SlideShare uma empresa Scribd logo
Unicelularidade e
Multicelularidade
Aparecimento e Evolução da Vida
Primeiros seres vivos
Os fósseis mais antigos , encontrados na África do Sul e na
Austrália, datam de há cerca de 3500 milhões de anos e
apresentam características idênticas às dos procariontes.
Fóssil de cianobactéria
Fóssil de estromatólito Estromatólitos actuais – são formações de origem
sedimentar, têm estrutura laminada, resultando da
precipitação de carbonato de cálcio a partir da água do
mar como resultado do metabolismo de bactérias
fotossintéticas.
Célula Procariótica vs Célula Eucariótica
Origem dos
Eucariontes
1. Identifica as principais semelhanças e diferenças entre os dois
modelos.
2. Com base na figura, apresenta uma explicação para o nome de cada
um dos modelos explicativos : autogénico e endossimbiótico.
3. O DNA mitocondrial e o cloroplastidial apresentam uma organização
diferente do DNA nuclear, mas semelhante ao material genético das
células procarióticas. Qual dos modelos explica este facto? Justifica.
4. Comenta a seguinte afirmação: “A proximidade e cooperação entre
seres procariontes potenciou o aparecimento de seres eucariontes”.
1. Semelhanças: a invaginação da membrana celular para explicar o aparecimento do
invólucro nuclear e dos organitos membranares associados (retículo, por exemplo). As
principais diferenças centram-se ao nível da evolução dos restantes organitos
(principalmente os cloroplastos e as mitocôndrias): o modelo autogénico defende a
síntese de organitos no interior da célula, enquanto o modelo endossimbiótico postula
que esses organitos teriam tido origem em células procarióticas que foram englobadas
por células hospedeiras.
2. O nome autogénico significa origem interna, ou seja, os diversos organitos formaram-se
dentro da célula. A denominação endossimbiótica reside no facto de haver a entrada de
células procarióticas mais pequenas que a célula hospedeira e que estabelecem uma
relação de simbiose onde ambas as partes beneficiam com essa relação.
3. O facto de esses organitos possuírem uma organização diferente do DNA constitui um
argumento a favor do modelo endossimbiótico, uma vez que, sendo portadores de
material genético próprio, podem gerir todas as suas actividades metabólicas de uma
forma autónoma; a informação genética de que dispõem é suficiente para a produção
de proteínas que integram toda a actividade celular. As diferenças entre este material
genético e o nuclear pode indicar que tiveram origens diferentes e que portanto
pertenceram a diferentes células.
4. O facto dos organismos coabitarem próximos uns dos outros e estabelecerem relações
de simbiose fez com que esta relação fosse vantajosa para todos eles, o que poderá ter
permitido a cooperação cada vez mais íntima ao ponto de uns serem englobados por
outros.
Argumentos a favor do Modelo Endossimbiótico
• A simbiose continua a ser um processo muito comum no mundo vivo.
Continua a verififcar-se a existência de relações simbióticas entre
bactérias e protozoários.
• As dimensões dos cloroplastos e das mitocôndrias são muito semelhantes
às dos procariontes actuais.
• A síntese proteica das mitocôndrias e dos cloroplastos é inibida por
substâncias inibidoras de procariontes, mas não por inibidores de
eucariontes.
• O aminoácido iniciador da síntese proteica é igual em mitocôndrias,
cloroplastos e bactérias, diferindo do dos eucariontes.
• As mitocôndrias e os cloroplastos têm divisão autónoma.
• O DNA das mitocôndrias e dos cloroplastos não está associado a
histonas(à semelhança do que acontece com as bactérias)
• Os cloroplastos e as mitocôndrias possuem ribossomas mais semelhantes
em tamanho e em características bioquímicas aos dos procariontes do que
aos dos eucariontes.
A Origem dos Seres Multicelulares
• Os organismos unicelulares não podem
aumentar indefinidamente de tamanho.
Porquê???
Os seres coloniais podem ter sido os
antecessores dos organismos multicelulares
Como é que se formaram os organismos
multicelulares?
Como é que se formaram os organismos
multicelulares?
1 - As células da camada mais periférica asseguram o movimento da célula à volta do
seu eixo, enquanto as células maiores, das camadas mais internas, são
responsáveis pela reprodução.
2 – Esta organização permite que as células da colónia se especializem, conseguindo
assegurar de modo mais eficaz a sua função. Tal é benéfico para todos os
indivíduos que tiram proveito desta relação íntima de cooperação.
3 – A Volvox não é um organismo multicelular, uma vez que é constituída por várias
células estruturalmente independentes. As diversas células são semelhantes, não
tendo ocorrido diferenciação.
4 – Do ponto de vista funcional, as célula reprodutoras apresentam uma
especialização em relação às restantes. Neste tipo de colónias existe uma
coordenação parcial, uma vez que os indivíduos asseguram funções diferentes
como, por exemplo, as células mais periféricas são as impulsionadoras do
movimento rotacional da colónia.
5 –A interdependência e a especialização crescente dos organismos numa colónia
pode, ao longo de um processo evolutivo, estar na base da multicelularidade.
Vantagens da multicelularidade
• Aumentar a dimensão, o que é favorável para a
competição pelo alimento e pelo território, sem
comprometer as trocas com o meio externo (isto é,
conservando o equilíbrio da relação área/volume).
• Reduzir a taxa metabólica, com maior eficácia na
utilização de energia.
• Maior independência em relação ao meio.
• A grande diversidade de formas e de funcionalidades
possibilitou a adaptação a diferentes ambientes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
Hugo Martins
 
