SlideShare uma empresa Scribd logo
CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX-UNIFACEX
UP: HISTÓRIA E PROCESSO DE TRABALHO
EM SAÚDE
DOCENTE: CLAÚDIA CRISTIANE

TEMA: EDUCAÇÃO E IDEOLOGIA DA
ENFERMAGEM NO BRASIL

DISCENTES: Simara, Jakeline, Jeane, Mº
Piedade, Irlânia, Catia, Humberto, Rutnea, Monnara
, Valmizia, Lidiane
PROCESSO DE TRABALHO
A transformação de um objeto determinado em um
produto determinado, por meio da intervenção do ser
humano que, para fazê-lo, emprega instrumentos.
Objeto: é aquilo sobre o que se trabalha, ou seja, algo que
provem diretamente da natureza, que sofreu ou não
modificação decorrente de outros processos de trabalho.
Agente: seres humanos que transformam a natureza, ou
seja, são aqueles que, tomando o objeto de trabalho e nele
fazendo intervenções, são capazes de alterálo, produzindo um artefato ou um serviço.
Instrumentos: são os prolongamentos das próprias
mãos, materiais, conhecimentos, habilidades, equipament
os.
PROCESSO DE TRABALHO
 Finalidade: é a razão pela qual ele é feito. Ela vai ao
encontro da necessidade que o fez acontecer e que dá
significado à sua existência.
 Métodos de Trabalho: ações organizadas de maneira
a atender à finalidade, executadas pelos agentes sobre
os objetos de trabalho empregando instrumentos
selecionados, de forma a produzir o bem ou serviço
que se deseja obter.
 Produtos: elementos materiais que se pode apreciar
com os órgãos dos sentidos, ou serviços, que não têm a
concretude de um bem, mas são percebidos pelo efeito
que causam.
PROCESSO DE TRABALHO
Na Enfermagem também há mais de um processo de
trabalho, que pode ou não ser executado concomitantemente que
são eles:
 Assistir: objeto o cuidado demandado por
indivíduos, famílias, grupos sociais, comunidades, Coletividades.
 Administrar: objeto os agentes do cuidado e os recursos
empregados no assistir em enfermagem.

 Ensinar: indivíduos que querem se tornar profissionais de
enfermagem ou querem continuar a se desenvolver
profissionalmente.
 Pesquisar: atua com a finalidade de descobrir novas e melhores
formas de assistir, administrar, ensinar e pesquisar em
enfermagem.
 Participar Politicamente: tem a finalidade de conquistar
melhores condições para operar os outros processos de trabalho.
ENTREVISTA COM ENFERMEIRO
DOCENTE
O que compreende como processo de
trabalho do enfermeiro (a)?
É todo desenvolvimento, toda a demanda de trabalho
que ele tem, ter uma compreensão de um mundo
maior, existe uma confusão entre processo de trabalho
do enfermeiro e processo de trabalho de enfermagem.
O processo de trabalho de enfermagem está apenas
dentro do processo do trabalho de assistir, intervir.
Todo
enfermeiro
é
pesquisador, gerente, ensina, educador por natureza e
assistente em toda dimensão dessa pluralidade que
envolve a enfermagem.
Como é você orienta o processo de trabalho
enfermeiro na sua prática como docente ou
seja, na sua disciplina?
De forma integrada. Porque há uma tendência de separar, o
enfermeiro gerente é aquele que coordena, o assistente está
só na assistência, o educador é aquele que está dentro dos
âmbitos institucionais das universidades ou cursos
técnicos, o enfermeiro pesquisador está mais dentro das
universidades.
Sempre procuro procuro fazer com que meus alunos
compreenda que irá precisar desenvolver no mínimo 2 ou
3 processos de trabalho, sei que o mais difícil deles é o
pesquisar, pois não há fomentos para pesquisa. Mas a todo
momento gerencio. Vou gerenciar um cuidado, se estou na
assistência estou gerenciando uma equipe técnica,
gerencio o cuidado e ao mesmo tempo presto assistência
sem fugir do processo ensinar aprender.
Como você avalia a relação
professor/aluno?

