SlideShare uma empresa Scribd logo
AVMFACULDADEINTEGRADA
ANDRÉ SADAO MORAES ARIMURA
A ABRANGÊNCIA DOS CRITÉRIOS E FUNDAMENTOS DO MEG
NO DIAGNÓSTICO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO NO PRÊMIO
MPE BRASIL.
SERRA
2014
ANDRÉ SADAO MORAES ARIMURA
A ABRANGÊNCIA DOS CRITÉRIOS E FUNDAMENTOS DO MEG
NO DIAGNÓSTICO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO NO PRÊMIO
MPE BRASIL.
Trabalho de conclusão de curso apresentado
ao curso de MBA em Gestão de Excelência
utilizando Critérios da FNQ, da AVM Faculdade
Integrada, como requisito parcial para obtenção
do título de Master in Business Administration
(Mestre em Administração de Negócios) sob
orientação do Prof. César Augusto Leitão.
SERRA
2014
ANDRÉ SADAO MORAES ARIMURA
A ABRANGÊNCIA DOS CRITÉRIOS E FUNDAMENTOS DO MEG NO
DIAGNÓSTICO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO NO PRÊMIO MPE BRASIL.
Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso de MBA em Gestão de
Exclência utilizando Critérios da FNQ, da AVM Faculdade Integrada, como
requisito parcial para obtenção do título de Master in Business Administration.
Orientador: Prof. (Título?). César Augusto Leitão
Aprovada em .......... / ........... / ..............
-
_______________________________________________________________
____
Prof. Examinador: César Augusto Leitão
RESUMO
O presente trabalho teve por objetivo demonstrar que o tempo curto tempo
médio de sobrevivência observado nas Micro e Pequenas empresas é, em sua
grande maioria, proveniente da falta de visão sistêmica de gestão do negócio e
apresentar os pontos chaves na sobrevivência e prosperidade das mesmas;
conceituando quais vertentes do negócio são abrangidos pelo Modelo de
Excelência da Gestão (MEG), citando e conceituando critério a critério
abordados na avaliação do Prêmio MPE Brasil (que fomenta o respectivo nível
de excelência e premia as melhores colocadas) evidenciando a importância da
auto avaliação dos pontos fracos de uma gestão para o aumento do padrão de
gestão e a sobrevivência das MPEs em seus mercados de negócios
específicos.
.
Palavras-chave: Micro e Pequenas Empresas, Excelência da Gestão,
Prêmio MPE Brasil.
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO....................................................................................................... 08
1.1OBJETIVOS......................................................................................................... 08
1.1.1 OBJETIVO GERAL.......................................................................................... 08
1.1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS............................................................................ 09
1.2 JUSTIFICATIVA.................................................................................................. 09
1.3 METODOLOGIA................................................................................................. 10
2 REFERENCIAL TEORICO.................................................................................... 11
2.1 MEG – MODELOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO.......................................... 11
2.1.1 Fundamentos.................................................................................................. 12
2.1.1.1 Pensamento sistêmico.................................................................................. 13
2.1.1.2 Aprendizado organizacional...................................................................... 13
2.1.1.3 Cultura de inovação,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,................................................................. 13
2.1.1.4 Liderança e Constança de propósitos...................................................... 14
2.1.1.5 Orientação por processos e informações..................................................... 14
2.1.1.6 Visão de futuro.............................................................................................. 14
2.1.1.7 Geração de valor.......................................................................................... 15
2.1.1.8 Valorização das pessoas.............................................................................. 15
2.1.1.9 Conhecimento sobre o cliente e o mercado................................................. 15
2.1.1.10 Desenvolvimento de parcerias.................................................................... 16
2.1.1.11 Responsabilidade social............................................................................. 16
2.1.1.12 Processos econômicos/financeiros............................................................. 16
2.1.2 – Signo do modelo excelência de gestão.................................................... 17
2.2 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO PRÊMIO MPE BRASIL............................ 18
2.2.1 Liderança........................................................................................................ 20
2.2.2 Governança Corporativa............................................................................... 22
2.2.3 Exercício da Liderança e Promoção da Cultura da Excelência................. 23
2.2.4 Análise do Desempenho da Organização.................................................. 24
2.2.5 Estratégias e Planos.............................................…………………………… 25
2.2.6 Formulação das Estratégias......................................................................... 25
2.2.7 Implementação das Estratégias.................................................................. 26
2.2.8 Clientes.......................................................................................................... 26
2.2.9 Imagem e conhecimento de mercado.......................................................... 27
2.2.10 Relacionamento com Clientes.................................................................... 28
2.2.11 Sociedade.................................................................................................... 29
2.2.12 Responsabilidade Socioambiental............................................................ 29
2.2.13 Desenvolvimento Social.............................................................................. 29
2.2.14 Informações e Conhecimento................................................................... 30
2.2.15 Informações da Organização..................................................................... 30
2.2.16 Informações Comparativas........................................................................ 30
2.2.17 Ativos Intangíveis e Conhecimento Organizacional................................. 32
2.2.18 Pessoas........................................................................................................ 32
2.2.19 Sistemas de Trabalho................................................................................. 33
2.2.20 Capacitação e Desenvolvimento............................................................... 33
2.2.21 Qualidade de Vida....................................................................................... 33
2.2.22 Processos Principais do Negócio e Processos de Apoio....................... 35
2.2.23 Processos de Relacionamento com os Fornecedores........................... 35
2.2.24 Processos Econômicos Financeiros......................................................... 36
2.2.25 Resultados.................................................................................................... 37
2.2.26 Resultados Econômico-Financeiros.......................................................... 37
2.2.27 Resultados Relativos aos Clientes e ao Mercado.................................... 38
2.2.28 Resultados Relativos à Sociedade............................................................. 38
2.2.29 Resultados Relativos às Pessoas............................................................. 38
2.2.30 Resultados dos Processos Principais do Negócio e
dos Processos de Apoio........................................................................................ 38
2.2.31 Resultados Relativos aos Fornecedores.................................................. 39
2.3 PROCESSO DE AVALIAÇÃO............................................................................ 40
2.3.1 Seleção Estadual e Nacional........................................................................ 40
2.3.2 Etapas............................................................................................................. 40
2.3.2.1 Etapa Estadual........................................................................................... 41
2.3.2.2 Etapa Nacional........................................................................................... 42
2.3.2.3 Premiação, Direitos e Obrigações das Vencedoras................................ 43
2.3.2.4 Participantes do Prêmio............................................................................. 44
3 CONCLUSÃO........................................................................................................ 45
4 REFERENCIAS..................................................................................................... 47
8
1 INTRODUÇÃO
Atualmente as Micro e Pequenas empresas têm um tempo médio de sobrevivência
muito curto. Em sua grande maioria, isto é proveniente da falta de visão sistêmica de
gestão do negócio em si, resultando em falhas operacionais, táticas e estratégicas
em inúmeras áreas que compõem o negócio como um todo. Este trabalho
conceituará quais características do negócio são abrangidas pelo Modelo de
Excelência da Gestão (MEG) concebido pela Fundação Nacional de Qualidade
(FNQ), citando e conceituando seus fundamentos e critérios abordados, juntamente
com a identificação dos pontos chaves que influenciam a gestão empresarial,
gerando aos gestores uma real visão de seus resultados, evidenciado pelos pontos
chaves importes para a sobrevivência e prosperidade da Micro e Pequenas
empresas (MPEs) no Brasil. Buscará a identificação dos critérios avaliativos do
Prêmio MPE Brasil, com o intuído de evidenciar como MEG e o prêmio fomentam o
aumento do nível de excelência, classifica e premia as melhores colocadas dentre o
prêmio em cada versão estadual e na nacional. O processo do Prêmio MPE Brasil
identifica a real situação de cada empresa em relação a Excelência da Gestão, onde
será evidenciará a possibilidade do autoconhecimento e a atuação pontual nos
respectivos pontos deficitários.
1.1 OBJETIVOS
1.1.1 OBJETIVO GERAL
O objetivo geral do presente trabalho foi de investigação da aplicação do Modelo de
excelência da gestão (Modelo de Excelência da Gestão) nas Micros e Pequenas
Empresas (MPEs), a correlação dos critérios abordados com a metodologia do
9
Prêmio Anual MPE Brasil em busca da sobrevivência, prosperidade solida das
participantes.
1.1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Deforma específica, esseestudo teve porobjetivos:
 Identificar aspráticas, oscritérios abordadosesua interação - no que dizrespeitoao tema
- dadaspelos autores e pesquisadores;
 Investigar osconceitos bibliográficosno que tange aotema.
 Identificar asmetodologias usadas no prêmio MPEBrasile;
 Relacionar asvantagens proporcionadasas empresas participantes doprêmio.
1.2 JUSTIFICATIVA
A pesquisa foi realizada com o intuito identificar os critérios da gestão que
evidenciam as causas do percentual tão elevado de fracasso das MPE´s,
destacando de forma unânime e esclarecendo como os motivos levantados apontam
problemas vinculados ao administrador empreendedor que geralmente, não possui
habilidade/conhecimento para gerenciar sua empresa. Juntamente como o Prêmio
MPE Brasil classifica, evidencia e possibilita uma auto avaliação dos pontos fracos
dentro da sua gestão.
10
1.3 METODOLOGIA
Considerando-se o critério de classificação de pesquisa proposto pela faculdade,
quanto aos fins e quanto aos meios, tem-se:
 Quanto aos fins – trata-se de uma pesquisa exploratória pois pretende proporcionar uma
maiorfamiliaridade como tema, levando aoaprimoramento deideias;e
 Quanto aos meios – a pesquisa, foi bibliográfica. Bibliográfica, pois para
fundamentação teóricado trabalho, realizou-se investigação sobre oseguinte assunto:
11
2 REFERENCIAL TEÓRICO
2.1 MEG – MODELOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO
Conforme MARUFF(2010), para manterem-se atualizadas e aproveitar as
oportunidades que o mercado oferece, quase que diariamente, as micro e pequenas
empresas enfrentam o desafio de adotar atividades inovadoras, suprir as
necessidades dos clientes, reter talentos, implementar processos e melhorar sua
competitividade. Mas nenhuma ação isolada é suficiente para o sucesso da gestão,
se a organização não internalizar a cultura da busca pela excelência.
Como forma de sensibilizar e incentivar esse processo, a Fundação Nacional da
Qualidade (FNQ) dissemina o Modelo de Excelência da Gestão (MEG), que tem
como base os fundamentos e critérios de excelência. Com a adoção do Modelo, as
empresas passam a ter uma visão sistêmica da sua gestão, por meio da análise e
implementação constante de oito critérios (Liderança, Estratégias e Planos, Clientes,
Sociedade, Informações e Conhecimento, Pessoas, Processos e Resultados). Para
trazer esses conceitos à realidade das MPEs, a instituição promove, periodicamente,
a atualização e adaptação de tais critérios para auxiliar organizações de todos os
setores a percorrer esse caminho.
Mais do que apresentar conceitos de alinhamento e estruturação dos componentes
da gestão, o uso do Modelo possibilita às MPEs o exercício da autoa valiação e a
implantação de um programa de busca pela excelência, o que aumenta a
competitividade da empresa, melhora o clima organizacional, eleva o desempenho
financeiro e, principalmente, estabelece uma sistemática eficiente de gestão dos
seus clientes. Além disso, as MPEs alinhadas aos critérios e fundamentos de
excelência tornam-se mais bem preparadas para superar os desafios e se adaptar
às mudanças complexas que afetam o mundo corporativo.
De acordo com um estudo feito pela consultoria Mckinsey (2011) e replicado no
Brasil pela Omni Marketing (2011), a pedido da Fundação Nacional da Qualidade
12
(FNQ), os negócios e a gestão das organizações devem ser impactados, nos
próximos anos, por cinco forças globais de transformações. Consideradas as
maiores tensões e oportunidades para inovações, tais forças contemplam o
crescimento de mercados emergentes; as alterações demográficas, a sociedade e a
produtividade do trabalho; o fluxo global de produtos, informações e capital; as
mudanças climáticas e a sustentabilidade; além do crescimento do papel dos
governos nas economias e na sustentabilidade ambiental e social.
2.1.1 Fundamentos
O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) está alicerçado sobre um conjunto de
conceitos fundamentais descritos nos conceitos Fundamentais da Excelência da
Gestão, que aborda o contexto social, tecnológico e econômico em que as
organizações se encontram.
Os Fundamentos da Excelência expressam conceitos reconhecidos
internacionalmente e se traduzem em práticas ou fatores de desempenho
encontrados em organizações líderes de classe mundial, que buscam
constantemente se aperfeiçoar e se adaptar às mudanças globais. Os fundamentos
que se baseiam os critérios de Excelência da FNQ são:
2.1.1.1 Pensamento sistêmico
Entendimento das relações de interdependência entre os diversos componentes de
uma organização, bem como entre a organização e o ambiente externo.
13
2.1.1.2 Aprendizado organizacional
Busca o alcance de um novo patamar de conhecimento para a organização por meio
de percepção, reflexão, avaliação e compartilhamento de experiências.
2.1.1.3 Cultura de inovação
Promoção de um ambiente favorável a criatividade, experimentação e
implementação de novas ideias que possam gerar um diferencial competitivo para a
organização.
2.1.1.4 Liderança e Constança de propósitos
Atuação de forma aberta, democrática, inspiradora e motivadora das pessoas,
visando ao desenvolvimento da cultura da excelência, à promoção de relações de
qualidade e à proteção dos interesses das partes interessadas.
14
2.1.1.5 Orientação por processos e informações
Compreensão e segmentação do conjunto das atividades e processos da
organização que agregam valor para as partes interessadas, sendo que as tomadas
de decisões e execução de ações devem ter como base a medição e análise de
desempenho, levando-se em consideração as informações disponíveis, além de
incluir os riscos identificados.
2.1.1.6 Visão de futuro
Compreensão dos valores que afetam a organização, seu ecossistema e o ambiente
externo no curto e no longo prazo, visando a sua perenização.
2.1.1.7 Geração de valor
Alcance de resultados consistentes, assegurando a perenidade da organização pelo
aumento de valores tangível e intangível, de forma sustentada para todas as partes
interessadas.
15
2.1.1.8 Valorização das pessoas
Estabelecimento de relações com as pessoas, criando condições para que elas se
realizem profissional e humanamente, maximizando seu desempenho por meio de
comprometimento, desenvolvimento de competências e espaço para empreender.
2.1.1.9 Conhecimento sobre o cliente e o mercado
Conhecimento e entendimento do cliente e do mercado, visando à criação de valor
de forma sustentada para o cliente e, consequentemente, gerado maior
competitividade nos mercados.
2.1.1.10 Desenvolvimento de parcerias
Desenvolvimento em atividades em conjunto com outras organizações, a partir da
plena utilização das competências essenciais de cada uma, objetivando benefícios
para ambas as partes.
16
2.1.1.11 Responsabilidade social
Atuação que se define pela relação ética e transparente da organização com todos
os públicos com os quais se relaciona, estando voltada para o desenvolvimento
sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para
gerações futuras; respeitando as diversidades e promovendo a redução das
desigualdades sociais como parte integrante da estratégia da organização.
2.1.1.12 Processos econômicos/financeiros
Anualmente a organização planeja o seu orçamento, utilizando os dados realizados
no ano anterior como uma previsão do que será o ano. A partir desta projeção, é
realizado um levantamento da necessidade de cada setor que compõe a empresa. A
