SlideShare uma empresa Scribd logo
Teleconferência / Webcast                           4o trimestre e exercício de 2008
DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS                           (Legislação Societária)




   P53




   FPSO Cidade de Niterói                                               P51




ALMIR GUILHERME BARBASSA
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores
                             10 de março de 2008

                                                                                       1
AVISO

As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem
apenas expectativas dos administradores da Companhia. Os termos antecipa", "acredita",
"espera", "prevê", "pretende", "planeja", "projeta", "objetiva", "deverá", bem como outros termos
similares, visam a identificar tais previsões, as quais, evidentemente, envolvem riscos ou
incertezas previstos ou não pela Companhia. Portanto, os resultados futuros das operações da
Companhia podem diferir das atuais expectativas, e o leitor não deve se basear exclusivamente
nas informações aqui contidas. A Companhia não se obriga a atualizar as apresentações e
previsões à luz de novas informações ou de seus desdobramentos futuros.

Investidores Norte-Americanos:
A SEC somente permite que as companhias de óleo e gás incluam em seus relatórios arquivados
de reservas provadas que a Companhia tenha comprovado por produção ou testes de formação
conclusivos que sejam viáveis econômica e legalmente nas condições econômicas e operacionais
vigentes. Utilizamos alguns termos nesta apresentação, tais como descobertas, que as orientações
da SEC nos proíbem de usar em nossos relatórios arquivados.




                                                                                                    2
PRODUÇÃO NACIONAL DE PETRÓLEO, LGN E GÁS NATURAL – 4T08 VS 3T08


           Produção Nacional Média de Óleo e Gás


                               7%
                                              -1%
             2.059                    2.213         2.195
                                       330           330
             277
 Mil bpd




             1782                     1883          1865




             4T07                     3T08          4T08    Recorde de produção diária de petróleo no Brasil
                     Petróleo e LGN      Gás Natural         alcançado em 04/03/2009      2.012.654 barris


• Ligeira queda na produção do 4T08 devido a:
            • declínio natural dos campos maduros;
            • paradas operacionais.
• Compensados parcialmente pelo aumento na produção dos novos sistemas P-52 e P-54
(Roncador) e P-53 (Marlim Leste).



                                                                                                          3
STATUS DAS UNIDADES MAIS RECENTES


              P-51                              P-53                  FPSO Cidade de Niterói




PLATAFORMA /                              DATA          PRODUÇÃO       Nº DE POÇOS       Nº DE POÇOS
                       CAPACIDADE
   CAMPO                              PRIMEIRO ÓLEO    ATUAL* (bpd)   INTERLIGADOS        PREVISTOS
                                                                      2 produtores e 1   10 produtores
P-51 / Marlim Sul       180 mil bpd     24/01/2009        45.909
                                                                      injetor            e 9 injetores
 P-53 / Marlim                                                                           13 produtores
                        180 mil bpd     30/11/2008        48.375       3 produtores
 Leste                                                                                   e 8 injetores
FPSO Cidade de                                                                           9 produtores
Niterói / /Marlim       100 mil bpd     26/02/2009        32.940        1 produtor       (óleo) e 1
Leste                                                                                    produtor (gás)

     Total              460 mil bpd         -            127.224             -                 -



                     * Em 02/03/09                                                                    4
BACIA DE SANTOS - PÓLO PRÉ-SAL


50 km                                Rio de Janeiro
                                                                                  Plano de Perfuração 2009:
                                                                                • 9 poços, sendo 8 exploratórios e 1 de
                                                                                  produção.
                                  BM-S-10
                                  BR 65%                 BM- S-11
                                                         BR 65%
                                                                                  Status TLD Tupi:

                                                                                • FPSO BW Cidade de São Vicente em
           BM-S- 8                                                                trânsito para o Brasil;
           BR 66%


                                                                                • Poço 3-RJS-646 (ao sul de Tupi), em fase
                                                                                  de completação e avaliação. Os testes de
                                                                  Iara
                                        Parati                                    formação apresentam bons resultados;
                                                           Tupi
                                                                                • Início da produção prevista para o 2T09.
                                     Carioca
                     Bem-te-v i
                                                 Guara
BM-S-21
                                                                     BM- S-24
BR 80%
                                    Azul ão                          BR 80%
               Caramba

                                                          BM- S-9
                                  BM- S-22                BR 45%
                                  BR 20%
Poços Perfurados




                                                                                                                             5
                                                                                                                             5
PREÇOS DE PETRÓLEO DO E&P (US$ por barril)




                                                                               Média 3T08
                                                                     121,37
                                                                               114,78
                                                     96,90
                                     88,69                            105,46
                                                                                 100,58
                         74,87                               86,13
                                                                                            Média 4T08
             68,76                           76,75
57,75
                             64,42                                                             54,91
                 57,04
                                                                                                47,95
    47,79
                     Preço médio de venda                            Brent (média)

1T07         2T 07        3T07         4T07           1T08           2T08          3T08      4T08




  • No 4T08 a queda dos preços do Brent e do petróleo da Petrobras superou 50% quando
  comparados com o trimestre anterior;
  • O spread entre o preço médio do petróleo nacional e a cotação média do Brent diminuiu de
  US$ 14,20/bbl no 3T08, para US$ 6,96/bbl no 4T08.


                                                                                                         6
LIFTING COST NO BRASIL



                            US$/barril                                                                    R$/barril
                                                                              80
80                                                                       14070
                                  121,4
70                                                114,8                  12060                                         54,40
60                  96,9
        88,7                                                             10050                                 51,14
50                                                                                               43,20
                                                                                   40,98                                         41,48
                                                                         80 40
40                                31,08                        54,9                                                    36,79
                                                  30,27                  60 30                                 34,80
30                   24,82                                                         25,76         28,04                            22,39
        23,16                                                            40
20                                 21,20          20,06       18,11           20
        14,56        16,16
10                                                            9,87       20
                                                                              10                               16,34   17,61      19,09
         8,60        8,66          9,88           10,21       8,24                 15,22         15,16
0                                                                        0
                                                                              0
         4T07        1T08          2T08            3T 08      4T 08
                                                                                   4T07          1T08          2T 08   3T 08      4T 08

          Lifting Cost (US$)               Part. Gov. (US$)           Brent                Lifting Cost (R$)            Par. Gov (R$)


     Redução de 19% do lifting cost em dólares sem participações governamentais do 3T08 para o 4T08;
     Em reais, o lifting cost sem participação governamental aumentou devido à depreciação do real
     (37%);
     Redução das participações governamentais em função do decréscimo do preço de referência do
     óleo nacional, vinculado às cotações internacionais.


