SlideShare uma empresa Scribd logo
Ciências Morfofuncionais do
Sistema Nervoso e
Cardiorrespiratório
Prof. Eduardo A. Del Buono
Plano de Ensino
e
Orientações Gerais
Práticas laboratoriais
. Jaleco de tecido (cor branca) com mangas longas
. Máscaras descartáveis
. Luvas descartáveis
. Estudo prévio da parte teórica
. “Atlas de Anatomia” para pesquisa
Sistema de Pontuação
. Pontos em vez de notas
. Muitos pontos distribuídos em várias atividades
. Avaliações Oficiais de 1º e 2º bimestres (1.000 e
4.000 pontos, respectivamente)
. Para aprovação: mínimo de 6.000 pontos
. Soma das avaliações oficiais tem mínimo de pontos
SISTEMA
NERVOSO
Regula o funcionamento dos
diferentes órgãos entre si e do
conjunto do organismo com o
meio ambiente.
SISTEMA NERVOSO
•Formado pelo tecido nervoso:
- Neurônios
- Células da Glia (neuróglia)
DIVISÃO
(CLASSIFICAÇÃO)
ANATÔMICA
•Sistema Nervoso
Central (SNC)
•Sistema Nervoso
Periférico (SNP)
S.N.C.
• Encéfalo:
- Cérebro:
. Telencéfalo
. Diencéfalo
- Cerebelo
- Tronco Encefálico:
. Mesencéfalo
. Ponte
. Bulbo
• Medula Espinal
S.N.P.
• Nervos (espinais e
cranianos)
• Gânglios
• Terminações
nervosas
VÍDEO: Divisão Anatômica do Sistema Nervoso
DIVISÃO (CLASSIFICAÇÃO) EMBRIOLÓGICA
Camadas Germinativas
ou
Folhetos Embrionários
DIVISÃO (CLASSIFICAÇÃO) EMBRIOLÓGICA
•Placa Neural
•Sulco Neural
•Crista Neural
•Tubo Neural
Vídeo: Formação do Tubo Neural
CLASSIFICAÇÃO EMBRIOLÓGICA
• Arquencéfalo
(encéfalo primitivo)
• Medula primitiva
ARQUENCÉFALO
• Prosencéfalo
• Mesencéfalo
• Rombencéfalo
PROSENCÉFALO
• Telencéfalo
• Diencéfalo
MESENCÉFALO
• Mesencéfalo
ROMBENCÉFALO
• Metencéfalo
• Mielencéfalo
RELAÇÃO ENTRE AS
CLASSIFICAÇÕES
• CÉREBRO =
telencéfalo + diencéfalo
• MESENCÉFALO =
mesencéfalo
• CEREBELO E PONTE =
metencéfalo
• BULBO =
mielencéfalo
MIELOMENINGOCELE
A mielomeningocele, também conhecida como espinha
bífida aberta, é uma má-formação congênita da coluna
vertebral da criança em que as meninges, a medula e as
raízes nervosas ficam expostas.
Acontece entre 18 e 21 dias de gestação e é o defeito
mais comum de formação do tubo neural, ocorrendo
em 1 a 10 a cada 1000 nascimentos.
Mielomeningocele - Prevenção
“Quando não ocorre a fusão da porção superior
do tubo neural, o feto será um anencéfalo,
uma patologia rara e que não é compatível com a
vida.
Sem o encéfalo, não haverá integração entre
sistema nervoso central e periférico, nem os
nervos cranianos irão existir”.
SEÇÕES 1.2 E 1.3
Cérebro
Cerebelo
Tronco Encefálico
Medula Espinal
Crânio – Proteção para Encéfalo
Secção Sagital Mediana – Vista Lateral
Secção transversal – Vista Superior Crânio – Vista Inferior
Secção Frontal ou Coronal – Vista Ântero-Superior
Ressonância Magnética
da Cabeça
TELENCÉFALO
TELENCÉFALO
• Compreende os
dois hemisférios
cerebrais
• separados pela
fissura longitudinal
do cérebro
• união: corpo caloso
• cavidades:
ventrículos laterais
• Córtex: camada
externa (substância
cinzenta)
• Camada interna:
substância branca
TELENCÉFALO
• GIROS ou circunvoluções (elevações):
- giro pré-central: motor
- giro pós-central: sensitivo
• SULCOS (depressões entre os giros):
- central, parieto-occipital, lateral
TELENCÉFALO
• PÓLOS (extremidades):
- frontal, occipital, temporal
• CORPO CALOSO (união dos
hemisférios)
• LOBOS (partes do cérebro):
- frontal, parietal, occipital, temporal
NÚCLEOS DA BASE
• Massas pares de substância cinzenta no interior
do cérebro
• Dividido em claustro e corpo estriado, este por
sua vez formado pelos núcleos lentiforme
(putame + globo pálido) e caudado.
• Controlam contrações inconscientes musculares
e tônus muscular para movimentos voluntários.
• Lesões podem levar a rigidez, tremor e
movimentos rápidos e incertos. (Doença de Parkinson)
CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO
•Giro pré-central
• Homúnculo motor (de Penfield e
Rasmussen)
CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO
• Função: gerar os
estímulos nervosos
necessários para que
possamos nos
movimentar de forma
voluntária.
• Lesão nessa área irá
afetar o movimento
voluntário.
CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO
CÓRTEX SENSITIVO SOMÁTICO
• Giro pós-central
• Homúnculo sensitivo
(de Penfield e
Rasmussen )
• “Mapa da
superfície do corpo”
• Área com atividade
sensitiva maior:
dedos e lábios
CÓRTEX SENSITIVO E MOTOR
“ A extensão da representação
cortical de uma parte do corpo
depende da importância
funcional e não do seu tamanho”.