partir dos dados levantados, é feita uma lista de prioridades onde as ações possíveis
mais urgentes são realizadas.
Os indicadores de desempenho financeiro considerados nesta metodologia, são:
 Receita total mensal;
 Custo total mensal;
 Resultado mensal: Lucro líquido dividido pela receita total;
 Resultado em relação ao mesmo período do ano anterior: resultado mensal
atual dividido pelo resultado mensal do mesmo período do ano anterior.
Para o controle financeiro de contas a pagar e contas a receber, o trabalho deve ser
realizado com um fluxo de caixa. Desta maneira, é possível trabalhar com uma boa
previsão para honrar todos os compromissos assumidos.
17
2.1.2 – Signo do modelo excelência de gestão
No modelo, os Fundamentos da Excelência são expressos em características
tangíveis e distribuídos em requisitos. Estes são agrupamentos cujo objetivo maior é
reproduzir de forma lógica a condução de temas essenciais de um negócio e que
são denominados de critérios e de itens. O Modelo de Excelência da Gestão é
representado pelo diagrama baixo, o que permite ao administrador obter uma visão
sistêmica da gestão organizacional.
Figura 1 – Modelo de excelia da gestão. Fonte: A relação entre os Fundamentos e os Critérios, 2011.
18
2.2 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO PRÊMIO MPE BRASIL
Diante desse cenário de incertezas e constantes transformações globais, estruturar
a gestão da empresa e se antecipar a essas mudanças passa a ser primordial para
que as MPEs tenham visão de futuro e saibam identificar seus pontos fortes e
oportunidades de melhoria, de forma a melhorarem a administração do negócio e se
tornarem mais competitivas.
Gerir bem o negócio é, enfim, essencial à sobrevivência das empresas. E, cada vez
mais, as MPEs estão conscientes e preocupadas em buscar a excelência da gestão
o que se reflete na ampla participação dos micro e pequenos empresários no MPE
Brasil - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas, realizado pelo
SEBRAE, Movimento Brasil Competitivo (MBC), Gerdau e Fundação Nacional da
Qualidade (FNQ) e que em 2013 bateu recorde de inscrições com quase 80 mil
inscritas espalhadas por todo o país e mais de 38 mil autos avaliações preenchidas.
Esse aumento mostra que mais de 38 mil empresas receberam um relatório
diagnóstico da gestão da sua empresa com pontos fortes e oportunidades de
melhoria, tornando-se assim mais capazes de implantar ações eficientes e eficazes,
que possam gerar retorno ao negócio e valor para a sociedade.
Devido ao último fechamento anual de dados disponíveis (SEBRAE, 2013),
atualmente responsáveis por 20% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e por
54% dos empregos formais, as MPEs dependem de sua capacidade de estruturar
uma gestão eficaz e competir no mercado para reagir às transformações globais e
garantir sua perenidade. Levando isso em conta, a FNQ acredita no potencial
dessas organizações para o crescimento econômico do País e aposta na adoção de
práticas sistêmicas de gestão das micro e pequenas empresas para ampliar a
competitividade e proporcionar mais chances de sucesso.
O “MPE Brasil – Prêmio de Competitividade para Micros e Pequenas Empresas” se
constitui no reconhecimento estadual e nacional às Micros e Pequenas Empresas
que promovem o aumento a qualidade, da produtividade e da competitividade, pela
disseminação de conceitos e práticas de gestão. (Questionário de Auto avaliação
MPE Brasil – 2014)
19
As categorias de reconhecimento são:
 Agronegócio;
 Comércio;
 Indústria;
 Serviço de Educação;
 Servço de Saúde;
 Serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação – desenvolvimento,
implantação e gerenciamento de Software;
 Serviço de turismo – bares, restaurantes, pousadas, agências de viagens,
transportes turísticos;
 Serviços outros – empresas de serviços que não se enquadrem nas
categorias de serviços acima.
O Modelo de Excelência da Gestão é concebido tendo como base os Fundamentos
da Excelência, sendo constituídos por oito critérios:
 Liderança;
 Estratégias e Planos;
 Clientes;
 Sociedade;
 Informações e conhecimento;
 Pessoas;
 Processos;
 Resultados.
Os oito critérios constituintes do Modelo de Sistema da Gestão (MEG) subdividem-
se em vinte e quatro itens de avaliação. Entre os itens, há os de processos
gerenciais e os de resultados organizacionais: os itens de processos gerenciais
solicitam informações relacionadas ao sistema de gestão da organização, sem
prescrever práticas, métodos de trabalho ou ferramentas; e os resultados
organizacionais solicitam, conforme o nome indica, a apresentação dos resultados,
informações comparativas e explicações sobre eventuais tendências ou níveis atuais
adversos.
20
Os itens de processos gerenciais são compostos por:
 Os respectivos padrões de trabalho;
 Os métodos utilizados para controle;
 O grau de disseminação (processos, produtos e/ou pelas partes interessadas
em que as práticas estão implementadas);
 A continuidade (início de uso e periodicidade);
 A integração.
Os itens de resultados organizacionais requerem:
 A apresentação de uma série histórica de dados que permita analisar a sua
tendência. Para tanto, é requerida a apresentação de resultados quantitativos
abrangendo pelo menos três períodos consecutivos da aplicação das
práticas, coerentes com o ciclo de planejamento e análise do desempenho da
organização;
 Que sejam informados os níveis de desempenho associados aos principais
requisitos de partes interessadas, nos resultados que os expressam.
 A apresentação de resultados comparados com níveis de desempenho de
outras organizações, considerada como um referencial comparativo
pertinente.
2.2.1 Liderança
Este critério aborda a governança da organização, incluindo a transparência, a
equidade, a prestação de contas, a responsabilidade corporativa e consideram os
valores e princípios, o relacionamento ético e os riscos da organização. Também
aborda o exercício da liderança, incluindo temas como o estabelecimento dos
padrões de trabalho, aprendizado, inovação e mudança cultural. O critério aborda
ainda a análise do desempenho da organização enfatizando a comparação com o de
21
outras organizações, o atendimento aos requisitos das partes interessadas e a
avaliação do êxito das estratégias.
2.2.2 Governança Corporativa
Este item aborda a implementação de processos gerencias que contribuem
diretamente para o compromisso da organização da excelência, com a
sustentabilidade, com a transparência e com o aumento do nível de confiança das
partes interessadas.
Este item subdivide-se em sete questões principais:
 Apresentação dos métodos utilizados para controlar os atos da direção,
garantindo-se assim a equidade entre os sócios, mantenedores ou
instituidores, protegendo os direitos das partes interessadas;
 Pede-se para apresentar os Valores e os Princípios organizacionais
necessários à promoção da Excelência, à criação de valor para todas as
partes interessadas e ao desenvolvimento sustentável;
 Como a organização assegura o relacionamento ético com concorrentes e
também dentro da organização, para os integrantes da sua Administração e
da sua fora de trabalho?
 Pede-se para apresentar quais os métodos utilizados para identificar,
classificar, analisar e tratar os riscos empresariais mais significativos que
possa afetar a imagem e a capacidade da organização de alcançar os
objetivos estratégicos e dos negócios.
 É analisado como as principais decisões são tomadas, comunicadas e
implementadas assegurando a transparência e considerando o envolvimento
de todos os interessados no tema tratado.
 Como os fatos relevantes são prontamente comunicados à sociedade e às
demais partes interessadas?
22
 Pergunta-se também como a organização presta conta de suas ações e
resultados alcançados a quem a elegeu, nomeou ou a designou.
2.2.3 Exercício da Liderança e Promoção da Cultura da Excelência
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para o engajamento da força de trabalho e demais partes interessadas
no êxito das estratégias e na promoção da cultura da excelência.
Este item subdivide-se em oito pontos principais:
 Como a direção exerce a liderança e interage com as partes interessadas,
identificando expectativas, buscando o alinhamento e a mobilização da força
de trabalho, o apoio das demais partes interessadas para o êxito das
estratégias, a construção de parcerias e o alcance sustentado dos objetivos
da organização.
 Pede-se a descrição dos métodos utilizados para a análise, planejamento e
estímulo as mudanças culturais na organização necessárias para a
internalização dos valores e princípios organizacionais e para a consecução
das estratégias.
 Como a organização estimula a diversidade de ideias e de culturas com a
força de trabalho?
 Como os valores e os princípios organizacionais são comunicados as partes
interessadas?
 Pede-se o método utilizado de identificação de pessoas com potencial de
liderança.
 Avaliação e desenvolvimento dos lideres atuais em relação às competências
necessárias.
 Maneira que são definidos os padrões de trabalho.
23
 Como é implementado o aprendizado e como é estimulada a inovação na
organização.
2.2.4 Análise do Desempenho da Organização
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem para
avaliar o desempenho operacional e estratégico da organização, em relação às
metas e às informações comparativas do setor ou do mercado.
Este item subdivide-se em seis requisitos:
 Pede-se para apresentar quais os critérios utilizados para determinar quais
são os resultados mais importantes a serem comparados e também para
identificar quais as organizações consideradas como referenciais
comparativos pertinentes.
 Quais são as técnicas utilizadas para agregação e análise dos resultados?
 Como são consideradas, na análise do desempenho da organização, as
variáveis dos ambientes interno e externo relevantes para o êxito das
estratégias.
 O método de avaliação do êxito das estratégias e o alcance dos objetivos da
organização.
 Como as decisões decorrentes da análise do desempenho da organização
são comunicadas à força de trabalho, em todos os níveis da organização, e a
outras partes interessadas, quando pertinentes?
 Como é acompanhada a implementação das decisões decorrentes da análise
do desempenho da organização?
24
2.2.5 Estratégias e Planos
Este critério aborda a formulação das estratégias, enfatizando as análises de
tendências e fatores dos ambientes externo e interno, bem como a avaliação de
alternativas estratégicas e do próprio modelo do negócio. Também aborda o
processo de implementação das estratégias, incluindo a definição de indicadores, o
desdobramento das metas e dos planos para as diversas áreas da organização e a
revisão das estratégias à luz das mudanças no ambiente.
2.2.6 Formulação das Estratégias
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a geração de estratégias consistentes e coerentes e de um modelo
de negócio competitivo.
Este item divide-se em cinco pontos:
 Pede-se o método utilizado para a análise do macro ambiente e a maneira de
identificação e análise das características do setor de atuação da organização
e suas tendências.
 Como é analisado o mercado de atuação da organização e suas tendências?
 Como é analisado o ambiente interno da organização?
 Quais os métodos utilizados na avaliação das alternativas decorrentes das
análises dos ambientes e definidos as estratégias da organização?
 Como é avaliado e definido o modelo de negócio competitivo em relação às
estratégias definidas e às perspectivas dos mercados e do setor de atuação
da organização?
25
2.2.7 Implementação das Estratégias
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para assegurar o desdobramento, a realização e a atualização das
estratégias da organização.
Este item possui sete pontos principais:
 Pede-se o método utilizado para a definição dos indicadores para a avaliação
das estratégias implementadas.
 Como as metas estabelecidas são desdobradas para as diversas áreas da
organização?
 Como os planos de ação são desdobrados para as diversas áreas da
organização?
 Como os recursos são alocados para assegurar a implementação dos planos
de ação?
 Qual a maneira utilizada para comunicar as estratégias, as metas e os planos
de ação para todas as partes interessadas?
 Como a organização acompanha os ambientes internos e externos com as
mudanças percebidas?
2.2.8 Clientes
Este critério aborda o conhecimento do mercado da organização, destacando a
identificação, análise e compreensão das necessidades e expectativas dos clientes.
Também aborda a imagem, incluindo a divulgação das marcas e dos produtos, e
como a organização se relaciona com os clientes, incluindo a avaliação da
satisfação, da fidelidade e insatisfação dos clientes.
26
2.2.9 Imagem e conhecimento de mercado
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para entender as necessidades e expectativas dos clientes-alvo,
tornarem produtos e marcas conhecidas e a imagem favorável para conquistar
clientes e mercados.
Este item divide-se em seis questões principais:
 Como o mercado é segmentado?
 Como são definidos os clientes-alvo?
 Como são identificadas, analisadas e compreendidas as necessidades e
expectativas dos clientes
 Como a marca e os produtos são divulgados aos clientes e ao mercado?
 Como são identificados e avaliados os níveis de conhecimento dos clientes e
mercados a respeito das marcas e dos produtos da organização?
 Como é avaliada a imagem da organização perante os clientes e mercados?
2.2.10 Relacionamento com Clientes
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a satisfação dos clientes e sua fidelização aos produtos e marcas.
Este item aborda sete questões principais:
 Como são definidos e divulgados os canais de relacionamentos para os
clientes?
 Como são tratadas as reclamações, solicitações ou sugestões dos clientes?
27
 Como os resultados das reclamações, solicitações ou sugestões dos clientes
são repassados às outras áreas da organização?
 Como as transações com os clientes são acompanhadas?
 Como são avaliadas e comparadas a satisfação, a fidelidade e insatisfação
dos clientes?
 Como as informações obtidas dos clientes são analisadas e utilizadas?
 Como são buscadas e desenvolvidas parcerias com clientes, distribuidores e
revendedores?
2.2.11 Sociedade
Este critério aborda a responsabilidade e a atuação socioambiental voltadas para o
desenvolvimento sustentável e o desenvolvimento social.
2.2.12 Responsabilidade Socioambiental
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a geração de produtos, processos e instalações seguras aos
usuários, à população e ao meio ambiente, promovendo o desenvolvimento
sustentável.
Este item é questionado em sete questões:
 Como a organização identifica os aspectos e trata os impactos sociais e
ambientais de seus produtos, processos e instalações?
28
 Como a organização se mantém preparada e estabelece procedimentos para
responder às eventuais situações de emergência e potenciais acidentes?
 Como os impactos sociais e ambientais são comunicados à sociedade?
 Como são identificados e analisados os requisitos legais, regulamentares e
contratuais aplicáveis a questões socioambientais?
 Como é propiciada a acessibilidade aos produtos e instalações da
organização?
 Como a organização seleciona e promove, de forma voluntária, ações com
vistas ao desenvolvimento sustentável?
 Como a organização desenvolve parcerias, conscientiza, incentiva e envolve
a força de trabalho, clientes, fornecedores e demais partes interessadas na
implementação e apoio às suas ações e projetos ambientais?
2.2.13 Desenvolvimento Social
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para estimular o desenvolvimento social e promover uma imagem
favorável da organização perante as comunidades vizinhas e a sociedade.
Este item divide-se em seis questões principais:
 Como as necessidades e expectativas da sociedade são identificadas,
analisadas e compreendidas e utilizadas para a definição e melhoria da sua
atuação social?
 Como a organização direciona esforços para o fortalecimento da sociedade e
das comunidades vizinhas?
 Como a organização desenvolve parcerias, conscientiza e incentiva a todos
os interessados na implementação e apoio aos seus projetos sociais?
 Como é avaliado o grau de satisfação de toda a sociedade em relação à
organização?
29
 Como as informações obtidas da sociedade são analisadas e utilizadas para
intensificar a sua satisfação, aperfeiçoar ou desenvolver novos processos e
produtos?
 Como a organização avalia e zela a sua imagem perante a sociedade?
2.2.14 Informações e Conhecimento
Este critério aborda a orientação por informações, incluindo a obtenção de
informações comparativas pertinentes. Também aborda o desenvolvimento dos
ativos intangíveis com ênfase no conhecimento que sustenta o desenvolvimento das
estratégias e operações.
2.2.15 Informações da Organização
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a disponibilização sistemática de informações atualizadas, precisa
se seguras aos usuários, com o apoio da tecnologia da informação.
Este item é questionado em seis questões:
 Como são identificadas as necessidades de informações, para apoiar as
operações diárias, acompanhar o progresso dos planos de ação e subsidiar a
tomada de decisão?
 Como são definidos, desenvolvidos, implantados e melhorados os principais
sistemas de informação?
30
 Como são asseguradas as atualizações tecnológicas dos sistemas
desenvolvidos?
 Como a tecnologia da informação é utilizada para alavancar o negócio e
promover a integração da organização com seus clientes, fornecedores e
parceiros?
 Como as informações necessárias são colocadas à disposição de todas as
partes interessadas?
 Como é gerenciada a segurança das informações?
2.2.16 Informações Comparativas
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a obtenção de informações de outras organizações para poder
comparar o desempenho e para melhorar processos e produtos.
Este item divide-se em quatro questões:
 Como são identificadas as fontes de informações comparativas?
 Como são obtidas e mantidas atualizadas as informações comparativas?
 Como as informações comparativas obtidas são analisadas visando à sua
