SlideShare uma empresa Scribd logo
815-CUIDADOS DE BELEZA
815192-MANICURA-PEDICURA EFA PRO
COSMETOLOGIA APLICADA À
EPILAÇÃO/DEPILAÇÃO/DESCOLORAÇÃO DO PÊLO
UFCD 3557 (Nº 2) - 25 HORAS
FORMADORA CARLA MAIA
PRODUTOS COSMÉTICOS
Definição
• Qualquer substância ou mistura destinada a ser posta em contacto com as
partes externas do corpo humano (epiderme, sistemas piloso e capilar,
unhas, lábios e órgãos genitais externos) ou com os dentes e as mucosas
bucais, tendo em vista, exclusiva ou principalmente, limpá-los, perfumá-
los, modificar-lhes o aspeto, protegê-los, mantê-los em bom estado ou de
corrigir os odores corporais.
Legislação
 Regulamento (CE) N.º 1223/2009 do Parlamento
Europeu e do Conselho de 30 de Novembro de 2009,
relativo aos produtos cosméticos, Deliberação n.º
15/CD/2013, disposições do Decreto-Lei 189/2008 de 24
de setembro, na atual redação vigentes, nomeadamente
artigos 10.º, 20.º, 22.º, 23.º, 24.º, 25.º, 29.º, 30.º e
normas sancionatórias correspondentes.
 http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARM
ED/COSMETICOS
(competências do infarmed perante os cosméticos)
 http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARM
ED/MAIS_ALERTAS/DETALHE_ALERTA?itemid=71
07663
(Produtos cosméticos contendo formaldeído)
Classificação segundo a ação sobre a pele
Detergente
Tónico
Emoliente
Classificação segundo a ação sobre a pele
Detergente
Limpar a pele
 Remover sujidades provenientes de poeira,
secreções naturais como a oleosidade em
excesso, células córneas em descamação,
poluição, resíduos cosméticos, maquilhagem,
etc.
Formas de limpar a pele
 Uso de solventes orgânicos;
 Uso de substâncias lipofílicas;
 Uso de tensoativos (detergentes)
 Emulsões
 Soluções de Limpeza
Solventes orgânicos
 Remoção das sujidades por meio da
solubilização destas pelo solvente utilizado, com
posterior arraste mecânico, adsorção ou
absorção do produto realizada com auxílio de
algodão, tecido ou papel.
Desvantagens dos Solventes orgânicos
 A agressividade do solvente à pele;
 Além de remover a gordura da pele e sujidades pode-se,
dependendo do solvente usado, aumentar a perda
transepidermal de água, a descamação da pele e, às
vezes, provocar dermatites.
Como ultrapassar as desvantagens
 Associar este tipo de solvente com água
 É o caso de soluções hidroalcoólicas para humedecer
lenços de papel destinados à limpeza facial.
Substâncias lipofílicas
 A gordura secretada pelas glândulas sebáceas na
superfície da pele e as sujidades nela dispersas ou
solubilizadas são removidas por auxílio de um material
com polaridade semelhante, através de solubilização ou
arraste com auxílio de algodão, gaze ou lenço de papel.
Substâncias lipofílicas
Conceito:
"semelhante dissolve semelhante".
Vantagens
 Possibilidade de trabalhar com substâncias lipofílicas
semelhantes às encontradas na camada córnea, como os
triglicerídeos, encontrados nos óleos vegetais e na pele.
 A segurança pois quando bem escolhida, a substância lipofílica
ou a mistura destes compostos não induz a nenhuma alteração
no equilíbrio da camada córnea.
Desvantagens
 Fica um filme residual oleoso sobre a pele após a
limpeza, que para alguns tipos de pele pode ser
incómodo.
Tensoactivos
 São as substâncias utilizadas para limpeza mais
conhecidas, práticas, eficazes, seguras e difundidas no
mundo.
Tensoactivos
 São moléculas anfifílicas - têm afinidade pela água e
óleo - portanto, capazes de diminuir a tensão interfacial
entre estas duas substâncias, permitindo que as
mesmas se misturem.
Tensoactivos
Desvantagens
 A alta detergência associada à alcalinidade destes
produtos torna-os mais irritantes para a pele, muitas
vezes sendo desaconselháveis para uso em peles secas e
sensíveis.
Emulsões
 Apresentam uma fase oleosa, uma aquosa e um ou mais
tensoativos com propriedades emulsificantes.
 A limpeza promovida por este tipo de produto pode ser realizada
pelos componentes oleosos, o tensoativo emulsionante, ou pode
conter detergentes sintéticos suaves para facilitar a remoção das
sujidades da pele sem agredi-la.
Vantagens
 Remoção de maquiagem, limpeza diária da face ou em
clínicas estéticas, como preparação da pele antes de
iniciar algum cuidado cosmético.
 Estes produtos podem conter ou não ativos cosméticos.
Soluções de limpeza aquosa
 Normalmente tamponadas para o pH da pele, contendo
tensoativo(s) suave para ajudar a remoção da sujidade
lipofílica e ativos cosméticos diversos.
 Pele oleosa ou acnéica
Classificação segundo a ação sobre a pele
Tónico
Tónico Facial
 Regula o pH da pele: sabonete, poluição e
maquilhagem alteram o pH do rosto, o que pode causar
poros obstruídos e favorecer o envelhecimento.
Tónico Facial
 Melhora a ação do hidratante: também por
equilibrar o pH da pele, o creme facial e o protetor solar
consegue penetrar com maior eficiência.
Tónico Facial
 Trata o rosto: Se o tónico tiver alantoína ou extrato
de cidreira, por exemplo, ajuda a cicatrizar as espinhas.
O produto com ácido salicílico ou glicólico controla o
brilho do rosto.
Classificação segundo a ação sobre a pele
Emoliente
Emoliente
 São formulações combinadas de óleos naturais e água, e
ajudam na hidratação e restauração da oleosidade
perdida.
 Ajudam a manter os tecidos mais macios e moles