                                                                                                                                         7
PREÇO MÉDIO DE REALIZAÇÃO – PMR



 US$/bbl                                                               R$/bbl
                      Média 2008                 3T08      4T08                            Média 2008                   3T08        4T08
               PMR EUA: US$ 109,72/bbl                                               PMR EUA: R$ 194,73bbl
160           PMR Petrobras: US$ 91,81/bbl                                         PMR Petrobras: R$ 176,41/bbl
                                                129,81                 250
140                                                                                                                      215,62
120                                                                    200

100                                             112,49                                                                  187,02
                                                             77,40                                                                         176,48
                                                                       150                                                        162,23
80

60                                                        71,78
                                                                       100

40
                                                                       50
20

 0                                                                      0
  dez/06 mar/07 jun/07   set/07 dez/07 mar/08 jun/08   set/08 dez/08     dez/06 mar/07 jun/07   set/07 dez/07 mar/08 jun/08    set/08   dez/08

                  PMR EUA                 PMR Petrobras                                 PMR EUA                   PMR Petrobras


 • Reajustes de preços do diesel (15%) e da gasolina (10%) em maio de 2008 não foram suficientes
 para recompor a paridade com os preços internacionais;
 • Somente no 4T08 o PMR da companhia atingiu o nível dos preços internacionais;
 • A queda em dólares foi maior em função da desvalorização do real no 4T08. A curva de PMR é
 mais estável quando expressa em reais.

                                                                                                                                             8
IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE PETRÓLEO E DERIVADOS

                       Superávit Financeiro 2007
                                                                                     Déficit Financeiro 2008
                           US$ 71 Milhões
                                                                           673          US$ 928 Milhões
                        615
                                                                           81              570
                        102           538
                                                                                            70
                                      51                                   153
Mil barris/dia




                        160           97                                                   127




                                                                           439
                        353           390                                                  373
                                                      77                                                    103



                     Exportação    Importação   Exportação Líquida      Exportação       Importação   Exportação Líquida




                 Apesar do superávit em volumes, a Petrobras apresentou déficit na balança comercial;
                  Investimentos focados na captura de margem, através do aumento da capacidade de refino
                 do óleo produzido no Brasil.

                                                                                                                       9
DIFERENÇA TEMPORAL ENTRE RECEITA E CUSTO


                         Receita                           Custo
                           E xpo rta çã o
     Ajustado                                               Óleo          Importação
                              ó leo e
   imediatamente                                          Derivados
                            der iv ado s
     Ajustado no             Nafta e                    Participações
     curto prazo             Outros                    Governamentais

                              Diesel
     Ajustado no
                             Gasolina
       médio e
     longo prazo               GLP



                                            2008
• Perda de receita com exportações devido aos preços mais baixos de óleo e derivados no
mercado internacional;
• No entanto, parte do ganho com as importações a preços mais baixos é retido no custo do
estoque do trimestre corrente;
• Cerca de 40% da receita da venda de derivados é ajustada no curto prazo.

                                                                                            10
LUCRO OPERACIONAL (ITENS EXTRAORDINÁRIOS)
LEI 6.404/76

  R$ milhões

                      Rubrica                                 4T08       3T08     Variação
  Lucro Operacional                                          5.041    10.852         (5.811)

                                                             1.089        293          796
  - Perda com Desvalorização de Estoques
                                                             2.719        187        2.532
  - Efeito Giro dos Estoques (perda)
                                                              925         -            925
  - Perda na Recuperação de Ativos
                                                               58          80           (22)
  - Multas e Encargos Contratuais
                                                              964         762          202
  - Perda de Estoque (Operações de Trading )
  Lucro Operacional sem Efeito de Itens                     10.796    12.174         (1.378)
  Extraordinários

• Itens extraordinários afetaram o resultado operacional;
• Ganho financeiro com operações de hedge de R$ 603 milhões no 4T08 e R$ 156 milhões e no 3T08.
                                                                                               11
EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO – EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL
(R$ MILHÕES - 4T08 VS 3T08)


16.665             10.676




                                                    1.253         603              29            7.936
                                    1.268




 3º Tri - 2008   Efeito Preço    Efeito Custo   Efeito Volume   Impairment   Outras Despesas    4º Tri – 2008
Lucro Operac.     na Receita    Médio no CPV       Líquido                    Operacionais     Lucro Operac.

• O Lucro do E&P foi afetado pela queda no preço do petróleo;
• Impairment de R$ 603 milhões devido a perda de economicidade de alguns projetos em
função da queda de preços do petróleo (queda de 52% no preço do Brent no 4T08/3T08);
• Redução de custos devido a menor participação governamental.


                                                                                                                12
                                                                                                                 12
ABASTECIMENTO - EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL
    (R$ MILHÕES - 4T08 VS 3T08)




                                                        141              161
                                                                                          541             (1.402)
  (2.437)




                      5.798             7.394
                                                                        Perda com
  3º Tri - 2008    Efeito Preço na   Efeito Custo   Efeito Volume   Desvalorização dos   Outras Desp.     4º Tri - 2008
Prejuízo Operac.       Receita       Médio no CPV      Líquido          Estoques           Operac.      Prejuízo Operac



    • O Lucro do Abastecimento foi afetado pela queda de preços de realização;

    • E pela retenção de custos nos estoques do trimestre corrente e realização de estoques formados
    a custos mais elevados em períodos anteriores.


                                                                                                                  13
                                                                                                                   13
GAS E ENERGIA - EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL
   (R$ MILHÕES – 2008 VS 2007)




                                      1.956          3.334

                     4.190

                                                                   1.818
    (1.624)                                                                      105                (525)




 Jan a Dez 2007    Efeito Preço   Efeito Volume   Efeito Custo   Efeito Volume    Despesas      Jan a Dez 2008
Prejuízo Operac.    na Receita     na Receita     Médio no CPV      no CPV       Operacionais   Prejuízo Operac

  • Melhora no lucro bruto devido aos maiores volumes de venda (de energia e de gás) e melhores
  margens em função da renovação dos contratos com as distribuidoras de gás;
  • As penalidades e multas contratuais (R$ 434 milhões) no setor de energia devem diminuir em
  função dos investimentos;
  • O EBITDA foi positivo em R$ 236 milhões.