adaptação à realidade da organização?
 Como são asseguradas a confidencialidade, integridade e a disponibilidade
das informações trocadas com outras organizações?
31
2.2.17 Ativos Intangíveis e Conhecimento Organizacional
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para o aumento do diferencial competitivo da organização por meio da
criação, compartilhamento, desenvolvimento, retenção e proteção dos ativos
intangíveis e particularmente, do conhecimento que sustenta o desenvolvimento das
estratégias e operações.
Este item é questionado em cinco quesitos:
 Identificação dos ativos intangíveis que agregam valor ao negócio.
 Como os principais ativos intangíveis identificados são desenvolvidos?
 Como os principais ativos intangíveis são retidos e protegidos?
 Qual o método utilizado para identificar e desenvolver os conhecimentos que
sustentam o desenvolvimento das estratégias e operações?
 Como são compartilhados e retidos os conhecimentos da organização?
2.2.18 Pessoas
Este critério aborda a organização do trabalho, os processos relativos à seleção e
contratação de pessoas e equipes. Também aborda os processos relativos à
capacitação e desenvolvimento das pessoas e como a organização promove a
construção do ambiente propício à inovação e a qualidade de vida das pessoas
interna e externamente ao ambiente de trabalho.
32
2.2.19 Sistemas de Trabalho
Este item aborda a implementação de processos gerencias que contribuem
diretamente para o alto desempenho das pessoas e das equipes.
Este item divide-se em cinco pontos principais:
 Como a organização do trabalho é definida?
 Como as pessoas são selecionadas, interna e externamente?
 Como as pessoas recém-contratadas são integradas à cultura
organizacional?
 Como o desempenho das pessoas e equipes é avaliado?
 Como a remuneração, reconhecimento e os incentivos estimulam o alcance
das metas de alto desempenho e a cultura da excelência?
2.2.20 Capacitação e Desenvolvimento
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a capacitação e desenvolvimento dos membros da força de
trabalho.
Neste item são feitos cinco questionamentos:
 Como as necessidades de capacitação e desenvolvimento são identificadas?
 Como os programas de capacitação e desenvolvimento abordam a cultura da
excelência e contribuem para consolidar o aprendizado organizacional?
 Como é concebida a forma de realização dos programas de capacitação e
desenvolvimento?
 Como a eficácia dos programas de capacitação é avaliada?
33
 Como a organização promove o desenvolvimento integral das pessoas?
2.2.21 Qualidade de Vida
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente à criação de um ambiente seguro e saudável e a obtenção do bem-
estar, da satisfação e comprometimento das pessoas.
Este item divide-se em cinco pontos principais:
 Como é o método de identificação e tratamento de riscos relacionados à
saúde ocupacional, segurança e ergonomia?
 Como as necessidades e expectativas das pessoas da força de trabalho são
identificadas, analisadas e compreendidas?
 Como o bem-estar, comprometimento e a satisfação das pessoas são
avaliados?
 Qual a maneira de tratamento dos fatores que afetam o bem-estar, a
satisfação e o comprometimento das pessoas e como é mantido um clima
organizacional favorável à criatividade, à inovação, a excelência no
desempenho?
 Como a organização colabora para a melhoria da qualidade de vida das
pessoas fora do ambiente de trabalho?
34
2.2.22 Processos Principais do Negócio e Processos de Apoio
Este item aborda a implementação de processo gerenciais que contribuem
diretamente para assegurar um excelente desempenho dos processos, a geração
dos produtos que atendam às necessidades e expectativas de todas as partes
interessadas.
Este item divide-se em cinco questões:
 Qual o método de identificação dos processos de agregação de valor?
 Como são determinados os requisitos aplicáveis aos processos principais do
negócio e aos processos de apoio?
 Como os processos principais do negócio e os processos de apoio são
projetados?
 Como os processos principais do negócio e os processos de apoio são
controlados?
 Como a organização analisa e melhora os processos principais do negócio,
processos de apoio e produtos?
2.2.23 Processos de Relacionamento com os Fornecedores
Este item aborda a implementação de processos gerencias que contribuem
diretamente para o desenvolvimento e melhoria da cadeia de suprimentos e para o
comprometimento dos fornecedores e parceiros com a excelência.
Este item é questionado em sete pontos:
 Como a organização identifica potenciais fornecedores e parceiros,
desenvolve parceiras, e a sua cadeia de suprimentos?
35
 Como a organização atua para erradicar o trabalho infantil e impedir o
trabalho degradante e forçado na sua cadeia de suprimento?
 Qual o método para identificar, analisar e compreender as necessidades e
expectativas dos fornecedores?
 Como os fornecedores são qualificados e selecionados?
 Como os fornecedores são avaliados e prontamente informados sobre o seu
desempenho?
 Como a organização estimula a melhoria e a inovação nos processos de
fornecimento e nos produtos adquiridos?
 Como os fornecedores que atuam diretamente nos processos da organização
são envolvidos e comprometidos com os princípios organizacionais?
2.2.24 Processos Econômicos Financeiros
Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem
diretamente para a sustentabilidade econômico-financeiro da organização.
Este item divide-se em cinco questões principais:
 Como são determinados os requisitos de desempenho econômico-financeiro
da organização?
 Como a organização assegura os recursos financeiros necessários para
atender às necessidades operacionais?
 Como a organização define os recursos financeiros e avalia os investimentos
necessários visando a suportar as estratégias e planos de ação?
 Como são quantificados e monitorados os riscos financeiros da organização?
 Como é elaborado e controlado o orçamento?
36
2.2.25 Resultados
Este critério aborda os resultados da organização, abrangendo os econômico-
financeiros e os relativos aos clientes e mercados, sociedades, pessoas, processos
principais do negócio e de apoio, assim como os relativos ao relacionamento com
fornecedores. A avaliação dos resultados inclui a análise da tendência e do nível
atual de desempenho, pela verificação do atendimento dos requisitos das partes
interessadas e pela comparação com o desempenho de outras organizações.
2.2.26 Resultados Econômico-Financeiros
Este item aborda os resultados econômico-financeiros da organização, incluindo os
relativos à estrutura, liquidez, atividade e rentabilidade. Pede-se para apresentar o
resultado dos principais indicadores relativos à gestão econômico-financeira,
classificando-os segundo os grupos de estrutura, liquidez, atividade e rentabilidade.
Estratificar o resultado por unidade ou filiais, quando aplicáveis.
2.2.27 Resultados Relativos aos Clientes e ao Mercado
Este item aborda os resultados relativos aos clientes e aos mercados, incluindo os
referentes à imagem da organização. Pede-se para apresentar os resultados dos
principais indicadores relativos aos clientes e aos mercados. Estratificar por grupos
de clientes, segmentos de mercado ou tipo de produtos, quando aplicáveis.
37
2.2.28 Resultados Relativos à Sociedade
Este item aborda os resultados relativos à sociedade, incluindo os referentes à
responsabilidade socioambiental e ao desenvolvimento social. Pede-se para
apresentar os resultados dos principais indicadores relativos à sociedade, incluindo
os relativos à responsabilidade socioambiental e ao desenvolvimento social.
Estratificar o resultado por instalações, quando aplicável.
2.2.29 Resultados Relativos às Pessoas
Este item aborda os resultados relativos às pessoas, incluindo os referentes aos
sistemas de trabalho, à capacitação e desenvolvimento e à qualidade de vida. Pede-
se para apresentar os resultados dos principais indicadores relativos às pessoas,
incluindo os relativos aos sistemas de trabalho, à capacitação e desenvolvimento e à
qualidade de vida. Estratificar os resultados por grupos de pessoas da força de
trabalho, funções na organização e, quando aplicável, por instalações.
2.2.30 Resultados dos Processos Principais do Negócio e dos Processos de
Apoio
Este item aborda os resultados relativos ao produto e à gestão dos processos
principais do negócio e aos processos de apoio. Pede-se para apresentar os
resultados dos indicadores relativos ao produto e à gestão dos processos principais
do negócio e dos processos de apoio.
38
2.2.31 Resultados Relativos aos Fornecedores
Este item aborda os resultados relativos aos produtos adquiridos e à gestão do
relacionamento com os fornecedores. Neste item pede-se apresentar os resultados
dos principais indicadores relativos aos produtos adquiridos e à gestão de
relacionamento com os fornecedores. Estratificar os resultados por grupos de
fornecedores ou tipos de produtos adquiridos, quando aplicáveis.
2.3 PROCESSO DE AVALIAÇÃO
2.3.1 Seleção Estadual e Nacional
Na etapa Estadual, as empresas são avaliadas por meio de questionário de auto
avaliação que analisa as dimensões de Gestão Empresarial, Empreendedorismo e
Destaque de Boas Práticas de Responsabilidade Social. (Questionário de Auto
avaliação MPE Brasil – 2014)
Na etapa Nacional, a avaliação das empresas vencedoras da etapa estadual e
concorrente à etapa nacional será realizada pela análise do questionário de auto-
avaliação, por elas respondido na etapa estadual e do relatório de avaliação,
também da etapa estadual, com os comentários do avaliador sobre os pontos fortes
e oportunidades de melhoria na gestão da empresa. (Questionário de Auto avaliação
MPE Brasil – 2014)
39
2.3.2 Etapas
Os processos de avaliação e seleção das empresas obedecerão às seguintes
etapas:
2.3.2.1 Etapa Estadual
Primeira Etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 Sendo validadas as inscrições das empresas candidatas, as informações
prestadas na inscrição e apresentadas no questionário de auto avaliação
serão analisadas pela Comissão Técnica, resultando em uma pontuação
obtida por cada empresa.
 Serão consideradas aptas para visitas as empresas que obtiverem melhor
pontuação em seus estados e apresentarem informações adicionais
coerentes com as suas respostas.
Segunda etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 As empresas selecionadas serão visitadas pelas comissões técnicas para
comprovar os dados respondidos nos questionários
Terceira etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 Os avaliadores ajustarão a pontuação, caso necessário e emitindo um
relatório.
Quarta etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
40
 Os relatórios emitidos pelos avaliadores e compilados pela comissão técnica
serão apresentados a uma Banca de Juízes, que os validará considerando as
etapas anteriores, definindo e declarando as empresas vencedoras em cada
categoria.
2.3.2.2 Etapa Nacional
Primeira etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 As empresas vencedoras na etapa estadual que tenham se classificado para
a etapa nacional deverão confirmar as informações e os dados prestados na
inscrição e apresentados no questionário de auto avaliação.
Segunda etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 As informações prestadas e apresentadas no questionário de auto avaliação
e no relatório de avaliação serão analisadas pela comissão técnica,
resultando em uma pontuação obtida para cada empresa.
Terceira etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 As empresas selecionadas serão visitadas por um avaliador que validará as
informações fornecidas na inscrição e no questionário de auto avaliação.
Quarta etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 Os relatórios emitidos pela Comissão Técnica serão apresentados a uma
banca de juízes, que os validará considerando as etapas anteriores, definindo
e declarando a empresa vencedora em cada categoria por meio de um
parecer técnico.
41
2.3.2.3 Premiação, Direitos e Obrigações das Vencedoras
 As vencedoras da etapa nacional receberão, cumulativamente, os prêmios da
etapa estadual e mais uma viagem de capacitação em território nacional;
(Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 Será facultada às empresas vencedoras, ampla divulgação desta condição. A
divulgação deverá ocorrer com a utilização obrigatória do nome da razão
social que consta do contrato social ou com o uso do nome fantasia, além da
indicação da categoria e ciclo de premiação; (Questionário de Auto avaliação
MPE Brasil – 2014)
 Será reservado às organizações promotoras o direito de divulgar os nomes
das vencedoras, além de exibir os respectivos casos em universidades,
seminários, outros eventos e em todas as mídias disponíveis por tempo
indeterminado; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 Será compromisso das empresas vencedoras, compartilharem suas
experiências com outras organizações, resguardando informações de caráter
nacional; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
 As empresas consideradas finalistas receberão certificado de
reconhecimento, participação em Seminário Internacional realizado pela
Fundação Nacional da Qualidade, Relatório de Avaliação com os prontos
fortes e oportunidades de melhorias; (Questionário de Auto avaliação MPE
Brasil – 2014)
 As empresas consideradas vencedoras receberão troféu, certificado de
reconhecimento, relatório de avaliação com os pontos fortes e oportunidades
de melhorias, participação no Seminário Internacional em Busca da
Excelência, realizado pela Fundação Nacional da Qualidade, viagem de
capacitação no território nacional e direito de veiculação, que foi a melhor do
país em sua categoria no prêmio MPE Brasil, incluindo o ciclo de premiação.
(Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
42
2.3.2.4 Participantes do Prêmio
O “Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas” será dirigidoàs
empresas que se enquadram nas seguintes características: (Questionário de Auto-
avaliação MPE Brasil – 2014)
 Ter receita bruta anual de até dois milhões e quatrocentos mil reais;
 Ter contemplado pelo menos um ano fiscal;
 Ter domicílio fiscal no estado da respectiva inscrição;
 Comprovar regularidade fiscal e estatuária, como por exemplo, CNPJ,
certidão negativa de débito de INSS e FGTS, certidão conjunta de débitos
relativos a tributos federais e à dívida ativa da União, recibo de entrega de
declaração da RAIS, declaração do contador da empresa, relatando que a
mesma não ultrapassa o limite máximo de enquadramento de micro e
pequena empresa MPE e documentos legais, de acordo com seu ramo de
atividade.
43
3 CONCLUSÃO
Conforme identificado neste trabalho, os fundamentos do MEG abrangem uma visão
sistêmica de gestão do negócio considerando as vertentes sociais, tecnológicas,
econômicas e ambientais. Tais fundamentos baseiam-se no pensamento sistêmico,
considerando a cultura organizacional, estimulando a cultura da inovação com uma
liderança focada em propósitos definidos pela missão e visão, com ações orientadas
por processos e focadas em resultados gerados pela plena gestão da informação
em conjunto a gestão de recursos intangíveis (conhecimento e pessoas),
identificando e classificando os parceiros influentes na sobrevivência financeira do
negócio como clientes, fornecedores e a ciência do posicionamento dentro o
mercado, seus principais concorrentes, determinando ações com propósitos
econômicos/financeiros e respeitando a responsabilidade social e a sustentabilidade
ambiental. Estes fundamentos aumentam o desempenho das MPEs em forma de
boas práticas de excelência da gestão, identificadas pelos critérios como: pessoas,
processos, estratégias e planos, liderança, clientes, sociedade, informações e
conhecimentos internos/externos e resultados.
Tendo em vista o uso do MEG como base avaliativa no Prêmio MPE Brasil, o
respectivo prêmio fomenta o nível de excelência e premia as melhores colocadas
sobre os devidos fundamentos e critérios, consequentemente aumentando o padrão
de gestão e a sobrevivência das MPEs em seus mercados de negócios classificados
como: agronegócio, comércio, indústria, serviço de educação, serviço de saúde,
serviço de tecnologia da informação e comunicação, serviços de turismo e outros
serviços. O processo do Prêmio MPE Brasil, gera relatório que identifica a real
situação de cada empresa (RA – Relatório de Avaliação) em relação a Excelência da
Gestão, possibilitando assim o autoconhecimento e a possibilidade de atuarem
pontualmente nos respectivos pontos deficitários. Premiando as melhores pontuadas
dentro o processo seletivo e classificatório, incluindo pré-avaliação do RAA
(Relatório de Auto avaliação) preenchido pelos próprios empresários, das
informações financeiras, definindo as pré-classificadas que receberão as equipes
avaliativas de retificação ou ratificação dos dados apresentados no RAA inicial,
premiando os melhores pontuados em cerimônia da etapa estadual e posteriormente
44
cada MPE ganhadora das categorias estaduais competem com suas pontuações
contra as ganhadores de outros estados na etapa nacional.
A soma do MEG ao Prêmio MPE Brasil é importantíssimo para economia Brasileira,
pois busca capacitar, desenvolver e manter a sobrevivência das MPEs que são
importantes integrantes da economia do pais.
45
4 REFERÊNCIAS
FNQ. Critérios de excelência: Avaliação e Diagnóstico da gestão organizacional.
19 ed. Janeiro/2011. Fundação Nacional da Qualidade. São Paulo/SP.
FNQ. Critérios compromisso com a excelência: Avaliação e diagnóstico da
gestão organizacional. 6 ed. Abril/2011. Fundação Nacional da Qualidade. São
Paulo/SP.
MPE Brasil Ciclo 2014: Apostila de treinamento para avaliadores líderes. Ed
revisada. Julho/2014. SEBRAE-ES. Vitória/ES.
Abordagem por processos segundo o modelo de excelência da gestão para
microempresa. Maruff, Alexandre R. Abril/2010. Juiz de Fora/MG.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Analise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresas
Analise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresasAnalise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresas
Analise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresas
Universidade Pedagogica
 