Emoliente
 São formulações combinadas de óleos naturais e água, e
ajudam na hidratação e restauração da oleosidade
perdida.
 Ajudam a manter os tecidos mais macios e moles
Exemplos
 Ácido láctico e glicólico: Têm uma acção
queratolítica em concentrações elevadas e por isso são
usados em calosidades e verrugas. Em concentrações
mais baixas têm acção humectante, indicado em xerose
e ictiose (situações de pele extremamente seca)
Exemplos
 Parafina;
 Ureia;
 Alantoína;
 Glicerina;
 Álcool cetílico e benzílico;
 Aveia;
 Pantenol e dexpantenol;
 Ácidos gordos;
 Lanolina;
 Ceramidas;
 Óleo de amêndoas doces,
de girassol e de soja.
Classificação segundo a função higiénica
Eutrófica
• normalizam o
estado alterado
dos tecidos
cutâneos e
principalmente
da epiderme.
Decorativa
• finalidade de
decorar a pele
e disfarçar
imperfeições
Classificação segundo a ação
Superficial
• só chega à camada córnea, não
penetrando na pele, como é o caso
dos produtos de limpeza da pele, os
protectores solares, a maquilhagem e
o exfoliante;
Classificação segundo a ação
Profunda
• Infiltração - o cosmético penetra até
1/3 da espessura da pele, como é o
caso dos cremes;
Classificação segundo a ação
Profunda
• Penetração - o cosmético penetra até
à camada germinativa da epiderme,
como é o caso dos séruns e ampolas
biológicas;
Classificação segundo a ação
Profunda
• Absorção - o cosmético penetra até
ao meio interno difundindo-se por
via sanguínea, como é o caso dos
óleos essenciais.
Classificação segundo a função
Ceras
epilatórias
Produtos de
pré e pós
epilação de
ação
progressiva
De ação
abrasiva
Colorante
Descolorante
Classificação segundo a função
Ceras
epilatórias
Ceras epilatórias
Ceras
Resinas
Ceras epilatórias
Ceras
Cera
branca de
abelhas
Cera de origem
animal
Cera de
carnaúba
Cera de origem
vegetal
Ceras epilatórias
Resinas
Colofónia
Ceras epilatórias
Vaselina
Lanolina
Óleos
Ceras epilatórias
 Na composição destas ceras podem-se adicionar pós de
grande tenuidade para corrigir a viscosidade com o
sentido de exercerem alguma ação adsorvente,
lubrificante ou contra-irritante (talco, amido, calamina,
dióxido de titânio ou óxido de zinco)
Ceras epilatórias
 Os corantes são adicionais para dar cor. Quando
pretendemos uma coloração esverdeada pode-se
adicionar clorofila, uma coloração rosada adiciona-se
calamina rósea, e para uma coloração amarelo-pálido
podem-se adicionar pós brancos.
Ceras epilatórias
 VANTAGENS: dilatação dos poros que a temperatura
provoca, tornando a epilação menos dolorosa.
 DESVANTAGENS: a dificuldade de auto-depilação, o
facto de poder provocar queimaduras, o seu cheiro mais
intenso, e o fato de ser prejudicial para as varizes e veias
dilatadas.
Cera de baixa fusão
 cera de abelhas;
 extrato de nacré pérola que tem uma ação calmante;
 óxido de zinco que torna esta cera perfeita para todo o
tipo de peles mesmo as mais sensíveis que requerem
cuidados especiais, peles com tendência para o
desenvolvimento de vermelhidão, manchas ou espinhas
depois da depilação;
 magnólia que torna a pele fresca, aveludada e facilita
fechar os poros da pele depilada além de produzir uma
maravilhosa sensação de bem estar.
www.lycon.com.br
 Cera australiana que tem como diferencial conseguir
extrair pêlos a partir de apenas 1 milímetro. Versões com
óleo de coco, chocolate, morango e baunilha fazem parte
do portfólio da marca.
EXEMPLO DE MARCAS
www.lycon.com.br
 À base de mel: envolvem melhor os pêlos grossos e
resistentes, arrancando-os por inteiro;
 Camomila, algas, calêndula e hortelã: peles sensíveis e
delicadas porque suavizam a irritação e refrescam.
 Própolis: propriedades cicatrizante e ajuda na
regeneração da pele.
TIPOS DE CERA
Classificação segundo a função
Produtos de
pré e pós
epilação de
ação
progressiva
 Cosmética pré-depilatória e pós-depilatória, óleos
reparadores,emulsões tonificantes, produto para evitar a
formação de pelos enquistados e retardadoress de
crescimento do pêlo...
 Produtos pensados para facilitar ao máximo o trabalho
dos profissionais e para maior satisfação do cliente!
Produtos de pré epilação
7 PASSOS
 Esfoliação na hora certa
É um bom hábito para eliminar as impurezas e combater
pelos encravados, mas o ideal é fazer essa prática nos dias
após a depilação, e não antes, e voltar a usá-los somente
dias após a remoção dos pelos.
Produtos de pré epilação
 Pouco sol
Evitar apanhar sol no mesmo dia em que for depilar, pois
a pele bronzeada fica mais sujeita a mancha pós-
depilação e tende a ficar mais ressecada o que deixa a pele
ainda mais sensível, aumentando as hipóteses de dores na
hora da remoção e vermelhidão.
Produtos de pré epilação
 Hidratantes
São permitidos no dia da depilação, mas desde que com
muita moderação, pois dificulta a retirada dos pelos com
a cera. Os óleos corporais são de evitar.
Algumas substâncias dos produtos podem reagir com a
cera e provocar irritações.
Produtos de pré epilação
 Tome um banho antes
O banho de água morna ajuda a abrir os poros da pele e
reduz a quantidade de micro-organismos. Dessa forma,
os pêlos podem sair com mais facilidade e menos dor,
além de o risco de infeções ser menor. Também é bom
lavar novamente a área após a depilação com sabonete