Muito boa. Sempre digo que em minha vida tenho
processos
de
relação,
com
minha
esposa, mãe, família e quanto a relação com os
alunos, sou muito franco pois as vezes precisasse de
uma “discursão” para que chegue-se a um consenso
e siga na mesma trilha para chegar em um foco.
É possível ser um enfermeiro educador
também na prática diária dos serviços de
saúde? Como?
Sim. Perfeitamente .
Por exemplo de uma prática que vi no Paraná. Uma
enfermeira que estava em uma UTI e percebeu que
havia 36% de úlceras por pressão e a mesma começou
a estudar sobre isso. O motivo de tanta infecção e tanta
úlcera, comprovou que a visão humana é reta, com um
projeto simples de educação com os profissionais e
pesquisa, quando ela mostrou que ao invés que se
fizesse uma banca só como era circular 3 bancas
voltadas para 4 leitos. Ela conseguiu reduzir a 0,3%.
Não foi um milagre, mas uma observação simples e
isso está no nosso cotidiano. É dever do enfermeiro
fazer um processo de educação contínua no serviço.
Estudamos historia e processo para compreender
como a enfermagem está hoje, que histórico ela
percorreu para estar onde está. Estudamos gerencia
pois em gerencia estudamos instrumentos para
planejamento, diagnóstico situacional , sala de
situação que vai ajudar a instrumentalizar essa parte
mais pedagógica, que é a forma de instruir os
técnicos de enfermagem.
Trabalhar em equipe, procurar chamar os
técnicos, fisioterapeuta para um sistema de
humanização e sensibilização, conversar em equipe
são uma das questões que precisamos nos desafiar.
Desafio: educação e saúde.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEMHUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
Gabriela Montargil
 
Profae apostila 2 ( estudos regionais higiene e profilaxia e nutrição e diet...
Profae apostila 2 ( estudos regionais  higiene e profilaxia e nutrição e diet...Profae apostila 2 ( estudos regionais  higiene e profilaxia e nutrição e diet...
Profae apostila 2 ( estudos regionais higiene e profilaxia e nutrição e diet...
Adriana Silva
 
Gestão Pública e Administração de serviços de saúde
Gestão Pública e Administração de serviços de saúdeGestão Pública e Administração de serviços de saúde
Gestão Pública e Administração de serviços de saúde
angelalessadeandrade
 
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomiasDiagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
resenfe2013
 
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisãoGerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Aroldo Gavioli
 
A humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarA humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalar
Eugenio Rocha
 
HumanizaSUS
HumanizaSUSHumanizaSUS
HumanizaSUS
Lene So
 
Estudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaEstudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - Histerectomia
Caroline Lopes
 
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagemAplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
suerlilton
 
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagemGerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Aroldo Gavioli
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Charles Lima
 
Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012
Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012
Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012
Beto Guimas
 
Sae
SaeSae
Apostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagemApostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagem
EDSON OLIVEIRA
 
Aplicação do Modelo de Melhoria na Área da Saúde
Aplicação do Modelo de Melhoria na Área da SaúdeAplicação do Modelo de Melhoria na Área da Saúde
Aplicação do Modelo de Melhoria na Área da Saúde
Virgilio Marques dos Santos, Dr.
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
Viviane Campos
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
resenfe2013
 
Gerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanente
Gerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanenteGerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanente
Gerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanente
Aroldo Gavioli
 
Organograma departamentalizado do Hospital
Organograma departamentalizado do HospitalOrganograma departamentalizado do Hospital
Organograma departamentalizado do Hospital
Alberto N. Vargas Callejas
 
Qualidade e Avaliação dos Serviços de Saúde
Qualidade e  Avaliação dos Serviços de SaúdeQualidade e  Avaliação dos Serviços de Saúde
Qualidade e Avaliação dos Serviços de Saúde
Osmarino Gomes Pereira
 

Mais procurados (20)

HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEMHUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
HUMANIZAÇÃO NO ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA: A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM
 
Profae apostila 2 ( estudos regionais higiene e profilaxia e nutrição e diet...
Profae apostila 2 ( estudos regionais  higiene e profilaxia e nutrição e diet...Profae apostila 2 ( estudos regionais  higiene e profilaxia e nutrição e diet...
Profae apostila 2 ( estudos regionais higiene e profilaxia e nutrição e diet...
 