Análise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitiva
Análise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitivaAnálise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitiva
Análise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitiva
Universidade Pedagogica
 
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na InternetPlano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
Luiz Piovesana
 
Técnicas de Negociação
Técnicas de NegociaçãoTécnicas de Negociação
Técnicas de Negociação
Adeildo Caboclo
 
Trabalho Interdisciplinar Ceh D Fome
Trabalho Interdisciplinar   Ceh D FomeTrabalho Interdisciplinar   Ceh D Fome
Trabalho Interdisciplinar Ceh D Fome
BrunoPinho
 
Estrategia da integracao economica na SADC
Estrategia da integracao economica na SADCEstrategia da integracao economica na SADC
Estrategia da integracao economica na SADC
Pradip Ghandi
 
Portfolio FDC 2012
Portfolio FDC 2012Portfolio FDC 2012
Portfolio FDC 2012
Fundação Dom Cabral - FDC
 
E-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias Empresas
E-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias EmpresasE-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias Empresas
E-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias Empresas
Instituto Desenvolve T.I
 
Projeto final
Projeto finalProjeto final
Projeto final
Andréia Oliveira
 
Empreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completo
Empreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completoEmpreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completo
Empreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completo
Pedro Quintanilha
 
Tendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angola
Tendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angolaTendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angola
Tendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angola
Sergio Santos
 
Gestão
GestãoGestão
Tese mestrado gestão empresarial marco libório 2010-11
Tese mestrado gestão empresarial   marco libório 2010-11Tese mestrado gestão empresarial   marco libório 2010-11
Tese mestrado gestão empresarial marco libório 2010-11
Marco Libório
 
Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...
Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...
Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...
André Augusto Toneti
 
SMS Catalogue_PT July 2013
SMS Catalogue_PT July 2013SMS Catalogue_PT July 2013
SMS Catalogue_PT July 2013
M Gomes
 
PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS
PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS
PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS
Douglas R R Santos
 
Automação de Processos de Negócio como Vantagem Competitiva
Automação de Processos de Negócio como Vantagem CompetitivaAutomação de Processos de Negócio como Vantagem Competitiva
Automação de Processos de Negócio como Vantagem Competitiva
Cristiano Gomes
 
Trabalho este planejamento
Trabalho este planejamentoTrabalho este planejamento
Trabalho este planejamento
Bruno Mendes
 

Mais procurados (18)

Analise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresas
Analise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresasAnalise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresas
Analise do papel dos stocks na gestão financeira das pequenas e medias empresas
 
Análise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitiva
Análise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitivaAnálise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitiva
Análise do impacto do ambiente externo na gestão de vantagens competitiva
 
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na InternetPlano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
 
Técnicas de Negociação
Técnicas de NegociaçãoTécnicas de Negociação
Técnicas de Negociação
 
Trabalho Interdisciplinar Ceh D Fome
Trabalho Interdisciplinar   Ceh D FomeTrabalho Interdisciplinar   Ceh D Fome
Trabalho Interdisciplinar Ceh D Fome
 
Estrategia da integracao economica na SADC
Estrategia da integracao economica na SADCEstrategia da integracao economica na SADC
Estrategia da integracao economica na SADC
 
Portfolio FDC 2012
Portfolio FDC 2012Portfolio FDC 2012
Portfolio FDC 2012
 
E-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias Empresas
E-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias EmpresasE-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias Empresas
E-Book Planejamento Estratégico: Pequenas e Médias Empresas
 
Projeto final
Projeto finalProjeto final
Projeto final
 
Empreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completo
Empreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completoEmpreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completo
Empreendedores brasileiros perfis_percepcoes_relatorio_completo
 
Tendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angola
Tendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angolaTendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angola
Tendências Setoriais - Exportacao de leite em po aurolat para angola
 
Gestão
GestãoGestão
Gestão
 
Tese mestrado gestão empresarial marco libório 2010-11
Tese mestrado gestão empresarial   marco libório 2010-11Tese mestrado gestão empresarial   marco libório 2010-11
Tese mestrado gestão empresarial marco libório 2010-11
 
Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...
Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...
Gargalos na-administracao-da-producao-um-estudo-de-caso-em-uma-empresa-do-ram...
 
SMS Catalogue_PT July 2013
SMS Catalogue_PT July 2013SMS Catalogue_PT July 2013
SMS Catalogue_PT July 2013
 
PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS
PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS
PLANO DE NEGÓCIOS - D&J INVESTIMENTOS - AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTOS
 
Automação de Processos de Negócio como Vantagem Competitiva
Automação de Processos de Negócio como Vantagem CompetitivaAutomação de Processos de Negócio como Vantagem Competitiva
Automação de Processos de Negócio como Vantagem Competitiva
 
Trabalho este planejamento
Trabalho este planejamentoTrabalho este planejamento
Trabalho este planejamento
 

Destaque

Guión de taxonomia de Bloom
Guión de taxonomia de Bloom Guión de taxonomia de Bloom
Guión de taxonomia de Bloom
Fernanda960103
 
Guión podcast procesos_exclusión
Guión podcast procesos_exclusiónGuión podcast procesos_exclusión
Guión podcast procesos_exclusión
Ana Lilia Reyes Leal
 
Outubro jardim
Outubro jardimOutubro jardim
Outubro jardim
patronatobonanca
 
Gost 13955 74
 Gost 13955 74 Gost 13955 74
Gost 13955 74cosy_mousy
 
Medellín, 17 octubre de 2011 despedida colombia
Medellín, 17 octubre de 2011  despedida colombia Medellín, 17 octubre de 2011  despedida colombia
Medellín, 17 octubre de 2011 despedida colombia
Colaboramos con MFS El Salvador
 
100520_knie.pdf
100520_knie.pdf100520_knie.pdf
500 E Sarasota Brochure
500 E Sarasota Brochure500 E Sarasota Brochure
500 E Sarasota Brochure
hbs34
 
Rutasdelaprendizajeccesa1 2014
Rutasdelaprendizajeccesa1 2014Rutasdelaprendizajeccesa1 2014
Rutasdelaprendizajeccesa1 2014
EDUCACION
 
Projeto juntos contra a dengue
Projeto juntos contra a dengueProjeto juntos contra a dengue
Projeto juntos contra a dengue
EMEF Prof Roque Verani
 
Final Draft
Final DraftFinal Draft
Final Draft
Alaa Sulaiman
 
Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...
Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...
Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...
matematicaepraticadocente
 
S9 - David Grachat na Revista J
S9 - David Grachat na Revista JS9 - David Grachat na Revista J
S9 - David Grachat na Revista J
S9_David_Grachat
 
TCC - André Arimura / Licenciatura em Matemática
TCC - André Arimura / Licenciatura em MatemáticaTCC - André Arimura / Licenciatura em Matemática
TCC - André Arimura / Licenciatura em Matemática
André Arimura, MBA
 
