SlideShare uma empresa Scribd logo
Dra.Margarida S. Matos
Doutora em Medicina e Saúde
Profa. Titular de Ginecologia da EBMSP
Profa. Adjunta de Ginecologia da FAMED/UFBa
CENGISA- Centro Ginecológico de Salvador
PREVENÇÃO DO CÂNCER DO
COLO UTERINO
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Conceito
O câncer do colo do útero é uma patologia caracterizada pela
replicação desordenada do epitélio de revestimento do órgão,
comprometendo o tecido subjacente (estroma) e podendo
invadir estruturas e órgãos contíguos ou à distância.
Profa. Margarida S. Matos
Cerca de 90% do câncer do colo, ocorre na chamada zona de
transformação, que é a região do colo uterino onde o epitélio colunar foi
e/ou está sendo substituído pelo novo epitélio escamoso metaplásico.
PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
Epidemiologia
No Brasil, excluídos os de tumores de pele não melanoma, o câncer do colo do
útero é o terceiro tipo de câncer mais incidente entre mulheres.
Para o ano de 2023 estão estimados 17.010 casos novos, o que representa
uma um risco considerado de 13,25 casos a cada 100 mil mulheres (INCA,
2022).
Análise regional do câncer do colo do útero no Brasil / 2022.
Norte primeiro mais incidente (20,48/100 mil)
Nordeste segundo mais incidente (17,59/100 mil)
Centro-Oeste terceiro mais incidente (16,66/100 mil)
Região Sul quarto mais incidente (14,55/100 mil)
Região Sudeste quinto mais incidente (12,93/100 mil)
(INCA, 2022).
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
Regiões/Unidades da
Federação
Nº de
casos
Taxa
Bruta
Taxa
Ajustada
Região Norte 1.980 20,48 16,77
Acre 70 15,23 15,41
Amapá 40 21,86 26,73
Amazonas 610 27,63 31,71
Pará 830 18,65 19,48
Rondônia 150 16,33 16,39
Roraima 40 10,91 13,25
Tocantins 180 22,00 16,77
Região Nordeste 5.280 17,59 13,85
Alagoas 370 20,91 18,54
Bahia 1.160 14,93 11,84
Ceará 1.030 21,49 13,97
Maranhão 800 21,71 21,13
Paraíba 290 13,42 10,5
Pernambuco 770 15,18 12,14
Piauí 360 21,19 15,23
Rio Grande do Norte 280 15,33 12,06
Sergipe 220 17,71 13,85
Região Centro-Oeste 1.440 16,66 11,09
Distrito Federal 240 14,47 11,05
Goiás 660 17,74 9,12
Mato Grosso 220 12,33 11,14
Mato Grosso do Sul 320 21,71 17,73
Região Sudeste 6.020 12,93 8,57
Espírito Santo 260 12,43 9,4
Minas Gerais 1.670 15,17 7,73
Rio de Janeiro 1.540 16,71 11,76
São Paulo 2.550 10,52 7,58
Região Sul 2.290 14,55 9,77
Paraná 790 13,19 9,77
Rio Grande do Sul 620 10,42 7,11
Santa Catarina 880 23,18 17,2
Brasil 17.010 15,38 13,25
Representação espacial das taxas estimadas
de incidência por neoplasia maligna do colo do
útero, ajustadas por idade pela população
mundial, por 100 mil mulheres, segundo
Unidade da Federação, 2023.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
• O câncer do colo do útero / História natural
• Tem como causa básica a infecção pelo papilomavírus humano (HPV).
• Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, que estão relacionados à origem de
lesões benignas como verrugas (HPV não oncogênico ou de baixo risco);
lesões precursoras; e a vários tipos de câncer (HPV oncogênico ou de alto risco).
• Os tipos de HPV oncogênicos mais comuns identificados no câncer do colo do útero incluem
• WILD; WEIDERPASS; STEWART, 2020
HPV16 (53%)
HPV18 (15%)
HPV45 (9%)
HPV31 (6%)
HPV33 (3%)
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Aproximadamente 291 milhões de mulheres no mundo são portadoras do
HPV, sendo que 32% estão infectadas pelos subtipos 16, 18 ou ambos.
Esse vírus pode infectar pele e mucosas.
Entretanto, apenas a infecção pelo HPV não é suficiente para o
desenvolvimento do câncer.
O HPV é um fator necessário, mas não suficiente para o desenvolvimento do
câncer do colo do útero.
Na maioria das mulheres, a resposta imunológica ajuda a eliminar a infecção
por HPV de 12 a 24 meses. O risco de desenvolver o câncer do colo do útero
é de cerca de 30% se as lesões precursoras não forem tratadas.
WILD; WEIDERPASS; STEWART, 2020.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
§ Vida sexual precoce
§ Primaparidade precoce
§ Multiparidade
§ Promiscuidade sexual
§ Infecções por HPV, Herpes ou Citomegalovírus
§ Tabagismo
§ Deficiência imunitária
§ Uso prolongado de anticoncepcional oral
§ Deficiência de vitamina A e C.
Fatores predisponentes das lesões pre-neoplásicas do colo uterino
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
0,5mm
Lesões precursoras do câncer de
colo uterino
Câncer
de colo
uterino
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Tipos histológicos do Câncer do colo uterino
1 - Carcinoma epidermoide
acomete o epitélio escamoso e ocorre em 90% dos casos.
2 - Adenocarcinoma
acomete o epitélio glandular e ocorre em 10% dos casos.