Gestão Pública e Administração de serviços de saúde
Gestão Pública e Administração de serviços de saúdeGestão Pública e Administração de serviços de saúde
Gestão Pública e Administração de serviços de saúde
 
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomiasDiagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
Diagnóstico de Enfermagem: uso das taxonomias
 
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisãoGerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
 
A humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalarA humanização do ambiente hospitalar
A humanização do ambiente hospitalar
 
HumanizaSUS
HumanizaSUSHumanizaSUS
HumanizaSUS
 
Estudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - HisterectomiaEstudo de Caso - Histerectomia
Estudo de Caso - Histerectomia
 
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagemAplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
Aplicação conceitual da teoria da burocracia na área de enfermagem
 
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagemGerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
 
Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012
Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012
Apresentação de Camila Duarte no Enf Home Care Rio 2012
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Apostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagemApostila técnicas básicas de enfermagem
Apostila técnicas básicas de enfermagem
 
Aplicação do Modelo de Melhoria na Área da Saúde
Aplicação do Modelo de Melhoria na Área da SaúdeAplicação do Modelo de Melhoria na Área da Saúde
Aplicação do Modelo de Melhoria na Área da Saúde
 
Calculo de medicamentos
Calculo de medicamentosCalculo de medicamentos
Calculo de medicamentos
 
Avaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de EnfermagemAvaliação e o processo de Enfermagem
Avaliação e o processo de Enfermagem
 
Gerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanente
Gerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanenteGerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanente
Gerenciamento de enfermagem: educação continuada/permanente
 
Organograma departamentalizado do Hospital
Organograma departamentalizado do HospitalOrganograma departamentalizado do Hospital
Organograma departamentalizado do Hospital
 
Qualidade e Avaliação dos Serviços de Saúde
Qualidade e  Avaliação dos Serviços de SaúdeQualidade e  Avaliação dos Serviços de Saúde
Qualidade e Avaliação dos Serviços de Saúde
 

Semelhante a Trabalho historia e processo

Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais
Dessa Reis
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
Ylla Cohim
 
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidadoComunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Gabriela Montargil
 
Educação permanente como dispositivo de mudanca em saude
Educação permanente como  dispositivo de mudanca em saudeEducação permanente como  dispositivo de mudanca em saude
Educação permanente como dispositivo de mudanca em saude
Joana Coutinho
 
ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC
ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC
ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...
Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...
Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...
fatimauricio
 
Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)
Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)
Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)
Elaine Sobral
 
Relatório "Nunca é Tarde Demais"
Relatório "Nunca é Tarde Demais"Relatório "Nunca é Tarde Demais"
Relatório "Nunca é Tarde Demais"
BetaBetuxa
 
54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical
54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical
54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical
atsileg
 
Apresentação pet pisc
Apresentação pet piscApresentação pet pisc
Apresentação pet pisc
PET Biologia unipampa
 
A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...
A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...
A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...
Eli Paula
 
Análise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e parto
Análise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e partoAnálise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e parto
Análise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e parto
Klaus Kouski
 
Ensino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdf
Ensino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdfEnsino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdf
Ensino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdf
FbioMoraes47
 
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva? Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Pt 13
Pt 13Pt 13
Nir
NirNir
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Luciane Santana
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
bancodeleite
 
Dra. isabel iii simposio samaritano 2012
Dra. isabel iii simposio samaritano 2012Dra. isabel iii simposio samaritano 2012
Dra. isabel iii simposio samaritano 2012
Anais III Simpie
 
Educação permanente e a aprendizagem significativa
Educação permanente e a aprendizagem significativaEducação permanente e a aprendizagem significativa
Educação permanente e a aprendizagem significativa
Monica Oscalices
 

Semelhante a Trabalho historia e processo (20)

Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais Relatório final praticas assistenciais
Relatório final praticas assistenciais
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidadoComunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
 
Educação permanente como dispositivo de mudanca em saude
Educação permanente como  dispositivo de mudanca em saudeEducação permanente como  dispositivo de mudanca em saude
Educação permanente como dispositivo de mudanca em saude
 
ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC
ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC
ALEITAMENTO MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA / TCC
 
Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...
Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...
Cuidados de higiene_banho_significados_nos_cuidados_de_enfermagem._perspetiva...
 
Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)
Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)
Dr sonia maria_alves_de_paiva (1)
 
Relatório "Nunca é Tarde Demais"
Relatório "Nunca é Tarde Demais"Relatório "Nunca é Tarde Demais"
Relatório "Nunca é Tarde Demais"
 
54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical
54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical
54945632 cuidados-com-o-coto-umbilical
 
Apresentação pet pisc
Apresentação pet piscApresentação pet pisc
Apresentação pet pisc
 
A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...
A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...
A prática clínica do enfermeiro na atenção básica um processo em construção u...
 
