SlideShare uma empresa Scribd logo
Transmissão da vida2009/20101Ciências Naturais 9º ano
2009/20102Ciências Naturais 9º ano
2009/20103Ciências Naturais 9º ano
2009/20104Ciências Naturais 9º ano
O que é a sexualidade? Acompanha o ser humano desde o nascimento até à morte e tem como objectivo fundamental a reprodução, mas não único.
 Depende da pessoa, das suas características genéticas, das interacções ambientais, condições socioculturais…
 As manifestações sexuais da criança são diferentes das do adolescente, do adulto e do Idoso.2009/20105Ciências Naturais 9º ano
2009/20106Ciências Naturais 9º ano
2009/20107Ciências Naturais 9º ano
2009/20108Ciências Naturais 9º ano
2009/20109Ciências Naturais 9º ano
2009/201010Ciências Naturais 9º ano
O que é a puberdade?Alterações físicas e psicológicas que acontecem na vida dos rapazes e raparigas, e que marcam o início de uma etapa muito importante: a adolescência. 2009/201011Ciências Naturais 9º ano
PuberdadeActividade nº 12009/201012Ciências Naturais 9º ano
Que transformações ocorrem na Puberdade?Recessão da linha dos cabelosAparecimento de pêlos faciaisAparecimento de Acne e pele gordurosaDesenvolvimento dos seiosAumento da laringe (voz mais grave)Aparecimento de pêlos nas axilasDesenvolvimento da musculaturaAumento do úteroAparecimento de pêlos púbicosInício da menstruaçãoContorno corporal arredondadoAumento do pénis, dos testículos, da próstata e das vesículas seminaisPrimeiras ejaculações - ejaculação nocturna2009/201013Ciências Naturais 9º ano
Caracteres sexuais primários: - Diferenças no sistema reprodutor (existem mesmo antes do nascimento, órgãos sexuais).Caracteres sexuais secundários: - Diferenças morfológicas visíveis a partir do início da adolescência (puberdade).2009/201014Ciências Naturais 9º ano
.O que são os sonhos molhados? Os Sonhos Molhados são todos os sonhos que representam uma situação sexual, mesmo que não seja uma relação sexual perfeitamente clara.
 O termo científico para sonho húmido/molhado é ejaculação nocturna. Húmido porque o esperma é um líquido viscoso e húmido, e sonho porque, muitas vezes, o rapaz está nessa altura, a ter um sonho relacionado com sexo e sexualidade, embora depois não se lembre.
 Estes sonhos são involuntários, como todos os sonhos; de frequência muito variável de pessoa para pessoa, acompanhados de excitação sexual de ejaculação e, por vezes, de orgasmo.2009/201015Ciências Naturais 9º ano
Todos os rapazes têm sonhos molhados? Sim. Na puberdade, a sexualidade manifesta-se de uma forma mais intensa e clara, é o tempo do surgimento dos caracteres sexuais secundários e da capacidade reprodutiva.
 Começa-se a estabelecer a ligação entre a sexualidade e a afectividade.
 Em alguns rapazes, a primeira ejaculação pode acontecer durante o sono; quando o rapaz está a ter um sonho agradável, excitante ou sensual pode ejacular algum esperma.
 Todavia, os rapazes que não estão preparados para esta situação, pensam que urinaram na cama ou que têm algum problema e ficam tão embaraçados que não falam a ninguém do que lhes aconteceu. E por isso levam tempo a descobrir que as ejaculações nocturnas são naturais.2009/201016Ciências Naturais 9º ano
Que transformações ocorrem na Puberdade? Síntese2009/201017Ciências Naturais 9º ano
Desenvolvimento da sexualidadeEtapas fisiológicas: Infância

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
veronicasilva
 
Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade
nandavcs
 
5 -adolescencia_e_puberdade
5  -adolescencia_e_puberdade5  -adolescencia_e_puberdade
5 -adolescencia_e_puberdade
Joana Cunha
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
David Alcantara
 
Adolescência e sexualidade
Adolescência e sexualidadeAdolescência e sexualidade
Adolescência e sexualidade
Bio Sem Limites
 
Reprodução 2013
Reprodução  2013Reprodução  2013
Reprodução 2013
Simone Maia
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
UFC
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
António Morais
 
Crescimento e mudanças no 8°a
Crescimento  e mudanças no                            8°aCrescimento  e mudanças no                            8°a
Crescimento e mudanças no 8°a
Rosário Souza
 
