
Salvador Dali - Surrealismo
Salvador Dali - SurrealismoSalvador Dali - Surrealismo
Salvador Dali - Surrealismo
 
Debussy & Villa-Lobos
Debussy & Villa-LobosDebussy & Villa-Lobos
Debussy & Villa-Lobos
 
tarsiladoamaral
tarsiladoamaraltarsiladoamaral
tarsiladoamaral
 
Vinícius de moraes
Vinícius de moraesVinícius de moraes
Vinícius de moraes
 
Tarsila do amaral
Tarsila do amaralTarsila do amaral
Tarsila do amaral
 
Jose Carlos Ary dos Santos
Jose Carlos Ary dos SantosJose Carlos Ary dos Santos
Jose Carlos Ary dos Santos
 
Trab Final Rita Sandra
Trab Final Rita SandraTrab Final Rita Sandra
Trab Final Rita Sandra
 
Oswald de andrade
Oswald de andrade Oswald de andrade
Oswald de andrade
 
Mulheres nas artes semana da leitura
Mulheres nas artes semana da leituraMulheres nas artes semana da leitura
Mulheres nas artes semana da leitura
 
Di calvacante
Di calvacanteDi calvacante
Di calvacante
 

Mais de Cristina Alves

Portafolio de presentación - semana 4
Portafolio de presentación - semana 4Portafolio de presentación - semana 4
Portafolio de presentación - semana 4Cristina Alves
 
Portafolio de evaluación semana 3
Portafolio de evaluación   semana 3Portafolio de evaluación   semana 3
Portafolio de evaluación semana 3Cristina Alves
 
Os desportos, o tempo livre e o futuro
Os desportos, o tempo livre e o futuroOs desportos, o tempo livre e o futuro
Os desportos, o tempo livre e o futuroCristina Alves
 
Cultura popular portuguesa
Cultura popular portuguesaCultura popular portuguesa
Cultura popular portuguesaCristina Alves
 
Pretérito imperfeito e pretérito perfeito
Pretérito imperfeito e pretérito perfeitoPretérito imperfeito e pretérito perfeito
Pretérito imperfeito e pretérito perfeitoCristina Alves
 
Actividades quotidiano
Actividades quotidianoActividades quotidiano
Actividades quotidianoCristina Alves
 
Características físicas e carácter
Características físicas e carácterCaracterísticas físicas e carácter
Características físicas e carácterCristina Alves
 
Localizaçao de pessoas e objectos
Localizaçao de pessoas e objectosLocalizaçao de pessoas e objectos
Localizaçao de pessoas e objectosCristina Alves
 
Pronomes possessivos e pronomes demonstrativos
Pronomes possessivos e pronomes demonstrativosPronomes possessivos e pronomes demonstrativos
Pronomes possessivos e pronomes demonstrativosCristina Alves
 

Mais de Cristina Alves (20)

Portafolio de presentación - semana 4
Portafolio de presentación - semana 4Portafolio de presentación - semana 4
Portafolio de presentación - semana 4
 
Portafolio de evaluación semana 3
Portafolio de evaluación   semana 3Portafolio de evaluación   semana 3
Portafolio de evaluación semana 3
 
Saúde e corpo
Saúde e corpoSaúde e corpo
Saúde e corpo
 
Os desportos, o tempo livre e o futuro
Os desportos, o tempo livre e o futuroOs desportos, o tempo livre e o futuro
Os desportos, o tempo livre e o futuro
 
Gerundio
GerundioGerundio
Gerundio
 
Cultura popular portuguesa
Cultura popular portuguesaCultura popular portuguesa
Cultura popular portuguesa
 
Pretérito Imperfeito
Pretérito ImperfeitoPretérito Imperfeito
Pretérito Imperfeito
 
Os Advérbios
Os AdvérbiosOs Advérbios
Os Advérbios
 
Pretérito imperfeito e pretérito perfeito
Pretérito imperfeito e pretérito perfeitoPretérito imperfeito e pretérito perfeito
Pretérito imperfeito e pretérito perfeito
 
