SlideShare uma empresa Scribd logo
EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
O planeta Terra formou-se há cerca de 4600 M.a. Os primeiros
milhões de anos da história do planeta foram muito tumultuosos
Os corpos do sistema solar procuravam
a estabilidade
Os bombardeamentos meteoríticos
sucediam-se a um ritmo elevado até
cerca de 3900 M.a.
A partir de 3900 M.a. a Terra entrou numa fase
mais calma, a temperatura foi diminuindo,
criando-se um ambiente mais propício para
que se pudessem criar moléculas complexas
Hipóteses sobre a origem da vida
Há pelo menos 3 hipóteses propostas:
a) Origem por criação divina (criacionista)
b) Origem extraterrestre (panspermia)
c) Origem por evolução química
1. Hipótese da Criação Divina
(criacionismo-fixismo)
Trata-se de uma das hipóteses mais antigas conhecidas. Propõe
que Deus tenha criado o universo e a vida.
Não é possível comprová-la, nem tão pouco refutá-la.
As ideias criacionistas originalmente surgiram junto com uma
outra linha de raciocínio: o fixismo.
O pensamento era: uma vez que Deus criou o universo e a vida,
tudo é perfeito e está adequadamente pronto, não há evolução ou
alteração na 'criação’.
Atualmente o fixismo foi substituído pelo evolucionismo, dadas
as evidências da ocorrência da evolução das espécies. Mas o
criacionismo continua vivo.
2-Panspermia ou Hipótese
cosmozóica
Esta teoria explica que a vida sempre existiu no Universo. Ter-se-ia
originado noutros planetas e chegado à Terra através de uma possível
radiação emitida por partículas luminosas.
Admite-se que microorganismos vindos em partículas de poeira ou em
meteoritos de origem extraterrestre foram a fonte da vida da Terra.
Arrhenius denominou esta forma de vida de cosmozoários e Schultz
de biógenos. Estas criaturas poderiam contaminar a superfície de
qualquer planeta com condições básicas para a vida.
Esta teoria tem pouca aceitação.
3-A hipótese de Oparin e Haldane
Evolução Química
Oparin , A I (1894-1980
Haldane, J.B.S (1892-
1964)
Os primeiros seres vivos- Moléculas orgânicas
que se teriam formado na atmosfera primitiva
e depois nos mares a partir de substâncias inorgânicas.
Metano - CH4
Amónia - NH3
Hidrogénio - H2
Vapor de H2O
Década de 1920- hipóteses
semelhantes
Composição química da atmosfera primitiva
Terra Primitiva
Esquema da Hipótese de Oparin e
Haldane
Coacervados
Primeiras células procarióticas
Atmosfera primitiva Mares primitivos
Metano CH4
Amónia NH3
Nesse momento teriam surgido os primeiros seres vivos
O coacervado é uma gotícula coloidal
(formada por partículas muito pequenas
mas maiores que as moléculas com
polaridade) rica em polímeros em
suspensão num meio aquoso. A membrana
do coacervado é formada por moléculas de
água dispostas em redor dos polímeros.
O coacervado pode interagir com o meio,
incorporando moléculas na sua estrutura,
crescer e dividir-se. À medida que novas
moléculas se iam agregando, se a nova
combinação molecular não fosse estável, o
coacervado destruía-se.
Se fosse estável o coacervado aumentava
de tamanho, até que se dividia em dois.
No interior do coacervado, algumas moléculas catalisavam novas combinações,
enquanto outras, auto-replicáveis, começavam a controlar as reações metabólicas.
Deste modo, este conjunto de moléculas funcionaria como uma pré-célula,
constituindo uma primeira manifestação de Vida.
STANLEY MILLER
RECRIOU PROVÁVEL ATMOSFERA
DA TERRA PRIMITIVA (1953)
(COMPROVOU A TEORIA DE OPARIN)
MISTUROU CH4 , NH3 , H2 e H2O
SUBMETIDA A DESCARGAS ELÉCTRICAS
(SIMULANDO RAIOS) DURANTE 1 SEMANA
(ENCONTROU AMINOÁCIDOS NO LÍQUIDO)
A experiência de
Miller
A experiência de Miller-Urey = Construído um aparelho que simulava as condições
da Terra primitiva introduziu nele os componentes que provavelmente constituíam
a atmosfera naquela época
Metano CH4
Amónia NH3
Hidrogénio H2
Vapor de H2O
Onde apareceram as primeiras formas de vida?
Em Ambientes Aquáticos
Que condições permitiram o aparecimento de vida?
No início...
• Mares primitivos
•Continentes
•Atmosfera
Quentes
Vulcões (lavas e cinzas)
Hidrogénio + gases tóxicos
R
E
S
U
L
T
O
U
da
Atividade vulcânica
Amónia;
Metano, Monóxido
de Carbono
•Raios ultravioleta Queimavam a Terra
Características que permitem a existência de vida:
Distância ao Sol
Existência de Atmosfera
Água Líquida
Aparecimento e manutenção de vida
Temperatura
Origem da Vida na Terra
Ação dos Raios
Ultravioleta Descargas eléctricas