Ex. A área para a mão é maior que tronco e
membro inferior. A complexidade e
delicadeza do movimento é maior.
DIENCÉFALO
• TÁLAMO: retransmite todas as
informações sensitivas ao córtex
cerebral
• HIPOTÁLAMO: controla e integra as
atividades do S.N. Autônomo e da
hipófise. Temperatura corporal; regula
ingestão de alimento e bebida. Auxilia
a manter a consciência e estabelece
padrões de sono.
DIENCÉFALO
• EPITÁLAMO: localização da glândula
pineal
DIENCÉFALO
• Tálamo e Epitálamo: superiores ao
sulco hipotalâmico
• Hipotálamo: inferior ao sulco
hipotalâmico
• TERCEIRO VENTRÍCULO: cavidade que
aloja o diencéfalo
TRONCO ENCEFÁLICO
• retransmite os impulsos sensitivos e motores
entre outras partes do encéfalo e a medula.
• MESENCÉFALO: coordenação de
movimentos, equilíbrio, estímulos auditivos
• PONTE: meio de união entre as estruturas do
encéfalo. Junto com o bulbo, ajuda a
controlar a respiração.
• BULBO: centros vitais regulam o batimento
cardíaco, a respiração e o diâmetro do vaso
sangüíneo. Outros centros coordenam a
deglutição, o vômito, a tosse, o espirro e o
soluço.
FORMAÇÃO RETICULAR
• região de substância cinzenta formada
por uma malha de fibras nervosas que
estende-se através do TRONCO
ENCEFÁLICO até o DIENCÉFALO.
• recebe impulsos de todos os tratos
sensitivos que são enviados ao córtex
cerebral.
• Essencial no estado de alerta e vigília,
estimulando o cérebro.
• Lesões podem produzir estado de coma.
CEREBELO
• Função relacionada com equilíbrio e
coordenação dos movimentos
• HEMISFÉRIOS CEREBELARES
• VERME CEREBELAR
Ataxia ou incoordenação dos movimentos é
um sintoma, não uma doença específica ou um
diagnóstico. A ataxia é frequentemente
causada por uma perda da função
do cerebelo (parte do cérebro que serve
como centro de coordenação), medula espinal
ou das vias condutoras que interligam
o cerebelo e a medula.
www.hospitalsiriolibanes.org.br
MENINGES - LÍQUOR
• Membranas conjuntivas que envolvem o
SNC:
1. Dura-Máter (“mãe dura”) paquimeninge
2. Aracnóide-Máter leptomeninge
3. Pia-Máter
Espaços relacionados às meninges:
. Epidural (coluna vertebral)
. Subdural
. Subaracnóideo (líquido cerebrospinal - líquor)
LÍQUOR (LÍQUIDO
CEREBROSPINAL)
• Fluido aquoso e incolor
• Espaço subaracnóide
• Fluxo de células de
defesa
• Diminui o peso virtual do
encéfalo
• Proteção contra
impactos
VENTRÍCULOS
ENCEFÁLICOS
• Cavidades preenchidas por líquido
cerebrospinal
• Plexo corioide: rede de capilares que
produzem o líquor
• Caminho do líquor: ventrículos laterais –
forames interventriculares – III ventrículo –
aqueduto do mesencéfalo – IV
ventrículo – aberturas medianas e
laterais – espaço subaracnoide.
HIDROCEFALIA
A hidrocefalia é uma doença na qual ocorre
um aumento da quantidade de líquor no
cérebro, que, quando em excesso, aumenta
a pressão dentro do crânio, podendo
causar danos ao órgão.
MEDULA ESPINAL
• Limites ósseos: do forame magno
até a parte superior da 2ª vértebra
lombar
• Possui intumescência cervical e
lombossacral
• Cone medular: parte inferior mais
afilada da medula
• Canal central: percorre o
comprimento da medula, contém
líquor
• Cauda equina: raízes dos nervos
originários da porção mais inferior
da medula
MEDULA ESPINAL
• Conduz impulsos sensitivos da
periferia ao encéfalo e impulsos
motores do encéfalo para a
periferia
• Contém tratos (feixes de fibras
nervosas) sensitivos
(ascendentes) e tratos motores
(descendentes)
• Permite o arco reflexo: via mais
curta que pode ser tomada por
um impulso.
O Trato Espinotalâmico
possui duas divisões ao
nível da medula espinal:
• O trato espinotalâmico
lateral transmite as
sensações de dor e
temperatura.
• O trato espinotalâmico
anterior (ou ventral)
transmite a sensação do
tato protopático (tato
grosseiro) e da pressão.
Reflexo Medular
MEDULA ESPINAL
• Substância
cinzenta interna
(formando
um “ H “ medular).
• Substância branca
externa.
Componentes do Arco Reflexo Medular:
- receptor (terminação nervosa)
- neurônio sensitivo (aferente)
- sinapse (entre neurônios sensitivos e
motores – neurônio de associação)
- neurônio motor (eferente)
- efetuador (músculos e glândulas por
meio da placa motora)
VÍDEO – Medula Espinal
Barreira Hematoencefálica
SEÇÃO 1.4
Histologia do
Sistema Nervoso
NEURÔNIO
• Corpo celular
• Dendritos
• Axônio
• Telodendro
(ramificação
terminal do axônio)
• Bainha de Mielina
SINAPSES (CONEXÃO ENTRE DOIS OU MAIS NEURÔNIOS)
• Elementos constituintes:
- neurônio pré-sináptico