8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência
Giselle Marques Goes
 
Educação sexual e afectividade
Educação sexual e afectividadeEducação sexual e afectividade
Educação sexual e afectividade
Alfredo Figueiredo
 
A adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeA adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdade
Espaço Emrc
 
ADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPO
ADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPOADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPO
ADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPO
veronicasilva
 
Sexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescenciaSexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescencia
Sergio Cintra
 
O que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpoO que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpo
VaMartins
 
Adolescencia caracteres sexuais
Adolescencia caracteres sexuaisAdolescencia caracteres sexuais
Adolescencia caracteres sexuais
Joao Ferreira
 
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpoAdolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
lucols
 
Aula 8º ano - Sexualidade
Aula 8º ano - SexualidadeAula 8º ano - Sexualidade
Aula 8º ano - Sexualidade
Leonardo Kaplan
 

Mais procurados (18)

Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade
 
5 -adolescencia_e_puberdade
5  -adolescencia_e_puberdade5  -adolescencia_e_puberdade
5 -adolescencia_e_puberdade
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
Adolescência e sexualidade
Adolescência e sexualidadeAdolescência e sexualidade
Adolescência e sexualidade
 
Reprodução 2013
Reprodução  2013Reprodução  2013
Reprodução 2013
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Crescimento e mudanças no 8°a
Crescimento  e mudanças no                            8°aCrescimento  e mudanças no                            8°a
Crescimento e mudanças no 8°a
 
8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência
 
Educação sexual e afectividade
Educação sexual e afectividadeEducação sexual e afectividade
Educação sexual e afectividade
 
A adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdadeA adolescência e a puberdade
A adolescência e a puberdade
 
ADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPO
ADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPOADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPO
ADOLESCÊNCIA E AS TRANSFORMAÇÕES DO CORPO
 
Sexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescenciaSexualidade na adolescencia
Sexualidade na adolescencia
 
O que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpoO que acontece com o seu corpo
O que acontece com o seu corpo
 
Adolescencia caracteres sexuais
Adolescencia caracteres sexuaisAdolescencia caracteres sexuais
Adolescencia caracteres sexuais
 
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpoAdolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
Adolescência - Mudanças que ocorrem em nosso corpo
 
Aula 8º ano - Sexualidade
Aula 8º ano - SexualidadeAula 8º ano - Sexualidade
Aula 8º ano - Sexualidade
 

Destaque

TransmissãO Da Vida II
TransmissãO Da Vida  IITransmissãO Da Vida  II
TransmissãO Da Vida II
clvr
 
Transmissao vida reprodutor
Transmissao vida reprodutorTransmissao vida reprodutor
Transmissão da vida
Transmissão da vidaTransmissão da vida
Transmissão da vida
Tânia Reis
 
TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)
TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)
TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)
Nuno Correia
 
Transmissão da vida
Transmissão da vida Transmissão da vida
Transmissão da vida
Tânia Reis
 
Ciclo sexual
Ciclo sexualCiclo sexual
Ciclo sexual
Tânia Reis
 
(2) ciências naturais 9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas
(2) ciências naturais    9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas(2) ciências naturais    9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas
(2) ciências naturais 9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas
Hugo Martins
 

Destaque (7)

TransmissãO Da Vida II
TransmissãO Da Vida  IITransmissãO Da Vida  II
TransmissãO Da Vida II
 
Transmissao vida reprodutor
Transmissao vida reprodutorTransmissao vida reprodutor
Transmissao vida reprodutor
 
Transmissão da vida
Transmissão da vidaTransmissão da vida
Transmissão da vida
 
TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)
TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)
TransmissãO Da Vida (O Que SãO GâMetas)
 
Transmissão da vida
Transmissão da vida Transmissão da vida
Transmissão da vida
 
Ciclo sexual
Ciclo sexualCiclo sexual
Ciclo sexual
 
(2) ciências naturais 9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas
(2) ciências naturais    9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas(2) ciências naturais    9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas
(2) ciências naturais 9º ano - transmissão da vida - bases morfológicas
 

Semelhante a Transmissão da Vida - Parte I

Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02
Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02
Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02
Pelo Siro
 
42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p
42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p
42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p
JlioCsar374
 
Gravidez_Adolescência.pdf
Gravidez_Adolescência.pdfGravidez_Adolescência.pdf
Gravidez_Adolescência.pdf
Cremilton Santana
 
Trabalho portugues
Trabalho portuguesTrabalho portugues
Trabalho portugues
Fabio Farias
 