                                                                                                          14
                                                                                                           14
INTERNACIONAL - EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL
   (R$ MILHÕES – 2008 VS 2007)

                      9.498              8.496




    (106)                                                 699
                                                                          1.078            (881)

                   Efeito Preço e                       Perda com
 Jan a Dez 2007                      Efeito Custo e   Desvalorização   Outras Despesas   Jan a Dez 2008
Prejuízo Operac.     Volume na      Volume no CPV
                      Receita                         dos Estoques      Operacionais     Prejuízo Operac

  • O resultado operacional foi afetado pela perda com desvalorização de estoques de R$ 699
  milhões;
  • EBITDAx de R$ 1.080 milhões - despesas exploratórias de R$ 1.103 milhões, depreciação
  de R$ 1.758 milhões.


                                                                                                      15
                                                                                                       15
EVOLUÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO – R$ MILHÕES - 4T08 VS 3T08


      1.883         Produção Doméstica de Óleo, LGN e Condensado (mil bpd)                               1.865
   10.852       4.198




                                                                                              503          7.355
                             1.014                                             1.089

                                          2.959                    3.511



                        Despesa s         1.699        429
                        Não-recorrentes




   3T08LL     Receita        CPV      Despesas Desp. Fin., e      Impostos
                                                                             Part. Acion.      Part.       4T08LL
                                     Operacionais Part. Invest.                  Não        Empregados
                                                    Relev.                    Control.

O lucro liquido foi afetado por:
• Queda nos preços de realização de óleo e derivados;
• Itens extraordinários, tais como impairment, perda com desvalorização de estoques e efeito giro dos estoques;
• Menor pagamento de impostos devido ao beneficio fiscal decorrente do provisionamento de juros sobre capital
próprio.
• Ganho financeiro decorrente da desvalorização cambial.

                                                                                                                    16
                                                                                                                     16
FLUXO DE CAIXA


                                                                   4T08        3T08              2008       2007
      Caixa Gerado pelas Atividades Operacionais
      Lucro Líquido                                                  7.355     10.852            32.988      21.512
      Depreciação                                                                                11.632      10.696
      Outros                                                                                      5.332      10.031
      Fluxo de Caixa Operacional                                    15.279     13.013            49.952      42.239
      Caixa Utilizado pelas Atividades de Investimento
      Capex                                                        (17.121)   (13.461)           (52.118)   (41.405)
      Outros                                                        (1.138)      (666)            (1.307)    (3.828)
      Total de Investimentos                                       (18.259)   (14.127)           (53.425)   (45.233)
      Caixa Utilizado pelas Atividades de Financiamento
      Financiamento e Empréstimos                                    7.451        846            11.837      (3.948)
      Dividendos                                                       (26)        (2)           (6.213)     (7.474)
      Caixa Utilizado pelas Atividades de Financiamento              7.425        844             5.624     (11.422)
      Caixa no Início do Exercício                                  10.776     11.046            13.071      27.829
      Caixa no Final do Exercício                                   15.222     10.776            15.222      13.071



•O Fluxo de caixa do 4T08 reflete a queda de 21% no valor do estoque, que afetou
negativamente o lucro e o EBITDA, mas sem impacto sobre o caixa.
•O pré-financiamento das necessidade de 2009 foi acompanhado pelo aumento da
disponibilidade.

                    •Fluxo de caixa de 2008 pela Lei 11.638. O cálculo do 4Q08 é uma análise gerencial baseada na comparação
                    do fluxo de 2008 com o acumulado dos primeiros 9 meses (antes dos ajustes da lei).
                                                                                                                               17
                                                                                                                               17
ESTRUTURA DE CAPITAL

   28%
                                                                           R$ milhões                     31/12/2008 *    31/12/2007    %
         27% 27% 27%                                      26%
                                                                           Endividamento de Curto
                                                  25%                                                        13.859         8.960       55%
                             23%                                           Prazo
                                                                           Endividamento de Longo
                                                                                                             50.854         30.781      65%
                                   21% 21% 21%                             Prazo
                             19%                             21%
                                                                           Endividamento Total               64.713         39.741      63%
             19%    18%
   16%          17%                         19%                            Disponibilidades                  15.889         13.071      22%
                                   18%
                                                                                                   (1)
                                                                           Endividamento Líquido             48.824         26.670      83%

                                                                           Estrutura de Capital               50%            48%       +2 pp


31/12/2006   30/6/2007   31/12/2007     30/6/2008     31/12/2008*          US$ milhões                   31/12/2008 *    31/12/2007    %

                                                                           Endividamento Total              27.691        22.436       23%
       End. Líq./Cap. Líq.            End. CP/End. Total


 • O endividamento líquido foi fortemente influenciado pela depreciação do real (+ R$ 9
 bilhões) no período, além das captações nos mercados interno e externo;
 • O índice de endividamento, medido através do índice da dívida líquida/EBITDA, ao
 término de 2008 foi de 0,85, demonstrando a força da estrutura de capital.

                              *Após ajustes da Lei 11.638/07
                              (1) Endividamento Total - Disponibilidades                                                                   18
MUDANÇAS CONTÁBEIS: RECONCILIAÇÃO LEI 11.638/07 VS 6.404/76 – 2008 (R$ MILHÕES)




  • A Lei 11.638/07 introduziu mudanças nas práticas contábeis brasileiras, especialmente na
  conversão das De monstraçõe s de Resultado das subsidiárias no exterior.