- fenda sináptica
- neurônio pós-sináptico
- transmissores químicos:
. dopamina
. serotonina
. acetilcolina
. noradrenalina
NEURÔNIO
• Classificação
Morfológica:
- bipolar
- multipolar (motor)
- pseudo-unipolar
(sensit.)
• Classificação Funcional:
- sensitivo (aferente)
- motor (eferente)
RETINA DOS OLHOS
SENSITIVOS
MOTORES
Células Gliais ou Neuróglia (glia = cola):
. células de sustentação (6 tipos)
. Astrócitos (regulam a passagem de moléculas do sangue para o
encéfalo)
. Oligodendrócitos (formam camadas de mielina ao redor dos
axônios no SNC)
. Micróglia (removem materiais estranhos e degenerados)
. Células ependimárias (formam o líquor, revestem os ventrículos)
. Neurolemócitos (células de Schwann) (formam camadas de
mielina ao redor dos axônios no SNP)
. Células satélites (suporte aos corpos celulares de neurônios no
SNP)
Potencial de
membrana e
impulso nervoso
VÍDEO – Impulso Nervoso
SEÇÕES 2.1 E 2.2
✓ Sistema Nervoso Periférico
✓ Nervos Cranianos
✓ Nervos Espinais e Plexos
✓ Sistema Nervoso Autônomo
✓ Sistema Nervoso Somático
S.N. PERIFÉRICO
•Nervos cranianos e espinais
•Gânglios
•Terminações nervosas
NERVOS CRANIANOS
• Emergem em áreas do encéfalo
• 12 pares
• Podem ser sensitivos, motores ou mistos
(I) olfatório (sensitivo)
(II) óptico (sensitivo)
NERVOS CRANIANOS
(III) oculomotor: motor e proprioceptivo para musculatura do
olho
(IV) troclear: motor e proprioceptivo para musculatura do
olho
(V) trigêmeo: ramos oftálmico (sensitivo da face); maxilar e
mandibular (motores para músculos da mastigação e
sensitivos para dentes e mucosas)
NERVOS CRANIANOS
(VI) Abducente: motor e proprioceptivo para musculatura do olho
(VII) Facial: motor para mm. da expressão e sensitivo para gosto
(VIII) Vestibulococlear: sensitivo para equilíbrio e audição
(IX) Glossofaríngeo: motor para mm. da faringe e sensitivo para
gosto e faringe
NERVOS CRANIANOS
(X) Vago: motor para mm. da faringe e laringe e sensitivo para as
vísceras em geral
(XI) Acessório: motor e sensitivo para mm. trapézio e
esternocleidomastoideo (movimentam cabeça, pescoço e
ombro)
(XII) Hipoglosso: motor e proprioceptivo para mm. da língua
Origem dos
Nervos Cranianos
A maioria dos pares de nervos cranianos
estão associados com o Tronco Encefálico
NERVO VAGO (X)
NERVOS ESPINAIS
• 31 pares, emergem de segmentos na
medula:
- 08 cervicais
- 12 torácicos
- 05 lombares
- 05 sacrais
- 01 coccígeno
• União da raiz ventral (motora) e dorsal
(sensitiva)
• Todos mistos: fibras sensitivas e motoras
PLEXOS
NERVOSOS
Agrupamentos de nervos
(ramos anteriores) após união
das raízes ventrais e dorsais
(exceto de T2 a T12 – nervos torácicos
ou intercostais)
PLEXOS NERVOSOS
• Plexo Cervical C1 a C5: pele e músculos do
pescoço e parte da cabeça e ombros
• Plexo Braquial C5 a T1: membro superior e parte
do ombro e pescoço
PLEXOS NERVOSOS
• Plexo Lombar L1 a L4: abdome inferior e
parte anterior e medial do membro inferior
• Plexo Sacral L4,L5,S1 a S3 (dá origem ao
nervo isquiático): parte inferior do dorso,
pelve, períneo, coxa, perna e pé
• Plexo Coccígeno: formado por pequeno
ramo descendente de S4 e pelos ramos
ventrais de S5.
Plexo Cervical
Plexo Braquial
Plexo Lombar
Plexo Sacral
CLASSIFICAÇÃO
FUNCIONAL
• Sistema Nervoso Somático:
- Fibras nervosas aferentes (sensitivas)
- Fibras nervosas eferentes (motoras)
• Sistema Nervoso Visceral:
- Fibras aferentes
- Fibras eferentes - motoras (S. N. Autônomo):
. S. N. Simpático
. S. N. Parassimpático
S. N. Simpático
e Parassimpático
S. N.
ÓRGÃO
Simpático Parassimp.
ESTÔMAGO DIMINUI
MOTILIDADE
AUMENTA
MOTILIDADE
PULMÕES RELAXAMENTO
DAS VIAS AÉREAS
CONTRAÇÃO
CORAÇÃO AUMENTO DO
BATIMENTO
REDUÇÃO DO
BATIMENTO
GLL.
SALIVARES
DIMINUI
SECREÇÃO
AUMENTA
SECREÇÃO
Midríase é a
dilatação da
pupila em função
da contração do
músculo dilatador
da pupila.
O contrário, ou
seja, a
contração da
pupila, é
conhecida
como miose.
GÂNGLIOS NERVOSOS
Funcionam como estações de
interligação entre neurônios e
estruturas do organismo.
Seções 2.3 e 2.4
• Fármacos com atuação no
Sistema Nervoso Central e
Autônomo
• Patologias que acometem o
Sistema Nervoso
Fármacos com atuação
no Sistema Nervoso Central
e Autônomo
Seção 2.3
Seção 2.4
Patologias que acometem o
sistema nervoso
MAPA MENTAL DO SISTEMA NERVOSO
https://www.goconqr.com/pt-
BR/p/7167390?dont_count=true&fram
e=true&fs=true
OBRIGADO PELA
ATENÇÃO!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Sistema+Nervoso+-+parte+I 2.pdf