+
Primeiros compostos
orgânicos
Acumularam-se nos mares primitivos
As primeiras formas de vida, células, deverão ter surgido entre os 3800 e os
2500 milhões de anos, pois os fósseis mais antigos encontrados datam
dessa altura.
Fósseis de organismos com cerca de 3000 M.a. que são estruturas resultantes
da deposição de CaC03 retido e segregado por comunidades de cianobactérias
ESTROMATÓLITOS
As células procarióticas são
estruturalmente simples, mas
apresentam uma grande
diversidade metabólica.
O que lhes permitiu colonizar
uma grande diversidade de
meios ambientes.
Embora não tenham quaisquer
organitos como cloroplastos e
mitocôndrias.
Podem ser fotoautotróficas,
possuindo por isso pigmentos
fotossintéticos nas membranas
celulares.
As células eucarióticas por
seu lado são mais complexas.
O material genético encontra-
se melhor organizado e no
núcleo.
Apresentam grande
abundância de estruturas
membranares.
Segundo dados fósseis os seres
eucariontes terão surgido há cerca de
1500 milhões de anos, tendo por isso
reinado isolados por mais de 2000
milhões de anos os seres procariontes.
Existem várias hipóteses explicativas
para o surgimento dos seres
eucariontes, todas partindo dos
procariontes.
Hipótese autogénica
Esta teoria considera que a célula procariótica terá sofrido sucessivas
invaginações da membrana plasmática com posterior especialização.
Origem dos Eucariontes
HIPÓTESE AUTOGÉNICA
Numa fase inicial, as células desenvolveram sistemas endomembranares
resultantes de invaginações da membrana plasmática. Algumas dessas
invaginações armazenam o DNA, formando o núcleo. Outras membranas
evoluíram no sentido de produzirem organitos semelhantes ao retículo
Posteriormente, algumas porções do material genético abandonaram
o núcleo e evoluíram no interior de estruturas membranares. Desta
forma formaram-se as mitocôndrias e os cloroplastos.
Esta hipótese pressupõe que o material genético
do núcleo e dos organitos tenha uma estrutura
idêntica. Contudo tal não se verifica. O material genético
dos cloroplastos e mitocôndrias apresenta uma maior
semelhança com o das bactérias autónomas, do que
com o material genético presente no núcleo
Hipótese endossimbiótica
A célula eucariótica terá surgido de uma
associação simbiótica de diversas células
procarióticas
Lynn Margulis
Origem dos Eucariontes
Hipótese Endossimbiótica
Origem dos Eucariontes
Calcula-se que o processo terá corrido da seguinte forma:
Uma célula procariótica de grandes dimensões terá capturado outras células procarióticas
(células-hóspedes) que permaneceram no interior da célula hospedeira, resistindo à digestão.
As células capturadas estabeleceram com a célula hospedeira relações de simbiose.
A cooperação foi tão íntima e tão eficaz entre os diferentes elementos que se tornaram
dependentes uns dos outros e passaram a constituir organismos estáveis e singulares.
As células-hóspedes vieram, assim, a constituir alguns organitos da célula eucariótica. Por
exemplo, os cloroplastos ter-se-ão originado a partir da captura de cianobactérias, já as
mitocôndrias ter-se-ão originado a partir da captura de alguma célula procariótica com
capacidade respiratória.
Pensa-se que este processo estará também na origem dos flagelos.
A Hipótese endossimbiótica defende que os eucariontes terão resultado
da evolução conjunta de vários organismos procariontes, os quais foram
estabelecendo associações simbióticas entre si. O termo endossimbiótica
resulta do facto de algumas células viverem no interior de outras, numa
relação de simbiose.
Este modelo defende que o sistema endomembranar ter-se-á originado por
invaginações da membrana citoplasmática e que as mitocôndrias e os
cloroplastos se desenvolveram a partir de células procarióticas que
estabeleceram uma relação de endossimbiose com as células hospedeiras
de maiores dimensões, passando a viver dentro delas. Os ancestrais das
mitocôndrias eram procariontes heterotróficos aeróbios e os ancestrais
dos cloroplastos, procariontes fotossintéticos.
Evidências que apoiam a hipótese endossimbiótica
para a origem das mitocôndrias e dos cloroplastos
As mitocôndrias e os cloroplastos têm dimensões semelhantes às bactérias
As mitocôndrias e os cloroplastos produzem as suas próprias membranas
internas e replicam-se por um processo semelhante à fissão binária que
ocorre nas bactérias
Estes organitos possuem o seu próprio material genético apresentando uma