Planificación anual final lima
Planificación anual final  limaPlanificación anual final  lima
Planificación anual final lima
EDUCACION
 
Setembro jardim
Setembro jardimSetembro jardim
Setembro jardim
patronatobonanca
 
Perspectivas da Educação Matemática no mundo em transição
Perspectivas da Educação Matemática no mundo em transiçãoPerspectivas da Educação Matemática no mundo em transição
Perspectivas da Educação Matemática no mundo em transição
matematicaepraticadocente
 
Emai anos iniciais
Emai   anos iniciaisEmai   anos iniciais
GAD Plan of SUCs
GAD Plan of SUCsGAD Plan of SUCs
GAD Plan of SUCs
Mutya Acebron
 
Historia 1943-1976
Historia 1943-1976Historia 1943-1976
Historia 1943-1976
miiya93
 

Destaque (20)

Sem título 1
Sem título 1Sem título 1
Sem título 1
 
Guión de taxonomia de Bloom
Guión de taxonomia de Bloom Guión de taxonomia de Bloom
Guión de taxonomia de Bloom
 
Guión podcast procesos_exclusión
Guión podcast procesos_exclusiónGuión podcast procesos_exclusión
Guión podcast procesos_exclusión
 
Outubro jardim
Outubro jardimOutubro jardim
Outubro jardim
 
Gost 13955 74
 Gost 13955 74 Gost 13955 74
Gost 13955 74
 
Medellín, 17 octubre de 2011 despedida colombia
Medellín, 17 octubre de 2011  despedida colombia Medellín, 17 octubre de 2011  despedida colombia
Medellín, 17 octubre de 2011 despedida colombia
 
100520_knie.pdf
100520_knie.pdf100520_knie.pdf
100520_knie.pdf
 
500 E Sarasota Brochure
500 E Sarasota Brochure500 E Sarasota Brochure
500 E Sarasota Brochure
 
Rutasdelaprendizajeccesa1 2014
Rutasdelaprendizajeccesa1 2014Rutasdelaprendizajeccesa1 2014
Rutasdelaprendizajeccesa1 2014
 
Projeto juntos contra a dengue
Projeto juntos contra a dengueProjeto juntos contra a dengue
Projeto juntos contra a dengue
 
Final Draft
Final DraftFinal Draft
Final Draft
 
Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...
Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...
Apresentação global do I Seminário Integrado Observatório da Educação UNIBAN ...
 
S9 - David Grachat na Revista J
S9 - David Grachat na Revista JS9 - David Grachat na Revista J
S9 - David Grachat na Revista J
 
TCC - André Arimura / Licenciatura em Matemática
TCC - André Arimura / Licenciatura em MatemáticaTCC - André Arimura / Licenciatura em Matemática
TCC - André Arimura / Licenciatura em Matemática
 
Planificación anual final lima
Planificación anual final  limaPlanificación anual final  lima
Planificación anual final lima
 
Setembro jardim
Setembro jardimSetembro jardim
Setembro jardim
 
Perspectivas da Educação Matemática no mundo em transição
Perspectivas da Educação Matemática no mundo em transiçãoPerspectivas da Educação Matemática no mundo em transição
Perspectivas da Educação Matemática no mundo em transição
 
Emai anos iniciais
Emai   anos iniciaisEmai   anos iniciais
Emai anos iniciais
 
GAD Plan of SUCs
GAD Plan of SUCsGAD Plan of SUCs
GAD Plan of SUCs
 
Historia 1943-1976
Historia 1943-1976Historia 1943-1976
Historia 1943-1976
 

Semelhante a Tcc mba andre arimura

TCC MBA - André Arimura
TCC MBA - André ArimuraTCC MBA - André Arimura
TCC MBA - André Arimura
André Arimura, MBA
 
Plano de negócios
Plano de negóciosPlano de negócios
Plano de negócios
luizcln
 
Abc bplan
Abc bplanAbc bplan
Abc bplan
Momentus Eventos
 
E-Book Plano de Negócios para Empresas na Internet
E-Book Plano de Negócios para Empresas na InternetE-Book Plano de Negócios para Empresas na Internet
E-Book Plano de Negócios para Empresas na Internet
Instituto Desenvolve T.I
 
Material didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdf
Material didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdfMaterial didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdf
Material didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdf
boinadalvi
 
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing InternoGeraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
guest047eaf
 
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing InternoGeraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
guest047eaf
 
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing InternoGeraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
guest047eaf
 
Projeto Gestão da Qualidade
Projeto Gestão da QualidadeProjeto Gestão da Qualidade
Projeto Gestão da Qualidade
manskinho
 
TCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da Silva
TCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da SilvaTCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da Silva
TCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da Silva
Dr. Marcio Wagner da Silva, MBA
 
466 1478-1-pb
466 1478-1-pb466 1478-1-pb
466 1478-1-pb
Valéria Braga
 
466 1478-1-pb
466 1478-1-pb466 1478-1-pb
466 1478-1-pb
Valéria Braga
 
Dn2 projeto total
Dn2 projeto totalDn2 projeto total
Dn2 projeto total
Matheus Lopes
 
Concepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model Canvas
Concepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model CanvasConcepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model Canvas
Concepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model Canvas
Éverton M. Gava
 
Lean nos serviços
Lean nos serviçosLean nos serviços
Lean nos serviços
RM consulting
 
SOA,BPM e a Agilidade na Gestão de Negócio
SOA,BPM e a Agilidade na Gestão de NegócioSOA,BPM e a Agilidade na Gestão de Negócio
SOA,BPM e a Agilidade na Gestão de Negócio
jeanstreleski
 
Dissertação E-commerce
Dissertação E-commerceDissertação E-commerce
Dissertação E-commerce
Charles BENIGNO
 
Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015
Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015
Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015
Leo Martins
 
UFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índice
UFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índiceUFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índice
UFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índice
Manuais Formação
 
Pn exemplo
Pn exemploPn exemplo

Semelhante a Tcc mba andre arimura (20)

TCC MBA - André Arimura
TCC MBA - André ArimuraTCC MBA - André Arimura
TCC MBA - André Arimura
 
Plano de negócios
Plano de negóciosPlano de negócios
Plano de negócios
 
Abc bplan
Abc bplanAbc bplan
Abc bplan
 
E-Book Plano de Negócios para Empresas na Internet
E-Book Plano de Negócios para Empresas na InternetE-Book Plano de Negócios para Empresas na Internet
E-Book Plano de Negócios para Empresas na Internet
 
Material didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdf
Material didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdfMaterial didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdf
Material didático de PO versão 2022 por Maria da Penha.pdf
 
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing InternoGeraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
 
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing InternoGeraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
 
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing InternoGeraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
Geraldo Rodrigues: Lideranças e Marketing Interno
 
Projeto Gestão da Qualidade
Projeto Gestão da QualidadeProjeto Gestão da Qualidade
Projeto Gestão da Qualidade
 
TCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da Silva
TCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da SilvaTCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da Silva
TCC Pós-ADM 21 SJC - Marcio Wagner da Silva
 
466 1478-1-pb
466 1478-1-pb466 1478-1-pb
466 1478-1-pb
 
466 1478-1-pb
466 1478-1-pb466 1478-1-pb
466 1478-1-pb
 
Dn2 projeto total
Dn2 projeto totalDn2 projeto total
Dn2 projeto total
 
Concepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model Canvas
Concepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model CanvasConcepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model Canvas
Concepção e análise de modelos de negócios por meio do Business Model Canvas
 
Lean nos serviços
Lean nos serviçosLean nos serviços
Lean nos serviços
 
SOA,BPM e a Agilidade na Gestão de Negócio
SOA,BPM e a Agilidade na Gestão de NegócioSOA,BPM e a Agilidade na Gestão de Negócio
SOA,BPM e a Agilidade na Gestão de Negócio
 
Dissertação E-commerce
Dissertação E-commerceDissertação E-commerce
Dissertação E-commerce
 
Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015
Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015
Casa dos Kimonos VERSAO final 17122015
 
UFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índice
UFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índiceUFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índice
UFCD_7855_Plano de negócio - criação de pequenos e médios negócios_índice
 
Pn exemplo
Pn exemploPn exemplo
Pn exemplo
 

Último

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 

Último (20)