Sistema Neurológico
Sistema NeurológicoSistema Neurológico
Sistema Neurológico
GuilhermeMantovani6
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Alisson Vasconcelos Dos Anjos
 
01 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 0809
01 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 080901 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 0809
01 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 0809
Teresa Monteiro
 
Biologia08 nervoso
Biologia08 nervosoBiologia08 nervoso
Biologia08 nervoso
ajsmorais
 
Aula 08 sistema nervoso
Aula 08   sistema nervosoAula 08   sistema nervoso
Aula 08 sistema nervoso
Felipe Beijamini
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Colégios particulares
 
Anatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdf
Anatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdfAnatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdf
Anatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdf
FlorminoSalato
 
Sistema nervoso
Sistema  nervosoSistema  nervoso
Sistema nervoso
Marcos Albuquerque
 
anatomia.ii.pdf
anatomia.ii.pdfanatomia.ii.pdf
anatomia.ii.pdf
EricaLima176269
 
06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Neuroanatomia 20
Neuroanatomia 20Neuroanatomia 20
Neuroanatomia 20
pauloalambert
 
Sistema neurohormonal
Sistema neurohormonalSistema neurohormonal
Sistema neurohormonal
Patrícia Santos
 
SISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptxSISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptx
Geovana654578
 
Aula Sistema Nervoso 8º Ano
Aula Sistema Nervoso 8º AnoAula Sistema Nervoso 8º Ano
Aula Sistema Nervoso 8º Ano
Eliando Oliveira
 
Sistema Nervoso - Prof Maria de Fátima
Sistema  Nervoso - Prof Maria de FátimaSistema  Nervoso - Prof Maria de Fátima
Sistema Nervoso - Prof Maria de Fátima
Tia Fátima Assis Lepesqueur
 
sistema-nervoso-1.pptx
sistema-nervoso-1.pptxsistema-nervoso-1.pptx
sistema-nervoso-1.pptx
SamiraDaSilvaFrana
 
INTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdf
INTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdfINTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdf
INTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdf
ValeriaCristinadeSiq
 
Sistema nervoso ii
Sistema  nervoso iiSistema  nervoso ii
Sistema nervoso ii
aulasdotubao
 
Sistema nervoso ii
Sistema  nervoso iiSistema  nervoso ii
Sistema nervoso ii
aulasdotubao
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
whybells
 

Semelhante a Sistema+Nervoso+-+parte+I 2.pdf (20)

Sistema Neurológico
Sistema NeurológicoSistema Neurológico
Sistema Neurológico
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
 
01 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 0809
01 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 080901 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 0809
01 SN Constituição do sistema Nervoso Tc 0809
 
Biologia08 nervoso
Biologia08 nervosoBiologia08 nervoso
Biologia08 nervoso
 
Aula 08 sistema nervoso
Aula 08   sistema nervosoAula 08   sistema nervoso
Aula 08 sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Anatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdf
Anatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdfAnatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdf
Anatomia%20do%20sistema%20nervoso%20central_parte%201.pdf
 
Sistema nervoso
Sistema  nervosoSistema  nervoso
Sistema nervoso
 
anatomia.ii.pdf
anatomia.ii.pdfanatomia.ii.pdf
anatomia.ii.pdf
 
06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc
 
Neuroanatomia 20
Neuroanatomia 20Neuroanatomia 20
Neuroanatomia 20
 
Sistema neurohormonal
Sistema neurohormonalSistema neurohormonal
Sistema neurohormonal
 
SISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptxSISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptx
 
Aula Sistema Nervoso 8º Ano
Aula Sistema Nervoso 8º AnoAula Sistema Nervoso 8º Ano
Aula Sistema Nervoso 8º Ano
 
Sistema Nervoso - Prof Maria de Fátima
Sistema  Nervoso - Prof Maria de FátimaSistema  Nervoso - Prof Maria de Fátima
Sistema Nervoso - Prof Maria de Fátima
 
sistema-nervoso-1.pptx
sistema-nervoso-1.pptxsistema-nervoso-1.pptx
sistema-nervoso-1.pptx
 
INTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdf
INTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdfINTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdf
INTRODUCAO_A_NEUROANATOMIA_E_NEUROFISIOL.pdf
 
Sistema nervoso ii
Sistema  nervoso iiSistema  nervoso ii
Sistema nervoso ii
 
Sistema nervoso ii
Sistema  nervoso iiSistema  nervoso ii
Sistema nervoso ii
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 