molécula de DNA circular, sem histonas.
Os ribossomas dos cloroplastos e das mitocôndrias apresentam mais
semelhanças com os ribossomas dos procariontes
Na membrana interna destes organitos existem enzimas e sistemas de
transporte que se assemelham aos que estão presentes nos atuais
procariontes
Existem associações simbióticas entre bactérias e alguns eucariontes
O aminoácido iniciador da cadeia polipéptidica de uma mitocôndria ou
cloroplasto é a formilmetionina, como nas bactérias, e não a
metionina, como nos eucariontes.
Pontos fracos do Modelo Endossimbiótico
☼ Não explica de forma muito clara a origem do núcleo da célula eucariótica
☼ Não está bem esclarecido como o DNA nuclear comanda o funcionamento,
quer do cloroplasto, quer da mitocôndria
Lynn Margulis
Embora bem fundamentado e aceite o modelo endossimbiótico também, como
referimos, apresenta pontos fracos.
Por exemplo não consegue explicar o surgimento do núcleo.
►Assim julga-se que na realidade o aparecimento dos eucariontes se deva a
uma mistura dos dois processos.
►No entanto e dada à distância temporal a que este processo ocorreu, aliado ao
facto dos primeiros organismos dificilmente terem deixado fósseis, torna-se
muito difícil para os cientistas decifrarem o que realmente ocorreu.
Modelo endossimbiótico e autogénico
Origem da multicelularidade
No mundo dos seres unicelulares aquele que for
maior apresenta uma vantagem sobre os outros.
Uma célula maior pode facilmente capturar
outras mais pequenas.
No entanto existe um limite para o tamanho que
uma célula pode ter.
Quando uma célula aumenta o seu tamanho há que ter em conta o volume e
a sua área de superfície (que corresponde à área da membrana plasmática).
Assim quando uma célula aumenta de tamanho verifica-se que a razão entre
a superfície e o volume diminui, isto é, o volume aumenta a um ritmo muito
superior ao da área de superfície.
Isto significa que cada unidade de área de superfície da membrana
plasmática há mais volume de citoplasma, para o qual tem que realizar
trocas com o meio exterior.
Além disso, com o aumento de volume, também aumenta o metabolismo.
Logo maiores vão ser as necessidades da célula.
Um metabolismo mais reduzido diminui a necessidade de
trocas com o meio externo
Após a formação dos seres eucariontes, a Vida na Terra apresentava uma
grande diversidade. Organismos capazes de produzir compostos
orgânicos, utilizando a energia luminosa, libertavam oxigénio para a
atmosfera.
Outros desenvolviam a capacidade de aproveitar esse oxigénio para
degradar compostos orgânicos e obterem, assim, energia necessária para
as suas funções. Alguns organismos estabeleciam relações simbióticas, de
tal forma vantajosas que se tornariam permanentes.
Os eucariontes, seres maiores, reuniam diversas capacidades na mesma
célula e competiam entre si pelo alimento e pelo espaço. A crescente
competição levaria ao aparecimento de uma nova classe de seres vivos – os
organismos multicelulares
Os organismos multicelulares terão surgido na Terra
há cerca de 1500 anos
Os ancestrais dos organismos multicelulares seriam simples agregados de
seres unicelulares, que formavam estruturas designadas colónias ou
agregados nucleares. Inicialmente todas as células da colónia
desempenhavam a mesma função
Colónia sem especialização
Volvox é um organismo colonial que já apresenta células especializadas.
nesta colónia existem células somáticas e células reprodutoras. As células
somáticas são biflageladas e unem-se por filamentos citoplasmáticos. Estas
são responsáveis pela nutrição e pelo movimento da colónia.
Algumas células maiores do que
as somáticas são responsáveis
pela reprodução da colónia.
Os organismos coloniais , como o Volvox, não são considerados seres
multicelulares. Embora sejam constituídos por diversas células, a
diferenciação celular é muito reduzida.
Modelo da evolução dos eucariontes
unicelulares até aos seres
multicelulares com diferenciação
Multicelularidade
 É caracterizada por uma associação de células em que
existe interdependência ao nível das estruturas e
funções entre as células associadas.
 Com o evoluir da multicelularidade foram surgindo os
vários organitos o que permitiu aos organismos
realizarem atividades muito complexas que antigamente
os seus ancestrais unicelulares não conseguiam
realizar.
Evolução Biológica, biologia e geologia 11 ano