antisséptico, para garantir ainda mais proteção.
Produtos de pré epilação
 Vista peças confortáveis
Roupas mais larguinhas e de tecidos naturais, como o
algodão, deixam a pele respirar e evitam o aquecimento
da área que será depilada. Roupas muito apertadas
provocam muito atrito na pele e a deixam mais sensível e
inflamada, o que pode aumentar as dores durante a
depilação e de pelos novos nascerem encravados.
Produtos de pré epilação
 Prepare a pele
Use loções especiais pré-depilatórias, que ajudam a
eliminar as bactérias e limpar a pele. As dermatologistas
explicam que uma pele limpa aumenta a aderência da
cera, pois impede que resíduos de creme ou suor
atrapalhem a depilação. Prefira os produtos que são livres
de álcool na fórmula, para não deixar a pele irritada.
Produtos de pré epilação
 Prepara o pêlo para que a depilação seja mais fácil e
eficaz.
 Deixa o pêlo limpo e tenso.
 Elimina os restos de gordura, transpiração, maquilhagem,
proporcionando uma melhor aderência da cera ao pêlo e
favorecendo assim a sua extracção.
Produtos de pré epilação
 É antiséptico, bactericida e calmante.
 Grande poder higienizante graças ao seu conteúdo, por
exemplo, em Triclosan.
 O Triclosan atua como conservante, anti-microbiano,
antibacteriana (para a pele humana), germicida, de
acordo com as formulações indicadas (Cremes e loções: 0,2 a 0,3%)
Produtos de pré epilação
 SOLUÇÃO PARA PÊLOS ENCRAVADOS
 ÓLEO PÓS-DEPILATÓRIO
 CREME PÓS-DEPILAÇÃO
 ESPUMA PÓS-DEPILATÓRIA
 EMULSÃO PÓS-DEPILATÓRIA
 AMPOLAS CORPORAIS RETARDAMENTO CRESCIMENTO PÊLO
Nota: O mais importante é jamais usar produtos com álcool, desodorante
inclusive, até 12 horas após o procedimento. Eles agridem a pele, criando até
pequenas lesões.
Produtos de pós epilação
 SOLUÇÃO PARA PÊLOS ENCRAVADOS
 Previne o aparecimento de pelos encravados, elimina o pêlo que
se encontra encravado, evita a irritação da pele nas zonas
afectadas e tem uma acção exfoliante, abre os poros e facilita a
saída dos pêlos; Deve ser utilizado após a depilação, e até à
seguinte, pode ser utilizado diariamente.
Produtos de pós epilação
 SOLUÇÃO PARA PÊLOS ENCRAVADOS
 O seu uso continuado vai conseguir melhorar substancialmente
os problemas dos pêlos encravados. Utilizam-se em simultâneo
com um peeling corporal no banho ou duche. Precauções: Não
usar depois de exposição solar ou com a pele desidratada.
 Composição: Produtos à base de ureia, de 15%a 20%, e também
ácidos salicílico, retinóico e glicólico.
Produtos de pós epilação
 ÓLEO PÓS-DEPILATÓRIO
 Normalmente à base de extractos de plantas e vitamina E, com
efeito retardante, que limpa a pele de restos de cera e ao mesmo
tempo acalma e hidrata em profundidade.
 Tem efeito refrescante e tonificante devido ao óleo de arnica
normalmente incorporado.
Produtos de pós epilação
 CREME PÓS-DEPILAÇÃO
 Composição: aloe vera, camomila, corticóides.
 Quando a depilação for feita por ceras quentes, a camada
protetora da cútis é retirada, deixando-a mais exposta e
vulnerável. Para auxiliar na proteção usar filtro solar e evitar
exposição ao sol para não manchar a pele.
Produtos de pós epilação
 ESPUMA PÓS-DEPILATÓRIA E EMULSÃO PÓS-DEPILATÓRIA
 Loções oil free, gel ou mousse com substâncias hidratantes e calmantes.
 Os prinicpais ativos são a ureia, o ácido lático, o óleo de rosa mosqueta, o aloe
vera, o azuleno e o alfabisabolol.
Produtos de pós epilação
 AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO
PÊLO
 É um método baseado na inibição do crescimento das células
germinativas do pêlo, sem afectar o resto das células que se
encontram nos tecidos adjacentes.
 Empregam-se compostos que se introduzem no fundo do folículo
piloso uma vez terminada a depilação. Estes compostos inibem o
crescimento de algumas células, que dariam lugar a um novo
pêlo.
Produtos de pós epilação
 AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO
PÊLO
 Esta técnica é denominada de progressiva porque não destrói de
uma só vez as células do pêlo, mas vai diminuindo a sua
espessura com as sucessivas aplicações depilatórias.
 Uma ampola é aplicada durante três dias a partir do dia em que
se faz a depilação, porque só é eficaz a partir do momento em
que o poro abre e até que fique novamente obstruído.
Produtos de pós epilação
 AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO
PÊLO
 Composição:
 Enzimas vegetais, a sorbaína (Klorane).
 Uréia – penetra até o ducto pilo-sebáceo, atinge as células
germinativas da base do bulbo do pêlo ou nas células da papila e
reduz o metabolismo, além de desnaturar as proteínas; ao
reduzir a atividade da papila e das células germinativas da base
do bulbo do pêlo o crescimento deste é reduzido.
Produtos de pós epilação
 AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO
PÊLO
 Ácido salicílico e Extrato de Salix alba – possuem leve ação anti-
séptica e queratolítica, auxiliando na desnaturação protéica.
 Outros componentes como extrato de Hamamelis, Arnica,
mentol, eucalipto e peptídeos da soja são combinados para
reduzir os inconvenientes do pós-barbear e pós-depilatório.
Produtos de pós epilação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cabelo fina ll
Cabelo fina llCabelo fina ll
Cabelo fina ll
releanor
 