Sistema+Nervoso+-+parte+I 2.pdf

  • 1. Ciências Morfofuncionais do Sistema Nervoso e Cardiorrespiratório Prof. Eduardo A. Del Buono
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Práticas laboratoriais . Jaleco de tecido (cor branca) com mangas longas . Máscaras descartáveis . Luvas descartáveis . Estudo prévio da parte teórica . “Atlas de Anatomia” para pesquisa
  • 8. Sistema de Pontuação . Pontos em vez de notas . Muitos pontos distribuídos em várias atividades . Avaliações Oficiais de 1º e 2º bimestres (1.000 e 4.000 pontos, respectivamente) . Para aprovação: mínimo de 6.000 pontos . Soma das avaliações oficiais tem mínimo de pontos
  • 10. Regula o funcionamento dos diferentes órgãos entre si e do conjunto do organismo com o meio ambiente.
  • 11. SISTEMA NERVOSO •Formado pelo tecido nervoso: - Neurônios - Células da Glia (neuróglia)
  • 13. S.N.C. • Encéfalo: - Cérebro: . Telencéfalo . Diencéfalo - Cerebelo - Tronco Encefálico: . Mesencéfalo . Ponte . Bulbo • Medula Espinal
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18. S.N.P. • Nervos (espinais e cranianos) • Gânglios • Terminações nervosas
  • 19. VÍDEO: Divisão Anatômica do Sistema Nervoso
  • 20. DIVISÃO (CLASSIFICAÇÃO) EMBRIOLÓGICA Camadas Germinativas ou Folhetos Embrionários
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. DIVISÃO (CLASSIFICAÇÃO) EMBRIOLÓGICA •Placa Neural •Sulco Neural •Crista Neural •Tubo Neural
  • 26.
  • 27. Vídeo: Formação do Tubo Neural
  • 33.
  • 34. RELAÇÃO ENTRE AS CLASSIFICAÇÕES • CÉREBRO = telencéfalo + diencéfalo • MESENCÉFALO = mesencéfalo • CEREBELO E PONTE = metencéfalo • BULBO = mielencéfalo
  • 35.
  • 36. MIELOMENINGOCELE A mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma má-formação congênita da coluna vertebral da criança em que as meninges, a medula e as raízes nervosas ficam expostas. Acontece entre 18 e 21 dias de gestação e é o defeito mais comum de formação do tubo neural, ocorrendo em 1 a 10 a cada 1000 nascimentos.
  • 37.
  • 39. “Quando não ocorre a fusão da porção superior do tubo neural, o feto será um anencéfalo, uma patologia rara e que não é compatível com a vida. Sem o encéfalo, não haverá integração entre sistema nervoso central e periférico, nem os nervos cranianos irão existir”.
  • 40. SEÇÕES 1.2 E 1.3 Cérebro Cerebelo Tronco Encefálico Medula Espinal
  • 41. Crânio – Proteção para Encéfalo Secção Sagital Mediana – Vista Lateral
  • 42. Secção transversal – Vista Superior Crânio – Vista Inferior
  • 43. Secção Frontal ou Coronal – Vista Ântero-Superior
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 49. TELENCÉFALO • Compreende os dois hemisférios cerebrais • separados pela fissura longitudinal do cérebro • união: corpo caloso • cavidades: ventrículos laterais • Córtex: camada externa (substância cinzenta) • Camada interna: substância branca
  • 50.
  • 51.
  • 52. TELENCÉFALO • GIROS ou circunvoluções (elevações): - giro pré-central: motor - giro pós-central: sensitivo • SULCOS (depressões entre os giros): - central, parieto-occipital, lateral
  • 53. TELENCÉFALO • PÓLOS (extremidades): - frontal, occipital, temporal • CORPO CALOSO (união dos hemisférios) • LOBOS (partes do cérebro): - frontal, parietal, occipital, temporal
  • 54.
  • 55.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59. NÚCLEOS DA BASE • Massas pares de substância cinzenta no interior do cérebro • Dividido em claustro e corpo estriado, este por sua vez formado pelos núcleos lentiforme (putame + globo pálido) e caudado. • Controlam contrações inconscientes musculares e tônus muscular para movimentos voluntários. • Lesões podem levar a rigidez, tremor e movimentos rápidos e incertos. (Doença de Parkinson)
  • 60.
  • 62. • Homúnculo motor (de Penfield e Rasmussen) CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO
  • 63. • Função: gerar os estímulos nervosos necessários para que possamos nos movimentar de forma voluntária. • Lesão nessa área irá afetar o movimento voluntário. CÓRTEX MOTOR PRIMÁRIO
  • 64. CÓRTEX SENSITIVO SOMÁTICO • Giro pós-central • Homúnculo sensitivo (de Penfield e Rasmussen ) • “Mapa da superfície do corpo” • Área com atividade sensitiva maior: dedos e lábios
  • 65. CÓRTEX SENSITIVO E MOTOR “ A extensão da representação cortical de uma parte do corpo depende da importância funcional e não do seu tamanho”. Ex. A área para a mão é maior que tronco e membro inferior. A complexidade e delicadeza do movimento é maior.
  • 66.
  • 67.