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 

Tcc mba andre arimura

  • 1. AVMFACULDADEINTEGRADA ANDRÉ SADAO MORAES ARIMURA A ABRANGÊNCIA DOS CRITÉRIOS E FUNDAMENTOS DO MEG NO DIAGNÓSTICO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO NO PRÊMIO MPE BRASIL. SERRA 2014 ANDRÉ SADAO MORAES ARIMURA
  • 2. A ABRANGÊNCIA DOS CRITÉRIOS E FUNDAMENTOS DO MEG NO DIAGNÓSTICO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO NO PRÊMIO MPE BRASIL. Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso de MBA em Gestão de Excelência utilizando Critérios da FNQ, da AVM Faculdade Integrada, como requisito parcial para obtenção do título de Master in Business Administration (Mestre em Administração de Negócios) sob orientação do Prof. César Augusto Leitão. SERRA 2014 ANDRÉ SADAO MORAES ARIMURA
  • 3. A ABRANGÊNCIA DOS CRITÉRIOS E FUNDAMENTOS DO MEG NO DIAGNÓSTICO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO NO PRÊMIO MPE BRASIL. Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso de MBA em Gestão de Exclência utilizando Critérios da FNQ, da AVM Faculdade Integrada, como requisito parcial para obtenção do título de Master in Business Administration. Orientador: Prof. (Título?). César Augusto Leitão Aprovada em .......... / ........... / .............. - _______________________________________________________________ ____ Prof. Examinador: César Augusto Leitão
  • 4. RESUMO O presente trabalho teve por objetivo demonstrar que o tempo curto tempo médio de sobrevivência observado nas Micro e Pequenas empresas é, em sua grande maioria, proveniente da falta de visão sistêmica de gestão do negócio e apresentar os pontos chaves na sobrevivência e prosperidade das mesmas; conceituando quais vertentes do negócio são abrangidos pelo Modelo de Excelência da Gestão (MEG), citando e conceituando critério a critério abordados na avaliação do Prêmio MPE Brasil (que fomenta o respectivo nível de excelência e premia as melhores colocadas) evidenciando a importância da auto avaliação dos pontos fracos de uma gestão para o aumento do padrão de gestão e a sobrevivência das MPEs em seus mercados de negócios específicos. . Palavras-chave: Micro e Pequenas Empresas, Excelência da Gestão, Prêmio MPE Brasil.
  • 5. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO....................................................................................................... 08 1.1OBJETIVOS......................................................................................................... 08 1.1.1 OBJETIVO GERAL.......................................................................................... 08 1.1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS............................................................................ 09 1.2 JUSTIFICATIVA.................................................................................................. 09 1.3 METODOLOGIA................................................................................................. 10 2 REFERENCIAL TEORICO.................................................................................... 11 2.1 MEG – MODELOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO.......................................... 11 2.1.1 Fundamentos.................................................................................................. 12 2.1.1.1 Pensamento sistêmico.................................................................................. 13 2.1.1.2 Aprendizado organizacional...................................................................... 13 2.1.1.3 Cultura de inovação,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,................................................................. 13 2.1.1.4 Liderança e Constança de propósitos...................................................... 14 2.1.1.5 Orientação por processos e informações..................................................... 14 2.1.1.6 Visão de futuro.............................................................................................. 14 2.1.1.7 Geração de valor.......................................................................................... 15 2.1.1.8 Valorização das pessoas.............................................................................. 15 2.1.1.9 Conhecimento sobre o cliente e o mercado................................................. 15 2.1.1.10 Desenvolvimento de parcerias.................................................................... 16 2.1.1.11 Responsabilidade social............................................................................. 16 2.1.1.12 Processos econômicos/financeiros............................................................. 16 2.1.2 – Signo do modelo excelência de gestão.................................................... 17 2.2 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO PRÊMIO MPE BRASIL............................ 18 2.2.1 Liderança........................................................................................................ 20 2.2.2 Governança Corporativa............................................................................... 22 2.2.3 Exercício da Liderança e Promoção da Cultura da Excelência................. 23 2.2.4 Análise do Desempenho da Organização.................................................. 24 2.2.5 Estratégias e Planos.............................................…………………………… 25 2.2.6 Formulação das Estratégias......................................................................... 25 2.2.7 Implementação das Estratégias.................................................................. 26 2.2.8 Clientes.......................................................................................................... 26 2.2.9 Imagem e conhecimento de mercado.......................................................... 27 2.2.10 Relacionamento com Clientes.................................................................... 28
  • 6. 2.2.11 Sociedade.................................................................................................... 29 2.2.12 Responsabilidade Socioambiental............................................................ 29 2.2.13 Desenvolvimento Social.............................................................................. 29 2.2.14 Informações e Conhecimento................................................................... 30 2.2.15 Informações da Organização..................................................................... 30 2.2.16 Informações Comparativas........................................................................ 30 2.2.17 Ativos Intangíveis e Conhecimento Organizacional................................. 32 2.2.18 Pessoas........................................................................................................ 32 2.2.19 Sistemas de Trabalho................................................................................. 33 2.2.20 Capacitação e Desenvolvimento............................................................... 33 2.2.21 Qualidade de Vida....................................................................................... 33 2.2.22 Processos Principais do Negócio e Processos de Apoio....................... 35 2.2.23 Processos de Relacionamento com os Fornecedores........................... 35 2.2.24 Processos Econômicos Financeiros......................................................... 36 2.2.25 Resultados.................................................................................................... 37 2.2.26 Resultados Econômico-Financeiros.......................................................... 37 2.2.27 Resultados Relativos aos Clientes e ao Mercado.................................... 38 2.2.28 Resultados Relativos à Sociedade............................................................. 38 2.2.29 Resultados Relativos às Pessoas............................................................. 38 2.2.30 Resultados dos Processos Principais do Negócio e dos Processos de Apoio........................................................................................ 38 2.2.31 Resultados Relativos aos Fornecedores.................................................. 39 2.3 PROCESSO DE AVALIAÇÃO............................................................................ 40 2.3.1 Seleção Estadual e Nacional........................................................................ 40 2.3.2 Etapas............................................................................................................. 40 2.3.2.1 Etapa Estadual........................................................................................... 41 2.3.2.2 Etapa Nacional........................................................................................... 42 2.3.2.3 Premiação, Direitos e Obrigações das Vencedoras................................ 43 2.3.2.4 Participantes do Prêmio............................................................................. 44 3 CONCLUSÃO........................................................................................................ 45 4 REFERENCIAS..................................................................................................... 47
  • 7. 8 1 INTRODUÇÃO Atualmente as Micro e Pequenas empresas têm um tempo médio de sobrevivência muito curto. Em sua grande maioria, isto é proveniente da falta de visão sistêmica de gestão do negócio em si, resultando em falhas operacionais, táticas e estratégicas em inúmeras áreas que compõem o negócio como um todo. Este trabalho conceituará quais características do negócio são abrangidas pelo Modelo de Excelência da Gestão (MEG) concebido pela Fundação Nacional de Qualidade (FNQ), citando e conceituando seus fundamentos e critérios abordados, juntamente com a identificação dos pontos chaves que influenciam a gestão empresarial, gerando aos gestores uma real visão de seus resultados, evidenciado pelos pontos chaves importes para a sobrevivência e prosperidade da Micro e Pequenas empresas (MPEs) no Brasil. Buscará a identificação dos critérios avaliativos do Prêmio MPE Brasil, com o intuído de evidenciar como MEG e o prêmio fomentam o aumento do nível de excelência, classifica e premia as melhores colocadas dentre o prêmio em cada versão estadual e na nacional. O processo do Prêmio MPE Brasil identifica a real situação de cada empresa em relação a Excelência da Gestão, onde será evidenciará a possibilidade do autoconhecimento e a atuação pontual nos respectivos pontos deficitários. 1.1 OBJETIVOS 1.1.1 OBJETIVO GERAL O objetivo geral do presente trabalho foi de investigação da aplicação do Modelo de excelência da gestão (Modelo de Excelência da Gestão) nas Micros e Pequenas Empresas (MPEs), a correlação dos critérios abordados com a metodologia do
  • 8. 9 Prêmio Anual MPE Brasil em busca da sobrevivência, prosperidade solida das participantes. 1.1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Deforma específica, esseestudo teve porobjetivos:  Identificar aspráticas, oscritérios abordadosesua interação - no que dizrespeitoao tema - dadaspelos autores e pesquisadores;  Investigar osconceitos bibliográficosno que tange aotema.  Identificar asmetodologias usadas no prêmio MPEBrasile;  Relacionar asvantagens proporcionadasas empresas participantes doprêmio. 1.2 JUSTIFICATIVA A pesquisa foi realizada com o intuito identificar os critérios da gestão que evidenciam as causas do percentual tão elevado de fracasso das MPE´s, destacando de forma unânime e esclarecendo como os motivos levantados apontam problemas vinculados ao administrador empreendedor que geralmente, não possui habilidade/conhecimento para gerenciar sua empresa. Juntamente como o Prêmio MPE Brasil classifica, evidencia e possibilita uma auto avaliação dos pontos fracos dentro da sua gestão.
  • 9. 10 1.3 METODOLOGIA Considerando-se o critério de classificação de pesquisa proposto pela faculdade, quanto aos fins e quanto aos meios, tem-se:  Quanto aos fins – trata-se de uma pesquisa exploratória pois pretende proporcionar uma maiorfamiliaridade como tema, levando aoaprimoramento deideias;e  Quanto aos meios – a pesquisa, foi bibliográfica. Bibliográfica, pois para fundamentação teóricado trabalho, realizou-se investigação sobre oseguinte assunto:
  • 10. 11 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 MEG – MODELOS DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO Conforme MARUFF(2010), para manterem-se atualizadas e aproveitar as oportunidades que o mercado oferece, quase que diariamente, as micro e pequenas empresas enfrentam o desafio de adotar atividades inovadoras, suprir as necessidades dos clientes, reter talentos, implementar processos e melhorar sua competitividade. Mas nenhuma ação isolada é suficiente para o sucesso da gestão, se a organização não internalizar a cultura da busca pela excelência. Como forma de sensibilizar e incentivar esse processo, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) dissemina o Modelo de Excelência da Gestão (MEG), que tem como base os fundamentos e critérios de excelência. Com a adoção do Modelo, as empresas passam a ter uma visão sistêmica da sua gestão, por meio da análise e implementação constante de oito critérios (Liderança, Estratégias e Planos, Clientes, Sociedade, Informações e Conhecimento, Pessoas, Processos e Resultados). Para trazer esses conceitos à realidade das MPEs, a instituição promove, periodicamente, a atualização e adaptação de tais critérios para auxiliar organizações de todos os setores a percorrer esse caminho. Mais do que apresentar conceitos de alinhamento e estruturação dos componentes da gestão, o uso do Modelo possibilita às MPEs o exercício da autoa valiação e a implantação de um programa de busca pela excelência, o que aumenta a competitividade da empresa, melhora o clima organizacional, eleva o desempenho financeiro e, principalmente, estabelece uma sistemática eficiente de gestão dos seus clientes. Além disso, as MPEs alinhadas aos critérios e fundamentos de excelência tornam-se mais bem preparadas para superar os desafios e se adaptar às mudanças complexas que afetam o mundo corporativo. De acordo com um estudo feito pela consultoria Mckinsey (2011) e replicado no Brasil pela Omni Marketing (2011), a pedido da Fundação Nacional da Qualidade
  • 11. 12 (FNQ), os negócios e a gestão das organizações devem ser impactados, nos próximos anos, por cinco forças globais de transformações. Consideradas as maiores tensões e oportunidades para inovações, tais forças contemplam o crescimento de mercados emergentes; as alterações demográficas, a sociedade e a produtividade do trabalho; o fluxo global de produtos, informações e capital; as mudanças climáticas e a sustentabilidade; além do crescimento do papel dos governos nas economias e na sustentabilidade ambiental e social. 2.1.1 Fundamentos O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) está alicerçado sobre um conjunto de conceitos fundamentais descritos nos conceitos Fundamentais da Excelência da Gestão, que aborda o contexto social, tecnológico e econômico em que as organizações se encontram. Os Fundamentos da Excelência expressam conceitos reconhecidos internacionalmente e se traduzem em práticas ou fatores de desempenho encontrados em organizações líderes de classe mundial, que buscam constantemente se aperfeiçoar e se adaptar às mudanças globais. Os fundamentos que se baseiam os critérios de Excelência da FNQ são: 2.1.1.1 Pensamento sistêmico Entendimento das relações de interdependência entre os diversos componentes de uma organização, bem como entre a organização e o ambiente externo.
  • 12. 13 2.1.1.2 Aprendizado organizacional Busca o alcance de um novo patamar de conhecimento para a organização por meio de percepção, reflexão, avaliação e compartilhamento de experiências. 2.1.1.3 Cultura de inovação Promoção de um ambiente favorável a criatividade, experimentação e implementação de novas ideias que possam gerar um diferencial competitivo para a organização. 2.1.1.4 Liderança e Constança de propósitos Atuação de forma aberta, democrática, inspiradora e motivadora das pessoas, visando ao desenvolvimento da cultura da excelência, à promoção de relações de qualidade e à proteção dos interesses das partes interessadas.
  • 13. 14 2.1.1.5 Orientação por processos e informações Compreensão e segmentação do conjunto das atividades e processos da organização que agregam valor para as partes interessadas, sendo que as tomadas de decisões e execução de ações devem ter como base a medição e análise de desempenho, levando-se em consideração as informações disponíveis, além de incluir os riscos identificados. 2.1.1.6 Visão de futuro Compreensão dos valores que afetam a organização, seu ecossistema e o ambiente externo no curto e no longo prazo, visando a sua perenização. 2.1.1.7 Geração de valor Alcance de resultados consistentes, assegurando a perenidade da organização pelo aumento de valores tangível e intangível, de forma sustentada para todas as partes interessadas.
  • 14. 15 2.1.1.8 Valorização das pessoas Estabelecimento de relações com as pessoas, criando condições para que elas se realizem profissional e humanamente, maximizando seu desempenho por meio de comprometimento, desenvolvimento de competências e espaço para empreender. 2.1.1.9 Conhecimento sobre o cliente e o mercado Conhecimento e entendimento do cliente e do mercado, visando à criação de valor de forma sustentada para o cliente e, consequentemente, gerado maior competitividade nos mercados. 2.1.1.10 Desenvolvimento de parcerias Desenvolvimento em atividades em conjunto com outras organizações, a partir da plena utilização das competências essenciais de cada uma, objetivando benefícios para ambas as partes.