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia
Sueli Mazzero Polizel
 
1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf
1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf
1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf
Cristiano Pereira
 
Microagulhamento
MicroagulhamentoMicroagulhamento
Aula limpeza de pele
Aula limpeza de peleAula limpeza de pele
Aula limpeza de pele
Dry Rodrigues
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Rodrigo Caixeta
 
52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos
52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos
52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos
Néri Porto
 
PEELING DE OLHEIRAS
PEELING DE OLHEIRASPEELING DE OLHEIRAS
PEELING DE OLHEIRAS
Natalia franca
 
Depilação a laser
Depilação a laserDepilação a laser
Depilação a laser
Wando Pagani
 
Princípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a zPrincípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a z
Fernanda Esteves
 
microagulhamento
microagulhamentomicroagulhamento
microagulhamento
julianadosanjosmedei
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
Bosco Magalhaex
 
Pele
PelePele
Pele
aasf
 
A eletroterapia aplicada na estética facial
A eletroterapia aplicada na estética facialA eletroterapia aplicada na estética facial
A eletroterapia aplicada na estética facial
Rosiane Bezerra
 
Avaliação corporal explicad1
Avaliação corporal explicad1Avaliação corporal explicad1
Avaliação corporal explicad1
Ana Cunha
 
Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno
Amanda Hamaue
 
Manicure
ManicureManicure
Manicure
Canal Maktub
 
Fotoenvelhecimento
FotoenvelhecimentoFotoenvelhecimento
Fotoenvelhecimento
Erminia Aparecida Domingos
 
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
Jossama Lima
 
E-Book auto maquiagem
E-Book auto maquiagem E-Book auto maquiagem
E-Book auto maquiagem
Cristiane Biondi
 

Mais procurados (20)

Cabelo fina ll
Cabelo fina llCabelo fina ll
Cabelo fina ll
 
Estética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologiaEstética- Introdução a cosmetologia
Estética- Introdução a cosmetologia
 
1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf
1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf
1 - Materiais utilizados no Design de sobrancelhas.pdf
 
Microagulhamento
MicroagulhamentoMicroagulhamento
Microagulhamento
 
Aula limpeza de pele
Aula limpeza de peleAula limpeza de pele
Aula limpeza de pele
 
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento CutâneoCosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
Cosmetologia da pele II: Envelhecimento Cutâneo
 
52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos
52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos
52015300 50021884-apostila-de-princpios-ativos-cosmticos
 
PEELING DE OLHEIRAS
PEELING DE OLHEIRASPEELING DE OLHEIRAS
PEELING DE OLHEIRAS
 
Depilação a laser
Depilação a laserDepilação a laser
Depilação a laser
 
Princípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a zPrincípios ativos clareadores de a z
Princípios ativos clareadores de a z
 
microagulhamento
microagulhamentomicroagulhamento
microagulhamento
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 
Pele
PelePele
Pele
 
A eletroterapia aplicada na estética facial
A eletroterapia aplicada na estética facialA eletroterapia aplicada na estética facial
A eletroterapia aplicada na estética facial
 
Avaliação corporal explicad1
Avaliação corporal explicad1Avaliação corporal explicad1
Avaliação corporal explicad1
 
Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno Técnica de indução de colágeno
Técnica de indução de colágeno
 
Manicure
ManicureManicure
Manicure
 
Fotoenvelhecimento
FotoenvelhecimentoFotoenvelhecimento
Fotoenvelhecimento
 
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
 
E-Book auto maquiagem
E-Book auto maquiagem E-Book auto maquiagem
E-Book auto maquiagem
 

Destaque

OSD - Class Presentation 2
OSD - Class Presentation 2OSD - Class Presentation 2
OSD - Class Presentation 2
Sampad Acharya
 
Como fazer cremes naturais
Como fazer cremes naturaisComo fazer cremes naturais
Como fazer cremes naturais
Carla Louro
 
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptxComponentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
Ana Cunha
 
Fitocosmética
FitocosméticaFitocosmética
Fitocosmética
Cesar Piña
 
Sistemas dispersos 1_2016-
Sistemas dispersos 1_2016-Sistemas dispersos 1_2016-
Sistemas dispersos 1_2016-
Gabriela Martins Labussiere
 
Coloides
ColoidesColoides
Curso de Extensão: Bioquímica Básica dos Cosméticos
Curso de Extensão: Bioquímica Básica dos CosméticosCurso de Extensão: Bioquímica Básica dos Cosméticos
Curso de Extensão: Bioquímica Básica dos Cosméticos
Rodrigo Caixeta
 
Ana rasteiro ft ufcd 3244_reflexão
Ana rasteiro ft ufcd 3244_reflexãoAna rasteiro ft ufcd 3244_reflexão
Ana rasteiro ft ufcd 3244_reflexão
rasteiro
 
Quimica dos cosmeticos
Quimica dos cosmeticosQuimica dos cosmeticos
Quimica dos cosmeticos
Letícia Marcos
 
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery   indústria de cosméticos e cuidados de higieneAna nery   indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Joseval Estigaribia
 
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticasAtendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Luis Antonio Cezar Junior
 
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Herbert Cristian de Souza
 
Cosméticos
CosméticosCosméticos
Cosméticos
pibiduemsquimica
 
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Herbert Cristian de Souza
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
Venturini Cláudio Luís
 

Destaque (15)

OSD - Class Presentation 2
OSD - Class Presentation 2OSD - Class Presentation 2
OSD - Class Presentation 2
 
Como fazer cremes naturais
Como fazer cremes naturaisComo fazer cremes naturais
Como fazer cremes naturais
 
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptxComponentes de uma formulação cosmética.pptx
Componentes de uma formulação cosmética.pptx
 
Fitocosmética
FitocosméticaFitocosmética
Fitocosmética
 
Sistemas dispersos 1_2016-
Sistemas dispersos 1_2016-Sistemas dispersos 1_2016-
Sistemas dispersos 1_2016-
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
 
Curso de Extensão: Bioquímica Básica dos Cosméticos
Curso de Extensão: Bioquímica Básica dos CosméticosCurso de Extensão: Bioquímica Básica dos Cosméticos
Curso de Extensão: Bioquímica Básica dos Cosméticos
 