Bg 23 evolução biológica (neodarwinismo)
Bg 23   evolução biológica (neodarwinismo)Bg 23   evolução biológica (neodarwinismo)
Bg 23 evolução biológica (neodarwinismo)
Nuno Correia
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
Kamila Joyce
 
11 evolucionismo
11  evolucionismo11  evolucionismo
11 evolucionismo
margaridabt
 
2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas
Ana Castro
 
Meiose
MeioseMeiose
10 unicelularidade e multicelularidade
10  unicelularidade e multicelularidade10  unicelularidade e multicelularidade
10 unicelularidade e multicelularidade
margaridabt
 
Sistema Rhesus
Sistema RhesusSistema Rhesus
Sistema Rhesus
Nuno Correia
 
Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º
Daniela Filipa Sousa
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
Andre Luiz Nascimento
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
Gabriela Bruno
 
Charles Darwin
Charles DarwinCharles Darwin
Charles Darwin
Carlos Pinheiro
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
Ana Castro
 
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTicaPpt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Nuno Correia
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Alterações do material genético
Alterações do material genéticoAlterações do material genético
Alterações do material genético
Isabel Lopes
 
Tecido muscular e nervoso
Tecido muscular e nervosoTecido muscular e nervoso
Tecido muscular e nervoso
letyap
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
Isabel Lopes
 
Biologia 11 evolução - exercícios
Biologia 11   evolução - exercíciosBiologia 11   evolução - exercícios
Biologia 11 evolução - exercícios
Nuno Correia
 
Dst 8º ano
Dst   8º anoDst   8º ano
Dst 8º ano
WANISE ALMEIDA
 

Mais procurados (20)

(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
 
Bg 23 evolução biológica (neodarwinismo)
Bg 23   evolução biológica (neodarwinismo)Bg 23   evolução biológica (neodarwinismo)
Bg 23 evolução biológica (neodarwinismo)
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
11 evolucionismo
11  evolucionismo11  evolucionismo
11 evolucionismo
 
2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
10 unicelularidade e multicelularidade
10  unicelularidade e multicelularidade10  unicelularidade e multicelularidade
10 unicelularidade e multicelularidade
 
Sistema Rhesus
Sistema RhesusSistema Rhesus
Sistema Rhesus
 
Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º Mutações - Biologia 12º
Mutações - Biologia 12º
 
Grupos sanguineos
Grupos sanguineosGrupos sanguineos
Grupos sanguineos
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Charles Darwin
Charles DarwinCharles Darwin
Charles Darwin
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
 
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTicaPpt 15    ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Slide Genética
 
Alterações do material genético
Alterações do material genéticoAlterações do material genético
Alterações do material genético
 
Tecido muscular e nervoso
Tecido muscular e nervosoTecido muscular e nervoso
Tecido muscular e nervoso
 
Mitose
MitoseMitose
Mitose
 
Biologia 11 evolução - exercícios
Biologia 11   evolução - exercíciosBiologia 11   evolução - exercícios
Biologia 11 evolução - exercícios
 
Dst 8º ano
Dst   8º anoDst   8º ano
Dst 8º ano
 

Semelhante a Unicelularidade e multicelularidade

Evolução biológica resumos 1
Evolução biológica   resumos 1Evolução biológica   resumos 1
Evolução biológica resumos 1
CarolinaJorge19
 
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
Hugo Martins
 
EvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGicaEvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGica
anabernardes
 
Unicelularidade multicelularidade
Unicelularidade multicelularidadeUnicelularidade multicelularidade
Unicelularidade multicelularidade
1Anadinisne
 