Formas de tratamento
Formas de tratamentoFormas de tratamento
Formas de tratamento
 
Artigos indefinidos
Artigos indefinidosArtigos indefinidos
Artigos indefinidos
 
Actividades quotidiano
Actividades quotidianoActividades quotidiano
Actividades quotidiano
 
Características físicas e carácter
Características físicas e carácterCaracterísticas físicas e carácter
Características físicas e carácter
 
Os adjectivos
Os adjectivosOs adjectivos
Os adjectivos
 
As partes da casa
As partes da casaAs partes da casa
As partes da casa
 
Localizaçao de pessoas e objectos
Localizaçao de pessoas e objectosLocalizaçao de pessoas e objectos
Localizaçao de pessoas e objectos
 
Restaurante
RestauranteRestaurante
Restaurante
 
As refeiçoes
As refeiçoesAs refeiçoes
As refeiçoes
 
As partes do corpo
As partes do corpoAs partes do corpo
As partes do corpo
 
Pronomes possessivos e pronomes demonstrativos
Pronomes possessivos e pronomes demonstrativosPronomes possessivos e pronomes demonstrativos
Pronomes possessivos e pronomes demonstrativos
 

Amália Rodrigues

  • 1. A maior fadista portuguesa
  • 2. Amália Rodrigues  Nasceu em 1920, no bairro da Mouraria, em Lisboa. Os seus pais eram naturais da Beira Baixa e foram para Lisboa, em busca de uma melhor qualidade de vida. Amália foi a quinta filha deste casal e tinha mais oito irmãos e irmãs.  Em 1921 os seus pais regressaram à Beira Baixa, por graves dificuldades económicas. Amália ficou com os seus avós, e os seus pais e irmãos partiram.
  • 3. Amália Rodrigues  Em 1929 cantou pela primeira vez. Este ano também é marcado pelo regresso dos seus pais a Lisboa, embora Amália continue a viver com os seus avós.  1932 começou a trabalhar como bordadeira, depois de sair da escola.  1934 voltou à casa dos seus pais e irmãos, perto do Rio Tejo, em Lisboa.
  • 4. Amália Rodrigues  No ano de 1935, Amália começou a trabalhar com a sua irmã Celeste e com a sua mãe na venda de fruta. E, numa festa, cantou pela primeira vez, e nunca mais deixou de o fazer!  Em 1938 competiu num concurso Da rainha do Fado do Bairro mas, acabou por desistir pois as restantes concorrentes ameaçaram a organização que não cantavam, se Amália cantava. No mesmo ano conheceu Francisco da Cruz com quem se casou em 1940.
  • 5. Amália Rodrigues  Em 1939 estreou-se no Retiro da Severa, como fadista profissional. E é um sucesso. Imediatamente passou a cabeça de cartaz.  Em 1940 estreou-se nos palcos no Teatro Maria Vitória na revista Ora Vai Tu!. Amália foi a atracção convidada. Inventa a fadista vestida de negro com xaile negro.
  • 6. Amália Rodrigues  1941 - Cantou na Cervejaria Luso, recebeu um conto de réis por actuação, quantia nunca antes paga. Foi atracção da revista do Teatro Variedades Espera de Toiros, onde Amália interpreta três fados.  1942 – Estreou-se no Variedades da revista Boa Nova, interpretou quatro fados e cuja canção –”Título” é mais um êxito.
  • 7. Amália Rodrigues  1943 inicou a sua carreira fora de Portugal, em Madrid, onde conheceu, também, a música flamenga, a qual muito gostou. Separou-se de Francisco Cruz e regressou a casa dos seus pais. Estreia do filme “Capas negras” (1947)
  • 8.  Em 1944 actuou pela primeira vez no Brasil, no casino de Copacabama. Estava prevista uma estadia de seis semanas e, com o sucesso que obteve, ficou cerca de três meses. Regressou a Portugal somente com a promessa de regressar no ano seguinte.  No ano de 1945 regressou ao Brasil, onde foi a protagonista de de “Boa Nova”. Amália nesse ano os seus primeiros discos, o que não lhe era recomendado pelo seu agente, em Portugal, que preferia que cantasse ao vivo.