Reprodução 1
Reprodução 1Reprodução 1
Reprodução 1
Tânia Reis
 
A adolescencia
A adolescenciaA adolescencia
A adolescencia
gustavo antunes
 
Caracteres Sexuais
Caracteres SexuaisCaracteres Sexuais
Caracteres Sexuais
Pratica Matemática
 
Caracteres Sexuais
Caracteres SexuaisCaracteres Sexuais
Caracteres Sexuais
Pratica Matemática
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
eversonluz
 
Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...
Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...
Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...
Van Der Häägen Brazil
 
Caracteres sexuais
Caracteres sexuaisCaracteres sexuais
Caracteres sexuais
Pratica Matemática
 
Palestra 1 slideshare
Palestra 1   slidesharePalestra 1   slideshare
Palestra 1 slideshare
Atlética Medicina Unipam
 
A adolescencia
A adolescenciaA adolescencia
A adolescencia
gustavo antunes
 
ADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptx
ADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptxADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptx
ADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptx
kamillanascimentolim2
 
02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa
Carla Gomes
 
02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa
Carla Gomes
 
02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa
Carla Gomes
 
02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa
Carla Gomes
 
David ptie
David ptieDavid ptie
David ptie
joaofranco1994
 
Afinal O Que Se Passa Comigo I
Afinal O Que Se Passa Comigo IAfinal O Que Se Passa Comigo I
Afinal O Que Se Passa Comigo I
Nelson Ramalhoto
 

Semelhante a Transmissão da Vida - Parte I (20)

Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02
Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02
Transmissodavida 1-091111102803-phpapp02
 
42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p
42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p
42586_14c3e97323306f3620b21286f2b5287c.p
 
Gravidez_Adolescência.pdf
Gravidez_Adolescência.pdfGravidez_Adolescência.pdf
Gravidez_Adolescência.pdf
 
Trabalho portugues
Trabalho portuguesTrabalho portugues
Trabalho portugues
 
Reprodução 1
Reprodução 1Reprodução 1
Reprodução 1
 
A adolescencia
A adolescenciaA adolescencia
A adolescencia
 
Caracteres Sexuais
Caracteres SexuaisCaracteres Sexuais
Caracteres Sexuais
 
Caracteres Sexuais
Caracteres SexuaisCaracteres Sexuais
Caracteres Sexuais
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
 
Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...
Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...
Determinantes do Crescer e Maturação Crianças,Infantil,Juvenil e Subst. Metab...
 
Caracteres sexuais
Caracteres sexuaisCaracteres sexuais
Caracteres sexuais
 
Palestra 1 slideshare
Palestra 1   slidesharePalestra 1   slideshare
Palestra 1 slideshare
 
A adolescencia
A adolescenciaA adolescencia
A adolescencia
 
ADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptx
ADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptxADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptx
ADOLESCÊNCIA, PUBERDADE E SISTEMA ENDÓCRINO.pptx
 
02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa
 
02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa02 repro6 dtema2grupoa
02 repro6 dtema2grupoa
 
02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa
 
02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa02 tema 2 grupoa
02 tema 2 grupoa
 
David ptie
David ptieDavid ptie
David ptie
 
Afinal O Que Se Passa Comigo I
Afinal O Que Se Passa Comigo IAfinal O Que Se Passa Comigo I
Afinal O Que Se Passa Comigo I
 

Mais de clvr

Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
clvr
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
clvr
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
clvr
 
Parte I - sistema circulatório
Parte I -   sistema circulatórioParte I -   sistema circulatório
Parte I - sistema circulatório
clvr
 
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonalFicha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
clvr
 
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonalFicha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
clvr
 
Sistema Neuro Hormonal
Sistema Neuro HormonalSistema Neuro Hormonal
Sistema Neuro Hormonal
clvr
 
2 Nocoes Basicas De Hereditariedade
2   Nocoes Basicas De Hereditariedade2   Nocoes Basicas De Hereditariedade
2 Nocoes Basicas De Hereditariedade
clvr
 
Ficha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãO
Ficha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãOFicha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãO
Ficha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãO
clvr
 
1 Nocoes Basicas De Hereditariedade
1   Nocoes Basicas De Hereditariedade1   Nocoes Basicas De Hereditariedade
1 Nocoes Basicas De Hereditariedade
clvr
 
Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010
Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010
Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010
clvr
 
ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009
ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009
ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009
clvr
 
TransmissãO Da Vida 1
TransmissãO Da Vida  1TransmissãO Da Vida  1
TransmissãO Da Vida 1
clvr
 