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Evolução Biológica, biologia e geologia 11 ano

(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
Hugo Martins
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014 1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
Ionara Urrutia Moura
 
Treinamento origem da vida
Treinamento origem da vidaTreinamento origem da vida
Treinamento origem da vida
emanuel
 
Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4
Marilay Zac
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
reneesb
 
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
Hugo Martins
 
005
005005
2.5
2.52.5
Pp unicel e multicelularidade
Pp unicel e multicelularidadePp unicel e multicelularidade
Pp unicel e multicelularidade
Rita Paupério
 
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
Wladimir Crippa
 
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
Wladimir Crippa
 
1_Origem da Vida (1).pptx
1_Origem da Vida (1).pptx1_Origem da Vida (1).pptx
1_Origem da Vida (1).pptx
RubensOliveira434822
 
Origem da vida cd
Origem da vida cdOrigem da vida cd
Origem da vida cd
Ana Conceição
 
Teoria da complexidade reorganizado
Teoria da complexidade reorganizadoTeoria da complexidade reorganizado
Teoria da complexidade reorganizado
Leize Oliveira
 
Teoria da Endossimbiose Sequencial.
Teoria da Endossimbiose Sequencial.Teoria da Endossimbiose Sequencial.
Teoria da Endossimbiose Sequencial.
Leize Oliveira
 
ORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptx
ORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptxORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptx
ORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptx
TobiasFim2
 
Dependencia indv
Dependencia indvDependencia indv
Dependencia indv
Jamila Valente
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Marta Durão Nunes
 