                                                                                               19
PLANO DE NEGÓCIOS 2009-2013 FOI BEM RECEBIDO PELO MERCADO

                                            Evolução PBR vs. AmexOil (até 04/03)
                              130


                              120
Nº Índice = 100 em 31.12.08




                                                                                                                                                        112,49

                              110


                              100


                               90
                                            Antes da divulgação                                                                                         81,88
                                             do PN 2009 - 2013
                               80

                                                                                    PBR US$                 Amex Oil
                               70
                                    31/12   06/01   12/01   16/01   22/01   28/01   03/02   09/02   13/02   19/02                           25/02    03/03

                                                                                                                                                  Evolução Petr4 vs. Ibovespa (até 04/03)
                                                                                                                                          125


                                                                                                                                          120
                                                                                                            Nº Índice = 100 em 31.12.08



                                                                                                                                                                                                                     115,46
                                                                                                                                          115


                                                                                                                                          110


                                                                                                                                          105
                                                                                                                                                                                                                     102,27
                                                                                                                                          100             Antes da
                                                                                                                                                      divulgação do PN
                                                                                                                                                         2009 - 2013
                                                                                                                                           95
                                                                                                                                                                                            PETR4 R$         IBOVESPA
                                                                                                                                           90
                                                                                                                                                31/12 06/01 12/01 16/01 22/01 28/01 03/02 09/02 13/02 19/02 25/02 03/03


                                                              Fonte: Bloomberg                                                                                                                                                20
SESSÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS
  Visite nosso website: www.petrobras.com.br/ri
              Para mais informações favor contatar:
             Petróleo Brasileiro S.A – PETROBRAS
                  Relacionamento com Investidores


              E-mail: petroinvest@petrobras.com.br
             Av. República do Chile, 65 – 22o andar
                   20031-912 – Rio de Janeiro, RJ
                    (55-21) 3224-1510 / 3224-9947




                                                      21

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Webcast 1T08
Webcast 1T08Webcast 1T08
Webcast 1T08
Petrobras
 
Webcast 3 t07_port
Webcast 3 t07_portWebcast 3 t07_port
Webcast 3 t07_port
Petrobras
 
Divulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRS
Petrobras
 
Webcast sobre Resultados do 1T14
Webcast sobre Resultados do 1T14Webcast sobre Resultados do 1T14
Webcast sobre Resultados do 1T14
Petrobras
 
Divulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRS
Petrobras
 
Webcast 4 t11 português final
Webcast 4 t11 português finalWebcast 4 t11 português final
Webcast 4 t11 português final
Petrobras
 
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Petrobras
 
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Petrobras
 
Webcast - 3º trimestre de 2012
Webcast - 3º trimestre de 2012Webcast - 3º trimestre de 2012
Webcast - 3º trimestre de 2012
Petrobras
 
Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007
Petrobras
 
Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre
Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre
Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre
FatoseDados
 
Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007
Petrobras
 
Apresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAP
Apresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAPApresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAP
Apresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAP
Petrobras
 
Webcast 1T12
Webcast 1T12Webcast 1T12
Webcast 1T12
Petrobras
 
Webcast4 t06port
Webcast4 t06portWebcast4 t06port
Webcast4 t06port
Petrobras
 
Webcast 3 t06
Webcast 3 t06Webcast 3 t06
Webcast 3 t06
Petrobras
 
Webcast - 4º trimestre de 2012
Webcast - 4º trimestre de 2012Webcast - 4º trimestre de 2012
Webcast - 4º trimestre de 2012
Petrobras
 
Webcast 2T12
Webcast 2T12Webcast 2T12
Webcast 2T12
Petrobras
 
Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014
Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014
Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014
Petrobras
 
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Petrobras
 

Mais procurados (20)

Webcast 1T08
Webcast 1T08Webcast 1T08
Webcast 1T08
 
Webcast 3 t07_port
Webcast 3 t07_portWebcast 3 t07_port
Webcast 3 t07_port
 
Divulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 3o. trimestre de 2011 - IFRS
 
Webcast sobre Resultados do 1T14
Webcast sobre Resultados do 1T14Webcast sobre Resultados do 1T14
Webcast sobre Resultados do 1T14
 
Divulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 2° trimestre de 2011 - IFRS
 
Webcast 4 t11 português final
Webcast 4 t11 português finalWebcast 4 t11 português final
Webcast 4 t11 português final
 
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
Webcast: Resultados do 2º trimestre de 2008
 
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRSDivulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
Divulgação de Resultados do 1o. trimestre de 2011 - IFRS
 
Webcast - 3º trimestre de 2012
Webcast - 3º trimestre de 2012Webcast - 3º trimestre de 2012
Webcast - 3º trimestre de 2012
 
Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 1º trimestre de 2007
 
Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre
Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre
Apresentação sobre o balanço do 3º trimestre
 
Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007
Webcast: Divulgação de Resultados - 2º trimestre de 2007
 
Apresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAP
Apresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAPApresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAP
Apresentação Apimec do 4º trimestre e do Exercício de 2009 em BR GAAP
 
Webcast 1T12
Webcast 1T12Webcast 1T12
Webcast 1T12
 
Webcast4 t06port
Webcast4 t06portWebcast4 t06port
Webcast4 t06port
 
Webcast 3 t06
Webcast 3 t06Webcast 3 t06
Webcast 3 t06
 
Webcast - 4º trimestre de 2012
Webcast - 4º trimestre de 2012Webcast - 4º trimestre de 2012
Webcast - 4º trimestre de 2012
 
Webcast 2T12
Webcast 2T12Webcast 2T12
Webcast 2T12
 
Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014
Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014
Webcast sobre os Resultados do 2º trimestre de 2014
 
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
Webcast sobre Resultados do 4º trimestre e exercício de 2013
 

Destaque

Webcast 1T10
Webcast 1T10Webcast 1T10
Webcast 1T10
Petrobras
 
Webcast 4 t09_port
Webcast 4 t09_portWebcast 4 t09_port
Webcast 4 t09_port
Petrobras
 
Webcast 4T07
Webcast 4T07Webcast 4T07
Webcast 4T07
Petrobras
 
Webcast 2T13
Webcast 2T13Webcast 2T13
Webcast 2T13
Petrobras
 
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Petrobras
 
Webcast 2T15
Webcast 2T15Webcast 2T15
Webcast 2T15
Petrobras
 
Webcast 3T13
Webcast 3T13Webcast 3T13
Webcast 3T13
Petrobras
 

Destaque (7)

Webcast 1T10
Webcast 1T10Webcast 1T10
Webcast 1T10
 
Webcast 4 t09_port
Webcast 4 t09_portWebcast 4 t09_port
Webcast 4 t09_port
 
Webcast 4T07
Webcast 4T07Webcast 4T07
Webcast 4T07
 
Webcast 2T13
Webcast 2T13Webcast 2T13
Webcast 2T13
 
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
Webcast sobre o 1º trimestre de 2013
 