Mitos Sobre Reprodução e Sexualidade
Mitos Sobre Reprodução e SexualidadeMitos Sobre Reprodução e Sexualidade
Mitos Sobre Reprodução e Sexualidade
clvr
 

Mais de clvr (14)

Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Parte I - sistema circulatório
Parte I -   sistema circulatórioParte I -   sistema circulatório
Parte I - sistema circulatório
 
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonalFicha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
 
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonalFicha trabalho sistema neuro hormonal
Ficha trabalho sistema neuro hormonal
 
Sistema Neuro Hormonal
Sistema Neuro HormonalSistema Neuro Hormonal
Sistema Neuro Hormonal
 
2 Nocoes Basicas De Hereditariedade
2   Nocoes Basicas De Hereditariedade2   Nocoes Basicas De Hereditariedade
2 Nocoes Basicas De Hereditariedade
 
Ficha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãO
Ficha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãOFicha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãO
Ficha Trabalho Nº1 NoçõEs BáSicas De Hereditariedade IntroduçãO
 
1 Nocoes Basicas De Hereditariedade
1   Nocoes Basicas De Hereditariedade1   Nocoes Basicas De Hereditariedade
1 Nocoes Basicas De Hereditariedade
 
Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010
Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010
Xv Olimpiadas Ambiente 2009 2010
 
ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009
ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009
ApresentaçãO Da Apa Dgs No Ii Forum De SaúDe 2009
 
TransmissãO Da Vida 1
TransmissãO Da Vida  1TransmissãO Da Vida  1
TransmissãO Da Vida 1
 
Mitos Sobre Reprodução e Sexualidade
Mitos Sobre Reprodução e SexualidadeMitos Sobre Reprodução e Sexualidade
Mitos Sobre Reprodução e Sexualidade
 

Último

O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 

Último (20)