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptxAULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AdemirSantos70
 

Semelhante a Evolução Biológica, biologia e geologia 11 ano (20)

(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014 1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
1°S_Aula 2 _origem da célula_ fev-2014
 
Treinamento origem da vida
Treinamento origem da vidaTreinamento origem da vida
Treinamento origem da vida
 
Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4Diversidade biol e conser das especies unid 4
Diversidade biol e conser das especies unid 4
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
(4) evolução biológica e sistemas dos seres vivos
 
005
005005
005
 
2.5
2.52.5
2.5
 
Pp unicel e multicelularidade
Pp unicel e multicelularidadePp unicel e multicelularidade
Pp unicel e multicelularidade
 
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
 
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka2º Bloco   Aula 4   A Vida   Ilka
2º Bloco Aula 4 A Vida Ilka
 
1_Origem da Vida (1).pptx
1_Origem da Vida (1).pptx1_Origem da Vida (1).pptx
1_Origem da Vida (1).pptx
 
Origem da vida cd
Origem da vida cdOrigem da vida cd
Origem da vida cd
 
Teoria da complexidade reorganizado
Teoria da complexidade reorganizadoTeoria da complexidade reorganizado
Teoria da complexidade reorganizado
 
Teoria da Endossimbiose Sequencial.
Teoria da Endossimbiose Sequencial.Teoria da Endossimbiose Sequencial.
Teoria da Endossimbiose Sequencial.
 
ORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptx
ORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptxORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptx
ORIGEM DA VIDA - PERCURSO FILOSOFICO .pptx
 
Dependencia indv
Dependencia indvDependencia indv
Dependencia indv
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptxAULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
 