Ana rasteiro ft ufcd 3244_reflexão
Ana rasteiro ft ufcd 3244_reflexãoAna rasteiro ft ufcd 3244_reflexão
Ana rasteiro ft ufcd 3244_reflexão
 
Quimica dos cosmeticos
Quimica dos cosmeticosQuimica dos cosmeticos
Quimica dos cosmeticos
 
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery   indústria de cosméticos e cuidados de higieneAna nery   indústria de cosméticos e cuidados de higiene
Ana nery indústria de cosméticos e cuidados de higiene
 
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticasAtendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
 
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
Apostila Cosmetologia Prática 2015 02
 
Cosméticos
CosméticosCosméticos
Cosméticos
 
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
Apostila Cosmetologia Teórica 2015 02
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 

Semelhante a UFCD 3557

A base do tratamento individualizado
A base do tratamento individualizadoA base do tratamento individualizado
A base do tratamento individualizado
pharmanostradesign
 
TRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCED
TRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCEDTRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCED
TRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCED
SKEYNDOR BRASIL
 
Acne.novas tecnologias
Acne.novas tecnologiasAcne.novas tecnologias
Acne.novas tecnologias
Heloyse Lopes
 
Catalogo - L'Bel
Catalogo - L'BelCatalogo - L'Bel
Catalogo - L'Bel
Luciano Laartesgerais
 
Lbel ciclo 06 junho 2013
Lbel ciclo 06 junho 2013Lbel ciclo 06 junho 2013
Lbel ciclo 06 junho 2013
Meus Cosméticos
 
Treinamento Fleur De Jouvence
Treinamento Fleur De JouvenceTreinamento Fleur De Jouvence
Treinamento Fleur De Jouvence
migsena
 
31198522 apostila-cosmeticos (1)
31198522 apostila-cosmeticos (1)31198522 apostila-cosmeticos (1)
31198522 apostila-cosmeticos (1)
Déh Saes
 
Apostila cosméticos
Apostila cosméticosApostila cosméticos
Apostila cosméticos
balanceado ox
 
Moiskin brasil
Moiskin brasilMoiskin brasil
Moiskin brasil
João Pedro
 
Apostila cosmticos 100511
Apostila cosmticos 100511Apostila cosmticos 100511
Apostila cosmticos 100511
Marcus Vinicius Carina
 
TREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCE
TREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCETREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCE
TREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCE
Anchieta Amaral
 
LÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCE
LÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCELÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCE
LÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCE
SKEYNDOR BRASIL
 
LÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITE
LÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITELÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITE
LÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITE
SKEYNDOR BRASIL
 
EBPM Book Manteigas
EBPM Book ManteigasEBPM Book Manteigas
EBPM Book Manteigas
EBPM IMP EXP REPR LTDA
 
Princípios ativos que atuam no combate a acne
Princípios ativos que atuam no combate a acnePrincípios ativos que atuam no combate a acne
Princípios ativos que atuam no combate a acne
Heloyse Lopes
 
48709641 dica-forever-lite
48709641 dica-forever-lite48709641 dica-forever-lite
48709641 dica-forever-lite
Robertson Leandro
 
Pele
PelePele
Pele
CaAvon
 
SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.
SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.
SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.
SPAUSA
 
Portfólio Focus Química 2012 Novembro
Portfólio Focus Química 2012 NovembroPortfólio Focus Química 2012 Novembro
Portfólio Focus Química 2012 Novembro
DOUGLAS VOCCI
 
Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012
Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012
Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012
Victor Pinto
 

Semelhante a UFCD 3557 (20)

A base do tratamento individualizado
A base do tratamento individualizadoA base do tratamento individualizado
A base do tratamento individualizado
 
TRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCED
TRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCEDTRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCED
TRATAMENTO DERMAPEEL + KIT ADVANCED
 
Acne.novas tecnologias
Acne.novas tecnologiasAcne.novas tecnologias
Acne.novas tecnologias
 
Catalogo - L'Bel
Catalogo - L'BelCatalogo - L'Bel
Catalogo - L'Bel
 
Lbel ciclo 06 junho 2013
Lbel ciclo 06 junho 2013Lbel ciclo 06 junho 2013
Lbel ciclo 06 junho 2013
 
Treinamento Fleur De Jouvence
Treinamento Fleur De JouvenceTreinamento Fleur De Jouvence
Treinamento Fleur De Jouvence
 
31198522 apostila-cosmeticos (1)
31198522 apostila-cosmeticos (1)31198522 apostila-cosmeticos (1)
31198522 apostila-cosmeticos (1)
 
Apostila cosméticos
Apostila cosméticosApostila cosméticos
Apostila cosméticos
 
Moiskin brasil
Moiskin brasilMoiskin brasil
Moiskin brasil
 
Apostila cosmticos 100511
Apostila cosmticos 100511Apostila cosmticos 100511
Apostila cosmticos 100511
 
TREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCE
TREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCETREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCE
TREINAMENTO FLEUR DE JOUVENCE
 
LÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCE
LÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCELÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCE
LÂMINA DERMAPEEL + CLEAR BALANCE
 
LÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITE
LÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITELÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITE
LÂMINA DERMAPEEL + URBAN WHITE
 
EBPM Book Manteigas
EBPM Book ManteigasEBPM Book Manteigas
EBPM Book Manteigas
 
Princípios ativos que atuam no combate a acne
Princípios ativos que atuam no combate a acnePrincípios ativos que atuam no combate a acne
Princípios ativos que atuam no combate a acne
 
48709641 dica-forever-lite
48709641 dica-forever-lite48709641 dica-forever-lite
48709641 dica-forever-lite
 
Pele
PelePele
Pele
 
SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.
SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.
SPAUSA. Dermocosmética Portuguesa.
 