O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 

Transmissão da Vida - Parte I

  • 5. O que é a sexualidade? Acompanha o ser humano desde o nascimento até à morte e tem como objectivo fundamental a reprodução, mas não único.
  • 6. Depende da pessoa, das suas características genéticas, das interacções ambientais, condições socioculturais…
  • 7. As manifestações sexuais da criança são diferentes das do adolescente, do adulto e do Idoso.2009/20105Ciências Naturais 9º ano
  • 13. O que é a puberdade?Alterações físicas e psicológicas que acontecem na vida dos rapazes e raparigas, e que marcam o início de uma etapa muito importante: a adolescência. 2009/201011Ciências Naturais 9º ano
  • 15. Que transformações ocorrem na Puberdade?Recessão da linha dos cabelosAparecimento de pêlos faciaisAparecimento de Acne e pele gordurosaDesenvolvimento dos seiosAumento da laringe (voz mais grave)Aparecimento de pêlos nas axilasDesenvolvimento da musculaturaAumento do úteroAparecimento de pêlos púbicosInício da menstruaçãoContorno corporal arredondadoAumento do pénis, dos testículos, da próstata e das vesículas seminaisPrimeiras ejaculações - ejaculação nocturna2009/201013Ciências Naturais 9º ano
  • 16. Caracteres sexuais primários: - Diferenças no sistema reprodutor (existem mesmo antes do nascimento, órgãos sexuais).Caracteres sexuais secundários: - Diferenças morfológicas visíveis a partir do início da adolescência (puberdade).2009/201014Ciências Naturais 9º ano
  • 17. .O que são os sonhos molhados? Os Sonhos Molhados são todos os sonhos que representam uma situação sexual, mesmo que não seja uma relação sexual perfeitamente clara.
  • 18. O termo científico para sonho húmido/molhado é ejaculação nocturna. Húmido porque o esperma é um líquido viscoso e húmido, e sonho porque, muitas vezes, o rapaz está nessa altura, a ter um sonho relacionado com sexo e sexualidade, embora depois não se lembre.
  • 19. Estes sonhos são involuntários, como todos os sonhos; de frequência muito variável de pessoa para pessoa, acompanhados de excitação sexual de ejaculação e, por vezes, de orgasmo.2009/201015Ciências Naturais 9º ano
  • 20. Todos os rapazes têm sonhos molhados? Sim. Na puberdade, a sexualidade manifesta-se de uma forma mais intensa e clara, é o tempo do surgimento dos caracteres sexuais secundários e da capacidade reprodutiva.
  • 21. Começa-se a estabelecer a ligação entre a sexualidade e a afectividade.
  • 22. Em alguns rapazes, a primeira ejaculação pode acontecer durante o sono; quando o rapaz está a ter um sonho agradável, excitante ou sensual pode ejacular algum esperma.
  • 23. Todavia, os rapazes que não estão preparados para esta situação, pensam que urinaram na cama ou que têm algum problema e ficam tão embaraçados que não falam a ninguém do que lhes aconteceu. E por isso levam tempo a descobrir que as ejaculações nocturnas são naturais.2009/201016Ciências Naturais 9º ano
  • 24. Que transformações ocorrem na Puberdade? Síntese2009/201017Ciências Naturais 9º ano
  • 25. Desenvolvimento da sexualidadeEtapas fisiológicas: Infância
  • 27. Desenvolvimento de caracteres sexuais secundários
  • 28. Conquista da autonomia
  • 29. Construção da identidade
  • 30. Definição da orientação sexual
  • 31. Elaboração de projectos de vida
  • 34. QUANDO SE INICIA A PUBERDADE?Como sabemos se os nossos órgãos reprodutores entraram em funcionamento?2009/201019Ciências Naturais 9º ano
  • 35. QUANDO SE INICIA A PUBERDADE?Entre os 10 e os 20 anos de idade, as crianças sofrem alterações rápidas no tamanho, forma e fisiologia do corpo e na função psicológica e social.A idade de início da puberdade varia de adolescente para adolescente, sendo influenciada por factores genéticos e ambientais, entre vários outros. Os estudos indicam que o início da puberdade tem vindo a registar-se cada vez mais cedo, ao longo do último século, sendo um reflexo das melhorias registadas ao nível da nutrição e da saúde em geral.2009/201020Ciências Naturais 9º ano
  • 36. CuriosidadeNo caso das bailarinas, ginastas, corredoras e outras atletas em que a magreza e a actividade física extrema coexistem desde o início da infância, verifica-se frequentemente um atraso no início da puberdade e da primeira menstruação.2009/201021Ciências Naturais 9º ano
  • 37. Nas meninas, a formação do botão mamário geralmente é o primeiro sinal de puberdade (8-13 anos), seguido, cerca de 6 a 12 meses depois, pelo aparecimento de pêlos púbicos. O intervalo até à menarca costuma ser de 2 a 2,5 anos, mas pode atingir um intervalo de 6 anos. A velocidade máxima do desenvolvimento da estatura ocorre geralmente cedo, entre os 11 e os 12 anos, e antes do aparecimento da menarca. Hoje em dia, a idade média para o aparecimento da menarca é de 12,7 anos, mas esta idade já foi bem mais elevada. Há estudos que indicam que nos países ocidentais europeus a idade da menarca desceu, em média, 2 a 3 meses por década nos últimos 150 anos - ou seja, cerca de 2,5 a 4 anos. Outros estudos demonstram que a idade da menarca continua a descer em algumas regiões, sendo este decréscimo atribuído à melhoria das condições socioeconómicas e ao aumento da obesidade.2009/201022Ciências Naturais 9º ano
  • 38. Nos meninos, o crescimento dos testículos e o adelgaçamento do escroto (pele que envolve os testículos) são os primeiros sinais da puberdade, registando-se por volta dos 9,5 anos. São seguidos de uma pigmentação do escroto, o crescimento do pénis e, posteriormente, o aparecimento dos pêlos púbicos. Nos meninos, ao contrário das meninas, a aceleração do crescimento começa já quando a puberdade está bem encaminhada, atingindo o seu máximo, geralmente, entre os 13 e os 14 anos. O surto de crescimento ocorre cerca de dois anos mais tarde do que nas meninas e o crescimento pode continuar mesmo depois dos 18 anos.2009/201023Ciências Naturais 9º ano
  • 39. Como sabemos se os nossos órgãos reprodutores entraram em funcionamento?Surge a 1ª menstruação ou menarcaRaparigas Iniciam a produção e libertação de esperma, inconsciente durante a noite – poluçõesnocturnas - ou através da masturbaçãoRapazes2009/201024Ciências Naturais 9º ano
  • 40. A puberdade e a adolescência são fases de transição em que os jovens passam rapidamente da infância para um estado de maior maturidade, preparando o corpo para a reprodução. Esta fase caracteriza-se por importantes mudanças a nível físico e psicológico. As responsáveis por estas alterações são as hormonas, que também são responsáveis pelo desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários.2009/201025Ciências Naturais 9º ano