Evolução Biológica, biologia e geologia 11 ano

  • 2. O planeta Terra formou-se há cerca de 4600 M.a. Os primeiros milhões de anos da história do planeta foram muito tumultuosos Os corpos do sistema solar procuravam a estabilidade Os bombardeamentos meteoríticos sucediam-se a um ritmo elevado até cerca de 3900 M.a. A partir de 3900 M.a. a Terra entrou numa fase mais calma, a temperatura foi diminuindo, criando-se um ambiente mais propício para que se pudessem criar moléculas complexas
  • 3. Hipóteses sobre a origem da vida Há pelo menos 3 hipóteses propostas: a) Origem por criação divina (criacionista) b) Origem extraterrestre (panspermia) c) Origem por evolução química
  • 4. 1. Hipótese da Criação Divina (criacionismo-fixismo) Trata-se de uma das hipóteses mais antigas conhecidas. Propõe que Deus tenha criado o universo e a vida. Não é possível comprová-la, nem tão pouco refutá-la. As ideias criacionistas originalmente surgiram junto com uma outra linha de raciocínio: o fixismo. O pensamento era: uma vez que Deus criou o universo e a vida, tudo é perfeito e está adequadamente pronto, não há evolução ou alteração na 'criação’. Atualmente o fixismo foi substituído pelo evolucionismo, dadas as evidências da ocorrência da evolução das espécies. Mas o criacionismo continua vivo.
  • 5. 2-Panspermia ou Hipótese cosmozóica Esta teoria explica que a vida sempre existiu no Universo. Ter-se-ia originado noutros planetas e chegado à Terra através de uma possível radiação emitida por partículas luminosas. Admite-se que microorganismos vindos em partículas de poeira ou em meteoritos de origem extraterrestre foram a fonte da vida da Terra. Arrhenius denominou esta forma de vida de cosmozoários e Schultz de biógenos. Estas criaturas poderiam contaminar a superfície de qualquer planeta com condições básicas para a vida. Esta teoria tem pouca aceitação.
  • 6. 3-A hipótese de Oparin e Haldane Evolução Química Oparin , A I (1894-1980 Haldane, J.B.S (1892- 1964) Os primeiros seres vivos- Moléculas orgânicas que se teriam formado na atmosfera primitiva e depois nos mares a partir de substâncias inorgânicas. Metano - CH4 Amónia - NH3 Hidrogénio - H2 Vapor de H2O Década de 1920- hipóteses semelhantes Composição química da atmosfera primitiva
  • 8. Esquema da Hipótese de Oparin e Haldane Coacervados Primeiras células procarióticas Atmosfera primitiva Mares primitivos
  • 9. Metano CH4 Amónia NH3 Nesse momento teriam surgido os primeiros seres vivos
  • 10. O coacervado é uma gotícula coloidal (formada por partículas muito pequenas mas maiores que as moléculas com polaridade) rica em polímeros em suspensão num meio aquoso. A membrana do coacervado é formada por moléculas de água dispostas em redor dos polímeros. O coacervado pode interagir com o meio, incorporando moléculas na sua estrutura, crescer e dividir-se. À medida que novas moléculas se iam agregando, se a nova combinação molecular não fosse estável, o coacervado destruía-se. Se fosse estável o coacervado aumentava de tamanho, até que se dividia em dois. No interior do coacervado, algumas moléculas catalisavam novas combinações, enquanto outras, auto-replicáveis, começavam a controlar as reações metabólicas. Deste modo, este conjunto de moléculas funcionaria como uma pré-célula, constituindo uma primeira manifestação de Vida.
  • 11. STANLEY MILLER RECRIOU PROVÁVEL ATMOSFERA DA TERRA PRIMITIVA (1953) (COMPROVOU A TEORIA DE OPARIN) MISTUROU CH4 , NH3 , H2 e H2O SUBMETIDA A DESCARGAS ELÉCTRICAS (SIMULANDO RAIOS) DURANTE 1 SEMANA (ENCONTROU AMINOÁCIDOS NO LÍQUIDO)
  • 12. A experiência de Miller A experiência de Miller-Urey = Construído um aparelho que simulava as condições da Terra primitiva introduziu nele os componentes que provavelmente constituíam a atmosfera naquela época Metano CH4 Amónia NH3 Hidrogénio H2 Vapor de H2O
  • 13.
  • 14.
  • 15. Onde apareceram as primeiras formas de vida? Em Ambientes Aquáticos
  • 16. Que condições permitiram o aparecimento de vida? No início... • Mares primitivos •Continentes •Atmosfera Quentes Vulcões (lavas e cinzas) Hidrogénio + gases tóxicos R E S U L T O U da Atividade vulcânica Amónia; Metano, Monóxido de Carbono •Raios ultravioleta Queimavam a Terra
  • 17. Características que permitem a existência de vida: Distância ao Sol Existência de Atmosfera Água Líquida Aparecimento e manutenção de vida Temperatura
  • 18. Origem da Vida na Terra Ação dos Raios Ultravioleta Descargas eléctricas + Primeiros compostos orgânicos Acumularam-se nos mares primitivos