Portfólio Focus Química 2012 Novembro
Portfólio Focus Química 2012 NovembroPortfólio Focus Química 2012 Novembro
Portfólio Focus Química 2012 Novembro
 
Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012
Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012
Candyday catalogos fichas tecnicas_ainhoa_11_2012
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 

UFCD 3557

  • 1. 815-CUIDADOS DE BELEZA 815192-MANICURA-PEDICURA EFA PRO COSMETOLOGIA APLICADA À EPILAÇÃO/DEPILAÇÃO/DESCOLORAÇÃO DO PÊLO UFCD 3557 (Nº 2) - 25 HORAS FORMADORA CARLA MAIA
  • 3. Definição • Qualquer substância ou mistura destinada a ser posta em contacto com as partes externas do corpo humano (epiderme, sistemas piloso e capilar, unhas, lábios e órgãos genitais externos) ou com os dentes e as mucosas bucais, tendo em vista, exclusiva ou principalmente, limpá-los, perfumá- los, modificar-lhes o aspeto, protegê-los, mantê-los em bom estado ou de corrigir os odores corporais.
  • 4. Legislação  Regulamento (CE) N.º 1223/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho de 30 de Novembro de 2009, relativo aos produtos cosméticos, Deliberação n.º 15/CD/2013, disposições do Decreto-Lei 189/2008 de 24 de setembro, na atual redação vigentes, nomeadamente artigos 10.º, 20.º, 22.º, 23.º, 24.º, 25.º, 29.º, 30.º e normas sancionatórias correspondentes.
  • 5.  http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARM ED/COSMETICOS (competências do infarmed perante os cosméticos)  http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARM ED/MAIS_ALERTAS/DETALHE_ALERTA?itemid=71 07663 (Produtos cosméticos contendo formaldeído)
  • 6. Classificação segundo a ação sobre a pele Detergente Tónico Emoliente
  • 7. Classificação segundo a ação sobre a pele Detergente
  • 8. Limpar a pele  Remover sujidades provenientes de poeira, secreções naturais como a oleosidade em excesso, células córneas em descamação, poluição, resíduos cosméticos, maquilhagem, etc.
  • 9. Formas de limpar a pele  Uso de solventes orgânicos;  Uso de substâncias lipofílicas;  Uso de tensoativos (detergentes)  Emulsões  Soluções de Limpeza
  • 10. Solventes orgânicos  Remoção das sujidades por meio da solubilização destas pelo solvente utilizado, com posterior arraste mecânico, adsorção ou absorção do produto realizada com auxílio de algodão, tecido ou papel.
  • 11. Desvantagens dos Solventes orgânicos  A agressividade do solvente à pele;  Além de remover a gordura da pele e sujidades pode-se, dependendo do solvente usado, aumentar a perda transepidermal de água, a descamação da pele e, às vezes, provocar dermatites.
  • 12. Como ultrapassar as desvantagens  Associar este tipo de solvente com água  É o caso de soluções hidroalcoólicas para humedecer lenços de papel destinados à limpeza facial.
  • 13. Substâncias lipofílicas  A gordura secretada pelas glândulas sebáceas na superfície da pele e as sujidades nela dispersas ou solubilizadas são removidas por auxílio de um material com polaridade semelhante, através de solubilização ou arraste com auxílio de algodão, gaze ou lenço de papel.
  • 15. Vantagens  Possibilidade de trabalhar com substâncias lipofílicas semelhantes às encontradas na camada córnea, como os triglicerídeos, encontrados nos óleos vegetais e na pele.  A segurança pois quando bem escolhida, a substância lipofílica ou a mistura destes compostos não induz a nenhuma alteração no equilíbrio da camada córnea.
  • 16. Desvantagens  Fica um filme residual oleoso sobre a pele após a limpeza, que para alguns tipos de pele pode ser incómodo.
  • 17. Tensoactivos  São as substâncias utilizadas para limpeza mais conhecidas, práticas, eficazes, seguras e difundidas no mundo.
  • 18. Tensoactivos  São moléculas anfifílicas - têm afinidade pela água e óleo - portanto, capazes de diminuir a tensão interfacial entre estas duas substâncias, permitindo que as mesmas se misturem.
  • 20. Desvantagens  A alta detergência associada à alcalinidade destes produtos torna-os mais irritantes para a pele, muitas vezes sendo desaconselháveis para uso em peles secas e sensíveis.
  • 21. Emulsões  Apresentam uma fase oleosa, uma aquosa e um ou mais tensoativos com propriedades emulsificantes.  A limpeza promovida por este tipo de produto pode ser realizada pelos componentes oleosos, o tensoativo emulsionante, ou pode conter detergentes sintéticos suaves para facilitar a remoção das sujidades da pele sem agredi-la.
  • 22. Vantagens  Remoção de maquiagem, limpeza diária da face ou em clínicas estéticas, como preparação da pele antes de iniciar algum cuidado cosmético.  Estes produtos podem conter ou não ativos cosméticos.
  • 23. Soluções de limpeza aquosa  Normalmente tamponadas para o pH da pele, contendo tensoativo(s) suave para ajudar a remoção da sujidade lipofílica e ativos cosméticos diversos.  Pele oleosa ou acnéica
  • 24. Classificação segundo a ação sobre a pele Tónico
  • 25. Tónico Facial  Regula o pH da pele: sabonete, poluição e maquilhagem alteram o pH do rosto, o que pode causar poros obstruídos e favorecer o envelhecimento.
  • 26. Tónico Facial  Melhora a ação do hidratante: também por equilibrar o pH da pele, o creme facial e o protetor solar consegue penetrar com maior eficiência.
  • 27. Tónico Facial  Trata o rosto: Se o tónico tiver alantoína ou extrato de cidreira, por exemplo, ajuda a cicatrizar as espinhas. O produto com ácido salicílico ou glicólico controla o brilho do rosto.
  • 28. Classificação segundo a ação sobre a pele Emoliente