  • 15. 16 2.1.1.11 Responsabilidade social Atuação que se define pela relação ética e transparente da organização com todos os públicos com os quais se relaciona, estando voltada para o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para gerações futuras; respeitando as diversidades e promovendo a redução das desigualdades sociais como parte integrante da estratégia da organização. 2.1.1.12 Processos econômicos/financeiros Anualmente a organização planeja o seu orçamento, utilizando os dados realizados no ano anterior como uma previsão do que será o ano. A partir desta projeção, é realizado um levantamento da necessidade de cada setor que compõe a empresa. A partir dos dados levantados, é feita uma lista de prioridades onde as ações possíveis mais urgentes são realizadas. Os indicadores de desempenho financeiro considerados nesta metodologia, são:  Receita total mensal;  Custo total mensal;  Resultado mensal: Lucro líquido dividido pela receita total;  Resultado em relação ao mesmo período do ano anterior: resultado mensal atual dividido pelo resultado mensal do mesmo período do ano anterior. Para o controle financeiro de contas a pagar e contas a receber, o trabalho deve ser realizado com um fluxo de caixa. Desta maneira, é possível trabalhar com uma boa previsão para honrar todos os compromissos assumidos.
  • 16. 17 2.1.2 – Signo do modelo excelência de gestão No modelo, os Fundamentos da Excelência são expressos em características tangíveis e distribuídos em requisitos. Estes são agrupamentos cujo objetivo maior é reproduzir de forma lógica a condução de temas essenciais de um negócio e que são denominados de critérios e de itens. O Modelo de Excelência da Gestão é representado pelo diagrama baixo, o que permite ao administrador obter uma visão sistêmica da gestão organizacional. Figura 1 – Modelo de excelia da gestão. Fonte: A relação entre os Fundamentos e os Critérios, 2011.
  • 17. 18 2.2 CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DO PRÊMIO MPE BRASIL Diante desse cenário de incertezas e constantes transformações globais, estruturar a gestão da empresa e se antecipar a essas mudanças passa a ser primordial para que as MPEs tenham visão de futuro e saibam identificar seus pontos fortes e oportunidades de melhoria, de forma a melhorarem a administração do negócio e se tornarem mais competitivas. Gerir bem o negócio é, enfim, essencial à sobrevivência das empresas. E, cada vez mais, as MPEs estão conscientes e preocupadas em buscar a excelência da gestão o que se reflete na ampla participação dos micro e pequenos empresários no MPE Brasil - Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas, realizado pelo SEBRAE, Movimento Brasil Competitivo (MBC), Gerdau e Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) e que em 2013 bateu recorde de inscrições com quase 80 mil inscritas espalhadas por todo o país e mais de 38 mil autos avaliações preenchidas. Esse aumento mostra que mais de 38 mil empresas receberam um relatório diagnóstico da gestão da sua empresa com pontos fortes e oportunidades de melhoria, tornando-se assim mais capazes de implantar ações eficientes e eficazes, que possam gerar retorno ao negócio e valor para a sociedade. Devido ao último fechamento anual de dados disponíveis (SEBRAE, 2013), atualmente responsáveis por 20% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e por 54% dos empregos formais, as MPEs dependem de sua capacidade de estruturar uma gestão eficaz e competir no mercado para reagir às transformações globais e garantir sua perenidade. Levando isso em conta, a FNQ acredita no potencial dessas organizações para o crescimento econômico do País e aposta na adoção de práticas sistêmicas de gestão das micro e pequenas empresas para ampliar a competitividade e proporcionar mais chances de sucesso. O “MPE Brasil – Prêmio de Competitividade para Micros e Pequenas Empresas” se constitui no reconhecimento estadual e nacional às Micros e Pequenas Empresas que promovem o aumento a qualidade, da produtividade e da competitividade, pela disseminação de conceitos e práticas de gestão. (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
  • 18. 19 As categorias de reconhecimento são:  Agronegócio;  Comércio;  Indústria;  Serviço de Educação;  Servço de Saúde;  Serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação – desenvolvimento, implantação e gerenciamento de Software;  Serviço de turismo – bares, restaurantes, pousadas, agências de viagens, transportes turísticos;  Serviços outros – empresas de serviços que não se enquadrem nas categorias de serviços acima. O Modelo de Excelência da Gestão é concebido tendo como base os Fundamentos da Excelência, sendo constituídos por oito critérios:  Liderança;  Estratégias e Planos;  Clientes;  Sociedade;  Informações e conhecimento;  Pessoas;  Processos;  Resultados. Os oito critérios constituintes do Modelo de Sistema da Gestão (MEG) subdividem- se em vinte e quatro itens de avaliação. Entre os itens, há os de processos gerenciais e os de resultados organizacionais: os itens de processos gerenciais solicitam informações relacionadas ao sistema de gestão da organização, sem prescrever práticas, métodos de trabalho ou ferramentas; e os resultados organizacionais solicitam, conforme o nome indica, a apresentação dos resultados, informações comparativas e explicações sobre eventuais tendências ou níveis atuais adversos.
  • 19. 20 Os itens de processos gerenciais são compostos por:  Os respectivos padrões de trabalho;  Os métodos utilizados para controle;  O grau de disseminação (processos, produtos e/ou pelas partes interessadas em que as práticas estão implementadas);  A continuidade (início de uso e periodicidade);  A integração. Os itens de resultados organizacionais requerem:  A apresentação de uma série histórica de dados que permita analisar a sua tendência. Para tanto, é requerida a apresentação de resultados quantitativos abrangendo pelo menos três períodos consecutivos da aplicação das práticas, coerentes com o ciclo de planejamento e análise do desempenho da organização;  Que sejam informados os níveis de desempenho associados aos principais requisitos de partes interessadas, nos resultados que os expressam.  A apresentação de resultados comparados com níveis de desempenho de outras organizações, considerada como um referencial comparativo pertinente. 2.2.1 Liderança Este critério aborda a governança da organização, incluindo a transparência, a equidade, a prestação de contas, a responsabilidade corporativa e consideram os valores e princípios, o relacionamento ético e os riscos da organização. Também aborda o exercício da liderança, incluindo temas como o estabelecimento dos padrões de trabalho, aprendizado, inovação e mudança cultural. O critério aborda ainda a análise do desempenho da organização enfatizando a comparação com o de
  • 20. 21 outras organizações, o atendimento aos requisitos das partes interessadas e a avaliação do êxito das estratégias. 2.2.2 Governança Corporativa Este item aborda a implementação de processos gerencias que contribuem diretamente para o compromisso da organização da excelência, com a sustentabilidade, com a transparência e com o aumento do nível de confiança das partes interessadas. Este item subdivide-se em sete questões principais:  Apresentação dos métodos utilizados para controlar os atos da direção, garantindo-se assim a equidade entre os sócios, mantenedores ou instituidores, protegendo os direitos das partes interessadas;  Pede-se para apresentar os Valores e os Princípios organizacionais necessários à promoção da Excelência, à criação de valor para todas as partes interessadas e ao desenvolvimento sustentável;  Como a organização assegura o relacionamento ético com concorrentes e também dentro da organização, para os integrantes da sua Administração e da sua fora de trabalho?  Pede-se para apresentar quais os métodos utilizados para identificar, classificar, analisar e tratar os riscos empresariais mais significativos que possa afetar a imagem e a capacidade da organização de alcançar os objetivos estratégicos e dos negócios.  É analisado como as principais decisões são tomadas, comunicadas e implementadas assegurando a transparência e considerando o envolvimento de todos os interessados no tema tratado.  Como os fatos relevantes são prontamente comunicados à sociedade e às demais partes interessadas?
  • 21. 22  Pergunta-se também como a organização presta conta de suas ações e resultados alcançados a quem a elegeu, nomeou ou a designou. 2.2.3 Exercício da Liderança e Promoção da Cultura da Excelência Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para o engajamento da força de trabalho e demais partes interessadas no êxito das estratégias e na promoção da cultura da excelência. Este item subdivide-se em oito pontos principais:  Como a direção exerce a liderança e interage com as partes interessadas, identificando expectativas, buscando o alinhamento e a mobilização da força de trabalho, o apoio das demais partes interessadas para o êxito das estratégias, a construção de parcerias e o alcance sustentado dos objetivos da organização.  Pede-se a descrição dos métodos utilizados para a análise, planejamento e estímulo as mudanças culturais na organização necessárias para a internalização dos valores e princípios organizacionais e para a consecução das estratégias.  Como a organização estimula a diversidade de ideias e de culturas com a força de trabalho?  Como os valores e os princípios organizacionais são comunicados as partes interessadas?  Pede-se o método utilizado de identificação de pessoas com potencial de liderança.  Avaliação e desenvolvimento dos lideres atuais em relação às competências necessárias.  Maneira que são definidos os padrões de trabalho.
  • 22. 23  Como é implementado o aprendizado e como é estimulada a inovação na organização. 2.2.4 Análise do Desempenho da Organização Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem para avaliar o desempenho operacional e estratégico da organização, em relação às metas e às informações comparativas do setor ou do mercado. Este item subdivide-se em seis requisitos:  Pede-se para apresentar quais os critérios utilizados para determinar quais são os resultados mais importantes a serem comparados e também para identificar quais as organizações consideradas como referenciais comparativos pertinentes.  Quais são as técnicas utilizadas para agregação e análise dos resultados?  Como são consideradas, na análise do desempenho da organização, as variáveis dos ambientes interno e externo relevantes para o êxito das estratégias.  O método de avaliação do êxito das estratégias e o alcance dos objetivos da organização.  Como as decisões decorrentes da análise do desempenho da organização são comunicadas à força de trabalho, em todos os níveis da organização, e a outras partes interessadas, quando pertinentes?  Como é acompanhada a implementação das decisões decorrentes da análise do desempenho da organização?
  • 23. 24 2.2.5 Estratégias e Planos Este critério aborda a formulação das estratégias, enfatizando as análises de tendências e fatores dos ambientes externo e interno, bem como a avaliação de alternativas estratégicas e do próprio modelo do negócio. Também aborda o processo de implementação das estratégias, incluindo a definição de indicadores, o desdobramento das metas e dos planos para as diversas áreas da organização e a revisão das estratégias à luz das mudanças no ambiente. 2.2.6 Formulação das Estratégias Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a geração de estratégias consistentes e coerentes e de um modelo de negócio competitivo. Este item divide-se em cinco pontos:  Pede-se o método utilizado para a análise do macro ambiente e a maneira de identificação e análise das características do setor de atuação da organização e suas tendências.  Como é analisado o mercado de atuação da organização e suas tendências?  Como é analisado o ambiente interno da organização?  Quais os métodos utilizados na avaliação das alternativas decorrentes das análises dos ambientes e definidos as estratégias da organização?  Como é avaliado e definido o modelo de negócio competitivo em relação às estratégias definidas e às perspectivas dos mercados e do setor de atuação da organização?
  • 24. 25 2.2.7 Implementação das Estratégias Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para assegurar o desdobramento, a realização e a atualização das estratégias da organização. Este item possui sete pontos principais:  Pede-se o método utilizado para a definição dos indicadores para a avaliação das estratégias implementadas.  Como as metas estabelecidas são desdobradas para as diversas áreas da organização?  Como os planos de ação são desdobrados para as diversas áreas da organização?  Como os recursos são alocados para assegurar a implementação dos planos de ação?  Qual a maneira utilizada para comunicar as estratégias, as metas e os planos de ação para todas as partes interessadas?  Como a organização acompanha os ambientes internos e externos com as mudanças percebidas? 2.2.8 Clientes Este critério aborda o conhecimento do mercado da organização, destacando a identificação, análise e compreensão das necessidades e expectativas dos clientes. Também aborda a imagem, incluindo a divulgação das marcas e dos produtos, e como a organização se relaciona com os clientes, incluindo a avaliação da satisfação, da fidelidade e insatisfação dos clientes.
  • 25. 26 2.2.9 Imagem e conhecimento de mercado Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para entender as necessidades e expectativas dos clientes-alvo, tornarem produtos e marcas conhecidas e a imagem favorável para conquistar clientes e mercados. Este item divide-se em seis questões principais:  Como o mercado é segmentado?  Como são definidos os clientes-alvo?  Como são identificadas, analisadas e compreendidas as necessidades e expectativas dos clientes  Como a marca e os produtos são divulgados aos clientes e ao mercado?  Como são identificados e avaliados os níveis de conhecimento dos clientes e mercados a respeito das marcas e dos produtos da organização?  Como é avaliada a imagem da organização perante os clientes e mercados? 2.2.10 Relacionamento com Clientes Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a satisfação dos clientes e sua fidelização aos produtos e marcas. Este item aborda sete questões principais:  Como são definidos e divulgados os canais de relacionamentos para os clientes?  Como são tratadas as reclamações, solicitações ou sugestões dos clientes?
  • 26. 27  Como os resultados das reclamações, solicitações ou sugestões dos clientes são repassados às outras áreas da organização?  Como as transações com os clientes são acompanhadas?  Como são avaliadas e comparadas a satisfação, a fidelidade e insatisfação dos clientes?  Como as informações obtidas dos clientes são analisadas e utilizadas?  Como são buscadas e desenvolvidas parcerias com clientes, distribuidores e revendedores? 2.2.11 Sociedade Este critério aborda a responsabilidade e a atuação socioambiental voltadas para o desenvolvimento sustentável e o desenvolvimento social. 2.2.12 Responsabilidade Socioambiental Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a geração de produtos, processos e instalações seguras aos usuários, à população e ao meio ambiente, promovendo o desenvolvimento sustentável. Este item é questionado em sete questões:  Como a organização identifica os aspectos e trata os impactos sociais e ambientais de seus produtos, processos e instalações?
  • 27. 28  Como a organização se mantém preparada e estabelece procedimentos para responder às eventuais situações de emergência e potenciais acidentes?  Como os impactos sociais e ambientais são comunicados à sociedade?  Como são identificados e analisados os requisitos legais, regulamentares e contratuais aplicáveis a questões socioambientais?  Como é propiciada a acessibilidade aos produtos e instalações da organização?  Como a organização seleciona e promove, de forma voluntária, ações com vistas ao desenvolvimento sustentável?  Como a organização desenvolve parcerias, conscientiza, incentiva e envolve a força de trabalho, clientes, fornecedores e demais partes interessadas na implementação e apoio às suas ações e projetos ambientais? 2.2.13 Desenvolvimento Social Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para estimular o desenvolvimento social e promover uma imagem favorável da organização perante as comunidades vizinhas e a sociedade. Este item divide-se em seis questões principais:  Como as necessidades e expectativas da sociedade são identificadas, analisadas e compreendidas e utilizadas para a definição e melhoria da sua atuação social?  Como a organização direciona esforços para o fortalecimento da sociedade e das comunidades vizinhas?  Como a organização desenvolve parcerias, conscientiza e incentiva a todos os interessados na implementação e apoio aos seus projetos sociais?  Como é avaliado o grau de satisfação de toda a sociedade em relação à organização?
  • 28. 29  Como as informações obtidas da sociedade são analisadas e utilizadas para intensificar a sua satisfação, aperfeiçoar ou desenvolver novos processos e produtos?  Como a organização avalia e zela a sua imagem perante a sociedade? 2.2.14 Informações e Conhecimento Este critério aborda a orientação por informações, incluindo a obtenção de informações comparativas pertinentes. Também aborda o desenvolvimento dos ativos intangíveis com ênfase no conhecimento que sustenta o desenvolvimento das estratégias e operações. 2.2.15 Informações da Organização Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a disponibilização sistemática de informações atualizadas, precisa se seguras aos usuários, com o apoio da tecnologia da informação. Este item é questionado em seis questões:  Como são identificadas as necessidades de informações, para apoiar as operações diárias, acompanhar o progresso dos planos de ação e subsidiar a tomada de decisão?  Como são definidos, desenvolvidos, implantados e melhorados os principais sistemas de informação?
  • 29. 30  Como são asseguradas as atualizações tecnológicas dos sistemas desenvolvidos?  Como a tecnologia da informação é utilizada para alavancar o negócio e promover a integração da organização com seus clientes, fornecedores e parceiros?  Como as informações necessárias são colocadas à disposição de todas as partes interessadas?  Como é gerenciada a segurança das informações? 2.2.16 Informações Comparativas Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a obtenção de informações de outras organizações para poder comparar o desempenho e para melhorar processos e produtos. Este item divide-se em quatro questões:  Como são identificadas as fontes de informações comparativas?  Como são obtidas e mantidas atualizadas as informações comparativas?  Como as informações comparativas obtidas são analisadas visando à sua adaptação à realidade da organização?  Como são asseguradas a confidencialidade, integridade e a disponibilidade das informações trocadas com outras organizações?