  • 19. As primeiras formas de vida, células, deverão ter surgido entre os 3800 e os 2500 milhões de anos, pois os fósseis mais antigos encontrados datam dessa altura. Fósseis de organismos com cerca de 3000 M.a. que são estruturas resultantes da deposição de CaC03 retido e segregado por comunidades de cianobactérias ESTROMATÓLITOS
  • 20. As células procarióticas são estruturalmente simples, mas apresentam uma grande diversidade metabólica. O que lhes permitiu colonizar uma grande diversidade de meios ambientes. Embora não tenham quaisquer organitos como cloroplastos e mitocôndrias. Podem ser fotoautotróficas, possuindo por isso pigmentos fotossintéticos nas membranas celulares.
  • 21. As células eucarióticas por seu lado são mais complexas. O material genético encontra- se melhor organizado e no núcleo. Apresentam grande abundância de estruturas membranares.
  • 22. Segundo dados fósseis os seres eucariontes terão surgido há cerca de 1500 milhões de anos, tendo por isso reinado isolados por mais de 2000 milhões de anos os seres procariontes. Existem várias hipóteses explicativas para o surgimento dos seres eucariontes, todas partindo dos procariontes.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Hipótese autogénica Esta teoria considera que a célula procariótica terá sofrido sucessivas invaginações da membrana plasmática com posterior especialização. Origem dos Eucariontes
  • 28. HIPÓTESE AUTOGÉNICA Numa fase inicial, as células desenvolveram sistemas endomembranares resultantes de invaginações da membrana plasmática. Algumas dessas invaginações armazenam o DNA, formando o núcleo. Outras membranas evoluíram no sentido de produzirem organitos semelhantes ao retículo Posteriormente, algumas porções do material genético abandonaram o núcleo e evoluíram no interior de estruturas membranares. Desta forma formaram-se as mitocôndrias e os cloroplastos. Esta hipótese pressupõe que o material genético do núcleo e dos organitos tenha uma estrutura idêntica. Contudo tal não se verifica. O material genético dos cloroplastos e mitocôndrias apresenta uma maior semelhança com o das bactérias autónomas, do que com o material genético presente no núcleo
  • 29. Hipótese endossimbiótica A célula eucariótica terá surgido de uma associação simbiótica de diversas células procarióticas Lynn Margulis Origem dos Eucariontes
  • 30. Hipótese Endossimbiótica Origem dos Eucariontes Calcula-se que o processo terá corrido da seguinte forma: Uma célula procariótica de grandes dimensões terá capturado outras células procarióticas (células-hóspedes) que permaneceram no interior da célula hospedeira, resistindo à digestão. As células capturadas estabeleceram com a célula hospedeira relações de simbiose. A cooperação foi tão íntima e tão eficaz entre os diferentes elementos que se tornaram dependentes uns dos outros e passaram a constituir organismos estáveis e singulares. As células-hóspedes vieram, assim, a constituir alguns organitos da célula eucariótica. Por exemplo, os cloroplastos ter-se-ão originado a partir da captura de cianobactérias, já as mitocôndrias ter-se-ão originado a partir da captura de alguma célula procariótica com capacidade respiratória. Pensa-se que este processo estará também na origem dos flagelos.
  • 31.
  • 32. A Hipótese endossimbiótica defende que os eucariontes terão resultado da evolução conjunta de vários organismos procariontes, os quais foram estabelecendo associações simbióticas entre si. O termo endossimbiótica resulta do facto de algumas células viverem no interior de outras, numa relação de simbiose. Este modelo defende que o sistema endomembranar ter-se-á originado por invaginações da membrana citoplasmática e que as mitocôndrias e os cloroplastos se desenvolveram a partir de células procarióticas que estabeleceram uma relação de endossimbiose com as células hospedeiras de maiores dimensões, passando a viver dentro delas. Os ancestrais das mitocôndrias eram procariontes heterotróficos aeróbios e os ancestrais dos cloroplastos, procariontes fotossintéticos.