  • 29. Emoliente  São formulações combinadas de óleos naturais e água, e ajudam na hidratação e restauração da oleosidade perdida.  Ajudam a manter os tecidos mais macios e moles
  • 30. Emoliente  São formulações combinadas de óleos naturais e água, e ajudam na hidratação e restauração da oleosidade perdida.  Ajudam a manter os tecidos mais macios e moles
  • 31. Exemplos  Ácido láctico e glicólico: Têm uma acção queratolítica em concentrações elevadas e por isso são usados em calosidades e verrugas. Em concentrações mais baixas têm acção humectante, indicado em xerose e ictiose (situações de pele extremamente seca)
  • 32. Exemplos  Parafina;  Ureia;  Alantoína;  Glicerina;  Álcool cetílico e benzílico;  Aveia;  Pantenol e dexpantenol;  Ácidos gordos;  Lanolina;  Ceramidas;  Óleo de amêndoas doces, de girassol e de soja.
  • 33. Classificação segundo a função higiénica Eutrófica • normalizam o estado alterado dos tecidos cutâneos e principalmente da epiderme. Decorativa • finalidade de decorar a pele e disfarçar imperfeições
  • 34. Classificação segundo a ação Superficial • só chega à camada córnea, não penetrando na pele, como é o caso dos produtos de limpeza da pele, os protectores solares, a maquilhagem e o exfoliante;
  • 35. Classificação segundo a ação Profunda • Infiltração - o cosmético penetra até 1/3 da espessura da pele, como é o caso dos cremes;
  • 36. Classificação segundo a ação Profunda • Penetração - o cosmético penetra até à camada germinativa da epiderme, como é o caso dos séruns e ampolas biológicas;
  • 37. Classificação segundo a ação Profunda • Absorção - o cosmético penetra até ao meio interno difundindo-se por via sanguínea, como é o caso dos óleos essenciais.
  • 38. Classificação segundo a função Ceras epilatórias Produtos de pré e pós epilação de ação progressiva De ação abrasiva Colorante Descolorante
  • 39. Classificação segundo a função Ceras epilatórias
  • 41. Ceras epilatórias Ceras Cera branca de abelhas Cera de origem animal Cera de carnaúba Cera de origem vegetal
  • 44. Ceras epilatórias  Na composição destas ceras podem-se adicionar pós de grande tenuidade para corrigir a viscosidade com o sentido de exercerem alguma ação adsorvente, lubrificante ou contra-irritante (talco, amido, calamina, dióxido de titânio ou óxido de zinco)
  • 45. Ceras epilatórias  Os corantes são adicionais para dar cor. Quando pretendemos uma coloração esverdeada pode-se adicionar clorofila, uma coloração rosada adiciona-se calamina rósea, e para uma coloração amarelo-pálido podem-se adicionar pós brancos.
  • 46. Ceras epilatórias  VANTAGENS: dilatação dos poros que a temperatura provoca, tornando a epilação menos dolorosa.  DESVANTAGENS: a dificuldade de auto-depilação, o facto de poder provocar queimaduras, o seu cheiro mais intenso, e o fato de ser prejudicial para as varizes e veias dilatadas.
  • 47. Cera de baixa fusão  cera de abelhas;  extrato de nacré pérola que tem uma ação calmante;  óxido de zinco que torna esta cera perfeita para todo o tipo de peles mesmo as mais sensíveis que requerem cuidados especiais, peles com tendência para o desenvolvimento de vermelhidão, manchas ou espinhas depois da depilação;  magnólia que torna a pele fresca, aveludada e facilita fechar os poros da pele depilada além de produzir uma maravilhosa sensação de bem estar.
  • 48. www.lycon.com.br  Cera australiana que tem como diferencial conseguir extrair pêlos a partir de apenas 1 milímetro. Versões com óleo de coco, chocolate, morango e baunilha fazem parte do portfólio da marca. EXEMPLO DE MARCAS
  • 49. www.lycon.com.br  À base de mel: envolvem melhor os pêlos grossos e resistentes, arrancando-os por inteiro;  Camomila, algas, calêndula e hortelã: peles sensíveis e delicadas porque suavizam a irritação e refrescam.  Própolis: propriedades cicatrizante e ajuda na regeneração da pele. TIPOS DE CERA
  • 50. Classificação segundo a função Produtos de pré e pós epilação de ação progressiva
  • 51.  Cosmética pré-depilatória e pós-depilatória, óleos reparadores,emulsões tonificantes, produto para evitar a formação de pelos enquistados e retardadoress de crescimento do pêlo...  Produtos pensados para facilitar ao máximo o trabalho dos profissionais e para maior satisfação do cliente!
  • 52. Produtos de pré epilação 7 PASSOS
  • 53.  Esfoliação na hora certa É um bom hábito para eliminar as impurezas e combater pelos encravados, mas o ideal é fazer essa prática nos dias após a depilação, e não antes, e voltar a usá-los somente dias após a remoção dos pelos. Produtos de pré epilação
  • 54.  Pouco sol Evitar apanhar sol no mesmo dia em que for depilar, pois a pele bronzeada fica mais sujeita a mancha pós- depilação e tende a ficar mais ressecada o que deixa a pele ainda mais sensível, aumentando as hipóteses de dores na hora da remoção e vermelhidão. Produtos de pré epilação
  • 55.  Hidratantes São permitidos no dia da depilação, mas desde que com muita moderação, pois dificulta a retirada dos pelos com a cera. Os óleos corporais são de evitar. Algumas substâncias dos produtos podem reagir com a cera e provocar irritações. Produtos de pré epilação
  • 56.  Tome um banho antes O banho de água morna ajuda a abrir os poros da pele e reduz a quantidade de micro-organismos. Dessa forma, os pêlos podem sair com mais facilidade e menos dor, além de o risco de infeções ser menor. Também é bom lavar novamente a área após a depilação com sabonete antisséptico, para garantir ainda mais proteção. Produtos de pré epilação