  • 68. DIENCÉFALO • TÁLAMO: retransmite todas as informações sensitivas ao córtex cerebral • HIPOTÁLAMO: controla e integra as atividades do S.N. Autônomo e da hipófise. Temperatura corporal; regula ingestão de alimento e bebida. Auxilia a manter a consciência e estabelece padrões de sono.
  • 69.
  • 71. DIENCÉFALO • Tálamo e Epitálamo: superiores ao sulco hipotalâmico • Hipotálamo: inferior ao sulco hipotalâmico • TERCEIRO VENTRÍCULO: cavidade que aloja o diencéfalo
  • 72.
  • 73. TRONCO ENCEFÁLICO • retransmite os impulsos sensitivos e motores entre outras partes do encéfalo e a medula. • MESENCÉFALO: coordenação de movimentos, equilíbrio, estímulos auditivos • PONTE: meio de união entre as estruturas do encéfalo. Junto com o bulbo, ajuda a controlar a respiração. • BULBO: centros vitais regulam o batimento cardíaco, a respiração e o diâmetro do vaso sangüíneo. Outros centros coordenam a deglutição, o vômito, a tosse, o espirro e o soluço.
  • 74.
  • 75. FORMAÇÃO RETICULAR • região de substância cinzenta formada por uma malha de fibras nervosas que estende-se através do TRONCO ENCEFÁLICO até o DIENCÉFALO. • recebe impulsos de todos os tratos sensitivos que são enviados ao córtex cerebral. • Essencial no estado de alerta e vigília, estimulando o cérebro. • Lesões podem produzir estado de coma.
  • 76.
  • 77. CEREBELO • Função relacionada com equilíbrio e coordenação dos movimentos • HEMISFÉRIOS CEREBELARES • VERME CEREBELAR
  • 78.
  • 79.
  • 80.
  • 81.
  • 82. Ataxia ou incoordenação dos movimentos é um sintoma, não uma doença específica ou um diagnóstico. A ataxia é frequentemente causada por uma perda da função do cerebelo (parte do cérebro que serve como centro de coordenação), medula espinal ou das vias condutoras que interligam o cerebelo e a medula. www.hospitalsiriolibanes.org.br
  • 83.
  • 84. MENINGES - LÍQUOR • Membranas conjuntivas que envolvem o SNC: 1. Dura-Máter (“mãe dura”) paquimeninge 2. Aracnóide-Máter leptomeninge 3. Pia-Máter Espaços relacionados às meninges: . Epidural (coluna vertebral) . Subdural . Subaracnóideo (líquido cerebrospinal - líquor)
  • 85.
  • 86. LÍQUOR (LÍQUIDO CEREBROSPINAL) • Fluido aquoso e incolor • Espaço subaracnóide • Fluxo de células de defesa • Diminui o peso virtual do encéfalo • Proteção contra impactos
  • 87. VENTRÍCULOS ENCEFÁLICOS • Cavidades preenchidas por líquido cerebrospinal • Plexo corioide: rede de capilares que produzem o líquor • Caminho do líquor: ventrículos laterais – forames interventriculares – III ventrículo – aqueduto do mesencéfalo – IV ventrículo – aberturas medianas e laterais – espaço subaracnoide.
  • 88.
  • 89.
  • 90. HIDROCEFALIA A hidrocefalia é uma doença na qual ocorre um aumento da quantidade de líquor no cérebro, que, quando em excesso, aumenta a pressão dentro do crânio, podendo causar danos ao órgão.
  • 91. MEDULA ESPINAL • Limites ósseos: do forame magno até a parte superior da 2ª vértebra lombar • Possui intumescência cervical e lombossacral • Cone medular: parte inferior mais afilada da medula • Canal central: percorre o comprimento da medula, contém líquor • Cauda equina: raízes dos nervos originários da porção mais inferior da medula
  • 92.
  • 93.
  • 94.
  • 95. MEDULA ESPINAL • Conduz impulsos sensitivos da periferia ao encéfalo e impulsos motores do encéfalo para a periferia • Contém tratos (feixes de fibras nervosas) sensitivos (ascendentes) e tratos motores (descendentes) • Permite o arco reflexo: via mais curta que pode ser tomada por um impulso.
  • 96.
  • 97. O Trato Espinotalâmico possui duas divisões ao nível da medula espinal: • O trato espinotalâmico lateral transmite as sensações de dor e temperatura. • O trato espinotalâmico anterior (ou ventral) transmite a sensação do tato protopático (tato grosseiro) e da pressão.
  • 99. MEDULA ESPINAL • Substância cinzenta interna (formando um “ H “ medular). • Substância branca externa.
  • 100.
  • 101. Componentes do Arco Reflexo Medular: - receptor (terminação nervosa) - neurônio sensitivo (aferente) - sinapse (entre neurônios sensitivos e motores – neurônio de associação) - neurônio motor (eferente) - efetuador (músculos e glândulas por meio da placa motora)
  • 102.
  • 103.
  • 104.
  • 105. VÍDEO – Medula Espinal
  • 108. NEURÔNIO • Corpo celular • Dendritos • Axônio • Telodendro (ramificação terminal do axônio) • Bainha de Mielina
  • 109.
  • 110.
  • 111. SINAPSES (CONEXÃO ENTRE DOIS OU MAIS NEURÔNIOS) • Elementos constituintes: - neurônio pré-sináptico - fenda sináptica - neurônio pós-sináptico - transmissores químicos: . dopamina . serotonina . acetilcolina . noradrenalina