Webcast 2T15
Webcast 2T15Webcast 2T15
Webcast 2T15
 
Webcast 3T13
Webcast 3T13Webcast 3T13
Webcast 3T13
 

Semelhante a Webcast 4T08

Resultados financeiros do 1º trimestre
Resultados financeiros do 1º trimestreResultados financeiros do 1º trimestre
Resultados financeiros do 1º trimestre
FatoseDados
 
Webcast portugues finalrev
Webcast portugues finalrevWebcast portugues finalrev
Webcast portugues finalrev
Petrobras
 
Webcast portugues final
Webcast portugues finalWebcast portugues final
Webcast portugues final
Petrobras
 
Cafe9 jandrade
Cafe9 jandradeCafe9 jandrade
Cafe9 jandrade
Weverthon Vieira
 
apresentação primeiro óleo ES
apresentação primeiro óleo ESapresentação primeiro óleo ES
apresentação primeiro óleo ES
FatoseDados
 
Visão Geral da Petrobras
Visão Geral da PetrobrasVisão Geral da Petrobras
Visão Geral da Petrobras
Petrobras
 
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - AtivaEstrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Ativa Corretora
 
Apresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da Petrobras
Apresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da PetrobrasApresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da Petrobras
Apresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da Petrobras
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13
Ogx2011
 
Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13
Ogx2011
 
Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012
Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012
Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012
Petrobras
 
MEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose Marcusso
MEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose MarcussoMEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose Marcusso
MEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose Marcusso
glenmilanez
 
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobrasGb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Galvabrasil
 
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Petrobras
 
Óleo e Gás
Óleo e GásÓleo e Gás
XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012
CBE2012
 
09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea
09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea
09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea
slides-mci
 
Palestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁS
Palestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁSPalestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁS
Palestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁS
Moisés Figueiredo
 
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day São Paulo
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day São PauloApresentação de Pedro Parente no Investor Day São Paulo
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day São Paulo
Petrobras
 
XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012
CBE2012
 

Semelhante a Webcast 4T08 (20)

Resultados financeiros do 1º trimestre
Resultados financeiros do 1º trimestreResultados financeiros do 1º trimestre
Resultados financeiros do 1º trimestre
 
Webcast portugues finalrev
Webcast portugues finalrevWebcast portugues finalrev
Webcast portugues finalrev
 
Webcast portugues final
Webcast portugues finalWebcast portugues final
Webcast portugues final
 
Cafe9 jandrade
Cafe9 jandradeCafe9 jandrade
Cafe9 jandrade
 
apresentação primeiro óleo ES
apresentação primeiro óleo ESapresentação primeiro óleo ES
apresentação primeiro óleo ES
 
Visão Geral da Petrobras
Visão Geral da PetrobrasVisão Geral da Petrobras
Visão Geral da Petrobras
 
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - AtivaEstrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
Estrategia, Crescimento e Resultados - Petrobras - Ativa
 
Apresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da Petrobras
Apresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da PetrobrasApresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da Petrobras
Apresentação Marcio Paulo Naumann - Gerente de Exploração da UO-BS da Petrobras
 
Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13
 
Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13Apresentação Resultados 1T13
Apresentação Resultados 1T13
 
Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012
Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012
Pré-sal: Panorama e Oportunidades - Rio Oil & Gas 2012
 
MEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose Marcusso
MEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose MarcussoMEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose Marcusso
MEC SHOW 2014_Conferência Naval_Petrobras - Jose Marcusso
 
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobrasGb2013 marcelo schultz_petrobras
Gb2013 marcelo schultz_petrobras
 
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
Edição 30 - Petrobras em Ações - n° 01/2009
 
Óleo e Gás
Óleo e GásÓleo e Gás
Óleo e Gás
 
XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - Orlando - 25 outubro 2012
 
09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea
09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea
09h10 mr elaine petersohn 22 08 pedra da gavea
 
Palestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁS
Palestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁSPalestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁS
Palestra da Petrobrás na II Reunião da AMPROGÁS
 
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day São Paulo
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day São PauloApresentação de Pedro Parente no Investor Day São Paulo
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day São Paulo
 
XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 6 - José gutman - 25 outubro 2012
 

Mais de Petrobras

Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023
Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023
Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023
Petrobras
 
Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023
Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023
Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023
Petrobras
 
Petrobras Overview - September 2018
Petrobras Overview - September 2018Petrobras Overview - September 2018
Petrobras Overview - September 2018
Petrobras
 
Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018
Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018
Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018
Petrobras
 
Petrobras Investor Day - London 2018
Petrobras Investor Day - London 2018Petrobras Investor Day - London 2018
Petrobras Investor Day - London 2018
Petrobras
 
Sustentabilidade 2017
Sustentabilidade 2017Sustentabilidade 2017
Sustentabilidade 2017
Petrobras
 
Apresentacao png-2018-2022-webcast-ingles
Apresentacao png-2018-2022-webcast-inglesApresentacao png-2018-2022-webcast-ingles
Apresentacao png-2018-2022-webcast-ingles
Petrobras
 
Apresentação PNG 2018-2022
Apresentação PNG 2018-2022Apresentação PNG 2018-2022
Apresentação PNG 2018-2022
Petrobras
 
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova York
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova YorkApresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova York
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova York
Petrobras
 
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Londres
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day LondresApresentação de Pedro Parente no Investor Day Londres
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Londres
Petrobras
 
Visão Geral 2017 fevereiro
Visão Geral   2017 fevereiro Visão Geral   2017 fevereiro
Visão Geral 2017 fevereiro
Petrobras
 
Petrobras General Overview
Petrobras General OverviewPetrobras General Overview
Petrobras General Overview
Petrobras
 
Petrobras at a Glance
Petrobras at a GlancePetrobras at a Glance
Petrobras at a Glance
Petrobras
 
Visão Geral Petrobras
Visão Geral PetrobrasVisão Geral Petrobras
Visão Geral Petrobras
Petrobras
 
Strategic Plan and 2017-2021 Business & Management Plan
Strategic Plan and 2017-2021 Business & Management PlanStrategic Plan and 2017-2021 Business & Management Plan
Strategic Plan and 2017-2021 Business & Management Plan
Petrobras
 
Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021
Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021
Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021
Petrobras
 
Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019
Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019 Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019
Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019
Petrobras
 
Webcast 1T16
Webcast 1T16Webcast 1T16
Webcast 1T16
Petrobras
 
Webcast 1Q16
Webcast 1Q16Webcast 1Q16
Webcast 1Q16
Petrobras
 
Webcast 4Q15
Webcast 4Q15Webcast 4Q15
Webcast 4Q15
Petrobras
 

Mais de Petrobras (20)

Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023
Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023
Strategic Plan 2040 || Business and Management Plan 2019-2023
 
Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023
Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023
Plano Estratégico 2040 || Plano de Negócios e Gestão 2019-2023
 
Petrobras Overview - September 2018
Petrobras Overview - September 2018Petrobras Overview - September 2018
Petrobras Overview - September 2018
 
Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018
Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018
Apresentação Investor Day, São Paulo, 2018
 
Petrobras Investor Day - London 2018
Petrobras Investor Day - London 2018Petrobras Investor Day - London 2018
Petrobras Investor Day - London 2018
 
Sustentabilidade 2017
Sustentabilidade 2017Sustentabilidade 2017
Sustentabilidade 2017
 
Apresentacao png-2018-2022-webcast-ingles
Apresentacao png-2018-2022-webcast-inglesApresentacao png-2018-2022-webcast-ingles
Apresentacao png-2018-2022-webcast-ingles
 
Apresentação PNG 2018-2022
Apresentação PNG 2018-2022Apresentação PNG 2018-2022
Apresentação PNG 2018-2022
 
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova York
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova YorkApresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova York
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Nova York
 
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Londres
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day LondresApresentação de Pedro Parente no Investor Day Londres
Apresentação de Pedro Parente no Investor Day Londres
 
Visão Geral 2017 fevereiro
Visão Geral   2017 fevereiro Visão Geral   2017 fevereiro
Visão Geral 2017 fevereiro
 
Petrobras General Overview
Petrobras General OverviewPetrobras General Overview
Petrobras General Overview
 
Petrobras at a Glance
Petrobras at a GlancePetrobras at a Glance
Petrobras at a Glance
 
Visão Geral Petrobras
Visão Geral PetrobrasVisão Geral Petrobras
Visão Geral Petrobras
 
Strategic Plan and 2017-2021 Business & Management Plan
Strategic Plan and 2017-2021 Business & Management PlanStrategic Plan and 2017-2021 Business & Management Plan
Strategic Plan and 2017-2021 Business & Management Plan
 
Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021
Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021
Plano Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2017-2021
 
Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019
Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019 Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019
Plano de Negócios e Gestão 2015 – 2019
 