  • 9. Amália Rodrigues  Em 1946 regressou a Portugal, a Lisboa.  Em 1947 participou na revista “Se aquilo que a gente sente” e no filme “Capas Negras”. Participou, também, em Madrid num outro filme, chamado “10 Fados”.  Em 1948 recebeu um premio SNI por melhor actriz no filme “História de uma cantadeira”.
  • 10. Amália Rodrigues  1949 cantou pela primeira vez em Paris, (no Chez Carrère), Londres (no Ritz), Rio de Janeiro e S. Paulo.  1952 cantou em Nova Iorque, na boite La Vie En Rose, por cuatro meses . Recibeu convites para cantar na Broadway, em inglês. Cantou, também, em Genebra, Lausana e Madrid.
  • 11. Amália Rodrigues  1953 cantou no México e foi a primeira cantora portuguesa a aparecer na televisão NBC em Nova York.  1954 cantou em Hollywood no Mocambo; foi convidada para participar como actriz no filme “Os amantes do Tejo”, um filme francês e realizado em Lisboa e Lisboa. Em Portugal o filme estreou em 1955. Nesse ano Amália foi viver para a rua S. Bento onde permaneceu até à sua morte.
  • 12. Amália Rodrigues  Em 1956 cantou na Bélgica, Argélia, México e Brasil e no ano de 1957 cantou em França, Suécia, Suíça e Venezuela.  Em 1958 cantou pela primeira vez na televisão portuguesa.  1959 recebeu uma medalha de honra na cidade de Paris. Neste ano cantou em França, Espanha, Tunísia, Argélia, Grécia e Israel.
  • 13. Amália Rodrigues  1961 casou-se o brasileiro César Seabra, engenheiro, que conheceu seis anos antes. Nesse ano jurou que se dedicava ao lar e que deixava de cantar. Viveu 10 meses no Brasil. Em 1962 participou em muitos outros filmes e cantou novas canções como “Estranha Forma de Vida”, “Povo Que lavas No Rio”.
  • 14. Amália Rodrigues  Em 1966 participou num júri para o Festival da Canção do Rio de Janeiro. Nesse ano, actuou em Israel, Brasil, África do Sul, Angola e Moçambique. Também cantou na inauguração da Ponte sobre o Rio Tejo. Recebeu o prémio Pozal Domingues pelo seu disco "Fandangueiro“  Em 1967 foi considerada a melhor cantora de música ligeira pela enciclopédia Laurosse. Serge Reggiani afirmou mesmo que Amália é alguém que pertence aos portugueses, mas também pertence ao mundo.
  • 15. Amália Rodrigues  1968 cantou na Roménia, Espanha, França e Canadá. Recebeu do estado espanhol a Ordem de Isabel, a Católica, laço de dama.  Entre 1969 a 1985 continuou o seu percurso pelo mundo, como Itália, Holanda, África do Sul, Zimbabué, Argentina. Recebeu, igualmente, muitos prémios, por exemplo, a medalha de ouro da cidade de Lisboa e de França recebeu a Ordem das Artes e das Letras. Em Toronto, o dia de sua morte, 6 de Outubro, está consignado como dia oficial de Amália Rodrigues.
  • 16. Amália Rodrigues  Desde 1986 até 1995 gravou várias canções, que contribuíram para o seu grande sucesso, como as canções: “Cantigas da Boa Gente”, “Fado Português”, “Oiça Lá ó Senhor Vinho”, “Amália”, “Maldição”, “Cantigas numa Língua Antiga” . Manteve o seu percurso artístico por todo o mundo, por exemplo, Japão, Luxemburgo, Reino Unido.  Em 1996 encontrava-se bastante doente. Em 1997, o seu marido, César Seabra, morreu, colocando fim a um casamento de 36 anos.
  • 17. Amália Rodrigues  Em 1999 Amália Rodrigues morreu, em Lisboa, no dia 6 de Outubro, com 79 anos de idade.
  • 18.  Cristina Alves, Abril de 2012