Nota de Paulo Rubem sobre decisão do PDT

365 visualizações

Publicada em

Na nota, o deputado federal do PDT afirma que o presidente Estadual do partido, o prefeito de Caruaru José Queiroz, teria pedido a palavra e afirmado que a decisão por uma candidatura própria representaria a desmoralização de sua pessoa, que já teria dado a palavra do governador Eduardo Campos de que a aliança estava consolidada. Num outro trecho Paulo Rubem ataca até o presidente Nacional do PDT, o ex-ministro carlos Lupi.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
365
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nota de Paulo Rubem sobre decisão do PDT

  1. 1. Nota de Paulo Rubem sobre Decisão da Executiva Nacional do PDTO Deputado Federal PAULO RUBEM SANTIAGO, Vice-Líder do PDT naCâmara Federal e Pré-Candidato a Prefeito do partido nas eleições municipaisde Recife em 2012, vem à público esclarecer o que segue:Na reunião da Comissão Executiva Nacional do PDT, ocorrida ontem, convocadaentre outros assuntos, para debater a questão do Recife, historiamos aconstrução da candidatura própria e expusemos toda a documentaçãocomprobatória das fraudes ocorridas na convenção, pedindo a anulação damesma. Na defesa da convenção o Presidente Estadual do PDT tratou essasquestões como “questões formais” e sugeriu que o debate fosse conduzidopelo âmbito político.Em seguida, aberta a palavra, manifestaram-se pela tese da candidaturaprópria os membros abaixo relacionados:-Paulo Pereira da Silva – Deputado Federal (PDT-SP), Candidato a Prefeito deSP-Sebastião Bala Rocha - Deputado Federal PDT-AP, Presidente da Comissão doTrabalho da Câmara Federal-André Figueiredo- Deputado Federal PDT-CE, 1º.Vice-Presidente da ExecutivaNacional, Líder da Bancada Federal e também Presidente do PDT-Ceará-Ronaldo Lessa - Ex-Governador de Alagoas e Candidato à Prefeitura de Maceió-Cristovam Buarque - Senador PDT-DF-Michellina Vecchio - Presidente Nacional da Ação da Mulher Trabalhista do PDT-Brizola Neto - Ministro do Trabalho e 2º.Vice-Presidente Nacional do PDTEsses integrantes, acima relacionados, na ocasião, representavam já amplamaioria entre os membros da Executiva Nacional. A partir dessa configuração oPresidente Estadual do PDT-PE, pediu a palavra e afirmou que a decisão pelacandidatura própria seria uma desmoralização de sua pessoa pois já teria dadoa palavra ao Governador do Estado do apoio do PDT ao candidato do PSB.Em função desse impasse a reunião foi suspensa para que se retomasse odebate e a configuração final de votos na manhã dessa quarta-feira. Aindaontem, na reunião da Executiva, o Senador Cristovam Buarque e o DeputadoAndré Figueiredo fizeram apelos ao Presidente Estadual de PE por uma açãounitária, com nomes de consenso na condução do processo, para que o partido
  2. 2. se fortalecesse com a candidatura própria, sem vencidos nem vencedores,orientação rejeitada pelo Presidente Estadual. O Senador Cristovam emseguida, insistiu, o convidou pessoalmente para ser o condutor do processo. OPresidente Estadual, mais uma vez, se negou a aceitar a sugestão do Senador.Para nossa surpresa, fui informado agora cedo pelo Presidente Carlos Lupi que,pelo motivo abaixo indicado, tendo apelado a todos da executiva nacionalpresentes à reunião de ontem, não aprovará a tese da candidatura própriapara não “desmoralizar” o Presidente Estadual José Queiroz, reconhecendo quepoderia intervir no Recife, mas que não o faria pelo mesmo motivo, que nãohaveria coleta de votos por email conforme definido e veiculado ao final dareunião de ontem.Disse ainda que a nota contra a candidatura própria seria pautada pelanegativa ao nosso recurso, pauta que não foi apreciada no mérito emmomento algum, prevalecendo o debate político e eleitoral. Afinal contra afraude não houve e nem há argumentos contrários.Frente a essa manifestação, expresso minha tranquilidade. Não perco nadanesse processo. Quem perdeu foi o PDT do Recife. Com firmeza e serenidadeofereci ao partido minha disposição de luta. Estou sendo retirado da campanhapor uma chantagem e pela preferência do Presidente Lupi por laços de amizadee não por teses a favor do partido. Lupi se rendeu a uma chantagem e não auma tese política, escolheu o lado do papel subalterno para o PDT, doamordaçamento da voz do partido nessas eleições em Recife. Vivo fosse,Brizola morreria de vergonha. Estou, sempre estive, do outro lado. Sigo nadefesa do partido. Considero correta a tese nacional aprovada em Resolução,única possibilidade clara e concreta do PDT sair da condição de, quase eterno,coadjuvante nas disputas, sem voz e sem voto.Apresentamos uma chance verdadeira de sermos alternativa ao fogo cruzadoque se anuncia entre PT e PSB, antecipando-se, já, a disputa de 2014.Mostramos um caminho capaz de mobilizar a juventude em cima das bandeirasda educação, a partir de nossa vitória pelos 10% do PIB para seufinanciamento, da cultura, na qual fui autor do Plano Nacional de Cultura,Relator do Vale-Cultura e do Sistema Nacional de Cultura, do DesenvolvimentoSustentável, tema no qual sou autor da proposta de Emenda Constitucionalpara o Plano Nacional de Desenvolvimento Urbano, enfim, da ética na política,fundador que fui da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, únicoparlamentar pernambucano signatário do Projeto de Lei da Ficha Limpa e autorde diversos projetos nessa área.A partir desse episódio passo a defender com mais ênfase ainda a realizaçãode eleições diretas para as direções do PDT e a realização de convençõesimediatas para a construção de diretórios em todas as instâncias. Basta de
  3. 3. dirigentes eternos e presidentes provisórios.Agradeço o apoio de todos que se manifestaram pela candidatura própria, queme enviaram mensagens de força, fé, solidariedade e esperança. Não saio dadisputa, repito, estou sendo tirado pela prevalência de uma chantagem a favorde quem “empenhou” a palavra, deixando de ser um protagonista por inteirocom aliados para ser 1/16 de uma coligação, independente de qual seja,sabendo que havia instância superior partidária, com amparo regimental, sobresua decisão pessoal. Brasília, 4 de julho de 2012 Paulo Rubem Santiago Dep.Federal PDT-PE

×