Webcast 1T16
Webcast 1T16Webcast 1T16
Webcast 1T16
 
Webcast 1Q16
Webcast 1Q16Webcast 1Q16
Webcast 1Q16
 
Webcast 4Q15
Webcast 4Q15Webcast 4Q15
Webcast 4Q15
 

Webcast 4T08

  • 1. Teleconferência / Webcast 4o trimestre e exercício de 2008 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS (Legislação Societária) P53 FPSO Cidade de Niterói P51 ALMIR GUILHERME BARBASSA Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 10 de março de 2008 1
  • 2. AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Os termos antecipa", "acredita", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "projeta", "objetiva", "deverá", bem como outros termos similares, visam a identificar tais previsões, as quais, evidentemente, envolvem riscos ou incertezas previstos ou não pela Companhia. Portanto, os resultados futuros das operações da Companhia podem diferir das atuais expectativas, e o leitor não deve se basear exclusivamente nas informações aqui contidas. A Companhia não se obriga a atualizar as apresentações e previsões à luz de novas informações ou de seus desdobramentos futuros. Investidores Norte-Americanos: A SEC somente permite que as companhias de óleo e gás incluam em seus relatórios arquivados de reservas provadas que a Companhia tenha comprovado por produção ou testes de formação conclusivos que sejam viáveis econômica e legalmente nas condições econômicas e operacionais vigentes. Utilizamos alguns termos nesta apresentação, tais como descobertas, que as orientações da SEC nos proíbem de usar em nossos relatórios arquivados. 2
  • 3. PRODUÇÃO NACIONAL DE PETRÓLEO, LGN E GÁS NATURAL – 4T08 VS 3T08 Produção Nacional Média de Óleo e Gás 7% -1% 2.059 2.213 2.195 330 330 277 Mil bpd 1782 1883 1865 4T07 3T08 4T08 Recorde de produção diária de petróleo no Brasil Petróleo e LGN Gás Natural alcançado em 04/03/2009 2.012.654 barris • Ligeira queda na produção do 4T08 devido a: • declínio natural dos campos maduros; • paradas operacionais. • Compensados parcialmente pelo aumento na produção dos novos sistemas P-52 e P-54 (Roncador) e P-53 (Marlim Leste). 3
  • 4. STATUS DAS UNIDADES MAIS RECENTES P-51 P-53 FPSO Cidade de Niterói PLATAFORMA / DATA PRODUÇÃO Nº DE POÇOS Nº DE POÇOS CAPACIDADE CAMPO PRIMEIRO ÓLEO ATUAL* (bpd) INTERLIGADOS PREVISTOS 2 produtores e 1 10 produtores P-51 / Marlim Sul 180 mil bpd 24/01/2009 45.909 injetor e 9 injetores P-53 / Marlim 13 produtores 180 mil bpd 30/11/2008 48.375 3 produtores Leste e 8 injetores FPSO Cidade de 9 produtores Niterói / /Marlim 100 mil bpd 26/02/2009 32.940 1 produtor (óleo) e 1 Leste produtor (gás) Total 460 mil bpd - 127.224 - - * Em 02/03/09 4
  • 5. BACIA DE SANTOS - PÓLO PRÉ-SAL 50 km Rio de Janeiro Plano de Perfuração 2009: • 9 poços, sendo 8 exploratórios e 1 de produção. BM-S-10 BR 65% BM- S-11 BR 65% Status TLD Tupi: • FPSO BW Cidade de São Vicente em BM-S- 8 trânsito para o Brasil; BR 66% • Poço 3-RJS-646 (ao sul de Tupi), em fase de completação e avaliação. Os testes de Iara Parati formação apresentam bons resultados; Tupi • Início da produção prevista para o 2T09. Carioca Bem-te-v i Guara BM-S-21 BM- S-24 BR 80% Azul ão BR 80% Caramba BM- S-9 BM- S-22 BR 45% BR 20% Poços Perfurados 5 5
  • 6. PREÇOS DE PETRÓLEO DO E&P (US$ por barril) Média 3T08 121,37 114,78 96,90 88,69 105,46 100,58 74,87 86,13 Média 4T08 68,76 76,75 57,75 64,42 54,91 57,04 47,95 47,79 Preço médio de venda Brent (média) 1T07 2T 07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 • No 4T08 a queda dos preços do Brent e do petróleo da Petrobras superou 50% quando comparados com o trimestre anterior; • O spread entre o preço médio do petróleo nacional e a cotação média do Brent diminuiu de US$ 14,20/bbl no 3T08, para US$ 6,96/bbl no 4T08. 6
  • 7. LIFTING COST NO BRASIL US$/barril R$/barril 80 80 14070 121,4 70 114,8 12060 54,40 60 96,9 88,7 10050 51,14 50 43,20 40,98 41,48 80 40 40 31,08 54,9 36,79 30,27 60 30 34,80 30 24,82 25,76 28,04 22,39 23,16 40 20 21,20 20,06 18,11 20 14,56 16,16 10 9,87 20 10 16,34 17,61 19,09 8,60 8,66 9,88 10,21 8,24 15,22 15,16 0 0 0 4T07 1T08 2T08 3T 08 4T 08 4T07 1T08 2T 08 3T 08 4T 08 Lifting Cost (US$) Part. Gov. (US$) Brent Lifting Cost (R$) Par. Gov (R$) Redução de 19% do lifting cost em dólares sem participações governamentais do 3T08 para o 4T08; Em reais, o lifting cost sem participação governamental aumentou devido à depreciação do real (37%); Redução das participações governamentais em função do decréscimo do preço de referência do óleo nacional, vinculado às cotações internacionais. 7
  • 8. PREÇO MÉDIO DE REALIZAÇÃO – PMR US$/bbl R$/bbl Média 2008 3T08 4T08 Média 2008 3T08 4T08 PMR EUA: US$ 109,72/bbl PMR EUA: R$ 194,73bbl 160 PMR Petrobras: US$ 91,81/bbl PMR Petrobras: R$ 176,41/bbl 129,81 250 140 215,62 120 200 100 112,49 187,02 77,40 176,48 150 162,23 80 60 71,78 100 40 50 20 0 0 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 dez/06 mar/07 jun/07 set/07 dez/07 mar/08 jun/08 set/08 dez/08 PMR EUA PMR Petrobras PMR EUA PMR Petrobras • Reajustes de preços do diesel (15%) e da gasolina (10%) em maio de 2008 não foram suficientes para recompor a paridade com os preços internacionais; • Somente no 4T08 o PMR da companhia atingiu o nível dos preços internacionais; • A queda em dólares foi maior em função da desvalorização do real no 4T08. A curva de PMR é mais estável quando expressa em reais. 8
  • 9. IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE PETRÓLEO E DERIVADOS Superávit Financeiro 2007 Déficit Financeiro 2008 US$ 71 Milhões 673 US$ 928 Milhões 615 81 570 102 538 70 51 153 Mil barris/dia 160 97 127 439 353 390 373 77 103 Exportação Importação Exportação Líquida Exportação Importação Exportação Líquida Apesar do superávit em volumes, a Petrobras apresentou déficit na balança comercial; Investimentos focados na captura de margem, através do aumento da capacidade de refino do óleo produzido no Brasil. 9
  • 10. DIFERENÇA TEMPORAL ENTRE RECEITA E CUSTO Receita Custo E xpo rta çã o Ajustado Óleo Importação ó leo e imediatamente Derivados der iv ado s Ajustado no Nafta e Participações curto prazo Outros Governamentais Diesel Ajustado no Gasolina médio e longo prazo GLP 2008 • Perda de receita com exportações devido aos preços mais baixos de óleo e derivados no mercado internacional; • No entanto, parte do ganho com as importações a preços mais baixos é retido no custo do estoque do trimestre corrente; • Cerca de 40% da receita da venda de derivados é ajustada no curto prazo. 10