  • 112.
  • 113. NEURÔNIO • Classificação Morfológica: - bipolar - multipolar (motor) - pseudo-unipolar (sensit.) • Classificação Funcional: - sensitivo (aferente) - motor (eferente)
  • 115. Células Gliais ou Neuróglia (glia = cola): . células de sustentação (6 tipos) . Astrócitos (regulam a passagem de moléculas do sangue para o encéfalo) . Oligodendrócitos (formam camadas de mielina ao redor dos axônios no SNC) . Micróglia (removem materiais estranhos e degenerados) . Células ependimárias (formam o líquor, revestem os ventrículos) . Neurolemócitos (células de Schwann) (formam camadas de mielina ao redor dos axônios no SNP) . Células satélites (suporte aos corpos celulares de neurônios no SNP)
  • 116.
  • 117.
  • 119.
  • 120.
  • 121. VÍDEO – Impulso Nervoso
  • 122. SEÇÕES 2.1 E 2.2 ✓ Sistema Nervoso Periférico ✓ Nervos Cranianos ✓ Nervos Espinais e Plexos ✓ Sistema Nervoso Autônomo ✓ Sistema Nervoso Somático
  • 123. S.N. PERIFÉRICO •Nervos cranianos e espinais •Gânglios •Terminações nervosas
  • 124.
  • 125.
  • 126.
  • 127.
  • 128. NERVOS CRANIANOS • Emergem em áreas do encéfalo • 12 pares • Podem ser sensitivos, motores ou mistos (I) olfatório (sensitivo) (II) óptico (sensitivo)
  • 129. NERVOS CRANIANOS (III) oculomotor: motor e proprioceptivo para musculatura do olho (IV) troclear: motor e proprioceptivo para musculatura do olho (V) trigêmeo: ramos oftálmico (sensitivo da face); maxilar e mandibular (motores para músculos da mastigação e sensitivos para dentes e mucosas)
  • 130. NERVOS CRANIANOS (VI) Abducente: motor e proprioceptivo para musculatura do olho (VII) Facial: motor para mm. da expressão e sensitivo para gosto (VIII) Vestibulococlear: sensitivo para equilíbrio e audição (IX) Glossofaríngeo: motor para mm. da faringe e sensitivo para gosto e faringe
  • 131. NERVOS CRANIANOS (X) Vago: motor para mm. da faringe e laringe e sensitivo para as vísceras em geral (XI) Acessório: motor e sensitivo para mm. trapézio e esternocleidomastoideo (movimentam cabeça, pescoço e ombro) (XII) Hipoglosso: motor e proprioceptivo para mm. da língua
  • 132.
  • 133. Origem dos Nervos Cranianos A maioria dos pares de nervos cranianos estão associados com o Tronco Encefálico
  • 134.
  • 135.
  • 136.
  • 137.
  • 138.
  • 139.
  • 140.
  • 142.
  • 143. NERVOS ESPINAIS • 31 pares, emergem de segmentos na medula: - 08 cervicais - 12 torácicos - 05 lombares - 05 sacrais - 01 coccígeno • União da raiz ventral (motora) e dorsal (sensitiva) • Todos mistos: fibras sensitivas e motoras
  • 144.
  • 145.
  • 146. PLEXOS NERVOSOS Agrupamentos de nervos (ramos anteriores) após união das raízes ventrais e dorsais (exceto de T2 a T12 – nervos torácicos ou intercostais)
  • 147. PLEXOS NERVOSOS • Plexo Cervical C1 a C5: pele e músculos do pescoço e parte da cabeça e ombros • Plexo Braquial C5 a T1: membro superior e parte do ombro e pescoço
  • 148. PLEXOS NERVOSOS • Plexo Lombar L1 a L4: abdome inferior e parte anterior e medial do membro inferior • Plexo Sacral L4,L5,S1 a S3 (dá origem ao nervo isquiático): parte inferior do dorso, pelve, períneo, coxa, perna e pé • Plexo Coccígeno: formado por pequeno ramo descendente de S4 e pelos ramos ventrais de S5.
  • 149.
  • 152.
  • 155. CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL • Sistema Nervoso Somático: - Fibras nervosas aferentes (sensitivas) - Fibras nervosas eferentes (motoras) • Sistema Nervoso Visceral: - Fibras aferentes - Fibras eferentes - motoras (S. N. Autônomo): . S. N. Simpático . S. N. Parassimpático
  • 156. S. N. Simpático e Parassimpático S. N. ÓRGÃO Simpático Parassimp. ESTÔMAGO DIMINUI MOTILIDADE AUMENTA MOTILIDADE PULMÕES RELAXAMENTO DAS VIAS AÉREAS CONTRAÇÃO CORAÇÃO AUMENTO DO BATIMENTO REDUÇÃO DO BATIMENTO GLL. SALIVARES DIMINUI SECREÇÃO AUMENTA SECREÇÃO
  • 157. Midríase é a dilatação da pupila em função da contração do músculo dilatador da pupila. O contrário, ou seja, a contração da pupila, é conhecida como miose.
  • 158. GÂNGLIOS NERVOSOS Funcionam como estações de interligação entre neurônios e estruturas do organismo.
  • 159. Seções 2.3 e 2.4 • Fármacos com atuação no Sistema Nervoso Central e Autônomo • Patologias que acometem o Sistema Nervoso
  • 160. Fármacos com atuação no Sistema Nervoso Central e Autônomo Seção 2.3
  • 161. Seção 2.4 Patologias que acometem o sistema nervoso
  • 162. MAPA MENTAL DO SISTEMA NERVOSO https://www.goconqr.com/pt- BR/p/7167390?dont_count=true&fram e=true&fs=true