Ambos são causados por uma infecção persistente por tipos
oncogênicos do Papiloma Vírus Humano (HPV).
20% bem diferenciados
60% moderadamente diferenciados
20% indiferenciados
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
Sinais e sintomas de alerta
A infecção pelo HPV e as lesões precursoras do câncer são assintomáticas.
Câncer:
Sangramento vaginal.
Sinusiorragia.
Corrimento vaginal (às vezes fétido).
Dor na região pélvica,
Queixas urinárias
Queixas intestinais.
Perda de peso.
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Recomendações INCA 2016
O método de rastreamento do câncer do colo do útero e de suas lesões precursoras é o
exame citopatológico.
Os dois primeiros exames devem ser realizados com intervalo anual e, se ambos os
resultados forem negativos, os próximos devem ser realizados a cada 3 anos.
O início da coleta deve ser aos 25 anos de idade para as mulheres que já tiveram ou têm
atividade sexual . O rastreamento antes dos 25 anos deve ser evitado.
Os exames periódicos devem seguir até os 64 anos de idade.
Os exames naquelas mulheres sem história prévia de doença neoplásica pré-invasiva,
devem ser interrompidos quando essas mulheres tiverem pelo menos dois exames
negativos consecutivos nos últimos cinco anos .
Para mulheres com mais 64 anos de idade e que nunca se submeteram ao exame
citopatológico, deve- se realizar dois exames, com intervalo de um a três anos. Se ambos
os exames forem negativos, essas mulheres podem ser dispensadas de exames
adicionais .
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
CUIDADOS PARA A COLHEITA DA CITOLOGIA PARA
PREVENÇÃO DO CA DE COLO
Do ambiente
Ambiente acolhedor
Cortesia
Respeito à privacidade
Explicar o significado e os procedimentos que serão
realizados
Lembrar a importância de receber o resultado do exame
Demonstrar abertura para esclarecer as dúvidas
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
ANAMNESE BÁSICA PARA COLHEITA DO PREVENTIVO DO
CÂNCER DO COLO UTERINO
Idade
DUM
AO / vida sexual ativa
Fluxo
Método contraceptivo
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade:
DA PACIENTE:
Não estar menstruada.
Não usar creme ou ducha vaginal nem submeter-se a exames intra-
vaginais (ultrassonografia) por 2 dias antes do exame;
Evitar relações sexuais nas 48 horas que antecedem o exame.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade:
DO MATERIAL
Preenchimento do formulário: APAC / MS
Identificação da lâmina
A lâmina deve ter borda lapidada e extremidade fosca
Deve ser identificada na extremidade fosca com lápis preto nº 2,
informando: as iniciais do nome da paciente
o número de registro da mulher na unidade
data do exame
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade:
DO MATERIAL
Fornecer um avental e disponibilizar local reservado para troca de
roupa;
Solicitar que se deite na mesa, auxiliando-a a posicionar-se
adequadamente para o exame;
Cobrir a paciente com o lençol;
Colocar as luvas e máscara;
Acomodar a lâmina, já identificada, na mesa de apoio para receber o
material colhido;
Deixar o tubete com álcool a 95% / fixador próximo à lâmina já
identificada ou spray fixador.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade
DO MATERIAL
Não lubrifique o espéculo com qualquer tipo de óleo, glicerina, creme ou vaselina;
No caso de pessoas idosas, com vaginas extremamente ressecadas, recomenda-se molhar o
espéculo com soro fisiológico.
Introduza-o em posição vertical e ligeiramente inclinado para a direita do profissional coletor.
Iniciada a introdução, faça uma rotação de 90º, deixando-o em posição transversa, de modo que a
fenda da abertura do espéculo fique na posição horizontal;
Uma vez introduzido totalmente na vagina, abra-o lentamente e com delicadeza;
Se tiver dificuldade para visualizar o colo, tente manobras delicadas com o espéculo;
Se, ao visualizar o colo, houver grande quantidade de muco ou secreção, retire o excesso
delicadamente com uma gaze umedecida com solução fisiológica e montada em uma pinça, sem
esfregar no colo , para não perder a qualidade do material a ser colhido;
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
POSIÇAO GINECOLÓGICA
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Escolher o espéculo mais adequado ao tamanho
da vagina da paciente;
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade
DA COLETA DA AMOSTRA
A coleta é dupla: da ectocérvice e do canal encervical;
As amostras são colhidas separadamente;
Proceda inicialmente a coleta da ectocérvice e depois a coleta da
endocérvice:
Ectocérvice: Utilize a espátula de madeira tipo Ayre, do lado que apresenta
re-entrância. Encaixe a ponta mais longa da espátula no orifício externo do