  • 11. LUCRO OPERACIONAL (ITENS EXTRAORDINÁRIOS) LEI 6.404/76 R$ milhões Rubrica 4T08 3T08 Variação Lucro Operacional 5.041 10.852 (5.811) 1.089 293 796 - Perda com Desvalorização de Estoques 2.719 187 2.532 - Efeito Giro dos Estoques (perda) 925 - 925 - Perda na Recuperação de Ativos 58 80 (22) - Multas e Encargos Contratuais 964 762 202 - Perda de Estoque (Operações de Trading ) Lucro Operacional sem Efeito de Itens 10.796 12.174 (1.378) Extraordinários • Itens extraordinários afetaram o resultado operacional; • Ganho financeiro com operações de hedge de R$ 603 milhões no 4T08 e R$ 156 milhões e no 3T08. 11
  • 12. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO – EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL (R$ MILHÕES - 4T08 VS 3T08) 16.665 10.676 1.253 603 29 7.936 1.268 3º Tri - 2008 Efeito Preço Efeito Custo Efeito Volume Impairment Outras Despesas 4º Tri – 2008 Lucro Operac. na Receita Médio no CPV Líquido Operacionais Lucro Operac. • O Lucro do E&P foi afetado pela queda no preço do petróleo; • Impairment de R$ 603 milhões devido a perda de economicidade de alguns projetos em função da queda de preços do petróleo (queda de 52% no preço do Brent no 4T08/3T08); • Redução de custos devido a menor participação governamental. 12 12
  • 13. ABASTECIMENTO - EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL (R$ MILHÕES - 4T08 VS 3T08) 141 161 541 (1.402) (2.437) 5.798 7.394 Perda com 3º Tri - 2008 Efeito Preço na Efeito Custo Efeito Volume Desvalorização dos Outras Desp. 4º Tri - 2008 Prejuízo Operac. Receita Médio no CPV Líquido Estoques Operac. Prejuízo Operac • O Lucro do Abastecimento foi afetado pela queda de preços de realização; • E pela retenção de custos nos estoques do trimestre corrente e realização de estoques formados a custos mais elevados em períodos anteriores. 13 13
  • 14. GAS E ENERGIA - EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL (R$ MILHÕES – 2008 VS 2007) 1.956 3.334 4.190 1.818 (1.624) 105 (525) Jan a Dez 2007 Efeito Preço Efeito Volume Efeito Custo Efeito Volume Despesas Jan a Dez 2008 Prejuízo Operac. na Receita na Receita Médio no CPV no CPV Operacionais Prejuízo Operac • Melhora no lucro bruto devido aos maiores volumes de venda (de energia e de gás) e melhores margens em função da renovação dos contratos com as distribuidoras de gás; • As penalidades e multas contratuais (R$ 434 milhões) no setor de energia devem diminuir em função dos investimentos; • O EBITDA foi positivo em R$ 236 milhões. 14 14
  • 15. INTERNACIONAL - EVOLUÇÃO DO LUCRO OPERACIONAL (R$ MILHÕES – 2008 VS 2007) 9.498 8.496 (106) 699 1.078 (881) Efeito Preço e Perda com Jan a Dez 2007 Efeito Custo e Desvalorização Outras Despesas Jan a Dez 2008 Prejuízo Operac. Volume na Volume no CPV Receita dos Estoques Operacionais Prejuízo Operac • O resultado operacional foi afetado pela perda com desvalorização de estoques de R$ 699 milhões; • EBITDAx de R$ 1.080 milhões - despesas exploratórias de R$ 1.103 milhões, depreciação de R$ 1.758 milhões. 15 15
  • 16. EVOLUÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO – R$ MILHÕES - 4T08 VS 3T08 1.883 Produção Doméstica de Óleo, LGN e Condensado (mil bpd) 1.865 10.852 4.198 503 7.355 1.014 1.089 2.959 3.511 Despesa s 1.699 429 Não-recorrentes 3T08LL Receita CPV Despesas Desp. Fin., e Impostos Part. Acion. Part. 4T08LL Operacionais Part. Invest. Não Empregados Relev. Control. O lucro liquido foi afetado por: • Queda nos preços de realização de óleo e derivados; • Itens extraordinários, tais como impairment, perda com desvalorização de estoques e efeito giro dos estoques; • Menor pagamento de impostos devido ao beneficio fiscal decorrente do provisionamento de juros sobre capital próprio. • Ganho financeiro decorrente da desvalorização cambial. 16 16
  • 17. FLUXO DE CAIXA 4T08 3T08 2008 2007 Caixa Gerado pelas Atividades Operacionais Lucro Líquido 7.355 10.852 32.988 21.512 Depreciação 11.632 10.696 Outros 5.332 10.031 Fluxo de Caixa Operacional 15.279 13.013 49.952 42.239 Caixa Utilizado pelas Atividades de Investimento Capex (17.121) (13.461) (52.118) (41.405) Outros (1.138) (666) (1.307) (3.828) Total de Investimentos (18.259) (14.127) (53.425) (45.233) Caixa Utilizado pelas Atividades de Financiamento Financiamento e Empréstimos 7.451 846 11.837 (3.948) Dividendos (26) (2) (6.213) (7.474) Caixa Utilizado pelas Atividades de Financiamento 7.425 844 5.624 (11.422) Caixa no Início do Exercício 10.776 11.046 13.071 27.829 Caixa no Final do Exercício 15.222 10.776 15.222 13.071 •O Fluxo de caixa do 4T08 reflete a queda de 21% no valor do estoque, que afetou negativamente o lucro e o EBITDA, mas sem impacto sobre o caixa. •O pré-financiamento das necessidade de 2009 foi acompanhado pelo aumento da disponibilidade. •Fluxo de caixa de 2008 pela Lei 11.638. O cálculo do 4Q08 é uma análise gerencial baseada na comparação do fluxo de 2008 com o acumulado dos primeiros 9 meses (antes dos ajustes da lei). 17 17
  • 18. ESTRUTURA DE CAPITAL 28% R$ milhões 31/12/2008 * 31/12/2007 % 27% 27% 27% 26% Endividamento de Curto 25% 13.859 8.960 55% 23% Prazo Endividamento de Longo 50.854 30.781 65% 21% 21% 21% Prazo 19% 21% Endividamento Total 64.713 39.741 63% 19% 18% 16% 17% 19% Disponibilidades 15.889 13.071 22% 18% (1) Endividamento Líquido 48.824 26.670 83% Estrutura de Capital 50% 48% +2 pp 31/12/2006 30/6/2007 31/12/2007 30/6/2008 31/12/2008* US$ milhões 31/12/2008 * 31/12/2007 % Endividamento Total 27.691 22.436 23% End. Líq./Cap. Líq. End. CP/End. Total • O endividamento líquido foi fortemente influenciado pela depreciação do real (+ R$ 9 bilhões) no período, além das captações nos mercados interno e externo; • O índice de endividamento, medido através do índice da dívida líquida/EBITDA, ao término de 2008 foi de 0,85, demonstrando a força da estrutura de capital. *Após ajustes da Lei 11.638/07 (1) Endividamento Total - Disponibilidades 18
  • 19. MUDANÇAS CONTÁBEIS: RECONCILIAÇÃO LEI 11.638/07 VS 6.404/76 – 2008 (R$ MILHÕES) • A Lei 11.638/07 introduziu mudanças nas práticas contábeis brasileiras, especialmente na conversão das De monstraçõe s de Resultado das subsidiárias no exterior. 19
  • 20. PLANO DE NEGÓCIOS 2009-2013 FOI BEM RECEBIDO PELO MERCADO Evolução PBR vs. AmexOil (até 04/03) 130 120 Nº Índice = 100 em 31.12.08 112,49 110 100 90 Antes da divulgação 81,88 do PN 2009 - 2013 80 PBR US$ Amex Oil 70 31/12 06/01 12/01 16/01 22/01 28/01 03/02 09/02 13/02 19/02 25/02 03/03 Evolução Petr4 vs. Ibovespa (até 04/03) 125 120 Nº Índice = 100 em 31.12.08 115,46 115 110 105 102,27 100 Antes da divulgação do PN 2009 - 2013 95 PETR4 R$ IBOVESPA 90 31/12 06/01 12/01 16/01 22/01 28/01 03/02 09/02 13/02 19/02 25/02 03/03 Fonte: Bloomberg 20
  • 21. SESSÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS Visite nosso website: www.petrobras.com.br/ri Para mais informações favor contatar: Petróleo Brasileiro S.A – PETROBRAS Relacionamento com Investidores E-mail: petroinvest@petrobras.com.br Av. República do Chile, 65 – 22o andar 20031-912 – Rio de Janeiro, RJ (55-21) 3224-1510 / 3224-9947 21