  • 33. Evidências que apoiam a hipótese endossimbiótica para a origem das mitocôndrias e dos cloroplastos As mitocôndrias e os cloroplastos têm dimensões semelhantes às bactérias As mitocôndrias e os cloroplastos produzem as suas próprias membranas internas e replicam-se por um processo semelhante à fissão binária que ocorre nas bactérias Estes organitos possuem o seu próprio material genético apresentando uma molécula de DNA circular, sem histonas. Os ribossomas dos cloroplastos e das mitocôndrias apresentam mais semelhanças com os ribossomas dos procariontes Na membrana interna destes organitos existem enzimas e sistemas de transporte que se assemelham aos que estão presentes nos atuais procariontes Existem associações simbióticas entre bactérias e alguns eucariontes O aminoácido iniciador da cadeia polipéptidica de uma mitocôndria ou cloroplasto é a formilmetionina, como nas bactérias, e não a metionina, como nos eucariontes.
  • 34.
  • 35. Pontos fracos do Modelo Endossimbiótico ☼ Não explica de forma muito clara a origem do núcleo da célula eucariótica ☼ Não está bem esclarecido como o DNA nuclear comanda o funcionamento, quer do cloroplasto, quer da mitocôndria Lynn Margulis
  • 36. Embora bem fundamentado e aceite o modelo endossimbiótico também, como referimos, apresenta pontos fracos. Por exemplo não consegue explicar o surgimento do núcleo. ►Assim julga-se que na realidade o aparecimento dos eucariontes se deva a uma mistura dos dois processos. ►No entanto e dada à distância temporal a que este processo ocorreu, aliado ao facto dos primeiros organismos dificilmente terem deixado fósseis, torna-se muito difícil para os cientistas decifrarem o que realmente ocorreu. Modelo endossimbiótico e autogénico
  • 37.
  • 38.
  • 39. Origem da multicelularidade No mundo dos seres unicelulares aquele que for maior apresenta uma vantagem sobre os outros. Uma célula maior pode facilmente capturar outras mais pequenas. No entanto existe um limite para o tamanho que uma célula pode ter.
  • 40. Quando uma célula aumenta o seu tamanho há que ter em conta o volume e a sua área de superfície (que corresponde à área da membrana plasmática). Assim quando uma célula aumenta de tamanho verifica-se que a razão entre a superfície e o volume diminui, isto é, o volume aumenta a um ritmo muito superior ao da área de superfície. Isto significa que cada unidade de área de superfície da membrana plasmática há mais volume de citoplasma, para o qual tem que realizar trocas com o meio exterior. Além disso, com o aumento de volume, também aumenta o metabolismo. Logo maiores vão ser as necessidades da célula.
  • 41.
  • 42.
  • 43. Um metabolismo mais reduzido diminui a necessidade de trocas com o meio externo
  • 44. Após a formação dos seres eucariontes, a Vida na Terra apresentava uma grande diversidade. Organismos capazes de produzir compostos orgânicos, utilizando a energia luminosa, libertavam oxigénio para a atmosfera. Outros desenvolviam a capacidade de aproveitar esse oxigénio para degradar compostos orgânicos e obterem, assim, energia necessária para as suas funções. Alguns organismos estabeleciam relações simbióticas, de tal forma vantajosas que se tornariam permanentes. Os eucariontes, seres maiores, reuniam diversas capacidades na mesma célula e competiam entre si pelo alimento e pelo espaço. A crescente competição levaria ao aparecimento de uma nova classe de seres vivos – os organismos multicelulares Os organismos multicelulares terão surgido na Terra há cerca de 1500 anos
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48. Os ancestrais dos organismos multicelulares seriam simples agregados de seres unicelulares, que formavam estruturas designadas colónias ou agregados nucleares. Inicialmente todas as células da colónia desempenhavam a mesma função
  • 50. Volvox é um organismo colonial que já apresenta células especializadas. nesta colónia existem células somáticas e células reprodutoras. As células somáticas são biflageladas e unem-se por filamentos citoplasmáticos. Estas são responsáveis pela nutrição e pelo movimento da colónia.
  • 51. Algumas células maiores do que as somáticas são responsáveis pela reprodução da colónia. Os organismos coloniais , como o Volvox, não são considerados seres multicelulares. Embora sejam constituídos por diversas células, a diferenciação celular é muito reduzida.
  • 52.
  • 53. Modelo da evolução dos eucariontes unicelulares até aos seres multicelulares com diferenciação
  • 54. Multicelularidade  É caracterizada por uma associação de células em que existe interdependência ao nível das estruturas e funções entre as células associadas.  Com o evoluir da multicelularidade foram surgindo os vários organitos o que permitiu aos organismos realizarem atividades muito complexas que antigamente os seus ancestrais unicelulares não conseguiam realizar.