colo, apoiando-a firmemente, fazendo uma raspagem na mucosa ectocervical
em movimento rotativo de 360º, em torno de todo o orifício, procurando
exercer uma pressão firme, mas delicada, sem agredir o colo, para não
prejudicar a qualidade da amostra;
Caso considere que a coleta não tenha sido representativa, faça mais uma
vez o movimento de rotação;
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade
DA COLETA DA AMOSTRA
Endocérvice: Para a coleta no canal cervical utilize a escova apropriada para
coleta endocervical; introduzindo-a delicadamente no canal cervical, girando-a
180º;
Na lamina, já devidamente identificada, estenda o material endocervical
dispondo-o sobre a lâmina, ocupando 1/2 da parte transparente em movimento
giratório com sentido único, garantindo uma amostra uniforme;
Evite deixar espaço livre entre as duas amostras.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade
DA COLETA DA AMOSTRA
Fixação do material
A fixação do esfregaço deve ser procedida imediatamente após a coleta, sem
nenhuma espera. Visa conservar o material colhido, mantendo as características
originais das células, preservando-as do dessecamento que impossibilitará a leitura
do exame. São duas as formas usadas de fixação:
Álcool etílico a 95%
A lâmina com material deve ser submersa no álcool a 95%, em tubete de boca larga,
até a chegada ao laboratório;
Propinilglicol
Borrifar a lâmina com fixador, spray ou aerosol, a uma distância de até 20cm.
Cobrir totalmente o esfregaço;
Profa. Margarida S. Matos
Teste de Schiller
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Finalização da colheita da citologia ginecolócica.
Fechar o espéculo;
Retirar delicadamente;
Inspecionar a vulva e o períneo;
Retirar as luvas;
Auxiliar a paciente a descer da mesa;
Solicitar que ela se troque;
Avisar a paciente que um pequeno sangramento poderá ocorrer após a
coleta;
Orientar a paciente para que venha receber o resultado do exame, conforme
a rotina da sua unidade de saúde.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Material necessário
Lâmina
Luva/Máscara
Espéculo
Pinça de Cherron
Espátula de Ayre (estéril)
Escova endocervical (estéril)
Lugol
Gaze
Fixador para lâmina
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
COLETA
Condições para uma amostra de qualidade
DO PROFISSIONAL DE SAÚDE:
• Solicitar à paciente que esvazie a bexiga;
• Interrogar se a paciente é virgem. Se for, não usar espéculo e
colher a material para cultura se necessário (com swab estéril).
• Se a paciente está grávida não colher material endocervical;
• Escolher o espéculo mais adequado ao tamanho da vagina da
paciente; de preferencia sempre tamanho pequeno.
• Antes de introduzir o espéculo , umedecê-lo externamente com
solução fisiológica.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Citologia
ASC-US
ASC-H
ACG s
ACGs-FN
LIEBG
LIEAG
CA
Classificaçãao de Bethesda Células Escamosas Atípicas
de Significado Indeterminado
possivelmente não neoplásicas
Células Escamosas Atípicas, não se
podendo descartar uma Lesão de Alto
Grau
Atipias em Células Glandulares
Células Glandulares Atípicas
Favorecendo Neoplasia
Lesão intraepitelial Escamosa de
Baixo Grau
Bethesda,
2014.
Câncer
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Paciente com menos de 24 anos
Repetir com 3 anos. Se normal repetir a cada 3 anos.
Paciente com mais de 25 anos
Repetir com 6 meses, se anormal solicitar colposcopia.
Colo com JEC visível ou não +Achado anormal
Encaminhar para biopsia
Condutas para ASC-H
Condutas para ASC- US
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Colposcopia
Biópsia do canal endocervical.
Exerese da zona de transformação
Condutas na ACGs ACGs-FN
Galvão, R de O.. Células glandulares atípicas -
Abordagem ginecológica. Femina, 2019,
47(7):425-32.
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
representa a expressão
citomorfológica de uma
infecção transitória
produzida pelo HPV
têm alta probabilidade de
regredir
atualmente não é considerada como lesão
precursora do câncer do colo do útero,
especialmente em mulheres com menos de
30 anos
(INCA
2016).
LIEBG
(NIC I)
Profa. Margarida S. Matos
PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
2023
Resumo de recomendações para conduta inicial frente aos resultados alterados de
exames citopatológicos nas unidades de atenção básica
LSIL) < 25 anos
≥ 25 anos
Lesão de Alto Grau (HSIL)
Lesão intraepitelial de alto grau
não podendo excluir
microinvasão
Carcinoma escamoso invasor
Adenocarcinoma in situ (AIS) ou
invasor
Encaminhar para colposcopia
Repetir a citologia em 3 anos
Repetir a citologia em 6 meses
Inca 2016
Profa. Margarida S. Matos
Dra.Margarida S. Matos
E-mail:margaridamatos@bahiana.edu.br
Contato: 71 991425997