  • 57.  Vista peças confortáveis Roupas mais larguinhas e de tecidos naturais, como o algodão, deixam a pele respirar e evitam o aquecimento da área que será depilada. Roupas muito apertadas provocam muito atrito na pele e a deixam mais sensível e inflamada, o que pode aumentar as dores durante a depilação e de pelos novos nascerem encravados. Produtos de pré epilação
  • 58.  Prepare a pele Use loções especiais pré-depilatórias, que ajudam a eliminar as bactérias e limpar a pele. As dermatologistas explicam que uma pele limpa aumenta a aderência da cera, pois impede que resíduos de creme ou suor atrapalhem a depilação. Prefira os produtos que são livres de álcool na fórmula, para não deixar a pele irritada. Produtos de pré epilação
  • 59.  Prepara o pêlo para que a depilação seja mais fácil e eficaz.  Deixa o pêlo limpo e tenso.  Elimina os restos de gordura, transpiração, maquilhagem, proporcionando uma melhor aderência da cera ao pêlo e favorecendo assim a sua extracção. Produtos de pré epilação
  • 60.  É antiséptico, bactericida e calmante.  Grande poder higienizante graças ao seu conteúdo, por exemplo, em Triclosan.  O Triclosan atua como conservante, anti-microbiano, antibacteriana (para a pele humana), germicida, de acordo com as formulações indicadas (Cremes e loções: 0,2 a 0,3%) Produtos de pré epilação
  • 61.  SOLUÇÃO PARA PÊLOS ENCRAVADOS  ÓLEO PÓS-DEPILATÓRIO  CREME PÓS-DEPILAÇÃO  ESPUMA PÓS-DEPILATÓRIA  EMULSÃO PÓS-DEPILATÓRIA  AMPOLAS CORPORAIS RETARDAMENTO CRESCIMENTO PÊLO Nota: O mais importante é jamais usar produtos com álcool, desodorante inclusive, até 12 horas após o procedimento. Eles agridem a pele, criando até pequenas lesões. Produtos de pós epilação
  • 62.  SOLUÇÃO PARA PÊLOS ENCRAVADOS  Previne o aparecimento de pelos encravados, elimina o pêlo que se encontra encravado, evita a irritação da pele nas zonas afectadas e tem uma acção exfoliante, abre os poros e facilita a saída dos pêlos; Deve ser utilizado após a depilação, e até à seguinte, pode ser utilizado diariamente. Produtos de pós epilação
  • 63.  SOLUÇÃO PARA PÊLOS ENCRAVADOS  O seu uso continuado vai conseguir melhorar substancialmente os problemas dos pêlos encravados. Utilizam-se em simultâneo com um peeling corporal no banho ou duche. Precauções: Não usar depois de exposição solar ou com a pele desidratada.  Composição: Produtos à base de ureia, de 15%a 20%, e também ácidos salicílico, retinóico e glicólico. Produtos de pós epilação
  • 64.  ÓLEO PÓS-DEPILATÓRIO  Normalmente à base de extractos de plantas e vitamina E, com efeito retardante, que limpa a pele de restos de cera e ao mesmo tempo acalma e hidrata em profundidade.  Tem efeito refrescante e tonificante devido ao óleo de arnica normalmente incorporado. Produtos de pós epilação
  • 65.  CREME PÓS-DEPILAÇÃO  Composição: aloe vera, camomila, corticóides.  Quando a depilação for feita por ceras quentes, a camada protetora da cútis é retirada, deixando-a mais exposta e vulnerável. Para auxiliar na proteção usar filtro solar e evitar exposição ao sol para não manchar a pele. Produtos de pós epilação
  • 66.  ESPUMA PÓS-DEPILATÓRIA E EMULSÃO PÓS-DEPILATÓRIA  Loções oil free, gel ou mousse com substâncias hidratantes e calmantes.  Os prinicpais ativos são a ureia, o ácido lático, o óleo de rosa mosqueta, o aloe vera, o azuleno e o alfabisabolol. Produtos de pós epilação
  • 67.  AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO PÊLO  É um método baseado na inibição do crescimento das células germinativas do pêlo, sem afectar o resto das células que se encontram nos tecidos adjacentes.  Empregam-se compostos que se introduzem no fundo do folículo piloso uma vez terminada a depilação. Estes compostos inibem o crescimento de algumas células, que dariam lugar a um novo pêlo. Produtos de pós epilação
  • 68.  AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO PÊLO  Esta técnica é denominada de progressiva porque não destrói de uma só vez as células do pêlo, mas vai diminuindo a sua espessura com as sucessivas aplicações depilatórias.  Uma ampola é aplicada durante três dias a partir do dia em que se faz a depilação, porque só é eficaz a partir do momento em que o poro abre e até que fique novamente obstruído. Produtos de pós epilação
  • 69.  AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO PÊLO  Composição:  Enzimas vegetais, a sorbaína (Klorane).  Uréia – penetra até o ducto pilo-sebáceo, atinge as células germinativas da base do bulbo do pêlo ou nas células da papila e reduz o metabolismo, além de desnaturar as proteínas; ao reduzir a atividade da papila e das células germinativas da base do bulbo do pêlo o crescimento deste é reduzido. Produtos de pós epilação
  • 70.  AMPOLAS CORPORAIS DE RETARDAMENTO DO CRESCIMENTO DO PÊLO  Ácido salicílico e Extrato de Salix alba – possuem leve ação anti- séptica e queratolítica, auxiliando na desnaturação protéica.  Outros componentes como extrato de Hamamelis, Arnica, mentol, eucalipto e peptídeos da soja são combinados para reduzir os inconvenientes do pós-barbear e pós-depilatório. Produtos de pós epilação

Notas do Editor

  1. Humectante: n adiciona humidade à pele, mas ajuda a manter a humidade natural. Por exemplo, o óleo jonhson. Ajuda a evitar que a água da pele evapore.
  2. Permitem a adesividade e o aprisionamento do pêlo
  3. Para a fusão ocorrer a temperaturas mais baixas e tb para as tiras viscosas da cera quando aplicadas adquiram uma mior emoliência e não endureçam rapidamte, de modo a partirem por tracção.