Análise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e parto
Análise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e partoAnálise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e parto
Análise de efetividade das ações educativas sobre trabalho de parto e parto
 
Ensino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdf
Ensino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdfEnsino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdf
Ensino de Habilidades Básicas para Pessoas com Autismo.pdf
 
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva? Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
Aconselhamento em Amamentação: prática efetiva?
 
Pt 13
Pt 13Pt 13
Pt 13
 
Nir
NirNir
Nir
 
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015Visita técnica hospitalar 17 11-2015
Visita técnica hospitalar 17 11-2015
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
 
Dra. isabel iii simposio samaritano 2012
Dra. isabel iii simposio samaritano 2012Dra. isabel iii simposio samaritano 2012
Dra. isabel iii simposio samaritano 2012
 
Educação permanente e a aprendizagem significativa
Educação permanente e a aprendizagem significativaEducação permanente e a aprendizagem significativa
Educação permanente e a aprendizagem significativa
 

Mais de jeane xavier da costa

Drogas x gravidez
Drogas x gravidezDrogas x gravidez
Drogas x gravidez
jeane xavier da costa
 
Relatório estudo de caso drogas na gravidez
Relatório estudo de caso drogas na gravidezRelatório estudo de caso drogas na gravidez
Relatório estudo de caso drogas na gravidez
jeane xavier da costa
 
Drogas x gravidez
Drogas x gravidezDrogas x gravidez
Drogas x gravidez
jeane xavier da costa
 
Estágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEX
Estágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEXEstágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEX
Estágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEX
jeane xavier da costa
 
Dengue manual enfermagem-JEANE-XAVIER
Dengue manual enfermagem-JEANE-XAVIERDengue manual enfermagem-JEANE-XAVIER
Dengue manual enfermagem-JEANE-XAVIER
jeane xavier da costa
 
Dengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIER
Dengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIERDengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIER
Dengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIER
jeane xavier da costa
 
A enfermagem
A enfermagemA enfermagem
A enfermagem
jeane xavier da costa
 
Estudo caso_criança_nutricional
Estudo caso_criança_nutricionalEstudo caso_criança_nutricional
Estudo caso_criança_nutricional
jeane xavier da costa
 

Mais de jeane xavier da costa (8)

Drogas x gravidez
Drogas x gravidezDrogas x gravidez
Drogas x gravidez
 
Relatório estudo de caso drogas na gravidez
Relatório estudo de caso drogas na gravidezRelatório estudo de caso drogas na gravidez
Relatório estudo de caso drogas na gravidez
 
Drogas x gravidez
Drogas x gravidezDrogas x gravidez
Drogas x gravidez
 
Estágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEX
Estágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEXEstágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEX
Estágio-semiologia-supervisionado-UNIFACEX
 
Dengue manual enfermagem-JEANE-XAVIER
Dengue manual enfermagem-JEANE-XAVIERDengue manual enfermagem-JEANE-XAVIER
Dengue manual enfermagem-JEANE-XAVIER
 
Dengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIER
Dengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIERDengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIER
Dengue manejo clinico_2013_JEANEXAVIER
 
A enfermagem
A enfermagemA enfermagem
A enfermagem
 
Estudo caso_criança_nutricional
Estudo caso_criança_nutricionalEstudo caso_criança_nutricional
Estudo caso_criança_nutricional
 