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
Tania Fonseca
 
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdfAula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
LarissaMachado97
 
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primáriaTcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Fernanda Silva
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
Gilson Betta Sevilha
 
Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!
Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!
Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!
Ministério Público de Santa Catarina
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
WAGNER OLIVEIRA
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
Rafaela Amanso
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
Instrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgicaInstrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgica
jaddy xavier
 
ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptx
ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptxANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptx
ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptx
bianca375788
 
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - MedicamentosSeguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Emmanuel Souza
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de MamaFolder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Farmacêutico Digital
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
resenfe2013
 
Planjamento familiar
Planjamento familiarPlanjamento familiar
Planjamento familiar
Alinebrauna Brauna
 
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à práticaSegurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
Gilberto de Jesus
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
Oncoguia
 
Administração hospitalar
Administração hospitalarAdministração hospitalar
Administração hospitalar
Renata Cristina
 
Identificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamenteIdentificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamente
Proqualis
 

Mais procurados (20)

ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da MulherApresentaçãO SaúDe Da Mulher
ApresentaçãO SaúDe Da Mulher
 
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdfAula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE  (2) (1).pdf
Aula 3 Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE (2) (1).pdf
 
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primáriaTcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!
Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!
Outubro Rosa. É Preciso Falar Disso!
 
Planejamento familiar
Planejamento familiarPlanejamento familiar
Planejamento familiar
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Instrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgicaInstrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgica
 
ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptx
ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptxANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptx
ANOTAÇÕES DE ENFERMAGEM.pptx
 
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - MedicamentosSeguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - Medicamentos
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de MamaFolder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
 
Planjamento familiar
Planjamento familiarPlanjamento familiar
Planjamento familiar
 
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à práticaSegurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
Segurança na Atenção ao Parto e Nascimento: da teoria à prática
 
Medicação em pediatria
Medicação em pediatriaMedicação em pediatria
Medicação em pediatria
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
 
Administração hospitalar
Administração hospitalarAdministração hospitalar
Administração hospitalar
 
Identificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamenteIdentificar os pacientes corretamente
Identificar os pacientes corretamente
 

Semelhante a slide_modulo_1.pdf

AULA Câncer do colo do útero.pptx
AULA Câncer do colo do útero.pptxAULA Câncer do colo do útero.pptx
AULA Câncer do colo do útero.pptx
JessicaRamos80226
 
MAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptx
MAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptxMAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptx
MAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptx
MeryslandeMoreira1
 
aula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdf
aula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdfaula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdf
aula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdf
AndreiaCosta151227
 
Outubro Rosa
Outubro RosaOutubro Rosa
Outubro Rosa
WesleyCoutinho13
 
importancia do conhecimento do Cancro da mama.ppt
importancia do conhecimento do Cancro da mama.pptimportancia do conhecimento do Cancro da mama.ppt
importancia do conhecimento do Cancro da mama.ppt
valentimamuge
 
CULTURARTEEN 179 - outubro 2017
CULTURARTEEN 179 - outubro 2017CULTURARTEEN 179 - outubro 2017
CULTURARTEEN 179 - outubro 2017
josé pery salgado
 
Cancer colo do utero
Cancer colo do uteroCancer colo do utero
Cancer colo do utero
jessica sanielly
 
palestra prevenção cancer de colo de utero e mama
palestra prevenção cancer de colo de utero e mamapalestra prevenção cancer de colo de utero e mama
palestra prevenção cancer de colo de utero e mama
MirianSouzaRibeiro
 
SLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptx
SLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptxSLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptx
SLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptx
GlauciaVieira16
 
Assistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptx
Assistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptxAssistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptx
Assistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptx
gizaraposo
 
Cancer do cólo do útero pronto
Cancer do cólo do útero prontoCancer do cólo do útero pronto
Cancer do cólo do útero pronto
cristiano Alves dos santos
 
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptxAULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
VanessaAlvesDeSouza4
 
Folder Campanha Outubro Rosa - 2019
Folder Campanha Outubro Rosa - 2019Folder Campanha Outubro Rosa - 2019
Folder Campanha Outubro Rosa - 2019
Associação Mineira de Municípios
 