  • 30. 31 2.2.17 Ativos Intangíveis e Conhecimento Organizacional Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para o aumento do diferencial competitivo da organização por meio da criação, compartilhamento, desenvolvimento, retenção e proteção dos ativos intangíveis e particularmente, do conhecimento que sustenta o desenvolvimento das estratégias e operações. Este item é questionado em cinco quesitos:  Identificação dos ativos intangíveis que agregam valor ao negócio.  Como os principais ativos intangíveis identificados são desenvolvidos?  Como os principais ativos intangíveis são retidos e protegidos?  Qual o método utilizado para identificar e desenvolver os conhecimentos que sustentam o desenvolvimento das estratégias e operações?  Como são compartilhados e retidos os conhecimentos da organização? 2.2.18 Pessoas Este critério aborda a organização do trabalho, os processos relativos à seleção e contratação de pessoas e equipes. Também aborda os processos relativos à capacitação e desenvolvimento das pessoas e como a organização promove a construção do ambiente propício à inovação e a qualidade de vida das pessoas interna e externamente ao ambiente de trabalho.
  • 31. 32 2.2.19 Sistemas de Trabalho Este item aborda a implementação de processos gerencias que contribuem diretamente para o alto desempenho das pessoas e das equipes. Este item divide-se em cinco pontos principais:  Como a organização do trabalho é definida?  Como as pessoas são selecionadas, interna e externamente?  Como as pessoas recém-contratadas são integradas à cultura organizacional?  Como o desempenho das pessoas e equipes é avaliado?  Como a remuneração, reconhecimento e os incentivos estimulam o alcance das metas de alto desempenho e a cultura da excelência? 2.2.20 Capacitação e Desenvolvimento Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a capacitação e desenvolvimento dos membros da força de trabalho. Neste item são feitos cinco questionamentos:  Como as necessidades de capacitação e desenvolvimento são identificadas?  Como os programas de capacitação e desenvolvimento abordam a cultura da excelência e contribuem para consolidar o aprendizado organizacional?  Como é concebida a forma de realização dos programas de capacitação e desenvolvimento?  Como a eficácia dos programas de capacitação é avaliada?
  • 32. 33  Como a organização promove o desenvolvimento integral das pessoas? 2.2.21 Qualidade de Vida Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente à criação de um ambiente seguro e saudável e a obtenção do bem- estar, da satisfação e comprometimento das pessoas. Este item divide-se em cinco pontos principais:  Como é o método de identificação e tratamento de riscos relacionados à saúde ocupacional, segurança e ergonomia?  Como as necessidades e expectativas das pessoas da força de trabalho são identificadas, analisadas e compreendidas?  Como o bem-estar, comprometimento e a satisfação das pessoas são avaliados?  Qual a maneira de tratamento dos fatores que afetam o bem-estar, a satisfação e o comprometimento das pessoas e como é mantido um clima organizacional favorável à criatividade, à inovação, a excelência no desempenho?  Como a organização colabora para a melhoria da qualidade de vida das pessoas fora do ambiente de trabalho?
  • 33. 34 2.2.22 Processos Principais do Negócio e Processos de Apoio Este item aborda a implementação de processo gerenciais que contribuem diretamente para assegurar um excelente desempenho dos processos, a geração dos produtos que atendam às necessidades e expectativas de todas as partes interessadas. Este item divide-se em cinco questões:  Qual o método de identificação dos processos de agregação de valor?  Como são determinados os requisitos aplicáveis aos processos principais do negócio e aos processos de apoio?  Como os processos principais do negócio e os processos de apoio são projetados?  Como os processos principais do negócio e os processos de apoio são controlados?  Como a organização analisa e melhora os processos principais do negócio, processos de apoio e produtos? 2.2.23 Processos de Relacionamento com os Fornecedores Este item aborda a implementação de processos gerencias que contribuem diretamente para o desenvolvimento e melhoria da cadeia de suprimentos e para o comprometimento dos fornecedores e parceiros com a excelência. Este item é questionado em sete pontos:  Como a organização identifica potenciais fornecedores e parceiros, desenvolve parceiras, e a sua cadeia de suprimentos?
  • 34. 35  Como a organização atua para erradicar o trabalho infantil e impedir o trabalho degradante e forçado na sua cadeia de suprimento?  Qual o método para identificar, analisar e compreender as necessidades e expectativas dos fornecedores?  Como os fornecedores são qualificados e selecionados?  Como os fornecedores são avaliados e prontamente informados sobre o seu desempenho?  Como a organização estimula a melhoria e a inovação nos processos de fornecimento e nos produtos adquiridos?  Como os fornecedores que atuam diretamente nos processos da organização são envolvidos e comprometidos com os princípios organizacionais? 2.2.24 Processos Econômicos Financeiros Este item aborda a implementação de processos gerenciais que contribuem diretamente para a sustentabilidade econômico-financeiro da organização. Este item divide-se em cinco questões principais:  Como são determinados os requisitos de desempenho econômico-financeiro da organização?  Como a organização assegura os recursos financeiros necessários para atender às necessidades operacionais?  Como a organização define os recursos financeiros e avalia os investimentos necessários visando a suportar as estratégias e planos de ação?  Como são quantificados e monitorados os riscos financeiros da organização?  Como é elaborado e controlado o orçamento?
  • 35. 36 2.2.25 Resultados Este critério aborda os resultados da organização, abrangendo os econômico- financeiros e os relativos aos clientes e mercados, sociedades, pessoas, processos principais do negócio e de apoio, assim como os relativos ao relacionamento com fornecedores. A avaliação dos resultados inclui a análise da tendência e do nível atual de desempenho, pela verificação do atendimento dos requisitos das partes interessadas e pela comparação com o desempenho de outras organizações. 2.2.26 Resultados Econômico-Financeiros Este item aborda os resultados econômico-financeiros da organização, incluindo os relativos à estrutura, liquidez, atividade e rentabilidade. Pede-se para apresentar o resultado dos principais indicadores relativos à gestão econômico-financeira, classificando-os segundo os grupos de estrutura, liquidez, atividade e rentabilidade. Estratificar o resultado por unidade ou filiais, quando aplicáveis. 2.2.27 Resultados Relativos aos Clientes e ao Mercado Este item aborda os resultados relativos aos clientes e aos mercados, incluindo os referentes à imagem da organização. Pede-se para apresentar os resultados dos principais indicadores relativos aos clientes e aos mercados. Estratificar por grupos de clientes, segmentos de mercado ou tipo de produtos, quando aplicáveis.
  • 36. 37 2.2.28 Resultados Relativos à Sociedade Este item aborda os resultados relativos à sociedade, incluindo os referentes à responsabilidade socioambiental e ao desenvolvimento social. Pede-se para apresentar os resultados dos principais indicadores relativos à sociedade, incluindo os relativos à responsabilidade socioambiental e ao desenvolvimento social. Estratificar o resultado por instalações, quando aplicável. 2.2.29 Resultados Relativos às Pessoas Este item aborda os resultados relativos às pessoas, incluindo os referentes aos sistemas de trabalho, à capacitação e desenvolvimento e à qualidade de vida. Pede- se para apresentar os resultados dos principais indicadores relativos às pessoas, incluindo os relativos aos sistemas de trabalho, à capacitação e desenvolvimento e à qualidade de vida. Estratificar os resultados por grupos de pessoas da força de trabalho, funções na organização e, quando aplicável, por instalações. 2.2.30 Resultados dos Processos Principais do Negócio e dos Processos de Apoio Este item aborda os resultados relativos ao produto e à gestão dos processos principais do negócio e aos processos de apoio. Pede-se para apresentar os resultados dos indicadores relativos ao produto e à gestão dos processos principais do negócio e dos processos de apoio.
  • 37. 38 2.2.31 Resultados Relativos aos Fornecedores Este item aborda os resultados relativos aos produtos adquiridos e à gestão do relacionamento com os fornecedores. Neste item pede-se apresentar os resultados dos principais indicadores relativos aos produtos adquiridos e à gestão de relacionamento com os fornecedores. Estratificar os resultados por grupos de fornecedores ou tipos de produtos adquiridos, quando aplicáveis. 2.3 PROCESSO DE AVALIAÇÃO 2.3.1 Seleção Estadual e Nacional Na etapa Estadual, as empresas são avaliadas por meio de questionário de auto avaliação que analisa as dimensões de Gestão Empresarial, Empreendedorismo e Destaque de Boas Práticas de Responsabilidade Social. (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014) Na etapa Nacional, a avaliação das empresas vencedoras da etapa estadual e concorrente à etapa nacional será realizada pela análise do questionário de auto- avaliação, por elas respondido na etapa estadual e do relatório de avaliação, também da etapa estadual, com os comentários do avaliador sobre os pontos fortes e oportunidades de melhoria na gestão da empresa. (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
  • 38. 39 2.3.2 Etapas Os processos de avaliação e seleção das empresas obedecerão às seguintes etapas: 2.3.2.1 Etapa Estadual Primeira Etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  Sendo validadas as inscrições das empresas candidatas, as informações prestadas na inscrição e apresentadas no questionário de auto avaliação serão analisadas pela Comissão Técnica, resultando em uma pontuação obtida por cada empresa.  Serão consideradas aptas para visitas as empresas que obtiverem melhor pontuação em seus estados e apresentarem informações adicionais coerentes com as suas respostas. Segunda etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  As empresas selecionadas serão visitadas pelas comissões técnicas para comprovar os dados respondidos nos questionários Terceira etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  Os avaliadores ajustarão a pontuação, caso necessário e emitindo um relatório. Quarta etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
  • 39. 40  Os relatórios emitidos pelos avaliadores e compilados pela comissão técnica serão apresentados a uma Banca de Juízes, que os validará considerando as etapas anteriores, definindo e declarando as empresas vencedoras em cada categoria. 2.3.2.2 Etapa Nacional Primeira etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  As empresas vencedoras na etapa estadual que tenham se classificado para a etapa nacional deverão confirmar as informações e os dados prestados na inscrição e apresentados no questionário de auto avaliação. Segunda etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  As informações prestadas e apresentadas no questionário de auto avaliação e no relatório de avaliação serão analisadas pela comissão técnica, resultando em uma pontuação obtida para cada empresa. Terceira etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  As empresas selecionadas serão visitadas por um avaliador que validará as informações fornecidas na inscrição e no questionário de auto avaliação. Quarta etapa: (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  Os relatórios emitidos pela Comissão Técnica serão apresentados a uma banca de juízes, que os validará considerando as etapas anteriores, definindo e declarando a empresa vencedora em cada categoria por meio de um parecer técnico.
  • 40. 41 2.3.2.3 Premiação, Direitos e Obrigações das Vencedoras  As vencedoras da etapa nacional receberão, cumulativamente, os prêmios da etapa estadual e mais uma viagem de capacitação em território nacional; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  Será facultada às empresas vencedoras, ampla divulgação desta condição. A divulgação deverá ocorrer com a utilização obrigatória do nome da razão social que consta do contrato social ou com o uso do nome fantasia, além da indicação da categoria e ciclo de premiação; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  Será reservado às organizações promotoras o direito de divulgar os nomes das vencedoras, além de exibir os respectivos casos em universidades, seminários, outros eventos e em todas as mídias disponíveis por tempo indeterminado; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  Será compromisso das empresas vencedoras, compartilharem suas experiências com outras organizações, resguardando informações de caráter nacional; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  As empresas consideradas finalistas receberão certificado de reconhecimento, participação em Seminário Internacional realizado pela Fundação Nacional da Qualidade, Relatório de Avaliação com os prontos fortes e oportunidades de melhorias; (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)  As empresas consideradas vencedoras receberão troféu, certificado de reconhecimento, relatório de avaliação com os pontos fortes e oportunidades de melhorias, participação no Seminário Internacional em Busca da Excelência, realizado pela Fundação Nacional da Qualidade, viagem de capacitação no território nacional e direito de veiculação, que foi a melhor do país em sua categoria no prêmio MPE Brasil, incluindo o ciclo de premiação. (Questionário de Auto avaliação MPE Brasil – 2014)
  • 41. 42 2.3.2.4 Participantes do Prêmio O “Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas” será dirigidoàs empresas que se enquadram nas seguintes características: (Questionário de Auto- avaliação MPE Brasil – 2014)  Ter receita bruta anual de até dois milhões e quatrocentos mil reais;  Ter contemplado pelo menos um ano fiscal;  Ter domicílio fiscal no estado da respectiva inscrição;  Comprovar regularidade fiscal e estatuária, como por exemplo, CNPJ, certidão negativa de débito de INSS e FGTS, certidão conjunta de débitos relativos a tributos federais e à dívida ativa da União, recibo de entrega de declaração da RAIS, declaração do contador da empresa, relatando que a mesma não ultrapassa o limite máximo de enquadramento de micro e pequena empresa MPE e documentos legais, de acordo com seu ramo de atividade.
  • 42. 43 3 CONCLUSÃO Conforme identificado neste trabalho, os fundamentos do MEG abrangem uma visão sistêmica de gestão do negócio considerando as vertentes sociais, tecnológicas, econômicas e ambientais. Tais fundamentos baseiam-se no pensamento sistêmico, considerando a cultura organizacional, estimulando a cultura da inovação com uma liderança focada em propósitos definidos pela missão e visão, com ações orientadas por processos e focadas em resultados gerados pela plena gestão da informação em conjunto a gestão de recursos intangíveis (conhecimento e pessoas), identificando e classificando os parceiros influentes na sobrevivência financeira do negócio como clientes, fornecedores e a ciência do posicionamento dentro o mercado, seus principais concorrentes, determinando ações com propósitos econômicos/financeiros e respeitando a responsabilidade social e a sustentabilidade ambiental. Estes fundamentos aumentam o desempenho das MPEs em forma de boas práticas de excelência da gestão, identificadas pelos critérios como: pessoas, processos, estratégias e planos, liderança, clientes, sociedade, informações e conhecimentos internos/externos e resultados. Tendo em vista o uso do MEG como base avaliativa no Prêmio MPE Brasil, o respectivo prêmio fomenta o nível de excelência e premia as melhores colocadas sobre os devidos fundamentos e critérios, consequentemente aumentando o padrão de gestão e a sobrevivência das MPEs em seus mercados de negócios classificados como: agronegócio, comércio, indústria, serviço de educação, serviço de saúde, serviço de tecnologia da informação e comunicação, serviços de turismo e outros serviços. O processo do Prêmio MPE Brasil, gera relatório que identifica a real situação de cada empresa (RA – Relatório de Avaliação) em relação a Excelência da Gestão, possibilitando assim o autoconhecimento e a possibilidade de atuarem pontualmente nos respectivos pontos deficitários. Premiando as melhores pontuadas dentro o processo seletivo e classificatório, incluindo pré-avaliação do RAA (Relatório de Auto avaliação) preenchido pelos próprios empresários, das informações financeiras, definindo as pré-classificadas que receberão as equipes avaliativas de retificação ou ratificação dos dados apresentados no RAA inicial, premiando os melhores pontuados em cerimônia da etapa estadual e posteriormente
  • 43. 44 cada MPE ganhadora das categorias estaduais competem com suas pontuações contra as ganhadores de outros estados na etapa nacional. A soma do MEG ao Prêmio MPE Brasil é importantíssimo para economia Brasileira, pois busca capacitar, desenvolver e manter a sobrevivência das MPEs que são importantes integrantes da economia do pais.
  • 44. 45 4 REFERÊNCIAS FNQ. Critérios de excelência: Avaliação e Diagnóstico da gestão organizacional. 19 ed. Janeiro/2011. Fundação Nacional da Qualidade. São Paulo/SP. FNQ. Critérios compromisso com a excelência: Avaliação e diagnóstico da gestão organizacional. 6 ed. Abril/2011. Fundação Nacional da Qualidade. São Paulo/SP. MPE Brasil Ciclo 2014: Apostila de treinamento para avaliadores líderes. Ed revisada. Julho/2014. SEBRAE-ES. Vitória/ES. Abordagem por processos segundo o modelo de excelência da gestão para microempresa. Maruff, Alexandre R. Abril/2010. Juiz de Fora/MG.