10 unicelularidade e multicelularidade
10  unicelularidade e multicelularidade10  unicelularidade e multicelularidade
10 unicelularidade e multicelularidade
margaridabt
 
Aula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptx
Aula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptxAula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptx
Aula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptx
PollianaMendesDiniz1
 
Teoria Celular
Teoria CelularTeoria Celular
Teoria Celular
Jorgelgl
 
Introdução a biologia celular - Leitura complementar
Introdução a biologia celular - Leitura complementarIntrodução a biologia celular - Leitura complementar
Introdução a biologia celular - Leitura complementar
emanuel
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Resumo biologia (2)
Resumo biologia (2)Resumo biologia (2)
Resumo biologia (2)
Mateus Ferraz
 
Teoria celular-
Teoria celular-Teoria celular-
Teoria celular-
stique
 
Resumo teoria-celular
Resumo   teoria-celularResumo   teoria-celular
Resumo teoria-celular
Pelo Siro
 
10 unicelularidade e multicelularidade
10  unicelularidade e multicelularidade10  unicelularidade e multicelularidade
10 unicelularidade e multicelularidade
margaridabt
 
Celula
CelulaCelula
A célula
A célulaA célula
A célula
Catir
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
Leonardo Alves
 
Origem da Célula Eucarionte
Origem da Célula EucarionteOrigem da Célula Eucarionte
Origem da Célula Eucarionte
Andrea Barreto
 
Células 01 reinaldo
Células 01 reinaldoCélulas 01 reinaldo
Células 01 reinaldo
Reinaldo Almeida
 
Célula
CélulaCélula
Célula
Luise Moura
 
Poster STC José Lacerda
Poster STC José LacerdaPoster STC José Lacerda
Poster STC José Lacerda
EFAG
 

Semelhante a Unicelularidade e multicelularidade (20)

Evolução biológica resumos 1
Evolução biológica   resumos 1Evolução biológica   resumos 1
Evolução biológica resumos 1
 
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
 
EvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGicaEvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGica
 
Unicelularidade multicelularidade
Unicelularidade multicelularidadeUnicelularidade multicelularidade
Unicelularidade multicelularidade
 
10 unicelularidade e multicelularidade
10  unicelularidade e multicelularidade10  unicelularidade e multicelularidade
10 unicelularidade e multicelularidade
 
Aula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptx
Aula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptxAula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptx
Aula 12 - 6º CN - Citologia básica.pptx
 
Teoria Celular
Teoria CelularTeoria Celular
Teoria Celular
 
Introdução a biologia celular - Leitura complementar
Introdução a biologia celular - Leitura complementarIntrodução a biologia celular - Leitura complementar
Introdução a biologia celular - Leitura complementar
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Resumo biologia (2)
Resumo biologia (2)Resumo biologia (2)
Resumo biologia (2)
 
Teoria celular-
Teoria celular-Teoria celular-
Teoria celular-
 
Resumo teoria-celular
Resumo   teoria-celularResumo   teoria-celular
Resumo teoria-celular
 
10 unicelularidade e multicelularidade
10  unicelularidade e multicelularidade10  unicelularidade e multicelularidade
10 unicelularidade e multicelularidade
 
Celula
CelulaCelula
Celula
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
 
Origem da Célula Eucarionte
Origem da Célula EucarionteOrigem da Célula Eucarionte
Origem da Célula Eucarionte
 
Células 01 reinaldo
Células 01 reinaldoCélulas 01 reinaldo
Células 01 reinaldo
 
Célula
CélulaCélula
Célula
 
Poster STC José Lacerda
Poster STC José LacerdaPoster STC José Lacerda
Poster STC José Lacerda
 

Último

Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 

Último (20)

Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 

Unicelularidade e multicelularidade

  • 3. Primeiros seres vivos Os fósseis mais antigos , encontrados na África do Sul e na Austrália, datam de há cerca de 3500 milhões de anos e apresentam características idênticas às dos procariontes. Fóssil de cianobactéria Fóssil de estromatólito Estromatólitos actuais – são formações de origem sedimentar, têm estrutura laminada, resultando da precipitação de carbonato de cálcio a partir da água do mar como resultado do metabolismo de bactérias fotossintéticas.
  • 4. Célula Procariótica vs Célula Eucariótica
  • 5. Origem dos Eucariontes 1. Identifica as principais semelhanças e diferenças entre os dois modelos. 2. Com base na figura, apresenta uma explicação para o nome de cada um dos modelos explicativos : autogénico e endossimbiótico. 3. O DNA mitocondrial e o cloroplastidial apresentam uma organização diferente do DNA nuclear, mas semelhante ao material genético das células procarióticas. Qual dos modelos explica este facto? Justifica. 4. Comenta a seguinte afirmação: “A proximidade e cooperação entre seres procariontes potenciou o aparecimento de seres eucariontes”.
  • 6. 1. Semelhanças: a invaginação da membrana celular para explicar o aparecimento do invólucro nuclear e dos organitos membranares associados (retículo, por exemplo). As principais diferenças centram-se ao nível da evolução dos restantes organitos (principalmente os cloroplastos e as mitocôndrias): o modelo autogénico defende a síntese de organitos no interior da célula, enquanto o modelo endossimbiótico postula que esses organitos teriam tido origem em células procarióticas que foram englobadas por células hospedeiras. 2. O nome autogénico significa origem interna, ou seja, os diversos organitos formaram-se dentro da célula. A denominação endossimbiótica reside no facto de haver a entrada de células procarióticas mais pequenas que a célula hospedeira e que estabelecem uma relação de simbiose onde ambas as partes beneficiam com essa relação. 3. O facto de esses organitos possuírem uma organização diferente do DNA constitui um argumento a favor do modelo endossimbiótico, uma vez que, sendo portadores de material genético próprio, podem gerir todas as suas actividades metabólicas de uma forma autónoma; a informação genética de que dispõem é suficiente para a produção de proteínas que integram toda a actividade celular. As diferenças entre este material genético e o nuclear pode indicar que tiveram origens diferentes e que portanto pertenceram a diferentes células. 4. O facto dos organismos coabitarem próximos uns dos outros e estabelecerem relações de simbiose fez com que esta relação fosse vantajosa para todos eles, o que poderá ter permitido a cooperação cada vez mais íntima ao ponto de uns serem englobados por outros.
  • 7. Argumentos a favor do Modelo Endossimbiótico • A simbiose continua a ser um processo muito comum no mundo vivo. Continua a verififcar-se a existência de relações simbióticas entre bactérias e protozoários. • As dimensões dos cloroplastos e das mitocôndrias são muito semelhantes às dos procariontes actuais. • A síntese proteica das mitocôndrias e dos cloroplastos é inibida por substâncias inibidoras de procariontes, mas não por inibidores de eucariontes. • O aminoácido iniciador da síntese proteica é igual em mitocôndrias, cloroplastos e bactérias, diferindo do dos eucariontes. • As mitocôndrias e os cloroplastos têm divisão autónoma. • O DNA das mitocôndrias e dos cloroplastos não está associado a histonas(à semelhança do que acontece com as bactérias) • Os cloroplastos e as mitocôndrias possuem ribossomas mais semelhantes em tamanho e em características bioquímicas aos dos procariontes do que aos dos eucariontes.
  • 8.
  • 9. A Origem dos Seres Multicelulares • Os organismos unicelulares não podem aumentar indefinidamente de tamanho. Porquê???
  • 10. Os seres coloniais podem ter sido os antecessores dos organismos multicelulares
  • 11.
  • 12. Como é que se formaram os organismos multicelulares?
  • 13. Como é que se formaram os organismos multicelulares? 1 - As células da camada mais periférica asseguram o movimento da célula à volta do seu eixo, enquanto as células maiores, das camadas mais internas, são responsáveis pela reprodução. 2 – Esta organização permite que as células da colónia se especializem, conseguindo assegurar de modo mais eficaz a sua função. Tal é benéfico para todos os indivíduos que tiram proveito desta relação íntima de cooperação. 3 – A Volvox não é um organismo multicelular, uma vez que é constituída por várias células estruturalmente independentes. As diversas células são semelhantes, não tendo ocorrido diferenciação. 4 – Do ponto de vista funcional, as célula reprodutoras apresentam uma especialização em relação às restantes. Neste tipo de colónias existe uma coordenação parcial, uma vez que os indivíduos asseguram funções diferentes como, por exemplo, as células mais periféricas são as impulsionadoras do movimento rotacional da colónia. 5 –A interdependência e a especialização crescente dos organismos numa colónia pode, ao longo de um processo evolutivo, estar na base da multicelularidade.
  • 14. Vantagens da multicelularidade • Aumentar a dimensão, o que é favorável para a competição pelo alimento e pelo território, sem comprometer as trocas com o meio externo (isto é, conservando o equilíbrio da relação área/volume). • Reduzir a taxa metabólica, com maior eficácia na utilização de energia. • Maior independência em relação ao meio. • A grande diversidade de formas e de funcionalidades possibilitou a adaptação a diferentes ambientes.