Montenegro ca colo
Montenegro ca coloMontenegro ca colo
Montenegro ca colo
Lúcia Takimi
 
Rastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostra
Rastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostraRastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostra
Rastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostra
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
ItauanaAlmeida1
 
Protocolo do hpv
Protocolo do hpvProtocolo do hpv
Protocolo do hpv
tvf
 
Folder: Câncer de útero
Folder: Câncer de úteroFolder: Câncer de útero
Folder: Câncer de útero
Luana Dias
 
IV Cc Secretarias - Prevencao De Cancer
IV Cc Secretarias - Prevencao De CancerIV Cc Secretarias - Prevencao De Cancer
IV Cc Secretarias - Prevencao De Cancer
Gustavo Oliveira
 
Cancer de colo do utero
Cancer de colo do utero Cancer de colo do utero
Cancer de colo do utero
Gloria Grazziotin
 

Semelhante a slide_modulo_1.pdf (20)

AULA Câncer do colo do útero.pptx
AULA Câncer do colo do útero.pptxAULA Câncer do colo do útero.pptx
AULA Câncer do colo do útero.pptx
 
MAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptx
MAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptxMAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptx
MAMOGRAFIA - CESAM - Copia - Copia.pptx
 
aula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdf
aula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdfaula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdf
aula_tumoresfemininos_mulherporinteiro.pdf
 
Outubro Rosa
Outubro RosaOutubro Rosa
Outubro Rosa
 
importancia do conhecimento do Cancro da mama.ppt
importancia do conhecimento do Cancro da mama.pptimportancia do conhecimento do Cancro da mama.ppt
importancia do conhecimento do Cancro da mama.ppt
 
CULTURARTEEN 179 - outubro 2017
CULTURARTEEN 179 - outubro 2017CULTURARTEEN 179 - outubro 2017
CULTURARTEEN 179 - outubro 2017
 
Cancer colo do utero
Cancer colo do uteroCancer colo do utero
Cancer colo do utero
 
palestra prevenção cancer de colo de utero e mama
palestra prevenção cancer de colo de utero e mamapalestra prevenção cancer de colo de utero e mama
palestra prevenção cancer de colo de utero e mama
 
SLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptx
SLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptxSLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptx
SLIDE CÂNCER COLO DO ÚTERO.pptx
 
Assistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptx
Assistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptxAssistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptx
Assistencia de enfermagem saude mulher 1. campinas 2023.pptx
 
Cancer do cólo do útero pronto
Cancer do cólo do útero prontoCancer do cólo do útero pronto
Cancer do cólo do útero pronto
 
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptxAULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
 
Folder Campanha Outubro Rosa - 2019
Folder Campanha Outubro Rosa - 2019Folder Campanha Outubro Rosa - 2019
Folder Campanha Outubro Rosa - 2019
 
Montenegro ca colo
Montenegro ca coloMontenegro ca colo
Montenegro ca colo
 
Rastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostra
Rastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostraRastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostra
Rastreamento do câncer do colo do útero: adequabilidade da amostra
 
2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
2CANCER+DE+COLO_abcdpdf_pdf_para_ppt.pptx
 
Protocolo do hpv
Protocolo do hpvProtocolo do hpv
Protocolo do hpv
 
Folder: Câncer de útero
Folder: Câncer de úteroFolder: Câncer de útero
Folder: Câncer de útero
 
IV Cc Secretarias - Prevencao De Cancer
IV Cc Secretarias - Prevencao De CancerIV Cc Secretarias - Prevencao De Cancer
IV Cc Secretarias - Prevencao De Cancer
 
Cancer de colo do utero
Cancer de colo do utero Cancer de colo do utero
Cancer de colo do utero
 