Trabalho historia e processo

  • 1. CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX-UNIFACEX UP: HISTÓRIA E PROCESSO DE TRABALHO EM SAÚDE DOCENTE: CLAÚDIA CRISTIANE TEMA: EDUCAÇÃO E IDEOLOGIA DA ENFERMAGEM NO BRASIL DISCENTES: Simara, Jakeline, Jeane, Mº Piedade, Irlânia, Catia, Humberto, Rutnea, Monnara , Valmizia, Lidiane
  • 2. PROCESSO DE TRABALHO A transformação de um objeto determinado em um produto determinado, por meio da intervenção do ser humano que, para fazê-lo, emprega instrumentos. Objeto: é aquilo sobre o que se trabalha, ou seja, algo que provem diretamente da natureza, que sofreu ou não modificação decorrente de outros processos de trabalho. Agente: seres humanos que transformam a natureza, ou seja, são aqueles que, tomando o objeto de trabalho e nele fazendo intervenções, são capazes de alterálo, produzindo um artefato ou um serviço. Instrumentos: são os prolongamentos das próprias mãos, materiais, conhecimentos, habilidades, equipament os.
  • 3. PROCESSO DE TRABALHO  Finalidade: é a razão pela qual ele é feito. Ela vai ao encontro da necessidade que o fez acontecer e que dá significado à sua existência.  Métodos de Trabalho: ações organizadas de maneira a atender à finalidade, executadas pelos agentes sobre os objetos de trabalho empregando instrumentos selecionados, de forma a produzir o bem ou serviço que se deseja obter.  Produtos: elementos materiais que se pode apreciar com os órgãos dos sentidos, ou serviços, que não têm a concretude de um bem, mas são percebidos pelo efeito que causam.
  • 4. PROCESSO DE TRABALHO Na Enfermagem também há mais de um processo de trabalho, que pode ou não ser executado concomitantemente que são eles:  Assistir: objeto o cuidado demandado por indivíduos, famílias, grupos sociais, comunidades, Coletividades.  Administrar: objeto os agentes do cuidado e os recursos empregados no assistir em enfermagem.  Ensinar: indivíduos que querem se tornar profissionais de enfermagem ou querem continuar a se desenvolver profissionalmente.  Pesquisar: atua com a finalidade de descobrir novas e melhores formas de assistir, administrar, ensinar e pesquisar em enfermagem.  Participar Politicamente: tem a finalidade de conquistar melhores condições para operar os outros processos de trabalho.
  • 6. O que compreende como processo de trabalho do enfermeiro (a)? É todo desenvolvimento, toda a demanda de trabalho que ele tem, ter uma compreensão de um mundo maior, existe uma confusão entre processo de trabalho do enfermeiro e processo de trabalho de enfermagem. O processo de trabalho de enfermagem está apenas dentro do processo do trabalho de assistir, intervir. Todo enfermeiro é pesquisador, gerente, ensina, educador por natureza e assistente em toda dimensão dessa pluralidade que envolve a enfermagem.
  • 7. Como é você orienta o processo de trabalho enfermeiro na sua prática como docente ou seja, na sua disciplina? De forma integrada. Porque há uma tendência de separar, o enfermeiro gerente é aquele que coordena, o assistente está só na assistência, o educador é aquele que está dentro dos âmbitos institucionais das universidades ou cursos técnicos, o enfermeiro pesquisador está mais dentro das universidades. Sempre procuro procuro fazer com que meus alunos compreenda que irá precisar desenvolver no mínimo 2 ou 3 processos de trabalho, sei que o mais difícil deles é o pesquisar, pois não há fomentos para pesquisa. Mas a todo momento gerencio. Vou gerenciar um cuidado, se estou na assistência estou gerenciando uma equipe técnica, gerencio o cuidado e ao mesmo tempo presto assistência sem fugir do processo ensinar aprender.
  • 8. Como você avalia a relação professor/aluno? Muito boa. Sempre digo que em minha vida tenho processos de relação, com minha esposa, mãe, família e quanto a relação com os alunos, sou muito franco pois as vezes precisasse de uma “discursão” para que chegue-se a um consenso e siga na mesma trilha para chegar em um foco.
  • 9. É possível ser um enfermeiro educador também na prática diária dos serviços de saúde? Como? Sim. Perfeitamente . Por exemplo de uma prática que vi no Paraná. Uma enfermeira que estava em uma UTI e percebeu que havia 36% de úlceras por pressão e a mesma começou a estudar sobre isso. O motivo de tanta infecção e tanta úlcera, comprovou que a visão humana é reta, com um projeto simples de educação com os profissionais e pesquisa, quando ela mostrou que ao invés que se fizesse uma banca só como era circular 3 bancas voltadas para 4 leitos. Ela conseguiu reduzir a 0,3%. Não foi um milagre, mas uma observação simples e isso está no nosso cotidiano. É dever do enfermeiro fazer um processo de educação contínua no serviço.
  • 10. Estudamos historia e processo para compreender como a enfermagem está hoje, que histórico ela percorreu para estar onde está. Estudamos gerencia pois em gerencia estudamos instrumentos para planejamento, diagnóstico situacional , sala de situação que vai ajudar a instrumentalizar essa parte mais pedagógica, que é a forma de instruir os técnicos de enfermagem. Trabalhar em equipe, procurar chamar os técnicos, fisioterapeuta para um sistema de humanização e sensibilização, conversar em equipe são uma das questões que precisamos nos desafiar. Desafio: educação e saúde.