slide_modulo_1.pdf

  • 1. Dra.Margarida S. Matos Doutora em Medicina e Saúde Profa. Titular de Ginecologia da EBMSP Profa. Adjunta de Ginecologia da FAMED/UFBa CENGISA- Centro Ginecológico de Salvador PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO UTERINO
  • 2. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Conceito O câncer do colo do útero é uma patologia caracterizada pela replicação desordenada do epitélio de revestimento do órgão, comprometendo o tecido subjacente (estroma) e podendo invadir estruturas e órgãos contíguos ou à distância. Profa. Margarida S. Matos
  • 3. Cerca de 90% do câncer do colo, ocorre na chamada zona de transformação, que é a região do colo uterino onde o epitélio colunar foi e/ou está sendo substituído pelo novo epitélio escamoso metaplásico. PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 4. Epidemiologia No Brasil, excluídos os de tumores de pele não melanoma, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais incidente entre mulheres. Para o ano de 2023 estão estimados 17.010 casos novos, o que representa uma um risco considerado de 13,25 casos a cada 100 mil mulheres (INCA, 2022). Análise regional do câncer do colo do útero no Brasil / 2022. Norte primeiro mais incidente (20,48/100 mil) Nordeste segundo mais incidente (17,59/100 mil) Centro-Oeste terceiro mais incidente (16,66/100 mil) Região Sul quarto mais incidente (14,55/100 mil) Região Sudeste quinto mais incidente (12,93/100 mil) (INCA, 2022). PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 5. Regiões/Unidades da Federação Nº de casos Taxa Bruta Taxa Ajustada Região Norte 1.980 20,48 16,77 Acre 70 15,23 15,41 Amapá 40 21,86 26,73 Amazonas 610 27,63 31,71 Pará 830 18,65 19,48 Rondônia 150 16,33 16,39 Roraima 40 10,91 13,25 Tocantins 180 22,00 16,77 Região Nordeste 5.280 17,59 13,85 Alagoas 370 20,91 18,54 Bahia 1.160 14,93 11,84 Ceará 1.030 21,49 13,97 Maranhão 800 21,71 21,13 Paraíba 290 13,42 10,5 Pernambuco 770 15,18 12,14 Piauí 360 21,19 15,23 Rio Grande do Norte 280 15,33 12,06 Sergipe 220 17,71 13,85 Região Centro-Oeste 1.440 16,66 11,09 Distrito Federal 240 14,47 11,05 Goiás 660 17,74 9,12 Mato Grosso 220 12,33 11,14 Mato Grosso do Sul 320 21,71 17,73 Região Sudeste 6.020 12,93 8,57 Espírito Santo 260 12,43 9,4 Minas Gerais 1.670 15,17 7,73 Rio de Janeiro 1.540 16,71 11,76 São Paulo 2.550 10,52 7,58 Região Sul 2.290 14,55 9,77 Paraná 790 13,19 9,77 Rio Grande do Sul 620 10,42 7,11 Santa Catarina 880 23,18 17,2 Brasil 17.010 15,38 13,25 Representação espacial das taxas estimadas de incidência por neoplasia maligna do colo do útero, ajustadas por idade pela população mundial, por 100 mil mulheres, segundo Unidade da Federação, 2023. Profa. Margarida S. Matos
  • 6. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 • O câncer do colo do útero / História natural • Tem como causa básica a infecção pelo papilomavírus humano (HPV). • Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, que estão relacionados à origem de lesões benignas como verrugas (HPV não oncogênico ou de baixo risco); lesões precursoras; e a vários tipos de câncer (HPV oncogênico ou de alto risco). • Os tipos de HPV oncogênicos mais comuns identificados no câncer do colo do útero incluem • WILD; WEIDERPASS; STEWART, 2020 HPV16 (53%) HPV18 (15%) HPV45 (9%) HPV31 (6%) HPV33 (3%) Profa. Margarida S. Matos
  • 7. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Aproximadamente 291 milhões de mulheres no mundo são portadoras do HPV, sendo que 32% estão infectadas pelos subtipos 16, 18 ou ambos. Esse vírus pode infectar pele e mucosas. Entretanto, apenas a infecção pelo HPV não é suficiente para o desenvolvimento do câncer. O HPV é um fator necessário, mas não suficiente para o desenvolvimento do câncer do colo do útero. Na maioria das mulheres, a resposta imunológica ajuda a eliminar a infecção por HPV de 12 a 24 meses. O risco de desenvolver o câncer do colo do útero é de cerca de 30% se as lesões precursoras não forem tratadas. WILD; WEIDERPASS; STEWART, 2020. Profa. Margarida S. Matos
  • 8. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 § Vida sexual precoce § Primaparidade precoce § Multiparidade § Promiscuidade sexual § Infecções por HPV, Herpes ou Citomegalovírus § Tabagismo § Deficiência imunitária § Uso prolongado de anticoncepcional oral § Deficiência de vitamina A e C. Fatores predisponentes das lesões pre-neoplásicas do colo uterino Profa. Margarida S. Matos
  • 9. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 0,5mm Lesões precursoras do câncer de colo uterino Câncer de colo uterino Profa. Margarida S. Matos
  • 10. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Tipos histológicos do Câncer do colo uterino 1 - Carcinoma epidermoide acomete o epitélio escamoso e ocorre em 90% dos casos. 2 - Adenocarcinoma acomete o epitélio glandular e ocorre em 10% dos casos. Ambos são causados por uma infecção persistente por tipos oncogênicos do Papiloma Vírus Humano (HPV). 20% bem diferenciados 60% moderadamente diferenciados 20% indiferenciados Profa. Margarida S. Matos
  • 11. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 12. Sinais e sintomas de alerta A infecção pelo HPV e as lesões precursoras do câncer são assintomáticas. Câncer: Sangramento vaginal. Sinusiorragia. Corrimento vaginal (às vezes fétido). Dor na região pélvica, Queixas urinárias Queixas intestinais. Perda de peso. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 13. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Recomendações INCA 2016 O método de rastreamento do câncer do colo do útero e de suas lesões precursoras é o exame citopatológico. Os dois primeiros exames devem ser realizados com intervalo anual e, se ambos os resultados forem negativos, os próximos devem ser realizados a cada 3 anos. O início da coleta deve ser aos 25 anos de idade para as mulheres que já tiveram ou têm atividade sexual . O rastreamento antes dos 25 anos deve ser evitado. Os exames periódicos devem seguir até os 64 anos de idade. Os exames naquelas mulheres sem história prévia de doença neoplásica pré-invasiva, devem ser interrompidos quando essas mulheres tiverem pelo menos dois exames negativos consecutivos nos últimos cinco anos . Para mulheres com mais 64 anos de idade e que nunca se submeteram ao exame citopatológico, deve- se realizar dois exames, com intervalo de um a três anos. Se ambos os exames forem negativos, essas mulheres podem ser dispensadas de exames adicionais . Profa. Margarida S. Matos
  • 14. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 CUIDADOS PARA A COLHEITA DA CITOLOGIA PARA PREVENÇÃO DO CA DE COLO Do ambiente Ambiente acolhedor Cortesia Respeito à privacidade Explicar o significado e os procedimentos que serão realizados Lembrar a importância de receber o resultado do exame Demonstrar abertura para esclarecer as dúvidas Profa. Margarida S. Matos
  • 15. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 ANAMNESE BÁSICA PARA COLHEITA DO PREVENTIVO DO CÂNCER DO COLO UTERINO Idade DUM AO / vida sexual ativa Fluxo Método contraceptivo Profa. Margarida S. Matos
  • 16. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade: DA PACIENTE: Não estar menstruada. Não usar creme ou ducha vaginal nem submeter-se a exames intra- vaginais (ultrassonografia) por 2 dias antes do exame; Evitar relações sexuais nas 48 horas que antecedem o exame. Profa. Margarida S. Matos
  • 17. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade: DO MATERIAL Preenchimento do formulário: APAC / MS Identificação da lâmina A lâmina deve ter borda lapidada e extremidade fosca Deve ser identificada na extremidade fosca com lápis preto nº 2, informando: as iniciais do nome da paciente o número de registro da mulher na unidade data do exame Profa. Margarida S. Matos
  • 18. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade: DO MATERIAL Fornecer um avental e disponibilizar local reservado para troca de roupa; Solicitar que se deite na mesa, auxiliando-a a posicionar-se adequadamente para o exame; Cobrir a paciente com o lençol; Colocar as luvas e máscara; Acomodar a lâmina, já identificada, na mesa de apoio para receber o material colhido; Deixar o tubete com álcool a 95% / fixador próximo à lâmina já identificada ou spray fixador. Profa. Margarida S. Matos
  • 19. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade DO MATERIAL Não lubrifique o espéculo com qualquer tipo de óleo, glicerina, creme ou vaselina; No caso de pessoas idosas, com vaginas extremamente ressecadas, recomenda-se molhar o espéculo com soro fisiológico. Introduza-o em posição vertical e ligeiramente inclinado para a direita do profissional coletor. Iniciada a introdução, faça uma rotação de 90º, deixando-o em posição transversa, de modo que a fenda da abertura do espéculo fique na posição horizontal; Uma vez introduzido totalmente na vagina, abra-o lentamente e com delicadeza; Se tiver dificuldade para visualizar o colo, tente manobras delicadas com o espéculo; Se, ao visualizar o colo, houver grande quantidade de muco ou secreção, retire o excesso delicadamente com uma gaze umedecida com solução fisiológica e montada em uma pinça, sem esfregar no colo , para não perder a qualidade do material a ser colhido; Profa. Margarida S. Matos
  • 20. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 POSIÇAO GINECOLÓGICA Profa. Margarida S. Matos
  • 21. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 22. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Escolher o espéculo mais adequado ao tamanho da vagina da paciente; Profa. Margarida S. Matos
  • 23. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade DA COLETA DA AMOSTRA A coleta é dupla: da ectocérvice e do canal encervical; As amostras são colhidas separadamente; Proceda inicialmente a coleta da ectocérvice e depois a coleta da endocérvice: Ectocérvice: Utilize a espátula de madeira tipo Ayre, do lado que apresenta re-entrância. Encaixe a ponta mais longa da espátula no orifício externo do colo, apoiando-a firmemente, fazendo uma raspagem na mucosa ectocervical em movimento rotativo de 360º, em torno de todo o orifício, procurando exercer uma pressão firme, mas delicada, sem agredir o colo, para não prejudicar a qualidade da amostra; Caso considere que a coleta não tenha sido representativa, faça mais uma vez o movimento de rotação; Profa. Margarida S. Matos
  • 24. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade DA COLETA DA AMOSTRA Endocérvice: Para a coleta no canal cervical utilize a escova apropriada para coleta endocervical; introduzindo-a delicadamente no canal cervical, girando-a 180º; Na lamina, já devidamente identificada, estenda o material endocervical dispondo-o sobre a lâmina, ocupando 1/2 da parte transparente em movimento giratório com sentido único, garantindo uma amostra uniforme; Evite deixar espaço livre entre as duas amostras. Profa. Margarida S. Matos
  • 25. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 26. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade DA COLETA DA AMOSTRA Fixação do material A fixação do esfregaço deve ser procedida imediatamente após a coleta, sem nenhuma espera. Visa conservar o material colhido, mantendo as características originais das células, preservando-as do dessecamento que impossibilitará a leitura do exame. São duas as formas usadas de fixação: Álcool etílico a 95% A lâmina com material deve ser submersa no álcool a 95%, em tubete de boca larga, até a chegada ao laboratório; Propinilglicol Borrifar a lâmina com fixador, spray ou aerosol, a uma distância de até 20cm. Cobrir totalmente o esfregaço; Profa. Margarida S. Matos
  • 27. Teste de Schiller PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Profa. Margarida S. Matos
  • 28. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Finalização da colheita da citologia ginecolócica. Fechar o espéculo; Retirar delicadamente; Inspecionar a vulva e o períneo; Retirar as luvas; Auxiliar a paciente a descer da mesa; Solicitar que ela se troque; Avisar a paciente que um pequeno sangramento poderá ocorrer após a coleta; Orientar a paciente para que venha receber o resultado do exame, conforme a rotina da sua unidade de saúde. Profa. Margarida S. Matos
  • 29. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Material necessário Lâmina Luva/Máscara Espéculo Pinça de Cherron Espátula de Ayre (estéril) Escova endocervical (estéril) Lugol Gaze Fixador para lâmina Profa. Margarida S. Matos
  • 30. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 COLETA Condições para uma amostra de qualidade DO PROFISSIONAL DE SAÚDE: • Solicitar à paciente que esvazie a bexiga; • Interrogar se a paciente é virgem. Se for, não usar espéculo e colher a material para cultura se necessário (com swab estéril). • Se a paciente está grávida não colher material endocervical; • Escolher o espéculo mais adequado ao tamanho da vagina da paciente; de preferencia sempre tamanho pequeno. • Antes de introduzir o espéculo , umedecê-lo externamente com solução fisiológica. Profa. Margarida S. Matos
  • 31. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Citologia ASC-US ASC-H ACG s ACGs-FN LIEBG LIEAG CA Classificaçãao de Bethesda Células Escamosas Atípicas de Significado Indeterminado possivelmente não neoplásicas Células Escamosas Atípicas, não se podendo descartar uma Lesão de Alto Grau Atipias em Células Glandulares Células Glandulares Atípicas Favorecendo Neoplasia Lesão intraepitelial Escamosa de Baixo Grau Bethesda, 2014. Câncer Profa. Margarida S. Matos
  • 32. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Paciente com menos de 24 anos Repetir com 3 anos. Se normal repetir a cada 3 anos. Paciente com mais de 25 anos Repetir com 6 meses, se anormal solicitar colposcopia. Colo com JEC visível ou não +Achado anormal Encaminhar para biopsia Condutas para ASC-H Condutas para ASC- US Profa. Margarida S. Matos
  • 33. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Colposcopia Biópsia do canal endocervical. Exerese da zona de transformação Condutas na ACGs ACGs-FN Galvão, R de O.. Células glandulares atípicas - Abordagem ginecológica. Femina, 2019, 47(7):425-32. Profa. Margarida S. Matos
  • 34. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 representa a expressão citomorfológica de uma infecção transitória produzida pelo HPV têm alta probabilidade de regredir atualmente não é considerada como lesão precursora do câncer do colo do útero, especialmente em mulheres com menos de 30 anos (INCA 2016). LIEBG (NIC I) Profa. Margarida S. Matos
  • 35. PREVENÇAO DO CÂNCER DO COLO UTERINO 2023 Resumo de recomendações para conduta inicial frente aos resultados alterados de exames citopatológicos nas unidades de atenção básica LSIL) < 25 anos ≥ 25 anos Lesão de Alto Grau (HSIL) Lesão intraepitelial de alto grau não podendo excluir microinvasão Carcinoma escamoso invasor Adenocarcinoma in situ (AIS) ou invasor Encaminhar para colposcopia Repetir a citologia em 3 anos Repetir a citologia em 6 meses Inca 2016 Profa. Margarida S. Matos